SlideShare uma empresa Scribd logo
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
Governança eletrônica Móvel no Brasil:
situação atual e perspectivas
Painel: Governo e Governança eletrônica móvel no Brasil: iniciativas e
resultados dessas novas formas de interação entre governo e sociedade.
Autoria: Everson Lopes de Aguiar
Apresentação: João Batista Ferri de Oliveira
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
Objetivo Geral: analisar a M-governança no Brasil, como seus atores se articulam,
como são desenhadas e implementadas as políticas publicas em torno da mesma, o
processo de disponibilização de M-serviços nas diversas esferas de governo e a
participação social nessa modalidade de governança.
Objetivos intermediários:
 Apresentar e debater o conceito de M-governança;
 Identificar o estágio atual da M-governança no país;
 Propor políticas que estimulem a implementação e a avaliação de iniciativas
de M-serviços; e
 Sugerir recomendações para o aprimoramento da M-governança no Brasil.
Relevância: há poucas produções acadêmicas sobre M-governança no país, sobre o
estágio atual dessa, bem como sobre iniciativas de M-serviços em governos.
Objetivos do Estudo
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
O contexto e a tendência tecnológica da Mobilidade nos Governos
Pesquisa do IDC
Brasil realizada junto
a empresas de médio
e grande porte
apontam que o
mercado corporativo
de mobilidade está
em franco
desenvolvimento e
apresentou grande
potencial no ano de
2008. O setor de
serviços e o governo
tem grande
possibilidades de uso
devido as atividades
externas
(Zago, 2008)
Pesquisa do IDC
Brasil realizada junto
a empresas de médio
e grande porte
apontam que o
mercado corporativo
de mobilidade está
em franco
desenvolvimento e
apresentou grande
potencial no ano de
2008. O setor de
serviços e o governo
tem grande
possibilidades de uso
devido as atividades
externas
(Zago, 2008)
Na América Latina,
o país se situa na
liderança de linhas
seguido de México,
Argentina,
Colômbia,
Venezuela e Chile
(Teleco)
Na América Latina,
o país se situa na
liderança de linhas
seguido de México,
Argentina,
Colômbia,
Venezuela e Chile
(Teleco)
A posse do
telefone móvel se
apresentou mais
difundida na
população
(41,2%) que o
acesso a Internet.
(PNAD, 2009/
IBGE)
A posse do
telefone móvel se
apresentou mais
difundida na
população
(41,2%) que o
acesso a Internet.
(PNAD, 2009/
IBGE)
4G deverá estar
em operação nas
cidades sedes
das copas das
confederações e
da copa do
mundo até o final
de 2013.
4G deverá estar
em operação nas
cidades sedes
das copas das
confederações e
da copa do
mundo até o final
de 2013.
..
Em dezembro de
2011 o total de
linhas habilitadas no
ano totalizou 242,2
milhões. A
densidade nacional
de celulares é de
123,87/ 100 hab
(ANATEL, Dez-2011)
Em dezembro de
2011 o total de
linhas habilitadas no
ano totalizou 242,2
milhões. A
densidade nacional
de celulares é de
123,87/ 100 hab
(ANATEL, Dez-2011)
3G tem 41,1
milhões linhas dos
quais 7,87 milhões
equivalem a
terminais de dados.
(ANATEL, Dez. 2011)
3G tem 41,1
milhões linhas dos
quais 7,87 milhões
equivalem a
terminais de dados.
(ANATEL, Dez. 2011)
Brasil ocupa a 6ª
posição no
ranking mundial
de linhas
habilitadas de
celulares (UIT)
Brasil ocupa a 6ª
posição no
ranking mundial
de linhas
habilitadas de
celulares (UIT)
M-banking no
Brasil vem sendo
utilizado desde
2006. Naquele
período foram
realizadas 25
milhões de
transações em
dispositivos
portáteis.
M-banking no
Brasil vem sendo
utilizado desde
2006. Naquele
período foram
realizadas 25
milhões de
transações em
dispositivos
portáteis.
As aplicações que suportam mobilidade
estavam em terceiro lugar no ranking das
15 tecnologias com maior índice de
crescimento de investimentos até o ano
de 2009. (Gartner Group, Giurlanie, 2006)
As aplicações que suportam mobilidade
estavam em terceiro lugar no ranking das
15 tecnologias com maior índice de
crescimento de investimentos até o ano
de 2009. (Gartner Group, Giurlanie, 2006)
79% dos
entrevistados
utilizaram telefone
celular nos últimos
três meses e 49%
desses aproveitaram
as facilidade do
serviço de envio e
recebimento de
mensagens de texto.
Todavia, apenas
26% dos
entrevistados
acessaram serviços
de governo pela
internet (CGI.br)
320 milhões é a
previsão de
crescimento de
celulares até 2022,
segundo a Anatel
(Takayanagi, 2007)
87 iniciativas de
governo móvel no
país
categorizadas
como eletrônicas,
físicas e espaciais
(Aguiar, 2010)
87 iniciativas de
governo móvel no
país
categorizadas
como eletrônicas,
físicas e espaciais
(Aguiar, 2010)
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
Metodologia
 Tipos de Pesquisa -> estudo qualitativo, aplicado em campo, do tipo transversal,
pois avaliou a mesma variável numa única ocasião e em grupos diferentes de
sujeitos;
 Estratégia de pesquisa -> estudo de múltiplos casos, a fim de se realizar uma
comparação entre eles sobre o estágio da M-governança nas esferas de governo
brasileiras;
 Coleta de dados - > entrevistas realizadas em dezembro de 2011; através de
contato telefônico e por e-mails. A duração da interação foi em torno de 20 a 30
minutos. Nos casos de e-mails, a média foi de três mensagens;
 Análise das respostas -> software livre WEFT-QDA para Windows;
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
Metodologia
 Amostra não-probabilística ou por julgamento baseada em critérios (pioneirismo e
tempo de operação; capilaridade; e, portfólio de e-serviços). A amostra estudada foi
intencional, pois atingiu apenas elementos disponíveis.
 Universo e Amostra -> entrevista com roteiro pré-testado em dois técnicos;
aplicada a 11 gestores, ex-gestores, técnicos e ex-técnicos dos governos abaixo
listados:
 Casos analisados: governo do Paraná, de São Paulo, do Rio Grande do Sul, de
Alagoas, do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, bem como do município de Salvador
– BA, da percepção da diretoria de governo eletrônico da Secretaria de Logística e
Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento (MP), do Ministério das
Cidades e do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP/
MEC);
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
Governança, e-Governança, M-Governança e M-gov
 Para a UNESCO o termo governança trata da autoridade econômica, política e
administrativa compreendendo também, a participação cidadã e o exercício dos
direitos e deveres. Para essa instituição o conceito de e-Governança é mais amplo
que o de e-Governo;
 Frey (2007) alude a Hirst (2007) e Rhodes (2000) para afirmar que o conceito de
governança é multifacetado;
 Para VAZ (2005) as principais questões no que tange a promoção da e-
Governança e da Internet estão relacionadas aos impactos na forma como os
cidadãos se relacionam com os governos;
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
 Segundo Rannu (2004) a e-Governança complementa a M-governança
principalmente, na entrega de serviços para a sociedade, bem como em novas
formas de participação que emergem através a possibilidade de exploração de
feedbacks de políticas e especificações, pesquisas de opinião, votações via celular,
entre outras;
 Para Aguiar (2009) o conceito de M-gov permeia o uso intensivo de tecnologias e
dispositivos portáteis por parte dos governos. Os canais portáteis poderão ser
novos meios alternativos para os cidadãos acessaram a benefícios de participação
e de apoio ao governo em suas decisões; e
 Enfim, compreende-se por M-governança as diversas interações do governo
realizadas por intermédio de tecnologias portáteis ou sem fio gerando
transparência, eficácia, participação cidadã e a melhoria da prestação de serviços
públicos.
Governança, e-Governança, M-Governança e M-gov
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
Alguns Casos Pioneiros de M-gov
 Informações de comércio exterior; aviso de vagas de emprego; andamento de
processos; notícias de governo; informações sobre veículos; alerta de intempéries;
dentre outros.
Onde está seu bloco e
SEFAZ Móvel - Bahia
Pronto Atendimento
Itinerante - Amazonas
Poupatempo Móvel e portal
Cidadão.SP - São Paulo
SIGO - Mato Grosso do Sul
Fortalecimento da cidadaina - Paraná
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
A Estratégia Geral de Tecnologia da Informação (EGTI)
do Governo Federal
 Documento de planejamento estratégico elaborado pelo MP, que se tornou
obrigatório por intermédio da Portaria SLTI n° 11, de 30 de dezembro de 2008;
 O processo de construção da mesma ocorreu nas seguintes etapas: elaboração
de versão preliminar pelo MP; abertura a contribuições de gestores de TICs do
SISP através de audiência pública presencial; e consulta publica virtual;
 Essa estratégia é composta pelos seguintes itens: princípios norteadores, o
modelo de governança do SISP e a sustentação desse modelo. O documento
contem ainda, orientações de constituição de comitês de TICs e leis e normas
vigentes, que deverão ser consideradas para a melhor gestão; e
 A EGTI trata da governança de TICs e não da e-Governança. Enquanto a
primeira estrutura os ativos de TICs, a e-Governança e a M-governança se referem
às diversas interações do governo, que envolve a transparência, a eficácia, a
participação cidadã e a melhoria da prestação de serviços públicos.
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
Síntese da Análise dos Resultados
 Método e o instrumento de coleta foram eficazes, embora a temática seja
inovadora;
Vantagens e Benefícios da Exploração de Canais Móveis:
 A conveniência e comodidade para cidadãos e empresas; a redução dos
deslocamentos desses para as centrais de atendimento ou para as instituições
públicas que prestam os serviços; praticidade; e, a possibilidade de rápida
comunicação entre governo e sociedade;
 Figuram entre essas vantagens ainda, a facilidade de uso e a flexibilidade de
acesso dos dispositivos portáteis em qualquer contexto;
 O uso de dispositivos e plataformas móveis vem permitido a oferta de M-serviços
de grande impacto, personalizados, com abrangência e com bastante alcance,
devido ao grande uso dos dispositivos portáteis na população brasileira, em
especial os celulares;
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
Vantagens e Benefícios da Exploração de Canais Móveis (cont.):
 Não obstante, o uso de iniciativas de governo móvel tem propiciado a ampliação
da visibilidade, a abertura e a maior transparência dos governos;
 Segundo a percepção do entrevistado do Rio de Janeiro, o governo móvel é um
canal complementar do e-Governo. Compreende-se que o M-gov tem potencial para
universalizar o acesso a serviços públicos, caso a tecnologia adotada seja o envio de
mensagens de texto, uma vez que essa é a mais acessível à população;
 O estudo identificou que mesmo diante de tantas vantagens e benefícios, as
iniciativas não apresentam coesão e sinergia entre si e muita menos uma
orquestração mínima da M-governança. Alguns desses projetos chegam ao ponto de
não serem nem projetizados metodologicamente;
Síntese da Análise dos Resultados
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
A Participação dos diversos Atores Sociais no Processo de Definição de
Estratégias ou Políticas de M-Governança:
 Segundo o respondente de Alagoas o desenvolvimento dos serviços é
independente na instituição proponente, com o envolvimento no máximo das
empresas de tecnologia da esfera de governo;
 Já no caso do Rio Grande do Sul, se pretende estender a discussão sobre
estratégias e políticas de mobilidade à Secretaria de Comunicação e ao Comitê de
Governança de TIC do Estado;
A participação cidadã no estado do Paraná considera a interação entre os atores
no delineamento e definição de estratégias e políticas de M-gov por meio dos
feedbacks da central de atendimento telefônico, do chat do portal institucional da
empresa de TIC, do portal serviços do estado, dentre outros;
A colaboradora do governo de Minas Gerais externalizou preocupação em receber
as percepções da sociedade. Para isso são realizadas pesquisas de satisfação e
são disponibilizados canais de comunicação para a sociedade;
Síntese da Análise dos Resultados
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
A Participação dos diversos Atores Sociais no Processo de Definição de
Estratégias ou Políticas de M-Governança (cont.):
 O entrevistado do MP destacou as consultas públicas já realizadas pela Internet
pelo governo federal. Todavia, a participação nessas ainda é baixa;
 O colaborador do Rio de Janeiro afirmou que a participação das demais
secretarias de estado em M-serviços ocorre por meio da priorização de demandas
definidas pelo ‘Planejamento Estratégico Plurianual’ daquele governo. Isto ocorre
também em Minas Gerais que criou um projeto estruturador de e-Governo, no
âmbito do planejamento estratégico do estado;
O respondente de São Paulo está disposto a colaborar no desenvolvimento de
aplicativos tal como ocorrido no Metrô da cidade onde a sociedade customizou uma
aplicação para acesso a esse serviço e a disponibilizou no Android Market. Na
opinião de um dos entrevistados daquele estado os canais móveis tendem a ser
tornar o principal canal de interação com os governos;
Enfim, no caso do RS Móvel a consulta de serviços demandados pela sociedade
é feita pelo portal do gabinete digital. Após avaliação os serviços são
disponibilizados para acesso por celulares.
Síntese da Análise dos Resultados
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
Estágio Atual da M-governança no Brasil, Ações para Aprimoramento e
Recomendações:
 Tanto em nível federal como em estados e municípios se subentende que a M-
governança se apresenta em estágio bastante inicial;
 Alguns casos estudados sofreram descontinuidade como ‘o projeto piloto de sms’
de São Paulo e os serviços de Alagoas. Outros estão sendo reestruturados e outros
ainda vem trazendo novas perspectivas para a disponibilização de M-serviços após
o crescimento do uso de smatphones;
 Entrevistados de alguns governos apontaram a necessidade urgente de redução
de preços e tarifas de uso de serviços móveis principalmente, de pacotes de tráfego
de dados e de mensagens de texto. Cabe destacar também que aparelhos com
maior sofisticação tecnológica como smartphones ainda, não são acessíveis sob o
aspecto financeiro;
 Registre-se que nenhum dos entrevistados relatou a existência de uma política
formalizada ou uma estratégia de M-governo;
Síntese da Análise dos Resultados
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
Estágio Atual da M-governança no Brasil, Ações para Aprimoramento e
Recomendações (cont.):
 Segundo o colaborador do Ministério das Cidades se faz necessário o
convencimento dos gestores das instituições públicas sobre a importância da
mobilidade em governo e para as dificuldades de organização e acesso as
informações de forma geral;
 O representante do MP descreveu o início de um processo de contratação
conjunta, de vários órgãos federais, de volume significativo de mensagens de
texto e de definição de e-serviços que poderão ser disponibilizados por canais
móveis; e
 Por fim, o entrevistado do INEP/ MEC segundo o qual o país apresenta uma
realidade bastante heterogênea geográfica e sócio-economicamente o que
precisa ser considerados no processo de disponibilização de M-serviços.
Síntese da Análise dos Resultados
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
Expectativas da Sociedade em Relação a M-governança:
 De forma geral, os entrevistados compreendem que a exploração de serviços de
M-gov tendem a se massificar e que a sociedade pode esperar um portfólio amplo de
serviços disponíveis por canais móveis. Isto ocorrerá também devido a demanda das
novas gerações. Todavia, como ressalta um dos entrevistados de São Paulo, isso
dependerá de apoio político e de aportes orçamentários e financeiros;
Já a representante de Minas Gerais enfatizou a preocupação daquele governo em
investir em tecnologias e na prestação de serviços com foco na cidadania; e
 O MP afirmou que vem trabalhando na definição de serviços móveis pilotos.
Enquanto o representante do governo do Rio de Janeiro destacou a necessidade de
conscientização dos gestores sobre os benefícios que podem advir com a M-
governança por ela estreitar o relacionamento estado-sociedade, promover inovação
e modernidade no acesso a serviços de governo e melhorar a própria imagem das
instituições.
Síntese da Análise dos Resultados
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
Conclusões e Proposições
 O M-gov trás uma nova dinâmica para a prestação de e-serviços;
 A M-governança mesmo em estágio inicial e com pouca estruturação, vem
fortalecendo a e-Governança e a e-Governabilidade, tendo em vista a
implementação de comitês de TICs nas diversas esferas de governo;
 O conceito de M-governança se encontra em desenvolvimento na literatura,
semelhante a concepção de M-gov;
 Os múltiplos casos analisados permitem afirmar que não há uma política ou
estratégia articulada e sinérgica de disponibilização de serviços públicos. Países
como Reino Unido, Coréia, entre outros consideram esse canal como estratégico
em programas de e-Gov;
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
 A análise dos casos demonstrou também que o tema mobilidade em governos e
seus desdobramentos ainda é considerado com reservas;
 Urgente necessidade de reformulação do Comitê Executivo de e-Gov – fórum de
alto nível responsável pela formulação dessa política em nível federal. Esse novo
fórum deve disponibilizar assento para a sociedade civil;
 Poderão ser desenvolvidas também, versões simplificadas dos portais de
serviços das três esferas do governo brasileiro;
 As políticas ou estratégias de M-governança devem considerar a percepção de
cidadãos e empresas, pois como levantado por este estudo a sociedade cada vez
mais exige do Estado eficiência e melhores serviços públicos;
Conclusões e Proposições
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
 Recomenda-se a priorização do projeto de contratação conjunta de mensagens
de texto para o governo federal cujo levantamento inicial ocorreu no final de 2011;
 Se propõe o desenvolvimento de iniciativas de M-governo orientadas a cidadãos
e empresas, afim de se promover o máximo de sinergia possível e de
complementaridade entre os diversos atores sociais; e
 Por fim, conforme defende Aguiar (2010), as iniciativas de governo móvel devem
ser construídas e consolidadas como projeto de Estado para que sejam garantidas
a continuidade, a confiabilidade e a credibilidade das mesmas.
Conclusões e Proposições
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
“...a mobilidade não é uma tendência e sim uma realidade
que os governos precisam aderir urgentemente”.
(Colaborador do Estudo)
everson.aguiar@gmail.com
55 61 2020-1562

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

mGOV2: ENVOLVIMENTO DO CIDADÃO NO DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS COM O...
mGOV2: ENVOLVIMENTO DO CIDADÃO NO DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS COM O...mGOV2: ENVOLVIMENTO DO CIDADÃO NO DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS COM O...
mGOV2: ENVOLVIMENTO DO CIDADÃO NO DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS COM O...
Angela Iara Zotti
 
Governança de T.I. em entidades Públicas
Governança de T.I. em entidades PúblicasGovernança de T.I. em entidades Públicas
Governança de T.I. em entidades Públicas
Rokson Silva Gonçalves
 
Uso Efetivo da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) na Prefeitura Mun...
Uso Efetivo da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) na Prefeitura Mun...Uso Efetivo da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) na Prefeitura Mun...
Uso Efetivo da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) na Prefeitura Mun...
Fabrício Basto
 
As TIC’s e o Governo Federal: uma análise do surgimento, da implementação e d...
As TIC’s e o Governo Federal: uma análise do surgimento, da implementação e d...As TIC’s e o Governo Federal: uma análise do surgimento, da implementação e d...
As TIC’s e o Governo Federal: uma análise do surgimento, da implementação e d...
Karina Baco
 
PRODUÇÃO TEXTUAL - Gestão Pública - Portal da Transparência - VLR R$ 70,00 (9...
PRODUÇÃO TEXTUAL - Gestão Pública - Portal da Transparência - VLR R$ 70,00 (9...PRODUÇÃO TEXTUAL - Gestão Pública - Portal da Transparência - VLR R$ 70,00 (9...
PRODUÇÃO TEXTUAL - Gestão Pública - Portal da Transparência - VLR R$ 70,00 (9...
Acade Consultoria
 
Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - V Conegov...
Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - V Conegov...Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - V Conegov...
Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - V Conegov...
everson lopes de aguiar
 
DINÂMICA DE RELACIONAMENTO ENTRE ATORES DE PROJETOS GOVERNAMENTAIS: O CASO D...
 DINÂMICA DE RELACIONAMENTO ENTRE ATORES DE PROJETOS GOVERNAMENTAIS: O CASO D... DINÂMICA DE RELACIONAMENTO ENTRE ATORES DE PROJETOS GOVERNAMENTAIS: O CASO D...
DINÂMICA DE RELACIONAMENTO ENTRE ATORES DE PROJETOS GOVERNAMENTAIS: O CASO D...
CTG SUNY Albany and UFPR Curitiba
 
As dez cidades mais conectadas do brasil e do mundo
As dez cidades mais conectadas do brasil e do mundo As dez cidades mais conectadas do brasil e do mundo
As dez cidades mais conectadas do brasil e do mundo
Helder Ferreira
 
Internet e Eleições 2010 no Brasil: Rupturas e continuidades nos padrões medi...
Internet e Eleições 2010 no Brasil: Rupturas e continuidades nos padrões medi...Internet e Eleições 2010 no Brasil: Rupturas e continuidades nos padrões medi...
Internet e Eleições 2010 no Brasil: Rupturas e continuidades nos padrões medi...
Universidade Federal do Paraná
 
ELEIÇÃO DIRETA DIGITAL INTERNACIONAL - ED²I: uso das ferramentas Web 2.0 com ...
ELEIÇÃO DIRETA DIGITAL INTERNACIONAL - ED²I: uso das ferramentas Web 2.0 com ...ELEIÇÃO DIRETA DIGITAL INTERNACIONAL - ED²I: uso das ferramentas Web 2.0 com ...
ELEIÇÃO DIRETA DIGITAL INTERNACIONAL - ED²I: uso das ferramentas Web 2.0 com ...
Angela Iara Zotti
 
EleiçãO Direta Digital 39 J A I I O S S I
EleiçãO  Direta  Digital 39 J A I I O  S S IEleiçãO  Direta  Digital 39 J A I I O  S S I
EleiçãO Direta Digital 39 J A I I O S S I
Angela Iara Zotti
 
Panorama setorial da lei de Acesso a informação no Brasil em 2015
Panorama setorial da lei de Acesso a informação no Brasil em 2015Panorama setorial da lei de Acesso a informação no Brasil em 2015
Panorama setorial da lei de Acesso a informação no Brasil em 2015
Hudson Augusto
 
Cibercultura e participação democrática em rede: perspectivas da utilização d...
Cibercultura e participação democrática em rede: perspectivas da utilização d...Cibercultura e participação democrática em rede: perspectivas da utilização d...
Cibercultura e participação democrática em rede: perspectivas da utilização d...
Graziela Brandão
 
121 535-1-pb
121 535-1-pb121 535-1-pb
Plataformas Colaborativas e Democracia Digital - Um Estudo do Ágora em Rede
Plataformas Colaborativas e Democracia Digital - Um Estudo do Ágora em RedePlataformas Colaborativas e Democracia Digital - Um Estudo do Ágora em Rede
Plataformas Colaborativas e Democracia Digital - Um Estudo do Ágora em Rede
Colaborativismo
 
O governo eletrônico no brasil
O governo eletrônico no brasilO governo eletrônico no brasil
O governo eletrônico no brasil
Osnir Costa
 
Documento base do programa nacional de banda larga
Documento base do programa nacional de banda largaDocumento base do programa nacional de banda larga
Documento base do programa nacional de banda larga
Gabriela Agustini
 
Democracia digital e participação: um estudo sobre iniciativas civis no Brasil
Democracia digital e participação: um estudo sobre iniciativas civis no BrasilDemocracia digital e participação: um estudo sobre iniciativas civis no Brasil
Democracia digital e participação: um estudo sobre iniciativas civis no Brasil
Rodrigo Carreiro
 

Mais procurados (18)

mGOV2: ENVOLVIMENTO DO CIDADÃO NO DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS COM O...
mGOV2: ENVOLVIMENTO DO CIDADÃO NO DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS COM O...mGOV2: ENVOLVIMENTO DO CIDADÃO NO DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS COM O...
mGOV2: ENVOLVIMENTO DO CIDADÃO NO DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS COM O...
 
Governança de T.I. em entidades Públicas
Governança de T.I. em entidades PúblicasGovernança de T.I. em entidades Públicas
Governança de T.I. em entidades Públicas
 
Uso Efetivo da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) na Prefeitura Mun...
Uso Efetivo da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) na Prefeitura Mun...Uso Efetivo da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) na Prefeitura Mun...
Uso Efetivo da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) na Prefeitura Mun...
 
As TIC’s e o Governo Federal: uma análise do surgimento, da implementação e d...
As TIC’s e o Governo Federal: uma análise do surgimento, da implementação e d...As TIC’s e o Governo Federal: uma análise do surgimento, da implementação e d...
As TIC’s e o Governo Federal: uma análise do surgimento, da implementação e d...
 
PRODUÇÃO TEXTUAL - Gestão Pública - Portal da Transparência - VLR R$ 70,00 (9...
PRODUÇÃO TEXTUAL - Gestão Pública - Portal da Transparência - VLR R$ 70,00 (9...PRODUÇÃO TEXTUAL - Gestão Pública - Portal da Transparência - VLR R$ 70,00 (9...
PRODUÇÃO TEXTUAL - Gestão Pública - Portal da Transparência - VLR R$ 70,00 (9...
 
Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - V Conegov...
Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - V Conegov...Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - V Conegov...
Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - V Conegov...
 
DINÂMICA DE RELACIONAMENTO ENTRE ATORES DE PROJETOS GOVERNAMENTAIS: O CASO D...
 DINÂMICA DE RELACIONAMENTO ENTRE ATORES DE PROJETOS GOVERNAMENTAIS: O CASO D... DINÂMICA DE RELACIONAMENTO ENTRE ATORES DE PROJETOS GOVERNAMENTAIS: O CASO D...
DINÂMICA DE RELACIONAMENTO ENTRE ATORES DE PROJETOS GOVERNAMENTAIS: O CASO D...
 
As dez cidades mais conectadas do brasil e do mundo
As dez cidades mais conectadas do brasil e do mundo As dez cidades mais conectadas do brasil e do mundo
As dez cidades mais conectadas do brasil e do mundo
 
Internet e Eleições 2010 no Brasil: Rupturas e continuidades nos padrões medi...
Internet e Eleições 2010 no Brasil: Rupturas e continuidades nos padrões medi...Internet e Eleições 2010 no Brasil: Rupturas e continuidades nos padrões medi...
Internet e Eleições 2010 no Brasil: Rupturas e continuidades nos padrões medi...
 
ELEIÇÃO DIRETA DIGITAL INTERNACIONAL - ED²I: uso das ferramentas Web 2.0 com ...
ELEIÇÃO DIRETA DIGITAL INTERNACIONAL - ED²I: uso das ferramentas Web 2.0 com ...ELEIÇÃO DIRETA DIGITAL INTERNACIONAL - ED²I: uso das ferramentas Web 2.0 com ...
ELEIÇÃO DIRETA DIGITAL INTERNACIONAL - ED²I: uso das ferramentas Web 2.0 com ...
 
EleiçãO Direta Digital 39 J A I I O S S I
EleiçãO  Direta  Digital 39 J A I I O  S S IEleiçãO  Direta  Digital 39 J A I I O  S S I
EleiçãO Direta Digital 39 J A I I O S S I
 
Panorama setorial da lei de Acesso a informação no Brasil em 2015
Panorama setorial da lei de Acesso a informação no Brasil em 2015Panorama setorial da lei de Acesso a informação no Brasil em 2015
Panorama setorial da lei de Acesso a informação no Brasil em 2015
 
Cibercultura e participação democrática em rede: perspectivas da utilização d...
Cibercultura e participação democrática em rede: perspectivas da utilização d...Cibercultura e participação democrática em rede: perspectivas da utilização d...
Cibercultura e participação democrática em rede: perspectivas da utilização d...
 
121 535-1-pb
121 535-1-pb121 535-1-pb
121 535-1-pb
 
Plataformas Colaborativas e Democracia Digital - Um Estudo do Ágora em Rede
Plataformas Colaborativas e Democracia Digital - Um Estudo do Ágora em RedePlataformas Colaborativas e Democracia Digital - Um Estudo do Ágora em Rede
Plataformas Colaborativas e Democracia Digital - Um Estudo do Ágora em Rede
 
O governo eletrônico no brasil
O governo eletrônico no brasilO governo eletrônico no brasil
O governo eletrônico no brasil
 
Documento base do programa nacional de banda larga
Documento base do programa nacional de banda largaDocumento base do programa nacional de banda larga
Documento base do programa nacional de banda larga
 
Democracia digital e participação: um estudo sobre iniciativas civis no Brasil
Democracia digital e participação: um estudo sobre iniciativas civis no BrasilDemocracia digital e participação: um estudo sobre iniciativas civis no Brasil
Democracia digital e participação: um estudo sobre iniciativas civis no Brasil
 

Destaque

Proposta de Metodologia para a Coleta de Dados de Escores Visuais para Progra...
Proposta de Metodologia para a Coleta de Dados de Escores Visuais para Progra...Proposta de Metodologia para a Coleta de Dados de Escores Visuais para Progra...
Proposta de Metodologia para a Coleta de Dados de Escores Visuais para Progra...
brasilcomz® - Zootecnia Tropical
 
Apresentação do seminário grupo 4 - 09.05 -16 h
Apresentação do seminário   grupo 4 - 09.05 -16 hApresentação do seminário   grupo 4 - 09.05 -16 h
Apresentação do seminário grupo 4 - 09.05 -16 h
Mariana Rauen
 
1ª Pesquisa Eleitoral Manaus - 2º turno - Outubro/2016
1ª Pesquisa Eleitoral Manaus - 2º turno - Outubro/20161ª Pesquisa Eleitoral Manaus - 2º turno - Outubro/2016
1ª Pesquisa Eleitoral Manaus - 2º turno - Outubro/2016
Pesquisa 365
 
Observação
ObservaçãoObservação
Observação
Lucila Pesce
 
A metodologia da pesquisa e a importância das imagens
A metodologia da pesquisa e a importância das imagensA metodologia da pesquisa e a importância das imagens
A metodologia da pesquisa e a importância das imagens
Antonio Medina
 
Metodologia qualitativa: coleta e análise de dados visuais
Metodologia qualitativa: coleta e análise de dados visuaisMetodologia qualitativa: coleta e análise de dados visuais
Metodologia qualitativa: coleta e análise de dados visuais
Hamilton
 
Leitura e análise da imagem
Leitura e análise da imagemLeitura e análise da imagem
Leitura e análise da imagem
Guilherme Carvalho
 
TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.
TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.
TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.
Diego Ventura
 
Leitura de imagens
Leitura de imagensLeitura de imagens
Leitura de imagens
Over Lane
 

Destaque (9)

Proposta de Metodologia para a Coleta de Dados de Escores Visuais para Progra...
Proposta de Metodologia para a Coleta de Dados de Escores Visuais para Progra...Proposta de Metodologia para a Coleta de Dados de Escores Visuais para Progra...
Proposta de Metodologia para a Coleta de Dados de Escores Visuais para Progra...
 
Apresentação do seminário grupo 4 - 09.05 -16 h
Apresentação do seminário   grupo 4 - 09.05 -16 hApresentação do seminário   grupo 4 - 09.05 -16 h
Apresentação do seminário grupo 4 - 09.05 -16 h
 
1ª Pesquisa Eleitoral Manaus - 2º turno - Outubro/2016
1ª Pesquisa Eleitoral Manaus - 2º turno - Outubro/20161ª Pesquisa Eleitoral Manaus - 2º turno - Outubro/2016
1ª Pesquisa Eleitoral Manaus - 2º turno - Outubro/2016
 
Observação
ObservaçãoObservação
Observação
 
A metodologia da pesquisa e a importância das imagens
A metodologia da pesquisa e a importância das imagensA metodologia da pesquisa e a importância das imagens
A metodologia da pesquisa e a importância das imagens
 
Metodologia qualitativa: coleta e análise de dados visuais
Metodologia qualitativa: coleta e análise de dados visuaisMetodologia qualitativa: coleta e análise de dados visuais
Metodologia qualitativa: coleta e análise de dados visuais
 
Leitura e análise da imagem
Leitura e análise da imagemLeitura e análise da imagem
Leitura e análise da imagem
 
TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.
TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.
TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.
 
Leitura de imagens
Leitura de imagensLeitura de imagens
Leitura de imagens
 

Semelhante a Governança eletrônica móvel no Brasil - Clad 2012

2. Faça uma pesquisa e identifique como uma organização pública em sua cidade...
2. Faça uma pesquisa e identifique como uma organização pública em sua cidade...2. Faça uma pesquisa e identifique como uma organização pública em sua cidade...
2. Faça uma pesquisa e identifique como uma organização pública em sua cidade...
GT ASSESSORIA ACADÊMICA
 
- Identificação da Cidade e UF: - Organização pública: - TIC:
- Identificação da Cidade e UF: - Organização pública: - TIC:- Identificação da Cidade e UF: - Organização pública: - TIC:
- Identificação da Cidade e UF: - Organização pública: - TIC:
GT ASSESSORIA ACADÊMICA
 
1. Indique quais são as principais características das TICs (sua resposta dev...
1. Indique quais são as principais características das TICs (sua resposta dev...1. Indique quais são as principais características das TICs (sua resposta dev...
1. Indique quais são as principais características das TICs (sua resposta dev...
GT ASSESSORIA ACADÊMICA
 
O objetivo desta atividade é que você se sinta imersivo em uma análise sobre ...
O objetivo desta atividade é que você se sinta imersivo em uma análise sobre ...O objetivo desta atividade é que você se sinta imersivo em uma análise sobre ...
O objetivo desta atividade é que você se sinta imersivo em uma análise sobre ...
GT ASSESSORIA ACADÊMICA
 
Olá, estudante! A atividade proposta corresponde ao Material de Avaliação Prá...
Olá, estudante! A atividade proposta corresponde ao Material de Avaliação Prá...Olá, estudante! A atividade proposta corresponde ao Material de Avaliação Prá...
Olá, estudante! A atividade proposta corresponde ao Material de Avaliação Prá...
GT ASSESSORIA ACADÊMICA
 
Capacidades estatais em tecnologias de informação e comunicação dos estados e...
Capacidades estatais em tecnologias de informação e comunicação dos estados e...Capacidades estatais em tecnologias de informação e comunicação dos estados e...
Capacidades estatais em tecnologias de informação e comunicação dos estados e...
GT ASSESSORIA ACADÊMICA
 
Os governos estão, a cada dia, diante de diversas possibilidades e desafios p...
Os governos estão, a cada dia, diante de diversas possibilidades e desafios p...Os governos estão, a cada dia, diante de diversas possibilidades e desafios p...
Os governos estão, a cada dia, diante de diversas possibilidades e desafios p...
GT ASSESSORIA ACADÊMICA
 
participação e o controle social.
 participação e o controle social. participação e o controle social.
participação e o controle social.
GT ASSESSORIA ACADÊMICA
 
Exemplifique e descreva por que esse serviço é considerado uma TIC e como ele...
Exemplifique e descreva por que esse serviço é considerado uma TIC e como ele...Exemplifique e descreva por que esse serviço é considerado uma TIC e como ele...
Exemplifique e descreva por que esse serviço é considerado uma TIC e como ele...
GT ASSESSORIA ACADÊMICA
 
Considerando o conteúdo estudado, responda às questões a seguir:
Considerando o conteúdo estudado, responda às questões a seguir:Considerando o conteúdo estudado, responda às questões a seguir:
Considerando o conteúdo estudado, responda às questões a seguir:
GT ASSESSORIA ACADÊMICA
 
Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - Conferenc...
Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - Conferenc...Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - Conferenc...
Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - Conferenc...
everson lopes de aguiar
 

Semelhante a Governança eletrônica móvel no Brasil - Clad 2012 (11)

2. Faça uma pesquisa e identifique como uma organização pública em sua cidade...
2. Faça uma pesquisa e identifique como uma organização pública em sua cidade...2. Faça uma pesquisa e identifique como uma organização pública em sua cidade...
2. Faça uma pesquisa e identifique como uma organização pública em sua cidade...
 
- Identificação da Cidade e UF: - Organização pública: - TIC:
- Identificação da Cidade e UF: - Organização pública: - TIC:- Identificação da Cidade e UF: - Organização pública: - TIC:
- Identificação da Cidade e UF: - Organização pública: - TIC:
 
1. Indique quais são as principais características das TICs (sua resposta dev...
1. Indique quais são as principais características das TICs (sua resposta dev...1. Indique quais são as principais características das TICs (sua resposta dev...
1. Indique quais são as principais características das TICs (sua resposta dev...
 
O objetivo desta atividade é que você se sinta imersivo em uma análise sobre ...
O objetivo desta atividade é que você se sinta imersivo em uma análise sobre ...O objetivo desta atividade é que você se sinta imersivo em uma análise sobre ...
O objetivo desta atividade é que você se sinta imersivo em uma análise sobre ...
 
Olá, estudante! A atividade proposta corresponde ao Material de Avaliação Prá...
Olá, estudante! A atividade proposta corresponde ao Material de Avaliação Prá...Olá, estudante! A atividade proposta corresponde ao Material de Avaliação Prá...
Olá, estudante! A atividade proposta corresponde ao Material de Avaliação Prá...
 
Capacidades estatais em tecnologias de informação e comunicação dos estados e...
Capacidades estatais em tecnologias de informação e comunicação dos estados e...Capacidades estatais em tecnologias de informação e comunicação dos estados e...
Capacidades estatais em tecnologias de informação e comunicação dos estados e...
 
Os governos estão, a cada dia, diante de diversas possibilidades e desafios p...
Os governos estão, a cada dia, diante de diversas possibilidades e desafios p...Os governos estão, a cada dia, diante de diversas possibilidades e desafios p...
Os governos estão, a cada dia, diante de diversas possibilidades e desafios p...
 
participação e o controle social.
 participação e o controle social. participação e o controle social.
participação e o controle social.
 
Exemplifique e descreva por que esse serviço é considerado uma TIC e como ele...
Exemplifique e descreva por que esse serviço é considerado uma TIC e como ele...Exemplifique e descreva por que esse serviço é considerado uma TIC e como ele...
Exemplifique e descreva por que esse serviço é considerado uma TIC e como ele...
 
Considerando o conteúdo estudado, responda às questões a seguir:
Considerando o conteúdo estudado, responda às questões a seguir:Considerando o conteúdo estudado, responda às questões a seguir:
Considerando o conteúdo estudado, responda às questões a seguir:
 
Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - Conferenc...
Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - Conferenc...Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - Conferenc...
Um ensaio sobre as principais barreiras em acoes de governo movel - Conferenc...
 

Governança eletrônica móvel no Brasil - Clad 2012

  • 1. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Governança eletrônica Móvel no Brasil: situação atual e perspectivas Painel: Governo e Governança eletrônica móvel no Brasil: iniciativas e resultados dessas novas formas de interação entre governo e sociedade. Autoria: Everson Lopes de Aguiar Apresentação: João Batista Ferri de Oliveira
  • 2. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Objetivo Geral: analisar a M-governança no Brasil, como seus atores se articulam, como são desenhadas e implementadas as políticas publicas em torno da mesma, o processo de disponibilização de M-serviços nas diversas esferas de governo e a participação social nessa modalidade de governança. Objetivos intermediários:  Apresentar e debater o conceito de M-governança;  Identificar o estágio atual da M-governança no país;  Propor políticas que estimulem a implementação e a avaliação de iniciativas de M-serviços; e  Sugerir recomendações para o aprimoramento da M-governança no Brasil. Relevância: há poucas produções acadêmicas sobre M-governança no país, sobre o estágio atual dessa, bem como sobre iniciativas de M-serviços em governos. Objetivos do Estudo
  • 3. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação O contexto e a tendência tecnológica da Mobilidade nos Governos Pesquisa do IDC Brasil realizada junto a empresas de médio e grande porte apontam que o mercado corporativo de mobilidade está em franco desenvolvimento e apresentou grande potencial no ano de 2008. O setor de serviços e o governo tem grande possibilidades de uso devido as atividades externas (Zago, 2008) Pesquisa do IDC Brasil realizada junto a empresas de médio e grande porte apontam que o mercado corporativo de mobilidade está em franco desenvolvimento e apresentou grande potencial no ano de 2008. O setor de serviços e o governo tem grande possibilidades de uso devido as atividades externas (Zago, 2008) Na América Latina, o país se situa na liderança de linhas seguido de México, Argentina, Colômbia, Venezuela e Chile (Teleco) Na América Latina, o país se situa na liderança de linhas seguido de México, Argentina, Colômbia, Venezuela e Chile (Teleco) A posse do telefone móvel se apresentou mais difundida na população (41,2%) que o acesso a Internet. (PNAD, 2009/ IBGE) A posse do telefone móvel se apresentou mais difundida na população (41,2%) que o acesso a Internet. (PNAD, 2009/ IBGE) 4G deverá estar em operação nas cidades sedes das copas das confederações e da copa do mundo até o final de 2013. 4G deverá estar em operação nas cidades sedes das copas das confederações e da copa do mundo até o final de 2013. .. Em dezembro de 2011 o total de linhas habilitadas no ano totalizou 242,2 milhões. A densidade nacional de celulares é de 123,87/ 100 hab (ANATEL, Dez-2011) Em dezembro de 2011 o total de linhas habilitadas no ano totalizou 242,2 milhões. A densidade nacional de celulares é de 123,87/ 100 hab (ANATEL, Dez-2011) 3G tem 41,1 milhões linhas dos quais 7,87 milhões equivalem a terminais de dados. (ANATEL, Dez. 2011) 3G tem 41,1 milhões linhas dos quais 7,87 milhões equivalem a terminais de dados. (ANATEL, Dez. 2011) Brasil ocupa a 6ª posição no ranking mundial de linhas habilitadas de celulares (UIT) Brasil ocupa a 6ª posição no ranking mundial de linhas habilitadas de celulares (UIT) M-banking no Brasil vem sendo utilizado desde 2006. Naquele período foram realizadas 25 milhões de transações em dispositivos portáteis. M-banking no Brasil vem sendo utilizado desde 2006. Naquele período foram realizadas 25 milhões de transações em dispositivos portáteis. As aplicações que suportam mobilidade estavam em terceiro lugar no ranking das 15 tecnologias com maior índice de crescimento de investimentos até o ano de 2009. (Gartner Group, Giurlanie, 2006) As aplicações que suportam mobilidade estavam em terceiro lugar no ranking das 15 tecnologias com maior índice de crescimento de investimentos até o ano de 2009. (Gartner Group, Giurlanie, 2006) 79% dos entrevistados utilizaram telefone celular nos últimos três meses e 49% desses aproveitaram as facilidade do serviço de envio e recebimento de mensagens de texto. Todavia, apenas 26% dos entrevistados acessaram serviços de governo pela internet (CGI.br) 320 milhões é a previsão de crescimento de celulares até 2022, segundo a Anatel (Takayanagi, 2007) 87 iniciativas de governo móvel no país categorizadas como eletrônicas, físicas e espaciais (Aguiar, 2010) 87 iniciativas de governo móvel no país categorizadas como eletrônicas, físicas e espaciais (Aguiar, 2010)
  • 4. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Metodologia  Tipos de Pesquisa -> estudo qualitativo, aplicado em campo, do tipo transversal, pois avaliou a mesma variável numa única ocasião e em grupos diferentes de sujeitos;  Estratégia de pesquisa -> estudo de múltiplos casos, a fim de se realizar uma comparação entre eles sobre o estágio da M-governança nas esferas de governo brasileiras;  Coleta de dados - > entrevistas realizadas em dezembro de 2011; através de contato telefônico e por e-mails. A duração da interação foi em torno de 20 a 30 minutos. Nos casos de e-mails, a média foi de três mensagens;  Análise das respostas -> software livre WEFT-QDA para Windows;
  • 5. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Metodologia  Amostra não-probabilística ou por julgamento baseada em critérios (pioneirismo e tempo de operação; capilaridade; e, portfólio de e-serviços). A amostra estudada foi intencional, pois atingiu apenas elementos disponíveis.  Universo e Amostra -> entrevista com roteiro pré-testado em dois técnicos; aplicada a 11 gestores, ex-gestores, técnicos e ex-técnicos dos governos abaixo listados:  Casos analisados: governo do Paraná, de São Paulo, do Rio Grande do Sul, de Alagoas, do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, bem como do município de Salvador – BA, da percepção da diretoria de governo eletrônico da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento (MP), do Ministério das Cidades e do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP/ MEC);
  • 6. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Governança, e-Governança, M-Governança e M-gov  Para a UNESCO o termo governança trata da autoridade econômica, política e administrativa compreendendo também, a participação cidadã e o exercício dos direitos e deveres. Para essa instituição o conceito de e-Governança é mais amplo que o de e-Governo;  Frey (2007) alude a Hirst (2007) e Rhodes (2000) para afirmar que o conceito de governança é multifacetado;  Para VAZ (2005) as principais questões no que tange a promoção da e- Governança e da Internet estão relacionadas aos impactos na forma como os cidadãos se relacionam com os governos;
  • 7. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação  Segundo Rannu (2004) a e-Governança complementa a M-governança principalmente, na entrega de serviços para a sociedade, bem como em novas formas de participação que emergem através a possibilidade de exploração de feedbacks de políticas e especificações, pesquisas de opinião, votações via celular, entre outras;  Para Aguiar (2009) o conceito de M-gov permeia o uso intensivo de tecnologias e dispositivos portáteis por parte dos governos. Os canais portáteis poderão ser novos meios alternativos para os cidadãos acessaram a benefícios de participação e de apoio ao governo em suas decisões; e  Enfim, compreende-se por M-governança as diversas interações do governo realizadas por intermédio de tecnologias portáteis ou sem fio gerando transparência, eficácia, participação cidadã e a melhoria da prestação de serviços públicos. Governança, e-Governança, M-Governança e M-gov
  • 8. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Alguns Casos Pioneiros de M-gov  Informações de comércio exterior; aviso de vagas de emprego; andamento de processos; notícias de governo; informações sobre veículos; alerta de intempéries; dentre outros. Onde está seu bloco e SEFAZ Móvel - Bahia Pronto Atendimento Itinerante - Amazonas Poupatempo Móvel e portal Cidadão.SP - São Paulo SIGO - Mato Grosso do Sul Fortalecimento da cidadaina - Paraná
  • 9. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação A Estratégia Geral de Tecnologia da Informação (EGTI) do Governo Federal  Documento de planejamento estratégico elaborado pelo MP, que se tornou obrigatório por intermédio da Portaria SLTI n° 11, de 30 de dezembro de 2008;  O processo de construção da mesma ocorreu nas seguintes etapas: elaboração de versão preliminar pelo MP; abertura a contribuições de gestores de TICs do SISP através de audiência pública presencial; e consulta publica virtual;  Essa estratégia é composta pelos seguintes itens: princípios norteadores, o modelo de governança do SISP e a sustentação desse modelo. O documento contem ainda, orientações de constituição de comitês de TICs e leis e normas vigentes, que deverão ser consideradas para a melhor gestão; e  A EGTI trata da governança de TICs e não da e-Governança. Enquanto a primeira estrutura os ativos de TICs, a e-Governança e a M-governança se referem às diversas interações do governo, que envolve a transparência, a eficácia, a participação cidadã e a melhoria da prestação de serviços públicos.
  • 10. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Síntese da Análise dos Resultados  Método e o instrumento de coleta foram eficazes, embora a temática seja inovadora; Vantagens e Benefícios da Exploração de Canais Móveis:  A conveniência e comodidade para cidadãos e empresas; a redução dos deslocamentos desses para as centrais de atendimento ou para as instituições públicas que prestam os serviços; praticidade; e, a possibilidade de rápida comunicação entre governo e sociedade;  Figuram entre essas vantagens ainda, a facilidade de uso e a flexibilidade de acesso dos dispositivos portáteis em qualquer contexto;  O uso de dispositivos e plataformas móveis vem permitido a oferta de M-serviços de grande impacto, personalizados, com abrangência e com bastante alcance, devido ao grande uso dos dispositivos portáteis na população brasileira, em especial os celulares;
  • 11. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Vantagens e Benefícios da Exploração de Canais Móveis (cont.):  Não obstante, o uso de iniciativas de governo móvel tem propiciado a ampliação da visibilidade, a abertura e a maior transparência dos governos;  Segundo a percepção do entrevistado do Rio de Janeiro, o governo móvel é um canal complementar do e-Governo. Compreende-se que o M-gov tem potencial para universalizar o acesso a serviços públicos, caso a tecnologia adotada seja o envio de mensagens de texto, uma vez que essa é a mais acessível à população;  O estudo identificou que mesmo diante de tantas vantagens e benefícios, as iniciativas não apresentam coesão e sinergia entre si e muita menos uma orquestração mínima da M-governança. Alguns desses projetos chegam ao ponto de não serem nem projetizados metodologicamente; Síntese da Análise dos Resultados
  • 12. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação A Participação dos diversos Atores Sociais no Processo de Definição de Estratégias ou Políticas de M-Governança:  Segundo o respondente de Alagoas o desenvolvimento dos serviços é independente na instituição proponente, com o envolvimento no máximo das empresas de tecnologia da esfera de governo;  Já no caso do Rio Grande do Sul, se pretende estender a discussão sobre estratégias e políticas de mobilidade à Secretaria de Comunicação e ao Comitê de Governança de TIC do Estado; A participação cidadã no estado do Paraná considera a interação entre os atores no delineamento e definição de estratégias e políticas de M-gov por meio dos feedbacks da central de atendimento telefônico, do chat do portal institucional da empresa de TIC, do portal serviços do estado, dentre outros; A colaboradora do governo de Minas Gerais externalizou preocupação em receber as percepções da sociedade. Para isso são realizadas pesquisas de satisfação e são disponibilizados canais de comunicação para a sociedade; Síntese da Análise dos Resultados
  • 13. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação A Participação dos diversos Atores Sociais no Processo de Definição de Estratégias ou Políticas de M-Governança (cont.):  O entrevistado do MP destacou as consultas públicas já realizadas pela Internet pelo governo federal. Todavia, a participação nessas ainda é baixa;  O colaborador do Rio de Janeiro afirmou que a participação das demais secretarias de estado em M-serviços ocorre por meio da priorização de demandas definidas pelo ‘Planejamento Estratégico Plurianual’ daquele governo. Isto ocorre também em Minas Gerais que criou um projeto estruturador de e-Governo, no âmbito do planejamento estratégico do estado; O respondente de São Paulo está disposto a colaborar no desenvolvimento de aplicativos tal como ocorrido no Metrô da cidade onde a sociedade customizou uma aplicação para acesso a esse serviço e a disponibilizou no Android Market. Na opinião de um dos entrevistados daquele estado os canais móveis tendem a ser tornar o principal canal de interação com os governos; Enfim, no caso do RS Móvel a consulta de serviços demandados pela sociedade é feita pelo portal do gabinete digital. Após avaliação os serviços são disponibilizados para acesso por celulares. Síntese da Análise dos Resultados
  • 14. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Estágio Atual da M-governança no Brasil, Ações para Aprimoramento e Recomendações:  Tanto em nível federal como em estados e municípios se subentende que a M- governança se apresenta em estágio bastante inicial;  Alguns casos estudados sofreram descontinuidade como ‘o projeto piloto de sms’ de São Paulo e os serviços de Alagoas. Outros estão sendo reestruturados e outros ainda vem trazendo novas perspectivas para a disponibilização de M-serviços após o crescimento do uso de smatphones;  Entrevistados de alguns governos apontaram a necessidade urgente de redução de preços e tarifas de uso de serviços móveis principalmente, de pacotes de tráfego de dados e de mensagens de texto. Cabe destacar também que aparelhos com maior sofisticação tecnológica como smartphones ainda, não são acessíveis sob o aspecto financeiro;  Registre-se que nenhum dos entrevistados relatou a existência de uma política formalizada ou uma estratégia de M-governo; Síntese da Análise dos Resultados
  • 15. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Estágio Atual da M-governança no Brasil, Ações para Aprimoramento e Recomendações (cont.):  Segundo o colaborador do Ministério das Cidades se faz necessário o convencimento dos gestores das instituições públicas sobre a importância da mobilidade em governo e para as dificuldades de organização e acesso as informações de forma geral;  O representante do MP descreveu o início de um processo de contratação conjunta, de vários órgãos federais, de volume significativo de mensagens de texto e de definição de e-serviços que poderão ser disponibilizados por canais móveis; e  Por fim, o entrevistado do INEP/ MEC segundo o qual o país apresenta uma realidade bastante heterogênea geográfica e sócio-economicamente o que precisa ser considerados no processo de disponibilização de M-serviços. Síntese da Análise dos Resultados
  • 16. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Expectativas da Sociedade em Relação a M-governança:  De forma geral, os entrevistados compreendem que a exploração de serviços de M-gov tendem a se massificar e que a sociedade pode esperar um portfólio amplo de serviços disponíveis por canais móveis. Isto ocorrerá também devido a demanda das novas gerações. Todavia, como ressalta um dos entrevistados de São Paulo, isso dependerá de apoio político e de aportes orçamentários e financeiros; Já a representante de Minas Gerais enfatizou a preocupação daquele governo em investir em tecnologias e na prestação de serviços com foco na cidadania; e  O MP afirmou que vem trabalhando na definição de serviços móveis pilotos. Enquanto o representante do governo do Rio de Janeiro destacou a necessidade de conscientização dos gestores sobre os benefícios que podem advir com a M- governança por ela estreitar o relacionamento estado-sociedade, promover inovação e modernidade no acesso a serviços de governo e melhorar a própria imagem das instituições. Síntese da Análise dos Resultados
  • 17. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Conclusões e Proposições  O M-gov trás uma nova dinâmica para a prestação de e-serviços;  A M-governança mesmo em estágio inicial e com pouca estruturação, vem fortalecendo a e-Governança e a e-Governabilidade, tendo em vista a implementação de comitês de TICs nas diversas esferas de governo;  O conceito de M-governança se encontra em desenvolvimento na literatura, semelhante a concepção de M-gov;  Os múltiplos casos analisados permitem afirmar que não há uma política ou estratégia articulada e sinérgica de disponibilização de serviços públicos. Países como Reino Unido, Coréia, entre outros consideram esse canal como estratégico em programas de e-Gov;
  • 18. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação  A análise dos casos demonstrou também que o tema mobilidade em governos e seus desdobramentos ainda é considerado com reservas;  Urgente necessidade de reformulação do Comitê Executivo de e-Gov – fórum de alto nível responsável pela formulação dessa política em nível federal. Esse novo fórum deve disponibilizar assento para a sociedade civil;  Poderão ser desenvolvidas também, versões simplificadas dos portais de serviços das três esferas do governo brasileiro;  As políticas ou estratégias de M-governança devem considerar a percepção de cidadãos e empresas, pois como levantado por este estudo a sociedade cada vez mais exige do Estado eficiência e melhores serviços públicos; Conclusões e Proposições
  • 19. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação  Recomenda-se a priorização do projeto de contratação conjunta de mensagens de texto para o governo federal cujo levantamento inicial ocorreu no final de 2011;  Se propõe o desenvolvimento de iniciativas de M-governo orientadas a cidadãos e empresas, afim de se promover o máximo de sinergia possível e de complementaridade entre os diversos atores sociais; e  Por fim, conforme defende Aguiar (2010), as iniciativas de governo móvel devem ser construídas e consolidadas como projeto de Estado para que sejam garantidas a continuidade, a confiabilidade e a credibilidade das mesmas. Conclusões e Proposições
  • 20. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação “...a mobilidade não é uma tendência e sim uma realidade que os governos precisam aderir urgentemente”. (Colaborador do Estudo) everson.aguiar@gmail.com 55 61 2020-1562