Fernando Peixoto Copia Blog 2

442 visualizações

Publicada em

Publicada em: Diversão e humor, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
442
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
28
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fernando Peixoto Copia Blog 2

  1. 1. SEMPRE Fernando Peixoto
  2. 2. Olho para ti E vejo… A mesma imagem de sempre Carisma, alma, voz Ao sabor do tempo Nas ondas frémitas do ar Que os dias moldam nas marés…
  3. 3. Os anos parecem não passar Tudo parece na mesma E, no entanto, Tanta coisa mudou Ou talvez não… Nesta condição humana Não é fácil semear Quanto mais colher… Mas é fundamental Saber aprender E reconhecer Que mesmo na distância A ânsia por te ver Irá sempre permanecer…
  4. 4. Custa aceitar Não consigo entender Mas desejo que aqui, lá Ou onde for Me possas sentir Ou julgar Mas sempre ver…
  5. 5. Como explicar Não sei, desconheço, Ignoro e sinto-me despido Nessa areia movediça Que tanto atrai e retira. Sinto-me sentido E triste… O espectáculo, esse Continua… tenaz Capcioso, determinado Na languidez atroz Da luz encandeante…
  6. 6. Perdi um sonho Que nunca julguei Perdi um modelo Que sempre admirei Perdi um pouco de mim Mas ganhei muito mais Do que aquilo que dei… O carisma, a alma e a voz Permanecem para sempre No legado patrimonial Da memória selectiva.
  7. 7. Fernando Peixoto Olho para ti E vejo… A mesma imagem de sempre Carisma, alma, voz Ao sabor do tempo Nas ondas frémitas do mar Que os dias moldam nas marés… Os anos parecem não passar Tudo parece na mesma E, no entanto, Tanta coisa mudou Ou talvez não… Nesta condição humana Não é fácil semear Quanto mais colher… Mas é fundamental Saber aprender E reconhecer Que mesmo na distância A ânsia por te ver Irá sempre permanecer… Custa aceitar Não consigo entender Mas desejo que aqui, lá Ou onde for Me possas sentir Ou julgar Mas sempre ver… Como explicar Não sei, desconheço, Ignoro e sinto-me despido Nessa areia movediça Que tanto atrai e retira. Sinto-me sentido E triste… O espectáculo, esse Continua… tenaz Capcioso, determinado Na languidez atroz Da luz encandeante… Perdi um sonho Que nunca julguei Perdi um modelo Que sempre admirei Perdi um pouco de mim Mas ganhei muito mais Do que aquilo que dei… O carisma, a alma e a voz Permanecem para sempre No legado patrimonial Da memória selectiva.
  8. 8. F I M Créditos: Autor: Fernando Peixoto Formatação: Michèle Christine Música: Guitarra Portuguesa

×