SlideShare uma empresa Scribd logo
Mamíferos
Os mamíferos (do latim científico Mammalia) constituem uma classe de
animais vertebrados, que se caracterizam pela presença de glândulas
mamárias que, nas fêmeas, produzem leite para alimentação dos filhotes (
ou crias ), e a presença de pêlos ou cabelos. São animais endotérmicos(com
exceção do rato-teoupeira-pelado) , (ou seja, de temperatura
constante, também conhecidos como "animais de sangue quente"). Océrebro
controla a temperatura corporal e o sistema circulatório, incluindo
o coração (com quatro câmaras). Os mamíferos incluem 5 416 espécies
(incluindo os seres humanos), distribuídas em aproximadamente 1 200
gêneros, 152 famílias e até 46 ordens, de acordo com o compêndio
publicado por Wilson e Reeder (2005). Entretanto novas espécies são
descobertas a cada ano, aumentando esse número; e até o final de 2007, o
número chegava a 5 558 espécies de mamíferos.
Muitas das características comuns aos mamíferos não aparecem nos outros
animais. Algumas delas, porém, podem ser observadas nas aves – uma alta
taxa metabólica e níveis de atividade ou complexidade de adaptações, como
cuidado pós-natal avançado e vida social, aumento da capacidade sensorial,
ou enorme versatilidade ecológica. Tais características semelhantes nas
duas classes sugerem que tais adaptações são homoplasias, ou seja, se
desenvolveram independentemente em ambos os grupos.
Outras características mamalianas são sinapomorfias dos amniotas,
adaptações partilhadas por causa do ancestral comum. Os amniotas, grupo
que inclui répteis, aves e mamíferos, são vertebrados terrestres cujo
desenvolvimento embrionário acontece sobre proteção de membranas fetais
(âmnio, cório e alantóide). Entres as características herdadas se encontram
aumento do investimento no cuidado das crias, fertilização interna, derivados
queratinizados da pele, rins metanefros com ureter específico, respiração
pulmonar avançada, e o papel decisivo dos ossos dérmicos na morfologia
do crânio. Ao mesmo tempo, os mamíferos compartilham grande número de
características com todos os demais vertebrados, incluindo o plano
corpóreo, esqueleto interno, e mecanismos homeostáticos (incluindo
caminhos para regulação neural e hormonal).
Os mamíferos exibem também características exclusivas, chamadas
de autapomorfias. Essas características únicas servem para distinguir e
diagnosticar claramente um táxon.
Ma
mm
ali
afo
rm
es
Adelobasileus
voi
d
Sinoconodon
voi
d
Morganucodon
voi
d
Docodonta
voi
d
––Hadrocodium
––Mammalia
História evolutiva
Os mamíferos são os atuais descendentes dos sinapsídeos, o primeiro grupo
bem estabelecido de amniotas que surgiu no Carbonífero Superior. Os
sinapsídeos apresentavam várias características mamíferas, notadamente a
existência de uma única fossa temporal de cada lado do crânio e a
diferenciação de dentes molares, mas no essencial, a sua anatomia manteve-
se tipicamente reptiliana, com membro transversais, coanas e uma pequena
cavidade neurocraniana.
Cynognathus, um cinodonte do Triássico
A classe Sinapsida compreendia duas ordens: a Pelicosauria, um grupo mais
primitivo; e a Therapsida, chamada também de répteis mamalianos evoluídos,
que representam a transição para os verdadeiros mamíferos. Dentro da última,
encontram-se os cinodontes, grupo que serviu de transição entre os répteis e
os mamíferos. Nos cinodontes observam-se vários traços mamalianos, como a
fossa temporal aumentada, o número de ossos que forma a parte superior do
crânio é reduzido, diferencia-se o palato secundário, a parede do neurocrânio
modifica a sua organização, e os dentes tornam-se cada vez mais complexos e
especializados.
Os primeiros mamíferos, ou mamaliformes como são tipicamente conhecidos,
apareceram no período Triássico. Durante todo o restante da era Mesozóica,
estes primitivos mamíferos, conhecidos em sua maioria por poucos esqueletos
e de considerável número de crânios, mandíbulas e dentes, foram animais de
tamanho diminuto e ecologicamente insignificantes. Entretanto, sua
contribuição foi especialmente importante para a evolução, pois foi durante o
final do Jurássico e início do Cretáceo que estes animais estabeleceram as
características básicas mamíferas que levaram a uma tremenda variedade de
formas que viveram durante a era Cenozóica.
Houve dois grandes períodos de diversificação dos mamíferos durante a era
Mesozóica. O primeiro, englobando o final do Triássico e o Jurássico e
estendendo-se pelo Cretáceo Inferior, produziu formas de transição do estágio
reptiliano para o mamífero, conhecidas como mamaliformes, que em sua
maioria, não sobreviveu além da era Mesozóica. A segunda radiação, a qual
ocorreu no Cretáceo Médio, foi composta de mamíferos mais derivados, ou
seja os verdadeiros mamíferos, incluindo os primeiros térios.
Os marsupiais (latim científico: Marsupialia) constituem uma infraclasse
de mamíferos, cuja principal diferença com os placentários, é a presença, na
fêmea, de uma bolsa abdominal, conhecida como marsúpio , onde se
processa grande parte do desenvolvimento dos filhotes. Outras diferenças
morfológicas, principalmente reprodutivas, entre elas a presença de duas
vaginas na fêmea, e um pênis bifurcado nos machos, estão presentes.
Os marsupiais não são antepassados dos placentários. Ambos os grupos
surgiram no Cretáceo e desde então competem pelos mesmos nichos
ecológicos. Atualmente vivem na região Australiana e nas Américas cerca de
320 espécies de marsupiais, que correspondem por aproximadamente 6% de
todas as espécies de mamíferos.
Taxonomicamente, o termo Metatheria, proposto por Huxley em 1880, é
considerado sinônimo do táxon Marsupialia, proposto por Illiger em 1811
(McKenna e Bell 1997). Entretanto, alguns autores consideram o
termo Metatheria mais abrangente, por incluir muitos dos marsupiais
primitivos. Embora haja inúmeras diferenças entre os marsupiais e
os placentários quanto à sua biologia reprodutiva, há algumas distinções na
sua anatomia.
Os marsupiais também diferem dos placentários em sua fórmula dentária.
Mesmo entre os marsupiais a fórmula dentária varia consideravelmente, mas
basicamente o número de incisivos na maxila superior é diferente do número
presente na maxila inferior, exceto na família Vombatidae.
Os marsupiais exibem vasta formação de comportamentos em conseqüências
de sua evolução para preencher a variedade de nichos ecológicospresentes
nos continentes americano e australiano. Sendo assim, uma generalização de
seus hábitos se torna difícil. Marsupiais podem
ser arbóreos,terrestres, fossoriais e ao menos algumas espécies são semi-
aquáticas. Quanto aos padrões de locomoção, podem
incluir: andar, escalar, cavar,correr ou nadar. Os marsupiais não
desenvolveram o processo do vôo, entretanto, uma espécie é planadora.
Quanto ao padrão de atividades, também existe variedade, podendo
ser diurnos, noturnos ou crepusculares. Algumas espécies hibernam, mas
muitas permanecem ativas o ano inteiro. Alguns são sociais, enquanto outros
são solitários.
Os hábitos alimentares são também sortidos, podendo
ser herbívoros, carnívoros, insetívoros, onívoros e nectarívoros.
Eutheria é um grupo de mamíferos que abrange os placentálios e todos
os mamíferos extintos mais aparentados aos placentálios do que
aosmarsupiais.
São mamíferos vivíparos com placentas bem desenvolvida, o que garante o
completo desenvolvimento do novo indivíduo, dentro do organismo. Em outras
palavras, os indivíduos dessa infraclasse investem mais energia da
reprodução, pois são capazes de manter seus filhotes por mais tempo no
interior do útero.
Os Eutheria, além de possuírem placenta e útero possuem duas aberturas,
sendo uma destinada para o produto do sistema digestório e, a outra, para o
produto do sistema excretor e do reprodutor. Os eutérios constituem o maior
grupo de mamíferos. São divididas em diversas ordens
Homeotermia , termo antigo, ou endotermia, termo atualmente correto, é
uma característica de alguns animais que lhes permite manter sua
temperatura corporal relativamente constante à causa de uma alta
taxa matabólica gerada pela intensa combustão de alimento energético
nas células.
Apenas as aves e os mamíferos, considerados animais endotérmicos ou
de sangue quente, vulgarmente falando, têm esta capacidade.
A endotermia é mantida através da homeostase térmica, que é conseguida
através do controle das suas taxas metabólicas. Um animal endotérmico
consegue manter a temperatura do seu corpo mais ou menos constante a um
nível que pode ser distinto da temperatura do ambiente que o rodeia. Este
processo pode envolver não só a capacidade de gerar calor mas também a
capacidade de arrefecer essa temperatura se necessário.
Diversos mecanismos podem atuar na regulagem da temperatura do corpo,
como tremores (para gerar calor a partir de contrações
musculares), palidez (a circulação sanguínea se altera para direcionar menos
calor para a pele, perdendo menos calor para o ambiente), ou o seu oposto,
a ruborização (a circulação sanguínea se altera para irradiar mais calor
através da pele), ofegância ou suor (para perder calor através da
evaporação).
Anatomia e Fisiologia
Sistema Tegumentário
Pele apresenta pêlos e glândulas (mamárias,sebáceas e sudoríparas), além
de alguns anexos como : chifres,garras,cascos,espinhos,etc.
Os pêlos tem origem na derme,seu tamanho,cor e distribuição variam
bastante.
O pêlos desempenham papel primordial na camuflagem.
Outra função importante é auxiliar na termorregulação.
Há diversos tipos de formação tegumentária adaptativa ;
-Os pangolins e tatus tem o corpo revestido por um conjunto de escamas
cómeias em forma de armadura.
Os cacos dos ungulados para corridas.
Chifres e galhadas: chifres fibroso e permanente do rinoceronte e as
formações tecidos conjuntivos dos veados,que caem e se renovam todos os
combustão de alimento energético nas células.
Apenas as aves e os mamíferos,
Glândulas Odoríferas :
Estas ultimamente variam em sua localização nas diferentes
espécies;
Nos veados,encontram-se nos olhos.
Nos porcos e javalis,nos cacos.
Em muitos roedores,em órgãos genitais.
Nos castores e gambás,pertos do ânus.
Marcação de territórios,a comunicação de com outros membro da
espécie,a atração sexual e a defesa.
Mecanismos termorreguladores :
Tremor.
Sudorese ou secreção de soluções salinas. (Não se registra em alguns
mamíferos)
Vasoconstrição
Vasodilatação
Outros dilatações
Outros mecanismos,hibernação,estivação,letargia,as migração construção de
abrigos tocas.
Sistemas Digestório
Na boca,a língua,tipos de dentes e enzimas presentes na salivas
iniciam o processo digestório.
Os monotremos possuem cloaca,os demais possuem no ânus.
Diferentes tipos de dietas impõem diferentes digestório .
Herbívoros; ruminantes ceco funcional.
Dentição :
Baleias: Uma série de barbatanas ou lâminas especializadas na
filtragem do plâncton.
Carnívoros : Incisivos e caninos de grande porte e poderosos
molares providos de uma proeminência.
Herbívoros : Molares e pré-molares com amplas superfícies de
mastigação.
Duas dentições : A decíduas e a permanente,exceções :
Ornitorrincos,preguiças e cachalotes.
Sistema Urinário :
Urotélicos: A vesícula urinária tem função de armazenamento de urina
efetivamente,diferentemente dos répteis .
Sistema Respiratório :
Respiração Pulmonar :
Ar,
Fossas nasais ,
Faringe,
Laringe,
Traquéia,
Brônquios,
Bronquíolos,
Alvéolos Pulmonares
Sistema Circulatório :
A circulação é fechada,dupla e completa.
As células sanguíneas responsáveis pela condução dos gases são as
hemácias. Persiste apenas o arco aórtico esquerdo .
Sistema Nervoso :
Muito desenvolvido, elevada capacidade para o aprendizado;
Destaca-se a evolução do encéfalo, com dois
hemisférios subdividos em lobos.
Ordens Carnívora e Primates o período de
convivência com os pais é de aprendizagem,
Os cinco sentidos clássicos, visão, olfação, tato,
paladar e audição são mais eficientes.
Órgãos e sentidos:
Ouvido interno, médio e externo, este com pavilhão
auditivo (orelha).
Olhos, em muitas espécies, com visão de cores. Possuem o olfato.
Paladar bem desenvolvidos e, ainda, a superfície do corpo
com inúmeras estruturas sensoriais.
Ecolocalização : Mamíferos marinhos;
Quirópteros ;
Órgãos e sentidos:
Ecolocalização:
Morcegos não são cegos,
“Eco-localização”: emissão de sons, geralmente
inaudíveis para os humanos, que encontram o
objeto e retornam como um eco para os ouvidos do morcego.
Esse "sonar" parece é produzido por pulsações do nariz e da boca.
Informações sobre tamanho, forma, tipo e direção de vôo da presa.
Sistema Esquelético :
Aumento da capacidade do crânio correlacionada com o
maior tamanho do encéfalo;
Crânio com dois côndilos occipitais articulados com o Atlas.
A coluna vertebral se compõe de cinco regiões:
-Cervical,
-Torácica,
-Lombar
-Sacra,
-Cauda
Há variações: número de vértebras e de costelas, forma e
número dos ossos dos dedos;
Os dentes são inseridos nos ossos maxilares, pré-maxilares
e na mandíbula, que se articula com o escamosal, e não com o quadrado;
Marsupiais: epipúbis (na cintura pélvica), ossos exclusivos
desse grupo, que servem para sustentar o marsúpio.
Há variações: número de vértebras e de costelas, forma e
número dos ossos dos dedos;
Os dentes são inseridos nos ossos maxilares, pré-maxilares
e na mandíbula, que se articula com o escamosal, e não com o quadrado;
Marsupiais: epipúbis (na cintura pélvica), ossos exclusivos
desse grupo, que servem para sustentar o marsúpio.
Variações no ponto distal das extremidades;
Primatas e os ursos são plantígrados;
Canídeos,felídeos e vários outros são digitígrados;
Herbívoros são ungulígrados e apresentam redução no número de dedos.
Morcegos: dedos das extremidades anteriores
alongados e presença do patágio;
Cetáceos,sirênios e os pinípedes têm as
extremidades anteriores em forma de nadadeiras e perderam as posteriores.
Sistema Reprodutor :
A fecundação é interna com formação de uma placenta
com cordão umbilical.
Nos marsupiais, as crias nascem prematuras;
Os monotremos (ornitorrinco e équidna) reproduzem-se por ovos.
Os machos apresentam um órgão copulador (pênis) e dois
testículos protegidos por uma bolsa escrotal;
As fêmeas têm dois ovários e passam por um estro
periódico (cio).
Prototérios ou mamíferos ovíparos :
A subclasse dos mamíferos prototérios, a mais arcaica, é constituída por uma
única ordem, a dos monotremados, de que fazem parte o eqüidna e o
ornitorrinco, um singular animal aquático da Austrália que possui bico plano,
cauda semelhante à do castor e patas curtas e fortes. Os monotremados
caracterizam-se por ter uma cloaca em que desembocam tanto o tubo
digestivo como as vias urinárias e os condutos genitais.
GRUPO:
• Larissa
• Sávia
• Jair
• Kaio
• Marcel
• Leonardo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula sobre mamíferos
Aula sobre mamíferosAula sobre mamíferos
Aula sobre mamíferos
Gracieli Henicka
 
Biologia - A evolução dos mamíferos
Biologia - A evolução dos mamíferos Biologia - A evolução dos mamíferos
Biologia - A evolução dos mamíferos
GabriellyEsser
 
7º ano cap 23 mamíferos
7º ano cap 23  mamíferos7º ano cap 23  mamíferos
7º ano cap 23 mamíferos
ISJ
 
Mamíferos
MamíferosMamíferos
Mamíferos
Miguel De Lima
 
Mamíferos
Mamíferos Mamíferos
Mamíferos
ThaisRocha05
 
Mamíferos e suas demais classificações
Mamíferos e suas demais classificaçõesMamíferos e suas demais classificações
Mamíferos e suas demais classificações
Vinicius Husein
 
Mamíferos
MamíferosMamíferos
Mamíferos
Lais Pereira
 
Mamiferos
MamiferosMamiferos
Mamiferos
DANY VIEIRA
 
Mamíferos
Mamíferos  Mamíferos
Mamíferos
Clézio Nunes
 
Aula 11 mamíferos evolução e caracteristicas gerais
Aula 11   mamíferos evolução e caracteristicas geraisAula 11   mamíferos evolução e caracteristicas gerais
Aula 11 mamíferos evolução e caracteristicas gerais
Hélio Dos Santos
 
Apresentação sobre mamíferos.
Apresentação sobre  mamíferos.Apresentação sobre  mamíferos.
Apresentação sobre mamíferos.
Victor Ygor
 
PPs sobre Mamíferos- 6B
PPs sobre Mamíferos- 6BPPs sobre Mamíferos- 6B
PPs sobre Mamíferos- 6B
gracielabtonin
 
Vertebrados - Synapsida - Mamíferos
Vertebrados - Synapsida - MamíferosVertebrados - Synapsida - Mamíferos
Vertebrados - Synapsida - Mamíferos
Juliano van Melis
 
Animais mamiferos
Animais mamiferosAnimais mamiferos
Animais mamiferos
bcmicro5
 
Mamíferos 2º ano
Mamíferos 2º anoMamíferos 2º ano
Mamíferos 2º ano
Marcos Santos
 
Phototheria
PhototheriaPhototheria
Phototheria
Marisol Carneiro
 
Apresentaomamferoseatividadesonline 121112180336-phpapp01
Apresentaomamferoseatividadesonline 121112180336-phpapp01Apresentaomamferoseatividadesonline 121112180336-phpapp01
Apresentaomamferoseatividadesonline 121112180336-phpapp01
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Mamíferos
MamíferosMamíferos
Animais mamíferos
Animais mamíferosAnimais mamíferos
Animais mamíferos
bcmicro5
 
Mamiferos
MamiferosMamiferos
Mamiferos
letyap
 

Mais procurados (20)

Aula sobre mamíferos
Aula sobre mamíferosAula sobre mamíferos
Aula sobre mamíferos
 
Biologia - A evolução dos mamíferos
Biologia - A evolução dos mamíferos Biologia - A evolução dos mamíferos
Biologia - A evolução dos mamíferos
 
7º ano cap 23 mamíferos
7º ano cap 23  mamíferos7º ano cap 23  mamíferos
7º ano cap 23 mamíferos
 
Mamíferos
MamíferosMamíferos
Mamíferos
 
Mamíferos
Mamíferos Mamíferos
Mamíferos
 
Mamíferos e suas demais classificações
Mamíferos e suas demais classificaçõesMamíferos e suas demais classificações
Mamíferos e suas demais classificações
 
Mamíferos
MamíferosMamíferos
Mamíferos
 
Mamiferos
MamiferosMamiferos
Mamiferos
 
Mamíferos
Mamíferos  Mamíferos
Mamíferos
 
Aula 11 mamíferos evolução e caracteristicas gerais
Aula 11   mamíferos evolução e caracteristicas geraisAula 11   mamíferos evolução e caracteristicas gerais
Aula 11 mamíferos evolução e caracteristicas gerais
 
Apresentação sobre mamíferos.
Apresentação sobre  mamíferos.Apresentação sobre  mamíferos.
Apresentação sobre mamíferos.
 
PPs sobre Mamíferos- 6B
PPs sobre Mamíferos- 6BPPs sobre Mamíferos- 6B
PPs sobre Mamíferos- 6B
 
Vertebrados - Synapsida - Mamíferos
Vertebrados - Synapsida - MamíferosVertebrados - Synapsida - Mamíferos
Vertebrados - Synapsida - Mamíferos
 
Animais mamiferos
Animais mamiferosAnimais mamiferos
Animais mamiferos
 
Mamíferos 2º ano
Mamíferos 2º anoMamíferos 2º ano
Mamíferos 2º ano
 
Phototheria
PhototheriaPhototheria
Phototheria
 
Apresentaomamferoseatividadesonline 121112180336-phpapp01
Apresentaomamferoseatividadesonline 121112180336-phpapp01Apresentaomamferoseatividadesonline 121112180336-phpapp01
Apresentaomamferoseatividadesonline 121112180336-phpapp01
 
Mamíferos
MamíferosMamíferos
Mamíferos
 
Animais mamíferos
Animais mamíferosAnimais mamíferos
Animais mamíferos
 
Mamiferos
MamiferosMamiferos
Mamiferos
 

Semelhante a Mamíferos

SLIDE_MAMIFEROSfffffffffffffffffffff.pptx
SLIDE_MAMIFEROSfffffffffffffffffffff.pptxSLIDE_MAMIFEROSfffffffffffffffffffff.pptx
SLIDE_MAMIFEROSfffffffffffffffffffff.pptx
lizatoria1
 
Estudo completo dos mamíferos e suas características
Estudo completo dos mamíferos e suas característicasEstudo completo dos mamíferos e suas características
Estudo completo dos mamíferos e suas características
GabrielGabriel226811
 
Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia
Roberto Bagatini
 
Zoologia dos invertebrados
Zoologia dos invertebradosZoologia dos invertebrados
Zoologia dos invertebrados
paulogrillo
 
Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia
Pelo Siro
 
MAMÍFEROS.docx
MAMÍFEROS.docxMAMÍFEROS.docx
MAMÍFEROS.docx
LindalvaAlves2
 
APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2
APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2
APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2
Alexandre Pusaudse
 
Reino Animal
Reino AnimalReino Animal
Reino Animal
CarlosAlexandre280
 
Desenvolvimento embrionario dos mamiferos
Desenvolvimento embrionario dos mamiferosDesenvolvimento embrionario dos mamiferos
Desenvolvimento embrionario dos mamiferos
Dhayner Vieira
 
Principais filos do reino animália $raisa
Principais filos do reino animália $raisaPrincipais filos do reino animália $raisa
Principais filos do reino animália $raisa
Daniel Cbf
 
Principais filos do reino animália $raisa
Principais filos do reino animália $raisaPrincipais filos do reino animália $raisa
Principais filos do reino animália $raisa
Daniel Cbf
 
Reino Animalia
Reino Animalia Reino Animalia
Reino Animalia
Rita Galrito
 
Mamíferos
MamíferosMamíferos
Mamíferos
Wanderson Farias
 
Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidários Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidários
Natalia Mikaele Vasconcellos
 
Platelmintos e nematelmintos
Platelmintos e nematelmintosPlatelmintos e nematelmintos
Platelmintos e nematelmintos
ViniciusOliveira96
 
Reino animalia pdf
Reino animalia pdfReino animalia pdf
Reino animalia pdf
Valck Silva
 
Metazoários, poríferos, cnidários...
Metazoários, poríferos, cnidários...Metazoários, poríferos, cnidários...
Metazoários, poríferos, cnidários...
Roberto Bagatini
 
7a série apresentação do grupo de mamíferos
7a série   apresentação do grupo de mamíferos7a série   apresentação do grupo de mamíferos
7a série apresentação do grupo de mamíferos
SESI 422 - Americana
 
10 capitulo 07 chiroptera
10 capitulo 07   chiroptera10 capitulo 07   chiroptera
10 capitulo 07 chiroptera
Letkristiane
 
Apostila nematoda
Apostila nematodaApostila nematoda

Semelhante a Mamíferos (20)

SLIDE_MAMIFEROSfffffffffffffffffffff.pptx
SLIDE_MAMIFEROSfffffffffffffffffffff.pptxSLIDE_MAMIFEROSfffffffffffffffffffff.pptx
SLIDE_MAMIFEROSfffffffffffffffffffff.pptx
 
Estudo completo dos mamíferos e suas características
Estudo completo dos mamíferos e suas característicasEstudo completo dos mamíferos e suas características
Estudo completo dos mamíferos e suas características
 
Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia
 
Zoologia dos invertebrados
Zoologia dos invertebradosZoologia dos invertebrados
Zoologia dos invertebrados
 
Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia
 
MAMÍFEROS.docx
MAMÍFEROS.docxMAMÍFEROS.docx
MAMÍFEROS.docx
 
APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2
APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2
APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2
 
Reino Animal
Reino AnimalReino Animal
Reino Animal
 
Desenvolvimento embrionario dos mamiferos
Desenvolvimento embrionario dos mamiferosDesenvolvimento embrionario dos mamiferos
Desenvolvimento embrionario dos mamiferos
 
Principais filos do reino animália $raisa
Principais filos do reino animália $raisaPrincipais filos do reino animália $raisa
Principais filos do reino animália $raisa
 
Principais filos do reino animália $raisa
Principais filos do reino animália $raisaPrincipais filos do reino animália $raisa
Principais filos do reino animália $raisa
 
Reino Animalia
Reino Animalia Reino Animalia
Reino Animalia
 
Mamíferos
MamíferosMamíferos
Mamíferos
 
Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidários Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidários
 
Platelmintos e nematelmintos
Platelmintos e nematelmintosPlatelmintos e nematelmintos
Platelmintos e nematelmintos
 
Reino animalia pdf
Reino animalia pdfReino animalia pdf
Reino animalia pdf
 
Metazoários, poríferos, cnidários...
Metazoários, poríferos, cnidários...Metazoários, poríferos, cnidários...
Metazoários, poríferos, cnidários...
 
7a série apresentação do grupo de mamíferos
7a série   apresentação do grupo de mamíferos7a série   apresentação do grupo de mamíferos
7a série apresentação do grupo de mamíferos
 
10 capitulo 07 chiroptera
10 capitulo 07   chiroptera10 capitulo 07   chiroptera
10 capitulo 07 chiroptera
 
Apostila nematoda
Apostila nematodaApostila nematoda
Apostila nematoda
 

Último

gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 

Mamíferos

  • 2. Os mamíferos (do latim científico Mammalia) constituem uma classe de animais vertebrados, que se caracterizam pela presença de glândulas mamárias que, nas fêmeas, produzem leite para alimentação dos filhotes ( ou crias ), e a presença de pêlos ou cabelos. São animais endotérmicos(com exceção do rato-teoupeira-pelado) , (ou seja, de temperatura constante, também conhecidos como "animais de sangue quente"). Océrebro controla a temperatura corporal e o sistema circulatório, incluindo o coração (com quatro câmaras). Os mamíferos incluem 5 416 espécies (incluindo os seres humanos), distribuídas em aproximadamente 1 200 gêneros, 152 famílias e até 46 ordens, de acordo com o compêndio publicado por Wilson e Reeder (2005). Entretanto novas espécies são descobertas a cada ano, aumentando esse número; e até o final de 2007, o número chegava a 5 558 espécies de mamíferos.
  • 3. Muitas das características comuns aos mamíferos não aparecem nos outros animais. Algumas delas, porém, podem ser observadas nas aves – uma alta taxa metabólica e níveis de atividade ou complexidade de adaptações, como cuidado pós-natal avançado e vida social, aumento da capacidade sensorial, ou enorme versatilidade ecológica. Tais características semelhantes nas duas classes sugerem que tais adaptações são homoplasias, ou seja, se desenvolveram independentemente em ambos os grupos. Outras características mamalianas são sinapomorfias dos amniotas, adaptações partilhadas por causa do ancestral comum. Os amniotas, grupo que inclui répteis, aves e mamíferos, são vertebrados terrestres cujo desenvolvimento embrionário acontece sobre proteção de membranas fetais (âmnio, cório e alantóide). Entres as características herdadas se encontram aumento do investimento no cuidado das crias, fertilização interna, derivados queratinizados da pele, rins metanefros com ureter específico, respiração pulmonar avançada, e o papel decisivo dos ossos dérmicos na morfologia do crânio. Ao mesmo tempo, os mamíferos compartilham grande número de características com todos os demais vertebrados, incluindo o plano corpóreo, esqueleto interno, e mecanismos homeostáticos (incluindo caminhos para regulação neural e hormonal). Os mamíferos exibem também características exclusivas, chamadas de autapomorfias. Essas características únicas servem para distinguir e diagnosticar claramente um táxon.
  • 4. Ma mm ali afo rm es Adelobasileus voi d Sinoconodon voi d Morganucodon voi d Docodonta voi d ––Hadrocodium ––Mammalia História evolutiva Os mamíferos são os atuais descendentes dos sinapsídeos, o primeiro grupo bem estabelecido de amniotas que surgiu no Carbonífero Superior. Os sinapsídeos apresentavam várias características mamíferas, notadamente a existência de uma única fossa temporal de cada lado do crânio e a diferenciação de dentes molares, mas no essencial, a sua anatomia manteve- se tipicamente reptiliana, com membro transversais, coanas e uma pequena cavidade neurocraniana. Cynognathus, um cinodonte do Triássico A classe Sinapsida compreendia duas ordens: a Pelicosauria, um grupo mais primitivo; e a Therapsida, chamada também de répteis mamalianos evoluídos, que representam a transição para os verdadeiros mamíferos. Dentro da última, encontram-se os cinodontes, grupo que serviu de transição entre os répteis e os mamíferos. Nos cinodontes observam-se vários traços mamalianos, como a fossa temporal aumentada, o número de ossos que forma a parte superior do crânio é reduzido, diferencia-se o palato secundário, a parede do neurocrânio modifica a sua organização, e os dentes tornam-se cada vez mais complexos e especializados.
  • 5. Os primeiros mamíferos, ou mamaliformes como são tipicamente conhecidos, apareceram no período Triássico. Durante todo o restante da era Mesozóica, estes primitivos mamíferos, conhecidos em sua maioria por poucos esqueletos e de considerável número de crânios, mandíbulas e dentes, foram animais de tamanho diminuto e ecologicamente insignificantes. Entretanto, sua contribuição foi especialmente importante para a evolução, pois foi durante o final do Jurássico e início do Cretáceo que estes animais estabeleceram as características básicas mamíferas que levaram a uma tremenda variedade de formas que viveram durante a era Cenozóica. Houve dois grandes períodos de diversificação dos mamíferos durante a era Mesozóica. O primeiro, englobando o final do Triássico e o Jurássico e estendendo-se pelo Cretáceo Inferior, produziu formas de transição do estágio reptiliano para o mamífero, conhecidas como mamaliformes, que em sua maioria, não sobreviveu além da era Mesozóica. A segunda radiação, a qual ocorreu no Cretáceo Médio, foi composta de mamíferos mais derivados, ou seja os verdadeiros mamíferos, incluindo os primeiros térios.
  • 6. Os marsupiais (latim científico: Marsupialia) constituem uma infraclasse de mamíferos, cuja principal diferença com os placentários, é a presença, na fêmea, de uma bolsa abdominal, conhecida como marsúpio , onde se processa grande parte do desenvolvimento dos filhotes. Outras diferenças morfológicas, principalmente reprodutivas, entre elas a presença de duas vaginas na fêmea, e um pênis bifurcado nos machos, estão presentes. Os marsupiais não são antepassados dos placentários. Ambos os grupos surgiram no Cretáceo e desde então competem pelos mesmos nichos ecológicos. Atualmente vivem na região Australiana e nas Américas cerca de 320 espécies de marsupiais, que correspondem por aproximadamente 6% de todas as espécies de mamíferos. Taxonomicamente, o termo Metatheria, proposto por Huxley em 1880, é considerado sinônimo do táxon Marsupialia, proposto por Illiger em 1811 (McKenna e Bell 1997). Entretanto, alguns autores consideram o termo Metatheria mais abrangente, por incluir muitos dos marsupiais primitivos. Embora haja inúmeras diferenças entre os marsupiais e os placentários quanto à sua biologia reprodutiva, há algumas distinções na sua anatomia. Os marsupiais também diferem dos placentários em sua fórmula dentária. Mesmo entre os marsupiais a fórmula dentária varia consideravelmente, mas basicamente o número de incisivos na maxila superior é diferente do número presente na maxila inferior, exceto na família Vombatidae.
  • 7. Os marsupiais exibem vasta formação de comportamentos em conseqüências de sua evolução para preencher a variedade de nichos ecológicospresentes nos continentes americano e australiano. Sendo assim, uma generalização de seus hábitos se torna difícil. Marsupiais podem ser arbóreos,terrestres, fossoriais e ao menos algumas espécies são semi- aquáticas. Quanto aos padrões de locomoção, podem incluir: andar, escalar, cavar,correr ou nadar. Os marsupiais não desenvolveram o processo do vôo, entretanto, uma espécie é planadora. Quanto ao padrão de atividades, também existe variedade, podendo ser diurnos, noturnos ou crepusculares. Algumas espécies hibernam, mas muitas permanecem ativas o ano inteiro. Alguns são sociais, enquanto outros são solitários. Os hábitos alimentares são também sortidos, podendo ser herbívoros, carnívoros, insetívoros, onívoros e nectarívoros.
  • 8. Eutheria é um grupo de mamíferos que abrange os placentálios e todos os mamíferos extintos mais aparentados aos placentálios do que aosmarsupiais. São mamíferos vivíparos com placentas bem desenvolvida, o que garante o completo desenvolvimento do novo indivíduo, dentro do organismo. Em outras palavras, os indivíduos dessa infraclasse investem mais energia da reprodução, pois são capazes de manter seus filhotes por mais tempo no interior do útero. Os Eutheria, além de possuírem placenta e útero possuem duas aberturas, sendo uma destinada para o produto do sistema digestório e, a outra, para o produto do sistema excretor e do reprodutor. Os eutérios constituem o maior grupo de mamíferos. São divididas em diversas ordens
  • 9. Homeotermia , termo antigo, ou endotermia, termo atualmente correto, é uma característica de alguns animais que lhes permite manter sua temperatura corporal relativamente constante à causa de uma alta taxa matabólica gerada pela intensa combustão de alimento energético nas células. Apenas as aves e os mamíferos, considerados animais endotérmicos ou de sangue quente, vulgarmente falando, têm esta capacidade. A endotermia é mantida através da homeostase térmica, que é conseguida através do controle das suas taxas metabólicas. Um animal endotérmico consegue manter a temperatura do seu corpo mais ou menos constante a um nível que pode ser distinto da temperatura do ambiente que o rodeia. Este processo pode envolver não só a capacidade de gerar calor mas também a capacidade de arrefecer essa temperatura se necessário. Diversos mecanismos podem atuar na regulagem da temperatura do corpo, como tremores (para gerar calor a partir de contrações musculares), palidez (a circulação sanguínea se altera para direcionar menos calor para a pele, perdendo menos calor para o ambiente), ou o seu oposto, a ruborização (a circulação sanguínea se altera para irradiar mais calor através da pele), ofegância ou suor (para perder calor através da evaporação).
  • 10. Anatomia e Fisiologia Sistema Tegumentário Pele apresenta pêlos e glândulas (mamárias,sebáceas e sudoríparas), além de alguns anexos como : chifres,garras,cascos,espinhos,etc. Os pêlos tem origem na derme,seu tamanho,cor e distribuição variam bastante. O pêlos desempenham papel primordial na camuflagem. Outra função importante é auxiliar na termorregulação. Há diversos tipos de formação tegumentária adaptativa ; -Os pangolins e tatus tem o corpo revestido por um conjunto de escamas cómeias em forma de armadura. Os cacos dos ungulados para corridas. Chifres e galhadas: chifres fibroso e permanente do rinoceronte e as formações tecidos conjuntivos dos veados,que caem e se renovam todos os combustão de alimento energético nas células. Apenas as aves e os mamíferos,
  • 11. Glândulas Odoríferas : Estas ultimamente variam em sua localização nas diferentes espécies; Nos veados,encontram-se nos olhos. Nos porcos e javalis,nos cacos. Em muitos roedores,em órgãos genitais. Nos castores e gambás,pertos do ânus. Marcação de territórios,a comunicação de com outros membro da espécie,a atração sexual e a defesa.
  • 12. Mecanismos termorreguladores : Tremor. Sudorese ou secreção de soluções salinas. (Não se registra em alguns mamíferos) Vasoconstrição Vasodilatação Outros dilatações Outros mecanismos,hibernação,estivação,letargia,as migração construção de abrigos tocas.
  • 13. Sistemas Digestório Na boca,a língua,tipos de dentes e enzimas presentes na salivas iniciam o processo digestório. Os monotremos possuem cloaca,os demais possuem no ânus. Diferentes tipos de dietas impõem diferentes digestório . Herbívoros; ruminantes ceco funcional. Dentição : Baleias: Uma série de barbatanas ou lâminas especializadas na filtragem do plâncton. Carnívoros : Incisivos e caninos de grande porte e poderosos molares providos de uma proeminência. Herbívoros : Molares e pré-molares com amplas superfícies de mastigação. Duas dentições : A decíduas e a permanente,exceções : Ornitorrincos,preguiças e cachalotes.
  • 14. Sistema Urinário : Urotélicos: A vesícula urinária tem função de armazenamento de urina efetivamente,diferentemente dos répteis . Sistema Respiratório : Respiração Pulmonar : Ar, Fossas nasais , Faringe, Laringe, Traquéia, Brônquios, Bronquíolos, Alvéolos Pulmonares
  • 15. Sistema Circulatório : A circulação é fechada,dupla e completa. As células sanguíneas responsáveis pela condução dos gases são as hemácias. Persiste apenas o arco aórtico esquerdo . Sistema Nervoso : Muito desenvolvido, elevada capacidade para o aprendizado; Destaca-se a evolução do encéfalo, com dois hemisférios subdividos em lobos. Ordens Carnívora e Primates o período de convivência com os pais é de aprendizagem, Os cinco sentidos clássicos, visão, olfação, tato, paladar e audição são mais eficientes.
  • 16. Órgãos e sentidos: Ouvido interno, médio e externo, este com pavilhão auditivo (orelha). Olhos, em muitas espécies, com visão de cores. Possuem o olfato. Paladar bem desenvolvidos e, ainda, a superfície do corpo com inúmeras estruturas sensoriais. Ecolocalização : Mamíferos marinhos; Quirópteros ;
  • 17. Órgãos e sentidos: Ecolocalização: Morcegos não são cegos, “Eco-localização”: emissão de sons, geralmente inaudíveis para os humanos, que encontram o objeto e retornam como um eco para os ouvidos do morcego. Esse "sonar" parece é produzido por pulsações do nariz e da boca. Informações sobre tamanho, forma, tipo e direção de vôo da presa.
  • 18. Sistema Esquelético : Aumento da capacidade do crânio correlacionada com o maior tamanho do encéfalo; Crânio com dois côndilos occipitais articulados com o Atlas. A coluna vertebral se compõe de cinco regiões: -Cervical, -Torácica, -Lombar -Sacra, -Cauda Há variações: número de vértebras e de costelas, forma e número dos ossos dos dedos; Os dentes são inseridos nos ossos maxilares, pré-maxilares e na mandíbula, que se articula com o escamosal, e não com o quadrado; Marsupiais: epipúbis (na cintura pélvica), ossos exclusivos desse grupo, que servem para sustentar o marsúpio.
  • 19. Há variações: número de vértebras e de costelas, forma e número dos ossos dos dedos; Os dentes são inseridos nos ossos maxilares, pré-maxilares e na mandíbula, que se articula com o escamosal, e não com o quadrado; Marsupiais: epipúbis (na cintura pélvica), ossos exclusivos desse grupo, que servem para sustentar o marsúpio. Variações no ponto distal das extremidades; Primatas e os ursos são plantígrados; Canídeos,felídeos e vários outros são digitígrados; Herbívoros são ungulígrados e apresentam redução no número de dedos. Morcegos: dedos das extremidades anteriores alongados e presença do patágio; Cetáceos,sirênios e os pinípedes têm as extremidades anteriores em forma de nadadeiras e perderam as posteriores.
  • 20. Sistema Reprodutor : A fecundação é interna com formação de uma placenta com cordão umbilical. Nos marsupiais, as crias nascem prematuras; Os monotremos (ornitorrinco e équidna) reproduzem-se por ovos. Os machos apresentam um órgão copulador (pênis) e dois testículos protegidos por uma bolsa escrotal; As fêmeas têm dois ovários e passam por um estro periódico (cio). Prototérios ou mamíferos ovíparos : A subclasse dos mamíferos prototérios, a mais arcaica, é constituída por uma única ordem, a dos monotremados, de que fazem parte o eqüidna e o ornitorrinco, um singular animal aquático da Austrália que possui bico plano, cauda semelhante à do castor e patas curtas e fortes. Os monotremados caracterizam-se por ter uma cloaca em que desembocam tanto o tubo digestivo como as vias urinárias e os condutos genitais.
  • 21. GRUPO: • Larissa • Sávia • Jair • Kaio • Marcel • Leonardo