Projeto 1º Cliente - Universidade Cruzeiro do Sul: Agência Sakusen

1.954 visualizações

Publicada em

Trabalho Interdisciplinar feito pela Agência Sakusen para o Projeto Primeiro Cliente do curso de Publicidade e Propaganda da Universidade Cruzeiro.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.954
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto 1º Cliente - Universidade Cruzeiro do Sul: Agência Sakusen

  1. 1. Universidade Cruzeiro do Sul - campus São Miguel Pta. 4ºe 5º semestre do Curso de Publicidade e Propaganda V Projeto Interdisciplinar - 1º Cliente Cliente: A Chocólatra Apresentado para avaliação das disciplinas: Noções de mídia, Introdução ao planejamento, Redação Publicitária III, Criação e direção de arte e Produção publicitária - Fotografia.
  2. 2. AGÊNCIA
  3. 3. na Carol ine nderson A lmeida A rgm: f hais Barcie l a tiago Machado rgm: 90187-3 gm: 86545-1 r er na nda Ol iveir a er na ndo Fonseca 95154-4 90545-3 94281-2 90341-8
  4. 4. Sumário 1.1 Introdução 1.2 Tide Setubal e a Fundação 1.2.1 A fundação 1.2.1.1 Ações da Fundação 1.2.1.2 Parceiros da Fundação 1.3 Comunidade Zona Leste Sustenta: da comunidade para a comunidade 1.4 Fundo Zona Leste Sustentável: O projeto 2.1 A história da empresa 2.2 Momentos difíceis e destaques da empresa 2.3 Mapa cronológico 2.4 Principais produtos 2.5 Valores empresariais 2.6 Apresentação dos Serviços 2.7 Dados da empresa 2.8 Histórico de Comunicação 2.9 Informações empresariais
  5. 5. 3 PLANO DE NEGÓCIOS 3.1 O Negócio 3.2 Análise de Mercado 3.3 Estudo dos concorrentes 3.5 Conclusão 4 PLANO DE MARKETING 4.1 Descrição dos principais produtos e serviços 4.2 Preço 4.3 Estratégias Promocionais 4.4 Estrutura de Comercialização 4.5 Localização do negócio 4.6 Ações de Marketing 5 ANÁLISE AMBIENTAL5.1 Ambiente Natural 5.2 Ambiente Tecnológico 5.3 Ambiente Político Legal 5.4 Ambiente Competitivo 5.5 Ambiente Econômico 5.6 Ambiente Social 5.7 Conclusão 6 PESQUISA DE MERCADO 6.1 Definição do problema de pesquisa 6.2 Determinação dos objetivos
  6. 6. 6.3 Tipos de Pesquisa utilizados 6.4 Método(s) de coleta de dados utilizado(s) 6.5 Amostragem utilizada 6.6 Técnicas amostrais utilizadas 7 ANÁLISE SWOT 7.1 Pontos Fortes 7.2 Pontos de melhoria 7.3 Oportunidades 7.4 Ameaças 7.5 Conclusão 8 IDENTIDADE VISUAL 8.1 Defesa de marca A Chocólatra 8.2.1 Elementos básicos 8.2.2 Pantone 8.3 Papéis de carta - uso externo e interno 8.4 Papel de carta ao consumidor 8.5 Papel de fax 8.6 Cartão de visita (frente) 8.7 Cartão de visita (verso) 8.8 Envelope pequeno 8.9 Envelopes grandes 8.10 Template carta - uso externo e interno 8.11 Template carta ao consumidor 8.12 Template fax 9 CRONOGRAMA DE MARKETING 10 PLANO DE MÍDIA 10.1 Objetivo de mídia
  7. 7. 10.2 Público Alvo 10.3 Período de Campanha 10.5 Budget 10.6 Estratégias 10.7 Táticas 10.8 Mídia de Custos 10.9 Cronogramas 11 CAMPANHAS 11.1 Página Simples Revista Prazeres da Mesa 11.2 Stand 11.3 Adesivação Bloqueios CPTM Jardim Helena 11.4 Página Facebook 11.5 Spot radio código 11.6 Jingle radio código 11.7 Template de site 11.8 Catálogo de produtos 11.9 Fiorino adesivado 11.10 Campanha Sou Chocólatra 11.11 Embalagem personalizada para bolos
  8. 8. 11.12 Caixa de pizza personalizada 12 BIBLIOGRAFIA
  9. 9. FOLHA DE APROVAÇÃO Agência Sakusen PROJETO PRIMEIRO CLIENTE Trabalho Interdisciplinar do curso de Publicidade e Propaganda, aprovado como projeto de avaliação Universidade Cruzeiro do Sul. Aprovado em: _____/______/_____ Banca Examinadora: Ass: ____________________ Ass: ____________________ Ass: ____________________ Ass: ____________________ da
  10. 10. 1 FUNDAÇÃO TIDE SETUBAL 1.1 Introdução A Zona Leste de São Paulo tem um grande potencial econômico, porém ainda enfrenta problemas de infraestrutura. Seus primeiros moradores foram os índios, aos poucos a região foi sendo explorada pelos colonizadores que eram violentamente atacados, mesmo assim a necessidade de conhecer melhor o novo território os fez optar por seguir a trajetória dos rios, por serem mais seguros, essas regiões fluviais foram gradativamente habitadas, assim como o entorno de igrejas e capelas, assim nasceram várias vilas. Com o tempo a região ganhou importância por ser o principal trajeto para o Rio de Janeiro. No final do século XIX a cidade industrializa-se e as antigas propriedades rurais são substituídas por indústrias e bairros proletários. Instalaram-se fabricas e a malha ferroviária se expandiu, houve escoamento de mercadoria, necessitando de mão de obra, bairros operários se instalaram e muitos imigrantes vieram para a região. Houve um aumento demográfico descontrolado, sem infraestrutura, saneamento básico e eletricidade os bairros cresciam cada vez mais. A imigração diminuía a cada ano, e houve a migração de milhões de migrantes, oriundos do Nordeste do Brasil. O que ocorreu foi uma expansão do número de habitantes em pouco tempo, e sem a fiscalização do Governo, aliado a mudança das fábricas para o interior do estado, aumentando o desemprego na zona leste, hoje registra o maior índice de pobreza de São Paulo. Os bairros mais periféricos ainda hoje são bairros dormitórios, porém teve um boom, o número de novos comércios, indústrias e serviços mais que dobrou com o passar dos últimos anos, a provável motivação é a Copa de 2014. Estão sendo investida em obras de infraestrutura em Itaquera, a Prefeitura investe em pacotes de incentivos fiscais, com redução de
  11. 11. impostos, para empresas que investirem na região. Outros exemplos são os bairros de São Miguel e São Mateus onde a cada ano abrem novos comércios e indústrias. 1.2 Tide Setubal e a Fundação Imagem 1: Mathilde de Azevedo Setubal Tide Setubal é como era conhecida Mathilde de Azevedo Setubal, nascida em 19 de março de 1925, na cidade de São Paulo, faleceu no dia 2 de outubro de 1977, também na Capital. Filha de Aldo Mário de Azevedo e de Alice de Lacerda Azevedo, neta do senador Lacerda Franco. Fez seus estudos no Colégio Des Oiseaux e formou-se em Filosofia na Faculdade Sedes Sapientae. Em 1946, casou-se com o engenheiro Olavo Setubal. Foi mãe de sete filhos. Tide sempre se destacou na realização de atividades públicas desde jovem demonstrou interesse, foi oradora da turma e desenvolveu trabalhos sociais nas regiões pobres da cidade. No entanto, pode-se dizer que foi nos dois anos em que esteve à frente do Corpo Municipal de Voluntários (CMV) que sua atuação social se realizou de forma mais sistematizada e com
  12. 12. maior abrangência. O CMV iniciou suas atividades após seu marido, Olavo Setubal ter sido nomeado prefeito da cidade de São Paulo, indicado pelo então governador Paulo Egídio Martins. O corpo inicialmente era composto por cinco voluntárias, depois passou a reunir mais de 400 mulheres. Seu trabalho era em busca de um ideal, o bem do ser humano. Enquanto foi primeira dama, em meados de 70, Tide Setubal promoveu ações para conscientizar a população sobre os problemas sociais da cidade. As ações foram realizadas em hospitais, prontos-socorros, postos de saúde e creches da Zona Leste e Campo Limpo e na região do Ibirapuera. 1.2.1 A fundação Quase três décadas depois de sua morte, em 2005, seus filhos criaram a fundação Tide Setubal pra dar continuidade ao trabalho de sua mãe. Se instalando na região de São Miguel Paulista, zona leste de São Paulo. 1.2.1.1 Ações da Fundação Em 2005, começaram a serem traçadas as primeiras ações. Por meio de uma pesquisa, realizada pelo Ibope, e de conversas com moradores, lideranças comunitárias e representantes do poder público foi possível conhecer as demandas, os desejos, os sonhos e os desafios da comunidade. Os pontos positivos (comércio local, número de linhas de ônibus e a vizinhança prestativa) e os negativos, dentre eles a falta de segurança e de infraestrutura para a saúde e lazer. A primeira ação da Fundação foi projetos voltados para qualidade de vida, para reflexões sobre temas de interesse da juventude, além de atividades esportivas, artística e programação cultural. Existe uma preocupação com o fortalecimento das organizações locais estimulando o desenvolvimento sustentável da região.
  13. 13. 1.2.1.2 Parceiros da Fundação Parcerias Parceiros Institucionais Ação Educativa ACDEM (Assoc. da Casa Defic. de E. Matarazzo) Assoc.Reecreat. Brasil do Jd. Miragaia Associação Amigos do Jd São Vicente Associação Comunitária União de Vila Nova CDC Ermelino Matarazzo USP/EARH CDC Jd Helena CDC Jd Miagaia Cenpec (Centro de Estudos e Pesquisa em Educação, Cultura e Ação Comunitária) CEU Curuçá Comunitas Comunidade Católica Vila do Rosário Comunidade de Cultura de São Mateus Comunidade Evangélica de União Vila Nova Comunidade Movimento de Teatro de Rua Comunidade Samba da Tenda Comunidade Social de Cidade Tiradentes CONSEG – Conselho de Seg. de São Miguel
  14. 14. Conselho consultivo CDC Tide Setubal CREN Diocese de Belém – Dom Pedro Escola de Governo Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Fórum de Desenv. de Educação da Z. Leste Fórum de Desenvolvimento da Zona Leste Fórum Urbanístico de São Miguel Fundação Itaú Social Itaú Cultural Instituto de Ensino superior Piaget- Suzano Instituto União Keralux Instituto Votorantim IPEDESH Jornal Voz da Comunidade Lions Club Metrô São Paulo Ministério da Cultura Ministério de Educação Ministério do Turismo Movimento Alfab Jovens Adultos Guaianazes Movimento de Moradia da Zona Leste
  15. 15. Movimento de Saúde da Zona Leste Paróquia da Penha Paróquia de Guaianazes Paróquia São Francisco Ermelino Matarazzo Pastoral da Cultura da Zona Leste Pastoral da Juventude da Zona Leste Pastoral Social de Ermelino Matarazzo Poder Negro Prefeitura Municipal de São Paulo Rádio Brasil AM Rádio Globo AM Rotary Club Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social Secretaria Municipal de Cultura Secretaria Municipal de Esportes Secretaria Municipal de Saúde Secretaria Municipal de Educação Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho Secretaria Estadual da Cultura SESC Itaquera SESC Regional São Paulo Serviço Social da Indústria - SESI
  16. 16. Sociedade Amigos do Jardim Lapenna Sociedade de Amigos da Vila Mara Sociedade de Amigos do Jd Romano Subrefeitura de São Miguel Paulista Unicastelo Universidade Santa Marcelina Programação Cultural Ação Educativa Associação Mahikari Associação Nikkey Casa de Cultura de São Miguel Casa de Cultura do Itaim Paulista Circo Itaim Paulista e Itaquera Conselho Nacional de Entidades Coop. Pta de Culturas populares Cooper. Pta de Circo Cooper. Pta de Teatro Cooper.Pta de Música COOPERIFA Grupo Circense Arrua Grupo de arte popular Buraco D’oráculo
  17. 17. Movimento da Mulher sem Terra –Itaim Pta Movimento de Cultura da Penha Movimento de Sanfoneiros Movimento estadual da cultura Hip Hop Movimento Paulista de Poesia Movimento popular de arte Oficina Cultural Luiz Gonzaga Rádio Brasil AM Rádio Globo AM Parceiros por Núcleo Arteculturação CEU Três Pontes Projeto Acreditar (União de Vila Nova) Projeto NSM Secretaria Mun. de Cultura Projeto Nação São Miguel (VAI 2010) UNICSUL CPDOC ACAS Assoc. Cultural Beato Anchieta Deptm/o Orient. Técnica
  18. 18. EMEF Jose Honório UNICSUL . Subprefeitura de São Miguel Paulista Mundo Jovem Associação Camélia CCA Amanha-ser CCA N.Sra Aparecida, CCA Santa Luzia CCA São Carlos, CECA Ademir de A. Lemos, CEU Pq. São Carlos CEU Três Pontes CEU Veredas E. E. Pedro Moreira EMEF Armando Riguetti EMEF Fernando de Azevedo EMEF Flavio Augusto rosa GEAS Projeto Esperança Projeto Palmares SAMOSI SEPAS Jardim Itaim
  19. 19. UBS Cidade Nova UBS São Miguel UBS Vila Cisper USP Leste Núcleo de Comunicação Comunitária São Miguel no Ar AVIB Casa dos Meninos de SM CENPEC CIEDS Comissão Municipal dos Direitos Humanos Conselho Est. de Particip. e Desenv. da Comunidade Negra Diretoria de Ensino Leste II E.E Eng. Pedro V. Parigot E.E. Pedro Moreira E.E. Reverendo Urbano E.E. Shinquichi Agari EMEF Antônio Carlos EMEF Dom Paulo Rolim Loureiro Grupo de Atendimento Multidisc. V. Domitilia Instituto Crescer Instituto Criar IPJ Maristas
  20. 20. NUA OCA – Organismo de Com. Arte Jd Pantanal ONG Plugados Plus TV Secretaria Mun. Des. Econôm. e do Trabalho UNICEF Vídeo Filmes Videosom Programa Ação Família CAT CCA Amanha-ser CEAT E. E. Pedro Moreira EMEF Armando Riguetti Faculdade de Ciências Sta Casa SP Instituto Alana Lusitana MOCA Odontoprev Pão de Açúcar Restaurante Tordesilhas
  21. 21. Revista Prazeres da Mesa Secr. Munic. Assist. Desenv. Social Secretaria Municipal da Saúde SESI UBS Nitro USP Leste 1.3 Comunidade Zona Leste Sustenta: da comunidade para a comunidade. A comunidade Zona leste Sustenta surgiu como uma ação da Fundação Tide Setubal, o foco dessa ação é ajudar o desenvolvimento da região, buscando alternativas para melhorar a qualidade de vida dos moradores. Com parceiros como Universidade Cruzeiro do Sul, presente em São Miguel Paulista desde 1965, o SEBRAE-SP, a USP Leste, o Fórum de Desenvolvimento da Zona Leste, a Associação Comercial de São Paulo, a Subprefeitura de São Miguel Paulista, a Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, o Instituto Ethos, a comunidade Zona Leste Sustenta tem como foco ajudar projetos sustentáveis da região, visando trazer uma maior renda para a Zona Leste, tudo isso é feito através do Fundo Zona Leste Sustentável. 1.4 Fundo Zona Leste Sustentável: O projeto Buscando o desenvolvimento da Zona Leste, o Fundo Zona Leste Sustentável foi iniciado em 2010 e tem suas ações nos bairros de São Miguel, Ermelino Matarazzo, Itaim Paulista e Itaquera regiões que já tem uma economia própria, um setor de comércio ativo e pequenos empreendimentos produtivos.
  22. 22. Através de doações e ajuda de parceiros o fundo arrecada dinheiro para ajudar projetos sustentáveis que estejam presente na Zona Leste, o FZL, acredita que com ajuda, pequenos empreendedores possam aumentar a produtividade de seus negócios. A visão do Fundo Zona Leste Sustentável é manter o comércio local na região, assim é póssivel manter a renda e com isso a própria comunidade se ajuda. • Como funciona? O Fundo visa selecionar projetos sustentáveis que atuem na Zona Leste, precisamente nos seguintes municípios: 1. Subprefeitura de São Miguel Paulista: distritos de São Miguel Paulista, Vila Jacuí e Jardim Helena. 2. Subprefeitura de Ermelino Matarazzo: distritos de Ermelino Matarazzo e Ponte Rasa. 3. Subprefeitura do Itaim Paulista: distritos do Itaim Paulista e Vila Curuçá. 4. Subprefeitura de Itaquera: distritos de Itaquera, Parque do Carmo, Cidade Líder e José Bonifácio. 5. Subprefeitura de São Mateus: distritos de Iguatemi, São Mateus e São Rafael. Os selecionados contarão com financiamento de até R$ 25 mil e apoio técnico para fortalecimento do empreendimento.
  23. 23. • Quem mantém? O fundo mantém um gestão estratégica feita por meio de comitês formados por lideres da comunidade, representantes do poder público e empresários. A gestão financeira é de responsabilidade da FUNDEP(Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa) que realiza o controle administrativo financeiro. A gestão estratégica do FUNDO ZONA LESTE SUSTENTÁVEL será feita por meio de comitês – formados por lideranças da comunidade, representantes do poder público, empresários – com diferentes atribuições. • Como se mantém? O fundo é mantido através de recursos captados junto a empresas e cidadãos que doam uma certa quantia para ajudar o desenvolvimento da região. Priorizando a aplicação de recursos em iniciativas que resultem em interação, complementaridade e aprendizagem entre si, favorecendo, dessa forma, o surgimento de redes de cooperação entre empreendedores e o desenvolvimento de cadeias produtivas locais. • Sede? Atualmente o Fundo se localiza junto a Fundação Tide Setubal em Itaim Bibi na Zona Oeste da Cidade São Paulo, porém com o crescimento nos últimos anos, já está sendo construída uma sede fixa na região da Zona Leste. • Como ajuda? O Fundo visa melhorar o desenvolvimento na região Leste, com isso acredita que apoiando financeiramente empreendimentos locais é possível melhorar a qualidade de vida na região, ao ser selecionado o projeto sustentável pode contar com financiamentos feitos pelo Fundo de até 25 mil reais;
  24. 24. • Recursos? Através de colaborações o Fundo consegue capitalizar recursos para financiar os projetos sustentáveis. • Editais Edital 2010 – Teve como objetivo selecionar projetos de implantação, expansão e fortalecimento de micro e pequenos empreendimentos produtores de bens e serviços nas regiões de São Miguel Paulista, Ermelino Matarazzo e Itaim Paulista Edital 2011 – O objetivo foi selecionar projetos de expansão e fortalecimento de micro e pequenos empreendimentos produtores de bens e serviços, que tenham pelo menos um ano de operação comprovada e que se situe nas regiões de São Miguel Paulista, Ermelino Matarazzo, Itaquera e Itaim Paulista. Edital 2013 - Selecionar projetos de expansão e fortalecimento de micro e pequenos empreendimentos, que estejam instalados em um dos seguintes distritos do município de São Paulo: São Miguel Paulista, Ermelino Matarazzo, Itaim Paulista, Itaquera e São Mateus. • Quem já foi beneficiado? A Chocólatra Gastronomia Bel’s Tapioca Gastronomia Central Leste Comunicação Coelho & Morales Contadores Associados Ltda Contabilidade Cooperativa De Produção Dos Catadores De Materiais Recicláveis Caminho Certo Meio Ambiente Cooperativa De Produção, Coleta, Triagem E Beneficiamento De Materiais Recicláveis Nova Esperança – Projeto Pantanal Meio Ambiente.
  25. 25. Costume Popular Gastronomia Filó Cabruêra Confecção De Bolsas E Acessórios Maria Bonita Moda íntima Moda/confecção • Quem pode ser beneficiado? Empreendedores que possuem micro e pequenos empreendimentos instalados nas regiões administrativas de São Miguel Paulista, Ermelino Matarazzo, Itaim Paulista, Itaquera e São Mateus, podem participar do edital, aqueles que apresentarem o melhor projeto sustentável ganham o auxílio do Fundo Zona Leste.
  26. 26. 2 BRIEFING: A CHOCÓLATRA 2.1 A história da empresa Criada em 2007, A Chocólatra é fruto do sonho de Sandra Ferreira de Sousa, uma empreendedora formada em Marketing de Varejo. Com o desejo de ficar mais próximo de sua família passou a investir num pequeno negócio, que aos poucos prosperou e se tornou o que é hoje: uma empresa com potencial de crescimento. Localizada no Jardim Maia, Zona Leste de São Paulo A Chocólatra transformou Sandra em uma micro empreendedora. Desde o início, visando satisfazer seus clientes, Sandra apostou na qualidade de seus produtos e especializou-se: fez um curso de culinária voltado para a produção de produtos à base de chocolate. Foi então que começou seu negócio, inicialmente fabricando pães de mel e trufas com sabores diferenciados. Aos poucos, seus produtos foram conquistando o paladar e o coração de seus clientes, que logo viraram fregueses responsáveis pela propaganda boca-boca e, alguns, até revendedores por um período. Sandra sempre investiu no diferencial de seus doces e salgados isso garantiu muitas oportunidades. 2.2 Momentos difíceis e destaques da empresa Com a expansão da clientela, a demanda aumentou tanto que foi difícil para Sandra, que fazia tudo sozinha, suprir a quantidade de pedidos. Sandra buscou por empregados e parceiros para aumentar a produção, porém não obteve sucesso, pois não encontrou colaboradores com visão de crescimento da empresa, mas interessados apenas no lucro financeiro. Com isso A Chocólatra começou a ter uma pequena perda de clientes.
  27. 27. Vendo que era necessária uma produção maior, Sandra buscou apoio junto ao Fundo Zona Leste Sustentável para aumentar sua oferta de produtos. Inscreveu-se no primeiro edital do Fundo, no ano de 2009 e apresentou seu projeto, com vigor, foi aprovada para receber a ajuda do Fundo e foi beneficiada com 48 mil reais. Esse dinheiro foi revertido em máquinas, utensílios e produtos para auxiliar em sua produção. Resultado: ela conseguiu aumentar a escala de produção da A Chocólatra, passando não só atender seus clientes, mas também a participar de eventos como rodeios, festas de bairros e feiras de culinária e artesanato. Com o êxito A Chocólatra é vista com bons olhos pelos seus clientes, tamanha satisfação, fez com que Sandra participasse até de programas de televisão como o SPTV em 2013, para mostrar seu trabalho. 2.3 Mapa cronológico 2007 Fundação da A Chocólatra Sandra começa sua produção caseira no ano de 2007 vendendo seus primeiros produtos. A Chocólatra foi a união do útil ao agradável para Sandra, que se viu com a necessidade de estar perto de seus filhos e ao mesmo tempo continuar trabalhando. Com muita dedicação, logo seus pães de mel ficaram famosos e o número de vendas aumentou. 2009 Expoflora em Holambra No ano de 2009 a vida de Sandra e da A Chocólatra iria mudar. Nesse ano Sandra experimentou levar A Chocólatra para participar do grande evento Expoflora em Holambra, o evento tem como foco atrair turistas de diversas cidades para conhecer Holambra, conhecida como Cidades das Flores. O sucesso de Sandra no evento foi tão grande que conseguir esgotar todo o estoque que ela havia levado para o evento.
  28. 28. 2009 Buscando Ajuda Ainda em 2009, Sandra e A Chocólatra deu o maior passo da empresa até hoje. Com dificuldades entre atender todos os clientes e continuar mantendo a qualidade dos produtos, Sandra optou pela qualidade, assim perdendo alguns clientes. Com isso, ela se viu na necessidade de buscar ajuda para aumentar sua produção e conseguir não só atender todos os clientes, mas como também conquistar novos clientes. Apoiada pelo Sebrae, Sandra participou de uma matéria no Programa “O Empreendedor” transmitido pelo emissora de canal fechado Record News. Mas era necessário algo mais para ampliar o negócio e através de amigos Sandra conheceu o Fundo Zona Leste Sustentável, que através de parceiros e doações oferece um investimento para micro empreendedores da Zona Leste de São Paulo, que visam aumentar a produção de seu negócio. Ainda com receio Sandra inscreveu seu projeto da A Chocólatra no edital do Fundo Zona Leste Sustentável buscando ajuda para aumentar a produção de seus produtos utilizando maquinas. 2010 Beneficiada pelo Fundo Em 2010 após se inscrever no Edital do Fundo Zona Leste Sustentável, Sandra foi contemplado com a aprovação do seu projeto da A Chocólatra, após fazer uma apresentação de seu projeto para os colaboradores do Fundo, ela recebeu a quantia de 48 mil reais em máquinas e utensílios para aumentar sua produção. 2013 Reconhecimento Após 3 anos de ser beneficiada pelo Fundo Zona Leste Sustentável, Sandra viu A Chocólatra ganhar novos clientes e o reconhecimento de seu trabalho ao longo dos anos. Tendo seu empreendimento sempre elogiado pelo Fundo Zona Leste
  29. 29. Sustentável, em 2013 Sandra foi entrevistada pelo renomado telejornal da Rede Globo o SPTV, na reportagem Sandra mostrou o quanto o investimento deu certo para A Chocólatra, com a ampliação de produção, Sandra hoje consegue atender mais clientes de várias regiões de São Paulo. 2.4 Principais produtos A Chocólatra oferece desde doces até salgados, seus principais produtos são: DOCES - UNIDADE Pão de mel recheado Pão de mel personalizado Flores de chocolate Cone trufado Garrafinhas trufadas Cestas personalizadas Hello Kitty dourada de chocolate Trufas Bolos SALGADOS – O CENTO
  30. 30. Bauruzinho Bolinha de Queijo Coxinha Croquete de Carne Enroladinho de Salsicha Esfiha Fechada Kibe Risoles de Frango Risoles de Catupiry com Milho Verde Risoles de Palmito Risoles de Queijo Risoles de Queijo e Presunto DOCINHOS TRADICIONAIS - O CENTO Brigadeiro Beijinho de Coco Cajuzinho DOCINHOS ESPECIAIS - O CENTO
  31. 31. Brigadeiro de Queijo Brigadeiro de Maracujá Brigadeiro ao Rum Casadinhos Docinho de Abacaxi Docinho de Nozes Moranguinho Limãozinho Quindin Olho de Sogra Tortinhas 2.5 Valores empresariais A Chocólatra não busca ter apenas clientes, busca também ter amigos que confiam em seus produtos, com isso Sandra acredita que quem compra uma vez, compra sempre. Oferece um serviço de qualidade, cada chocolate, pão de mel e trufa é personalizado para atender a cada necessidade do cliente.
  32. 32. 2.6 Apresentação dos Serviços A Chocólatra trabalha com atendimento personalizado, buscando satisfazer o cliente, Sandra dá dicas de compras e até ajuda na decoração do evento quando há tempo. Normalmente o cliente recebe uma degustação do produto. Trabalhando com eventos e encomendas, seus serviços são feitos da seguinte forma: O cliente entra em contato com A Chocólatra e faz o pedido, se o mesmo puder retirar o produto ele o faz, mas caso não seja possível A Chocólatra oferece a entrega a domicílio. Os pedidos devem ser realizados com antecedência. Para evento, como festivais de bairros, rodeios e feiras de doces e salgados, Sandra aluga o espaço para A Chocólatra ter um stand no mesmo, com isso consegue vender em maior escala seus produtos e obter mais clientes e lucro. Apesar do sucesso de vendas A Chocólatra’ ainda é carente no quesito de comunicação, sem uma identidade visual final, o logo usado ainda é provisório, para efeito de comunicação são feitos cartões de visita, catálogos e banners, porém sem adotar uma identidade definitiva e continua entre as peças. 2.7 Dados da empresa • Razão Social; Sandra Ferreira de Sousa EI • Nome fantasia: A Chocólatra • Data da Fundação: 2007 • Natureza; Empreendedor Individual. • Endereço: Rua Avelino Matos Machado, 789 CEP: 08081 430.
  33. 33. • Telefones: 2156 2503 ou 96159 2106 • E-mail: sandrafsousa@hotmail.com • Ramo de atuação: Comércio / Alimentício • Número de colaboradores: 1(marido) 2.8 Histórico de Comunicação A Chocólatra no quesito comunicação ainda possui carência, dado a falta de tempo de Sandra para investir em comunicação o logo ainda é provisório, no passado, para divulgação, foram feitos cartões de visita, catálogos e banners provisórios, porém atualmente não são mais trabalhados. Usando mais a divulgação boca-boca Sandra diz que necessita ainda de um direcionamento no quesito de comunicação visual, como a criação de um manual de identidade visual. 2.9 Informações empresariais Local de uso: Eventos/ encomendas. Como o produto chega ao consumidor: Através de entregas ou retiradas, além de vendas em eventos. Seu carro-chefe, o pão de mel possui várias opções de recheio, as embalagens são transparentes para o cliente ver os detalhes do produto.
  34. 34. Consumo: Os doces e salgados d’ A Chocólatra podem ser consumidos em qualquer dia, horário ou ocasião, a demanda cresce principalmente nas festas de fim de ano e na páscoa, onde A Chocólatra produz ovos de páscoa. O contato para adquirir o produto é feito via telefone e pode haver a entrega ou o cliente mesmo retira. Composição industrial/matérias primas: Os produtos são feitos através de maquinário, porém toda a decoração é feita artesanalmente. A Chocólatra trabalha com preços acessíveis para a classe C e D. Como o produto é visto no mercado: A Chocólatra tem consumidores fiéis que confiam e sempre fazem encomendas e compras na mesma por conhecerem a forma de trabalho da empresa. Principais características diferenciadoras em relação à concorrência: O pão de mel recheado, a amizade com os clientes, o atendimento personalizado, a divulgação na televisão e o apoio do Fundo Zona Leste Sustentável. Principais pontos positivos: O preço acessível, a aceitação do consumidor em relação aos produtos, a satisfação do cliente com o atendimento. Principais pontos negativos: A dificuldade de locomoção para entregas em outras regiões, a não existência de uma loja física, não possuir empregados e parceiros, falta de comunicação.
  35. 35. 3 PLANO DE NEGÓCIOS 3.1 O Negócio A Chocólatra trabalha com atendimentos personalizados, buscando satisfazer o cliente. O cliente recebe uma degustação quando solicitado pelo mesmo. Para aquisição dos produtos o cliente entra em contato via telefone com A Chocólatra e faz os seus pedidos. Caso não haja a possibilidade de retirar o produto ou por comodidade A Chocólatra oferece a entrega a domicilio. Hoje a principal atividade de A Chocólatra são eventos como festivais de bairros, rodeios e feiras de doces e salgados, onde existe um espaço previamente reservado para A Chocólatra, onde é montado um stand para exposição de seus produtos. Produtos e serviços A Chocólatra trabalha com doces e salgados, produzidos de acordo com a solicitação do cliente ou inovação em receitas. No caso da aquisição dos produtos para casamentos ou eventos similares A Chocólatra oferece serviço de consultoria com dicas para decoração. Principais clientes e a localização da empresa. A Chocólatra atualmente tem como clientes principais pessoas do bairro que conhece a historia da A Chocólatra e mediante a divulgação boca a boca, A Chocólatra tem como clientes esporádicos frequentadores dos eventos em que a mesma participa.
  36. 36. Dados do empreendimento Missão da empresa Proporcionar felicidade ao maior número de pessoas por meio de uma experiência memorável e excelência em produtos e serviços, amando e respeitando o ser humano, A Chocólatra acredita que mais que r do que ter um cliente e ter um amigo. Setores de atividade [ ] Agropecuária [ ] Indústria [x] Comércio [ ] Serviços
  37. 37. Forma Jurídica (x) Empresário ( ) Sociedade Limitada ( ) Outros: Enquadramento Tributário Âmbito federal (x) Empreendedor Individual ( ) Regime SIMPLES ( ) Regime NORMAL IRPJ – Imposto de Renda Pessoa Jurídica PIS – Contribuição para os Programas de Integração Social COFINS – Contribuição para Financiamento da Seguridade Social CSLL – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados (apenas para indústria)
  38. 38. Âmbito estadual (x) ICMS – Regime Simplificado ( ) ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (SISTEMA DÉBITO E CRÉDITO) Âmbito municipal ( ) ISS – Imposto sobre Serviços Fonte de recursos A origem dos recursos para a consolidação e criação da empresa foi adquirido através do fundo de garantia (FGTS) de Sandra Ferreira de Souza da empresa em que trabalhava. A princípio utilizou-se de seus recursos como e FGTS e outros recursos adquiridos com direitos trabalhistas para aquisição de matéria prima, utilizando como meio de produção a cozinha da própria casa bem como seus utensílios tradicionais domésticos. A consolidação e expansão da empresa fora concedida mediante ao conhecimento do projeto Fundo Zona Leste Sustentável um projeto da Fundação Zona Leste Sustenta, que proporcionou a empresaria os recursos financeiros e intelectuais para consolidação do empreendimento, o valor disponibilizado para compra de maquinários e matéria prima foi de quarenta e oito mil reais (R$ 48.000,00), além disso, também proporcional a mesma cursos de empreendedorismo e acompanhamento no desenvolvimento do negocio.
  39. 39. 3.2 Análise de Mercado Estudo dos clientes Público-alvo (perfil dos clientes) Segundo pesquisa realizada em 2011 pelo Ibope o Brasil produz cerca de 350 mil toneladas de chocolate por ano, é o quarto maior no mercado do mundo, atrás somente de Estados Unidos, Alemanha e Reino Unido. O consumo médio dos Brasileiros é de 2,4 Kg por ano, metade da média dos americanos. Dentre os consumidores ainda segundo o Ibope as mulheres correspondem a 55% dos consumidores no Brasil, Salvador é a cidade com o maior consumo de chocolates no país, com o índice de penetração de 75%. A pesquisa realizada pela Ibope mídia que ouviu 18.884 pessoas no ano de 2010 nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Fortaleza e Brasília, além do interior de São Paulo e das regiões sul e sudeste, 61% dos homens e 71% das mulheres consumiram chocolates nos últimos sete dias. Pessoas de 12 a 19 anos são mais fanáticas pelo produto: 77% comem frequentemente a guloseima.
  40. 40. PERFIL PSICOGRÁFICO Fonte de referencia: Ibope, Folha de São Paulo. As tendências encontradas no Brasil: Saudabilidade e Bem estar + Sustentabilidade e ética Conveniência e praticidade – 34% Consumidores que: Confiam na qualidade dos industrializados Priorizam sabor e variedade. Confiabilidade e qualidade – 23% Consumidores que: Estão dispostos a pagar mais por produtos nos quais detecta maior qualidade. Conferem grande destaque para as marcas que confiam. Maior presente na classe C.
  41. 41. Sensorialidade e Prazer – 23% Consumidores que: Consumidores que valorizam estes aspectos têm um estilo mais impulsivo na hora de comer, sobretudo, pelo prazer sem culpa. “O importante é que a comida seja gostosa e atraente”. Saudabilidade e Bem estar + Sustentabilidade e ética – 21% Consumidores que priorizam: Alimentos que trazem benefícios adicionais saúde. Selos de qualidades. Informações sobre origem dos alimentos. Fabricantes de alimentos que protegem o meio ambiente ou têm projetos sociais. Comportamento dos clientes (interesses e o que os levam a comprar) Fatores considerados mais importantes na hora da compra: Ter marca que eu confio/ conhecida – 42%
  42. 42. Ser gostoso/ Saboroso – 31% Ser mais nutritivo, ou seja, enriquecido com vitaminas – 33% Ser um alimento de qualidade – 35% Ser barato – 23% Declaram-se conhecedores dos selos: Selo de qualidade – 63% Sustentabilidade/ Sustentável – 27% Intenção de pagar mais por alimentos produzidos através de práticas sustentáveis Com certeza pagaria mais – 29% Talvez pagasse mais, dependendo do produto -51% Provavelmente não pagaria a mais – 15% Não pagaria de jeito nenhum – 4% Rotulo de embalagens: Interesse dos consumidores Lê – 69%
  43. 43. Nunca lê – 30% Não respondeu – 1% Interesse na embalagem Calorias – 52% Gordura – 39% Colesterol – 29% Açúcar – 27% Proteína – 25% Carboidratos – 22% Conservantes/ Acidulantes – 22% Glúten – 10% Sódio – 8%
  44. 44. Tabela 1: Chocolate na sociedade
  45. 45. Tabela 2: Chocolate nos estados
  46. 46. 3.3 Estudo dos concorrentes Tabela 3: Concorrentes
  47. 47. Tabela4: Lojas Kopenhagen
  48. 48. Tabela 5: Lojas Cacau Show
  49. 49. Tabela 6: Lojas Brasil Cacau
  50. 50. 3.5 Conclusão Conclui-se que, os concorrentes indiretos acima descritos, possuem um raio de localização em relação da ‘A chocólatra’ de 41 km. Tendo em vista que os mesmos não causarão prejuízos nos planejamentos mercadológicos realizados até o presente momento. Os concorrentes com a classificação de concorrentes diretos, não houve possibilidade de mapeamento tendo em vista que os mesmos são autônomos informais, produtores caseiros e de difícil localização.
  51. 51. 4 PLANO DE MARKETING 4.1 Descrição dos principais produtos e serviços Em relação aos principais produtos em destaque existem os pães de mel que fora desenvolvido mediante a pesquisa de mercado para tomar conhecimento sobre como seria um "perfeito" pão de mel, como resultado seria um pão com mais recheio do que mel. Pois bem, A Chocólatra desenvolveu um pão de mel com muito recheio, um ótimo designer e com vários sabores apesar do titulo pão de mel. Ainda sobre os produtos principais, encontram-se salgados como o bolinho de feijoada, sucesso de vendas nos eventos. Todos os salgados seguem a mesma ideia dos doces, ou seja, mais recheio e menos massa. Tabela 7: Produtos A Chocólatra
  52. 52. 4.2 Preço Informação confidencial da empresa 4.3 Estratégias Promocionais Objetivo: Propagar a marca, fidelizar o cliente. Período: Tempo indeterminado Descrição: Será disponibilizado ao cliente um cartão com o titulo ‘Sou Chocólatra’, o cartão será adquirido com base nas regras da promoção, o cartão dará descontos em alguns produtos da A Chocólatra e também descontos com parceiros da mesma. Regras da promoção: Aquisição do produto. A promoção dará direito a apenas um cartão por cliente, que irá conter no mesmo, o nome completo, o cartão é intransferível e não poderá ser utilizados por terceiros. A aquisição do cartão será feita através da compra dos produtos da A Chocólatra, o cliente deverá cadastrar o número da etiqueta no site, cada produto terá certa pontuação, com acumulo de 100 pontos o cliente terá direito ao cartão.
  53. 53.  O cartão poderá ser utilizado de acordo com as regras. A partir da aquisição do cartão, a pontuação cadastrada no site será encerrada e zerada. Direitos do cartão O cliente cadastrado terá direito a descontos em produtos da A Chocólatra. O cliente cadastrado terá direito a descontos em parceiros da A Chocólatra, de acordo com a lista de parceiros disponibilizados no site. Obs. Para o obtenção dos direitos aqui descritos faz-se necessário a apresentação de documento com foto do cliente. Validade do cartão O cartão terá validade de doze meses a partir da data da aquisição do mesmo. A prorrogação da validade será concedida com a aquisição de um novo cartão, pelos mesmos métodos que fora adquirido o primeiro. Salvo se a empresa suspender a promoção. Suspensão ou cancelamento Caso haja a suspensão da promoção, será cumprida a validade dos cartões em circulação. O cancelamento do cartão do cliente será feito com a não utilização do mesmo durante seis meses, ou no fim de sua validade. Caso haja um cancelamento por não utilização, a reativação do mesmo será feito somente e tão somente pelos métodos tradicionais da promoção, ou seja, mediante a um novo acumulo de pontos.
  54. 54. 4.4 Estrutura de Comercialização Os produtos são comercializados por meios de encomendas previamente solicitadas pelo cliente via telefone ou com a visita até o local de confecção do mesmo, no momento não é oferecido venda por catálogos ou via e-commerce. As distribuições são feitas por intermédio de entrega realizado com o veiculo particular da Chocólatra, ou mediante a retirada feita pelo cliente. 4.5 Localização do negócio Tabela 8: Localização do negócio
  55. 55. 4.6 Ações de Marketing Degustação: Hipermercado D’avó. Objetivo: Tornar a marca e os produtos conhecidos, dar suporte as ações de mídia em época de páscoa. Período: Penúltimo final de semana de março, dias 21 e 22 de março/2014 Descrição: Degustação dos produtos da A chocólatra no estacionamento do Hipermercado D’avó no bairro Itaim Paulista. A degustação será feita dos produtos da linha de doces e salgados, com a montagem de um stand e a exposição dos produtos, no stand será disponibilizado folders com cupom de descontos para compras acima de cem produtos posteriormente encomendados. Para a execução desta ação contaremos com dois colaboradores, um como promoter distribuindo os flyers e realizando a chamada para o stand, contaremos com outro colaborador para a apresentação da empresa e produtos mediante ao catalogo e a entrega do produto para a degustação Promoção: Capinha de celular Objetivo: Expandir vendas em eventos, fixação da marca.
  56. 56. Período: De acordo com a data do evento. Descrição: Para as primeiras cinquenta pessoas que comprarem um dos produtos da A Chocólatra com o valor igual ou maior a dez reais, terá direito ao brinde de uma capinha para Iphone. Parceria com motel: ‘Cesta premiada’. Objetivo: Tornar a marca e produtos conhecidos, venda de cestas. Período: Data comemorativa ‘dia dos namorados’ final de semana antecedente, 30 e 31 de março. Descrição: Em cada quarto do motel haverá uma cesta com produtos da A Chocólatra, contendo um cupom que dará descontos de até 30% com validade para o mês dos namorados. Haverá em uma das cestas um cupom premiado com 100%. Que dará direito ao retorno gratuito ao motel.
  57. 57. 5 ANÁLISE AMBIENTAL 5.1 Ambiente Natural Natureza, sustentabilidade e meio-ambiente, são palavras que são constantemente usadas no mundo empresarial, ter uma marca relacionada a esses termos de modo positivo faz o seu conceito no mercado subir. Por se tratar de produtos caseiros, a preocupação com a higiene deve ser dobrada, manter sempre seus produtos e matérias primas em locais limpos longe de fontes de poluição. Nos municípios e no estado, através de suas secretarias de saúde pública (vigilância sanitária) e meio ambiente, existem normas e regulamentos a serem seguidos. A observação destas é de fundamental importância para evitar problemas com a fiscalização. Porém talvez a grande preocupação seja com a embalagem a ser usada, ainda que não cause algo tão grave ao meio ambiente, é importante utilizar materiais que não agridam o meio ambiente, podendo utilizar isso como um meio de fortalecer o marketing da empresa. Utilizar embalagens sustentáveis em seus produtos pode ser um grande ponto positivo para a marca, São Paulo hoje é a 6ª metrópole em poluição de ar do mundo segundo a Organização Mundial da Saúde, são mais de 4 mil mortes na cidade de São Paulo devido a poluição, diante a essa realidade é importante ter uma empresa a favor do meio ambiente.
  58. 58. Imagem 2: Embalagem sustentável vira buque de flor A embalagem sustentável deve atender pelo menos a três dimensões: - Garantir a proteção ao produto; - Escolher aquela que implica menos impactos ambientais, medidos segundo a Análise do Ciclo de Vida (ACV) do produto; - Saber como os materiais de embalagens são destinados no fim de vida útil, seja por com postagem, aterro sanitário, reciclagem química, reciclagem mecânica ou reciclagem energética. A embalagem sustentável vai além da reciclagem, hoje muitas empresas estão investindo em embalagens que após serem usadas no produto podem ter outro tipo de uso, usando a criatividade e o bom senso é possível usar as embalagens
  59. 59. como peças decorativas e até brinquedos, além de ajudar o meio ambiente, a marca ganha mais um apelo positivo no marketing. Além da embalem é importante termos o conhecimento da natureza que envolve a produção de doces e salgados. O uso do trigo na produção de salgados é essencial, nas últimas três décadas as mudanças climáticas vêm prejudicando a produção do trigo, segundo o estudo as colheitas caíram 3% no mundo todo nesses últimos 30 anos. Imagem 3: Produção de trigo vem caindo no mundo todo O Brasil produz hoje cerca de cinco milhões de toneladas de trigo. No final da década de 80, a produção era de seis milhões de toneladas. De acordo com os pesquisadores da Embrapa Trigo, o Brasil oferece área e condições de ser autossuficiente na produção de trigo. Para isso, seria necessária uma política agrícola adequada, pois a triticultura brasileira ainda enfrenta alguns desafios, entre eles, o problema da comercialização do cereal.
  60. 60. Em relação aos doces podemos destacar as frutas que são utilizadas desde a produção do chocolate, até em recheio das trufas. O cacau que é utilizado na produção do chocolate é encontrado principalmente no sul da Bahia onde tem um dos melhores solos e clima para a sua expansão. Imagem 4: Bahia é o principal produtor de cacau no país
  61. 61. DADOS DE PRODUÇÃO E MERCADO DO CACAU Mais de 14 milhões de trabalhadores estão envolvidos na produção de cacau, sendo 10,5 milhões apenas na África. Isto significa quase 50 milhões de pessoas no mundo que dependem da produção de cacau. A produção mundial de cacau ultrapassa três milhões de toneladas/ano e cerca de 70% deste volume provem de produtores familiares do Oeste da África, em áreas com menos de cinco hectares. A Ásia produz quase 20% da produção mundial anual, seguida pelas Américas com cerca de 10%. No Brasil o estado da Bahia é o maior produtor de cacau no país, porém com problemas de fungos a produção foi reduzida em 60% o que fez com que o país começa-se a importar cacau devido a sua autossuficiência na produção. Apesar dos acontecimentos o cacau ainda é uma grande alternativa econômica para a Bahia, além dessa importância econômica o cacau é responsável pela preservação da mata atlântica devido a sua plantação ser na floresta, recentemente, foi criado o Instituto Cabruca que, junto com outras instituições ambientalistas, vem desenvolvendo projetos de pesquisas e extensão sobre o tema, estudando formas de manter essa vegetação nativa associada ao cacau. Outro ponto importante sobre as frutas, é que quando consumimos a mesma durante a sua época de colheita ela se torna mais barata e ajuda a proteger o meio ambiente, quando consumimos a fruta fora de época, além de mais cara ela irá possuir um gosto mais artificial porque foi criada em estufas. As melhores e mais saudáveis são aquelas colhidas quando maduras, processo que se dá devido a sua exposição ao sol que já torna esse alimento pré-digerido, o que dispensa um précozimento.
  62. 62. Imagem 5: Frutas são melhores de serem consumidas em sua época natural Abaixo o site eCycle realizou um manual de frutas e as melhores épocas para serem compradas e consumidas, pois estão mais maduras, saudáveis e saborosas. - Abacate: fevereiro a julho - Abacaxi: julho a setembro/ novembro a janeiro - Ameixa: janeiro e fevereiro - Banana-maçã: janeiro a julho - Banana-nanica: janeiro a agosto - Caqui: março a maio
  63. 63. - Figo: janeiro a março - Fruta-do-conde: fevereiro a março/ julho a agosto - Goiaba: março a junho - Jabuticaba: agosto a novembro - Jaca: fevereiro a junho - Laranja: maio a agosto/ outubro a janeiro - Limão: dezembro a junho - Maçã: janeiro a março - Mamão: abril a julho/ outubro a novembro - Manga: outubro a dezembro - Maracujá: janeiro a junho - Melancia: maio a junho/ novembro a janeiro - Melão: janeiro a maio - Morango: julho a outubro - Nectarina: dezembro a fevereiro - Nêspera: setembro a outubro - Pera: janeiro a março
  64. 64. - Pêssego: novembro a janeiro - Tangerina cravo: abril a junho - Tangerina ponkan: maio a julho - Uva: janeiro a abril 5.2 Ambiente Tecnológico A Chocólatra trabalha com doces e salgados, seus produtos são comercializados para serem consumidos de forma rápida em no máximo 15 dias, tendo um maquinário a disposição, é possível produzir seus produtos em grande escala. Sendo ainda uma produtora caseira, a empresa deve se focar na concorrência de demais produções caseiras e se manter atualizada nas grandes marcas que indiretamente também fazem parte da concorrência de mercado. A Chocólatra para fins de vendas utiliza o telefone e o celular como meio de comunicação, esse meio é bastante comum na vida dos brasileiros e muito fácil de utilizar, conforme uma pesquisa realizada pelo Extra temos:
  65. 65. Dados 1: Celular no Brasil
  66. 66. Porém podemos concluir que a parte de vendas da A Chocólatra é um ponto fraco, afinal através do telefone não é possível atender vários pedidos ao mesmo tempo, e o uso de uma caixa postal nem sempre é bem visto pelo consumidor, alguns acreditam que ao cair a ligação na caixa postal a empresa não está atendendo no momento e possivelmente não irá fazer o pedido, visto que a comunicação entre empresa e consumidor é mediada via telefone pessoal, não possuindo uma loja física de vendas, tornando assim uma espécie de delivery. Nessa parte de vendas temos uma ampla tecnologia para ser usada, a criação de um e-commerce para vendas online poderia resolver o problema da empresa, uma vez em que o consumidor faria o pedido rapidamente e a empresa receberia instantaneamente, assim economizaria tempo e poderia receber pedidos simultâneos, não dependendo assim da linha telefônica. Com o aumento significativo de acesso a internet no Brasil, 94,2 milhões de brasileiro com acesso segundo o Ibope, à venda online seria lucrativa para a empresa. Algumas vantagens do E-Commerce segundo o site mtkdigital.com
  67. 67. - A sua rede de loja(s), negócio esta disponível 24 horas * 7 dias por semana; - Possibilidade de desconto maior no produto tendo em vista o custo de contratação de vendedores e sem repasse de comissões aos mesmos; - Você não precisa alugar uma loja física e investir em decoração, vitrines, segurança e saneamento; - Reduzida probabilidade de erros de interpretação no circuito com o cliente, e mesmo com o fornecedor; - Poupança nos custos associados com o cliente e com o fornecedor; - Baixo tempo de entregas das encomendas; - Facilidade no acesso a novos mercados e clientes, com reduzido esforço financeiro; - A vantagem competitiva das grandes empresas para as pequenas é menor. Um eficiente e atrativo portal de compras na Internet não necessita de um elevado investimento financeiro. O cliente escolhe por quem lhe dá mais confiança e melhor serviço; - Procedimentos associados às compras bastante céleres, permitindo as empresas diminuir o tempo médio de recebimento, melhorando o seu cashflow; - Facilidade processamento de dados transmitido pelo CRM, como por exemplos preferências e forma de pagamento dos clientes, assim como permite a antecipação da evolução das tendências do mercado;
  68. 68. - Contato permanente com todas as entidades intervenientes no processo, as interações são mais rápidas, diminuindo os custos relacionados com a comunicação. Conhecimento constante do perfil de clientes, seus hábitos e regularidade de consumos; - Antecipação das tendências de mercado, disponibilidade permanente de relatórios sobre os produtos mais visualizados, áreas mais navegadas; -Rapidez na divulgação de novos produtos ou promoções; Para início de negócio, uma loja virtual alugada já conseguiria satisfazer a necessidade da empresa, um aluguel anual de loja virtual segundo o “lojasvirtuais-br.com.br ”custa 240 reais, ou seja um baixo custo para algo que pode ser bem aproveitado. Porém é necessário lembrar que o site deve estar sempre atualizado e os pedidos devem sempre estar em prazo, caso o site fique desatualizado ou os pedidos atrasarem é muito provável que ocorra uma grande perca de clientes e uma avaliação negativa da marca. Outra necessidade para ter destaque no ramo de doces & salgados é divulgação, grandes marcas como Ferrero e Brasil Cacau, tendo conhecimento da necessidade a criação de uma fanpage no Facebook poderia ser um diferencial a mais, trazendo informações e ofertas junto ao site para manter os consumidores atualizados, o Facebook em relação a outras rede sociais domina com 63,4% de acessos no segmento de rede social, segundo o infográfico feito pela scup, os dias da semana com mais acesso no Facebook são:
  69. 69. O uso do Facebook e de outras redes sociais como forma de divulgação da marca é uma grande ferramenta se usada de forma correta, é preciso ficar atento com os perfis das pessoas que usam as redes sociais, um estudo feito pela Agência DM9 nos trás 5 perfis distintos de utilizadores: - Imersos - "Tiveram parte da sua identidade definida a partir da tecnologia - Ferramentados - "Recorrem à tecnologia para agilizar as tarefas, mas não a idolatram". - Fascinados - "Querem parecer modernos e tecnológicos". - Emparelhados - "A tecnologia é fundamental para por em prática os projetos da vida". - Evoluídos - "O universo das máquinas e da tecnologia é seu habitat"
  70. 70. 5.3 Ambiente Político Legal Antes abrir qualquer negócio, o empreendedor deve estudar toda a legislação que envolva seu projeto, por parte do cliente A Chocólatra realizamos o estudo das leis de alimentos, propagandas e também a política de fanpage no Facebook. Alimentos e a propaganda: Na propaganda, publicidade, informação e outras práticas correlatas cujo objetivo seja a divulgação e a promoção comercial de alimentos considerados com quantidades elevadas de açúcar, de gordura saturada, de gorduras trans, de sódio, e de bebidas com baixo teor nutricional. Segundo o Capítulo II do código da Anvisa sobre propaganda alimentar: Art. 6º Na oferta, propaganda, publicidade e outras práticas correlatas cujo objetivo seja a promoção comercial dos alimentos com quantidade elevada de açúcar, de gordura saturada, de gordura trans, de sódio e de bebidas com baixo teor nutricional, é exigido: I - Que a sua realização seja direta e verdadeira, de forma a evidenciar o caráter promocional da mensagem; II - Que seja facilmente distinguíveis como tais, não importando a sua forma ou meio utilizado; III - Que seja(m) veiculado(s) alerta(s) sobre os perigos do consumo excessivo desses nutrientes por meio da(s) seguinte (s) mensagem (s), aplicável(s) de acordo com os casos descritos abaixo: a) "O (nome/ marca comercial do alimento) contém muito açúcar e, se consumido em grande quantidade, aumenta o risco de obesidade e de cárie dentária". b) "O (nome/ marca comercial do alimento) contém muita gordura saturada e, se consumida em grande quantidade, aumenta o risco de diabetes e de doença do coração".
  71. 71. c) "O (nome/ marca comercial do alimento) contém muita gordura trans e, se consumida em grande quantidade, aumenta o risco de doenças do coração". d) "O (nome/ marca comercial do alimento) contém muito sódio e, se consumido em grande quantidade, aumenta o risco de pressão alta e de doenças do coração". IV - Quando o alimento ou o conjunto a que ele pertença possuir quantidade elevada de dois ou mais nutrientes, deverá ser aplicado o seguinte alerta cumulativamente em relação aos nutrientes: "O (nome/ marca comercial do alimento ou conjunto) contém muito(a) [nutrientes que estão presentes em quantidades elevadas], e se consumidos(as) em grande quantidade aumentam o risco de obesidade e de doenças do coração". Art. 7º Os alertas a que se refere o artigo 6º devem ser contextualizados na peça publicitária, de maneira que sejam pronunciados pelo personagem principal, quando a peça publicitária for veiculada na televisão ou outros meios audiovisuais; proferidos pelo mesmo locutor, quando veiculada em rádio; e, quando se tratar de material impresso, o alerta deve causar o mesmo impacto visual que as demais informações presentes na peça publicitária. § 1º A locução dos alertas deve ser perfeitamente compreensível. § 3º Na internet, os alertas serão exibidos de forma permanente, visível, juntamente com a peça publicitária, e devem causar o mesmo impacto visual que as demais informações presentes na propaganda ou publicidade. Art. 8º É obrigatória a veiculação do alerta a que se refere o artigo 6º em amostras grátis de alimentos com quantidades elevadas de açúcar, de gordura saturada, de gordura trans, de sódio, e de bebidas com baixo teor nutricional, bem como em cupons de desconto para a promoção desses alimentos.
  72. 72. Devemos nos atentar a essas leis, pois os produtos devem conter informações nutricionais corretas, uma vez que o consumidor se sentir lesado com a marca poderá gerar uma imagem negativa no mercado. Termos do Facebook Nomes de páginas e endereços da Web do Facebook Os nomes de páginas e os endereços da Web do Facebook devem refletir com precisão o conteúdo da página. Podemos remover seus direitos administrativos ou solicitar que você altere o nome da página e o endereço da Web do Facebook de qualquer página que não atenda a este requisito. Os nomes das páginas devem: i. ii. não consistir somente de termos genéricos (por exemplo, “cerveja” ou “pizza”); usar capitalização adequada e gramaticalmente correta, não podendo incluir somente letras maiúsculas, com exceção de acrônimos; iii. não incluir símbolos, como pontuação excessiva e designações de marca comercial; e iv. não incluir descrições supérfluas ou qualificadores desnecessários. Coleta de dados Se você coletar conteúdo e informações diretamente dos usuários, deverá ficar claro que quem está coletando esses dados é você (e não o Facebook), e você deverá fornecer um aviso e obter o consentimento do usuário para usar o conteúdo e as informações que você coletar. Independentemente da forma como você obtiver conteúdo e informações dos usuários, você será responsável por garantir todas as permissões necessárias para reutilizar o conteúdo e as informações.
  73. 73. Você não coletará conteúdo ou informações de usuários, ou acessará o Facebook de outra forma, usando meios automáticos (como bots de coleta, robôs, spiders ou scrapers) sem nossa permissão. III. Recursos de página A. Anúncios nas páginas Anúncios e conteúdo comercial (incluindo conteúdo de publicações na página) estão sujeitos às Diretrizes de propaganda. É proibido fazer propaganda de terceiros nas páginas. B. Capa Todas as capas são públicas. Isso significa que qualquer pessoa que visitar sua página poderá ver sua capa. Capas não podem ser ilusórias, enganosas ou infringir os direitos autorais de alguma outra pessoa. Você não pode encorajar pessoas a carregarem sua capa em suas linhas do tempo pessoais. Capas não devem incluir imagens com mais de 20% de texto. C. Aplicativos em páginas Os aplicativos na sua página devem estar em conformidade com as Políticas da plataforma do Facebook. D. Ofertas O Facebook pode não ser um lugar apropriado para todo tipo de oferta, e você é o único responsável por determinar se o Facebook é o fórum adequado para sua oferta. Se você criar uma oferta usando a ferramenta de criação de ofertas do Facebook, serão aplicáveis as seguintes políticas:
  74. 74. i. Você pode veicular uma oferta somente se for o comerciante para ou o fabricante do produto ou serviço que você estiver promovendo. ii. Você é responsável por garantir que sua oferta esteja em conformidade com estes termos e todas as leis, regras e regulamentações aplicáveis. As ofertas estão sujeitas a muitas regulamentações (como descontos em bebidas alcoólicas e ofertas direcionadas a menores de idade), e se você não tiver certeza de que sua oferta esteja em conformidade com a lei aplicável, consulte um especialista. iii. Se houver alguma restrição na sua oferta (como data de validade ou limitações de resgate), você deverá divulgar essas restrições aos usuários na seção de termos e condições da oferta. iv. Você será o único responsável por resgate inadequado, fraude ou outros problemas que surgirem da distribuição e/ou do resgate da sua oferta. v. Se sua oferta puder ser resgatada em um local de comércio não operado por você, será responsabilidade unicamente sua realizar a comunicação com o comerciante participante. vi. Você não deve utilizar o criador de ofertas do Facebook para oferecer o equivalente a um cartão-presente, vale- presente ou cartão de valor armazenado. E. Promoções Se você usa o Facebook para comunicar sobre ou administrar uma promoção (como um concurso ou jogos de apostas), você é responsável pelo cumprimento das regras de tal promoção, incluindo regras oficiais, termos da oferta e requisitos de qualificação (por exemplo, idade e restrições de residência), além da conformidade com as regras que controlam a promoção e todos os prêmios oferecidos na promoção (por exemplo, registro e obtenção de aprovações regulatórias necessárias). Observe que a conformidade com estas diretrizes não constitui a legalidade de uma promoção. As
  75. 75. promoções estão sujeitas a muitas regras e se você não tiver certeza de que sua promoção está em conformidade com a lei aplicável, entre em contato com um especialista. i. As promoções no Facebook devem ser administradas por meio de Aplicativos no Facebook.com, seja em páginas normais ou um aplicativo de página. ii. As promoções no Facebook devem incluir o seguinte: a. A isenção completa do Facebook de qualquer responsabilidade por parte de cada concorrente ou participante b. Reconhecimento de que a promoção não é, de maneira nenhuma, patrocinada ou administrada por ou em associação ao Facebook. c. Aviso de que o participante está divulgando informações para [nome do destinatário das informações] e não para o Facebook. iii. Você não deve fazer com que o registro ou a entrada em uma promoção dependa de uma ação do usuário ao usar qualquer recurso ou funcionalidade do Facebook que não seja curtir uma página, fazer check-in em um local ou conectar-se ao seu aplicativo. Por exemplo, você não deve fazer com que o usuário se registre ou entre em uma promoção ao curtir uma publicação no mural ou ao comentar ou enviar uma foto em um mural. iv. Você não deve usar os recursos ou as funcionalidades do Facebook como um registro ou mecanismo de entrada da promoção. Por exemplo, o ato de "curtir" uma página ou fazer check-in em um local não pode fazer com que um participante registre-se ou entre automaticamente em uma promoção. v. Você não deve usar os recursos ou as funcionalidades do Facebook, como o botão Curtir, como um mecanismo de votação para uma promoção.
  76. 76. vi. Você não deve notificar ganhadores por meio do Facebook, seja por mensagens, bate-papo, publicações em perfis (linhas do tempo) ou páginas do Facebook. vii. Definições: a. Por “administração” queremos dizer a operação de qualquer elemento da promoção, como coletar entradas, resolver um empate, julgar entradas ou notificar vencedores. b. Por “comunicação” queremos dizer a promoção, a propaganda ou as referências à uma promoção de qualquer maneira no Facebook, por exemplo, em anúncios, em uma página ou em uma publicação no mural. Direitos e Responsabilidades Compartilhando conteúdo e informações Você é proprietário de todo o conteúdo e informações que publica no Facebook, e você pode controlar como eles serão compartilhados por meio das suas configurações de privacidade e aplicativos. Além disso: 1. Para o conteúdo coberto pelas leis de direitos de propriedade intelectual, como fotos e vídeo (conteúdo IP), você nos concede especificamente a seguinte permissão, sujeita às configurações de privacidade e aplicativos: você nos concede uma licença mundial não exclusiva, transferível, sublicenciável, livre de royalties, para usar qualquer conteúdo IP publicado por você ou associado ao Facebook (Licença IP). Essa Licença IP termina quando você exclui seu conteúdo IP ou sua conta, a menos que seu conteúdo tenha sido compartilhado com outros e eles não o tenham excluído.
  77. 77. 1. Ao excluir um conteúdo IP, ele é excluído de maneira similar ao esvaziamento da lixeira do computador. No entanto, entenda que o conteúdo removido pode permanecer em cópias de backup por um período razoável (mas não estará disponível para outros). 2. Quando você usa um aplicativo, o mesmo pode solicitar sua permissão para acessar seu conteúdo e suas informações, bem como o conteúdo e as informações que outras pessoas compartilharam com você. Exigimos que os aplicativos respeitem a sua privacidade e nosso contrato com o aplicativo controla como o aplicativo pode usar, armazenar e transferir esse conteúdo e informações. (Para saber mais sobre a plataforma, inclusive como você pode controlar quais informações as outras pessoas podem compartilhar com os aplicativos, leia nossa Política de uso de dados e Página da plataforma.) 3. Ao publicar o conteúdo ou informações usando a opção Público, significa que você permite que todos, incluindo pessoas fora do Facebook, acessem e usem essas informações e as associem a você (isto é, seu nome e a foto do perfil). 4. Somos sempre gratos por seus comentários ou outras sugestões sobre o Facebook, mas entenda que podemos usá-los sem qualquer obrigação de compensar você por eles (assim como você não tem a obrigação de oferecê-los). Muitas pessoas acreditam que o facebook é um lugar livre, que não há regras e que se pode fazer tudo, muita calma, o Facebook é um site organizado e que possui termos que devem ser seguidos. Para uma empresa que busca crescimento como A Chocólatra, a criação da fanpage é uma alternativa de divulgação da marca, devemos ter consciência desses termos para um melhor relacionamento com o cliente e ter uma imagem positiva nas redes sociais.
  78. 78. Conar e a Publicidade Artigo 1º Todo anúncio deve ser respeitador e conformar-se às leis do país; deve, ainda, ser honesto e verdadeiro. Artigo 2º Todo anúncio deve ser preparado com o devido senso de responsabilidade social, evitando acentuar, de forma depreciativa, diferenciações sociais decorrentes do maior ou menor poder aquisitivo dos grupos a que se destina ou que possa eventualmente atingir. Artigo 3º Todo anúncio deve ter presente a responsabilidade do Anunciante, da Agência de Publicidade e do Veículo de Divulgação junto ao Consumidor. Artigo 4º Todo anúncio deve respeitar os princípios de leal concorrência geralmente aceitos no mundo dos negócios. Artigo 5º Nenhum anúncio deve denegrir a atividade publicitária ou desmerecer a confiança do público nos serviços que a publicidade presta à economia como um todo e ao público em particular. Artigo 6º Toda publicidade deve estar em consonância com os objetivos do desenvolvimento econômico, da educação e da cultura nacionais. Artigo De vez que a publicidade exerce forte influência de ordem cultural sobre grandes massas da população, este Código 7º
  79. 79. recomenda que os anúncios sejam criados e produzidos por Agências e Profissionais sediados no país - salvo impossibilidade devidamente comprovada e, ainda, que toda publicidade seja agenciada por empresa aqui estabelecida. O Conar é o órgão máximo nas leis do mundo publicitário, qualquer marca que deseje se destacar na publicidade e mantiver uma boa imagem deve se atentar e seguir a risca as leis estabelecidas por esse órgão. Uma vez feita uma campanha e ela desrespeitar algum artigo ela corre um grande risco de ser desvinculada da mídia, assim todo o investimento feito para a campanha irá gerar prejuízo. 5.4 Ambiente Competitivo A competição no mercado alimentício é enorme, para se ter sucesso nesse ramo é necessário dedicação, paciência e claro investimento, são diversas empresas buscando seu lugar ao sol, ser reconhecida como uma boa empresa não é uma tarefa tão fácil como se imagina. Porém apesar de tanta concorrência é necessário jogar com honestidade e trabalhar com objetivos a serem alcançados. A Chocólatra ainda que seja uma produtora caseira de doces e salgados possui um enorme potencial para futuramente se tornar uma grande empresa nacional, através de pesquisas realizadas com consumidores da empresa, 90% voltaria a consumir os produtos da mesma, ou seja, o nível de satisfação da empresa é muito grande. Por se tratar de doces e salgados iremos separar a concorrência dela, nesses dois sabores. Salgados No ramo de salgados apesar de não termos nenhum dado específico, podemos afirmar que há uma enorme quantidade de pessoas que fazem e vendem salgados caseiros. Para efeito de consumo imediato temos grandes empresas
  80. 80. que trabalham para satisfazer o cliente, o Ragazzo e o Habib’s, que também trabalham com pronta entrega, mas não sob encomenda. Sob encomenda a Dona Alzira é uma forte opção na região leste, com uma forte produção em grande escala é possível encontrar os produtos da marca em grandes mercados como o D’ávo. Dona Alzira Salgados é localizada na região de Itaquera e para buffets e festas vendem os produtos já pré-aquecidos como esfihas e baurizinhos. Salgados fritos e assados 10,1 10,5 9,8 53,2 57,0 49,3 Tabela 8: Consumo de salgados no Brasil Acima vemos que o consumo geral e masculino maior de salgados são feitos fora de casa, ou seja, em lojas, eventos e festas, enquanto o consumo feminino é maior em casa. Segundo o IBGE a região Sudeste tem o terceiro maior consumo de salgados fora do domicílio com 54,4 por cento da população. Em relação á idades, mais de 50% dos adolescentes e adultos consomem salgados fora de casa, enquanto os idosos em sua grande maioria consomem em casa. Podemos concluir que lojas que possuem delivery e pronta entrega e as que trabalham sob encomenda tendem a ter mais clientes mulheres e idosos, enquanto as que possuem loja física irão ter mais consumidores adolescentes e homens. No ramo competitivo as lojas que possuem loja física e delivery pronta entrega estarão a frente das demais concorrente.
  81. 81. Imagem 6: Os salgados são altamente consumidos Chocolate caseiro (artesanal) O Brasil atualmente é o 5º colocado na produção de chocolate, produzindo cerca de 305 mil toneladas/ano. O chocolate caseiro atrai grandes números de empreendedores devido a facilidade do negócio, porém nos últimos anos a concorrência vem sendo grande e intensa mas mesmo com a grande concorrência, a fabricação de produtos de chocolate oferece muitas oportunidades para o pequeno empreendedor. Ao contrário do que se pensa não é só na Páscoa ou no Natal que os bombons e os ovos de chocolate fazem sucesso. Com criatividade há enormes variedades de datas que podem ser usadas para criação de chocolates artesanais. Em 2013 a venda de ovos e outros produtos de Páscoa feitos com chocolate artesanal devem ser até 30% maior do que em 2012, segundo a previsão das comerciantes do setor. Para eles, o aumento se deve à crescente aceitação dos
  82. 82. consumidores aos produtos artesanais, uma vez que o produto além de sair mais barato pode ser personalizado á vontade do cliente. Imagem 7: Os doces artesanais vem conquistando o paladar dos consumidores A grande diferença entre o chocolate industrial e o artesanal está no preço. Diferença que chega a alcançar mais de 100%. Mas para se dar bem no ramo de chocolates artesanais é necessário ganhar a confiança do cliente, uma vez que o produto é feito na casa do vendedor, questões de higiene, embalagens bem feitas, prazos cumpridos e uma boa relação vendedor-cliente, pode ser o diferencial para ganhar da concorrência.
  83. 83. O atendimento aos clientes que querem comprar chocolate artesanal e salgados é feito de forma bem simples, indo até o local ou ligando encomendando, geralmente é disponibilizado dois números de telefone, um celular e um fixo, em alguns casos também são disponibilizados ID de rádio comunicador e até mesmo uma pagina em redes sociais como o Facebook, caso o cliente não queria retirar seus pedidos no local, a entrega geralmente é feita a domicílio por um motoboy. 5.5 Ambiente Econômico A Chocólatra possui um perfil de consumidor entre as classes C, D e E, com produtos de um ótimo custo e benefício o cliente vem se destacando no mercado da Zona Leste da cidade de São Paulo. Predominada pela classe C os bairros da Zona Leste possuem um forte comércio, e com a classe C em franca expansão é uma das áreas que mais vem crescendo e sendo valorizada na cidade. Dados da Região Leste do Município de São Paulo Região com 326,8 km2 11 Subprefeituras Mais de 40 bairros e municípios Mais de quatro milhões de habitantes 23% dos estabelecimentos do município concentram-se nessa região 38,4 % da população do município de São Paulo Subprefeitura da MOOCA - Mais de 300.000 habitantes que movimentam 12% PIB de São Paulo = PIB do Uruguai Tatuapé – um dos bairros com maior desenvolvimento no município de São Paulo
  84. 84. Imagem8o: Estação e Shopping Tatuapé – O bairro é um dos mais desenvolvidos na Zona Leste Na ultima década o Brasil sofreu uma mudança no perfil socioeconômico, o crescimento da classe C, composta por famílias que têm uma renda mensal domiciliar total (somando todas as fontes) entre R$ 1.064,00 e R$ 4.561,00, ajudou no aumento da economia brasileira, cerca de 19,3 milhões de pessoas saíram da pobreza. Os 94,9 milhões de brasileiros que compõem a nova classe média correspondem a 50,5% da população – ela é dominante do ponto de vista eleitoral e do ponto de vista econômico. Detêm 46,24% do poder de compra (dados 2009) e supera as classes A e B (44,12%) e D e E (9,65%). Segundo a Secretaria De Assuntos Estratégicos, 79% da nova classe média confiam mais nas recomendações de parentes que na propaganda da TV, com isso podemos ver uma mudança não só do cenário econômico, mas também no mundo da publicidade, segundo Cesa Diaz, diretor de inteligência de mercado da Young&Rubicam a classe C é hoje uma importante fonte de opinião e a publicidade vêm se adaptando a ela. Em 2009 para se ter ideia, a classe C foi responsável por 881 bilhões de Reais dos gastos com consumo, a maior fatia do total de 2,2 trilhões do País e nos últimos sete anos, essa camada da população teve um aumento superior a 40%
  85. 85. em sua renda familiar, que hoje vai de R$ 1,1 mil a R$ 4,5 mil. Esse aumento já injetou na economia mais R$ 100 bilhões desde 2002. Dados 2: A Classe C vem dominando a sociedade De acordo com dados do instituto de pesquisa Data Popular, a classe C é responsável por 78% do que é comprado em supermercados, 60% das mulheres que vão a salões de beleza, 70% dos cartões de crédito no Brasil e 80% das pessoas que acessam a internet, essa nova classe social cresce cerca de 4% ao ano. Outra curiosidade que a Secretaria De Assuntos Estratégicos destaca é que a população de classe C tem menos problemas com o peso, em comparação com os mais ricos, decorrência direta de menos excessos na alimentação, somado a mais mobilidade física.
  86. 86. Os jovens dessa nova classe C são mais educados e conectados, hoje são os formadores de opinião na família e na comunidade, e esses novos consumidores não desejam o estilo de vida das elites preferindo produtos que valorizam a sua origem. Um estudo realizado pela brandinsight estudou o consumidor da classe C e chegou a 4 pontos interessantes: 1 - Preço não é necessariamente gerador de confiança. A estratégia de depenar produtos ou baixar a qualidade na busca por preços mais agressivos não funciona. 2- As marcas de confiança são uma ponte para o projeto operacional desses consumidores. As marcas alimentam o projeto de futuro dessas pessoas, conectando-os com seus sonhos. 3 - Marcas boas não resistem a produtos ruins. Esse consumidor conhece a relação custo/benefício dos produtos/serviços. Para esse consumidor, qualidade é fundamental. 4 - Marcas de confiança sempre têm uma nova história para contara comunicação é decisiva para esse consumidor. As marcas que estabeleceram relações positivas com esse público investem muito em comunicação. Estar na mídia dá credibilidade, confere simpatia e instiga a curiosidade do público. Além da classe C, temos que destacar o comércio na Zona Leste da cidade de São Paulo, onde 60% da economia da região depende de pequenos comércios, mas mesmo assim a Zona Leste vêm sofrendo um constante crescimento econômico nos últimos anos. A Zona Leste é considerada uma das regiões mais promissoras para investimentos de na cidade. A região é a maior do município de São Paulo, se considerada somente a área urbana. Nos bairros mais próximos do Centro, como Mooca, Tatuapé, Belém e Penha, a classe média e média-alta são predominantes, enquanto nos bairros mais afastados, como Itaquera, Itaim Paulista e Guaianases são dominados pelas classes média-baixa e popular.
  87. 87. A principal atividade nos bairros da Zona Leste é o pequeno comércio, a única exceção é bairro do Tatuapé, que já possui suas atividades principais no setor de serviços. Na Penha, por exemplo, 60% das atividades eram do comércio, 35% das empresas ligados a serviços e o restante à indústria. Em São Miguel Paulista a predominância do pequeno comércio é maior ainda, cerca de 80% da economia é movimentado por comerciantes. Os prestadores de serviço, em geral atrelados ao comércio, são apenas 15% - as indústrias, os outros 5%. Com a massiva presença de Universidades e escolas o bairro de São Miguel e seus vizinhos tendem somente a crescer. Imagem 9 – A construção do Itaquerão trouxe oportunidades e vantagens aos moradores da região de Itaquera
  88. 88. Em Itaquera, a construção do estádio do Corinthians, O Itaquerão, a região vem recebendo grande valorização, as casas e condomínios aumentaram o preço de venda e novos polos econômicos e de serviços estão sendo implantamos. A construção da Arena de Itaquera possibilitará a implantação de medidas em prol da população menos favorecida da região, trazendo repercussões sociais importantes. A região de Itaquera possui 1.633.433 habitantes, com cerca de 250 empresas de pequeno, médio e grande porte; perto de 1.100 estabelecimentos comerciais, com 1 Shopping Center e uma renda per capita: média de 6,12 salários por chefe de família 5.6 Ambiente Social O consumo no Brasil está elevado graças ao aumento da renda da população, ocasionando uma mudança nos hábitos das camadas emergentes da população. A nova classe media passou ter acesso diário a produtos alimentícios a que antes não estavam acostumados ou que só eram consumidos em ocasiões especiais. Essas mudanças colocaram o Brasil na posição de um dos principais consumidores mundiais de produtos como salgadinhos. O segmento de salgadinhos conforme dados da britânica Mintel, 67% dos consumidores brasileiros comem algum tipo desse petisco uma vez por mês. Através das pesquisas realizadas com clientes da A Chocólatra, o consumo de chocolates deles são semanais, ou seja ao menos 1 chocolate por semana, e a preferência são os chocolates caseiros, justamente o ramo de produção da A Chocólatra. Consumidores de chocolates atualmente não acham o chocolate apenas uma guloseima, hoje ele é visto como um alimento que traz energia, é consumido inclusive durante vestibulares, também é visto como um alimento que traz um momento de conforto, de alegria e que muitas vezes nos lembra da infância. Os chocolates artesanais são os que mais trazem essa sensação ao consumidor, pela imagem de consumo de um produto único e especial.
  89. 89. No Brasil a fabricação de chocolate alcança cerca de 305mil toneladas por ano. O Brasil está em 5º lugar no ranking mundial em produção de chocolates. Os consumidores preferem chocolates não industrializados devido à qualidade e à customização. A grande diferença entre o chocolate industrial e o artesanal está no preço. A diferença chega a alcançar mais de 100%. Apesar do clima brasileiro e do alto nível de produtos industrializados, o país tem demonstrado um potencial de mercado para o chocolate artesanal, vem conquistando uma grande parcela da sociedade. Uma opção para essa conquista são as embalagens sofisticadas destinadas a atender um público de maior poder aquisitivo, outra opção é o chocolate feito sob encomenda para lojas, e comemorações. Também são comercializados como ovos de páscoa, que visam atender uma demanda específica, A embalagem diferenciada é um detalhe que chama a atenção dos clientes. 5.7 Conclusão Através da Analise Ambiental, podemos ver que todos os ambientes estão ligados, desde o Ambiente Natural até o Politico Legal, por exemplo, não bastamos nós só sabermos a importância da publicidade ou da criação de uma fanpage, mas também devemos ter o conhecimento das leis que envolvam tudo sobre a publicidade de alimentos, os termos do facebook e os direitos dos consumidores. O ambiente social e o econômico é o estudo da sociedade e a economia, podemos ver que a Zona Leste de São Paulo vem se desenvolvendo constantemente com novas opções de mercado e o crescimento da Classe C, o perfil da classe C vem tendo grande importância no mundo publicitário, uma vez que é uma classe que consome muito, porém, gosta de gastar pouco, essa classe na Zona Leste de São Paulo é predominante dai podemos ver de onde sai tanto lucro nos pequenos comércios, uma vez que neles o preço dos produtos é mais baixo do que de grandes lojas. O ambiente competitivo e o natural tem grande influência na escolha do consumidor, o competitivo, por exemplo, vemos que quanto melhor o relacionamento empresa-consumidor maior o destaque da empresa no mercado, a criatividade nas campanhas e o bom senso geram pontos positivos com os consumidores, no ambiente natural por exemplo,
  90. 90. criatividade nas campanhas e o bom senso geram pontos positivos com os consumidores, no ambiente natural por exemplo, destacamos o uso das embalagens sustentáveis pelas empresas, que serve como forma de marketing para conquistar cliente ecologicamente ligados e preocupados com o meio ambiente. Com o estudo desses seis ambientes, é possível elaborar campanhas mais direcionadas ao público e fazer com que a empresa se diferencie dos seus demais concorrentes com produtos de qualidade e uma divulgação criativa visando atrair mais consumidores e transformar A Chocólatra numa empresa cada vez mais conhecida.
  91. 91. 6 PESQUISA DE MERCADO 6.1 Definição do problema de pesquisa Acreditamos que para melhor desenvolvimento do projeto é necessário conhecer e estudar o público mais próximo da A Chocólatra. Para tanto, temos como objetivo conhecer os motivos de compra do cliente, bem como o processo de compra, onde e como é realizada a aquisição dos produtos. 6.2 Determinação dos objetivos Visando todas as pesquisas já realizadas e entendendo que as mudanças no que diz respeito às opiniões das pessoas, sofrem mudanças constantemente, surge à falta de informações no que diz respeito a proximidade com o cliente, essa falta de informação denominamos como problemas de pesquisa: Qual o método para aquisição dos produtos? Como conheceu A Chocólatra? O que acha dos produtos da A Chocólatra? Qual o produto mais consumido? Com que frequência consome os produtos?
  92. 92. 6.3 Tipos de Pesquisas utilizadas A pesquisa realizada com os clientes da A Chocólatra visa descrever qual o método e a frequência de compra, bem como a opinião atual sobre a marca A Chocólatra. No roteiro de pesquisa utilizado, ocultamente questionamos o cliente com perguntas do tipo quem? Quando? E onde? Entendendo que a variedade de opções para aquisição de produtos semelhantes é alta, buscamos demonstrar neste roteiro de pesquisa qual a opinião dos clientes. O tipo de pesquisa utilizada será a pesquisa de opinião em caráter de não-probabilística por conveniência, pois visa conhecer as atitudes, pontos de vista, e preferência que os clientes tem a respeito da A Chocólatra. 6.4 Método(s) de coleta de dados utilizado(s) Para melhor complemento e assertividade no produto em questão foram utilizados alguns métodos de coleta de dados eficientes e produtivos. Dados primários Tomando como base e como ponto de partida foram utilizadas as pesquisas primarias realizadas através da internet, revistas e jornais. As quais nos dão referencia sobre a atuação do segmento em questão e a possibilidade de verificação do andamento do mesmo, para que seja decididos pontos de mudanças e/ou melhorias.
  93. 93. Dados Secundários Para a coleta de dados secundários foi utilizado um formulário contendo questões objetivas e diretas pertinentes ao assunto que corresponde ao publico pesquisado, foi utilizado apenas um questionário. Para definição da coleta de dados acreditamos na forma tradicional de obtenção de dados foi utilizado um formulário on-line disponibilizado via web mediante a rede social facebook para apenas usuários que tenha ligação direta com o perfil da A Chocólatra. 6.5 Amostragem utilizada Tendo em vista que até o momento a cliente não possui banco de dados ou nenhum modo de armazenamento de dados de clientes. Para o projeto desenvolvido tomamos como base de calculo a quantidade de pessoas que A Chocólatra possui como “amigos” em seu perfil da rede social facebook. Segundo o artigo disponibilizado pelo SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) no qual nos da uma referencia de amostragem.
  94. 94. Tabela 8: Calculo para amostragem Encaixamo-nos no SPLIT 80/20 tendo em vista a quantidade de aproximadamente 40 formulários pesquisados no publico em questão, reconhecendo que a nossa taxa de erro amostral corresponde a +/- 10%. 6.6 Técnicas amostrais utilizadas Para a participação nesta pesquisa se faz necessário uma característica essencial de ter consumido em algum momento um ou mais produtos da A Chocólatra.
  95. 95. caseiros
  96. 96. Foi solicitado como mudança: Reduzir o prazo para entrega Embalagens personalizadas para datas comemorativas
  97. 97. De 0 a 5 qual sua nota para os produtos A chocólatra? Resultado nesta pesquisa será apresentado com base no calculo de media. Média: Somam-se todos os valore e dividimos o resultado pelo numero de elementos somados. Para tanto a media correspondente a esta questão é: 4,4 De 0 a 5 qual a sua nota ao tempo de espera para o recebimento dos produtos? Resultado nesta pesquisa será apresentado com base no calculo de media. Média: Somam-se todos os valores e dividimos o resultado pelo numero de elementos somados. Para tanto a media correspondente a esta questão é: 3,3
  98. 98. 7 ANÁLISE SWOT 7.1 Pontos Fortes Fidelidade e ótimo relacionamento com clientes Produtos diferenciados e personalizados Referencia na ZL Sustentável Preço acessível a região localizada Qualidade (mais recheio, menos massa) 7.2 Pontos de melhoria Divulgação da Marca online e off-line Funcionários Manual de Identidade Visual 7.3 Oportunidades Público brasileiro amante de chocolates artesanais Constante procura por produtos menos gordurosos Sazonalidade Internet e Vendas Online
  99. 99.  Alianças estratégicas e promocionais Fortalecimento econômico Classe C 7.4 Ameaças Clima Inflação 2012/2013 7.5 Conclusão Concluímos que A Chocólatra se destaca perante seus clientes por seu ótimo relacionamento, tratando-os como amigos, não apenas consumidores, fidelizando-os desde suas primeiras compras. Seus produtos diferenciados (como bolinho de feijoada) e os personalizados a transformaram também referência no Fundo Zona Leste Sustentável, como uma das melhores empresas. Mantém um preço acessível a sua localização sem perder sua qualidade. Porém como toda empresa pequena ela tem seus pontos que precisam de melhoria, como a contratação de funcionários para ajudá-la na demanda e na distribuição de produtos. A marca também necessita de mais investimentos em divulgação de da Criação de peças de identificação. Com o crescente fortalecimento econômico da Classe C e preocupação dos brasileiros que já são amantes de chocolates, hoje também com sua saúde, e A Chocólatra se destaca com sua fabricação mais saudável perante sua concorrência. Com a Sazonalidade e vendas online a produtividade também pode aumentar e gerar mais lucros para a marca. Como a empresa é beneficiada pelo Zona Leste Sustentável, pode-se formar alianças com mais empresas beneficiadas pelo fundo tanto para parcerias de divulgação quanto produção de embalagens, etc.
  100. 100. Porém, sendo uma empresa que necessita na sua matéria prima de produtos extraídos da natureza, uma grande ameaça são as constantes mudanças climáticas, que com a chuva ou seca atrapalham o plantio do trigo, cacau e outros produtos primários. E vivemos um período de inflação instável, o que atrapalha o planejamento financeiro e operacional da A Chocólatra.
  101. 101. 8. Manual de Identidade Visual e papelaria 8.1 DEFESA DE MARCA A CHOCÓLATRA Ao pesquisarmos o histórico e conceitos para o nome, buscamos em sua essência algo que representasse de uma forma dinâmica, dionisíaca e que trouxesse aquilo que representa A CHOCÓLATRA, que fosse uma comissão de frente capaz de mostrar ao público não apenas uma simples marca para resultar em vendas, mas algo que além de funcional, mostrasse uma fidelização e amizade com o cliente. A forma oval é uma forma extremamente humanizada, sugere aconchego, acomodação, prazer sensorial tátil, suavidade, volatilidade, fluidez, agilidade e até leveza. Usada na criação de vários logos de peso no mercado, como: Esso, Ford Motors, Company, Fininvest, Azaléia, entre outras grandes. É totalmente aconchegante e amigável. Também podemos remeter ao infinito, pois a circunferência não tem um ponto final, é um ciclo que sempre está em andamento e quanto mais voltas se dar, mais conhecimento e fidelização se concretizam. Com isso, todas as formas do logo trazem o arredondado. Concentrado na região dos olhos, onde despertam o desejo, olhar hipnotizador e boca demonstrando felicidade ao mesmo tempo em que mostra o desejo, onde é preciso consumir aquilo que se vê para saciar a vontade e passar o efeito de hipnose. O logo na verdade é um reflexo da sensação do consumidor, ao ser atraído pelo doce ou salgado, se familiariza com o logo, o que faz sentir-se atraído e confiante de que é aquilo que ele precisa para saciar o seu desejo.
  102. 102. CORES: O logo tem a cor marrom como predominante, fazendo sentido ao nome da empresa, que é derivada do chocolate e também aos salgados, que em sua totalidade possuem tons amarronzados como: coxinhas, quibes, empadas, bolinhos de carne e outros salgados. Nos olhos, o principal meio que desperta o desejo, trabalhamos com dois seguimentos de cores, pois, precisávamos quebrar o conceito de que A CHOCÓLATRA trabalha apenas com chocolates e mostrar o outro lado de uma forma clara, não apenas no subtítulo “doces e salgados”, mas que em sua composição fosse possível essa percepção. Com isso, optamos por trabalhar com duas linhas diferentes, representadas pelas cores laranja e verde, além dessas duas cores serem atraentes e funcionais na mistura com o marrom, elas trazem significados claros, fundamentais e objetivos para a percepção do cliente. LARANJA: A cor laranja ajuda a despertar o potencial, defender o próprio ponto de vista e ser confiante, além de desenvolver a criatividade. É comprovado cientificamente que o chocolate libera serotonina e endorfina, o que ajudam a tranquilizar e acalmar os nervos, principalmente a ansiedade antes de alguma prática imprevisível, como provas por exemplo. Então, a cor laranja seria a melhor opção para trabalhar com a linha de doces, além de ser uma cor forte e quente, ela casa com um dos benefícios que o consumo de chocolate traz e que é conhecido por um grande número da população. VERDE: A CHOCÓLATRA tem um grande diferencial em sua linha de salgados, por confeccionar salgados saudáveis, diferença significativa e que nos ajudam a atender um público maior, já que as frituras não são vistas com bons olhos. Com isso, A CHOCÓLATRA rompe esse conceito e produz seus salgados de uma forma menos prejudicial, o que é difícil de ser encontrado no mercado atualmente. O verde é a melhor cor para trabalharmos com a linha de salgados, pois é uma cor que remete ao sustentável, ao light, ao que possui qualidade de vida, além de ser uma cor que desperta a autoestima.
  103. 103. TIPOGRAFIA A CHOCÓLATRA: Fonte: Jungle Juice - essa fonte além de ser atrativa, mexe com nosso inconsciente e nos faz associar ao filme A FANTÁSTICA FÁBRICA DE CHOCOLATES. Mexendo mais ainda com nossos sentidos e provocando o desejo pelo chocolate através da familiarização. DOCES E SALGADOS: Fonte: Griffon - Optamos por uma fonte um tanto quanto cursiva, mas básica, que ficasse apenas como uma assinatura, complementação do significado do nome. Em um maior espaçamento e disposição, para ficar clara a confecção de doces e salgados, mas de uma forma sucinta e suave, não causando desconforto na leitura visual.
  104. 104. 8. 2.1 Recomendações 8. O logotipo possui uma área mínima de proteção que deve ser mantida livre de outros elementos gráficos. O tamanho mínimo de aplicação também deve ser observado para que não ocorram problemas com impressão. Outros cuidados devem ser tomados para que o logotipo A Chocólatra não seja aplicado incorretamente. A papelaria deve usar a fonte Jungle Juice em A CHOCÓLATRA e a fonte Griffon em DOCES E SALGADOS. Os textos gerados em Word (templates) devem usar a fonte Arial. DOCES E SALGADOS A área mínima de proteção é obtida a partir da letra «A» do nome A Chocólatra, e corresponde a 1 «A» em cima, 1 «A» embaixo e 2 «A’s» em cada lateral. O logotipo A Chocólatra deve ser aplicado nas cores indicadas no Pantone sobre o fundo branco. Os elementos de papelaria A Chocólatra, devem ser impressos em papel branco, exceto em alguns envelopes (papel Kraft) e materiais promocionais. DOCES E SALGADOS Os limites de redução acima, são recomentados para aplicações em papel e servem para evitar problemas na reprodução do logotipo A Chocólatra.
  105. 105. DOCES E SALGADOS DOCES E SALGADOS A fábrica de chocolates saudáveis Submarcas e textos não devem ser incorporados ao logotipo A Chocólatra. DOCES E SALGADOS Não existe versão negativa do logotipo A Chocólatra. DOCES E SALGADOS D O C E S A cor do logotipo deve ser fiel às referências indicadas neste Manual. E S A L G A D O S O logotipo não pode ser comprimido ou estendido. a CHOCoLATRA DOCES E SALGADOS DOCES E SALGADOS As letras do logotipo não devem ser trocadas. A relação entre o símbolo e o nome A Chocólatra não deve ser alterada.
  106. 106. 8.2.2 Pantone O logotipo A Chocólatra deve ser aplicado sempre nas cores indicadas no Pantone. Nunca utilizar a marca de forma diferente aos padrões estabelecidos neste manual. Pantone 626C 91 C / 44 M / 72 Y / 44 K 40 R / 86 G / 75 B Pantone 585C 16 C / 1 M / 76 Y / 0 K 220 R / 225 G / 106 B Pantone 476C 40 C / 77 M / 99 Y / 56 K 102 R / 54 G / 28 B Pantone 1485C 0 C / 36 M / 63 Y / 0 K 250 R / 178 G / 115 B Pantone 2828C 0 C / 96 M / 100 Y / 0 K 255 R / 50 G / 0 B DOCES E SALGADOS
  107. 107. 8. DOCES E SALGADOS Logotipo A Chocólatra, textos e guia de dobra do DOCES E SALGADOS Logotipo A Chocólatra A CHOCÓLATRA - DOCES E SALGADOS Rua: Avelino Matos Machado, 789 Jardim Helena, São Paulo - SP CEP: 08081-430 Tel. 11 2156-2503 www.achocolatra.com.br 10
  108. 108. DOCES E SALGADOS DOCES E SALGADOS A CHOCÓLATRA - DOCES E SALGADOS Rua: Avelino Matos Machado, 789 Jardim Helena, São Paulo - SP CEP: 08081-430 Tel. 11 2156-2503 www.achocolatra.com.br
  109. 109. 8. A primeira tem o logotipo A Chocólatra, a guia de dobra A CHOCÓLATRA - DOCES E SALGADOS Rua: Avelino Matos Machado, 789 Jardim Helena, São Paulo - SP CEP: 08081-430 A Segunda versão tem apenas o logotipo A Chocólatra Tel. 11 2156-2503 atendimento@achocolatra.com.br www.achocolatra.com.br 11 Logotipo A Chocólatra, conforme especificações e guia de dobra do papel na cor ver escuro A Chocólatra Logotipo A Chocólatra DOCES E SALGADOS
  110. 110. 8. 12 logotipo A Chocólatra, o endereço e o título DOCES E SALGADOS A CHOCÓLATRA - DOCES E SALGADOS Rua: Avelino Matos Machado, 789 Jardim Helena, São Paulo - SP CEP: 08081-430 Tel. 11 2156-2503 www.achocolatra.com.br Verde escuro A Chocólatra, textos e fios na cor preta. Logotipo A Chocólatra 12
  111. 111. 8. Logotipo A Chocólatra DOCES E SALGADOS 8.7 (Verso) Slogan direita. A mistura que dá água na boca. CONTATO: TEL: (11) 1234-5678 / (11) 9 1234-5678 Rua: Etctera e tal, Nº , Bairro - Cidade
  112. 112. 8. Logotipo A Chocólatra e textos na cor verde escuro A Chocólatra Logotipo A Chocólatra DOCES E SALGADOS A CHOCÓLATRA - DOCES E SALGADOS Rua: Avelino Matos Machado, 789 Jardim Helena, São Paulo - SP CEP: 08081-430
  113. 113. 8. Logotipo A Chocólatra e textos na cor verde escuro A Chocólatra DOCES E SALGADOS Logotipo A Chocólatra DOCES E SALGADOS 36 DOCES E SALGADOS DOCES E SALGADOS DOCES E SALGADOS A CHOCÓLATRA - DOCES E SALGADOS Rua: Avelino Matos Machado, 789 Jardim Helena, São Paulo - SP CEP: 08081-430
  114. 114. 8.10 DOCES E SALGADOS DOCES E SALGADOS A CHOCÓLATRA - DOCES E SALGADOS Rua: Avelino Matos Machado, 789 Jardim Helena, São Paulo - SP CEP: 08081-430 Tel. 11 2156-2503 www.achocolatra.com.br Tel. 11 2156-2503
  115. 115. 8.11 A CHOCÓLATRA - DOCES E SALGADOS Rua: Avelino Matos Machado, 789 Jardim Helena, São Paulo - SP CEP: 08081-430 Tel. 11 2156-2503 atendimento@achocolatra.com.br www.achocolatra.com.br DOCES E SALGADOS DOCES E SALGADOS
  116. 116. 8.12 DOCES E SALGADOS A CHOCÓLATRA - DOCES E SALGADOS Rua: Avelino Matos Machado, 789 Jardim Helena, São Paulo - SP CEP: 08081-430 Tel. 11 2156-2503 www.achocolatra.com.br Logotipo A Chocólatra DOCES E SALGADOS A CHOCÓLATRA - DOCES E SALGADOS Rua: Avelino Matos Machado, 789 Jardim Helena, São Paulo - SP CEP: 08081-430 Tel. 11 2156-2503 www.achocolatra.com.br
  117. 117. 9 CRONOGRAMA DE MARKETING Cronograma de Marketing
  118. 118. 10 PLANO DE MÍDIA 10.1 Objetivo de mídia A mídia no mundo da propaganda é utilizada como forma de divulgação para atingir o público de uma determinada marca. Existem inúmeros meios de mídia, desde pequenos painéis publicitários até os famosos e caros comerciais na televisão. A mídia consegue não só o feito de atingir o público alvo como também atrair outras pessoas, com isso toda marca que quer crescer no mercado utiliza a mídia como uma forma de divulgação. Podemos perceber que grandes marcas que estão sempre lançando campanhas publicitárias criativas, inovadoras e que usam a mídia como uma forma de se aproximar do consumidor, tem a tendência de ter mais consumidores que a concorrência, pelo simples fato dela ser mais passando ao seu consumidor um conceito de uma empresa que se preocupa com ele ao a mídia a favor de nosso cliente. A Chocólatra sendo uma empresa de doces e salgados que possui potencial de crescimento, necessita divulgar seu trabalho como uma marca seria que busca sempre a satisfação de seu cliente. Utilizando os meios corretos, consegue-se não só atingir o público alvo da marca, como também trazer novos consumidores. 10.2 Público Alvo A Chocólatra consiste em três públicos alvos: Minoristas (Compram em grande escala para revender)

×