SlideShare uma empresa Scribd logo
Resumo Bíblico e Teológico.
Uma das grandes armas de Satanás é o extremismo das pessoas. Por
extremismo entende-se a negativa da existência de Satanás ou a
hipervalorizarão das ações do nosso inimigo, lhe atribuindo todos os
acontecimentos ruins na vida.
Satanás anteriormente foi um anjo bom que pecou e perdeu o seu privilégio de
servir a Deus. Iguais aos anjos, ele também é um ser espiritual criado com juízo
moral e com alta inteligência, mas sem corpo físico. Podemos definir os demônios
da seguinte e maneira: Os demônios são anjos maus que pecaram contra Deus e
que agora operam continuamente o mal no mundo
“Satanás” é o nome pessoal do cabeça dos demônios. Esse nome é mencionado em Jó 1.6, onde
“os anjos vieram apresentar-se ao SENHOR, e Satanás também veio com eles” (v. tb. Jó 1.7—2.7).
Aqui ele aparece como o inimigo do Senhor que traz severas provações para Jó . De modo
semelhante, ao final da vida de Davi, “Satanás levantou-se contra Israel e levou Davi a fazer um
recenseamento do povo” (1 Cr 21.1). Além disso, Zacarias teve uma visão do “sumo sacerdote
Josué diante do anjo do SENHOR, e Satanás, à sua direita, para acusá-lo” (Zc 3.1). O nome
“Satanás” é uma palavra hebraica (s ãtãn) que significa “adversário” . O NT também usa o nome
“Satanás”, tomando-o simplesmente do AT. Assim, Jesus, em sua tentação no deserto, fala a
Satanás diretamente, dizendo: “Retire-se, Satanás!” (Mt 4.10), ou “Eu vi Satanás caindo do céu
como relâmpago” (Lc 10.18).
A Bíblia usa também outros nomes para Satanás. Ele é chamado: “Diabo” (somente no NT: Mt 4.1;
13.39; 25.41; Ap 12.9; 20.2; etc.); ”serpente” (Gn 3.1,14; 2Co 11.3; Ap 12.9; 20.2); ”Belzebu” (Mt
10.25; 12.24,27; Lc 1 l.15); ”o príncipe deste mundo” (Jo 12.31; 14.30; 16.1 l), ”príncipe do poder
do ar” (Ef 2.2), ou “o Maligno” (Mt 13.19; 1Jo 2.13). Quando Jesus diz a Pedro: “Para trás de
mim, Satanás! Você é uma pedra de tropeço para mim, e não pensa nas coisas de Deus, mas nas
dos homens” (Mt 16.23), ele reconhece que a tentativa de Pedro de tentar preservá-lo do
sofrimento e da agonia da cruz é realmente uma tentativa de impedir Jesus de obedecer ao plano de
seu Pai. Jesus percebe que a oposição, em última instância, não vinha de Pedro, mas do próprio
Satanás.
Satanás significa “adversário” e diabo significa “opositor” e este é o grande
líder da rebelião que arrastou uma terça parte dos anjos de Deus para as
trevas, quando se rebelara contra Deus.
O nome mais conhecido do nosso inimigo é justamente o nome que não esta
na bíblia, Lúcifer (portador de luz). A crença ao nome Lúcifer se dá devida a
má tradução do vulgata latina, que traduziu Isaias 1412 (no hebraico Helel)
como Lúcifer e não como portador de luz.
Tertuliano, comentando sobre Isaías 14:12, disse:
“Isso deve significar o diabo…”. Orígenes, também, prontamente
identificou “Lúcifer” com Satanás.
O Paraíso Perdido de John Milton contribuiu para a disseminação
dessa noção errônea:
… Cidade e corte do infernal tirano, Que Lúcifer chamado foi
outrora Por se lhe assemelhar da tarde a estrela…
Disso surgiu a perversão popular do belo nome Lúcifer para
significar o Diabo
O melhor texto para entendermos a queda de Satanás é 1ª Timóteo 3.6
“Não seja neófito, para não suceder que se ensoberbeça e
incorra na condenação do diabo.”
Satanás foi o originador do pecado.
Satanás pecou antes de os seres humanos terem caído, como fica evidente no fato
de que ele (na forma de uma serpente) tentou Eva (Gn 3.1-6; 2Co 11.3). O NT
também nos informa que Satanás “foi homicida desde o princípio” e que ele é
”mentiroso e pai da mentira” (Jo 8.44). Ele diz igualmente que o Diabo “vem
pecando desde o princípio” (lJo 3.8). Em ambos os textos, a frase “desde o
princípio” não sugere que Satanás tenha sido mau desde o tempo em que Deus
começou a criar o mundo (“desde o princípio do mundo”) ou desde o começo de
sua existência (“do princípio de sua vida”), mas sim desde o começo da história do
mundo (Gn 3 e mesmo antes). A característica do Diabo tem sido a de originar o
pecado e a de induzir outros a pecar.
ESFERA DE ATUAÇÃO
Satanás é uma figura muito controvertida na Bíblia. A palavra “Satã” significa
em hebraico “acusador”, “opositor”. Aparece, pela primeira vez no livro de Jó,
sendo como um promotor celestial. A sua intimidade com Deus e o direito de
entrar no “Céu”, de ir e vir livremente e dialogar com Ele, torna-o uma figura de
muito destaque. Veja o livro de Jó 1:6 “Um dia em que os filhos de Deus se
apresentaram diante do Senhor, veio também Satanás entre eles”.
METODOS MALIGNOS
Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em
derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;
1 Pedro 5:8
A Bíblia explica pouco sobre a mecânica da tentação, no que diz respeito ao papel de
Satanás. Ela fala da realidade da tentação e sobre a influência maligna de Satanás, mas
não entra em detalhes do processo, especialmente no que diz respeito ao crente. Os
textos de Tiago (1.13-270, que são os que mais detalhadamente apresentam o modus
operandi da tentação, parecem ter sido destinados a reafirmar categoricamente (1) que a
origem do Mal não pode ser atribuída a Deus, (2) que existe pecaminosidade e
concupiscência nata e latente em cada pessoa e (3) que não existe desculpa às pessoas
quando elas caem em tentações, pois, seguindo a própria inclinação da carne, permitem
a transformação da tentação em pecado. Quer me parecer que se a intenção da doutrina
fosse estabelecer o papel de Satanás e sua penetração no íntimo do pensamento humano,
este seria o local para detalhar a sua atuação -- mas ela silencia e não deixa nem o
próprio Satanás ser mencionado e responsabilizado pela transformação da tentação em
pecado, lançando um chamado à nossa responsabilidade individual.
COMO VENCER O INIMIGO
Os grandes pais e mestres da Igreja sempre reconheceram que Cristo derrotou
definitivamente Satanás em Sua Primeira Vinda. Como S. Irineu disse: “A Palavra
de Deus, o Criador de todas as coisas, conquistando-o por meio da natureza humana,
e mostrando-lhe ser um apóstata, colocou-o sob o poder do homem. Pois Ele diz, ‘Eis
que vos dou poder para pisar serpentes e
escorpiões, e toda a força do inimigo’ (Lucas 10:19), para que, assim como ele obteve
poder sobre o homem pela apostasia, assim novamente sua apostasia possa ser
privada de poder por meio do homem retornando a Deus”.5
Santo Agostinho concordava: “O diabo foi conquistado pelo prêmio de sua vitória. O
diabo pulou de alegria quando seduziu o primeiro homem e lançou-lhe à morte. Ao
seduzir o primeiro homem, ele lhe assassinou; ao matar o último homem, ele perdeu
o primeiro [homem] da sua armadilha. A vitória do nosso Senhor Jesus Cristo
chegou quando ele ressuscitou, e ascendeu ao céu; então foi cumprido o que ouvis
quando o Apocalipse está sendo lido, ‘o Leão da tribo de Judá venceu’ (Ap. 5:5)… o
diabo pulou de alegria quando Cristo morreu; e pela própria morte de Cristo, o
diabo foi vencido: ele pegou, por assim dizer, a isca na ratoeira. Ele regozijou-se na
morte, pensando ser ele o comandante da morte. Mas aquilo que causou sua alegria
colocou a isca diante dele. A cruz foi a ratoeira do diabo: a isca que atraiu-lhe foi a
morte do
Senhor.”6
QUANDO CAÍMOS EM TENTAÇÃO?
• Quando negligenciamos as obrigações (os deveres) que Deus nos dá.
• Quando alimentamos o mal no coração.
• Quando permitimos que Satanás nos atraia, afastando-nos da comunhão.
• Quando deixamos de obedecer
Finalmente, fortaleçam-se no Senhor e no seu forte poder. Vistam toda
a armadura de Deus, para poderem ficar firmes contra as ciladas do
diabo, pois a nossa luta não é contra carne e sangue, mas contra
governos e autoridades, contra os poderes deste mundo de trevas e
contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais.
Portanto, vistam toda a armadura de Deus, para que possam resistir
quando o dia do mau chegar e permanecer firmes, depois de terem
feito tudo. Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da
verdade, com a couraça da justiça no lugar, e tendo os pés calçados
com a prontidão que vem do evangelho da paz. Além disso, usem o
escudo da fé, com o qual vocês poderão apagar todas as setas
inflamadas do Maligno. Tomem o capacete da salvação e a espada do
Espírito, que é a palavra de Deus.
Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica;
tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem em oração por
todos os santos. Orem também por mim, para que, quando eu falar,
seja-me dada a mensagem a fim de que, destemidamente, torne
conhecido o mistério do evangelho, pelo qual sou embaixador preso em
correntes. Orem para que, permanecendo nele, eu fale com coragem,
como me cumpre fazer.
Efésios 6:10-20
O verso 11 nos instrui a “vestirmos toda a armadura de Deus”, de forma que devemos
tomar cada peça da armadura que Deus nos deu, e não negligenciar nenhuma. Tendo
feito isto, devemos estar preparados para “ficarmos firmes contra as ciladas do
diabo”. Então, o verso 12 diz, “a nossa luta não é contra carne e sangue”, mas “
contra as forças espirituais do mal”. Devemos reconhecer a realidade dos poderes
demoníacos, que os espíritos do mal são reais. Debaixo da vontade soberana de Deus,
estes seres exercem poderes enganadores para cegar as pessoas da verdade da palavra
de Deus.
É através da graça soberana de Deus que somos iluminados com respeito à verdade e
capacitados a assentir a ela. Paulo explica, “Ninguém pode dizer: 'Jesus é Senhor', a
não ser pelo Espírito Santo” (1ª Corinthians 12:3). Deus remove nossa cegueira
espiritual e transmite suas verdades às nossas mentes através da Escritura.
Paulo continua no verso 13, “Portanto, vistam toda a armadura de Deus, para que possam
resistir quando o dia do mau chegar e permanecer firmes, depois de terem feito tudo”. Não
somente a armadura de Deus nos protege das “ciladas do diabo”, mas também nos capacita a
ficarmos firmes “quando o dia do mau chegar”. Isto é, quando cada peça da armadura que Deus
nos providenciou está intacta, então podemos enfrentar o inimigo no combate corpo-a-corpo
com confiança.
Consideraremos agora um exemplo de como Jesus empunhou a espada do Espírito contra o
diabo:
Então Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo Diabo. Depois de jejuar
quarenta dias e quarenta noites, teve fome. O tentador aproximou-se dele e disse: “Se és o
Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães”. Jesus respondeu: “Está
escrito: ‘Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de
Deus’”. Então o Diabo o levou à cidade santa, colocou-o na parte mais alta do templo e lhe
disse: “Se és o Filho de Deus, joga-te daqui para baixo. Pois está escrito: “ ‘Ele dará ordens a
seus anjos a seu respeito, e com as mãos eles o segurarão, para que você não tropece em
alguma pedra’”. Jesus lhe respondeu: “Também está escrito: ‘Não ponha à prova o Senhor, o
seu Deus’”.Depois, o Diabo o levou a um monte muito alto e mostrou-lhe todos os reinos do
mundo e o seu esplendor. E lhe disse: “Tudo isto te darei, se te prostrares e me adorares”.
Jesus lhe disse: “Retire-se, Satanás! Pois está escrito: ‘Adore o Senhor, o seu Deus, e só a ele
preste culto’”. Então o Diabo o deixou, e anjos vieram e o serviram.
(Mateus 4:1-11)
Jesus sela a derrota de Satanás com a correta aplicação da Escritura, e sai vitorioso
da tentação.
Alguém que empunha poderosamente a espada do Espírito é alguém que possui
considerável conhecimento teológico e excelente poderes de raciocínio. Por outro
lado, alguém que carece destes recursos espirituais pode nunca infligir muito dano
ao reino das trevas. Portanto, prestemos atenção às palavras do apóstolo Paulo, que
diz, “Seja diligente em apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem
do que se envergonhar e que maneja corretamente a palavra da verdade” (2
Timóteo 2:15, NASB).
FIM

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a O Inimigo das Nossas Almas Lição 21.pptx

Apostila 34
Apostila 34Apostila 34
Apostila 34
amaildo pereira
 
Apostila 34
Apostila 34Apostila 34
Apostila 34
Omar Gebara
 
Guerra espiritual
Guerra espiritualGuerra espiritual
Guerra espiritual
Marcello Mendanha
 
Guerra Espiritual
Guerra EspiritualGuerra Espiritual
Guerra Espiritual
Marcello Mendanha
 
Satanás e seu destino
Satanás e seu destinoSatanás e seu destino
Satanás e seu destino
Antonio Ferreira
 
Satanás e seu destino
Satanás e seu destinoSatanás e seu destino
Satanás e seu destino
antonio ferreira
 
Batalha Espiritual - Palestra Jovem
Batalha Espiritual - Palestra JovemBatalha Espiritual - Palestra Jovem
Batalha Espiritual - Palestra Jovem
Hubner Braz
 
Licao 3 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptx
Licao 3 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptxLicao 3 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptx
Licao 3 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptx
AndreLuizMontanheiro
 
2019 1trim - aula 3 - a natureza dos demonios-pdf
2019   1trim - aula 3 - a natureza dos demonios-pdf2019   1trim - aula 3 - a natureza dos demonios-pdf
2019 1trim - aula 3 - a natureza dos demonios-pdf
Marina de Morais
 
Lição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptx
Lição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptxLição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptx
Lição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptx
Celso Napoleon
 
2019 1trim - aula 3 - a natureza dos demonios
2019   1trim - aula 3 - a natureza dos demonios2019   1trim - aula 3 - a natureza dos demonios
2019 1trim - aula 3 - a natureza dos demonios
Marina de Morais
 
Os três campos de batalha parte 3 - NAS REGIÕES CELESTIAIS
Os três campos de batalha   parte 3 - NAS REGIÕES CELESTIAISOs três campos de batalha   parte 3 - NAS REGIÕES CELESTIAIS
Os três campos de batalha parte 3 - NAS REGIÕES CELESTIAIS
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiaisOs três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Lição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo Espiritual
Lição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo EspiritualLição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo Espiritual
Lição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo Espiritual
Éder Tomé
 
Batalha espiritual
Batalha espiritualBatalha espiritual
Batalha espiritual
Adriana Nacif
 
Escola Bíblica - Demonologia
Escola Bíblica - DemonologiaEscola Bíblica - Demonologia
Escola Bíblica - Demonologia
Alex Camargo
 
Principios elementares
Principios elementaresPrincipios elementares
Principios elementares
Walber Michellon
 
Arrogância.pdf
Arrogância.pdfArrogância.pdf
Arrogância.pdf
Pastor Robson Colaço
 
Celebraçao.pdf
Celebraçao.pdfCelebraçao.pdf
Celebraçao.pdf
GUMBALLWATTERSON1
 
006-Jornal Cesesul 04-05-14
006-Jornal Cesesul 04-05-14006-Jornal Cesesul 04-05-14
006-Jornal Cesesul 04-05-14
CESESUL
 

Semelhante a O Inimigo das Nossas Almas Lição 21.pptx (20)

Apostila 34
Apostila 34Apostila 34
Apostila 34
 
Apostila 34
Apostila 34Apostila 34
Apostila 34
 
Guerra espiritual
Guerra espiritualGuerra espiritual
Guerra espiritual
 
Guerra Espiritual
Guerra EspiritualGuerra Espiritual
Guerra Espiritual
 
Satanás e seu destino
Satanás e seu destinoSatanás e seu destino
Satanás e seu destino
 
Satanás e seu destino
Satanás e seu destinoSatanás e seu destino
Satanás e seu destino
 
Batalha Espiritual - Palestra Jovem
Batalha Espiritual - Palestra JovemBatalha Espiritual - Palestra Jovem
Batalha Espiritual - Palestra Jovem
 
Licao 3 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptx
Licao 3 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptxLicao 3 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptx
Licao 3 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptx
 
2019 1trim - aula 3 - a natureza dos demonios-pdf
2019   1trim - aula 3 - a natureza dos demonios-pdf2019   1trim - aula 3 - a natureza dos demonios-pdf
2019 1trim - aula 3 - a natureza dos demonios-pdf
 
Lição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptx
Lição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptxLição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptx
Lição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptx
 
2019 1trim - aula 3 - a natureza dos demonios
2019   1trim - aula 3 - a natureza dos demonios2019   1trim - aula 3 - a natureza dos demonios
2019 1trim - aula 3 - a natureza dos demonios
 
Os três campos de batalha parte 3 - NAS REGIÕES CELESTIAIS
Os três campos de batalha   parte 3 - NAS REGIÕES CELESTIAISOs três campos de batalha   parte 3 - NAS REGIÕES CELESTIAIS
Os três campos de batalha parte 3 - NAS REGIÕES CELESTIAIS
 
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiaisOs três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
 
Lição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo Espiritual
Lição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo EspiritualLição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo Espiritual
Lição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo Espiritual
 
Batalha espiritual
Batalha espiritualBatalha espiritual
Batalha espiritual
 
Escola Bíblica - Demonologia
Escola Bíblica - DemonologiaEscola Bíblica - Demonologia
Escola Bíblica - Demonologia
 
Principios elementares
Principios elementaresPrincipios elementares
Principios elementares
 
Arrogância.pdf
Arrogância.pdfArrogância.pdf
Arrogância.pdf
 
Celebraçao.pdf
Celebraçao.pdfCelebraçao.pdf
Celebraçao.pdf
 
006-Jornal Cesesul 04-05-14
006-Jornal Cesesul 04-05-14006-Jornal Cesesul 04-05-14
006-Jornal Cesesul 04-05-14
 

Mais de Samuel A. Nunes

A Doutrina da Providência - Parte 1.pptx
A Doutrina da Providência - Parte 1.pptxA Doutrina da Providência - Parte 1.pptx
A Doutrina da Providência - Parte 1.pptx
Samuel A. Nunes
 
Os Livros Apocrifos: Uma analise Teologi
Os Livros Apocrifos: Uma analise TeologiOs Livros Apocrifos: Uma analise Teologi
Os Livros Apocrifos: Uma analise Teologi
Samuel A. Nunes
 
A Necessidade da Morte de Cristo - Substituto de pecadores - lições 12 e 13...
A Necessidade da Morte de Cristo - Substituto de pecadores - lições 12 e 13...A Necessidade da Morte de Cristo - Substituto de pecadores - lições 12 e 13...
A Necessidade da Morte de Cristo - Substituto de pecadores - lições 12 e 13...
Samuel A. Nunes
 
Aula de Cristologia - A Pessoa de Cristo
Aula de Cristologia - A Pessoa de CristoAula de Cristologia - A Pessoa de Cristo
Aula de Cristologia - A Pessoa de Cristo
Samuel A. Nunes
 
A Igreja e Sua Organização.pptx
A Igreja e Sua Organização.pptxA Igreja e Sua Organização.pptx
A Igreja e Sua Organização.pptx
Samuel A. Nunes
 
Quíchua britannica escola
Quíchua   britannica escolaQuíchua   britannica escola
Quíchua britannica escola
Samuel A. Nunes
 

Mais de Samuel A. Nunes (6)

A Doutrina da Providência - Parte 1.pptx
A Doutrina da Providência - Parte 1.pptxA Doutrina da Providência - Parte 1.pptx
A Doutrina da Providência - Parte 1.pptx
 
Os Livros Apocrifos: Uma analise Teologi
Os Livros Apocrifos: Uma analise TeologiOs Livros Apocrifos: Uma analise Teologi
Os Livros Apocrifos: Uma analise Teologi
 
A Necessidade da Morte de Cristo - Substituto de pecadores - lições 12 e 13...
A Necessidade da Morte de Cristo - Substituto de pecadores - lições 12 e 13...A Necessidade da Morte de Cristo - Substituto de pecadores - lições 12 e 13...
A Necessidade da Morte de Cristo - Substituto de pecadores - lições 12 e 13...
 
Aula de Cristologia - A Pessoa de Cristo
Aula de Cristologia - A Pessoa de CristoAula de Cristologia - A Pessoa de Cristo
Aula de Cristologia - A Pessoa de Cristo
 
A Igreja e Sua Organização.pptx
A Igreja e Sua Organização.pptxA Igreja e Sua Organização.pptx
A Igreja e Sua Organização.pptx
 
Quíchua britannica escola
Quíchua   britannica escolaQuíchua   britannica escola
Quíchua britannica escola
 

O Inimigo das Nossas Almas Lição 21.pptx

  • 1.
  • 2. Resumo Bíblico e Teológico. Uma das grandes armas de Satanás é o extremismo das pessoas. Por extremismo entende-se a negativa da existência de Satanás ou a hipervalorizarão das ações do nosso inimigo, lhe atribuindo todos os acontecimentos ruins na vida. Satanás anteriormente foi um anjo bom que pecou e perdeu o seu privilégio de servir a Deus. Iguais aos anjos, ele também é um ser espiritual criado com juízo moral e com alta inteligência, mas sem corpo físico. Podemos definir os demônios da seguinte e maneira: Os demônios são anjos maus que pecaram contra Deus e que agora operam continuamente o mal no mundo
  • 3. “Satanás” é o nome pessoal do cabeça dos demônios. Esse nome é mencionado em Jó 1.6, onde “os anjos vieram apresentar-se ao SENHOR, e Satanás também veio com eles” (v. tb. Jó 1.7—2.7). Aqui ele aparece como o inimigo do Senhor que traz severas provações para Jó . De modo semelhante, ao final da vida de Davi, “Satanás levantou-se contra Israel e levou Davi a fazer um recenseamento do povo” (1 Cr 21.1). Além disso, Zacarias teve uma visão do “sumo sacerdote Josué diante do anjo do SENHOR, e Satanás, à sua direita, para acusá-lo” (Zc 3.1). O nome “Satanás” é uma palavra hebraica (s ãtãn) que significa “adversário” . O NT também usa o nome “Satanás”, tomando-o simplesmente do AT. Assim, Jesus, em sua tentação no deserto, fala a Satanás diretamente, dizendo: “Retire-se, Satanás!” (Mt 4.10), ou “Eu vi Satanás caindo do céu como relâmpago” (Lc 10.18). A Bíblia usa também outros nomes para Satanás. Ele é chamado: “Diabo” (somente no NT: Mt 4.1; 13.39; 25.41; Ap 12.9; 20.2; etc.); ”serpente” (Gn 3.1,14; 2Co 11.3; Ap 12.9; 20.2); ”Belzebu” (Mt 10.25; 12.24,27; Lc 1 l.15); ”o príncipe deste mundo” (Jo 12.31; 14.30; 16.1 l), ”príncipe do poder do ar” (Ef 2.2), ou “o Maligno” (Mt 13.19; 1Jo 2.13). Quando Jesus diz a Pedro: “Para trás de mim, Satanás! Você é uma pedra de tropeço para mim, e não pensa nas coisas de Deus, mas nas dos homens” (Mt 16.23), ele reconhece que a tentativa de Pedro de tentar preservá-lo do sofrimento e da agonia da cruz é realmente uma tentativa de impedir Jesus de obedecer ao plano de seu Pai. Jesus percebe que a oposição, em última instância, não vinha de Pedro, mas do próprio Satanás.
  • 4. Satanás significa “adversário” e diabo significa “opositor” e este é o grande líder da rebelião que arrastou uma terça parte dos anjos de Deus para as trevas, quando se rebelara contra Deus. O nome mais conhecido do nosso inimigo é justamente o nome que não esta na bíblia, Lúcifer (portador de luz). A crença ao nome Lúcifer se dá devida a má tradução do vulgata latina, que traduziu Isaias 1412 (no hebraico Helel) como Lúcifer e não como portador de luz. Tertuliano, comentando sobre Isaías 14:12, disse: “Isso deve significar o diabo…”. Orígenes, também, prontamente identificou “Lúcifer” com Satanás. O Paraíso Perdido de John Milton contribuiu para a disseminação dessa noção errônea: … Cidade e corte do infernal tirano, Que Lúcifer chamado foi outrora Por se lhe assemelhar da tarde a estrela… Disso surgiu a perversão popular do belo nome Lúcifer para significar o Diabo
  • 5. O melhor texto para entendermos a queda de Satanás é 1ª Timóteo 3.6 “Não seja neófito, para não suceder que se ensoberbeça e incorra na condenação do diabo.” Satanás foi o originador do pecado. Satanás pecou antes de os seres humanos terem caído, como fica evidente no fato de que ele (na forma de uma serpente) tentou Eva (Gn 3.1-6; 2Co 11.3). O NT também nos informa que Satanás “foi homicida desde o princípio” e que ele é ”mentiroso e pai da mentira” (Jo 8.44). Ele diz igualmente que o Diabo “vem pecando desde o princípio” (lJo 3.8). Em ambos os textos, a frase “desde o princípio” não sugere que Satanás tenha sido mau desde o tempo em que Deus começou a criar o mundo (“desde o princípio do mundo”) ou desde o começo de sua existência (“do princípio de sua vida”), mas sim desde o começo da história do mundo (Gn 3 e mesmo antes). A característica do Diabo tem sido a de originar o pecado e a de induzir outros a pecar.
  • 6. ESFERA DE ATUAÇÃO Satanás é uma figura muito controvertida na Bíblia. A palavra “Satã” significa em hebraico “acusador”, “opositor”. Aparece, pela primeira vez no livro de Jó, sendo como um promotor celestial. A sua intimidade com Deus e o direito de entrar no “Céu”, de ir e vir livremente e dialogar com Ele, torna-o uma figura de muito destaque. Veja o livro de Jó 1:6 “Um dia em que os filhos de Deus se apresentaram diante do Senhor, veio também Satanás entre eles”.
  • 7. METODOS MALIGNOS Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; 1 Pedro 5:8 A Bíblia explica pouco sobre a mecânica da tentação, no que diz respeito ao papel de Satanás. Ela fala da realidade da tentação e sobre a influência maligna de Satanás, mas não entra em detalhes do processo, especialmente no que diz respeito ao crente. Os textos de Tiago (1.13-270, que são os que mais detalhadamente apresentam o modus operandi da tentação, parecem ter sido destinados a reafirmar categoricamente (1) que a origem do Mal não pode ser atribuída a Deus, (2) que existe pecaminosidade e concupiscência nata e latente em cada pessoa e (3) que não existe desculpa às pessoas quando elas caem em tentações, pois, seguindo a própria inclinação da carne, permitem a transformação da tentação em pecado. Quer me parecer que se a intenção da doutrina fosse estabelecer o papel de Satanás e sua penetração no íntimo do pensamento humano, este seria o local para detalhar a sua atuação -- mas ela silencia e não deixa nem o próprio Satanás ser mencionado e responsabilizado pela transformação da tentação em pecado, lançando um chamado à nossa responsabilidade individual.
  • 8. COMO VENCER O INIMIGO Os grandes pais e mestres da Igreja sempre reconheceram que Cristo derrotou definitivamente Satanás em Sua Primeira Vinda. Como S. Irineu disse: “A Palavra de Deus, o Criador de todas as coisas, conquistando-o por meio da natureza humana, e mostrando-lhe ser um apóstata, colocou-o sob o poder do homem. Pois Ele diz, ‘Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo’ (Lucas 10:19), para que, assim como ele obteve poder sobre o homem pela apostasia, assim novamente sua apostasia possa ser privada de poder por meio do homem retornando a Deus”.5 Santo Agostinho concordava: “O diabo foi conquistado pelo prêmio de sua vitória. O diabo pulou de alegria quando seduziu o primeiro homem e lançou-lhe à morte. Ao seduzir o primeiro homem, ele lhe assassinou; ao matar o último homem, ele perdeu o primeiro [homem] da sua armadilha. A vitória do nosso Senhor Jesus Cristo chegou quando ele ressuscitou, e ascendeu ao céu; então foi cumprido o que ouvis quando o Apocalipse está sendo lido, ‘o Leão da tribo de Judá venceu’ (Ap. 5:5)… o diabo pulou de alegria quando Cristo morreu; e pela própria morte de Cristo, o diabo foi vencido: ele pegou, por assim dizer, a isca na ratoeira. Ele regozijou-se na morte, pensando ser ele o comandante da morte. Mas aquilo que causou sua alegria colocou a isca diante dele. A cruz foi a ratoeira do diabo: a isca que atraiu-lhe foi a morte do Senhor.”6
  • 9. QUANDO CAÍMOS EM TENTAÇÃO? • Quando negligenciamos as obrigações (os deveres) que Deus nos dá. • Quando alimentamos o mal no coração. • Quando permitimos que Satanás nos atraia, afastando-nos da comunhão. • Quando deixamos de obedecer
  • 10. Finalmente, fortaleçam-se no Senhor e no seu forte poder. Vistam toda a armadura de Deus, para poderem ficar firmes contra as ciladas do diabo, pois a nossa luta não é contra carne e sangue, mas contra governos e autoridades, contra os poderes deste mundo de trevas e contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais. Portanto, vistam toda a armadura de Deus, para que possam resistir quando o dia do mau chegar e permanecer firmes, depois de terem feito tudo. Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da verdade, com a couraça da justiça no lugar, e tendo os pés calçados com a prontidão que vem do evangelho da paz. Além disso, usem o escudo da fé, com o qual vocês poderão apagar todas as setas inflamadas do Maligno. Tomem o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus. Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem em oração por todos os santos. Orem também por mim, para que, quando eu falar, seja-me dada a mensagem a fim de que, destemidamente, torne conhecido o mistério do evangelho, pelo qual sou embaixador preso em correntes. Orem para que, permanecendo nele, eu fale com coragem, como me cumpre fazer. Efésios 6:10-20
  • 11. O verso 11 nos instrui a “vestirmos toda a armadura de Deus”, de forma que devemos tomar cada peça da armadura que Deus nos deu, e não negligenciar nenhuma. Tendo feito isto, devemos estar preparados para “ficarmos firmes contra as ciladas do diabo”. Então, o verso 12 diz, “a nossa luta não é contra carne e sangue”, mas “ contra as forças espirituais do mal”. Devemos reconhecer a realidade dos poderes demoníacos, que os espíritos do mal são reais. Debaixo da vontade soberana de Deus, estes seres exercem poderes enganadores para cegar as pessoas da verdade da palavra de Deus. É através da graça soberana de Deus que somos iluminados com respeito à verdade e capacitados a assentir a ela. Paulo explica, “Ninguém pode dizer: 'Jesus é Senhor', a não ser pelo Espírito Santo” (1ª Corinthians 12:3). Deus remove nossa cegueira espiritual e transmite suas verdades às nossas mentes através da Escritura.
  • 12. Paulo continua no verso 13, “Portanto, vistam toda a armadura de Deus, para que possam resistir quando o dia do mau chegar e permanecer firmes, depois de terem feito tudo”. Não somente a armadura de Deus nos protege das “ciladas do diabo”, mas também nos capacita a ficarmos firmes “quando o dia do mau chegar”. Isto é, quando cada peça da armadura que Deus nos providenciou está intacta, então podemos enfrentar o inimigo no combate corpo-a-corpo com confiança. Consideraremos agora um exemplo de como Jesus empunhou a espada do Espírito contra o diabo: Então Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo Diabo. Depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome. O tentador aproximou-se dele e disse: “Se és o Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães”. Jesus respondeu: “Está escrito: ‘Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus’”. Então o Diabo o levou à cidade santa, colocou-o na parte mais alta do templo e lhe disse: “Se és o Filho de Deus, joga-te daqui para baixo. Pois está escrito: “ ‘Ele dará ordens a seus anjos a seu respeito, e com as mãos eles o segurarão, para que você não tropece em alguma pedra’”. Jesus lhe respondeu: “Também está escrito: ‘Não ponha à prova o Senhor, o seu Deus’”.Depois, o Diabo o levou a um monte muito alto e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e o seu esplendor. E lhe disse: “Tudo isto te darei, se te prostrares e me adorares”. Jesus lhe disse: “Retire-se, Satanás! Pois está escrito: ‘Adore o Senhor, o seu Deus, e só a ele preste culto’”. Então o Diabo o deixou, e anjos vieram e o serviram. (Mateus 4:1-11)
  • 13. Jesus sela a derrota de Satanás com a correta aplicação da Escritura, e sai vitorioso da tentação. Alguém que empunha poderosamente a espada do Espírito é alguém que possui considerável conhecimento teológico e excelente poderes de raciocínio. Por outro lado, alguém que carece destes recursos espirituais pode nunca infligir muito dano ao reino das trevas. Portanto, prestemos atenção às palavras do apóstolo Paulo, que diz, “Seja diligente em apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar e que maneja corretamente a palavra da verdade” (2 Timóteo 2:15, NASB). FIM