SlideShare uma empresa Scribd logo
Ano 14 • nº 167 • AGOSTO 2013 • Barra da Tijuca, Recreio e Vargens • Distribuição mensal e gratuita
PAPA FRANCISCO
Nossa colunista Cleci Meneghel re-
lembra a passagem do papa Francisco
pelo Rio de Janeiro, durante a Jornada
Mundial da Juventude. Pág. 13
CIRCULANDO
Com o surfe como tema, a artista
plástica Ana Paula Alves de Souza
apresenta uma exposição na Barra.
Confira nesta edição. Pág. 10
PAES E CABRAL
RECEBEM
LIDERANÇAS
COMUNITÁRIAS
Em julho, o prefeito e o governador do
Rio se encontraram com representantes
daCCBT(CâmaraComunitáriadaBarra),
ABM (Associação Bosque Marapendi),
Amarosas (Associação de Moradores do
Parque das Rosas) e Península. Pág. 04
ATÉ QUANDO?
O
s moradores da região pagam um dos maiores IPTUs do Rio
de Janeiro. Ainda assim, há problemas que parecem não ter
fim. Até quando teremos calçadas esburacadas, sem conser-
vação? Até quando haverá consumo de crack, a qualquer
hora do dia e da noite, na Praça Tim Maia, no Recreio? Até quando pes-
soas morarão embaixo de marquises ou viadutos? Até quando?
CABELOS CURTOS?
Neste mês, Paulinho Barros fala sobre os
cabelos curtos, que estão cada vez mais
em alta ao redor do mundo. Pág. 12
Pág. 06
CULTURA DA VIDA
Em primeira mão na imprensa brasilei-
ra, nosso colunista Alberto Peribanez
Gonzalez, em um artigo contundente,
alerta para os perigos de perdermos uma
das maiores riquezas do Brasil, o aquífe-
ro Guarani, ameaçado de esvaziamento
por multinacional americana. Pág. 07
Crédito das fotos: Marlene Morbeck.
Agosto 2013 Jornal Tipo Carioca02
Mapa Astral • Tel.: 8834-7412
adrianafmello@ig.com.br | www.contatoscom.blig.ig.com.br
O
s cristais não são só ob-
jetos de adorno por sua
beleza, nem amuletos que
nos livram de maldades e
nos direcionam. Na verdade, as fre-
quências emitidas por eles transmi-
tem um quantum de luz, fazendo o
trabalho que lhes compete.
Nosso corpo emite frequências, que,
em ressonância com os cristais, na
forma de uso pessoal, desempe-
nham um trabalho de transmutação
de energias.
As pedras são fonte de energia, força
e poder; os cristais são os melhores
condutores e amplificadores, pois,
através de sua estrutura molecular,
exprimem a perfeição cósmica, afe-
tando direta ou indiretamente todos
que se colocam em sua presença.
Nenhum elemento do universo está
aí por acaso. Todos têm seu traba-
lho, sua missão, embora, em muitos
casos, não saibamos do que se trata,
pois ainda não temos entendimen-
to para compreender os mistérios
ocultos em cada ser. Muitos destes
emergiram agora para a superfície
do planeta, pois só neste momen-
to a humanidade está pronta para
utilizá-los.
Os cristais nos dão força inte-
rior, determinação, perseverança.
Trabalham aspectos espirituais, ver-
balização de pensamentos, são cal-
mantes, equilibradores de energias,
limpam o medo, a falta, a escassez.
Então, vamos lá:
Prosperidade – Âmbar, olho de
gato, rubi, safira, topázio, turquesa;
Riqueza – Olho de tigre, topázio,
rubi;
Fortunas perdidas – Olho de gato;
Boa sorte em negócios – Jaspe san-
guíneo, malaquita, pirita;
Energia Negativa – Ônix;
Equilibrio de emoções – Pedra da
Lua;
Capacidade Mental – Pirita;
Amor – Quartzo Rosa;
Energia vital – Rubi;
Limpeza de ambiente – Selenita.
OS CRISTAIS E A ABUNDÂNCIA
As pedras podem ser usadas na mão,
no bolso, na bolsa, nos locais de tra-
balho, na água de beber, em forma de
elixir, nos chacras. Devem ser limpas
e energizadas, para tirar as energias
desqualificadas deixadas por outra
(s) pessoa (s). Sal grosso, água cor-
rente e Sol, Lua, tempestades, cacho-
eiras, drusas são formas e forças de
limpeza e energização.
Cuide bem do seu cristal. Escolha-o
como se escolhe um amigo. Trate-o
com carinho, e ele corresponderá.
As pedras da prosperidade promo-
vem e reconectam com a abundân-
cia. Ajudam a recuperar questões
perdidas, oportunizam negócios jus-
tos para ambas as partes.
Cristais são guardados por gnomos,
fadas, silfos e todos os elementais
guardiões dos tesouros subterrâne-
os. Todos estão para trabalho, cada
qual na sua configuração, facilitam
a reorganização dos vórtices de
energia, dos meridianos, das linhas
energéticas sutis, promovendo o re-
equilíbrio e a abundância em todos
os aspectos.
Av.SalvadorAllende
Av. Alfredo Baltazar da Silveira
BRT
SALVADOR
ALLENDE
Av. das Américas
Conheça também nossos cursos de:
MBACASTELO
&
GRADUAÇÃO
GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA
GRADUAÇÃO TRADICIONAL
Av. Salvador Allende, 6.700 (Shopping Bandeirantes)
3216 7700 | www.castelobranco.br
Curta /universidadecastelobranco
•Administração
•Gestão de RH •Gestão Empresarial
•Logística •Marketing
Unidade Recreio BRT Salvador Allende.
vestibular 2013.2
CENTRO INTERNACIONAL
DE EDUCAÇÃO INTEGRADA
www.ciei.g12.br | Estrada do Pontal, 2093 | Recreio | Tel/Fax: 2490-1673
ENSINO INFANTIL
ENSINO MÉDIO
100%
APPROVAL
In Cambridge exams!
EDUCAÇÃO
INTERNACIONAL
HORÁRIO
INTEGRAL
Come and do the International Baccalaureate Diploma!
ENSINO FUNDAMENTAL La tercera lengua que vas a aprender:
el Español
Ab der 6. Klasse lernst du Deutsch
Q
uando a conheci,
ela era católica pra-
ticante. Ia à missa
todos os domingos,
	 confessava-se e co-
mungava. Depois, afastou-se da
igreja católica, tornou-se evan-
gélica – o que não durou muito
–, passou a frequentar centros
espíritas e a estudar a filosofia
budista. Abandonou tudo.
Loura, olhos castanhos, corpo
bem feito, a moça parecia ter se
desinteressado da própria bele-
za. Vestia roupas sóbrias e amar-
rava os cabelos displicentemen-
te, com uma fita na nuca.
Aos que, ainda assim, a cobiça-
vam, lançava um olhar longínquo
e desencorajador.
Tirou os espelhos da casa, dei-
xando apenas um, pequeno, para
seus cuidados matinais.
Olhava constantemente para o
céu e, à noite, deitava-se na va-
randa para observar as estrelas.
Tornou-se frequentadora do
Jardim Botânico, onde perma-
necia longo tempo observando
EXISTÊNCIA
as plantas e os pássaros. Aos
sábados, ia ao Planetário, para
deleitar-se com a contemplação
dos astros e planetas.
Preocupado com o comporta-
mento da minha amiga, atrevi-
-me a perguntar-lhe o que estava
acontecendo.
– Tento não existir – foi sua seca
resposta.
– Como não existir? – insisti.
– Quero ver o mundo sem minha
presença. Só assim saberei como
é o mundo de verdade, sem mi-
nha intermediação.
Pensei em obstar a impossibili-
dade de saber ou conhecer qual-
quer coisa sem o próprio teste-
munho, de como estar ausente e
presente ao mesmo tempo, mas
ela foi peremptória:
– Quero ver a obra de Deus como
ela é, não através do meu olhar.
Para isso, deixo de existir.
Minha amiga deu-me as costas e
foi embora.
Faltou-me coragem de lhe di-
zer que ela também era obra
de Deus.
Jornal Tipo Carioca Agosto 2013 03
Editorial
S
e o caro leitor consultar
a Wikipedia, na internet,
vai encontrar o seguinte,
no verbete “Recreio dos
Bandeirantes”:
“Recreio dos Bandeirantes é um
bairro nobre de classe média alta
da Zona Oeste da cidade do Rio
de Janeiro. É um dos bairros mais
jovens da cidade, localizado na
região administrativa da Barra
da Tijuca, Possui uma área terri-
torial de 30.655 km² e uma popu-
lação de 82.240 habitantes dividi-
dos em 38.705 domicílios, sendo
conhecido pelo ambientalismo,
ORGANIZAÇÃO, SEGURANÇA, praias
e a prática de esportes aquáticos”.
Não sabemos quando foi colocado
isso na Wikipedia, mas está lá, para
consulta de pessoas que desejam
saber detalhes sobre este aprazível
recanto de nossa cidade.
O dado sobre o número de habi-
tantes é de 2010. De lá para cá, muita
coisa mudou. Em apenas três anos,
nossa população cresceu desmesu-
radamente, sem a correspondente
contrapartida na infraestrutura de
transportes, serviços e segurança.
Na definição acima, ressaltamos
os itens “Organização” e “Segurança”,
coisas que se tornam cada vez mais
precárias na região.
Em “organização”, basta ver o caos
que se instalou em ruas como a Gilka
Machado e a Guiomar de Novais, en-
tregues à própria sorte, com toda
espécie de infrações às leis. É pena,
porque ambas poderiam ajudar a
escoar o intenso tráfego de veícu-
los da Avenida das Américas para a
orla, se devidamente livres das ma-
zelas que as assolam. Na Américas,
a pista interna da direita mostra-se
quase impossível de ser usada, dada
a quantidade de carros estacionados
irregularmente em sua extensão.
Já no item “segurança”, depois
da implantação de UPPs em diver-
sas comunidades, parece que há
um deslocamento da bandidagem
Os textos e artigos assinados não
refletem necessariamente a opinião do
jornal, sendo responsabilidade
de seus autores.
www.tipocarioca.com.br
Administração:
R. Januário José Pinto de Oliveira, 277
Condomínio Maramar
Recreio dos Bandeirantes
Rio de Janeiro - RJ
CEP: 22790-864
CNPJ: 03.072.362/0001-86
Insc. Municipal: 02.577.631
Tel.: 2490-0328
Cel.: 9124-0185
jornal@tipocarioca.com.br
página 10
página 13
Ramade
Bairro
página 04
Gourmet
página 15
Social
página 14
Paisagismo
página 15
Meio ambiente
página 13
Cinema
página 14
para outras regiões, aí incluídas as
da Barra da Tijuca e do Recreio dos
Bandeirantes.
Já não há mais aquela calma de
outrora, quando os cidadãos saíam
despreocupadamente de bancos,
após sacarem alguma quantia. Uma
rua emblemática é a Gláucio Gil,
onde vem sendo registrado alto ín-
dice de assaltos, mormente em suas
extremidades, em plena luz do dia.
“Flanelinhas” agem à vontade em
ruas da região, achacando moto-
ristas, inclusive em ruas internas,
derradeiro lugar de estacionamento
para quem pretende ir a algum en-
dereço da Avenida das Américas.
A Praça Tim Maia virou um ver-
dadeiro hotel, com desocupados e
viciados em drogas ali acampados.
Assim, o cidadão se sente des-
protegido e abandonado, apesar
do elevado IPTU que paga por seu
imóvel, um dos mais altos da ci-
dade, e se pergunta: ONDE ESTÃO
AS AUTORIDADES?
Dicas de um Tudo
página 07
Colunistas:
Paulo Sergio Valle, Nelson Barboza,
Katia Lancelotti, Rosane Castro Neves,
Cleci Meneghel, Adriana Mello, Donato
Velloso, Gilvan Nascimento, Fábio
Freitas, Dr. José Figueiredo Penteado,
Paulinho Barros e Alberto Peribanez
Gonzalez.
Diretora: Katia Lancelotti | Reg.26340
Reportagem: Gustavo Loio
Revisão: Nelson Barboza
Distribuição: André Luiz Neto
Veículo associado:
International
Writers Association
Premiado com o Troféu
AIB de Imprensa
2007, 2009 e 2011
Cabelos
página 12
Opinião
página 13
Espaço aberto
página 06
Cruzadas do Rei
página 06
Colaborações:
Ramade Martins (Caricaturas), Reinaldo
Costa (Enigmas do Rei) e Alessandro
Rosalino (Tirinhas do Ale).
Distribuição Gratuita: Barra da Tijuca,
Recreio dos Bandeirantes, Vargem
Grande e Vargem Pequena.
Tiragem: 20.000 exemplares
Publicação: Mensal
Fotolito e Impressão: Lance!
Projeto Gráfico e Arte Publicitária:
Saúde
página 12
Cultura da vida
página 07
CAOS TOTAL
NA JORNADA
Foi um verdadeiro festival de in-
competência de nossos governan-
tes (e também dos organizadores)
a realização da Jornada Mundial
da Juventude. Inacreditável o caos
em que a cidade se transformou
durante os dias do evento. Parece
que ninguém (leia-se prefeito ou
governador) sabia que tanta gen-
te de tantos lugares do Brasil e do
mundo viria para o Rio. Parece que
todos foram pegados de surpresa.
Difícil saber, entre tantas, qual foi
a maior lambança. Talvez tenha
sido a repentina mudança de al-
gumas das principais cerimônias
dos eventos de Guaratiba para
Copacabana. Mas o que dizer do
caos nos transportes públicos (me-
trô e ônibus)? E os moradores de
Copacabana, que ficaram sitiados
nos dias do evento? O resultado de
tudo isso é que acabamos virando,
merecidamente, motivo de chacota
ao redor do mundo. Meus ‘parabéns’
a todos os envolvidos.
Enviado por e-mail por João Souza.
VIVA O PAPA!
A vinda do Papa Francisco ao
Rio foi uma verdadeira aula.
Principalmente, de carisma e sim-
plicidade. Num estado onde o gover-
nador dispõe de alguns helicópteros
(sete, se não me engano), o Santo
Padre recusou o luxo e mostrou ser
de uma simplicidade ímpar, merece-
dor de todos os aplausos, não ape-
nas dos católicos, mas de todas as
outras religiões. Mesmo porque os
princípios por ele pregados, como o
amor, deveriam ser a tônica de todas
as pessoas de bem. Viva Francisco!
Enviado por e-mail por Eni Gonçalves.
PRÉDIO IRREGULAR
Um prédio na Rua Georgina de
Albuquerque, na Barra, está sendo
construído de maneira irregular. Um
Rua Januário José Pinto de Oliveira, 277
Maramar - Recreio dos Bandeirantes
CEP: 22790-864 - FAX: 2490-0328
e-mail: jornal@tipocarioca.com.br
Cartas para esta seção:
tubo de proporções gigantescas
liga esse prédio ao fim da rua, na
esquina com a Avenida Armando
Lombardi. A construtora quebrou
todas as calçada dos prédios até
a esquina, como se fosse dona da
rua. Um absurdo!
Enviado por e-mail por Jorge Bacellar.
SOBRE OS
MERGULHÕES
Considero ótima a ideia dos mer-
gulhões na Barra. Porém a verdade
é que estamos longe de nos livrar-
mos dos muitos engarrafamentos,
em especial na Avenida Ayrton
Senna. Até quando?
Enviado por e-mail por João Silas.
04 Jornal Tipo CariocaAgosto 2013
Praça é reformada
no Recreio
D
ando continuidade ao pro-
grama ‘A Praça é Sua’, a sub-
prefeitura fez um mutirão
de serviços na Praça Heitor Bastos
Tigre, no Recreio. Na ação, foram
pintados brinquedos e a obra em
concreto de Burle Marx. Equipes
da Comlurb também fizeram a lim-
peza, roçada e capina, e a Rioluz
realizou manutenção no circuito de
iluminação, com troca de lâmpadas
queimadas.
Biólogos fazem o
monitoramento de jacarés
na Lagoa da Tijuca
D
e acordo com o biólogo
Marcello Mello, a popula-
ção de jacarés na Lagoa
da Tijuca, próximo ao Canal de
Marapendi, vem aumentando grada-
tivamente. Durante os passeios eco-
lógicos realizados por ele na Lagoa,
a presença deste réptil tem sido um
dos atrativos mais apreciados pelos
participantes. A quantidade deles é
grande, permitindo facilmente a sua
visualização. Após notar a presença
de vários filhotes e o aumento po-
pulacional desta espécie, Marcello
percebeu que haveria a necessidade
de um acompanhamento técnico e
científico para a preservação dela e
entrou em contato com o Instituto
Jacaré, do biólogo Ricardo Freitas.
Com uma habilidade única, Ricardo
pegou os jacarés e, com a ajuda de
sua equipe e de Marcello, começou
a medir os répteis e a catalogar os
dados. Após pesar, coletar o sangue,
colocar chips e fazer as marcações
necessárias, os animais foram sen-
do devolvidos ao seu habitat. Foram
cinco no primeiro dia, mas ainda fal-
tam pelo menos trinta.
O maior dos jacarés capturados
nesta primeira fase foi uma fê-
mea de dois metros (foto), que
deixou o biólogo Ricardo Freitas
animado, pois foi a maior que ele
encontrou nas lagoas da região
até agora.
Campanha de educação de
trânsito no BRT Transoeste
C
om o objetivo de sensibilizar
a população quanto ao com-
portamento seguro no trân-
sito, a prefeitura promoveu mais
uma campanha de educação no BRT
Transoeste. Um dos temas aborda-
dos foi o respeito à sinalização, prin-
cipalmente no que se refere à traves-
sia na faixa de pedestres. No início
de agosto, um acidente envolvendo
três BRTs deixou mais de 20 feridos
no Recreio.
Castrinho e os problemas
de Vargem Pequena
M
orador da região das
Vargens, o ator e em-
presário Castrinho vem
reclamando, em vão, de alguns
dos problemas na Estrada do
Rio Morto.
– Há anos peço que se resolva o caso
do depósito de lixo e entulhos à beira
do canal do Rio Morto, que é usado
para aumentar a área de “estaciona-
mento”. Esse aterro diminui o vão de
escoamento das águas, o que repre-
senta grande perigo nas chuvas, e é
uma tragédia anunciada. Também
peço, há anos, para melhorar a es-
trada do Rio Morto, inclusive com a
instalação de uma ciclovia. Isso sem
falar que o Rio Morto, nas grandes
chuvas, quando se encontra com o
Rio Vargem Grande, transborda, im-
pedindo, assim, a saída natural das
águas de Vargem Grande. Na penúl-
tima reunião do 31º CCS (Conselho
Comunitário de Segurança), o sub-
prefeito Tiago Mohamed prometeu-
-me que sanaria esses problemas,
mas, até agora, nada.
Moradores reclamam de
crimes na área da ABM
M
oradores da ABM
(Associação Bosque
Marapendi) não se can-
sam de reclamar dos crimes e
irregularidades frequentes na
região.
– Além de se mostrar incapaz, o po-
der público está imóvel e não nos
escuta. Posso listar, resumidamen-
te, ocorrências em nossa área: es-
tupro, pivetes assaltando na Av. das
Américas e Afonso Arinos, veículos
arrombados, lixo dos condomínios
exposto nas calçadas por mais de
dez horas (odor desagradável e pés-
simo aspecto) e sendo recolhido nas
madrugadas, grande quantidade de
árvores sem poda, dificultando a
iluminação, e a falta de policiamen-
to ostensivo em rondas – enumera
Ricardo Magalhães.
Prefeito e governador
recebem lideranças
comunitárias
E
m julho, o presidente da
Câmara Comunitária da Barra,
Delair Dumbrosck, e os direto-
res Cleo Pagliosa/Amarosas, Marília
Cavalcanti/Península, Denise
Bauerfeldt/La Playa e Ricardo
Guimarães/ABM reuniram-se com o
prefeito Eduardo Paes e o governa-
dor Sergio Cabral. Em pauta, as rei-
vindicações dos moradores da Barra
da Tijuca.
A CCBT propôs que a prefeitura faça
uma parceria com o estado, aplican-
do, numa obra de extensão da Linha
4 até o terminal Alvorada, os recur-
sos destinados ao prolongamento
do BRT até o Jardim Oceânico. Paes
informou que os recursos previstos
talvez demandassem uma estrutura
aérea, que é totalmente contrária
aos conceitos urbanos do seu gover-
no. Já Cabral declarou que enten-
de e concorda com a reivindicação
feita, porém o estado não tem mais
poder de endividamento para esta
obra, que já consumiu, aproximada-
mente, R$ 8 bilhões de recursos pró-
prios e de empréstimos. O prefeito
e o governador comprometeram-se
a solicitar aos seus secretários que
analisem o pleito, para encontrar
outras soluções, como a implantação
de um sistema de VLT que venha li-
gar o Jardim Oceânico ao Terminal
Alvorada.
05Agosto 2013Jornal Tipo Carioca
06 Jornal Tipo CariocaAgosto 2013
O advogado
Numa audiência, o juiz pergunta ao
réu:
– O senhor não trouxe o seu
advogado?
– Não, meritíssimo! Eu não tenho
advogado. Resolvi falar a verdade!
Bolsa Família
Um homem tinha quatro filhos. O
Governo anunciou que as famílias
que tivessem cinco filhos teriam
R$1.500 por mês, para ajudar no
sustento da casa. O homem disse à
sua esposa imediatamente:
– Amor, eu devo admitir... Tenho um
filho com minha amante e vou trazê-
lo para nós.
Ela olhou para ele, chocada, mas ele
não podia esperar e saiu correndo,
para ir buscar o filho bastardo.
Quando voltou, ficou surpreso ao
ver apenas dois de seus filhos e
perguntou à esposa:
– Querida, onde estão nossos outros
dois filhos?
Ela respondeu:
– Você não foi a única pessoa que
ouviu o anúncio... O pai deles veio
buscá-los.
Jesus e Joãozinho
Joãozinho voltou da aula de
catecismo e perguntou:
– Pai, por que Jesus, quando
ressuscitou, apareceu primeiro para
as mulheres e não para os homens?
– Provavelmente é porque ele queria
que a notícia se espalhasse mais
depressa!
Na delegacia
Um cidadão foi à delegacia e disse:
– Eu vim dar queixa, pois a minha
sogra sumiu.
O delegado perguntou:
– Há quanto tempo?
– Duas semanas – respondeu o
genro.
– E só agora é que o senhor vem
comunicar?
– É que custei a acreditar que eu
tivesse tanta sorte!
Mentirosa
Na delegacia, aparece um cidadão e
diz que quer confessar um crime. O
delegado pergunta:
– O que aconteceu?
E o homem:
– Doutor, eu matei minha sogra!
– Bem, meu filho, você cometeu
esse crime, mas deveria estar muito
alterado – disse o delegado.
– Não se importe, vá pra casa e
descanse. Está tudo bem.
– Mas doutor, eu enterrei a velha!
– Ah, meu filho; viu que boa alma
você é? Enterrou sua sogra. Assim já
evitou toda aquela burocracia...
– Doutor!!! Mas, quando eu a estava
enterrando, ela gritava que ainda
estava viva!
– Ô, meu filho, você não sabe que
toda sogra é mentirosa?
Rua Januário José Pinto de Oliveira, 277
Maramar - Recreio dos Bandeirantes
CEP: 22790-864 - FAX: 2490-0328
e-mail: jornal@tipocarioca.com.br
Cartas para esta seção:
Reinaldo
enigmadorei@gmail.com | (19) 3257-1381
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11
1 T I P O C A R I O C A
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
Nº Horizontais
1 NOSSO JORNAL
2 BRISA = O FORTE DAS ESCOLAS DE SAMBA (plural)
3 LUGAR
4 UM PLANETA = RIO DE JANEIRO (SIGLA) = ACUSADA
5 ATIVIDADE DE ENSINO = DEMONSTRA REAÇÃO
6 A CAPITAL DA ARÁBIA SAUDITA = DECIFRAVA
7 O BAIRRO MILITAR
8 MUSEU DE ARTE MODERNA (iniciais) = APRONTE
9 30 DIAS = UM MORRO DA TIJUCA
10 INTERJEIÇÃO (CHAMAMENTO) = PIEDADE = UM BAIRRO DA ZONA SUL
11 ANDAVA ACELERADO = DEUS-SOL DOS EGÍPCIOS
Nº Verticais
1 SUB-BAIRRO DE JACAREPAGUÁ = RESPONSÁVEL PELO ENEM
2 ANDAR = O PRIMEIRO NOME DO ÁGUIA DE HAIA = METADE
3 QUIETAS
4 RIO DA SIBÉRIA = FLUTUEM NA ÁGUA = DOUTOR (abreviatura)
5 NÃO FALO = ERNESTO OLIVEIRA (iniciais) = PASSOU
6 DIVISÃO DE PEÇA TEATRAL = DUPLA DE CANTORES
7 NOSSO BAIRRO = RIO DE JANEIRO (sigla)
8 UM BAIRRO DA ZONA NORTE = O BAIRRO DO PISCINÃO
9 ÓLEO (inglês) = O BAIRRO DO OUTEIRO
10 AQUI = O AUTOR = MINAS GERAIS (sigla)
11 COZINHE NO FORNO = COLOCAVA FOGO
RESPOSTA:
1234567891011
1TIPOCARIOCA
2ARBATERIAS
3QCLOCALS
4URANORJRE
5AULAREAGE
6RIADEILIA
7ADEODOROT
8MAMUARME
9MESFORMIGA
10EIDOJOAV
11CORRIASRA
Inferno
Agarotachegaparamãe,reclamando
do ceticismo do namorado.
– Mãe, o Mário diz que não acredita
em inferno!
– Case-se com ele, minha filha, e
deixe o resto comigo!
Pronto para o pior
O marido chega em casa vindo do
hospital, onde visitou sua sogra. Sua
mulher pergunta:
– Como está a minha mãe?
O marido responde:
– Sua mãe está muito bem, saudável
como um cavalo e ainda viverá por
muito tempo. Semana que vem,
ela receberá alta do hospital e virá
morar conosco, por muitos e muitos
anos.
A mulher, surpresa, pergunta:
– Como pode ser? Ontem mesmo ela
parecia estar no seu leito de morte,
e a equipe médica dizia que ela
deveria ter poucos dias de vida!
O marido responde:
– Eu não sei como estava ontem, mas
hoje, quando perguntei ao médico
sobre o estado de sua mãe, ele me
respondeu que deveríamos nos
preparar para o pior.
Av. Lúcio Costa, 16.580 - Tel.: 2490-1684 / 9987-6022
Jornal Tipo Carioca Agosto 2013 07
Médico
Alberto P. Gonzalez
www.doutoralberto.com
R
ecebemos de Deus a mais
bela província do planeta
Terra. Afinal, Deus é bra-
sileiro, fato confirmado
agora pelo papa. Deus é tão brasilei-
ro que determinou que nossa linda
região sul esteja pousada sobre o
maior aquífero da Terra, o “aquífe-
ro Guarani”. Justo nome, honrando
a evoluída nação indígena que ocu-
pou toda a região. De fato, os gua-
ranis ocupavam toda área sobre o
mar subterrâneo, incluindo mesmo
o Paraguai e a Argentina.
Solano Lopez, então presidente
vitalício do Paraguai pelos anos
1860 (difícil ter uma democracia
na época), também tinha interesse
nesta região. Queria todo o aquífero!
E tudo o que estivesse entre o
Paraguai e o Oceano Atlântico. Os
interesses internacionais (incluindo
a Inglaterra) fizeram com que a
Argentina, o Brasil e mesmo o
antigo aliado paraguaio, o Uruguai
formassem a tríplice aliança,
que respondeu com um exército
superpoderoso.AguerradoParaguai
foi traumática, principalmente
para os paraguaios, que perderam
um moderno país, que na época
alcançava a organização social e
econômica de uma nação europeia.
Praticamente toda sua população
masculina foi dizimada.
Voltamos ao Brasil. Recebemos de
Deus a bacia amazônica, a bacia do
rio São Francisco, todas as bacias
regionais, a malha capilar de rios
e córregos do nordeste do Brasil.
Os colonizadores portugueses,
seguidos pelos emancipados
brasileiros, dizimaram a mata
atlântica que ornava toda a costa do
Nordeste, modificando todo o seu
clima. Foi um “efeito estufa regional”
o Nordeste de hoje ser o “Nordeste
das secas”.
Os mesmos ocupadores de
território, agora brasileiros, com
a mesma mentalidade bulionista
e depredadora, atuam hoje nas
mencionadas bacias, desmatando,
jogando mercúrio nos leitos dos
rios, explorando madeiras nobres,
fazendo um desastre ambiental atrás
de outro. Um massacre ambiental
ainda toma conta do Brasil. E as
águas são as que mais recebem seu
impacto.
A ocupação desordenada das
margens dos rios, aliada a total
falta de infraestrutura sanitária e
consciência ecológica, contribui
para a transformação de riachos
em línguas negras, isso mesmo
em áreas remotas. O brasileiro
joga latas, garrafas pet, sacos
plásticos e embalagens junto às
suas fezes dentro de qualquer
riacho. Uma postura que caracteriza
nossa ocupação desde que os
colonizadores retiraram, através de
sucessivos genocídios, os indígenas
que aqui viviam de forma ecológica
e integrada.
Nossa falta de consciência com este
legado natural das águas também
induzaqueempresasmultinacionais
e corporações acabem por privatizar
nossas águas, para depois vendê-las
a nos mesmos – os legítimos donos
– pelo preço que o mercado ditar.
Se observarmos bem, veremos que
isso já está acontecendo. Na minha
infância, qualquer um pedia um copo
de água e este era servido gratuito. E
A AGUA É AZUL
Dicas para proteger a sua
conta no Facebook
T
er a senha do Facebook
roubada, adulterada é,
hoje em dia, tão prejudi-
cial quanto o cartão do
banco. Fotos antigas, das férias, da
(o) namorada (o), os vídeos mais en-
graçados, a lista de contatos profis-
sionais, enfim, tudo está lá no perfil.
E proteger estes ‘’dados’’ é funda-
mental. Você sabe como evitar os
ataques dos hackers? Listamos al-
gumas dicas que servem para quem
usa o Facebook no desktop, tablet
ou celular:
1.
Bloquear o dispositivo – Esta é
a sua primeira linha de defesa,
se o telefone celular for perdi-
do ou roubado. Você deve sempre ter
uma senha ou padrão em seu telefone
– não só para proteger a sua conta do
Facebook, mas para outras informa-
ções confidenciais, também. Pense
nos e-mails de trabalho, documen-
tos importantes, informações ban-
cárias e muito mais coisas que você
está deixando expostas. Se você tem
um iPhone e já está bloqueado, mas
você gostaria de ir um passo adiante,
coloque uma senha forte no seu tele-
fone. Olhe em Configurações Gerais
> Bloqueio por Código. Desative a
opção Código Simples (o que limita a
quatro dígitos) e crie um código mais
longo. Você também pode configurar
o telefone para apagar seus dados
após uma série de tentativas frustra-
das de quebrar o código;
2.
Use uma senha diferen-
te para e-mail e contas do
Facebook – Três quartos
dos usuários da internet selecionam
uma única senha para todos os seus
logins e os códigos mais comuns são
muitas vezes o mais óbvio (“123456”
e “password” são os favoritos). Mais
alguns algarismos, letras ou símbo-
los podem drasticamente aumentar
o tempo que leva para quebrar a
senha . Aproveite o tempo para in-
ventar várias senhas para suas con-
tas, especialmente para o Facebook,
que abriga toneladas de informações
pessoais;
3.
Certifique-se de que
Navegação Segura está ativa
– O Facebook oferece uma
opção de navegação segura desde
2011. Sem uma conexão HTTP segu-
ra (HTTPS), seus dados são abertos
a ataques furtivos a qualquer mo-
mento que você usar wi-fi (ou seja,
num shopping ou hotel). Há uma
desvantagem: a criptografia HTTPS
pode retardar a sua experiência no
Facebook. Esta é uma queixa comum
para quem acessa a rede pelo celu-
lar. Evite ficar desprotegido utilizan-
do wi-fi; use o serviço de 3G/4G do
seu provedor, para evitar possíveis
violações;
4.
Habilitar notificações de
login e aprovações – Para
garantir que a sua conta
seja acessada quando e onde você
determinar, ative esse recurso. O
Facebook irá enviar-lhe uma noti-
ficação cada vez que sua conta for
acessada a partir de um novo local
(você terá que fornecer um número
de celular para textos, se você ainda
não tem). Depois de atribuir nomes a
seus dispositivos mais usados, você
receberá um aviso se alguém entrar
em sua conta em um computador
desconhecido, celular ou tablet. E
se alguém violar a sua conta, você
receberá instruções sobre como re-
configurar sua senha e proteger sua
conta. Semelhante a verificação em
duas etapas, aprovações de login irá
pedir um código especial toda vez
que você tentar acessar sua conta a
partir de um novo dispositivo;
5.
Use “contatos confiáveis”
– Esta recente inovação do
Facebook pede para você
selecionar um pequeno grupo de
amigos confiáveis. No caso de você
não conseguir acessar a sua conta,
e até mesmo questões de segurança
não estão ajudando, o Facebook irá
enviar códigos diferentes para esses
amigos. Quando você colocá-los jun-
tos, você pode voltar. Isso significa
que você deve selecionar os amigos
que você sabe que você pode entrar
em contato rapidamente. Esta opção
é trabalhosa para você e para os ou-
tros, mas é uma boa saída caso a sua
conta tenha sido comprometida.
var.imagens@hotmail.com
magodaslentes@gmail.com
Telefones:
(021) 2459-0117 / 3406-1804
Celulares:
(021) 9395-2000 / 7614-7188
Vicente Rodrigues
fotógrafo
var.imagens
agora, quanto custa um copinho ou
garrafinha de água em uma loja de
(in) conveniências?
No modelo de agronegócio, é
patente a utilização de trilhões
de metros cúbicos de água a cada
período de estio. Já estão esgotando
nosso lençol freático. E agora,
muitos agricultores estão utilizando,
sem nenhum tipo de taxa, mesmo
ambiental, as águas do aquífero
Guarani. Os canhões de água e outras
geringonças apenas bombeiam
nosso recurso natural, em nome
da produção de grãos transgênicos
batizados com agrotóxicos. Todos
os venenos agrícolas voltam ao
solo e contribuem, na chegada das
chuvas, para que seu conteúdo
mortal seja despejado nas águas
que nós, brasileiros, acabaremos por
consumir em nossos lares.
E não pense que estou sendo
dramático. Basta que assista ao
documentário Ouro Azul: A Guerra
Mundial pela Água e entenderá um
pouco mais do que estou falando. E
o que é mais assustador é revelado
ao fim do filme: a família Bush (dona
de um império do “ouro negro” – o
petróleo – no Texas) comprou uma
área equivalente à da Bélgica, no
vizinho Paraguai, para usar seu
know-how e esvaziar o aquífero
guarani. Você acha que isto é uma
violação à nossa soberania? Mas
não é só isso. Os Bush, quando ainda
no governo americano, trataram de
fazer parceira com o Paraguai e já
estão construindo uma base aérea
americana em território paraguaio.
Quais serão os vencedores de uma
segunda guerra do Paraguai, uma
guerra pela água, desta vez aliado a
drones americanos? Será que eles, os
americanos, ainda não aprenderam
a lição?
Assim que, sendo eu mensageiro
de Paz em tudo o que digo, peço ao
leitor e aos brasileiros em geral:
vamos cuidar de nossas águas,
vamos pensar em novas formas de
agricultura, vamos preservar nosso
patrimônio cultural e ambiental.
Vivam os rios, córregos e bacias de
nosso Brasil. Viva nosso aquífero
Guarani. Nossas águas são nosso
patrimônio!
Mas os interesses que a envolvem podem ser turvos. Ou vermelhos.
Serviços gráficos e web.
Tel.: 6973-2229
Você viu?
Anuncie aqui!
2490-0328 | 9124-0185
Tipo Carioca - agosto 2013
09Agosto 2013Jornal Tipo Carioca
10 Jornal Tipo CariocaAgosto 2013
A
Jornada Mundial da
Juventude foi uma gran-
de festa da paz e da fé.
Foi incrível ver, pela TV,
milhões de jovens do Brasil e do
mundo dividindo, pacificamente,
as areias de Copacabana. Houve al-
guns imprevistos durante o evento,
como a mudança do palco principal
de Guaratiba para Copacabana e um
caos nos transportes públicos. Ainda
assim, a primeira viagem interna-
cional do papa Francisco, certa-
mente, deixou saudades, até porque
sua simplicidade foi contagiante.
Foto 01 a foto 04: o papa
Francisco e os peregrinos, durante a
Jornada Mundial da Juventude.
Em seu último dia no Rio, poucas ho-
ras antes de embarcar de volta para
a Itália, o papa Francisco se encon-
trou com os voluntários da Jornada
Mundial da Juventude, no Riocentro,
em um momento marcante na vida
daqueles jovens. Foto 05: o papa
Francisco, no Riocentro. Crédito:
Azaury Alencastro.
O MMA é um dos esportes que
mais crescem ao redor do mundo
e, no UFC Rio 4, disputado no iní-
cio do mês, o campeão José Aldo
deu mais um show. Mesmo com o
pé fraturado no primeiro round, o
brasileiro, que está invicto desde
2006, derrotou o Zumbi Coreano
por nocaute, na HSBC Arena, man-
tendo o cinturão dos pesos penas.
Foto 06: o campeão José Aldo.
Gaúcha radicada em Florianópolis,
a artista plástica Ana Paula Alves de
Souza costuma retratar seu amor
ao mar em muros, camisetas, telas
ou pranchas de surfe. Pois, no pró-
ximo dia 18, ela vai inaugurar uma
exposição no restaurante Pe’ahi, na
Barra. O endereço é Av. do Pepê 780.
Foto 07: Ana Paula e algumas de
suas obras.
A atriz, modelo e apresentadora
Luize Altenhofen fez, recentemente,
uma participação especial na novela
Amor à vida, da Rede Globo. A bela
viveu uma instrutora de mergulho
que vive em Búzios. Foto 08: Luize
Altenhofen.
O Teatro dos Grandes Atores, na
Barra, apresenta algumas peças este
mês. Uma das opções é Apartamento
171, que conta a história de um imó-
vel que é alugado por dois casais
ao mesmo tempo. No elenco estão
Fernanda Pontes, Mateus Rocha,
Amanda Richter, Romulo Estrela e
Antonio Rocha Filho. O espetáculo
fica em cartaz até 1º de setembro.
Foto 09: o elenco da peça.
Muitas felicidades, saúde, paz e su-
cesso aos aniversariantes do mês:
meu pai Nelson Barboza, meu filho,
Leonardo Lancelotti, o ex-jogador
Marcão (Marco Oliveira), Zagallo,
Patrícia Rodrigues, Rafael Teles,
Leandro Espetto Carioca, Cleomir
Vieira, Otávio Leite, Cristina
Magalhães, Cassiano Conde, Diego
Fernandes, Camila Mattos, Thiago
Balzana, Alfredo Gonzalez, Antonio
Marinho, Valéria Giannini e Tião
de Almeida.
Foto 10: Zagallo, ao lado do pre-
sidente do Botafogo, Mauricio
Assumpção, e a estátua que o clube
inaugurou em homenagem ao Velho
Lobo. Ele merece!
Foto 11: Valéria, entre os galãs
Jorginho Pontual e Paulo Victor
Skrobot;
Foto 12: Valéria e o ator Eduardo
Galvão;
Foto 13: a bela Camila Mattos;
Foto 14: o deputado federal Otávio
Leite;
Foto 15: o empresário Leandro, do
Espetto Carioca, e sua namorada;
Foto 16: o DJ Tião de Almeida;
Foto 17: os aniversariantes
Leonardo Lancelotti e Nelson
Barboza, meu filho e meu pai amados;
Foto 18: Patrick Clark, Leonardo e
seu pequeno Nicolas;
com Katia Lancelotti
03
02
01
14
15
16
17
18
19
20
Jornal Tipo Carioca Agosto 2013 11
04
Foto 19: Marcão e a esposa Fabi;
Foto 20: os craques Marcão e Zico.
Parabéns,também,aRobsonCaetano,
um dos maiores nomes da história do
atletismo brasileiro, que, há um ano,
criou um instituto que leva seu nome
e desenvolve projetos sociais. Uma
das iniciativas do Instituto Robson
Caetano é o Projeto Futuro Campeão,
desenvolvido em dez comunidades
quereceberamUPPs:CidadedeDeus,
Batan, Macacos, Salgueiro, Andaraí,
São João, Borel, Complexo do Alemão,
Mangueira e Rocinha. Recentemente,
através de seu instituto, Robson lan-
çou o projeto Vem Ser, direcionado a
atletas de alto rendimento.
Em parceria com o CCRB (Consórcio
Construtor Rio Barra), que está
levando o Metrô até o bairro, a
Trivella organizou a Copa do Mundo
CCRB de Futebol. O evento foi reali-
zado na Rio Sport Center, na Barra,
e reuniu 36 times e 360 jogadores.
No fim, o título ficou com a equipe
de São Conrado. Parabéns ao meu
amigo Flávio Trivella pela realização
de mais um grande evento!
Recém-reaberto pela prefeitu-
ra, após ficar um mês fechado, o
Barra Music tem uma programa-
ção recheada este mês. Dia 15,
subirão ao palco Zezé di Camargo
e Luciano. Dia 22 será a vez de
Diogo Nogueira levantar o públi-
co. Mais informações na internet
(www.barramusic.art.br).
Este mês, o arquiteto e paisagista
Burle Marx completaria 104 anos.
Em sua homenagem, a prefeitura
acaba de lançar o concurso de fo-
tografias Olhos de Ver – Burle Marx.
Essa iniciativa é aberta ao público
e as melhores imagens serão sele-
cionadas e irão fazer parte de uma
edição de cartões postais do projeto
Olho de Ver. As inscrições vão até o
próximo dia 30 e as fotos devem ser
enviadas pela internet (olhosdever-
burlemarx@gmail.com).
O ator Bernardo Langlott não para.
Recentemente, fez um ensaio exclu-
sivo com Fernando Torquatto para a
revista Quem.
Anote na agenda: o Achados
Imperdíveis – Bazar Dia dos Pais
acontece nos dias 9 e 10 de agos-
to, no Espaço Le Techniques. O
endereço é: Rua Antonio Baptista
Bittencourt 130, no Recreio. Lá,
você vai encontrar moda, acessó-
rios variados. A entrada é franca.
Em setembro, o bazar acontece nos
dias 13 e 14.
Para as futuras mamães, uma óti-
ma pedida é a nova edição da Feira
Mega Gestante e Bebê, que acontece
de 13 a 18 deste mês, no Riocentro,
das 14h às 22h, com entrada franca.
Neste mês em que é comemorado
o Dia do Advogado, a OAB-Barra
promove uma série de eventos, a
maioria em sua sede. Dia 18, aconte-
ce uma passeata na orla, com saída
às 9h, em frente à Barraca do Pepê.
Dois dias depois, a entidade pro-
move uma palestra sobre Comissão
de Direito Previdenciário, em sua
sede. O endereço é: Av. das Américas
3959, loja 222, shopping Marapendi.
Lançada no início de junho, a PRosa
Cult, feira aos sábados na praça do
Parque das Rosas, segue bombando.
Lá, o público pode conferir obras de
artistas plásticos, escultores, arte-
sãos, produtos de brechós e antiquá-
rios. Há também passeio, gratuito, de
charrete para a criançada, de manhã,
além de feira de adoção de animais.
Feliz Dia dos Pais a todos os nossos
leitores!
05
06
07
08
09
10
11
12
13
Agosto 2013 Jornal Tipo Carioca12
1 - Costuma ter
bolo esofágico?
A) Sim
B) Não
2 - Tem soluços com
certa frequência?
A) Sim
B) Não
3 - Tem azia?
A) Sim
B) Não
4 - A digestão é difícil?
A) Sim
B) Não
5 - Eructa muito?
A) Sim
B) Não
QUESTIONÁRIO
DIGESTIVO
6 - A barriga distende?
A) Sim
B) Não
7 - Tem enjoo?
A) Sim
B) Não
8 - Tem prisão de ventre?
A) Sim
B) Não
9 - Tem fezes mal
formadas?
A) Sim
B) Não
10 - Tem sangramento
digestivo?
A) Sim
B) Não
RESULTADO:
Mais de três resultados A, procurar
um gastroenterologista.
Q
uem acha que cabelos
bonitos são aqueles
que vão até a meta-
de das costas, ou que
	 quase chegam à cintura,
precisa rever seus conceitos de es-
tilo urgentemente.
Cabelos curtos, além de serem fá-
ceis de cuidar, sempre dão uma
aparência moderna, descolada e
deixam o rosto em evidência, des-
tacando qualquer maquiagem.
Quem não se lembra da primeira
supermodelo do mundo, a ingle-
sa Twiggy? Com aqueles enormes
olhos carregados de rímel, traços
delicados e seus lendários cabelos
curtinhos, ela conquistou o mundo
fashion e se tornou um dos rostos
mais emblemáticos das décadas de
1960 e 1970.
Pois é, inovar é preciso, e, nesta
minha última viagem à Europa,
principalmente leste europeu e
Alemanha, pude ver que os curtos
realmente estão em alta!
Além de mais variedade de cortes,
você cria seu próprio penteado e
estilo, sendo única e não um clone
de suas amigas ou atrizes!
Então, mãos à obra, diminua seus
cabelos e crie seu estilo; não tenha
medo de perder a feminilidade; os
homens que não curtem os cabelos
curtos têm medo, porque uma mu-
lher de cabelos mais curtos é con-
fiante e forte!
Boa sorte!
Tel: 2487-3778
2487-3909
CORTAR OU NÃO?
Jornal Tipo Carioca Agosto 2013 13
REDUZA
seu consumo,
REUTILIZE
o muito que já tem,
REFORME
o que for possível,
RECICLE
o que não tiver mais
utilidade para você,
Pela conservação de
nosso Planeta:
REPENSE
uma nova e
responsável forma de
viver!
N
ós do Lagoa Viva e par-
ceiros não vamos nos
omitir jamais, nem per-
der a oportunidade de
cobrar dos governos o compro-
misso que integra o caderno de
encargos das Olimpíadas, para
despoluir, de verdade, o com-
plexo lagunar Barra da Tijuca/
Jacarepaguá. O Programa de
Recuperação Ambiental desenvol-
vido em conjunto pelo município
e o estado tem que promover con-
dições/campanhas em parcerias,
para que milhares de moradores
locais que anseiam por lagoas
limpas se voltem para esta causa,
para direcionar esforços de mobi-
lização participativa, priorizar os
mais pobres e suas carentes co-
munidades. O complexo lagunar
é o vazadouro para onde escoam
as águas dos mais de 40 rios que
vertem dos maciços da Tijuca e
Pedra Branca, trazendo lixo e
esgoto de dezenas comunidades
ribeirinhas. O estado já investiu
em dragagem de forma tímida,
nunca atacou a origem; agora esse
vultoso investimento de mais de
R$ 600 milhões para retirada de
toneladas de sedimentos do Canal
da Joatinga, lagoas de Marapendi,
Tijuca, Camorim e Jacarepaguá,
na tão esperada e necessária re-
tomada da dragagem. Registro
também que lá se vão mais de sete
anos de dinheiro aplicado para
operar o recolhimento e descarte
nas ecobarreiras, local de acúmu-
lo/retirada de resíduos flutuan-
tes, foco de mosquitos nas gigogas
retidas. Até quando? O município
vai aplicar recursos em mais qua-
tro dispendiosas Unidades de
Tratamento de Rios (UTR’s), as
redes de contenção dos resídu-
os lançados rio acima, vão trazer
sim, algum beneficio ao espelho
d´água das lagoas, mas é jogar di-
nheiro no esgoto, alto custo ope-
racional e aplicação de toneladas
de produtos químicos que inter-
ferem na vida aquática. Até quan-
do? Nós temos é que atacar as
origens, buscar o reassentamento
dos ocupantes de risco das faixas
marginais, revitalizá-las, criando
áreas de lazer, priorizar ações na
conservação ambiental para mi-
nimizar até cessar o lançamento
definitivo dos dejetos, rio por rio.
Nós do Lagoa Viva e demais mem-
bros do Subcomitê do Sistema
Lagunar de Jacarepaguá, com sua
forte representação, composta do
poder público, usuários da água
e sociedade civil que preconiza o
gerenciamento dos recursos hí-
dricos de forma integrada, com-
partilhada e descentralizada,
temos urgente que priorizar a ela-
SÃO MAIS DE DOIS BILHÕES GASTOS.
BASTA DE PALIATIVOS PARA LIMPAR NOSSAS LAGOAS
donato@pactoderesgateambiental.org
Tel.: (21) 8728-0430
Ambientalista; graduado em Comunicação Social; Presidente do Lagoa Viva, diretor da AIB e
Acibarra, Consultor de Ecodesenvolvimento da Acibarra e Coordenador do Movimento Evolutivo Pacto de Resgate Ambiental.
PACTO DE RESGATE AMBIENTAL - Buscando um território sustentável
boração e fazer cumprir o plano
da bacia hidrográfica de jacare-
paguá. Junto com nossos parcei-
ros vamos envolver moradores
locais, atacar a origem, formar
e capacitar centenas de agentes
ambientais comunitários, limpar
rio a rio, revitalizar o entorno de
suas margens e nascentes, reci-
clar e destinar o lixo corretamen-
te, acabar com valões, tratando
esgoto, possivelmente, com biodi-
gestores para as pequenas comu-
nidades e melhorar as condições
de saúde e de vida dessa sofrida
população. Nós do Lagoa Viva e
parceiros compromissados com a
causa, priorizamos as ações, con-
tinuamos determinados a execu-
tar, estimular, contribuir e envol-
ver os mais diversos segmentos
da comunidade para boas prá-
ticas de gestão ambiental local,
desenvolver campanhas, material
educativo, vídeos, eventos de sen-
sibilização, seminários, palestras
e apoiar projetos de educação am-
biental nas escolas e nas comuni-
dades ribeirinhas. Nós do Lagoa
Viva sempre acreditamos e pro-
porcionamos, há treze anos, a di-
fusão de conhecimentos, voltados
para o cuidado ambiental local,
processo de construção de valo-
res para o exercício da cidadania
no convívio comunitário. Nós do
Lagoa Viva, membro/fundador
do Subcomitê de Jacarepaguá e
do Conselho Gestor do Parque
Estadual da Pedra Branca, vamos
lutar para elaboração do Plano
de Manejo do parque e a efetiva
destinação dos recursos previs-
tos nas compensações ambientais
obrigatórias das grandes obras
locais para projetos de revitali-
zação/conservação/educação am-
biental. Nós do Lagoa Viva e todos
não podemos permitir que nossas
crianças continuem a brincar nos
valões e que a parte mais caren-
te da população que nos atende
continue na mesma. Não podemos
continuar a enxugar gelo. Não po-
demos lançar mais dinheiro no
ralo. Vamos usá-lo para atacar as
origens, melhorar as condições
de saneamento e de vida dessa
população. Chegou a hora de prio-
rizar políticas e investimentos
públicos e privados para a edu-
cação ambiental. Até quando as
autoridades vão temer, enfrentar
o desafio de sanear comunida-
de por comunidade, revitalizar e
conservar nossos corpos hídri-
cos permanentemente? Outros
conseguiram; nós, unidos, tam-
bém podemos. QUAL É O LEGADO
AMBIENTAL DAS OLIMPÍADAS
QUE QUEREMOS?
CAÇADOR SEM
CORAÇÃO
Pobre passarinho, triste
era o seu cantar
Vivia tão sozinho, sem
forças para voar.
Caçador sem coração
matou sua amada
Ficastes na solidão, no
frio da madrugada.
Passarinho tanto cantou,
parecia até chorar
Alguém o escutou e
veio lhe consolar.
Não tinha a sua cor,
Cobriu lhe com suas asas
Te deu novo vigor, te
aqueceu como brasas.
Minha vida é diferente,
Meu amor me abandonou
Foi embora de repente,
nunca mais voltou...
Foi o malvado caçador, que
atacou novamente,
Roubou o meu amor, foi
embora para sempre.
Eu já me cansei de tanto chorar,
Mais não encontrei forças
para continuar.
Hoje vejo o passarinho,
Rua Januário José Pinto de Oliveira, 277
Maramar - Recreio dos Bandeirantes
CEP: 22790-864 - FAX: 2490-0328
e-mail: jornal@tipocarioca.com.br
Cartas para esta seção:
todo feliz a cantarolar,
Eu aqui sozinho, sem ninguém
para me consolar...
Sueli Franco.
A VIDA É BELA
Saber viver é uma arte
Acenda a luz do seu interior
Crie momentos especiais
e promissores
Busque um viés de reflexões
Lembre-se do lirismo das poesias
Abra mais uma janela
Pense: ‘A vida é bela’.
A magia de uma linda manhã
O esplendor do pôr do sol
As belas noites de luar
A Lua, uma paz nela
Pense: ‘A vida é bela’.
As diversas formas de vida
As paisagens, a natureza,
Os jardinhs floridos, rosas, camélias
Lindas imagens, um
quadro, uma tela
Pense: ‘A vida é bela’.
O núcleo familiar, a prole
No plano material e emocional
Otimize seu tempo
Procure atitudes mais pragmáticas
Sinta o que a vida revela
Pense: ‘A vida é bela’.
Walkyrio Rotay.
AMIZADE SINCERA
A amizade é para ser verdadeira
E para ser verdadeira a amizade
Não pode ostentar vaidade
Deve passar longe da caridade
Jamais ser fundada em piedade
Deve sim, vir com naturalidade
Guardar aquela gostosa saudade
Abrir o coração com sinceridade
Para diante da afinidade
Experimentar a cumplicidade
Mostrar-se sublime, de verdade
E perdurar na eternidade.
Pois assim é a amizade sincera
O resto, seja dado o nome que for
Será apenas quimera
De um coração sem brilho
Tal qual triste tapera.
Alex Dahlke.
É
motivo de alegria escrever
depois de uma semana cur-
tindo a presença do papa
Francisco.
Descobri que estou amando um argen-
tino! É possível isso?
Pois é. A figura carismática e gentil do
meigo Chico me deixa leve e feliz.
Quando o vi num carrinho básico, sem
segurança de vidros à prova de balas,
olhando para todos e para cada um,
senti que esse é o “CARA”!
A humildade, a solidariedade, a fines-
se ao cumprimentar o semelhante,
levaram-me a refletir sobre um fato
acontecido quando fiz minha primeira
comunhão, no colégio de irmãs fran-
ciscanas, onde estudava, ao ver uma
das freirinhas entrar num banheiro: na
inocência dos meus sete anos, pensei
estupefata: ela também faz xixi?
Sim. São humanos, iguais a todos os se-
res humanos.
Por que seriam diferentes? Por que
ocupam um lugar de destaque? Mas
“estão” e não serão para sempre.
Pois estou em estado de graça! Ouvi
o papa falar em jovens que merecem
ser ouvidos, velhos que merecem ser
respeitados, corruptos que merecem
estar na cadeia. Fiquei com o coração
pleno de alegria, porque o Chiquinho
sabe, sim, a realidade do Brasil, da
Argentina, de todas as nações.
Mandou bem, querido papa Francisco!
Desejo que este rastro de bondade e
amor que ficou no ar sirva de exemplo
para todos nós, e para que sejamos
mais solidários, pacifistas e mais exi-
gentes com as mudanças que quere-
mos em nossas vidas.
Amém!
O PAPA
14 Jornal Tipo CariocaAgosto 2013
Nelson Barboza
Rosane Castro Neves
O
ano de 1945 teve dois
grandes destaques:
– Farrapo humano (Billy
Wilder): um drama pro-
fundo sobre o alcoolismo e suas
consequências. Excelente perfor-
mance de Ray Milland no papel de
um escritor que, dominado pelo ví-
cio, chega a ponto de penhorar sua
máquina de escrever para comprar
bebida e, também, roubar. Oscar
de filme, diretor, ator (Milland) e
roteiro; – Fomos os sacrificados
(John Ford): dramático relato do
heroísmo e tragédia de um esqua-
drão de “PT-boats” americano em
sua luta contra os japoneses, nas
Filipinas, logo após o ataque a Pearl
Harbor; de dezembro de 1941 até
abril de 1942. Baseado em fatos
reais ocorridos com os tenentes
John Bulkeley e Robert Kelly, de-
pois premiados com a Medalha de
Honra e a Cruz da Marinha, respec-
tivamente. Outros bons filmes de
1945 que merecem ser vistos são:
– O retrato de Dorian Gray (Albert
Lewin); – Quando fala o coração
(Alfred Hitchcock); – O túmulo va-
zio (Robert Wise); – Um punhado
de bravos (Raoul Walsh); – Alma
em suplício (Michael Curtiz); – Um
passeio ao sol (Lewis Milestone).
Em 1946, Os melhores anos de nos-
sas vidas, de William Wyler, clássi-
co ganhador de sete Oscar, conta a
história de três pracinhas que vol-
tam ao lar após a II Guerra Mundial
e suas tentativas de adaptar-se à
vida civil. Comovente drama so-
bre os problemas decorrentes dos
horrores da guerra. Harold Russel,
que perdera realmente as mãos na
guerra, tem uma participação extra-
ordinária, lutando para superar sua
deficiência física. Oscar de filme,
diretor, ator (Fredric March), mon-
tagem, ator coadjuvante (Russel),
roteiro e trilha sonora.
Entretanto, em 1946, tivemos
grandes filmes, capazes de com-
petir à altura com o ganhador do
Oscar, como: – A felicidade não
se compra (Frank Capra): exce-
lente fantasia do mestre Capra,
considerada por ele como o seu
melhor filme. Dentro do estilo
capriano de que as boas ações e
sentimentos são sempre dignos
de recompensa, características
já expostas em filmes anteriores,
o diretor enfatiza o idealismo, o
sacrifício pessoal em prol do co-
letivo, a inocência, o otimismo, a
solidariedade, o heroísmo e a bon-
dade, entre tantas outras virtudes
do ser humano. George Bailey, um
homem decente e bondoso (James
Stewart), assume, após a morte de
seu pai, o controle de uma empre-
sa, angariando, em contrapartida,
um cruel inimigo: o ambicioso e
inescrupuloso banqueiro Potter
(Lionel Barrymore). Enquanto o
banqueiro explora os mais pobres,
Bailey os ajuda. Ao se ver sufocado
por problemas financeiros, talvez
causados por sua própria genero-
sidade, Bailey resolve suicidar-se,
mas é salvo por um anjo (Henry
Travers), que lhe mostra como
o mundo seria se ele não tivesse
existido e o encoraja a enfrentar
os problemas; – Paixão dos fortes
(John Ford): um dos grandes fil-
mes do mestre do faroeste. Versão
nostálgica da história do lendário
xerife de Tombstone (Arizona),
Wyatt Earp (Henry Fonda em sua
melhor atuação no gênero) e do
seu amigo Doc Holliday (Victor
Mature) que, juntos, participam
do famoso duelo com os bandidos
da família Clanton, em OK Corral.
A canção do filme, My darling
Clementine, tornou-se célebre.
Em 1957, John Sturges também
filmou a saga do xerife Earp em
“Sem lei e sem alma” (Gunfight
at the OK Corral), um bom espe-
táculo, com Burt Lancaster e Kirk
Douglas nos principais papéis; –
O destino bate à sua porta (Tay
Garnett): clássico filme noir com
Lana Turner no seu melhor papel.
Baseado num romance de 1934 de
James Mallahan Cain (1892-1977),
especialista em histórias de sus-
pense e violência – que reclamou
das mudanças feitas no filme para
adaptar-se às exigências da cen-
sura do Hays Office –, mostra o
drama do casal de amantes (Lana
Turner/John Garfield) que plane-
ja a morte do marido traído (Cecil
Kellaway). Em 1981, com a censu-
ra mais abrandada, foi feita uma
versão mais explícita da história
de Cain, com cenas de sexo e vio-
lência, tendo como protagonistas
Jessica Lange e Jack Nicholson,
sob a direção de Bob Rafelson,
mas sem o mesmo vigor da origi-
nal; – À beira do abismo (Howard
Hawks): obra-prima para quem
gosta de filme noir com trama
complexa. Esplêndida adaptação
de O sono eterno, primeiro roman-
ce policial de Raymond T. Chandler
(1888-1959), criador do detetive
Philip Marlowe, aqui interpretado
por Humphrey Bogart. Marlowe é
procurado por misteriosa mulher
(Lauren Bacall, casada com Bogart
Capítulo 1 – Estados Unidos da América – Parte 12
F
rederico Tremonti e Pedro
Lucena (bicampeão) vence-
ram o Torneio World Cup,
em Minnesota (EUA). O
time é do Colégio Tereziano do Rio
de Janeiro, que foi disputar com
o da República de Gana da África
Ocidental. É a juventude do Brasil
fazendo sucesso no exterior!!! Mil
vezes parabéns para eles!!!!
Sandra Moraes ajuda os animais, é
uma pessoa abençoada!!! Ela é su-
percaprichosa e faz altos conjuntos
de aventais, jogos de toalhas, vários
tipos de panos, jogos americanos,
tudo com estampas animais, flo-
res, pássaros, lindos!!!! Entrem no
Facebook dela que vocês terão uma
surpresa!!! Sandra Moraes!!!
Mês que vem, falo tudinho sobre a
Tasha, a cadela da Sandra Moraes
que está fazendo transplante de cé-
lulas-tronco. Com direito a foto!!!
A superpreparada Alyne Alonso, que
é mestra, coreógrafa e coordenadora
na área de dança na empresa Rede
Bodytech de academias; é coreógrafa
e professora de dança contemporâ-
nea e preparadora física em cima da
plataforma vibratória POWER PLATE
na empresa Sauer Danças; e coreó-
grafa e professora na empresa Petite
Danse, fez aniversário. Parabéns!!!!!
Rubem Gabira e Marco Miranda,
meus atores preferidos!!! Rubinho
está fazendo o perfeito musical
Randevu do Avesso, no Teatro de
Bolso do Leblon, e Marco entra-
rá com nova temporada no Sesc
Tijuca, com a também brilhante
peça Por que será que amamos
tanto assim...? Não perca, você vai
morrer de rir nas duas!!!!
O triplo aniversário de José Carlos
de Andrade, Gustavo Leal de
Meirelles e Affonso Fernandes de
Araújo (os três em 7 e 8 de julho)
foi comemorado com alegria juli-
na!!!!! Parabéns aos três!!!!
Vai ser o casamento do ano: Maria
Clara e Alexandre subirão ao al-
tar dia 10 deste mês. A cerimô-
nia será realizada na igreja São
Francisco de Paula, e a recepção
será no Museu de Arte Moderna.
Felicidades aos noivos!!!
Aniversarinates do mês: Pedro
Albuquerque, Neida Resende,
Aline Paixão, Bê, Gisela Sá,
Clarinha, Priscilla Teixeira, Louise
Mara, Sabrina, Julia Sauer, Vânia
Magalhães, Hanriette, Ana Paula,
Carlinha, Taninha Moura, Noêmia,
Cristina Sauer, Laura Carvalho,
Blimba, Ricardo Gaspar e Cristina
Collares. A todos, mil felicida-
des, alegrias e muito amor no
coração!!!Parabéns!!!
BREVE HISTÓRIA DO CINEMA MUNDIAL
desde 1945) e sua irmã (Martha
Vickers), que o contratam para
esclarecer um caso, envolvendo-
-o em intricada trama, repleta de
assassinatos e pistas complica-
das. Embora presa ao puritanismo
existente na época, a história tem
lances de loucura, drogas, ninfo-
mania e pornografia, abordados
superficialmente. O filme contou
com os três maiores roteiristas
do período: Jules Furthman, Leigh
Brackett e, até, William Faulkner,
o grande escritor norte-america-
no ganhador do Prêmio Nobel de
Literatura de 1949.
Outros bons filmes de 1946 que po-
dem ser vistos são: Interlúdio (Alfred
Hitchcock); O pecado de Cluny
Brown (Ernst Lubitsch); Virtude
selvagem (Clarence Brown); Gilda
(Charles Vidor).
Em 1947, tivemos alguns bons filmes,
nada de excepcional. Entre os que me-
recem uma olhada, temos: Monsieur
Verdoux (Charles Chaplin); Corpo
e alma (Robert Rossen); Domínio
dos bárbaros (John Ford); O justi-
ceiro (Elia Kazan); Rancor (Edward
Dmytryk); De ilusão também se vive
(George Seaton).
Eu e Sandra Moraes, grande pessoa. Eu entre os grandes atores Rubem Gabira e Marco Miranda.
A aniversariante Alyne Alonso, entre amigas. Alyne Alonso e sua filha Paulinha, duas bailarinas de responsa’.
As beijoqueiras da Sauer Danças: Alyne Alonso, Pat Comber e Rô. Pedro Lucena e Frederico Tremonti Carvalho arrasando nos EUA.
OS GRANDES FILMES NORTE-AMERICANOS DA DÉCADA DE 1940
15Agosto 2013Jornal Tipo Carioca
SOPA DE FEIJÃO COM
CARNE E COUVE DO GILVAN
Em seguida, coloque os tomates e
a couve picada, com um e meio li-
tro de água, e cozinhe por mais 30
minutos.
Bata no liquidificador com o Feijão
do Gilvan e volte à panela com fogo
médio.
Acrescente meia xícara (chá) de
água, mexendo até engrossar um
pouco.
Tempere com o sal, o Ajinomoto
e a pimenta-do-reino. Mexa por
mais um ou dois minutos e apague
o fogo.
Salpique a salsa picada.
Sirva quente com pão, azeite e mo-
lho de pimenta (se desejar).
Ingredientes: 250g de carne
(músculo, acém ou outra de seu
agrado), cortada em cubinhos;
quatro colheres (das de sopa) de
azeite ou óleo de soja; uma cebola
média, picada; dois tomates pica-
dos, sem pele e sem semente; qua-
tro folhas de couve, picadas; uma
xícara (das de chá) de Feijão do
Gilvan pronto; uma colher (das de
chá, rasa) de Ajinomoto; pimenta-
-do-reino, a gosto; sal e salsa pica-
da, a gosto.
Modo de preparo: leve ao fogo
a carne com o azeite ou o óleo
de soja, deixe cozinhando até se-
car, mexendo de vez em quando,
até fritar e ficar bem moreninha;
acrescente a cebola. Mexa bem, até
murchar a cebola.
Bom apetite!!!
Gilvan Nascimento
Conheça mais receitas no Blog do Gilvan:
http://gilvannascimento.blogspot.com
A
estação mais fria do ano
começou no dia 21 de ju-
nho. Completou um mês
há pouco e neste ano de
2013 mostrou algo diferente para
nós. Um inverno mais frio do que os
últimos anos e muito menos seco,
ou seja, mais chuvoso. Eu diria até
bastante chuvoso, se comparado
aos últimos anos. Disse isso porque
normalmente é uma estação em que
a disponibilidade de água fica mais
reduzida para as espécies vegetais.
Mas vamos nos ater à diminuição da
temperatura, a fim de falar aqui das
plantas que preferem essa estação
do ano para florescer, como a con-
geia, a azaleia e a caliandra, ótimas
para serem apreciadas nes-
tas épocas mais frias. São
espécies perenes que flores-
cem de forma espetacular
nos meses do inverno.
Muitas variedades de flores anu-
ais (ciclo curto) também preferem
o clima mais ameno e pouca lumi-
nosidade, para florescer. É o caso
da petúnia, da cravina e da amor-
-perfeito, entre outras. Nestes casos,
diferentemente das plantas perenes,
que podem ficar anos num jardim,
é preciso um cuidado a mais e tra-
balho com a semeadura, o que, de
maneira alguma se torna complica-
do. Muito pelo contrário, torna-se
prazeroso também. Os preparativos
com a semeadura devem começar
três meses antes, pelo menos. É pre-
ciso conhecer a espécie que se quer
ter no jardim.
A última dica fica por conta da poda.
Fábio Cardoso de Freitas
Engenheiro Agrônomo
fcarfreitas@yahoo.com
AS PLANTAS E
O INVERNO
Mais uma vez, dependendo da es-
pécie cultivada, a poda excessiva
ou equivocada pode desencadear o
enfraquecimento do vegetal e o fa-
vorecimento ao ataque de pragas e
doenças. Muitas espécies, no inverno,
estão em estágio mais lento de cres-
cimento e outras estão em plena ati-
vidade. Não faça poda naquelas espé-
cies que estão com flores ou mesmo
botões florais. Ainda que essas plan-
tas estejam perdendo suas folhas, não
se engane, elas estão ativas.
A dica maior é: conheça e busque in-
formações sobre a espécie que quer
ou está cultivando. Todos os mane-
jos culturais devem estar de acordo
com as necessidades a ela inerentes,
seja de clima mais quente ou de cli-
ma mais frio.
Pronto, agora você já pode curtir o
inverno carioca, com um olhar mais
atento às plantas.
Agosto 2013 Jornal Tipo Carioca16

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Jaaj 54 fev13
Jaaj 54 fev13Jaaj 54 fev13
Jaaj 54 fev13
aplalmir
 
BARÃO DE INOHAN 124 - 08 de março de 2016
BARÃO DE INOHAN 124 - 08 de março de 2016BARÃO DE INOHAN 124 - 08 de março de 2016
BARÃO DE INOHAN 124 - 08 de março de 2016
Pery Salgado
 
Dois Tempos - Graduation Project
Dois Tempos - Graduation ProjectDois Tempos - Graduation Project
Dois Tempos - Graduation Project
Marilia Oliveira
 
Módulo 09 arcadismo
Módulo 09   arcadismoMódulo 09   arcadismo
Módulo 09 arcadismo
Renally Arruda
 
Informativo Comunitário O Grito N 05
Informativo Comunitário O Grito N 05Informativo Comunitário O Grito N 05
Informativo Comunitário O Grito N 05
O Grito Movimento Comunitário
 
615 an 11 abril_2017.ok
615 an 11 abril_2017.ok615 an 11 abril_2017.ok
615 an 11 abril_2017.ok
Roberto Rabat Chame
 
O trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organização
O trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organizaçãoO trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organização
O trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organização
UNEB
 
Jornal opção 147 online
Jornal opção 147 onlineJornal opção 147 online
Jornal opção 147 online
Alair Arruda
 
Jornal espirito santo_ed-05_maio_2012_formato_gazeta
Jornal espirito santo_ed-05_maio_2012_formato_gazetaJornal espirito santo_ed-05_maio_2012_formato_gazeta
Jornal espirito santo_ed-05_maio_2012_formato_gazeta
Leonardo Gomez
 
Imprensa livre ed-101_maio_2012_formato_gazeta
Imprensa livre ed-101_maio_2012_formato_gazetaImprensa livre ed-101_maio_2012_formato_gazeta
Imprensa livre ed-101_maio_2012_formato_gazeta
Leonardo Gomez
 
Jornal Imprensa Livre - dezembro 2012
Jornal Imprensa Livre - dezembro 2012Jornal Imprensa Livre - dezembro 2012
Jornal Imprensa Livre - dezembro 2012
Leonardo Gomez
 
Coisas do aribé lavanderia texto
Coisas do aribé   lavanderia textoCoisas do aribé   lavanderia texto
Coisas do aribé lavanderia texto
Jorge Marcos Oliveira
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 614 an 04 abril_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 614 an 04 abril_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 614 an 04 abril_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 614 an 04 abril_2017
Roberto Rabat Chame
 
BARÃO DE INOHAN 102 - 14 de agosto de 2014
BARÃO DE INOHAN 102 - 14 de agosto de 2014BARÃO DE INOHAN 102 - 14 de agosto de 2014
BARÃO DE INOHAN 102 - 14 de agosto de 2014
Pery Salgado
 
Imprensa livre ed-106_outubro_2012_formato_gazeta
Imprensa livre ed-106_outubro_2012_formato_gazetaImprensa livre ed-106_outubro_2012_formato_gazeta
Imprensa livre ed-106_outubro_2012_formato_gazeta
Leonardo Gomez
 
Imprensa livre ed-102_junho_2012_formato_gazeta
Imprensa livre ed-102_junho_2012_formato_gazetaImprensa livre ed-102_junho_2012_formato_gazeta
Imprensa livre ed-102_junho_2012_formato_gazeta
Leonardo Gomez
 
Guaianas 127
Guaianas 127Guaianas 127
Guaianas 127
Bruno Barreto Rosa
 
Imprensa livre ed-97_janeiro_2012_formato_gazeta.indd
Imprensa livre ed-97_janeiro_2012_formato_gazeta.inddImprensa livre ed-97_janeiro_2012_formato_gazeta.indd
Imprensa livre ed-97_janeiro_2012_formato_gazeta.indd
Leonardo Gomez
 
Imprensa livre ed-99_marco_2012_formato_gazeta.indd
Imprensa livre ed-99_marco_2012_formato_gazeta.inddImprensa livre ed-99_marco_2012_formato_gazeta.indd
Imprensa livre ed-99_marco_2012_formato_gazeta.indd
Leonardo Gomez
 

Mais procurados (19)

Jaaj 54 fev13
Jaaj 54 fev13Jaaj 54 fev13
Jaaj 54 fev13
 
BARÃO DE INOHAN 124 - 08 de março de 2016
BARÃO DE INOHAN 124 - 08 de março de 2016BARÃO DE INOHAN 124 - 08 de março de 2016
BARÃO DE INOHAN 124 - 08 de março de 2016
 
Dois Tempos - Graduation Project
Dois Tempos - Graduation ProjectDois Tempos - Graduation Project
Dois Tempos - Graduation Project
 
Módulo 09 arcadismo
Módulo 09   arcadismoMódulo 09   arcadismo
Módulo 09 arcadismo
 
Informativo Comunitário O Grito N 05
Informativo Comunitário O Grito N 05Informativo Comunitário O Grito N 05
Informativo Comunitário O Grito N 05
 
615 an 11 abril_2017.ok
615 an 11 abril_2017.ok615 an 11 abril_2017.ok
615 an 11 abril_2017.ok
 
O trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organização
O trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organizaçãoO trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organização
O trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organização
 
Jornal opção 147 online
Jornal opção 147 onlineJornal opção 147 online
Jornal opção 147 online
 
Jornal espirito santo_ed-05_maio_2012_formato_gazeta
Jornal espirito santo_ed-05_maio_2012_formato_gazetaJornal espirito santo_ed-05_maio_2012_formato_gazeta
Jornal espirito santo_ed-05_maio_2012_formato_gazeta
 
Imprensa livre ed-101_maio_2012_formato_gazeta
Imprensa livre ed-101_maio_2012_formato_gazetaImprensa livre ed-101_maio_2012_formato_gazeta
Imprensa livre ed-101_maio_2012_formato_gazeta
 
Jornal Imprensa Livre - dezembro 2012
Jornal Imprensa Livre - dezembro 2012Jornal Imprensa Livre - dezembro 2012
Jornal Imprensa Livre - dezembro 2012
 
Coisas do aribé lavanderia texto
Coisas do aribé   lavanderia textoCoisas do aribé   lavanderia texto
Coisas do aribé lavanderia texto
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 614 an 04 abril_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 614 an 04 abril_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 614 an 04 abril_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 614 an 04 abril_2017
 
BARÃO DE INOHAN 102 - 14 de agosto de 2014
BARÃO DE INOHAN 102 - 14 de agosto de 2014BARÃO DE INOHAN 102 - 14 de agosto de 2014
BARÃO DE INOHAN 102 - 14 de agosto de 2014
 
Imprensa livre ed-106_outubro_2012_formato_gazeta
Imprensa livre ed-106_outubro_2012_formato_gazetaImprensa livre ed-106_outubro_2012_formato_gazeta
Imprensa livre ed-106_outubro_2012_formato_gazeta
 
Imprensa livre ed-102_junho_2012_formato_gazeta
Imprensa livre ed-102_junho_2012_formato_gazetaImprensa livre ed-102_junho_2012_formato_gazeta
Imprensa livre ed-102_junho_2012_formato_gazeta
 
Guaianas 127
Guaianas 127Guaianas 127
Guaianas 127
 
Imprensa livre ed-97_janeiro_2012_formato_gazeta.indd
Imprensa livre ed-97_janeiro_2012_formato_gazeta.inddImprensa livre ed-97_janeiro_2012_formato_gazeta.indd
Imprensa livre ed-97_janeiro_2012_formato_gazeta.indd
 
Imprensa livre ed-99_marco_2012_formato_gazeta.indd
Imprensa livre ed-99_marco_2012_formato_gazeta.inddImprensa livre ed-99_marco_2012_formato_gazeta.indd
Imprensa livre ed-99_marco_2012_formato_gazeta.indd
 

Semelhante a Tipo Carioca - agosto 2013

Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 48
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 48Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 48
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 48
Valter Gomes
 
Pagina 305102013
Pagina   305102013Pagina   305102013
Pagina 305102013
Sergyo Vitro
 
MÓDULO IX-ARCADISMO( O HOMEM E A VALORIZAÇÃO DAS RIQUEZAS NATURAIS)
MÓDULO IX-ARCADISMO( O HOMEM E A VALORIZAÇÃO DAS RIQUEZAS NATURAIS)MÓDULO IX-ARCADISMO( O HOMEM E A VALORIZAÇÃO DAS RIQUEZAS NATURAIS)
MÓDULO IX-ARCADISMO( O HOMEM E A VALORIZAÇÃO DAS RIQUEZAS NATURAIS)
Priscila Santana
 
Agrissênior noticias 593 11 de outubro de 2016
Agrissênior noticias 593 11 de outubro de 2016Agrissênior noticias 593 11 de outubro de 2016
Agrissênior noticias 593 11 de outubro de 2016
Roberto Rabat Chame
 
Ameopoema 0051 ed. especial Cachoeiras de Macacu
Ameopoema 0051 ed. especial Cachoeiras de MacacuAmeopoema 0051 ed. especial Cachoeiras de Macacu
Ameopoema 0051 ed. especial Cachoeiras de Macacu
AMEOPOEMA Editora
 
Livro onde ficaoparaiso-2
Livro onde ficaoparaiso-2Livro onde ficaoparaiso-2
Livro onde ficaoparaiso-2
Edileusa Camargo
 
Livro onde ficaoparaiso-2
Livro onde ficaoparaiso-2Livro onde ficaoparaiso-2
Livro onde ficaoparaiso-2
Edileusa Camargo
 
Folhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXIII
Folhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXIIIFolhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXIII
Folhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXIII
Valter Gomes
 
Novos horizontes julho de 2013
Novos horizontes julho de 2013Novos horizontes julho de 2013
Novos horizontes julho de 2013
Pascom Paroquia Nssc
 
501 an 12_novembro_2014.ok
501 an 12_novembro_2014.ok501 an 12_novembro_2014.ok
501 an 12_novembro_2014.ok
Roberto Rabat Chame
 
511 an 17_fevereiro_2015.ok
511 an 17_fevereiro_2015.ok511 an 17_fevereiro_2015.ok
511 an 17_fevereiro_2015.ok
Roberto Rabat Chame
 
Jornal digital 4661_ter_05052015
Jornal digital 4661_ter_05052015Jornal digital 4661_ter_05052015
Jornal digital 4661_ter_05052015
Jornal Correio do Sul
 
Pagina 306102013
Pagina   306102013Pagina   306102013
Pagina 306102013
Sergyo Vitro
 
Pagina 3
Pagina   3Pagina   3
Pagina 3
Sergyo Vitro
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 540 an 08 setembro_2015.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 540 an 08 setembro_2015.okAGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 540 an 08 setembro_2015.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 540 an 08 setembro_2015.ok
Roberto Rabat Chame
 
Conteúdo mensal de história 1º bimestre
Conteúdo mensal de história 1º bimestreConteúdo mensal de história 1º bimestre
Conteúdo mensal de história 1º bimestre
alpisveredas
 
Conteúdo mensal de história 1º bimestre
Conteúdo mensal de história 1º bimestreConteúdo mensal de história 1º bimestre
Conteúdo mensal de história 1º bimestre
alpisveredas
 
O prisma f
O prisma fO prisma f
O prisma f
Manoel Junior
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
Adilson Moreira
 
Luzes do Espaço
Luzes do EspaçoLuzes do Espaço
Luzes do Espaço
Matheus Albergaria
 

Semelhante a Tipo Carioca - agosto 2013 (20)

Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 48
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 48Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 48
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 48
 
Pagina 305102013
Pagina   305102013Pagina   305102013
Pagina 305102013
 
MÓDULO IX-ARCADISMO( O HOMEM E A VALORIZAÇÃO DAS RIQUEZAS NATURAIS)
MÓDULO IX-ARCADISMO( O HOMEM E A VALORIZAÇÃO DAS RIQUEZAS NATURAIS)MÓDULO IX-ARCADISMO( O HOMEM E A VALORIZAÇÃO DAS RIQUEZAS NATURAIS)
MÓDULO IX-ARCADISMO( O HOMEM E A VALORIZAÇÃO DAS RIQUEZAS NATURAIS)
 
Agrissênior noticias 593 11 de outubro de 2016
Agrissênior noticias 593 11 de outubro de 2016Agrissênior noticias 593 11 de outubro de 2016
Agrissênior noticias 593 11 de outubro de 2016
 
Ameopoema 0051 ed. especial Cachoeiras de Macacu
Ameopoema 0051 ed. especial Cachoeiras de MacacuAmeopoema 0051 ed. especial Cachoeiras de Macacu
Ameopoema 0051 ed. especial Cachoeiras de Macacu
 
Livro onde ficaoparaiso-2
Livro onde ficaoparaiso-2Livro onde ficaoparaiso-2
Livro onde ficaoparaiso-2
 
Livro onde ficaoparaiso-2
Livro onde ficaoparaiso-2Livro onde ficaoparaiso-2
Livro onde ficaoparaiso-2
 
Folhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXIII
Folhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXIIIFolhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXIII
Folhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXIII
 
Novos horizontes julho de 2013
Novos horizontes julho de 2013Novos horizontes julho de 2013
Novos horizontes julho de 2013
 
501 an 12_novembro_2014.ok
501 an 12_novembro_2014.ok501 an 12_novembro_2014.ok
501 an 12_novembro_2014.ok
 
511 an 17_fevereiro_2015.ok
511 an 17_fevereiro_2015.ok511 an 17_fevereiro_2015.ok
511 an 17_fevereiro_2015.ok
 
Jornal digital 4661_ter_05052015
Jornal digital 4661_ter_05052015Jornal digital 4661_ter_05052015
Jornal digital 4661_ter_05052015
 
Pagina 306102013
Pagina   306102013Pagina   306102013
Pagina 306102013
 
Pagina 3
Pagina   3Pagina   3
Pagina 3
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 540 an 08 setembro_2015.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 540 an 08 setembro_2015.okAGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 540 an 08 setembro_2015.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 540 an 08 setembro_2015.ok
 
Conteúdo mensal de história 1º bimestre
Conteúdo mensal de história 1º bimestreConteúdo mensal de história 1º bimestre
Conteúdo mensal de história 1º bimestre
 
Conteúdo mensal de história 1º bimestre
Conteúdo mensal de história 1º bimestreConteúdo mensal de história 1º bimestre
Conteúdo mensal de história 1º bimestre
 
O prisma f
O prisma fO prisma f
O prisma f
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
 
Luzes do Espaço
Luzes do EspaçoLuzes do Espaço
Luzes do Espaço
 

Mais de Jornal Tipo Carioca

Tipo Carioca - outubro 2013
Tipo Carioca - outubro 2013Tipo Carioca - outubro 2013
Tipo Carioca - outubro 2013
Jornal Tipo Carioca
 
Tipo Carioca - setembro 2013
Tipo Carioca - setembro 2013Tipo Carioca - setembro 2013
Tipo Carioca - setembro 2013
Jornal Tipo Carioca
 
Tipo Carioca - julho 2013
Tipo Carioca - julho 2013Tipo Carioca - julho 2013
Tipo Carioca - julho 2013
Jornal Tipo Carioca
 
Tipo Carioca - junho 2013
Tipo Carioca - junho 2013Tipo Carioca - junho 2013
Tipo Carioca - junho 2013
Jornal Tipo Carioca
 
Tipo carioca - maio 2013
Tipo carioca - maio 2013Tipo carioca - maio 2013
Tipo carioca - maio 2013
Jornal Tipo Carioca
 
Tipo carioca - abril 2013
Tipo carioca - abril 2013Tipo carioca - abril 2013
Tipo carioca - abril 2013
Jornal Tipo Carioca
 
Tipo Carioca Março 2013
Tipo Carioca Março 2013Tipo Carioca Março 2013
Tipo Carioca Março 2013
Jornal Tipo Carioca
 
Tipo Carioca janeiro/fevereiro 2013
Tipo Carioca janeiro/fevereiro  2013Tipo Carioca janeiro/fevereiro  2013
Tipo Carioca janeiro/fevereiro 2013
Jornal Tipo Carioca
 
Tipo Carioca Dezembro 2012
Tipo Carioca Dezembro 2012Tipo Carioca Dezembro 2012
Tipo Carioca Dezembro 2012
Jornal Tipo Carioca
 
Tipo Carioca Novembro 2012
Tipo Carioca Novembro 2012Tipo Carioca Novembro 2012
Tipo Carioca Novembro 2012
Jornal Tipo Carioca
 
Tipo Carioca Outubro 2012
Tipo Carioca Outubro 2012Tipo Carioca Outubro 2012
Tipo Carioca Outubro 2012
Jornal Tipo Carioca
 
Tipo Carioca Setembro 2012
Tipo Carioca Setembro 2012Tipo Carioca Setembro 2012
Tipo Carioca Setembro 2012
Jornal Tipo Carioca
 
Jornal Tipo Carioca Agosto 2012
Jornal Tipo Carioca Agosto 2012Jornal Tipo Carioca Agosto 2012
Jornal Tipo Carioca Agosto 2012
Jornal Tipo Carioca
 
Jornal Tipo Carioca Julho 2012
Jornal Tipo Carioca Julho 2012Jornal Tipo Carioca Julho 2012
Jornal Tipo Carioca Julho 2012
Jornal Tipo Carioca
 
Jornal Tipo Carioca Junho 2012
Jornal Tipo Carioca Junho 2012Jornal Tipo Carioca Junho 2012
Jornal Tipo Carioca Junho 2012
Jornal Tipo Carioca
 
Jornal Tipo Carioca Maio 2012
Jornal Tipo Carioca Maio 2012Jornal Tipo Carioca Maio 2012
Jornal Tipo Carioca Maio 2012
Jornal Tipo Carioca
 
Jornal Tipo Carioca Abril 2012
Jornal Tipo Carioca Abril 2012Jornal Tipo Carioca Abril 2012
Jornal Tipo Carioca Abril 2012
Jornal Tipo Carioca
 

Mais de Jornal Tipo Carioca (17)

Tipo Carioca - outubro 2013
Tipo Carioca - outubro 2013Tipo Carioca - outubro 2013
Tipo Carioca - outubro 2013
 
Tipo Carioca - setembro 2013
Tipo Carioca - setembro 2013Tipo Carioca - setembro 2013
Tipo Carioca - setembro 2013
 
Tipo Carioca - julho 2013
Tipo Carioca - julho 2013Tipo Carioca - julho 2013
Tipo Carioca - julho 2013
 
Tipo Carioca - junho 2013
Tipo Carioca - junho 2013Tipo Carioca - junho 2013
Tipo Carioca - junho 2013
 
Tipo carioca - maio 2013
Tipo carioca - maio 2013Tipo carioca - maio 2013
Tipo carioca - maio 2013
 
Tipo carioca - abril 2013
Tipo carioca - abril 2013Tipo carioca - abril 2013
Tipo carioca - abril 2013
 
Tipo Carioca Março 2013
Tipo Carioca Março 2013Tipo Carioca Março 2013
Tipo Carioca Março 2013
 
Tipo Carioca janeiro/fevereiro 2013
Tipo Carioca janeiro/fevereiro  2013Tipo Carioca janeiro/fevereiro  2013
Tipo Carioca janeiro/fevereiro 2013
 
Tipo Carioca Dezembro 2012
Tipo Carioca Dezembro 2012Tipo Carioca Dezembro 2012
Tipo Carioca Dezembro 2012
 
Tipo Carioca Novembro 2012
Tipo Carioca Novembro 2012Tipo Carioca Novembro 2012
Tipo Carioca Novembro 2012
 
Tipo Carioca Outubro 2012
Tipo Carioca Outubro 2012Tipo Carioca Outubro 2012
Tipo Carioca Outubro 2012
 
Tipo Carioca Setembro 2012
Tipo Carioca Setembro 2012Tipo Carioca Setembro 2012
Tipo Carioca Setembro 2012
 
Jornal Tipo Carioca Agosto 2012
Jornal Tipo Carioca Agosto 2012Jornal Tipo Carioca Agosto 2012
Jornal Tipo Carioca Agosto 2012
 
Jornal Tipo Carioca Julho 2012
Jornal Tipo Carioca Julho 2012Jornal Tipo Carioca Julho 2012
Jornal Tipo Carioca Julho 2012
 
Jornal Tipo Carioca Junho 2012
Jornal Tipo Carioca Junho 2012Jornal Tipo Carioca Junho 2012
Jornal Tipo Carioca Junho 2012
 
Jornal Tipo Carioca Maio 2012
Jornal Tipo Carioca Maio 2012Jornal Tipo Carioca Maio 2012
Jornal Tipo Carioca Maio 2012
 
Jornal Tipo Carioca Abril 2012
Jornal Tipo Carioca Abril 2012Jornal Tipo Carioca Abril 2012
Jornal Tipo Carioca Abril 2012
 

Tipo Carioca - agosto 2013

  • 1. Ano 14 • nº 167 • AGOSTO 2013 • Barra da Tijuca, Recreio e Vargens • Distribuição mensal e gratuita PAPA FRANCISCO Nossa colunista Cleci Meneghel re- lembra a passagem do papa Francisco pelo Rio de Janeiro, durante a Jornada Mundial da Juventude. Pág. 13 CIRCULANDO Com o surfe como tema, a artista plástica Ana Paula Alves de Souza apresenta uma exposição na Barra. Confira nesta edição. Pág. 10 PAES E CABRAL RECEBEM LIDERANÇAS COMUNITÁRIAS Em julho, o prefeito e o governador do Rio se encontraram com representantes daCCBT(CâmaraComunitáriadaBarra), ABM (Associação Bosque Marapendi), Amarosas (Associação de Moradores do Parque das Rosas) e Península. Pág. 04 ATÉ QUANDO? O s moradores da região pagam um dos maiores IPTUs do Rio de Janeiro. Ainda assim, há problemas que parecem não ter fim. Até quando teremos calçadas esburacadas, sem conser- vação? Até quando haverá consumo de crack, a qualquer hora do dia e da noite, na Praça Tim Maia, no Recreio? Até quando pes- soas morarão embaixo de marquises ou viadutos? Até quando? CABELOS CURTOS? Neste mês, Paulinho Barros fala sobre os cabelos curtos, que estão cada vez mais em alta ao redor do mundo. Pág. 12 Pág. 06 CULTURA DA VIDA Em primeira mão na imprensa brasilei- ra, nosso colunista Alberto Peribanez Gonzalez, em um artigo contundente, alerta para os perigos de perdermos uma das maiores riquezas do Brasil, o aquífe- ro Guarani, ameaçado de esvaziamento por multinacional americana. Pág. 07 Crédito das fotos: Marlene Morbeck.
  • 2. Agosto 2013 Jornal Tipo Carioca02 Mapa Astral • Tel.: 8834-7412 adrianafmello@ig.com.br | www.contatoscom.blig.ig.com.br O s cristais não são só ob- jetos de adorno por sua beleza, nem amuletos que nos livram de maldades e nos direcionam. Na verdade, as fre- quências emitidas por eles transmi- tem um quantum de luz, fazendo o trabalho que lhes compete. Nosso corpo emite frequências, que, em ressonância com os cristais, na forma de uso pessoal, desempe- nham um trabalho de transmutação de energias. As pedras são fonte de energia, força e poder; os cristais são os melhores condutores e amplificadores, pois, através de sua estrutura molecular, exprimem a perfeição cósmica, afe- tando direta ou indiretamente todos que se colocam em sua presença. Nenhum elemento do universo está aí por acaso. Todos têm seu traba- lho, sua missão, embora, em muitos casos, não saibamos do que se trata, pois ainda não temos entendimen- to para compreender os mistérios ocultos em cada ser. Muitos destes emergiram agora para a superfície do planeta, pois só neste momen- to a humanidade está pronta para utilizá-los. Os cristais nos dão força inte- rior, determinação, perseverança. Trabalham aspectos espirituais, ver- balização de pensamentos, são cal- mantes, equilibradores de energias, limpam o medo, a falta, a escassez. Então, vamos lá: Prosperidade – Âmbar, olho de gato, rubi, safira, topázio, turquesa; Riqueza – Olho de tigre, topázio, rubi; Fortunas perdidas – Olho de gato; Boa sorte em negócios – Jaspe san- guíneo, malaquita, pirita; Energia Negativa – Ônix; Equilibrio de emoções – Pedra da Lua; Capacidade Mental – Pirita; Amor – Quartzo Rosa; Energia vital – Rubi; Limpeza de ambiente – Selenita. OS CRISTAIS E A ABUNDÂNCIA As pedras podem ser usadas na mão, no bolso, na bolsa, nos locais de tra- balho, na água de beber, em forma de elixir, nos chacras. Devem ser limpas e energizadas, para tirar as energias desqualificadas deixadas por outra (s) pessoa (s). Sal grosso, água cor- rente e Sol, Lua, tempestades, cacho- eiras, drusas são formas e forças de limpeza e energização. Cuide bem do seu cristal. Escolha-o como se escolhe um amigo. Trate-o com carinho, e ele corresponderá. As pedras da prosperidade promo- vem e reconectam com a abundân- cia. Ajudam a recuperar questões perdidas, oportunizam negócios jus- tos para ambas as partes. Cristais são guardados por gnomos, fadas, silfos e todos os elementais guardiões dos tesouros subterrâne- os. Todos estão para trabalho, cada qual na sua configuração, facilitam a reorganização dos vórtices de energia, dos meridianos, das linhas energéticas sutis, promovendo o re- equilíbrio e a abundância em todos os aspectos. Av.SalvadorAllende Av. Alfredo Baltazar da Silveira BRT SALVADOR ALLENDE Av. das Américas Conheça também nossos cursos de: MBACASTELO & GRADUAÇÃO GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA GRADUAÇÃO TRADICIONAL Av. Salvador Allende, 6.700 (Shopping Bandeirantes) 3216 7700 | www.castelobranco.br Curta /universidadecastelobranco •Administração •Gestão de RH •Gestão Empresarial •Logística •Marketing Unidade Recreio BRT Salvador Allende. vestibular 2013.2 CENTRO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO INTEGRADA www.ciei.g12.br | Estrada do Pontal, 2093 | Recreio | Tel/Fax: 2490-1673 ENSINO INFANTIL ENSINO MÉDIO 100% APPROVAL In Cambridge exams! EDUCAÇÃO INTERNACIONAL HORÁRIO INTEGRAL Come and do the International Baccalaureate Diploma! ENSINO FUNDAMENTAL La tercera lengua que vas a aprender: el Español Ab der 6. Klasse lernst du Deutsch Q uando a conheci, ela era católica pra- ticante. Ia à missa todos os domingos, confessava-se e co- mungava. Depois, afastou-se da igreja católica, tornou-se evan- gélica – o que não durou muito –, passou a frequentar centros espíritas e a estudar a filosofia budista. Abandonou tudo. Loura, olhos castanhos, corpo bem feito, a moça parecia ter se desinteressado da própria bele- za. Vestia roupas sóbrias e amar- rava os cabelos displicentemen- te, com uma fita na nuca. Aos que, ainda assim, a cobiça- vam, lançava um olhar longínquo e desencorajador. Tirou os espelhos da casa, dei- xando apenas um, pequeno, para seus cuidados matinais. Olhava constantemente para o céu e, à noite, deitava-se na va- randa para observar as estrelas. Tornou-se frequentadora do Jardim Botânico, onde perma- necia longo tempo observando EXISTÊNCIA as plantas e os pássaros. Aos sábados, ia ao Planetário, para deleitar-se com a contemplação dos astros e planetas. Preocupado com o comporta- mento da minha amiga, atrevi- -me a perguntar-lhe o que estava acontecendo. – Tento não existir – foi sua seca resposta. – Como não existir? – insisti. – Quero ver o mundo sem minha presença. Só assim saberei como é o mundo de verdade, sem mi- nha intermediação. Pensei em obstar a impossibili- dade de saber ou conhecer qual- quer coisa sem o próprio teste- munho, de como estar ausente e presente ao mesmo tempo, mas ela foi peremptória: – Quero ver a obra de Deus como ela é, não através do meu olhar. Para isso, deixo de existir. Minha amiga deu-me as costas e foi embora. Faltou-me coragem de lhe di- zer que ela também era obra de Deus.
  • 3. Jornal Tipo Carioca Agosto 2013 03 Editorial S e o caro leitor consultar a Wikipedia, na internet, vai encontrar o seguinte, no verbete “Recreio dos Bandeirantes”: “Recreio dos Bandeirantes é um bairro nobre de classe média alta da Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. É um dos bairros mais jovens da cidade, localizado na região administrativa da Barra da Tijuca, Possui uma área terri- torial de 30.655 km² e uma popu- lação de 82.240 habitantes dividi- dos em 38.705 domicílios, sendo conhecido pelo ambientalismo, ORGANIZAÇÃO, SEGURANÇA, praias e a prática de esportes aquáticos”. Não sabemos quando foi colocado isso na Wikipedia, mas está lá, para consulta de pessoas que desejam saber detalhes sobre este aprazível recanto de nossa cidade. O dado sobre o número de habi- tantes é de 2010. De lá para cá, muita coisa mudou. Em apenas três anos, nossa população cresceu desmesu- radamente, sem a correspondente contrapartida na infraestrutura de transportes, serviços e segurança. Na definição acima, ressaltamos os itens “Organização” e “Segurança”, coisas que se tornam cada vez mais precárias na região. Em “organização”, basta ver o caos que se instalou em ruas como a Gilka Machado e a Guiomar de Novais, en- tregues à própria sorte, com toda espécie de infrações às leis. É pena, porque ambas poderiam ajudar a escoar o intenso tráfego de veícu- los da Avenida das Américas para a orla, se devidamente livres das ma- zelas que as assolam. Na Américas, a pista interna da direita mostra-se quase impossível de ser usada, dada a quantidade de carros estacionados irregularmente em sua extensão. Já no item “segurança”, depois da implantação de UPPs em diver- sas comunidades, parece que há um deslocamento da bandidagem Os textos e artigos assinados não refletem necessariamente a opinião do jornal, sendo responsabilidade de seus autores. www.tipocarioca.com.br Administração: R. Januário José Pinto de Oliveira, 277 Condomínio Maramar Recreio dos Bandeirantes Rio de Janeiro - RJ CEP: 22790-864 CNPJ: 03.072.362/0001-86 Insc. Municipal: 02.577.631 Tel.: 2490-0328 Cel.: 9124-0185 jornal@tipocarioca.com.br página 10 página 13 Ramade Bairro página 04 Gourmet página 15 Social página 14 Paisagismo página 15 Meio ambiente página 13 Cinema página 14 para outras regiões, aí incluídas as da Barra da Tijuca e do Recreio dos Bandeirantes. Já não há mais aquela calma de outrora, quando os cidadãos saíam despreocupadamente de bancos, após sacarem alguma quantia. Uma rua emblemática é a Gláucio Gil, onde vem sendo registrado alto ín- dice de assaltos, mormente em suas extremidades, em plena luz do dia. “Flanelinhas” agem à vontade em ruas da região, achacando moto- ristas, inclusive em ruas internas, derradeiro lugar de estacionamento para quem pretende ir a algum en- dereço da Avenida das Américas. A Praça Tim Maia virou um ver- dadeiro hotel, com desocupados e viciados em drogas ali acampados. Assim, o cidadão se sente des- protegido e abandonado, apesar do elevado IPTU que paga por seu imóvel, um dos mais altos da ci- dade, e se pergunta: ONDE ESTÃO AS AUTORIDADES? Dicas de um Tudo página 07 Colunistas: Paulo Sergio Valle, Nelson Barboza, Katia Lancelotti, Rosane Castro Neves, Cleci Meneghel, Adriana Mello, Donato Velloso, Gilvan Nascimento, Fábio Freitas, Dr. José Figueiredo Penteado, Paulinho Barros e Alberto Peribanez Gonzalez. Diretora: Katia Lancelotti | Reg.26340 Reportagem: Gustavo Loio Revisão: Nelson Barboza Distribuição: André Luiz Neto Veículo associado: International Writers Association Premiado com o Troféu AIB de Imprensa 2007, 2009 e 2011 Cabelos página 12 Opinião página 13 Espaço aberto página 06 Cruzadas do Rei página 06 Colaborações: Ramade Martins (Caricaturas), Reinaldo Costa (Enigmas do Rei) e Alessandro Rosalino (Tirinhas do Ale). Distribuição Gratuita: Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Vargem Grande e Vargem Pequena. Tiragem: 20.000 exemplares Publicação: Mensal Fotolito e Impressão: Lance! Projeto Gráfico e Arte Publicitária: Saúde página 12 Cultura da vida página 07 CAOS TOTAL NA JORNADA Foi um verdadeiro festival de in- competência de nossos governan- tes (e também dos organizadores) a realização da Jornada Mundial da Juventude. Inacreditável o caos em que a cidade se transformou durante os dias do evento. Parece que ninguém (leia-se prefeito ou governador) sabia que tanta gen- te de tantos lugares do Brasil e do mundo viria para o Rio. Parece que todos foram pegados de surpresa. Difícil saber, entre tantas, qual foi a maior lambança. Talvez tenha sido a repentina mudança de al- gumas das principais cerimônias dos eventos de Guaratiba para Copacabana. Mas o que dizer do caos nos transportes públicos (me- trô e ônibus)? E os moradores de Copacabana, que ficaram sitiados nos dias do evento? O resultado de tudo isso é que acabamos virando, merecidamente, motivo de chacota ao redor do mundo. Meus ‘parabéns’ a todos os envolvidos. Enviado por e-mail por João Souza. VIVA O PAPA! A vinda do Papa Francisco ao Rio foi uma verdadeira aula. Principalmente, de carisma e sim- plicidade. Num estado onde o gover- nador dispõe de alguns helicópteros (sete, se não me engano), o Santo Padre recusou o luxo e mostrou ser de uma simplicidade ímpar, merece- dor de todos os aplausos, não ape- nas dos católicos, mas de todas as outras religiões. Mesmo porque os princípios por ele pregados, como o amor, deveriam ser a tônica de todas as pessoas de bem. Viva Francisco! Enviado por e-mail por Eni Gonçalves. PRÉDIO IRREGULAR Um prédio na Rua Georgina de Albuquerque, na Barra, está sendo construído de maneira irregular. Um Rua Januário José Pinto de Oliveira, 277 Maramar - Recreio dos Bandeirantes CEP: 22790-864 - FAX: 2490-0328 e-mail: jornal@tipocarioca.com.br Cartas para esta seção: tubo de proporções gigantescas liga esse prédio ao fim da rua, na esquina com a Avenida Armando Lombardi. A construtora quebrou todas as calçada dos prédios até a esquina, como se fosse dona da rua. Um absurdo! Enviado por e-mail por Jorge Bacellar. SOBRE OS MERGULHÕES Considero ótima a ideia dos mer- gulhões na Barra. Porém a verdade é que estamos longe de nos livrar- mos dos muitos engarrafamentos, em especial na Avenida Ayrton Senna. Até quando? Enviado por e-mail por João Silas.
  • 4. 04 Jornal Tipo CariocaAgosto 2013 Praça é reformada no Recreio D ando continuidade ao pro- grama ‘A Praça é Sua’, a sub- prefeitura fez um mutirão de serviços na Praça Heitor Bastos Tigre, no Recreio. Na ação, foram pintados brinquedos e a obra em concreto de Burle Marx. Equipes da Comlurb também fizeram a lim- peza, roçada e capina, e a Rioluz realizou manutenção no circuito de iluminação, com troca de lâmpadas queimadas. Biólogos fazem o monitoramento de jacarés na Lagoa da Tijuca D e acordo com o biólogo Marcello Mello, a popula- ção de jacarés na Lagoa da Tijuca, próximo ao Canal de Marapendi, vem aumentando grada- tivamente. Durante os passeios eco- lógicos realizados por ele na Lagoa, a presença deste réptil tem sido um dos atrativos mais apreciados pelos participantes. A quantidade deles é grande, permitindo facilmente a sua visualização. Após notar a presença de vários filhotes e o aumento po- pulacional desta espécie, Marcello percebeu que haveria a necessidade de um acompanhamento técnico e científico para a preservação dela e entrou em contato com o Instituto Jacaré, do biólogo Ricardo Freitas. Com uma habilidade única, Ricardo pegou os jacarés e, com a ajuda de sua equipe e de Marcello, começou a medir os répteis e a catalogar os dados. Após pesar, coletar o sangue, colocar chips e fazer as marcações necessárias, os animais foram sen- do devolvidos ao seu habitat. Foram cinco no primeiro dia, mas ainda fal- tam pelo menos trinta. O maior dos jacarés capturados nesta primeira fase foi uma fê- mea de dois metros (foto), que deixou o biólogo Ricardo Freitas animado, pois foi a maior que ele encontrou nas lagoas da região até agora. Campanha de educação de trânsito no BRT Transoeste C om o objetivo de sensibilizar a população quanto ao com- portamento seguro no trân- sito, a prefeitura promoveu mais uma campanha de educação no BRT Transoeste. Um dos temas aborda- dos foi o respeito à sinalização, prin- cipalmente no que se refere à traves- sia na faixa de pedestres. No início de agosto, um acidente envolvendo três BRTs deixou mais de 20 feridos no Recreio. Castrinho e os problemas de Vargem Pequena M orador da região das Vargens, o ator e em- presário Castrinho vem reclamando, em vão, de alguns dos problemas na Estrada do Rio Morto. – Há anos peço que se resolva o caso do depósito de lixo e entulhos à beira do canal do Rio Morto, que é usado para aumentar a área de “estaciona- mento”. Esse aterro diminui o vão de escoamento das águas, o que repre- senta grande perigo nas chuvas, e é uma tragédia anunciada. Também peço, há anos, para melhorar a es- trada do Rio Morto, inclusive com a instalação de uma ciclovia. Isso sem falar que o Rio Morto, nas grandes chuvas, quando se encontra com o Rio Vargem Grande, transborda, im- pedindo, assim, a saída natural das águas de Vargem Grande. Na penúl- tima reunião do 31º CCS (Conselho Comunitário de Segurança), o sub- prefeito Tiago Mohamed prometeu- -me que sanaria esses problemas, mas, até agora, nada. Moradores reclamam de crimes na área da ABM M oradores da ABM (Associação Bosque Marapendi) não se can- sam de reclamar dos crimes e irregularidades frequentes na região. – Além de se mostrar incapaz, o po- der público está imóvel e não nos escuta. Posso listar, resumidamen- te, ocorrências em nossa área: es- tupro, pivetes assaltando na Av. das Américas e Afonso Arinos, veículos arrombados, lixo dos condomínios exposto nas calçadas por mais de dez horas (odor desagradável e pés- simo aspecto) e sendo recolhido nas madrugadas, grande quantidade de árvores sem poda, dificultando a iluminação, e a falta de policiamen- to ostensivo em rondas – enumera Ricardo Magalhães. Prefeito e governador recebem lideranças comunitárias E m julho, o presidente da Câmara Comunitária da Barra, Delair Dumbrosck, e os direto- res Cleo Pagliosa/Amarosas, Marília Cavalcanti/Península, Denise Bauerfeldt/La Playa e Ricardo Guimarães/ABM reuniram-se com o prefeito Eduardo Paes e o governa- dor Sergio Cabral. Em pauta, as rei- vindicações dos moradores da Barra da Tijuca. A CCBT propôs que a prefeitura faça uma parceria com o estado, aplican- do, numa obra de extensão da Linha 4 até o terminal Alvorada, os recur- sos destinados ao prolongamento do BRT até o Jardim Oceânico. Paes informou que os recursos previstos talvez demandassem uma estrutura aérea, que é totalmente contrária aos conceitos urbanos do seu gover- no. Já Cabral declarou que enten- de e concorda com a reivindicação feita, porém o estado não tem mais poder de endividamento para esta obra, que já consumiu, aproximada- mente, R$ 8 bilhões de recursos pró- prios e de empréstimos. O prefeito e o governador comprometeram-se a solicitar aos seus secretários que analisem o pleito, para encontrar outras soluções, como a implantação de um sistema de VLT que venha li- gar o Jardim Oceânico ao Terminal Alvorada.
  • 6. 06 Jornal Tipo CariocaAgosto 2013 O advogado Numa audiência, o juiz pergunta ao réu: – O senhor não trouxe o seu advogado? – Não, meritíssimo! Eu não tenho advogado. Resolvi falar a verdade! Bolsa Família Um homem tinha quatro filhos. O Governo anunciou que as famílias que tivessem cinco filhos teriam R$1.500 por mês, para ajudar no sustento da casa. O homem disse à sua esposa imediatamente: – Amor, eu devo admitir... Tenho um filho com minha amante e vou trazê- lo para nós. Ela olhou para ele, chocada, mas ele não podia esperar e saiu correndo, para ir buscar o filho bastardo. Quando voltou, ficou surpreso ao ver apenas dois de seus filhos e perguntou à esposa: – Querida, onde estão nossos outros dois filhos? Ela respondeu: – Você não foi a única pessoa que ouviu o anúncio... O pai deles veio buscá-los. Jesus e Joãozinho Joãozinho voltou da aula de catecismo e perguntou: – Pai, por que Jesus, quando ressuscitou, apareceu primeiro para as mulheres e não para os homens? – Provavelmente é porque ele queria que a notícia se espalhasse mais depressa! Na delegacia Um cidadão foi à delegacia e disse: – Eu vim dar queixa, pois a minha sogra sumiu. O delegado perguntou: – Há quanto tempo? – Duas semanas – respondeu o genro. – E só agora é que o senhor vem comunicar? – É que custei a acreditar que eu tivesse tanta sorte! Mentirosa Na delegacia, aparece um cidadão e diz que quer confessar um crime. O delegado pergunta: – O que aconteceu? E o homem: – Doutor, eu matei minha sogra! – Bem, meu filho, você cometeu esse crime, mas deveria estar muito alterado – disse o delegado. – Não se importe, vá pra casa e descanse. Está tudo bem. – Mas doutor, eu enterrei a velha! – Ah, meu filho; viu que boa alma você é? Enterrou sua sogra. Assim já evitou toda aquela burocracia... – Doutor!!! Mas, quando eu a estava enterrando, ela gritava que ainda estava viva! – Ô, meu filho, você não sabe que toda sogra é mentirosa? Rua Januário José Pinto de Oliveira, 277 Maramar - Recreio dos Bandeirantes CEP: 22790-864 - FAX: 2490-0328 e-mail: jornal@tipocarioca.com.br Cartas para esta seção: Reinaldo enigmadorei@gmail.com | (19) 3257-1381 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 1 T I P O C A R I O C A 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 Nº Horizontais 1 NOSSO JORNAL 2 BRISA = O FORTE DAS ESCOLAS DE SAMBA (plural) 3 LUGAR 4 UM PLANETA = RIO DE JANEIRO (SIGLA) = ACUSADA 5 ATIVIDADE DE ENSINO = DEMONSTRA REAÇÃO 6 A CAPITAL DA ARÁBIA SAUDITA = DECIFRAVA 7 O BAIRRO MILITAR 8 MUSEU DE ARTE MODERNA (iniciais) = APRONTE 9 30 DIAS = UM MORRO DA TIJUCA 10 INTERJEIÇÃO (CHAMAMENTO) = PIEDADE = UM BAIRRO DA ZONA SUL 11 ANDAVA ACELERADO = DEUS-SOL DOS EGÍPCIOS Nº Verticais 1 SUB-BAIRRO DE JACAREPAGUÁ = RESPONSÁVEL PELO ENEM 2 ANDAR = O PRIMEIRO NOME DO ÁGUIA DE HAIA = METADE 3 QUIETAS 4 RIO DA SIBÉRIA = FLUTUEM NA ÁGUA = DOUTOR (abreviatura) 5 NÃO FALO = ERNESTO OLIVEIRA (iniciais) = PASSOU 6 DIVISÃO DE PEÇA TEATRAL = DUPLA DE CANTORES 7 NOSSO BAIRRO = RIO DE JANEIRO (sigla) 8 UM BAIRRO DA ZONA NORTE = O BAIRRO DO PISCINÃO 9 ÓLEO (inglês) = O BAIRRO DO OUTEIRO 10 AQUI = O AUTOR = MINAS GERAIS (sigla) 11 COZINHE NO FORNO = COLOCAVA FOGO RESPOSTA: 1234567891011 1TIPOCARIOCA 2ARBATERIAS 3QCLOCALS 4URANORJRE 5AULAREAGE 6RIADEILIA 7ADEODOROT 8MAMUARME 9MESFORMIGA 10EIDOJOAV 11CORRIASRA Inferno Agarotachegaparamãe,reclamando do ceticismo do namorado. – Mãe, o Mário diz que não acredita em inferno! – Case-se com ele, minha filha, e deixe o resto comigo! Pronto para o pior O marido chega em casa vindo do hospital, onde visitou sua sogra. Sua mulher pergunta: – Como está a minha mãe? O marido responde: – Sua mãe está muito bem, saudável como um cavalo e ainda viverá por muito tempo. Semana que vem, ela receberá alta do hospital e virá morar conosco, por muitos e muitos anos. A mulher, surpresa, pergunta: – Como pode ser? Ontem mesmo ela parecia estar no seu leito de morte, e a equipe médica dizia que ela deveria ter poucos dias de vida! O marido responde: – Eu não sei como estava ontem, mas hoje, quando perguntei ao médico sobre o estado de sua mãe, ele me respondeu que deveríamos nos preparar para o pior. Av. Lúcio Costa, 16.580 - Tel.: 2490-1684 / 9987-6022
  • 7. Jornal Tipo Carioca Agosto 2013 07 Médico Alberto P. Gonzalez www.doutoralberto.com R ecebemos de Deus a mais bela província do planeta Terra. Afinal, Deus é bra- sileiro, fato confirmado agora pelo papa. Deus é tão brasilei- ro que determinou que nossa linda região sul esteja pousada sobre o maior aquífero da Terra, o “aquífe- ro Guarani”. Justo nome, honrando a evoluída nação indígena que ocu- pou toda a região. De fato, os gua- ranis ocupavam toda área sobre o mar subterrâneo, incluindo mesmo o Paraguai e a Argentina. Solano Lopez, então presidente vitalício do Paraguai pelos anos 1860 (difícil ter uma democracia na época), também tinha interesse nesta região. Queria todo o aquífero! E tudo o que estivesse entre o Paraguai e o Oceano Atlântico. Os interesses internacionais (incluindo a Inglaterra) fizeram com que a Argentina, o Brasil e mesmo o antigo aliado paraguaio, o Uruguai formassem a tríplice aliança, que respondeu com um exército superpoderoso.AguerradoParaguai foi traumática, principalmente para os paraguaios, que perderam um moderno país, que na época alcançava a organização social e econômica de uma nação europeia. Praticamente toda sua população masculina foi dizimada. Voltamos ao Brasil. Recebemos de Deus a bacia amazônica, a bacia do rio São Francisco, todas as bacias regionais, a malha capilar de rios e córregos do nordeste do Brasil. Os colonizadores portugueses, seguidos pelos emancipados brasileiros, dizimaram a mata atlântica que ornava toda a costa do Nordeste, modificando todo o seu clima. Foi um “efeito estufa regional” o Nordeste de hoje ser o “Nordeste das secas”. Os mesmos ocupadores de território, agora brasileiros, com a mesma mentalidade bulionista e depredadora, atuam hoje nas mencionadas bacias, desmatando, jogando mercúrio nos leitos dos rios, explorando madeiras nobres, fazendo um desastre ambiental atrás de outro. Um massacre ambiental ainda toma conta do Brasil. E as águas são as que mais recebem seu impacto. A ocupação desordenada das margens dos rios, aliada a total falta de infraestrutura sanitária e consciência ecológica, contribui para a transformação de riachos em línguas negras, isso mesmo em áreas remotas. O brasileiro joga latas, garrafas pet, sacos plásticos e embalagens junto às suas fezes dentro de qualquer riacho. Uma postura que caracteriza nossa ocupação desde que os colonizadores retiraram, através de sucessivos genocídios, os indígenas que aqui viviam de forma ecológica e integrada. Nossa falta de consciência com este legado natural das águas também induzaqueempresasmultinacionais e corporações acabem por privatizar nossas águas, para depois vendê-las a nos mesmos – os legítimos donos – pelo preço que o mercado ditar. Se observarmos bem, veremos que isso já está acontecendo. Na minha infância, qualquer um pedia um copo de água e este era servido gratuito. E A AGUA É AZUL Dicas para proteger a sua conta no Facebook T er a senha do Facebook roubada, adulterada é, hoje em dia, tão prejudi- cial quanto o cartão do banco. Fotos antigas, das férias, da (o) namorada (o), os vídeos mais en- graçados, a lista de contatos profis- sionais, enfim, tudo está lá no perfil. E proteger estes ‘’dados’’ é funda- mental. Você sabe como evitar os ataques dos hackers? Listamos al- gumas dicas que servem para quem usa o Facebook no desktop, tablet ou celular: 1. Bloquear o dispositivo – Esta é a sua primeira linha de defesa, se o telefone celular for perdi- do ou roubado. Você deve sempre ter uma senha ou padrão em seu telefone – não só para proteger a sua conta do Facebook, mas para outras informa- ções confidenciais, também. Pense nos e-mails de trabalho, documen- tos importantes, informações ban- cárias e muito mais coisas que você está deixando expostas. Se você tem um iPhone e já está bloqueado, mas você gostaria de ir um passo adiante, coloque uma senha forte no seu tele- fone. Olhe em Configurações Gerais > Bloqueio por Código. Desative a opção Código Simples (o que limita a quatro dígitos) e crie um código mais longo. Você também pode configurar o telefone para apagar seus dados após uma série de tentativas frustra- das de quebrar o código; 2. Use uma senha diferen- te para e-mail e contas do Facebook – Três quartos dos usuários da internet selecionam uma única senha para todos os seus logins e os códigos mais comuns são muitas vezes o mais óbvio (“123456” e “password” são os favoritos). Mais alguns algarismos, letras ou símbo- los podem drasticamente aumentar o tempo que leva para quebrar a senha . Aproveite o tempo para in- ventar várias senhas para suas con- tas, especialmente para o Facebook, que abriga toneladas de informações pessoais; 3. Certifique-se de que Navegação Segura está ativa – O Facebook oferece uma opção de navegação segura desde 2011. Sem uma conexão HTTP segu- ra (HTTPS), seus dados são abertos a ataques furtivos a qualquer mo- mento que você usar wi-fi (ou seja, num shopping ou hotel). Há uma desvantagem: a criptografia HTTPS pode retardar a sua experiência no Facebook. Esta é uma queixa comum para quem acessa a rede pelo celu- lar. Evite ficar desprotegido utilizan- do wi-fi; use o serviço de 3G/4G do seu provedor, para evitar possíveis violações; 4. Habilitar notificações de login e aprovações – Para garantir que a sua conta seja acessada quando e onde você determinar, ative esse recurso. O Facebook irá enviar-lhe uma noti- ficação cada vez que sua conta for acessada a partir de um novo local (você terá que fornecer um número de celular para textos, se você ainda não tem). Depois de atribuir nomes a seus dispositivos mais usados, você receberá um aviso se alguém entrar em sua conta em um computador desconhecido, celular ou tablet. E se alguém violar a sua conta, você receberá instruções sobre como re- configurar sua senha e proteger sua conta. Semelhante a verificação em duas etapas, aprovações de login irá pedir um código especial toda vez que você tentar acessar sua conta a partir de um novo dispositivo; 5. Use “contatos confiáveis” – Esta recente inovação do Facebook pede para você selecionar um pequeno grupo de amigos confiáveis. No caso de você não conseguir acessar a sua conta, e até mesmo questões de segurança não estão ajudando, o Facebook irá enviar códigos diferentes para esses amigos. Quando você colocá-los jun- tos, você pode voltar. Isso significa que você deve selecionar os amigos que você sabe que você pode entrar em contato rapidamente. Esta opção é trabalhosa para você e para os ou- tros, mas é uma boa saída caso a sua conta tenha sido comprometida. var.imagens@hotmail.com magodaslentes@gmail.com Telefones: (021) 2459-0117 / 3406-1804 Celulares: (021) 9395-2000 / 7614-7188 Vicente Rodrigues fotógrafo var.imagens agora, quanto custa um copinho ou garrafinha de água em uma loja de (in) conveniências? No modelo de agronegócio, é patente a utilização de trilhões de metros cúbicos de água a cada período de estio. Já estão esgotando nosso lençol freático. E agora, muitos agricultores estão utilizando, sem nenhum tipo de taxa, mesmo ambiental, as águas do aquífero Guarani. Os canhões de água e outras geringonças apenas bombeiam nosso recurso natural, em nome da produção de grãos transgênicos batizados com agrotóxicos. Todos os venenos agrícolas voltam ao solo e contribuem, na chegada das chuvas, para que seu conteúdo mortal seja despejado nas águas que nós, brasileiros, acabaremos por consumir em nossos lares. E não pense que estou sendo dramático. Basta que assista ao documentário Ouro Azul: A Guerra Mundial pela Água e entenderá um pouco mais do que estou falando. E o que é mais assustador é revelado ao fim do filme: a família Bush (dona de um império do “ouro negro” – o petróleo – no Texas) comprou uma área equivalente à da Bélgica, no vizinho Paraguai, para usar seu know-how e esvaziar o aquífero guarani. Você acha que isto é uma violação à nossa soberania? Mas não é só isso. Os Bush, quando ainda no governo americano, trataram de fazer parceira com o Paraguai e já estão construindo uma base aérea americana em território paraguaio. Quais serão os vencedores de uma segunda guerra do Paraguai, uma guerra pela água, desta vez aliado a drones americanos? Será que eles, os americanos, ainda não aprenderam a lição? Assim que, sendo eu mensageiro de Paz em tudo o que digo, peço ao leitor e aos brasileiros em geral: vamos cuidar de nossas águas, vamos pensar em novas formas de agricultura, vamos preservar nosso patrimônio cultural e ambiental. Vivam os rios, córregos e bacias de nosso Brasil. Viva nosso aquífero Guarani. Nossas águas são nosso patrimônio! Mas os interesses que a envolvem podem ser turvos. Ou vermelhos. Serviços gráficos e web. Tel.: 6973-2229 Você viu? Anuncie aqui! 2490-0328 | 9124-0185
  • 10. 10 Jornal Tipo CariocaAgosto 2013 A Jornada Mundial da Juventude foi uma gran- de festa da paz e da fé. Foi incrível ver, pela TV, milhões de jovens do Brasil e do mundo dividindo, pacificamente, as areias de Copacabana. Houve al- guns imprevistos durante o evento, como a mudança do palco principal de Guaratiba para Copacabana e um caos nos transportes públicos. Ainda assim, a primeira viagem interna- cional do papa Francisco, certa- mente, deixou saudades, até porque sua simplicidade foi contagiante. Foto 01 a foto 04: o papa Francisco e os peregrinos, durante a Jornada Mundial da Juventude. Em seu último dia no Rio, poucas ho- ras antes de embarcar de volta para a Itália, o papa Francisco se encon- trou com os voluntários da Jornada Mundial da Juventude, no Riocentro, em um momento marcante na vida daqueles jovens. Foto 05: o papa Francisco, no Riocentro. Crédito: Azaury Alencastro. O MMA é um dos esportes que mais crescem ao redor do mundo e, no UFC Rio 4, disputado no iní- cio do mês, o campeão José Aldo deu mais um show. Mesmo com o pé fraturado no primeiro round, o brasileiro, que está invicto desde 2006, derrotou o Zumbi Coreano por nocaute, na HSBC Arena, man- tendo o cinturão dos pesos penas. Foto 06: o campeão José Aldo. Gaúcha radicada em Florianópolis, a artista plástica Ana Paula Alves de Souza costuma retratar seu amor ao mar em muros, camisetas, telas ou pranchas de surfe. Pois, no pró- ximo dia 18, ela vai inaugurar uma exposição no restaurante Pe’ahi, na Barra. O endereço é Av. do Pepê 780. Foto 07: Ana Paula e algumas de suas obras. A atriz, modelo e apresentadora Luize Altenhofen fez, recentemente, uma participação especial na novela Amor à vida, da Rede Globo. A bela viveu uma instrutora de mergulho que vive em Búzios. Foto 08: Luize Altenhofen. O Teatro dos Grandes Atores, na Barra, apresenta algumas peças este mês. Uma das opções é Apartamento 171, que conta a história de um imó- vel que é alugado por dois casais ao mesmo tempo. No elenco estão Fernanda Pontes, Mateus Rocha, Amanda Richter, Romulo Estrela e Antonio Rocha Filho. O espetáculo fica em cartaz até 1º de setembro. Foto 09: o elenco da peça. Muitas felicidades, saúde, paz e su- cesso aos aniversariantes do mês: meu pai Nelson Barboza, meu filho, Leonardo Lancelotti, o ex-jogador Marcão (Marco Oliveira), Zagallo, Patrícia Rodrigues, Rafael Teles, Leandro Espetto Carioca, Cleomir Vieira, Otávio Leite, Cristina Magalhães, Cassiano Conde, Diego Fernandes, Camila Mattos, Thiago Balzana, Alfredo Gonzalez, Antonio Marinho, Valéria Giannini e Tião de Almeida. Foto 10: Zagallo, ao lado do pre- sidente do Botafogo, Mauricio Assumpção, e a estátua que o clube inaugurou em homenagem ao Velho Lobo. Ele merece! Foto 11: Valéria, entre os galãs Jorginho Pontual e Paulo Victor Skrobot; Foto 12: Valéria e o ator Eduardo Galvão; Foto 13: a bela Camila Mattos; Foto 14: o deputado federal Otávio Leite; Foto 15: o empresário Leandro, do Espetto Carioca, e sua namorada; Foto 16: o DJ Tião de Almeida; Foto 17: os aniversariantes Leonardo Lancelotti e Nelson Barboza, meu filho e meu pai amados; Foto 18: Patrick Clark, Leonardo e seu pequeno Nicolas; com Katia Lancelotti 03 02 01 14 15 16 17 18 19 20
  • 11. Jornal Tipo Carioca Agosto 2013 11 04 Foto 19: Marcão e a esposa Fabi; Foto 20: os craques Marcão e Zico. Parabéns,também,aRobsonCaetano, um dos maiores nomes da história do atletismo brasileiro, que, há um ano, criou um instituto que leva seu nome e desenvolve projetos sociais. Uma das iniciativas do Instituto Robson Caetano é o Projeto Futuro Campeão, desenvolvido em dez comunidades quereceberamUPPs:CidadedeDeus, Batan, Macacos, Salgueiro, Andaraí, São João, Borel, Complexo do Alemão, Mangueira e Rocinha. Recentemente, através de seu instituto, Robson lan- çou o projeto Vem Ser, direcionado a atletas de alto rendimento. Em parceria com o CCRB (Consórcio Construtor Rio Barra), que está levando o Metrô até o bairro, a Trivella organizou a Copa do Mundo CCRB de Futebol. O evento foi reali- zado na Rio Sport Center, na Barra, e reuniu 36 times e 360 jogadores. No fim, o título ficou com a equipe de São Conrado. Parabéns ao meu amigo Flávio Trivella pela realização de mais um grande evento! Recém-reaberto pela prefeitu- ra, após ficar um mês fechado, o Barra Music tem uma programa- ção recheada este mês. Dia 15, subirão ao palco Zezé di Camargo e Luciano. Dia 22 será a vez de Diogo Nogueira levantar o públi- co. Mais informações na internet (www.barramusic.art.br). Este mês, o arquiteto e paisagista Burle Marx completaria 104 anos. Em sua homenagem, a prefeitura acaba de lançar o concurso de fo- tografias Olhos de Ver – Burle Marx. Essa iniciativa é aberta ao público e as melhores imagens serão sele- cionadas e irão fazer parte de uma edição de cartões postais do projeto Olho de Ver. As inscrições vão até o próximo dia 30 e as fotos devem ser enviadas pela internet (olhosdever- burlemarx@gmail.com). O ator Bernardo Langlott não para. Recentemente, fez um ensaio exclu- sivo com Fernando Torquatto para a revista Quem. Anote na agenda: o Achados Imperdíveis – Bazar Dia dos Pais acontece nos dias 9 e 10 de agos- to, no Espaço Le Techniques. O endereço é: Rua Antonio Baptista Bittencourt 130, no Recreio. Lá, você vai encontrar moda, acessó- rios variados. A entrada é franca. Em setembro, o bazar acontece nos dias 13 e 14. Para as futuras mamães, uma óti- ma pedida é a nova edição da Feira Mega Gestante e Bebê, que acontece de 13 a 18 deste mês, no Riocentro, das 14h às 22h, com entrada franca. Neste mês em que é comemorado o Dia do Advogado, a OAB-Barra promove uma série de eventos, a maioria em sua sede. Dia 18, aconte- ce uma passeata na orla, com saída às 9h, em frente à Barraca do Pepê. Dois dias depois, a entidade pro- move uma palestra sobre Comissão de Direito Previdenciário, em sua sede. O endereço é: Av. das Américas 3959, loja 222, shopping Marapendi. Lançada no início de junho, a PRosa Cult, feira aos sábados na praça do Parque das Rosas, segue bombando. Lá, o público pode conferir obras de artistas plásticos, escultores, arte- sãos, produtos de brechós e antiquá- rios. Há também passeio, gratuito, de charrete para a criançada, de manhã, além de feira de adoção de animais. Feliz Dia dos Pais a todos os nossos leitores! 05 06 07 08 09 10 11 12 13
  • 12. Agosto 2013 Jornal Tipo Carioca12 1 - Costuma ter bolo esofágico? A) Sim B) Não 2 - Tem soluços com certa frequência? A) Sim B) Não 3 - Tem azia? A) Sim B) Não 4 - A digestão é difícil? A) Sim B) Não 5 - Eructa muito? A) Sim B) Não QUESTIONÁRIO DIGESTIVO 6 - A barriga distende? A) Sim B) Não 7 - Tem enjoo? A) Sim B) Não 8 - Tem prisão de ventre? A) Sim B) Não 9 - Tem fezes mal formadas? A) Sim B) Não 10 - Tem sangramento digestivo? A) Sim B) Não RESULTADO: Mais de três resultados A, procurar um gastroenterologista. Q uem acha que cabelos bonitos são aqueles que vão até a meta- de das costas, ou que quase chegam à cintura, precisa rever seus conceitos de es- tilo urgentemente. Cabelos curtos, além de serem fá- ceis de cuidar, sempre dão uma aparência moderna, descolada e deixam o rosto em evidência, des- tacando qualquer maquiagem. Quem não se lembra da primeira supermodelo do mundo, a ingle- sa Twiggy? Com aqueles enormes olhos carregados de rímel, traços delicados e seus lendários cabelos curtinhos, ela conquistou o mundo fashion e se tornou um dos rostos mais emblemáticos das décadas de 1960 e 1970. Pois é, inovar é preciso, e, nesta minha última viagem à Europa, principalmente leste europeu e Alemanha, pude ver que os curtos realmente estão em alta! Além de mais variedade de cortes, você cria seu próprio penteado e estilo, sendo única e não um clone de suas amigas ou atrizes! Então, mãos à obra, diminua seus cabelos e crie seu estilo; não tenha medo de perder a feminilidade; os homens que não curtem os cabelos curtos têm medo, porque uma mu- lher de cabelos mais curtos é con- fiante e forte! Boa sorte! Tel: 2487-3778 2487-3909 CORTAR OU NÃO?
  • 13. Jornal Tipo Carioca Agosto 2013 13 REDUZA seu consumo, REUTILIZE o muito que já tem, REFORME o que for possível, RECICLE o que não tiver mais utilidade para você, Pela conservação de nosso Planeta: REPENSE uma nova e responsável forma de viver! N ós do Lagoa Viva e par- ceiros não vamos nos omitir jamais, nem per- der a oportunidade de cobrar dos governos o compro- misso que integra o caderno de encargos das Olimpíadas, para despoluir, de verdade, o com- plexo lagunar Barra da Tijuca/ Jacarepaguá. O Programa de Recuperação Ambiental desenvol- vido em conjunto pelo município e o estado tem que promover con- dições/campanhas em parcerias, para que milhares de moradores locais que anseiam por lagoas limpas se voltem para esta causa, para direcionar esforços de mobi- lização participativa, priorizar os mais pobres e suas carentes co- munidades. O complexo lagunar é o vazadouro para onde escoam as águas dos mais de 40 rios que vertem dos maciços da Tijuca e Pedra Branca, trazendo lixo e esgoto de dezenas comunidades ribeirinhas. O estado já investiu em dragagem de forma tímida, nunca atacou a origem; agora esse vultoso investimento de mais de R$ 600 milhões para retirada de toneladas de sedimentos do Canal da Joatinga, lagoas de Marapendi, Tijuca, Camorim e Jacarepaguá, na tão esperada e necessária re- tomada da dragagem. Registro também que lá se vão mais de sete anos de dinheiro aplicado para operar o recolhimento e descarte nas ecobarreiras, local de acúmu- lo/retirada de resíduos flutuan- tes, foco de mosquitos nas gigogas retidas. Até quando? O município vai aplicar recursos em mais qua- tro dispendiosas Unidades de Tratamento de Rios (UTR’s), as redes de contenção dos resídu- os lançados rio acima, vão trazer sim, algum beneficio ao espelho d´água das lagoas, mas é jogar di- nheiro no esgoto, alto custo ope- racional e aplicação de toneladas de produtos químicos que inter- ferem na vida aquática. Até quan- do? Nós temos é que atacar as origens, buscar o reassentamento dos ocupantes de risco das faixas marginais, revitalizá-las, criando áreas de lazer, priorizar ações na conservação ambiental para mi- nimizar até cessar o lançamento definitivo dos dejetos, rio por rio. Nós do Lagoa Viva e demais mem- bros do Subcomitê do Sistema Lagunar de Jacarepaguá, com sua forte representação, composta do poder público, usuários da água e sociedade civil que preconiza o gerenciamento dos recursos hí- dricos de forma integrada, com- partilhada e descentralizada, temos urgente que priorizar a ela- SÃO MAIS DE DOIS BILHÕES GASTOS. BASTA DE PALIATIVOS PARA LIMPAR NOSSAS LAGOAS donato@pactoderesgateambiental.org Tel.: (21) 8728-0430 Ambientalista; graduado em Comunicação Social; Presidente do Lagoa Viva, diretor da AIB e Acibarra, Consultor de Ecodesenvolvimento da Acibarra e Coordenador do Movimento Evolutivo Pacto de Resgate Ambiental. PACTO DE RESGATE AMBIENTAL - Buscando um território sustentável boração e fazer cumprir o plano da bacia hidrográfica de jacare- paguá. Junto com nossos parcei- ros vamos envolver moradores locais, atacar a origem, formar e capacitar centenas de agentes ambientais comunitários, limpar rio a rio, revitalizar o entorno de suas margens e nascentes, reci- clar e destinar o lixo corretamen- te, acabar com valões, tratando esgoto, possivelmente, com biodi- gestores para as pequenas comu- nidades e melhorar as condições de saúde e de vida dessa sofrida população. Nós do Lagoa Viva e parceiros compromissados com a causa, priorizamos as ações, con- tinuamos determinados a execu- tar, estimular, contribuir e envol- ver os mais diversos segmentos da comunidade para boas prá- ticas de gestão ambiental local, desenvolver campanhas, material educativo, vídeos, eventos de sen- sibilização, seminários, palestras e apoiar projetos de educação am- biental nas escolas e nas comuni- dades ribeirinhas. Nós do Lagoa Viva sempre acreditamos e pro- porcionamos, há treze anos, a di- fusão de conhecimentos, voltados para o cuidado ambiental local, processo de construção de valo- res para o exercício da cidadania no convívio comunitário. Nós do Lagoa Viva, membro/fundador do Subcomitê de Jacarepaguá e do Conselho Gestor do Parque Estadual da Pedra Branca, vamos lutar para elaboração do Plano de Manejo do parque e a efetiva destinação dos recursos previs- tos nas compensações ambientais obrigatórias das grandes obras locais para projetos de revitali- zação/conservação/educação am- biental. Nós do Lagoa Viva e todos não podemos permitir que nossas crianças continuem a brincar nos valões e que a parte mais caren- te da população que nos atende continue na mesma. Não podemos continuar a enxugar gelo. Não po- demos lançar mais dinheiro no ralo. Vamos usá-lo para atacar as origens, melhorar as condições de saneamento e de vida dessa população. Chegou a hora de prio- rizar políticas e investimentos públicos e privados para a edu- cação ambiental. Até quando as autoridades vão temer, enfrentar o desafio de sanear comunida- de por comunidade, revitalizar e conservar nossos corpos hídri- cos permanentemente? Outros conseguiram; nós, unidos, tam- bém podemos. QUAL É O LEGADO AMBIENTAL DAS OLIMPÍADAS QUE QUEREMOS? CAÇADOR SEM CORAÇÃO Pobre passarinho, triste era o seu cantar Vivia tão sozinho, sem forças para voar. Caçador sem coração matou sua amada Ficastes na solidão, no frio da madrugada. Passarinho tanto cantou, parecia até chorar Alguém o escutou e veio lhe consolar. Não tinha a sua cor, Cobriu lhe com suas asas Te deu novo vigor, te aqueceu como brasas. Minha vida é diferente, Meu amor me abandonou Foi embora de repente, nunca mais voltou... Foi o malvado caçador, que atacou novamente, Roubou o meu amor, foi embora para sempre. Eu já me cansei de tanto chorar, Mais não encontrei forças para continuar. Hoje vejo o passarinho, Rua Januário José Pinto de Oliveira, 277 Maramar - Recreio dos Bandeirantes CEP: 22790-864 - FAX: 2490-0328 e-mail: jornal@tipocarioca.com.br Cartas para esta seção: todo feliz a cantarolar, Eu aqui sozinho, sem ninguém para me consolar... Sueli Franco. A VIDA É BELA Saber viver é uma arte Acenda a luz do seu interior Crie momentos especiais e promissores Busque um viés de reflexões Lembre-se do lirismo das poesias Abra mais uma janela Pense: ‘A vida é bela’. A magia de uma linda manhã O esplendor do pôr do sol As belas noites de luar A Lua, uma paz nela Pense: ‘A vida é bela’. As diversas formas de vida As paisagens, a natureza, Os jardinhs floridos, rosas, camélias Lindas imagens, um quadro, uma tela Pense: ‘A vida é bela’. O núcleo familiar, a prole No plano material e emocional Otimize seu tempo Procure atitudes mais pragmáticas Sinta o que a vida revela Pense: ‘A vida é bela’. Walkyrio Rotay. AMIZADE SINCERA A amizade é para ser verdadeira E para ser verdadeira a amizade Não pode ostentar vaidade Deve passar longe da caridade Jamais ser fundada em piedade Deve sim, vir com naturalidade Guardar aquela gostosa saudade Abrir o coração com sinceridade Para diante da afinidade Experimentar a cumplicidade Mostrar-se sublime, de verdade E perdurar na eternidade. Pois assim é a amizade sincera O resto, seja dado o nome que for Será apenas quimera De um coração sem brilho Tal qual triste tapera. Alex Dahlke. É motivo de alegria escrever depois de uma semana cur- tindo a presença do papa Francisco. Descobri que estou amando um argen- tino! É possível isso? Pois é. A figura carismática e gentil do meigo Chico me deixa leve e feliz. Quando o vi num carrinho básico, sem segurança de vidros à prova de balas, olhando para todos e para cada um, senti que esse é o “CARA”! A humildade, a solidariedade, a fines- se ao cumprimentar o semelhante, levaram-me a refletir sobre um fato acontecido quando fiz minha primeira comunhão, no colégio de irmãs fran- ciscanas, onde estudava, ao ver uma das freirinhas entrar num banheiro: na inocência dos meus sete anos, pensei estupefata: ela também faz xixi? Sim. São humanos, iguais a todos os se- res humanos. Por que seriam diferentes? Por que ocupam um lugar de destaque? Mas “estão” e não serão para sempre. Pois estou em estado de graça! Ouvi o papa falar em jovens que merecem ser ouvidos, velhos que merecem ser respeitados, corruptos que merecem estar na cadeia. Fiquei com o coração pleno de alegria, porque o Chiquinho sabe, sim, a realidade do Brasil, da Argentina, de todas as nações. Mandou bem, querido papa Francisco! Desejo que este rastro de bondade e amor que ficou no ar sirva de exemplo para todos nós, e para que sejamos mais solidários, pacifistas e mais exi- gentes com as mudanças que quere- mos em nossas vidas. Amém! O PAPA
  • 14. 14 Jornal Tipo CariocaAgosto 2013 Nelson Barboza Rosane Castro Neves O ano de 1945 teve dois grandes destaques: – Farrapo humano (Billy Wilder): um drama pro- fundo sobre o alcoolismo e suas consequências. Excelente perfor- mance de Ray Milland no papel de um escritor que, dominado pelo ví- cio, chega a ponto de penhorar sua máquina de escrever para comprar bebida e, também, roubar. Oscar de filme, diretor, ator (Milland) e roteiro; – Fomos os sacrificados (John Ford): dramático relato do heroísmo e tragédia de um esqua- drão de “PT-boats” americano em sua luta contra os japoneses, nas Filipinas, logo após o ataque a Pearl Harbor; de dezembro de 1941 até abril de 1942. Baseado em fatos reais ocorridos com os tenentes John Bulkeley e Robert Kelly, de- pois premiados com a Medalha de Honra e a Cruz da Marinha, respec- tivamente. Outros bons filmes de 1945 que merecem ser vistos são: – O retrato de Dorian Gray (Albert Lewin); – Quando fala o coração (Alfred Hitchcock); – O túmulo va- zio (Robert Wise); – Um punhado de bravos (Raoul Walsh); – Alma em suplício (Michael Curtiz); – Um passeio ao sol (Lewis Milestone). Em 1946, Os melhores anos de nos- sas vidas, de William Wyler, clássi- co ganhador de sete Oscar, conta a história de três pracinhas que vol- tam ao lar após a II Guerra Mundial e suas tentativas de adaptar-se à vida civil. Comovente drama so- bre os problemas decorrentes dos horrores da guerra. Harold Russel, que perdera realmente as mãos na guerra, tem uma participação extra- ordinária, lutando para superar sua deficiência física. Oscar de filme, diretor, ator (Fredric March), mon- tagem, ator coadjuvante (Russel), roteiro e trilha sonora. Entretanto, em 1946, tivemos grandes filmes, capazes de com- petir à altura com o ganhador do Oscar, como: – A felicidade não se compra (Frank Capra): exce- lente fantasia do mestre Capra, considerada por ele como o seu melhor filme. Dentro do estilo capriano de que as boas ações e sentimentos são sempre dignos de recompensa, características já expostas em filmes anteriores, o diretor enfatiza o idealismo, o sacrifício pessoal em prol do co- letivo, a inocência, o otimismo, a solidariedade, o heroísmo e a bon- dade, entre tantas outras virtudes do ser humano. George Bailey, um homem decente e bondoso (James Stewart), assume, após a morte de seu pai, o controle de uma empre- sa, angariando, em contrapartida, um cruel inimigo: o ambicioso e inescrupuloso banqueiro Potter (Lionel Barrymore). Enquanto o banqueiro explora os mais pobres, Bailey os ajuda. Ao se ver sufocado por problemas financeiros, talvez causados por sua própria genero- sidade, Bailey resolve suicidar-se, mas é salvo por um anjo (Henry Travers), que lhe mostra como o mundo seria se ele não tivesse existido e o encoraja a enfrentar os problemas; – Paixão dos fortes (John Ford): um dos grandes fil- mes do mestre do faroeste. Versão nostálgica da história do lendário xerife de Tombstone (Arizona), Wyatt Earp (Henry Fonda em sua melhor atuação no gênero) e do seu amigo Doc Holliday (Victor Mature) que, juntos, participam do famoso duelo com os bandidos da família Clanton, em OK Corral. A canção do filme, My darling Clementine, tornou-se célebre. Em 1957, John Sturges também filmou a saga do xerife Earp em “Sem lei e sem alma” (Gunfight at the OK Corral), um bom espe- táculo, com Burt Lancaster e Kirk Douglas nos principais papéis; – O destino bate à sua porta (Tay Garnett): clássico filme noir com Lana Turner no seu melhor papel. Baseado num romance de 1934 de James Mallahan Cain (1892-1977), especialista em histórias de sus- pense e violência – que reclamou das mudanças feitas no filme para adaptar-se às exigências da cen- sura do Hays Office –, mostra o drama do casal de amantes (Lana Turner/John Garfield) que plane- ja a morte do marido traído (Cecil Kellaway). Em 1981, com a censu- ra mais abrandada, foi feita uma versão mais explícita da história de Cain, com cenas de sexo e vio- lência, tendo como protagonistas Jessica Lange e Jack Nicholson, sob a direção de Bob Rafelson, mas sem o mesmo vigor da origi- nal; – À beira do abismo (Howard Hawks): obra-prima para quem gosta de filme noir com trama complexa. Esplêndida adaptação de O sono eterno, primeiro roman- ce policial de Raymond T. Chandler (1888-1959), criador do detetive Philip Marlowe, aqui interpretado por Humphrey Bogart. Marlowe é procurado por misteriosa mulher (Lauren Bacall, casada com Bogart Capítulo 1 – Estados Unidos da América – Parte 12 F rederico Tremonti e Pedro Lucena (bicampeão) vence- ram o Torneio World Cup, em Minnesota (EUA). O time é do Colégio Tereziano do Rio de Janeiro, que foi disputar com o da República de Gana da África Ocidental. É a juventude do Brasil fazendo sucesso no exterior!!! Mil vezes parabéns para eles!!!! Sandra Moraes ajuda os animais, é uma pessoa abençoada!!! Ela é su- percaprichosa e faz altos conjuntos de aventais, jogos de toalhas, vários tipos de panos, jogos americanos, tudo com estampas animais, flo- res, pássaros, lindos!!!! Entrem no Facebook dela que vocês terão uma surpresa!!! Sandra Moraes!!! Mês que vem, falo tudinho sobre a Tasha, a cadela da Sandra Moraes que está fazendo transplante de cé- lulas-tronco. Com direito a foto!!! A superpreparada Alyne Alonso, que é mestra, coreógrafa e coordenadora na área de dança na empresa Rede Bodytech de academias; é coreógrafa e professora de dança contemporâ- nea e preparadora física em cima da plataforma vibratória POWER PLATE na empresa Sauer Danças; e coreó- grafa e professora na empresa Petite Danse, fez aniversário. Parabéns!!!!! Rubem Gabira e Marco Miranda, meus atores preferidos!!! Rubinho está fazendo o perfeito musical Randevu do Avesso, no Teatro de Bolso do Leblon, e Marco entra- rá com nova temporada no Sesc Tijuca, com a também brilhante peça Por que será que amamos tanto assim...? Não perca, você vai morrer de rir nas duas!!!! O triplo aniversário de José Carlos de Andrade, Gustavo Leal de Meirelles e Affonso Fernandes de Araújo (os três em 7 e 8 de julho) foi comemorado com alegria juli- na!!!!! Parabéns aos três!!!! Vai ser o casamento do ano: Maria Clara e Alexandre subirão ao al- tar dia 10 deste mês. A cerimô- nia será realizada na igreja São Francisco de Paula, e a recepção será no Museu de Arte Moderna. Felicidades aos noivos!!! Aniversarinates do mês: Pedro Albuquerque, Neida Resende, Aline Paixão, Bê, Gisela Sá, Clarinha, Priscilla Teixeira, Louise Mara, Sabrina, Julia Sauer, Vânia Magalhães, Hanriette, Ana Paula, Carlinha, Taninha Moura, Noêmia, Cristina Sauer, Laura Carvalho, Blimba, Ricardo Gaspar e Cristina Collares. A todos, mil felicida- des, alegrias e muito amor no coração!!!Parabéns!!! BREVE HISTÓRIA DO CINEMA MUNDIAL desde 1945) e sua irmã (Martha Vickers), que o contratam para esclarecer um caso, envolvendo- -o em intricada trama, repleta de assassinatos e pistas complica- das. Embora presa ao puritanismo existente na época, a história tem lances de loucura, drogas, ninfo- mania e pornografia, abordados superficialmente. O filme contou com os três maiores roteiristas do período: Jules Furthman, Leigh Brackett e, até, William Faulkner, o grande escritor norte-america- no ganhador do Prêmio Nobel de Literatura de 1949. Outros bons filmes de 1946 que po- dem ser vistos são: Interlúdio (Alfred Hitchcock); O pecado de Cluny Brown (Ernst Lubitsch); Virtude selvagem (Clarence Brown); Gilda (Charles Vidor). Em 1947, tivemos alguns bons filmes, nada de excepcional. Entre os que me- recem uma olhada, temos: Monsieur Verdoux (Charles Chaplin); Corpo e alma (Robert Rossen); Domínio dos bárbaros (John Ford); O justi- ceiro (Elia Kazan); Rancor (Edward Dmytryk); De ilusão também se vive (George Seaton). Eu e Sandra Moraes, grande pessoa. Eu entre os grandes atores Rubem Gabira e Marco Miranda. A aniversariante Alyne Alonso, entre amigas. Alyne Alonso e sua filha Paulinha, duas bailarinas de responsa’. As beijoqueiras da Sauer Danças: Alyne Alonso, Pat Comber e Rô. Pedro Lucena e Frederico Tremonti Carvalho arrasando nos EUA. OS GRANDES FILMES NORTE-AMERICANOS DA DÉCADA DE 1940
  • 15. 15Agosto 2013Jornal Tipo Carioca SOPA DE FEIJÃO COM CARNE E COUVE DO GILVAN Em seguida, coloque os tomates e a couve picada, com um e meio li- tro de água, e cozinhe por mais 30 minutos. Bata no liquidificador com o Feijão do Gilvan e volte à panela com fogo médio. Acrescente meia xícara (chá) de água, mexendo até engrossar um pouco. Tempere com o sal, o Ajinomoto e a pimenta-do-reino. Mexa por mais um ou dois minutos e apague o fogo. Salpique a salsa picada. Sirva quente com pão, azeite e mo- lho de pimenta (se desejar). Ingredientes: 250g de carne (músculo, acém ou outra de seu agrado), cortada em cubinhos; quatro colheres (das de sopa) de azeite ou óleo de soja; uma cebola média, picada; dois tomates pica- dos, sem pele e sem semente; qua- tro folhas de couve, picadas; uma xícara (das de chá) de Feijão do Gilvan pronto; uma colher (das de chá, rasa) de Ajinomoto; pimenta- -do-reino, a gosto; sal e salsa pica- da, a gosto. Modo de preparo: leve ao fogo a carne com o azeite ou o óleo de soja, deixe cozinhando até se- car, mexendo de vez em quando, até fritar e ficar bem moreninha; acrescente a cebola. Mexa bem, até murchar a cebola. Bom apetite!!! Gilvan Nascimento Conheça mais receitas no Blog do Gilvan: http://gilvannascimento.blogspot.com A estação mais fria do ano começou no dia 21 de ju- nho. Completou um mês há pouco e neste ano de 2013 mostrou algo diferente para nós. Um inverno mais frio do que os últimos anos e muito menos seco, ou seja, mais chuvoso. Eu diria até bastante chuvoso, se comparado aos últimos anos. Disse isso porque normalmente é uma estação em que a disponibilidade de água fica mais reduzida para as espécies vegetais. Mas vamos nos ater à diminuição da temperatura, a fim de falar aqui das plantas que preferem essa estação do ano para florescer, como a con- geia, a azaleia e a caliandra, ótimas para serem apreciadas nes- tas épocas mais frias. São espécies perenes que flores- cem de forma espetacular nos meses do inverno. Muitas variedades de flores anu- ais (ciclo curto) também preferem o clima mais ameno e pouca lumi- nosidade, para florescer. É o caso da petúnia, da cravina e da amor- -perfeito, entre outras. Nestes casos, diferentemente das plantas perenes, que podem ficar anos num jardim, é preciso um cuidado a mais e tra- balho com a semeadura, o que, de maneira alguma se torna complica- do. Muito pelo contrário, torna-se prazeroso também. Os preparativos com a semeadura devem começar três meses antes, pelo menos. É pre- ciso conhecer a espécie que se quer ter no jardim. A última dica fica por conta da poda. Fábio Cardoso de Freitas Engenheiro Agrônomo fcarfreitas@yahoo.com AS PLANTAS E O INVERNO Mais uma vez, dependendo da es- pécie cultivada, a poda excessiva ou equivocada pode desencadear o enfraquecimento do vegetal e o fa- vorecimento ao ataque de pragas e doenças. Muitas espécies, no inverno, estão em estágio mais lento de cres- cimento e outras estão em plena ati- vidade. Não faça poda naquelas espé- cies que estão com flores ou mesmo botões florais. Ainda que essas plan- tas estejam perdendo suas folhas, não se engane, elas estão ativas. A dica maior é: conheça e busque in- formações sobre a espécie que quer ou está cultivando. Todos os mane- jos culturais devem estar de acordo com as necessidades a ela inerentes, seja de clima mais quente ou de cli- ma mais frio. Pronto, agora você já pode curtir o inverno carioca, com um olhar mais atento às plantas.
  • 16. Agosto 2013 Jornal Tipo Carioca16