Nbr 12904 1993

514 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
514
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nbr 12904 1993

  1. 1. Cópia não autorizada JUN 1993 NBR 12904 Válvula de descarga ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (021) 210 -3122 Telex: (021) 34333 ABNT - BR EndereçoTelegráfico: NORMATÉCNICA Copyright © 1990, ABNT–Associação Brasileira de Normas Técnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados Especificação Origem: Projeto 02:009.76-001/1992 CB-02 - Comitê Brasileiro de Construção Civil CE-02:009.76 - Comissão de Estudo de Válvula de Descarga NBR 12904 - Exhaust valve - Specification Descriptors: Exhaust valve. Sanitary basin Esta Norma cancela e substitui as NBR 5669/1977, NBR 7252/1982 e NBR 7257/1982 Válida a partir de 30.07.1993 Palavras-chave: Válvula de descarga. Bacia sanitária SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Documentos complementares 3 Definições 4 Condições gerais 5 Condições específicas 6 Inspeção 7 Aceitação e rejeição 4 páginas NBR 8133 - Rosca para tubos onde a vedação não é feita pela rosca - Designação, dimensões e tolerâncias - Padronização NBR 10283 - Revestimentos eletrolíticos de metais e plásticos sanitários - Especificação NBR 12905 - Válvula de descarga - Verificação de desempenho -Método de ensaio 3 Definições 1 Objetivo 1.1 Esta Norma fixa as condições mínimas a que devem atender as válvulas de descarga destinadas à limpeza de bacias sanitárias. Para os efeitos desta Norma são adotadas as definições de 3.1 a 3.14. 3.1 Canopla a) com ou sem registro integrado; Acessório de acabamento utilizado na válvula de descarga de embutir que permite cobrir o corpo desta válvula depois de instalado, podendo, ou não, incorporar o dispositivo de acionamento. b) de instalação externa ou de embutir na parede; 3.2 Registro integrado c) com tamanho nominal DN 25, DN 32 ou DN 40; d) com ciclo variável ou fixo; Dispositivo incorporado à válvula de descarga, destinado a regular a vazão e também propiciar o fechamento para manutenção. e) de alta pressão, baixa pressão ou bitola única. 3.3 Registro de utilização 1.2 Esta Norma se aplica aos seguintes tipos de válvulas de descarga: 2 Documentos complementares Na aplicação desta Norma é necessário consultar: Componente instalado na tubulação de uma instalação predial de água, destinado a controlar o fluxo da água a ser usada.
  2. 2. Cópia não autorizada 2 NBR 12904/1993 3.4 Regulador de vazão 4 Condições gerais Dispositivo intercalado na tubulação para manter constante a vazão da água, qualquer que seja a pressão a montante dentro de uma faixa especificada de pressões. 4.1 Material 3.5 Sobrepressão de fechamento Diferença entre a maior pressão verificada no fechamento de uma válvula de descarga e a pressão estática a que ela está submetida. 3.6 Tamanho nominal (DN) Os materiais utilizados na fabricação do corpo e das partes que constituem a válvula de descarga devem ser resistentes à corrosão ou protegidos contra ela (no caso de utilização de vários metais, não deve haver possibilidade de corrosão eletrolítica); devem ser isentos de produtos tóxicos ou nocivos à saúde e assim permanecer durante sua vida em contato com a água; e não devem facilitar o crescimento de bactérias ou qualquer atividade biológica capaz de colocar a saúde em risco. 4.2 Acabamento das superfícies Designação numérica da válvula de descarga, destinada apenas a classificá-la quanto ao diâmetro da conexão de entrada. 3.7 Tubo de descarga Tubo que liga a válvula de descarga à bacia sanitária. 3.8 Válvula de descarga de alta pressão 4.2.1 O corpo e as partes que constituem a válvula de descarga devem ter acabamento isento de rebarbas ou cantos vivos que prejudiquem o seu funcionam ento ou provoquem danos físicos aos usuários. 4.2.2 As válvulas de descarga não devem apresentar cantos, arestas ou disposição de suas partes manuseáveis, de modo a dificultar sua utilização ou criar risco de dano físico aos usuários. Válvula de descarga concebida para ser usada nos pontos da instalação predial que apresentem valores mais altos de pressão estática, geralmente na faixa de 0,10 MPa a 0,40 MPa. nos corpos das válvulas externas, nos botões de acionamento e noutras partes deve atender às condições exigidas na NBR 10283. 3.9 Válvula de descarga de baixa pressão 4.3 Conexões Válvula de descarga concebida para ser usada nos pontos da instalação predial que apresentem valores mais baixos de pressão estática, geralmente na faixa de 0,020 MPa a 0,20 MPa. 4.3.1 Conexão de entrada rosqueada 3.10 Válvula de descarga de bitola única Válvula de descarga concebida para ser usada em qualquer ponto da instalação predial, submetida a qualquer valor de pressão estática na faixa de 0,020 MPa a 0,40 MPa. 3.11 Válvula de descarga de ciclo fixo Válvula de descarga em que o tempo de duração da descarga independe do tempo de acionamento pelo usuário, obedecendo a uma regulagem prévia. 3.12 Válvula de descarga de ciclo variável Válvula de descarga em que o tempo de duração da descarga é função do tempo de acionamento pelo usuário. 4.2.3 O revestimento eletrolítico existente nas canoplas, A rosca da conexão de entrada deve ser interna, conforme a NBR 8133, obedecendo ao disposto na Tabela 1. Tabela 1 - Características das roscas Tamanho nominal da válvula Designação Comprimento mínimo (mm) DN 25 G1 12 DN 32 G 1 1/4 12 DN 40 G 1 1/2 12 4.3.2 Conexão de entrada soldável Este tipo de conexão se aplica apenas às válvulas de corpo de PVC, e é constituído de bolsa com as dimensões previstas na Tabela 2. Tabela 2 - Dimensões das bolsas 3.13 Vazão de regime Diâmetro interno (mm) Profundidade mínima (mm) DN 25 32 ± 0,2 16 DN 32 Vazão média relativa à fase da descarga que exclui o primeiro e o último litros descarregados. Tamanho nominal da válvula 40 ± 0,2 20 DN 40 50 ± 0,2 25 3.14 Volume de descarga Volume total de água que a válvula descarrega em um ciclo de funcionamento.
  3. 3. Cópia não autorizada 3 NBR 12904/1993 4.3.3 Conexão de saída rosqueada(1) A rosca da conexão de saída deve ser externa, conforme a NBR 8133, com as seguintes características: grado, e a canopla com os seus elementos de fixação. A canopla e o corpo podem ser comercializados separadamente. 4.9.2 O tubo de descarga e/ou seus elementos de fixação a) designação G 1 1/2 B; não são necessariamente partes integrantes da válvula. b) comprimento mínimo 8 mm. 5 Condições específicas 4.3.4 Conexão de saída soldável(1) 5.1 Estanqueidade Este tipo de conexão se aplica apenas às válvulas de corpo de PVC e é constituído de bolsa com as seguintes dimensões: 5.1.1 Condição de alta pressão a) diâmetro interno (38 ± 0,2) mm; b) profundidade mínima 19 mm. 4.4 Canopla A válvula de descarga de embutir deve possuir canopla, cujo sistema de fixação ao corpo da válvula permita o seu ajuste contra a parede revestida e a sua fácil remoção para possibilitar a manutenção da válvula. 4.5 Registro integrado A regulagem do registro integrado não deve ser alterada quando da descarga da válvula. 4.6 Instruções para instalação e operação O fabricante deve fornecer, junto com a válvula de descarga, instruções sobre o seu correto modo de instalação, informando o valor da maior e da menor pressão estática de instalação e o valor da menor pressão de funcionamento. Deve fornecer também instruções de como proceder às regulagens e manutenção que se fizerem necessárias. 4.7 Facilidade de manutenção As peças de vedação e as demais peças susceptíveis de maior desgaste pelo uso devem ser facilmente removíveis do corpo da válvula. No caso de válvula de embutir, não deve haver necessidade da quebra do revestimento da parede. 4.8 Marcações 4.8.1 Na válvula de descarga, devem ser marcados, de for- ma indelével, a marca ou nome do fabricante, o modelo da válvula e o tamanho nominal. Todas as marcações devem ser visíveis com a válvula instalada sem canopla. 4.8.2 Na válvula de descarga, deve ser marcado o valor da maior pressão estática de instalação e, no caso de válvula de embutir, o sentido de escoamento. 5.1.1.1 A válvula de descarga fechada não deve apresentar vazamento pelo sistema interno de vedação, quando submetida, por meio de água, a uma pressão estática de uma vez e meia sua maior pressão estática de instalação. 5.1.1.2 A válvula de descarga aberta não deve apresentar vazamento e/ou exsudação pelo corpo e juntas, quando submetida, por meio de água, a uma pressão estática de duas vezes a sua maior pressão estática de instalação. 5.1.2 Condição de baixa pressão A válvula de descarga fechada não deve apresentar vazamento pelo sistema interno de vedação, quando submetida, por meio de água, a uma pressão estática de 80% da menor pressão estática de instalação. 5.2 Vazão de regime Para o bom funcionamento da bacia sanitária, a descarga da válvula deve apresentar vazão de regime na faixa de 1,5 L /s a 2,2 L /s. 5.2.1 Esta condição deve ser verificada para a situação de mais baixa pressão a que a válvula possa estar submetida (ver determinação da vazão de regime e vazão de regime mínima, na NBR 12905). Uma vez a condição atendida nesta situação, supõe-se que será atendida para as demais pressões caso a válvula disponha de registro integrado. 5.2.2 Caso a válvula não disponha de registro integrado, pelo menos uma das duas alternativas seguintes deve ser atendida: a) a condição de 5.2 deve ser verificada também para a situação de mais alta pressão (vazão de regime máxima), segundo a NBR 12905; b) o fabricante deve fornecer um ou mais reguladores de vazão apropriados para cobrir a faixa de pressão para a qual a válvula foi projetada ou informar da necessidade de instalação de registro de utilização a montante da válvula. Qualquer solução deve ser claramente instruída pelo fabricante, conforme requisito estabelecido em 4.6. 5.2.3 Caso na situação de mais baixa pressão, a válvula já 4.9 Unidade de compra 4.9.1 A unidade de compra é a peça que compreende o corpo da válvula de descarga, com ou sem registro inte(1) apresentar vazão superior a 2,2 L /s, entende-se que, para atingir a condição de 5.2, pode ser manobrado o registro integrado (caso haja) ou usada a alternativa citada em 5.2.2-b). Esta exigência não se aplica para válvula que incorpore o tubo de descarga.
  4. 4. Cópia não autorizada 4 NBR 12904/1993 5.2.4 No caso de válvula dotada de parafuso de regulagem no injetor, ele deve estar ajustado na posição que implique valor de sobrepressão de fechamento de acordo com 5.5. c) vazão de regime de 2,0 L/s; d) dispositivo de regulagem do tempo de fechamento da válvula, quando houver, na posição que provoque o fechamento mais rápido. 5.3 Volume de descarga Considerando que a descarga de uma válvula deva promover a efetiva limpeza da bacia sanitária e o efetivo transporte dos dejetos removidos no ramal de descarga, e considerando, também, a necessidade de conservação da água utilizada nesta limpeza, as válvulas devem ser projetadas para propiciar descargas regulares na faixa de 6 L a 12 L. 5.3.1 Na avaliação deste requisito, é importante que a válvula demonstre capacidade de operar na faixa de 6 L. Primeiro, porque os volumes de descarga atualmente estão muito mais para 12 que para 6; segundo, porque há tendência de as bacias sanitárias funcionarem adequadamente com menos de 10 L; terceiro, o mais importante, porque se a válvula demonstrar funcionamento adequado com 6 L seguramente proporcionará descargas de 12 L, bastando apenas aumentar o tempo de funcionamento. Assim, quando submetida ao ensaio de determinação do volume de descarga, descrito na NBR 12905, a válvula deve apresentar descargas regulares com volume não superior a 9,0 L por descarga. 5.6 Resistência ao uso A válvula de descarga, após 30000 ciclos de funcionamento sob as mesmas condições estabelecidas em 5.5-a) a 5.5-d), deve atender aos requisitos estabelecidos em 5.1 a 5.5. 6 Inspeção Para verificar se um tipo de válvula de descarga está em conformidade com esta Norma, deve-se proceder da maneira disposta em 6.1 a 6.4. 6.1 Número de válvulas necessárias De cada tipo de válvula de descarga, são necessários dois exemplares e seis partes de válvula com revestimento eletrolítico. 6.2 Verificação das condições gerais 6.2.1 As condições fixadas no Capítulo 4 devem ser veri- 5.3.2 No caso de válvula de ciclo variável, o tempo de acio- namento deve ser suficiente para permitir ao usuário a sensação de que ela entrou em regime, porém não deve ser muito longo visto que nesta condição há grande probabilidade de o usuário interromper a descarga antes do momento adequado. Recomenda-se a faixa entre 1 s e 4 s. 5.4 Força de acionamento A força necessária para acionar a válvula de descarga, quando submetida à maior pressão estática de instalação, não deve ser superior a 50 N. 5.5 Sobrepressão de fechamento A válvula de descarga não deve apresentar no seu fechamento valor de sobrepressão maior que 0,20 MPa, quando submetida às seguintes condições: ficadas nos dois exemplares. 6.2.2 O revestimento eletrolítico, condição disposta em 4.2.3, deve ser verificado segundo o procedimento estabelecido na NBR 10283. 6.3 Verificação das condições específicas As condições fixadas no Capítulo 5 devem ser verificadas nos dois exemplares, segundo os métodos de ensaio da NBR 12905. 6.4 Documento técnico O documento técnico, contendo os resultados da verificação de tipo, deve conter uma descrição da válvula de descarga que seja sucinta e a mais completa possível, podendo utilizar, para tanto, desenhos e fotografias. a) maior pressão estática de instalação; 7 Aceitação e rejeição b) tubulação de alimentação com comprimento, em metros, numericamente igual à maior pressão estática de instalação, expressa em megapascal (MPa), dividida por 0,01 (peso específico da água em MN/m3); Uma válvula de descarga pode ser considerada em conformidade com esta Norma se, depois de inspecionada da forma fixada no Capítulo 6, apresentar resultados que satisfaçam a todos os requisitos estabelecidos nos Capítulos 4 e 5.

×