O slideshow foi denunciado.

Aula 6 - Cardinalidade

1.141 visualizações

Publicada em

Aula 6 - Cardinalidade, disciplina Banco de Dados do curso Técnico de Informática da Anhanguera Pronatec

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Aula 6 - Cardinalidade

  1. 1. Técnico em Informática Organização de Computadores Aula 6 –CARDINALIDADE Prof. Vitor Hugo Melo Araújo
  2. 2. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO Acardinalidadeindicaquantosobjetos(instâncias)deumaentidade,podemserelacionarcomoutraentidadeatravésdeumrelacionamento. Nahoradefazeracardinalidadedeumrelacionamentodeumrelacionamentodeveserconsideradoascardinalidadesmínimasemáximas.
  3. 3. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO Cardinalidademínima:éonúmeromínimodeinstânciasdeumaentidadequedevemserelacionarcomumainstânciadeoutraentidade. Acardinalidademínimaéusadaparaindicarotipodeparticipaçãodaentidadeemumrelacionamentoesempreocupaaprimeiraposiçãodentrodoparêntesequerepresentaacardinalidade.
  4. 4. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO Estaparticipaçãonorelacionamentopodeser:
  5. 5. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO ParcialouOpcional:quandoumaocorrênciadaentidadepodeounãoparticipardedeterminadorelacionamento. Éindicadopelacardinalidademínima=0(zero) Total ou Obrigatória: quando todas as ocorrências de uma entidade devem participar de determinado relacionamento. É indicado pela cardinalidade mínima = 1 (um)
  6. 6. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO Nafiguraabaixo,podeexistiralgumprofessorqueédiretordaescola.Observerqueserdiretornaescolanãoéobrigatório,porissoatribuímosovalor0(zero), aorelacionamentodirige,noladoescola.Umaescolaobrigatoriamenteédirigidaporumprofessor.
  7. 7. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO Cardinalidademáxima:éonúmeromáximodeinstânciasdeumaentidadequepodemserelacionarcomumainstânciadeoutraentidade. Acardinalidademáximapodeassumirvalores1eN,eocupaasegundaposiçãodentrodoparêntesequedenotaacardinalidadedeumaentidadeemrelaçãoaoutra.
  8. 8. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO
  9. 9. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO Cardinalidade1:1(UmparaUm):Ocorrequandoumainstânciadeumaentidadepodeserelacionaraapenasumobjetodeoutraentidadeevice-versa. Porexemplo,nafiguraabaixo,umprofessorédiretordeumaescola,eumaescolasópodeserdirigidaporumprofessor.
  10. 10. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO Cardinalidade1:1(UmparaUm) Quandousartabelasumparaum(1:1)–Geralmentefazmaissentidodeixarseusdados1:1nasuatabelaprincipal,mas,àsvezes,háalgumasvantagensquevocêtemaopuxarestascolunasparaforadaprincipal. 1.Tirarestascolunaspermitequevocêescrevaconsultasmaisrápidas.Porexemplo,senamaioriadasvezesprecisarconsultaroCPFenãomuitooutrascoisas,vocêpoderiaconsultarapenasatabelapequena.
  11. 11. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO Cardinalidade1:1(UmparaUm) 2.Sevocêtemumacolunacontendovaloresqueaindanãoconhece,podeisolá-laeevitarvaloresNULLnasuatabelaprincipal. 3.Vocêpodequerertornaralgunsdadosmaisacessíveis.Isolando-os,permiteumacessorestritoatéeles.Porexemplo,vocêtemumatabeladefuncionáriosepodequererguardarainformaçãoacercadosalárioforadatabelaprincipal.
  12. 12. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO Cardinalidade1:N(UmparaMuitos):Ocorrequandoumainstânciadeumaentidadepodeserelacionarcommaisdeumobjetodeoutraentidade,masarecíprocanãoéverdadeira. Porexemplo,nafiguraabaixo,emumaescolapodemlecionarváriosprofessores,porémumprofessorsópodelecionaremumaescola.
  13. 13. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO Cardinalidade1:N(UmparaMuitos) Outro exemplo: A Profissões com meus contatos
  14. 14. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO Cardinalidade1:N(UmparaMuitos)
  15. 15. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO CardinalidadeN:N(MuitosparaMuitos):Ocorrequandoumainstânciadeumaentidadepodeserelacionarcommaisdeumobjetodeoutraentidadeeviceversa.Porexemplo,umprofessorpodelecionarmaisdeumadisciplina,assimcomoumadisciplinapodeserlecionadapormaisdeumprofessor.
  16. 16. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO CardinalidadeN:N(MuitosparaMuitos): Outro exemplo seria mulheres com pares de sapatos
  17. 17. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO Quandoqueremosdescobriracardinalidadedeumrelacionamentofazemosaseguintepergunta:“UmobjetodaminhaentidadeX,podeestaremumrelacionamentonomínimocomquantosobjetosdaminhaentidadeY?Enomáximo?
  18. 18. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO Vamosverificarorelacionamentocasamentodeumaentidadehomem,emulher.Fazemosentãoaperguntacitadaanteriormente: Umhomempodesercasadonomínimocomquantasmulheresnaoutraentidade?Enomáximo? Umamulherpodesercasadanomínimocomquatnsohomensnaoutraentidade?Enomáximo?
  19. 19. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO Exercício
  20. 20. CARDINALIDADE DE UM RELACIONAMENTO Resolução
  21. 21. GRAU DE UM RELACIONAMENTO Ograudeumrelacionamentoindicaquantasentidadesestãoenvolvidasemumrelacionamento.Epodeserclassificadoembinárioeternário.
  22. 22. GRAU DE UM RELACIONAMENTO ExemplodeBandodeDados
  23. 23. Relacionamentobinário:éaqueleemqueduasentidadesestãoligadasporumrelacionamento. Abaixoumexemploderelacionamentobinário,poisumprofessorestárelacionadoaumadisciplina. GRAU DE UM RELACIONAMENTO
  24. 24. Relacionamentoternário:équandoexistemtrêsentidadesenvolvidasemumrelacionamento.Digamosquequeremosacrescentarnanossamodelagemqueumprofessorlecionaumadisciplinaparaumaturma. Teríamosentãoqueassociarmaisumaentidadeaorelacionamento“leciona”. GRAU DE UM RELACIONAMENTO
  25. 25. Relacionamentoternário GRAU DE UM RELACIONAMENTO Relacionamentos maiores que ternários devem ser evitados, pois são difíceis de serem entendidos e de serem implementados tornando a relação bastante complexa.
  26. 26. Quandonãoépossíveldefinirumachaveprimária, nemsimplesenemcompostaparaumaentidade, temosumaentidadefraca.Aentidadefracaédependentedeoutraentidade,eorelacionamentoentreelaeoutraentidadeénormalmente1:N. Representamosumaentidadefracacomalinhaqueligaseurelacionamentoemnegrito. GRAU DE UM RELACIONAMENTO
  27. 27. Técnico em Informática Organização de Computadores Aula 6–CARDINALIDADE Prof. Vitor Hugo Melo Araújo

×