Palestra de Virgínia Duailibe na 6ª Conferência de Marketing Imobiliário

1.861 visualizações

Publicada em

Palestra ministrada pela presidente da Associação Brasileira do Mercado Imobiliário (ABMI), Virgínia Duailibe, na abertura da 6ª Conferência de Marketing Imobiliário, no dia 27 de junho de 2011.

Publicada em: Negócios, Turismo
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.861
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
76
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra de Virgínia Duailibe na 6ª Conferência de Marketing Imobiliário

  1. 1. MERCADO IMOBILIÁRIOde ontem, hoje e amanhã.6ª Conferência de Marketing ImobiliárioSão Paulo - 2011
  2. 2. INTRODUÇÃOO Mercado Imobiliário no Brasil e no Mundo
  3. 3. • As empresas imobiliárias• Os corretores de imóveis• As entidades de classe• Processos e Procedimentos• A conquista do clienteASPECTOS ATEMPORAIS
  4. 4. • Principais mudanças que transformaram o setor: O subprime americano e seus efeitos no mundo A expansão do crédito no Brasil Mercado em fusão Programas Habitacionais Acomodação Economia Globalizada MERCADO EM TRANSFORMAÇÃO
  5. 5. RISCOS E OPORTUNIDADESLado a lado, no Mercado Imobiliário...
  6. 6. • Expansão do • Redes Sociais Crédito • Profissionais• Programas motivados Habitacionais • Demanda• Aumento da renda • Mercado em• Investimentos sintonia• Aquecimento do setorOPORTUNIDADES
  7. 7. • Inflação • Construtoras em• Inadimplência xeque• Mão-de-obra • Freio no ritmo de• Materiais de lançamentos construção • Problemas no Minha• Atrasos na entrega de Casa, Minha Vida obras • Retração da demanda• Oferta inadequadaRISCOS
  8. 8. • Pesquisa e Planejamento / Think Pad Público-alvo Produto Nicho de mercado• Marketing de lançamento: Qualidade e adequação das mídias• Comercialização: Informação / Linguagem dos benefíciosINTELIGÊNCIA DE MERCADO
  9. 9. • Clareza e relevância na proposta apresentada ao cliente • Confiabilidade da proposta entreguePercepção do • Introdução de melhorias na que é propostafundamental: • Inovação eficaz no atendimento • Apoio de organizações comprometidas com credibilidade, tecnologia, inovação e foco no segmento global • Análise permanente de feedbacks do mercadoCONSOLIDANDO VÍNCULOS COM O CLIENTE
  10. 10. Influência de: • Pessoas • Portais Imobiliários • Links Patrocionados Percepção do Cliente: O fantasma do Déja VuPESQUISARAIO-X DO MERCADO IMOBILIÁRIO
  11. 11. • Sites de empresas – regras fundamentais: Atualização contínua Oferecer as funcionalidades já disponíveis na web Respostas ágeis e manutenção do contato Navegação descomplicada, cada vez mais intuitiva Interatividade Beleza e IneditismoVENDA ONLINE
  12. 12. • Marketing de Relacionamento através das Redes Sociais Diminuição do tom corporativo entre empresa/cliente Manter relacionamento contínuo e observá-lo desenvolver-se Entender desejos e expectativas do cliente e posicionar-se nesse sentido Fazer das redes sociais via de mão dupla• Charlene Li The Groundswell / PyramideA IMPORTÂNCIA DAS REDES SOCIAIS
  13. 13. • O que deve se firmar em avanço tecnológico: Mobilidade com sofisticação de recursos Flyers tecnológicos (iPad Builders) Assistente Virtual para Stands de Vendas Interatividade em vídeos 3D (WI360) Geolocalização – novas utilizações (Google Rent)• O que deve evoluir em ações específicas: Construções colaborativas Incentivo (positivo) à indicação de novos clientesTECNOLOGIA & EFICÁCIA DE AÇÃO
  14. 14. Lançamentos | ComercializaçãoFinanciamentos | ProgramasESTATÍSTICAS NACIONAIS
  15. 15. • Estoque atual de crédito imobiliário representa 5,02% do PIB• China registra 12%, a África do Sul, 34%, USA e a Espanha, 60% de crédito sobre o PIB• Na velocidade dos créditos concedidos, o setor atingiu 62% dos recursos da caderneta, faltando apenas três pontos percentuais para atingir a margem• Empresas de crédito e poupança emprestarão R$ 85 bilhões para financiar cerca de 500 mil moradias, considerando-se só o dinheiro da poupança (Abecip)• Em uma década, o crédito imobiliário saiu de R$ 1,8 bilhão para R$ 56 bilhões de 2010• Se a poupança crescer menos do que os 18% estimados e o ritmo das concessões se mantiver na ordem de 60% em 12 meses, a poupança será insuficiente para atender a demanda já em 2012 CRÉDITO – DADOS GERAIS
  16. 16. • São Paulo: No período compreendido entre maio de 2010 e abril deste ano, os preços dos imóveis usados aumentaram 11,13%. Em 12 meses, o preço dos imóveis usados superou a inflação medida pelo IPCA/IBGE, que ficou em 6,51%. (Fonte: SecoviSP)• Rio de Janeiro: o preço de um apartamento de dois quartos em Copacabana aumentou 220% entre 2000 e 2009 (Fonte: SecoviRJ)• Brasília: o metro quadrado teve alta média anual de 25% desde 2005 (Fonte: AdemiDF)• Salvador: o preço do metro quadrado no bairro de Alphaville, subiu 54% desde 2007 (Fonte: AdemiBA)COMERCIALIZAÇÃO USADOS
  17. 17. Levantamento realizado pelo Secovi SP em abril de 2011LANÇAMENTOS - SP
  18. 18. • Nível de atividade efetivo do setor da construção em abril registrou 48,3 pontos, contra 49,5 pontos no mês anterior.• Pequenas empresas: 48,4 pontos (maior desaceleração)• Médias empresas: 49,7 pontos• Empresas de grande porte elevaram o ritmo de atividade: 52,4 pontos, um ponto a mais sobre março.• Razões para arrefecimento da demanda: • Contenção dos gastos públicos federais • No caso dos governos estaduais, redução da execução ou mesmo paralisação de vários empreendimentos, para reavaliação. • Aumento da inflação e dos juros e dificuldades de crédito PESQUISA CNI Sondagem da Construção Civil
  19. 19. • Capitalização das empresasFatores • Subsídios do governodecisivos para • Estabilidade e crescimento dao aquecimento economiado mercado • Oferta de crédito • Aumento da renda • Investimento externo • Legislação atualizadaMERCADO - FATORES
  20. 20. • Alta do preço dos terrenos • Valorização de açõesO aquecimento • Aumento da lucratividade dasdo mercado e empresas do setorseus efeitos na • Aumento dos custos: mão deeconomia obra, materiais e aluguel de máquinas • Aumento da distância dos novos imóveisMERCADO - EFEITOS
  21. 21. • Orla do Leblon, RJ – R$ 20 milAté onde os • Jardim Europa, SP – R$ 12,5 milpreços do • Setor Noroeste, DF – R$ 12 milmetro • Vila Nova Conceição, SP – R$ 9,5 milquadrado de • Av. Beira Mar N, Floripa – R$ 9 mil • Meirelles, Fortaleza – R$ 8 milárea útil • Clube Espanhol, Salvador – R$ 7,5 milpoderão • Battel Ecoville, Curitiba – R$ 4,5 milchegar? • Moinho de Vento, POA – R$ 3,5 mil Fontes: Cofeci, Secovi, Sinduscon, Creci, AdemiALTA DOS PREÇOS
  22. 22. INVESTIMENTOS ESTRANGEIROS - 2011 RANKING EMERGENTES• O Brasil foi citado pela primeira vez nessa pesquisa em 2009.• No ano passado, o mercado brasileiro ficou atrás do chinês entre os mercados emergentes, empatado com a Índia.• O Brasil superou a China na preferência dos investidores estrangeiros no setor imobiliário.• Na pesquisa, o Brasil apareceu como o mercado emergente mais AFIRE promissor de 2011 e o quarto lugar no ranking geral. Association of Foreign Investors in Real Estate
  23. 23. • Investimentos Imobiliários Estrangeiros• Mudanças Positivas no Produto Imobiliário - Sustentabilidade• Qualificação contínua dos agentes do mercado• Aprimoramento das ferramentas de Marketing Imobiliário• Adoção de tecnologia de ponta adequada à maior produtividade do setor• Integração cada vez maior entre as áreas de Construção, Planejamento, Marketing e VendasPERSPECTIVAS PARA O FUTURO
  24. 24. Objetivos do Programa: • Oferecer subsídio para a casa própria de famílias com renda de até dez salários mínimos • Conceder redução de impostos para a produção de imóveis destinados às faixas de menor renda.Dificuldades na execução: • Impacto perverso nos preços dos terrenos nas periferias das grandes cidades. • Inadimplência alta, pois boa parte dos moradores ganha apenas o benefício do Bolsa Família • Venda ilegal de dezenas de unidades • Má qualidade dos imóveis entregues  Risco de demissões para enquadramento no programaMINHA CASA, MINHA VIDA
  25. 25. • Prevê construção de 2 milhões de 4% em relação ao mesmo período unidades habitacionais. de 2010 (R$ 29,6 bilhões).• Serão investidos R$ 125,7 bilhões • A expectativa da Caixa é fechar entre 2011 e 2014. este ano com R$ 81 bilhões de• Desse total, R$ 72,6 bilhões são novas contratações de crédito para subsídios e R$ 53,1 bilhão habitacional. serão destinados a financiamentos. • No Feirão da Caixa - MCMV2• Tetos: renda familiar bruta até foram realizados cerca de R$ 9,43 R$ 1.600; até R$ 3.100; e até R$ bilhões em financiamentos, 5.400. destinados à construção de 128,5• O volume de novas contratações mil novas unidades residenciais, de crédito habitacional da Caixa, das quais a maioria se destina à até o dia 17 de junho, chegou a R$ faixa de renda de até seis salários 30,8 bilhões, um crescimento de MCMV – 2ª FASE
  26. 26. • A partir de agora, famílias de menor renda só poderão vender os imóveis adquiridos antes de dez anos se o valor total for quitado nesse período, incluindo o subsídio.• O programa também permitirá que mulheres chefes de família assinem contratos, independente do seu estado civil.• Na primeira fase do Minha Casa, Minha Vida, era preciso a assinatura do cônjuge - o que dificultava o acesso de mulheres ao programa.• A nova fase também prevê que todas as moradias tenham aquecimento solar. No primeiro programa, a exigência era apenas para 40 mil unidadesMCMV2 - MUDANÇAS
  27. 27. • Feirão Caixa da Casa Própria 2011 – 7ª edição Números:  Realizado em 13 grandes cidades brasileiras  Mais de 457 mil pessoas passaram pelo evento  Mais de 450 mil imóveis usados, novos e em construção à venda  Recorde de volume de negócios, com mais de R$ 10 bilhões em contratos  Em 2010, foram R$ 8,5 bilhões em contratos  Foram destinados 56% de todo o montante contratado no período para imóveis novos ( R$ 16,32 bilhões ) FINANCIAMENTOS
  28. 28. • Existe uma bolha imobiliária em formação? Cenário atual – preços altos Circunstâncias que levam à formação da bolha imobiliária Acendendo o sinal de alerta A mídia estrangeira opinaBOLHA IMOBILIÁRIA
  29. 29. Conclusão
  30. 30. Virgínia DuailibeMaria Virgínia Leal Ferreira Duailibe, advogada, analista de mercado imobiliário,sócia e diretora de planejamento, marketing e network da Imobiliária Ricardo Duailibee atual Presidente da Associação Brasileira de Mercado Imobiliário – ABMI.Contato:virginiaduailibe@ricardoduailibe.com.br | @v_duailibe (Twitter) | (5598) 8127.9234PALESTRANTE

×