Mat geo 1ºem_geologia_03-06-2013

200 visualizações

Publicada em

Geologia Geral: A dinâmica interna da Terra - Professor DANIEL NOGUEIRA

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
200
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mat geo 1ºem_geologia_03-06-2013

  1. 1. GE GRAFIA
  2. 2. Estudo Interno do Planeta Terra Geografia Professor Daniel Nogueira
  3. 3.  Geologia: estudo da composição, estrutura, propriedades físicas, história e os processos que dão forma à Terra.  Ciência essencial para determinar a idade da Terra (cerca de 4,6 bilhões de anos)
  4. 4.  Um dos diversos modelos científicos que tentam explicar como o universo se formou é a Teoria do Big Bang.  Big Bang: o Big Bang é visto como o momento no qual toda a matéria e energia do universo estava concentrada em um só ponto. Então, esse ponto explodiu, disparando matéria pelo espaço, configurando o Universo. Porém, o Big Bang explica a expansão do Espaço em si, o que por sua vez significa que tudo que estava contido dentro desse espaço está se afastando.
  5. 5. ATENÇÃO: O que é uma teoria? Na ciência, uma teoria é uma tentativa de explicar um aspecto específico do universo. Teorias não podem ser completamente provadas, mas podem ser negadas. Caso observações e testes sustentem uma teoria, ela se torna mais forte e mais cientistas tendem a acatá-la. Caso as provas contrariem uma teoria, os cientistas precisam descartá-la ou revisá-la à luz de novos indícios.
  6. 6.  Levando a Teoria do Big Bang como base, acredita-se que a Terra possua aproximadamente 4,6 bilhões de anos.  A “idade da Terra” é data em bilhões/milhões de anos e dividida em Eras Geológicas.
  7. 7.  O planeta Terra é disposto em camadas.  A organização destas camadas define a Estrutura do planeta.
  8. 8.  As camadas terrestres são compostas por diversos matérias químicos.  A composição predominante das camadas é: Núcleo: Níquel + Ferro (Nife) Manto: Silício + Magnésio (Sima) Crosta: Silício + Alumínio (Sial)
  9. 9.  Buscando compreender a dinâmica interna do Planeta, diversos cientistas elaboraram teorias que visavam explicar o comportamento interno da Terra.  A mais conceituada teoria sobre o funcionamento interno do planeta e suas consequências é a Teoria de Alfred Wegener, elaborada em 1915.  Denominada como “A Origem dos Continentes”, a teoria do geofísico alemão Wegener defende a ideia de uma deriva continental.  Segundo as ideias de Wegener, a Crosta seria composta por gigantescos fragmentos da litosfera e estaria emersa (flutuando) sobre o manto terrestre.
  10. 10.  Sendo assim, segundo Wegener: - Ao se resfriar do Big Bang, a superfície do Planeta consolidou-se em uma só grande massa continental, denominada como Pangeia. - Devido as Correntes de Convecção do Manto e das forças endógenas (internas) do Planeta, a crosta foi se fragmentando em grandes Placas Tectônicas. - Estas placas foram em milhões e milhões de anos se movimentando sobre o manto terrestre, em processos de colisão e separação. - Os continentes (porções das placas que estão emersas sobre a água), foram então, gradualmente se separando, originando o termo Deriva Continental.
  11. 11.  A Deriva Continental elaborada por Wegener:
  12. 12.  Através da ideias de Wegener, a Geologia avançou significativamente seus estudos e a Tectônica de Placas passou a ser elemento fundamental na interpretação da dinâmica interna do planeta e suas consequências na superfície.  Hoje o planeta possui, ao longo da Crosta, 7 grandes placas tectônicas e 7 placas de menores proporções.
  13. 13.  A tectônica, ou seja, o deslocamento das placas litosfericas e seu constante movimento, é considerado o processo modelador da superfície do planeta, assim como seus constantes choques e afastamentos são responsáveis pelos abalos sísmicos (terremotos / maremotos) e pelo vulcanismo, recorrentes nas bordas das placas.  Tipos de choques entre as placas: - Convergentes (Colisão) - Divergentes (Separação) - Conservativo (Tangenciais)
  14. 14. - Convergentes (Colisão)  Quando há a colisão entre as placas pode-se gerar: - Subducção - Dobramento
  15. 15. - Divergentes (Separação)  Quando há a separação entre as placas pode-se gerar: - Rifts - Falha Tectônica
  16. 16. - Conservativos (Tangenciais)  Quando há a tangenciação entre as placas pode-se gerar: - Falha Tectônica - Fraturas nas Placas
  17. 17.  Todos estes movimentos geram os abalos sísmicos, popularmente conhecidos como terremotos.  A denominação terremoto, vem da expressão “tremor de terra” e na verdade refere-se a um evento sismológico vindo da tectônica de placas.  A energia dissipada pela colisão/separação/tangenciação das placas acaba se propagando pelo meio através de ondas sísmicas.  O poder dessas ondas e o meio de propagação irão determinar a dimensão do abalo.
  18. 18.  O meio onde a onda sísmica se propaga determina sua denominação: - Se o abalo e a onda foram formados no continente têm-se : terremoto - Se o abalo e a onda foram formados no oceano têm-se : maremoto Quanto mais próxima do Epicentro (projeção do abalo na superfície) maior o poder de destruição da onda.
  19. 19.  A “força” de um abalo sísmico é medida por um aparelho denominado como sismógrafo, cuja função é captar sinais de atividade tectônica e medir a força das mesmas.
  20. 20.  Para se analisar as medições dos sismógrafos e mensurar a força dos abalos sísmicos foi estabelecida a Escala Richter.
  21. 21.  Por estarem em áreas de “choque” , as bordas das placas tectônicas são as porções da superfície mais atingidas pelos abalos de grande proporção na Escala Richter.  Geralmente áreas no interior das grandes placas tectônicas não são atingidas por ondas sísmicas de grande proporção, dificilmente sentindo os abalos ocorridos nas bordas.
  22. 22.  O Brasil possui privilegiada posição territorial, estando situado na região central da placa Sul Americana.  Devido a tal fato, dificilmente os abalos ocorridos na borda da placa se propagam com grande dimensão até o território brasileiro.  Grande parte dos abalos sísmicos ocorridos no Brasil, são provenientes da colisão entre as placas Sul Americana e Nazca, no entanto os mesmos muito raramente são sentidos no país. ATENÇÃO: Apesar de “fracos” estes abalos são registrados por institutos nacionais de pesquisa, colocando em desuso a expressão de que o Brasil é um país assísmico.  Os tremores de terra do País, comuns no Nordeste e até no Norte de Minas, não são processos tectônicos, mas sim provenientes da acomodação da estrutura do relevo que é muito antiga e acaba cedendo.
  23. 23.  Apesar de raros, já foram registrados terremotos no país, mas todos de pequena proporção na Escala Richter
  24. 24.  A estrutura geológica é base da formação do relevo e ela é composta basicamente por três tipos de rocha: • Magmáticas (Ígneas): provenientes da solidificação do magma. • Sedimentares: provenientes dos sedimentos (fragmentos) de outras rochas. • Metamórficas: provenientes da transformação de outras rochas.
  25. 25. Rochas Magmáticas (Ígneas) • Rochas provenientes da solidificação do magma. • Podem ser: o Intrusivas (Plutônicas): solidificaram no interior da crosta terrestre. Exemplo: Granito o Extrusivas (Vulcânicas): solidificaram na superfície (exterior) da crosta. Exemplo: Basalto
  26. 26. Rochas Sedimentares • Rochas provenientes dos sedimentos de outras rochas. • Outras rochas sofrem ação do intemperismo e se fragmentam em partículas. • Estas partículas ou sedimentos acumulam-se e formam uma nova rocha. • Resultam em rochas segmentadas e porosas. Exemplo: Calcário
  27. 27. Rochas Metamórficas • Rochas provenientes da transformação de outras rochas. • Algumas rochas ao serem submetidas a elevadas pressão e temperatura se rearranjam (metamorfismo) em novas e diferentes estruturas rochosas. • Ocorre em elevadas profundidades da crosta. • Resultam em rochas segmentadas e cristalizadas. Exemplo: Ardósia
  28. 28.  O Ciclo das rochas representa as diversas possibilidades de transformação de um tipo de rocha em outro.  Ao longo do tempo geológico os processos endógenos (tectonismo e vulcanismo) e exógenos (intemperismos) transformam as rochas de forma contínua.
  29. 29.  A estrutura geológica é base da formação do relevo.  As estruturas geológicas se consolidam na crosta do Planeta Terra.  A estrutura geológica de um lugar se caracteriza pela natureza das rochas e pela forma como estão dispostas.  Existem três tipos básicos de estrutura geológica na crosta do planeta: Dobramentos Antigos Dobramentos Modernos Bacias Sedimentares
  30. 30. Dobramentos Antigos • Estrutura mais antiga também conhecida como: Escudos Cristalinos/ Crátons • Formados na Era Pré-cambriana (proterozóica e arqueozóica); • Formado por rochas magmáticas e metamórficas; • São áreas que sofrem intensa ação erosiva (intemperismos).  Presença de vários minerais (ferro, bauxita, ouro, prata);  Ocupa cerca de 32% do território Brasileiro;
  31. 31. Dobramentos Modernos • Estrutura geológica mais recente; • Formados na Era Cenozóica. • Formado por rochas magmáticas e metamórficas; • Ocorrem em regiões de contato das placas tectônicas.  Exemplos de dobramentos modernos: Alpes, Andes e Himalaia.  Não existem no Brasil;
  32. 32. Bacias Sedimentares • Estrutura formada pela sedimentação de partículas acumuladas. • Formadas por de rochas sedimentares. • Formadas nas Eras Mesozóica e Paleozóica; • São áreas onde predomina a acumulação perante a erosão.  Presença de petróleo, carvão mineral e urânio.  Ocupa uma área de cerca de 64% do território nacional.
  33. 33.  O Relevo corresponde às formas da superfície do planeta.  As formas de Relevo se estabelecem sobre as Estruturas Geológicas.  Estas formas são esculpidas por forças endógenas (internas) e exógenas (externas).  Tais forças são denominadas como Agentes do Relevo, e são elas as responsáveis pela grande variedade de formas de relevo existentes.
  34. 34. Agentes do Relevo  Os agentes do relevo são compostos por forças: • Endógenas (Internas) : forças modeladoras Vulcanismo Epirogênese Orogênese
  35. 35. Agentes do Relevo  Os agentes do relevo são compostos por forças: • Exógenas (Externas): forças esculpidoras Intemperismo Químico Intemperismo Físico Intemperismo Biológico
  36. 36.  Sendo assim, as forças modeladoras e as forças esculpidoras em conjunto, acabam dando forma a superfície terrestre.  Os diferentes tipos desta forma vista na superfície é o que denominamos como Relevo. Portanto o relevo é modelado pelas forças endógenas e esculpido pelas exógenas.
  37. 37. PERFIL BÁSICO DO RELEVO
  38. 38. FORMAS BÁSICAS DO RELEVO
  39. 39. FORMAS ESPECÍFICAS DO RELEVO Cuestas Escarpas Chapadas (Tabuleiros) Mares de Morro Inselberg

×