A história das pontes

5.172 visualizações

Publicada em

A história das pontes

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.172
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
80
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A história das pontes

  1. 1. As pontes<br />José Júlio Cravo<br />EFA – Condeixa<br />
  2. 2. As pontes<br />No meu trabalho vou tentar abordar os diversos tipos de tecnologias associadas à construção de pontes. As suas interacções, as diferentes vertentes de utilização, todas com o mesmo fim: unir dois pontos, praticamente inacessíveis de maneira mais rápida e mais segura possível.<br />
  3. 3. As pontes<br />Hoje em dia são tão banais que quase não notamos a sua presença, mas tornam possível deslocarmo-nos mais rapidamente de uma margem para a outra, com ganhos efectivos no tempo p.e. em família. <br />
  4. 4. Ponte de pedra em Verona, Itália<br />Ponte ForthRail, Escócia, século XIX<br />Ponte de madeira para peões, sobre o rio Kotmale no Sri Lanka<br />Ponte de Rialto, séc. XVI, Veneza, Itália<br />A Ironbridge, a primeira ponte em ferro fundido, em Shropshire, Grã-Bretanha, século XVIII.<br />Exemplos de algumas Pontes <br />Ponte 25 de Abril, Lisboa, começou a ser construída em 1962 e foi finalizada em 1966.<br />
  5. 5. A resistência é um dos factores mais importantes das pontes, veja-se o caso do terramoto do Japão em que nenhuma caiu e estamos a falar de pontes com quilómetros.<br />
  6. 6. Algumas delas com resistência às forças laterais (ventos, terramotos, etc). Os metais e os inertes nelas utilizados permitem, nalguns casos, torções superiores a 10mts. <br />
  7. 7. Isto também acontece com os arranha-céus que parecem mais um “S”. Tudo isto acontece graças à evolução dos materiais ao nível da resistência e da elasticidade, principalmente no campo das associações com novas fibras.<br />
  8. 8. Certo, e esperado, é que a evolução da ciência e da tecnologia não pararão. ainda existem muitos mais passos para dar, de mão dada com a,. Vamos ver onde vamos parar, e o que de bom nos trará. <br />
  9. 9. E como poderá favorecer-nos em casos extremos, porque a ciência e a tecnologia quando se encontram ao serviço da humanidade são positivas. <br />
  10. 10. Mas vejamos p.e. o caso das extracções de minerais, e o que elas estão a fazer ao ambiente, mas isso já é outra discussão. <br />

×