SlideShare uma empresa Scribd logo
Cases
** QUALIDADE E TESTES DE SOFTWARE **
2
Alguns casos de sucesso em Testes de Software
A BRISA tem aplicado Processos e Serviços de Qualidade e Testes de Software em plataformas WEB, Desktop, Mobile, TV e Softwares Embarcados.
Execução de testes funcionais,
validação de requisitos, testes de
compatibilidade e portabilidade
em dispositivos móveis nos
canais eletrônicos da Instituição.
Execução de testes funcionais,
exploratórios, desempenho,
estresse, testes de campo e
automatizados em dispositivos
móveis e TV Digital.
Desenvolvimento e execução
de scripts automatizados em
plataforma mobile para testes
de compatibilidade dos
aplicativos da Instituição.
Execução de testes
automatizados para validação
funcional e não-funcional em
ambiente WEB e softwares
embarcados em rastreadores.
Execução de testes funcionais,
validação de requisitos e testes
exploratórios em sistemas
embarcados de desktops/
notebooks e modems 3G.
Execução de testes manuais e
automatizados em plataforma
WEB para controle de soluções
de pesagens desenvolvidas pela
Empresa
Inst
Financ
Eletro
Eletrônic
Eletro
Eletrônic
Inst
Financ
TI
Hardware
Industr
Equip
3
Projeto X – TESTES EM PLATAFORMA MOBILE
Aplicativo Mobile Pessoa Física / Personalité – Android, iOS e Windows Phone
A segmentação dos defeitos permitiu a identificação
mais assertiva e ágil dos riscos associados a eles,
além de uma priorização da correção dos defeitos por
parte da equipe de desenvolvimento da equipe Canais
Eletrônicos.
Segmentação dos Defeitos encontrados
A equipe da BRISA utilizou os dispositivos mais
utilizados pelos clientes ITAÚ (cobertura de 62%)
durante a execução das atividades de testes, além
daqueles que apresentaram maior índice de
reclamações nas lojas virtuais (cobertura de 56%).
Estratégia com base nos dispositivos - CLIENTES
A aplicação das atividades de testes permitiram a
redução de incidência de 244 defeitos em produção,
geralmente identificadas pelos clientes finais.
Redução de ocorrências de defeitos em produção
A aplicação de técnicas de testes inválidos permitiu
um aumento na quantidade de defeitos encontrados
durante a execução das atividades de testes (244
defeitos para 992 horas de testes).
Aumento no número de defeitos encontrados
associado a redução do tempo para detecção
4
ESTRATÉGIA E RESULTADOS DE TESTES
Redução do ciclo de testes através de estratégias e processos de automação
Diminuição do tempo do ciclo de testes em até 70%
adotando estratégia de testes em um único navegador
e reprodução das falhas em outros navegadores. A
escolha do navegador é feita com base na utilização
dos usuários.
Redução do Ciclo de Testes
Diminuição no tempo de execução dos testes
regressivos em até 75% através da implementação de
testes automatizados. Além disso, os testes
automatizados podem ser executados no período
noturno, sem prejudicar a produtividade da equipe.
Diminuição no ciclo regressivo com automação
5
ESTRATÉGIA E RESULTADOS DE TESTES
Dados analíticos gerados pelas equipes da BRISA para definição de estratégia eficiente de testes
A estratégia de testes regressivos com base nas
funcionalidades mais utilizadas e mais críticas
ajudaram na redução do ciclo de testes.
Testes Regressivos mais eficientes
Com base na densidade de defeitos, realizadas através
de dados analíticos gerados pela BRISA, é possível
determinar a estratégia de testes para novos releases
do sistema, tornando as atividades de testes mais
assertivas.
Assertividade na Estratégia dos Testes
6
TOMADA DE DECISÃO PELOS GESTORES
Informações geradas para os Gestores
Com base nos relatórios providos pela BRISA, a gestão
Cliente determina se uma determinada versão do
sistema poderá entrar em produção com base na
cobertura dos testes executados, defeitos encontrados
e corrigidos. Além disso, esses dados analíticos
permitem um acompanhamento dos trabalhos das
equipes envolvidas.
Tomada de decisão pelos dados BRISA
Através dos índices de falhas identificadas e corrigidas,
os gestores conseguem determinar e gerenciar os
riscos do sistema objeto de testes em produção.
Falhas Pendentes vs. Corrigidas
7
ACOMPANHAMENTO DA AUTOMAÇÃO PELA GESTÃO
Equipe trabalhando com metas para cumprir com os prazos estabelecidos
A equipe da BRISA provê as informações necessárias
para que a Gestão do Cliente acompanhe o
andamento do processo de modelagem dos scripts
automatizados.
Acompanhamento do processo de Automação
Esse modelo, além de estabelecer os pontos de
controle de acompanhamento do projeto, permite os
interessados adotarem estratégias e planos de ações
para o cumprimento das metas estabelecidas.
Do ponto de vista da Auditoria de TI, permite com que
as áreas de desenvolvimento possam ter acesso às
informações relativas a qualidade do software e os
riscos associados aos Bugs/Fragilidades encontradas, e
ainda em tempo de projeto, trazendo sinergia entre
ambas – Auditoria como Parceria ao invés de Fiscal.
Ganhos no acompanhamento
8
GESTÃO DE MASSA DE DADOS - AUTOMAÇÃO
Aceleração no processo de automação
A equipe da BRISA implementou em seus projetos de
automação, scripts para seleção e geração de massa
de dados a serem utilizados no processo de
automação. Esses scripts reduzem, em média, de 2
horas para 15 minutos o processo de seleção de
massa, diariamente.
Script para seleção/geração de dados
A limpeza dados inseridos durante as atividades de
testes também são realizados de forma automatizada,
além de ser executada no período noturno, não
prejudicando o desempenho da equipe. Esse processo,
quando executado de forma manual, pode levar até 4
horas.
Limpeza dos artefatos de testes
9
Um Exemplo de Arquitetura Implementada para automação Mobile
Servidores dedicados com modelos celulares utilizados pela maioria dos Clientes em estações de trabalho i7 / 16GB RAM / Perfil Admin- Cliente Financeiro de
Grande Porte
RACKS
COM CONNECTORS
HP MOBILECENTER
DEDICADOS
DISPOSITIVOS
MÓVEIS ACOPLADOS
NOS CONNECTORSHP
MOBILE CENTER
SERVIDORES:
HP ALM / HP UFT /
HP MOBILECENTER
ESTAÇÕES DE TRABALHO
i7 / 16GB RAM / ADMIN
10
Modelo de Controle nos processos, para otimização das atividades
Os processos são definidos com base nas práticas do PMI, MPS.Br, MPT.Br e ISTQB e adequados para cada cliente, se necessário
11
ALGUNS GANHOS COM OS PROCESSOS DE TESTES BRISA
Alguns exemplos de ganhos, segmentados por cases
CASE 1 – Inst Financ
1. Redução na incidência de 1070 falhas funcionais
e não-funcionais, todas encontradas nas fases de
desenvolvimento de software, através da aplicação
de técnicas e atividades de testes de software.
CASE 2 – Inst Financ CASE 3 - Manufatura
2. Redução nos ciclos de testes através da
automatização dos casos de testes de regressão,
reduzindo assim o tempo de execução em até 70%.
3. Redução dos riscos em produção através do
alinhamento entre equipe de desenvolvimento e
testes da BRISA, onde foram estabelecidos KPIs
para aprovação e liberação de verões em produção.
4. Redução dos ciclos de testes através da
implantação de estratégias de testes assertivas,
reduzindo também os ciclos de desenvolvimento
de software.
1. Redução na incidência de 244 falhas funcionais e
não-funcionais, através da aplicação de técnicas e
atividades de testes de software.
2. Otimização do processo de testes através da
aplicação de scripts automatizados em plataforma
mobile, onde obtivemos uma redução no tempo da
execução dos testes de 300 para 16 horas.
3. Aumento da cobertura dos testes através da
seleção assertiva dos dispositivos a serem utilizados
nas atividades de testes, reduzindo as reclamações
de usuários finais nas lojas virtuais.
1. Redução na incidência de 50 falhas funcionais e
não-funcionais, por versão do software, através da
aplicação de testes manuais e automatizados.
2. Redução dos riscos através da implantação de um
sistema de treinamento para retenção, reciclagem,
alinhamento e divulgação de informações, reduzindo
os riscos de turnover em 100%.
3. Implementação de programas de certificações
(CTFL), onde conseguimos um aumento na
qualidade e produtividade das equipes em 35%.
4. Implementação de programas de certificações
processos com base nas melhores práticas (MPT.Br)
onde obtivemos uma redução de retrabalho das
falhas registradas em 93%.
12
Algumas Ferramentas de Testes de Software
A BRISA utiliza e sugere as ferramentas de gestão e execução de testes a serem utilizadas, de acordo com as necessidades ou requisição do cliente.
ISSUE TRACKING Selenium For Issue Tracking
UI Automator
T E S T I N G S U I T E
for SECURITY TESTING
for CODE TESTING
A c c e s s i b i l i t yMTC
CUSTOMIZEDTESTING TOOL
for CODE & LOAD TESTING
for TESTING ENVIRMENT
DEVELOP SYSTEM TOOLS
for CODE TESTING
13
Exemplos de Entregáveis e Artefatos de Testes
Além dos relatórios convencionais de testes, a BRISA pode customizar os entregáveis para atender às necessidades dos clientes.
Descrição do defeito, passos para
reprodução, evidência (‘prints’,
vídeo etc.) prioridade, impacto,
autor etc.
RELATÓRIO DE DEFEITOS
Descrição dos casos de testes,
resultado esperado, autor,
data e hora, status,
comentários etc.
CASOS DE TESTES
Cronograma, escopo,
recursos, ambiente,
indicadores, artefatos,
estratégia, atividades etc.
PLANO DE TESTES
Sumário do projeto,
estatísticas, densidade dos
defeitos, análises, tipo de
defeitos, riscos etc.
RELATÓRIOS TÉCNICOS
Nos últimos anos, a BRISA já executou mais de 10 milhões de casos de testes,
distribuídos em mais de 20.000 projetos, realizados em mais de 20 países e 4
idiomas diferentes, com a colaboração atual de mais de 150 analistas de testes
qualificados.
EXPERIÊNCIA SÓLIDA EM QUALIDADE DE SOFTWRAE
Acompanhamento e comunicação em tempo real (‘on-line’) dos problemas
identificados (‘bugs’), com apoio direto de nossos analistas, refletindo na
produtividade dos desenvolvedores, reduzindo custos e determinando ‘go-lives’
perfeitos.
COMUNICAÇÃO EM TEMPO REAL COM NOSSOS CLIENTES
A BRISA pode estimar o esforço de testes, estabelecendo uma estratégia de
testes eficaz, através de requisitos, casos de uso, pontos de função, telas,
módulos, ou mesmo através do mapeamento do sistema (ausência de
documentação).
ESFORÇO E ESTIMATIVAS ASSERTIVAS
Os analistas da BRISA têm certificação CTFL (‘Certified Tester Foundation Level’)
pelo ISTQB (‘International Software Testing Qualification Board’), comprovando
a aplicação das melhores práticas e técnicas de qualidade e testes de software.
ANALISTAS CERTIFICADOS CTFL
A BRISA é a primeira e única organização a alcançar o nível máximo do modelo
MPT.Br (Melhoria de Processos de Testes Brasileiro), comprovando excelência
em gestão e processos de qualidade e testes de software, em todos as unidades
no Brasil.
ORGANIZAÇÃO CERTIFICADA NÍVEL 5
Diferenciais BRISA
Por que implementar Processos de Qualidade e Testes de Software
com a BRISA?
SÃO PAULO– SP
Rua Arizona, 1422 - 2.o andar
Platinum Building
Brooklin Novo
CEP: 04567-003
Consulte-nos:
Gilda.Lauriano@brisabr.com.br
BRASÍLIA - DF
SCS, Quadra 07 – Bloco A,
100 - Sala 824
Ed. Torre do Pátio Brasil
CEP: 70307-902
SÃO PAULO– SP
Rua Alexandre Dumas, 2220
6º andar
Ed. Ralph Rosenberg
CEP: 04717-912
www.brisabr.com.br
Tel.: (11) 4410-4550
brisa@brisabr.com.br
SALVADOR – BA
Av. Ant. Carlos Magalhães, 3840
2º Andar, Ala A - Ed. Capemi
Caminho das Árvores
CEP: 41800-700
RIO DE JANEIRO - RJ
Av. Luis Carlos Prestes, nº 180
3º andar - Sala 324
Barra da Tijuca
CEP: 22775-055
ORLANDO – USA
7380 W. Sand Lake Road,
Suite 500,
Orlando,
FL 32819 - USA
Tel.: (11) 3755-8100 Tel.: (21) 2112-4600 Tel.: (71) 3353-7733 Tel.: +1 (407) 992-2327Tel.: (61) 3214-3500

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gerenciamento da Qualidade de Software 5.pptx
Gerenciamento da Qualidade de Software 5.pptxGerenciamento da Qualidade de Software 5.pptx
Gerenciamento da Qualidade de Software 5.pptx
Roberto Nunes
 
3 engenharia de software
3   engenharia de software3   engenharia de software
3 engenharia de software
Felipe Bugov
 
Introdução ao Teste de Software - Uma abordagem prática
Introdução ao Teste de Software - Uma abordagem práticaIntrodução ao Teste de Software - Uma abordagem prática
Introdução ao Teste de Software - Uma abordagem prática
Fabrício Campos
 
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Webcasts developerWorks Brasil
 
Verificação e validação de software
Verificação e validação de softwareVerificação e validação de software
Verificação e validação de software
Leonardo Melo Santos
 
Fundamentos Engenharia de Software.pptx
Fundamentos Engenharia de Software.pptxFundamentos Engenharia de Software.pptx
Fundamentos Engenharia de Software.pptx
Roberto Nunes
 
Engenharia de Testes
Engenharia de TestesEngenharia de Testes
Engenharia de Testes
UFPA
 
Uma Metodologia Para Teste De Software No Contexto Da Melhoria De Processo
Uma Metodologia Para Teste De Software No Contexto Da Melhoria De ProcessoUma Metodologia Para Teste De Software No Contexto Da Melhoria De Processo
Uma Metodologia Para Teste De Software No Contexto Da Melhoria De Processo
crc1404
 
Gerenciamento da Qualidade de Software 2.pptx
Gerenciamento da Qualidade de Software 2.pptxGerenciamento da Qualidade de Software 2.pptx
Gerenciamento da Qualidade de Software 2.pptx
Roberto Nunes
 
Dba Testes Gerentes B2
Dba Testes Gerentes B2Dba Testes Gerentes B2
Dba Testes Gerentes B2
Leonardo Molinari
 
Introdução a Testes de Software - Unidade I
Introdução a Testes de Software - Unidade IIntrodução a Testes de Software - Unidade I
Introdução a Testes de Software - Unidade I
João Lourenço
 
Introdução a Automação de Teste de Software
Introdução a Automação de Teste de SoftwareIntrodução a Automação de Teste de Software
Introdução a Automação de Teste de Software
Camilo Ribeiro
 
Papéis em Teste e Qualidade de Software
Papéis em Teste e Qualidade de SoftwarePapéis em Teste e Qualidade de Software
Papéis em Teste e Qualidade de Software
Camilo Ribeiro
 
Automação de Testes: Ferramentas e Aplicação com Integração Contínua
Automação de Testes: Ferramentas e Aplicação com Integração ContínuaAutomação de Testes: Ferramentas e Aplicação com Integração Contínua
Automação de Testes: Ferramentas e Aplicação com Integração Contínua
Gabriela Patuci
 
Dba Ciclo Palestra P5 V1a
Dba Ciclo Palestra P5 V1aDba Ciclo Palestra P5 V1a
Dba Ciclo Palestra P5 V1a
Leonardo Molinari
 
Palestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreira
Palestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreiraPalestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreira
Palestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreira
Taís Dall'Oca
 
Implantação de um Processo de Teste de Software - Randerson Melville
Implantação de um Processo de Teste de Software - Randerson Melville Implantação de um Processo de Teste de Software - Randerson Melville
Implantação de um Processo de Teste de Software - Randerson Melville
minastestingconference
 
Conceitos e fundamentos sobre testes de software e garantia da qualidade
Conceitos e fundamentos sobre testes de software e garantia da qualidadeConceitos e fundamentos sobre testes de software e garantia da qualidade
Conceitos e fundamentos sobre testes de software e garantia da qualidade
rzauza
 
Verificação, validação e teste de software ágil
Verificação, validação e teste de software ágilVerificação, validação e teste de software ágil
Verificação, validação e teste de software ágil
Gilberto Gampert
 
Qualidade e Teste de Software
Qualidade e Teste de SoftwareQualidade e Teste de Software
Qualidade e Teste de Software
Kamilla Queiroz Xavier
 

Mais procurados (20)

Gerenciamento da Qualidade de Software 5.pptx
Gerenciamento da Qualidade de Software 5.pptxGerenciamento da Qualidade de Software 5.pptx
Gerenciamento da Qualidade de Software 5.pptx
 
3 engenharia de software
3   engenharia de software3   engenharia de software
3 engenharia de software
 
Introdução ao Teste de Software - Uma abordagem prática
Introdução ao Teste de Software - Uma abordagem práticaIntrodução ao Teste de Software - Uma abordagem prática
Introdução ao Teste de Software - Uma abordagem prática
 
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
 
Verificação e validação de software
Verificação e validação de softwareVerificação e validação de software
Verificação e validação de software
 
Fundamentos Engenharia de Software.pptx
Fundamentos Engenharia de Software.pptxFundamentos Engenharia de Software.pptx
Fundamentos Engenharia de Software.pptx
 
Engenharia de Testes
Engenharia de TestesEngenharia de Testes
Engenharia de Testes
 
Uma Metodologia Para Teste De Software No Contexto Da Melhoria De Processo
Uma Metodologia Para Teste De Software No Contexto Da Melhoria De ProcessoUma Metodologia Para Teste De Software No Contexto Da Melhoria De Processo
Uma Metodologia Para Teste De Software No Contexto Da Melhoria De Processo
 
Gerenciamento da Qualidade de Software 2.pptx
Gerenciamento da Qualidade de Software 2.pptxGerenciamento da Qualidade de Software 2.pptx
Gerenciamento da Qualidade de Software 2.pptx
 
Dba Testes Gerentes B2
Dba Testes Gerentes B2Dba Testes Gerentes B2
Dba Testes Gerentes B2
 
Introdução a Testes de Software - Unidade I
Introdução a Testes de Software - Unidade IIntrodução a Testes de Software - Unidade I
Introdução a Testes de Software - Unidade I
 
Introdução a Automação de Teste de Software
Introdução a Automação de Teste de SoftwareIntrodução a Automação de Teste de Software
Introdução a Automação de Teste de Software
 
Papéis em Teste e Qualidade de Software
Papéis em Teste e Qualidade de SoftwarePapéis em Teste e Qualidade de Software
Papéis em Teste e Qualidade de Software
 
Automação de Testes: Ferramentas e Aplicação com Integração Contínua
Automação de Testes: Ferramentas e Aplicação com Integração ContínuaAutomação de Testes: Ferramentas e Aplicação com Integração Contínua
Automação de Testes: Ferramentas e Aplicação com Integração Contínua
 
Dba Ciclo Palestra P5 V1a
Dba Ciclo Palestra P5 V1aDba Ciclo Palestra P5 V1a
Dba Ciclo Palestra P5 V1a
 
Palestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreira
Palestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreiraPalestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreira
Palestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreira
 
Implantação de um Processo de Teste de Software - Randerson Melville
Implantação de um Processo de Teste de Software - Randerson Melville Implantação de um Processo de Teste de Software - Randerson Melville
Implantação de um Processo de Teste de Software - Randerson Melville
 
Conceitos e fundamentos sobre testes de software e garantia da qualidade
Conceitos e fundamentos sobre testes de software e garantia da qualidadeConceitos e fundamentos sobre testes de software e garantia da qualidade
Conceitos e fundamentos sobre testes de software e garantia da qualidade
 
Verificação, validação e teste de software ágil
Verificação, validação e teste de software ágilVerificação, validação e teste de software ágil
Verificação, validação e teste de software ágil
 
Qualidade e Teste de Software
Qualidade e Teste de SoftwareQualidade e Teste de Software
Qualidade e Teste de Software
 

Semelhante a Brisa - Cases Qualidade Sofware

Brisa Qualidade e Testes de software
Brisa   Qualidade e Testes de softwareBrisa   Qualidade e Testes de software
Brisa Qualidade e Testes de software
Gilda M Manetti Lauriano
 
Teste Contínuo de Integração e Virtualização de Serviços
Teste Contínuo de Integração e Virtualização de ServiçosTeste Contínuo de Integração e Virtualização de Serviços
Teste Contínuo de Integração e Virtualização de Serviços
RationalBrasil
 
Apresentação Artigo SBQS 2015 - Um Comparativo na Execução de Testes Manuais ...
Apresentação Artigo SBQS 2015 - Um Comparativo na Execução de Testes Manuais ...Apresentação Artigo SBQS 2015 - Um Comparativo na Execução de Testes Manuais ...
Apresentação Artigo SBQS 2015 - Um Comparativo na Execução de Testes Manuais ...
Vanilton Pinheiro
 
Ii enqs -_implantação_de_fábrica_de_teste_-_desafios,_resultados_e_melhores_p...
Ii enqs -_implantação_de_fábrica_de_teste_-_desafios,_resultados_e_melhores_p...Ii enqs -_implantação_de_fábrica_de_teste_-_desafios,_resultados_e_melhores_p...
Ii enqs -_implantação_de_fábrica_de_teste_-_desafios,_resultados_e_melhores_p...
Welington Monteiro
 
TesteDeSoftware_WorkshopSINFO2014.pdf
TesteDeSoftware_WorkshopSINFO2014.pdfTesteDeSoftware_WorkshopSINFO2014.pdf
TesteDeSoftware_WorkshopSINFO2014.pdf
Bruno Zolotareff dos Santos
 
Teste de Performance - 3º Encontro da ALATS
Teste de Performance - 3º Encontro da ALATSTeste de Performance - 3º Encontro da ALATS
Teste de Performance - 3º Encontro da ALATS
Fabrício Campos
 
Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2
Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2
Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2
Rafael Lima
 
Qualidade de Software com Microsoft Visual Studio
Qualidade de Software com Microsoft Visual StudioQualidade de Software com Microsoft Visual Studio
Qualidade de Software com Microsoft Visual Studio
Adriano Bertucci
 
Qualidade de software e sua influência no sucesso do projeto
Qualidade de software e sua influência no sucesso do projetoQualidade de software e sua influência no sucesso do projeto
Qualidade de software e sua influência no sucesso do projeto
Valquíria Duarte D'Amato
 
Palestra GUTS - Viabilidade da Automacao Teste Software e Demo QTP
Palestra GUTS - Viabilidade da Automacao Teste Software e Demo QTPPalestra GUTS - Viabilidade da Automacao Teste Software e Demo QTP
Palestra GUTS - Viabilidade da Automacao Teste Software e Demo QTP
Priscila Coelho S. Blauth
 
[GUTS-RS] GUTS Universitário - UNISINOS Campus POA
[GUTS-RS] GUTS Universitário - UNISINOS Campus POA[GUTS-RS] GUTS Universitário - UNISINOS Campus POA
[GUTS-RS] GUTS Universitário - UNISINOS Campus POA
GUTS-RS
 
01 UNIDADE I - Princípios, pilares e modelos de teste de software.pptx
01 UNIDADE I -  Princípios, pilares e modelos de teste de software.pptx01 UNIDADE I -  Princípios, pilares e modelos de teste de software.pptx
01 UNIDADE I - Princípios, pilares e modelos de teste de software.pptx
AnaKlyssia1
 
Qualidade de software
Qualidade de softwareQualidade de software
Qualidade de software
Rodrigo Oliveira, Msc, PMP
 
Aula18_V&VTesteSoftware.pdf
Aula18_V&VTesteSoftware.pdfAula18_V&VTesteSoftware.pdf
Aula18_V&VTesteSoftware.pdf
MichaelArrais1
 
Testes Funcionais
Testes FuncionaisTestes Funcionais
Testes Funcionais
Juliana Maria Lopes
 
Curriculo christiane abril13
Curriculo christiane abril13Curriculo christiane abril13
Curriculo christiane abril13
Christiane Benatti A. de Oliveira
 
Fábrica de Software - Desenvolvimento personalizado para o seu projeto especial
Fábrica de Software - Desenvolvimento personalizado para o seu projeto especialFábrica de Software - Desenvolvimento personalizado para o seu projeto especial
Fábrica de Software - Desenvolvimento personalizado para o seu projeto especial
Strada .
 
Automação de testes de desempenho para sistemas web utilizando a ferramenta J...
Automação de testes de desempenho para sistemas web utilizando a ferramenta J...Automação de testes de desempenho para sistemas web utilizando a ferramenta J...
Automação de testes de desempenho para sistemas web utilizando a ferramenta J...
Leandro Ugioni
 
Guday2015 - GUTS-RS
Guday2015 - GUTS-RSGuday2015 - GUTS-RS
Guday2015 - GUTS-RS
Antonio Andrade
 
Introdução a automação de testes - 5º Congresso Online de TI
Introdução a automação de testes - 5º Congresso Online de TIIntrodução a automação de testes - 5º Congresso Online de TI
Introdução a automação de testes - 5º Congresso Online de TI
Rafael Amaral
 

Semelhante a Brisa - Cases Qualidade Sofware (20)

Brisa Qualidade e Testes de software
Brisa   Qualidade e Testes de softwareBrisa   Qualidade e Testes de software
Brisa Qualidade e Testes de software
 
Teste Contínuo de Integração e Virtualização de Serviços
Teste Contínuo de Integração e Virtualização de ServiçosTeste Contínuo de Integração e Virtualização de Serviços
Teste Contínuo de Integração e Virtualização de Serviços
 
Apresentação Artigo SBQS 2015 - Um Comparativo na Execução de Testes Manuais ...
Apresentação Artigo SBQS 2015 - Um Comparativo na Execução de Testes Manuais ...Apresentação Artigo SBQS 2015 - Um Comparativo na Execução de Testes Manuais ...
Apresentação Artigo SBQS 2015 - Um Comparativo na Execução de Testes Manuais ...
 
Ii enqs -_implantação_de_fábrica_de_teste_-_desafios,_resultados_e_melhores_p...
Ii enqs -_implantação_de_fábrica_de_teste_-_desafios,_resultados_e_melhores_p...Ii enqs -_implantação_de_fábrica_de_teste_-_desafios,_resultados_e_melhores_p...
Ii enqs -_implantação_de_fábrica_de_teste_-_desafios,_resultados_e_melhores_p...
 
TesteDeSoftware_WorkshopSINFO2014.pdf
TesteDeSoftware_WorkshopSINFO2014.pdfTesteDeSoftware_WorkshopSINFO2014.pdf
TesteDeSoftware_WorkshopSINFO2014.pdf
 
Teste de Performance - 3º Encontro da ALATS
Teste de Performance - 3º Encontro da ALATSTeste de Performance - 3º Encontro da ALATS
Teste de Performance - 3º Encontro da ALATS
 
Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2
Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2
Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2
 
Qualidade de Software com Microsoft Visual Studio
Qualidade de Software com Microsoft Visual StudioQualidade de Software com Microsoft Visual Studio
Qualidade de Software com Microsoft Visual Studio
 
Qualidade de software e sua influência no sucesso do projeto
Qualidade de software e sua influência no sucesso do projetoQualidade de software e sua influência no sucesso do projeto
Qualidade de software e sua influência no sucesso do projeto
 
Palestra GUTS - Viabilidade da Automacao Teste Software e Demo QTP
Palestra GUTS - Viabilidade da Automacao Teste Software e Demo QTPPalestra GUTS - Viabilidade da Automacao Teste Software e Demo QTP
Palestra GUTS - Viabilidade da Automacao Teste Software e Demo QTP
 
[GUTS-RS] GUTS Universitário - UNISINOS Campus POA
[GUTS-RS] GUTS Universitário - UNISINOS Campus POA[GUTS-RS] GUTS Universitário - UNISINOS Campus POA
[GUTS-RS] GUTS Universitário - UNISINOS Campus POA
 
01 UNIDADE I - Princípios, pilares e modelos de teste de software.pptx
01 UNIDADE I -  Princípios, pilares e modelos de teste de software.pptx01 UNIDADE I -  Princípios, pilares e modelos de teste de software.pptx
01 UNIDADE I - Princípios, pilares e modelos de teste de software.pptx
 
Qualidade de software
Qualidade de softwareQualidade de software
Qualidade de software
 
Aula18_V&VTesteSoftware.pdf
Aula18_V&VTesteSoftware.pdfAula18_V&VTesteSoftware.pdf
Aula18_V&VTesteSoftware.pdf
 
Testes Funcionais
Testes FuncionaisTestes Funcionais
Testes Funcionais
 
Curriculo christiane abril13
Curriculo christiane abril13Curriculo christiane abril13
Curriculo christiane abril13
 
Fábrica de Software - Desenvolvimento personalizado para o seu projeto especial
Fábrica de Software - Desenvolvimento personalizado para o seu projeto especialFábrica de Software - Desenvolvimento personalizado para o seu projeto especial
Fábrica de Software - Desenvolvimento personalizado para o seu projeto especial
 
Automação de testes de desempenho para sistemas web utilizando a ferramenta J...
Automação de testes de desempenho para sistemas web utilizando a ferramenta J...Automação de testes de desempenho para sistemas web utilizando a ferramenta J...
Automação de testes de desempenho para sistemas web utilizando a ferramenta J...
 
Guday2015 - GUTS-RS
Guday2015 - GUTS-RSGuday2015 - GUTS-RS
Guday2015 - GUTS-RS
 
Introdução a automação de testes - 5º Congresso Online de TI
Introdução a automação de testes - 5º Congresso Online de TIIntrodução a automação de testes - 5º Congresso Online de TI
Introdução a automação de testes - 5º Congresso Online de TI
 

Brisa - Cases Qualidade Sofware

  • 1. Cases ** QUALIDADE E TESTES DE SOFTWARE **
  • 2. 2 Alguns casos de sucesso em Testes de Software A BRISA tem aplicado Processos e Serviços de Qualidade e Testes de Software em plataformas WEB, Desktop, Mobile, TV e Softwares Embarcados. Execução de testes funcionais, validação de requisitos, testes de compatibilidade e portabilidade em dispositivos móveis nos canais eletrônicos da Instituição. Execução de testes funcionais, exploratórios, desempenho, estresse, testes de campo e automatizados em dispositivos móveis e TV Digital. Desenvolvimento e execução de scripts automatizados em plataforma mobile para testes de compatibilidade dos aplicativos da Instituição. Execução de testes automatizados para validação funcional e não-funcional em ambiente WEB e softwares embarcados em rastreadores. Execução de testes funcionais, validação de requisitos e testes exploratórios em sistemas embarcados de desktops/ notebooks e modems 3G. Execução de testes manuais e automatizados em plataforma WEB para controle de soluções de pesagens desenvolvidas pela Empresa Inst Financ Eletro Eletrônic Eletro Eletrônic Inst Financ TI Hardware Industr Equip
  • 3. 3 Projeto X – TESTES EM PLATAFORMA MOBILE Aplicativo Mobile Pessoa Física / Personalité – Android, iOS e Windows Phone A segmentação dos defeitos permitiu a identificação mais assertiva e ágil dos riscos associados a eles, além de uma priorização da correção dos defeitos por parte da equipe de desenvolvimento da equipe Canais Eletrônicos. Segmentação dos Defeitos encontrados A equipe da BRISA utilizou os dispositivos mais utilizados pelos clientes ITAÚ (cobertura de 62%) durante a execução das atividades de testes, além daqueles que apresentaram maior índice de reclamações nas lojas virtuais (cobertura de 56%). Estratégia com base nos dispositivos - CLIENTES A aplicação das atividades de testes permitiram a redução de incidência de 244 defeitos em produção, geralmente identificadas pelos clientes finais. Redução de ocorrências de defeitos em produção A aplicação de técnicas de testes inválidos permitiu um aumento na quantidade de defeitos encontrados durante a execução das atividades de testes (244 defeitos para 992 horas de testes). Aumento no número de defeitos encontrados associado a redução do tempo para detecção
  • 4. 4 ESTRATÉGIA E RESULTADOS DE TESTES Redução do ciclo de testes através de estratégias e processos de automação Diminuição do tempo do ciclo de testes em até 70% adotando estratégia de testes em um único navegador e reprodução das falhas em outros navegadores. A escolha do navegador é feita com base na utilização dos usuários. Redução do Ciclo de Testes Diminuição no tempo de execução dos testes regressivos em até 75% através da implementação de testes automatizados. Além disso, os testes automatizados podem ser executados no período noturno, sem prejudicar a produtividade da equipe. Diminuição no ciclo regressivo com automação
  • 5. 5 ESTRATÉGIA E RESULTADOS DE TESTES Dados analíticos gerados pelas equipes da BRISA para definição de estratégia eficiente de testes A estratégia de testes regressivos com base nas funcionalidades mais utilizadas e mais críticas ajudaram na redução do ciclo de testes. Testes Regressivos mais eficientes Com base na densidade de defeitos, realizadas através de dados analíticos gerados pela BRISA, é possível determinar a estratégia de testes para novos releases do sistema, tornando as atividades de testes mais assertivas. Assertividade na Estratégia dos Testes
  • 6. 6 TOMADA DE DECISÃO PELOS GESTORES Informações geradas para os Gestores Com base nos relatórios providos pela BRISA, a gestão Cliente determina se uma determinada versão do sistema poderá entrar em produção com base na cobertura dos testes executados, defeitos encontrados e corrigidos. Além disso, esses dados analíticos permitem um acompanhamento dos trabalhos das equipes envolvidas. Tomada de decisão pelos dados BRISA Através dos índices de falhas identificadas e corrigidas, os gestores conseguem determinar e gerenciar os riscos do sistema objeto de testes em produção. Falhas Pendentes vs. Corrigidas
  • 7. 7 ACOMPANHAMENTO DA AUTOMAÇÃO PELA GESTÃO Equipe trabalhando com metas para cumprir com os prazos estabelecidos A equipe da BRISA provê as informações necessárias para que a Gestão do Cliente acompanhe o andamento do processo de modelagem dos scripts automatizados. Acompanhamento do processo de Automação Esse modelo, além de estabelecer os pontos de controle de acompanhamento do projeto, permite os interessados adotarem estratégias e planos de ações para o cumprimento das metas estabelecidas. Do ponto de vista da Auditoria de TI, permite com que as áreas de desenvolvimento possam ter acesso às informações relativas a qualidade do software e os riscos associados aos Bugs/Fragilidades encontradas, e ainda em tempo de projeto, trazendo sinergia entre ambas – Auditoria como Parceria ao invés de Fiscal. Ganhos no acompanhamento
  • 8. 8 GESTÃO DE MASSA DE DADOS - AUTOMAÇÃO Aceleração no processo de automação A equipe da BRISA implementou em seus projetos de automação, scripts para seleção e geração de massa de dados a serem utilizados no processo de automação. Esses scripts reduzem, em média, de 2 horas para 15 minutos o processo de seleção de massa, diariamente. Script para seleção/geração de dados A limpeza dados inseridos durante as atividades de testes também são realizados de forma automatizada, além de ser executada no período noturno, não prejudicando o desempenho da equipe. Esse processo, quando executado de forma manual, pode levar até 4 horas. Limpeza dos artefatos de testes
  • 9. 9 Um Exemplo de Arquitetura Implementada para automação Mobile Servidores dedicados com modelos celulares utilizados pela maioria dos Clientes em estações de trabalho i7 / 16GB RAM / Perfil Admin- Cliente Financeiro de Grande Porte RACKS COM CONNECTORS HP MOBILECENTER DEDICADOS DISPOSITIVOS MÓVEIS ACOPLADOS NOS CONNECTORSHP MOBILE CENTER SERVIDORES: HP ALM / HP UFT / HP MOBILECENTER ESTAÇÕES DE TRABALHO i7 / 16GB RAM / ADMIN
  • 10. 10 Modelo de Controle nos processos, para otimização das atividades Os processos são definidos com base nas práticas do PMI, MPS.Br, MPT.Br e ISTQB e adequados para cada cliente, se necessário
  • 11. 11 ALGUNS GANHOS COM OS PROCESSOS DE TESTES BRISA Alguns exemplos de ganhos, segmentados por cases CASE 1 – Inst Financ 1. Redução na incidência de 1070 falhas funcionais e não-funcionais, todas encontradas nas fases de desenvolvimento de software, através da aplicação de técnicas e atividades de testes de software. CASE 2 – Inst Financ CASE 3 - Manufatura 2. Redução nos ciclos de testes através da automatização dos casos de testes de regressão, reduzindo assim o tempo de execução em até 70%. 3. Redução dos riscos em produção através do alinhamento entre equipe de desenvolvimento e testes da BRISA, onde foram estabelecidos KPIs para aprovação e liberação de verões em produção. 4. Redução dos ciclos de testes através da implantação de estratégias de testes assertivas, reduzindo também os ciclos de desenvolvimento de software. 1. Redução na incidência de 244 falhas funcionais e não-funcionais, através da aplicação de técnicas e atividades de testes de software. 2. Otimização do processo de testes através da aplicação de scripts automatizados em plataforma mobile, onde obtivemos uma redução no tempo da execução dos testes de 300 para 16 horas. 3. Aumento da cobertura dos testes através da seleção assertiva dos dispositivos a serem utilizados nas atividades de testes, reduzindo as reclamações de usuários finais nas lojas virtuais. 1. Redução na incidência de 50 falhas funcionais e não-funcionais, por versão do software, através da aplicação de testes manuais e automatizados. 2. Redução dos riscos através da implantação de um sistema de treinamento para retenção, reciclagem, alinhamento e divulgação de informações, reduzindo os riscos de turnover em 100%. 3. Implementação de programas de certificações (CTFL), onde conseguimos um aumento na qualidade e produtividade das equipes em 35%. 4. Implementação de programas de certificações processos com base nas melhores práticas (MPT.Br) onde obtivemos uma redução de retrabalho das falhas registradas em 93%.
  • 12. 12 Algumas Ferramentas de Testes de Software A BRISA utiliza e sugere as ferramentas de gestão e execução de testes a serem utilizadas, de acordo com as necessidades ou requisição do cliente. ISSUE TRACKING Selenium For Issue Tracking UI Automator T E S T I N G S U I T E for SECURITY TESTING for CODE TESTING A c c e s s i b i l i t yMTC CUSTOMIZEDTESTING TOOL for CODE & LOAD TESTING for TESTING ENVIRMENT DEVELOP SYSTEM TOOLS for CODE TESTING
  • 13. 13 Exemplos de Entregáveis e Artefatos de Testes Além dos relatórios convencionais de testes, a BRISA pode customizar os entregáveis para atender às necessidades dos clientes. Descrição do defeito, passos para reprodução, evidência (‘prints’, vídeo etc.) prioridade, impacto, autor etc. RELATÓRIO DE DEFEITOS Descrição dos casos de testes, resultado esperado, autor, data e hora, status, comentários etc. CASOS DE TESTES Cronograma, escopo, recursos, ambiente, indicadores, artefatos, estratégia, atividades etc. PLANO DE TESTES Sumário do projeto, estatísticas, densidade dos defeitos, análises, tipo de defeitos, riscos etc. RELATÓRIOS TÉCNICOS
  • 14. Nos últimos anos, a BRISA já executou mais de 10 milhões de casos de testes, distribuídos em mais de 20.000 projetos, realizados em mais de 20 países e 4 idiomas diferentes, com a colaboração atual de mais de 150 analistas de testes qualificados. EXPERIÊNCIA SÓLIDA EM QUALIDADE DE SOFTWRAE Acompanhamento e comunicação em tempo real (‘on-line’) dos problemas identificados (‘bugs’), com apoio direto de nossos analistas, refletindo na produtividade dos desenvolvedores, reduzindo custos e determinando ‘go-lives’ perfeitos. COMUNICAÇÃO EM TEMPO REAL COM NOSSOS CLIENTES A BRISA pode estimar o esforço de testes, estabelecendo uma estratégia de testes eficaz, através de requisitos, casos de uso, pontos de função, telas, módulos, ou mesmo através do mapeamento do sistema (ausência de documentação). ESFORÇO E ESTIMATIVAS ASSERTIVAS Os analistas da BRISA têm certificação CTFL (‘Certified Tester Foundation Level’) pelo ISTQB (‘International Software Testing Qualification Board’), comprovando a aplicação das melhores práticas e técnicas de qualidade e testes de software. ANALISTAS CERTIFICADOS CTFL A BRISA é a primeira e única organização a alcançar o nível máximo do modelo MPT.Br (Melhoria de Processos de Testes Brasileiro), comprovando excelência em gestão e processos de qualidade e testes de software, em todos as unidades no Brasil. ORGANIZAÇÃO CERTIFICADA NÍVEL 5 Diferenciais BRISA Por que implementar Processos de Qualidade e Testes de Software com a BRISA?
  • 15. SÃO PAULO– SP Rua Arizona, 1422 - 2.o andar Platinum Building Brooklin Novo CEP: 04567-003 Consulte-nos: Gilda.Lauriano@brisabr.com.br BRASÍLIA - DF SCS, Quadra 07 – Bloco A, 100 - Sala 824 Ed. Torre do Pátio Brasil CEP: 70307-902 SÃO PAULO– SP Rua Alexandre Dumas, 2220 6º andar Ed. Ralph Rosenberg CEP: 04717-912 www.brisabr.com.br Tel.: (11) 4410-4550 brisa@brisabr.com.br SALVADOR – BA Av. Ant. Carlos Magalhães, 3840 2º Andar, Ala A - Ed. Capemi Caminho das Árvores CEP: 41800-700 RIO DE JANEIRO - RJ Av. Luis Carlos Prestes, nº 180 3º andar - Sala 324 Barra da Tijuca CEP: 22775-055 ORLANDO – USA 7380 W. Sand Lake Road, Suite 500, Orlando, FL 32819 - USA Tel.: (11) 3755-8100 Tel.: (21) 2112-4600 Tel.: (71) 3353-7733 Tel.: +1 (407) 992-2327Tel.: (61) 3214-3500