Definição do amor<br />Definição do AMOR<br />Trabalho realizado por:<br />Marcelo e Ricardo, 8º Oi1<br />
"Amor é fogo que arde sem se ver é ferida que dói e não se sente é um contentamento descontente é dor que desatina sem doe...
Que o poeta de todos os poetas me conceda boa estrela que a estrela <br />                de todos os astros me premeie na...
Amores anónimos não há e assim foi pela madrugada mesmo que seja um "assim fosse" vou nomear-te namorada ninguém já soube ...
É uma cor que dá na vida o amor é uma luz que dá cor é uma luz que dá na cor mas é uma batalha perdida que se trava com ar...
Se devagar se vai ao longe devagar te quero perto mesmo que o que arde nunca cure vou beijar-te a sol aberto é já dos livr...
Mordidas mansas, emoções suspiros, densos, afagares liberto das definições o amor define os seus lugares ilhas desertas at...
E ao pôr o dedo nas feridas que supúnhamos curadas provas de fogo atravessamos no mar alto festejadas não se controla o in...
É uma cor que dá na vida o amor é uma luz que dá cor é uma luz que dá na cor mas é uma batalha perdida que se trava com ar...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Marcelo Costa e Ricardo Guedes

278 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
278
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Marcelo Costa e Ricardo Guedes

  1. 1. Definição do amor<br />Definição do AMOR<br />Trabalho realizado por:<br />Marcelo e Ricardo, 8º Oi1<br />
  2. 2. "Amor é fogo que arde sem se ver é ferida que dói e não se sente é um contentamento descontente é dor que desatina sem doer"<br />
  3. 3. Que o poeta de todos os poetas me conceda boa estrela que a estrela <br /> de todos os astros me premeie na lapela prémios de honor prefiro os muitos <br /> oferecidos pelas mãos <br /> do amor <br />
  4. 4. Amores anónimos não há e assim foi pela madrugada mesmo que seja um "assim fosse" vou nomear-te namorada ninguém já soube o que é o amor se o amor é aquilo que ninguém viu uma cor que fugiu e pairou serena e breve no ar (Pousa agora, borboleta na pena deste poeta:) <br />
  5. 5. É uma cor que dá na vida o amor é uma luz que dá cor é uma luz que dá na cor mas é uma batalha perdida que se trava com ardor é uma cor que dá na vida o amor dor que desatina sem doer <br />
  6. 6. Se devagar se vai ao longe devagar te quero perto mesmo que o que arde nunca cure vou beijar-te a sol aberto é já dos livros que o instante se parece tanto com a eternidade e que o amor na verdade só se cansa de ti se de ti mesmo te cansas <br />
  7. 7. Mordidas mansas, emoções suspiros, densos, afagares liberto das definições o amor define os seus lugares ilhas desertas até ver ver o sol, a chuva o arco do corpo arco-íris, corpo a corpo cara a cara, cor a cor incandescendo o olhar (Pousa agora, borboleta na pena deste poeta:) <br />
  8. 8. E ao pôr o dedo nas feridas que supúnhamos curadas provas de fogo atravessamos no mar alto festejadas não se controla o inesperado nem se diz o indizível do amor uma cor que fugiu de um pano leve e pairou serena e breve no ar (Pousa agora, borboleta na pena deste poeta:) <br />
  9. 9. É uma cor que dá na vida o amor é uma luz que dá cor é uma luz que dá na cor mas é uma batalha perdida que se trava com ardor é uma cor que dá na vida o amor dor que desatina sem doer <br />

×