SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA – UFSC CENTRO DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO – CCE DEPARTAMENTO DE EXPRESSÃO GRÁFICA – EGR CURSO DE DESIGN GRÁFICO DISCIPLINA: ECODESIGN VIDRO
ETAPAS PARA A FABRICAÇÃO - Comuns - Temperados Laminados Painéis Polyvision Tipos de Vidro Estrutura do Polyvision
ETAPAS PARA A FABRICAÇÃO A Fabricação Fabricação com Base na Moldagem por Sopro 1º) Mistura 2º) Fundição 3º) Imersão do canudo 4º) Modelagem 5º) Resfriamento Fabricação Artesanal
ETAPAS PARA A FABRICAÇÃO A Fabricação Fabricação pelo Método Float 1º) Despejo da matéria-prima em estanho 2º) Distribuição da massa 3º) Resfriamento 4º) Inspeção e corte Fabricação Float
ETAPAS PARA A FABRICAÇÃO A Fabricação Prensagem por Cilindros 1º) Fundição 2º) Molde por cilindros 3º) Resfriamento 4º) Corte
ETAPAS PARA A FABRICAÇÃO Tingindo o Vidro - Capacidade de inibir o calor O Processo 1º) Por adição de substâncias - óxido de ferro (tom verde); - o óxido de cobalto ou de selênio (tom bronze); - outros corantes químicos. 2º) Por revestimento  - metais - óxidos Variedade de cores
UTILIZAÇÃO EM EMBALAGENS Higiene - interferência no sabor de alimentos - passagem de oxigênio e gás carbônico - prazo de validade até duas vezes mais que outros materiais Proteção ao produto
UTILIZAÇÃO EM EMBALAGENS Identificação de marca - forma e cor das embalagens -  reconhecimento imediato da marca
UTILIZAÇÃO EM EMBALAGENS Sistemas de fechamento variado Grande variedade de formas de fechamento Garra Metálica Tampa Coroa Tampa Abre Fácil Tampa  Conta-Gotas Tampa Cliplok Tampa Twist Tampa Metálica Tampa Plástica Rolha
UTILIZAÇÃO EM EMBALAGENS grande versatilidade e excelente desempenho no processo industrial, seja ele de pequeno ou grande porte.  Diversidade de aplicação
resistência ao processo de fabricação produtos quentes ou gelados - antissépticos, pasteurizados ou esterilizados.
UTILIZAÇÃO EM EMBALAGENS O vidro é um material adequado à apresentação de novos produtos, graças à variedade de aplicações possíveis. Atende exigências variadas nos processos de fechamento, selagem e decoração Quanto à decoração apresenta diversas opções de elementos decorativos (rótulo adesivo, alto-relevo...) Diferenciação visual do produto nos pontos de venda Inovação
UTILIZAÇÃO EM EMBALAGENS -Manuseio simples Facilidade de remoção dos produtos Apresentação agradável Produtos com qualidade identificável Sistemas protetores de fechamento - Tamanhos variados (consumo individual ou familiar)   Conveniência
UTILIZAÇÃO EM EMBALAGENS Embalagem mais nobre (segundo consumidores) = maior valor agregado.  Reutilização pelo consumidor (guardar alimentos, bebidas ou pequenos objetos) – valor adicional. Linha retornável: cervejarias, indústrias de refrigerante. Adequada composição de custos
Coleta O vidro pode ser reciclado indefinidamente; PROBLEMÁTICAS AMBIENTAIS Além de ser Reutilizável e retornável  ele pode ser  totalmente reciclado.  No entanto; aproximadamente  4% do lixo em aterros é  vidro
Reciclar - Cada tonelada de vidro novo produzido, gera 12,6 kg de poluição no ar .  PROBLEMÁTICAS AMBIENTAIS O reciclado reduz em 14% a 20% esta poluição   - 1 tonelada de vidro produzido a partir da matéria-prima gera 174 quilos de resíduos minerais.  O uso de 50% de vidro reciclado reduz em 75% esses resíduos.
Nem Todos os vidros são recicláveis  - Os com lâminas de vidro contém boro; - Vidros de carro contém plástico; - O cristal contém chumbo,  - Os espelhos, prata. - Lâmpadas, cristal e espelhos não podem ser reciclados. PROBLEMÁTICAS AMBIENTAIS
Tempo de Decomposição - Sua resistência é tamanha, que arqueólogos encontraram utensílios de vidro do ano de 2000 a.C.  - Por ser composto de areia, sódio, cal e vários aditivos, os microorganismos não conseguem comê-lo.  PROBLEMÁTICAS AMBIENTAIS
Tempo de Decomposição PROBLEMÁTICAS AMBIENTAIS Um recipiente de vidro demoraria  4.000  anos para se desintegrar pela erosão e ação de agentes químicos.
SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS Segundo dados da Associação Técnica Brasileira das Indústrias Automáticas de Vidro (Abividro), o setor teve um faturamento de R$ 3,753 milhões e empregou 12,2 mil profissionais em 2005.  Além de gerar renda e postos de trabalho, a produção e o beneficiamento do vidro está buscando o desenvolvimento sustentável, através de ações que evitam o desperdício e a emissão de poluentes.
A reciclagem sempre teve grande destaque na indústria vidreira, mas ganhou força nos últimos anos. Os índices da Abividro mostram que a reciclagem de vidro passou de 15% do total produzido no Brasil, em 1991, para 45%, em 2005. SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS
Etapas do processo de reciclagem: 1º) O vidro é coletado e separado por cor; SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS
2º) O que foi selecionado é submetido à um eletroímã para a retirada de qualquer tipo de metal, como resíduo de tampas; 3º) Segue um processo de lavagem de grandes tanques com água; SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS
4º) O vidro vai para uma esteira ou mesa para a retirada de impurezas, como pedras, outros vidros, terra, plásticos; 5º) Os objetos (garrafas, frascos) são colocados em um triturador, que transforma o vidro em cacos homogêneos. Esses cacos vão para uma esteira, que os leva a um segundo eletroímã, retirando qualquer metal que ainda possa ter permanecido. SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS
6º) Por último, o material é armazenado e encaminhado à indústria vidraceira, que o submeterá à temperaturas entre 1000 e 1200ºC e irá transformá-los em novos artefatos de vidro; SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS
Sendo 100% reciclável, o vidro pode ser totalmente reaproveitado no ciclo produtivo, com uma série de vantagens. Economia de matérias primas naturais, como areia, barrilha e calcário; Consome menor quantidade de energia; Menor descarte de lixo, reduzindo os custos de coleta urbana; - Emite resíduos menos particulados de CO2. SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS
Classificação de sucatas de vidro SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS Recicláveis Não-recicláveis  Garrafas de bebida alcoólica e não alcoólica (refrigerantes, cerveja, suco, água, vinho, etc) Espelhos, vidros de janela e box de banheiro, lâmpadas, cristal Frascos em geral (molhos, condimentos, remédios, perfumes e produtos de limpeza) Ampolas de remédios, formas, travessas e utensílios de mesa de vidro temperado Potes de produtos alimentícios Vidros de automóveis Cacos de embalagens Tubos de televisão e válvulas
Incentivos para a reciclagem do vidro Nos últimos anos, a reciclagem deste material ganhou força com os grandes investimentos feitos pela Abividro para promover e estimular o retorno da embalagem do material descartável como matéria-prima. Dezenas de eventos foram feitos visando ampliar o índice de reuso do vidro, já que dos 5 mil municípios brasileiros, apenas 327 apresentam algum tipo de programa de coleta seletiva de vidro. SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS
CAROLINE SCHVEPPER GREGÓRIO BACELAR RAMOS HENRIQUE MÜLLER NATÁLIA G. SILVA RAFAEL MATOS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Vidros
VidrosVidros
Vidros
Liliana Sa
 
Apresentação - tipos de vidro
Apresentação - tipos de vidroApresentação - tipos de vidro
Apresentação - tipos de vidro
Cintia Nogueira de Carvalho
 
Vidro
Vidro  Vidro
Vidro
Andriy Russu
 
O vidro
O vidroO vidro
Vidro- construção civil
Vidro- construção civilVidro- construção civil
Vidro- construção civil
Cícero Fellipe Diniz de Santana
 
Vidro
VidroVidro
Embalagens de vidro
Embalagens de vidroEmbalagens de vidro
Embalagens de vidro
andreiafaion
 
Materiais de construção (vidros)
Materiais de construção (vidros)Materiais de construção (vidros)
Materiais de construção (vidros)
André Carvalho
 
Apostila curso de vidraceiro
Apostila curso de vidraceiroApostila curso de vidraceiro
Apostila curso de vidraceiro
Daniele Barreto
 
Indústria de vidro
Indústria de vidroIndústria de vidro
Indústria de vidro
Malgton Will
 
Vidro - Conforto acústico e térmico
Vidro - Conforto acústico e térmicoVidro - Conforto acústico e térmico
Vidro - Conforto acústico e térmico
Kelly Ruas
 
Mariana Morato, Larissa Ferreira e Wanessa Candine - Vidro.pdf
Mariana Morato, Larissa Ferreira e Wanessa Candine - Vidro.pdfMariana Morato, Larissa Ferreira e Wanessa Candine - Vidro.pdf
Mariana Morato, Larissa Ferreira e Wanessa Candine - Vidro.pdf
diogenesfm
 
Vidros
VidrosVidros
Vidro temperado
Vidro temperado Vidro temperado
Vidro temperado
viminas
 
Aula 15 vidro construção civil 2 alyne osterne
Aula 15   vidro construção civil 2 alyne osterneAula 15   vidro construção civil 2 alyne osterne
Aula 15 vidro construção civil 2 alyne osterne
Charles Anderson Silva Costa
 
Processo de fabricação de acrílico
Processo de fabricação de acrílicoProcesso de fabricação de acrílico
Processo de fabricação de acrílico
Victor Said
 
O mundo do acrílico
O mundo do acrílicoO mundo do acrílico
O mundo do acrílico
rafaeldariva
 
Vantagens da cobertura de policarbonato smc serralharia recife
Vantagens da cobertura de policarbonato   smc serralharia recifeVantagens da cobertura de policarbonato   smc serralharia recife
Vantagens da cobertura de policarbonato smc serralharia recife
SMC Serralharia
 
Acrílico
AcrílicoAcrílico
Seminário acrílicos e policarbonatos
Seminário acrílicos e policarbonatosSeminário acrílicos e policarbonatos
Seminário acrílicos e policarbonatos
Simone Bertelli
 

Mais procurados (20)

Vidros
VidrosVidros
Vidros
 
Apresentação - tipos de vidro
Apresentação - tipos de vidroApresentação - tipos de vidro
Apresentação - tipos de vidro
 
Vidro
Vidro  Vidro
Vidro
 
O vidro
O vidroO vidro
O vidro
 
Vidro- construção civil
Vidro- construção civilVidro- construção civil
Vidro- construção civil
 
Vidro
VidroVidro
Vidro
 
Embalagens de vidro
Embalagens de vidroEmbalagens de vidro
Embalagens de vidro
 
Materiais de construção (vidros)
Materiais de construção (vidros)Materiais de construção (vidros)
Materiais de construção (vidros)
 
Apostila curso de vidraceiro
Apostila curso de vidraceiroApostila curso de vidraceiro
Apostila curso de vidraceiro
 
Indústria de vidro
Indústria de vidroIndústria de vidro
Indústria de vidro
 
Vidro - Conforto acústico e térmico
Vidro - Conforto acústico e térmicoVidro - Conforto acústico e térmico
Vidro - Conforto acústico e térmico
 
Mariana Morato, Larissa Ferreira e Wanessa Candine - Vidro.pdf
Mariana Morato, Larissa Ferreira e Wanessa Candine - Vidro.pdfMariana Morato, Larissa Ferreira e Wanessa Candine - Vidro.pdf
Mariana Morato, Larissa Ferreira e Wanessa Candine - Vidro.pdf
 
Vidros
VidrosVidros
Vidros
 
Vidro temperado
Vidro temperado Vidro temperado
Vidro temperado
 
Aula 15 vidro construção civil 2 alyne osterne
Aula 15   vidro construção civil 2 alyne osterneAula 15   vidro construção civil 2 alyne osterne
Aula 15 vidro construção civil 2 alyne osterne
 
Processo de fabricação de acrílico
Processo de fabricação de acrílicoProcesso de fabricação de acrílico
Processo de fabricação de acrílico
 
O mundo do acrílico
O mundo do acrílicoO mundo do acrílico
O mundo do acrílico
 
Vantagens da cobertura de policarbonato smc serralharia recife
Vantagens da cobertura de policarbonato   smc serralharia recifeVantagens da cobertura de policarbonato   smc serralharia recife
Vantagens da cobertura de policarbonato smc serralharia recife
 
Acrílico
AcrílicoAcrílico
Acrílico
 
Seminário acrílicos e policarbonatos
Seminário acrílicos e policarbonatosSeminário acrílicos e policarbonatos
Seminário acrílicos e policarbonatos
 

Destaque

Trabalho De QuíMica
Trabalho De QuíMicaTrabalho De QuíMica
Trabalho De QuíMica
rhayssacamila
 
Gestão do ambiente e dos resíduos - Diana, Filipe e Luís Caeiro
Gestão do ambiente e dos resíduos - Diana, Filipe e Luís CaeiroGestão do ambiente e dos resíduos - Diana, Filipe e Luís Caeiro
Gestão do ambiente e dos resíduos - Diana, Filipe e Luís Caeiro
lourdesingles
 
Produção de Vinho
Produção de VinhoProdução de Vinho
Produção de Vinho
Silenezé Souza
 
Tudo da produção de vinho
Tudo da produção de vinhoTudo da produção de vinho
Tudo da produção de vinho
Luiz Avelar
 
Normas powerpoint esaof
Normas powerpoint esaofNormas powerpoint esaof
Normas powerpoint esaof
Eduardo Roque
 
Algumas normas para realização de um PowerPoint
Algumas normas para realização de um PowerPointAlgumas normas para realização de um PowerPoint
Algumas normas para realização de um PowerPoint
José Alemão
 
Vinho
VinhoVinho

Destaque (7)

Trabalho De QuíMica
Trabalho De QuíMicaTrabalho De QuíMica
Trabalho De QuíMica
 
Gestão do ambiente e dos resíduos - Diana, Filipe e Luís Caeiro
Gestão do ambiente e dos resíduos - Diana, Filipe e Luís CaeiroGestão do ambiente e dos resíduos - Diana, Filipe e Luís Caeiro
Gestão do ambiente e dos resíduos - Diana, Filipe e Luís Caeiro
 
Produção de Vinho
Produção de VinhoProdução de Vinho
Produção de Vinho
 
Tudo da produção de vinho
Tudo da produção de vinhoTudo da produção de vinho
Tudo da produção de vinho
 
Normas powerpoint esaof
Normas powerpoint esaofNormas powerpoint esaof
Normas powerpoint esaof
 
Algumas normas para realização de um PowerPoint
Algumas normas para realização de um PowerPointAlgumas normas para realização de um PowerPoint
Algumas normas para realização de um PowerPoint
 
Vinho
VinhoVinho
Vinho
 

Semelhante a ApresentaçãO1 Eco

Vidro vs. plastico
Vidro vs. plasticoVidro vs. plastico
Vidro vs. plastico
Dani Malheiro
 
Coleta seletiva etss segurança do trabalho
Coleta seletiva etss segurança do trabalhoColeta seletiva etss segurança do trabalho
Coleta seletiva etss segurança do trabalho
TatianaDiniz21
 
ColetaSeletiva_Reciclagem_ValidadoQualidade310522.pdf
ColetaSeletiva_Reciclagem_ValidadoQualidade310522.pdfColetaSeletiva_Reciclagem_ValidadoQualidade310522.pdf
ColetaSeletiva_Reciclagem_ValidadoQualidade310522.pdf
Rosana Andrea Miranda
 
Reciclagem do vidro
Reciclagem do vidroReciclagem do vidro
Reciclagem do vidro
Mirieli Zanetti
 
o Vidro
o Vidroo Vidro
Daniel marieli 2 a
Daniel marieli 2 aDaniel marieli 2 a
Daniel marieli 2 a
soradinda_59
 
Conscientizao ambiental-28227
Conscientizao ambiental-28227Conscientizao ambiental-28227
Conscientizao ambiental-28227
Kelvin Oliveira
 
Vidrão 8ºB
Vidrão 8ºBVidrão 8ºB
Vidrão 8ºB
Maura Santos
 
TRABALHO UFMG (engenharia) - VIDROS
TRABALHO UFMG (engenharia) - VIDROS TRABALHO UFMG (engenharia) - VIDROS
TRABALHO UFMG (engenharia) - VIDROS
FabricioGomesCarneir1
 
O vidro
O vidroO vidro
O vidro
Paula Lopes
 
MATERIAIS VITAIS E SEUS MÉTODOS DE EXTRAÇÃO EM QUÍMICA E ENERGIA. MATÉRIAS- ...
MATERIAIS VITAIS E SEUS MÉTODOS DE EXTRAÇÃO EM QUÍMICA E ENERGIA.  MATÉRIAS- ...MATERIAIS VITAIS E SEUS MÉTODOS DE EXTRAÇÃO EM QUÍMICA E ENERGIA.  MATÉRIAS- ...
MATERIAIS VITAIS E SEUS MÉTODOS DE EXTRAÇÃO EM QUÍMICA E ENERGIA. MATÉRIAS- ...
alexandrerodriguespk
 
Reciclagem artur e vinicius
Reciclagem   artur e viniciusReciclagem   artur e vinicius
Reciclagem artur e vinicius
Sandra Barros
 
Conscientização ambiental
Conscientização ambientalConscientização ambiental
Conscientização ambiental
zilda.2007
 
Coleta seletiva conscientização
Coleta seletiva conscientizaçãoColeta seletiva conscientização
Coleta seletiva conscientização
Ane Pimentel
 
Energias renováveis e reciclagem
Energias renováveis e reciclagemEnergias renováveis e reciclagem
Energias renováveis e reciclagem
aveca
 
Apresentação NP Nanoprotetores
Apresentação NP NanoprotetoresApresentação NP Nanoprotetores
Apresentação NP Nanoprotetores
NP Nanoprotetores
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva
Coleta seletiva
Sara Temoteo temoteo
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva
Coleta seletiva
Sara Temoteo temoteo
 
Latas de aco - vantagens e sustentabilidade
Latas de aco - vantagens e sustentabilidadeLatas de aco - vantagens e sustentabilidade
Latas de aco - vantagens e sustentabilidade
Vera Laporta
 
Slide MACO II wanda e seldon bbbbbbbbbbbbnn
Slide MACO II wanda e seldon bbbbbbbbbbbbnnSlide MACO II wanda e seldon bbbbbbbbbbbbnn
Slide MACO II wanda e seldon bbbbbbbbbbbbnn
AraujodeNJorgin
 

Semelhante a ApresentaçãO1 Eco (20)

Vidro vs. plastico
Vidro vs. plasticoVidro vs. plastico
Vidro vs. plastico
 
Coleta seletiva etss segurança do trabalho
Coleta seletiva etss segurança do trabalhoColeta seletiva etss segurança do trabalho
Coleta seletiva etss segurança do trabalho
 
ColetaSeletiva_Reciclagem_ValidadoQualidade310522.pdf
ColetaSeletiva_Reciclagem_ValidadoQualidade310522.pdfColetaSeletiva_Reciclagem_ValidadoQualidade310522.pdf
ColetaSeletiva_Reciclagem_ValidadoQualidade310522.pdf
 
Reciclagem do vidro
Reciclagem do vidroReciclagem do vidro
Reciclagem do vidro
 
o Vidro
o Vidroo Vidro
o Vidro
 
Daniel marieli 2 a
Daniel marieli 2 aDaniel marieli 2 a
Daniel marieli 2 a
 
Conscientizao ambiental-28227
Conscientizao ambiental-28227Conscientizao ambiental-28227
Conscientizao ambiental-28227
 
Vidrão 8ºB
Vidrão 8ºBVidrão 8ºB
Vidrão 8ºB
 
TRABALHO UFMG (engenharia) - VIDROS
TRABALHO UFMG (engenharia) - VIDROS TRABALHO UFMG (engenharia) - VIDROS
TRABALHO UFMG (engenharia) - VIDROS
 
O vidro
O vidroO vidro
O vidro
 
MATERIAIS VITAIS E SEUS MÉTODOS DE EXTRAÇÃO EM QUÍMICA E ENERGIA. MATÉRIAS- ...
MATERIAIS VITAIS E SEUS MÉTODOS DE EXTRAÇÃO EM QUÍMICA E ENERGIA.  MATÉRIAS- ...MATERIAIS VITAIS E SEUS MÉTODOS DE EXTRAÇÃO EM QUÍMICA E ENERGIA.  MATÉRIAS- ...
MATERIAIS VITAIS E SEUS MÉTODOS DE EXTRAÇÃO EM QUÍMICA E ENERGIA. MATÉRIAS- ...
 
Reciclagem artur e vinicius
Reciclagem   artur e viniciusReciclagem   artur e vinicius
Reciclagem artur e vinicius
 
Conscientização ambiental
Conscientização ambientalConscientização ambiental
Conscientização ambiental
 
Coleta seletiva conscientização
Coleta seletiva conscientizaçãoColeta seletiva conscientização
Coleta seletiva conscientização
 
Energias renováveis e reciclagem
Energias renováveis e reciclagemEnergias renováveis e reciclagem
Energias renováveis e reciclagem
 
Apresentação NP Nanoprotetores
Apresentação NP NanoprotetoresApresentação NP Nanoprotetores
Apresentação NP Nanoprotetores
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva
Coleta seletiva
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva
Coleta seletiva
 
Latas de aco - vantagens e sustentabilidade
Latas de aco - vantagens e sustentabilidadeLatas de aco - vantagens e sustentabilidade
Latas de aco - vantagens e sustentabilidade
 
Slide MACO II wanda e seldon bbbbbbbbbbbbnn
Slide MACO II wanda e seldon bbbbbbbbbbbbnnSlide MACO II wanda e seldon bbbbbbbbbbbbnn
Slide MACO II wanda e seldon bbbbbbbbbbbbnn
 

ApresentaçãO1 Eco

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA – UFSC CENTRO DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO – CCE DEPARTAMENTO DE EXPRESSÃO GRÁFICA – EGR CURSO DE DESIGN GRÁFICO DISCIPLINA: ECODESIGN VIDRO
  • 2. ETAPAS PARA A FABRICAÇÃO - Comuns - Temperados Laminados Painéis Polyvision Tipos de Vidro Estrutura do Polyvision
  • 3. ETAPAS PARA A FABRICAÇÃO A Fabricação Fabricação com Base na Moldagem por Sopro 1º) Mistura 2º) Fundição 3º) Imersão do canudo 4º) Modelagem 5º) Resfriamento Fabricação Artesanal
  • 4. ETAPAS PARA A FABRICAÇÃO A Fabricação Fabricação pelo Método Float 1º) Despejo da matéria-prima em estanho 2º) Distribuição da massa 3º) Resfriamento 4º) Inspeção e corte Fabricação Float
  • 5. ETAPAS PARA A FABRICAÇÃO A Fabricação Prensagem por Cilindros 1º) Fundição 2º) Molde por cilindros 3º) Resfriamento 4º) Corte
  • 6. ETAPAS PARA A FABRICAÇÃO Tingindo o Vidro - Capacidade de inibir o calor O Processo 1º) Por adição de substâncias - óxido de ferro (tom verde); - o óxido de cobalto ou de selênio (tom bronze); - outros corantes químicos. 2º) Por revestimento - metais - óxidos Variedade de cores
  • 7. UTILIZAÇÃO EM EMBALAGENS Higiene - interferência no sabor de alimentos - passagem de oxigênio e gás carbônico - prazo de validade até duas vezes mais que outros materiais Proteção ao produto
  • 8. UTILIZAÇÃO EM EMBALAGENS Identificação de marca - forma e cor das embalagens - reconhecimento imediato da marca
  • 9. UTILIZAÇÃO EM EMBALAGENS Sistemas de fechamento variado Grande variedade de formas de fechamento Garra Metálica Tampa Coroa Tampa Abre Fácil Tampa Conta-Gotas Tampa Cliplok Tampa Twist Tampa Metálica Tampa Plástica Rolha
  • 10. UTILIZAÇÃO EM EMBALAGENS grande versatilidade e excelente desempenho no processo industrial, seja ele de pequeno ou grande porte. Diversidade de aplicação
  • 11. resistência ao processo de fabricação produtos quentes ou gelados - antissépticos, pasteurizados ou esterilizados.
  • 12. UTILIZAÇÃO EM EMBALAGENS O vidro é um material adequado à apresentação de novos produtos, graças à variedade de aplicações possíveis. Atende exigências variadas nos processos de fechamento, selagem e decoração Quanto à decoração apresenta diversas opções de elementos decorativos (rótulo adesivo, alto-relevo...) Diferenciação visual do produto nos pontos de venda Inovação
  • 13. UTILIZAÇÃO EM EMBALAGENS -Manuseio simples Facilidade de remoção dos produtos Apresentação agradável Produtos com qualidade identificável Sistemas protetores de fechamento - Tamanhos variados (consumo individual ou familiar) Conveniência
  • 14. UTILIZAÇÃO EM EMBALAGENS Embalagem mais nobre (segundo consumidores) = maior valor agregado. Reutilização pelo consumidor (guardar alimentos, bebidas ou pequenos objetos) – valor adicional. Linha retornável: cervejarias, indústrias de refrigerante. Adequada composição de custos
  • 15. Coleta O vidro pode ser reciclado indefinidamente; PROBLEMÁTICAS AMBIENTAIS Além de ser Reutilizável e retornável ele pode ser totalmente reciclado. No entanto; aproximadamente 4% do lixo em aterros é vidro
  • 16. Reciclar - Cada tonelada de vidro novo produzido, gera 12,6 kg de poluição no ar . PROBLEMÁTICAS AMBIENTAIS O reciclado reduz em 14% a 20% esta poluição - 1 tonelada de vidro produzido a partir da matéria-prima gera 174 quilos de resíduos minerais. O uso de 50% de vidro reciclado reduz em 75% esses resíduos.
  • 17. Nem Todos os vidros são recicláveis - Os com lâminas de vidro contém boro; - Vidros de carro contém plástico; - O cristal contém chumbo, - Os espelhos, prata. - Lâmpadas, cristal e espelhos não podem ser reciclados. PROBLEMÁTICAS AMBIENTAIS
  • 18. Tempo de Decomposição - Sua resistência é tamanha, que arqueólogos encontraram utensílios de vidro do ano de 2000 a.C. - Por ser composto de areia, sódio, cal e vários aditivos, os microorganismos não conseguem comê-lo. PROBLEMÁTICAS AMBIENTAIS
  • 19. Tempo de Decomposição PROBLEMÁTICAS AMBIENTAIS Um recipiente de vidro demoraria 4.000 anos para se desintegrar pela erosão e ação de agentes químicos.
  • 20. SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS Segundo dados da Associação Técnica Brasileira das Indústrias Automáticas de Vidro (Abividro), o setor teve um faturamento de R$ 3,753 milhões e empregou 12,2 mil profissionais em 2005. Além de gerar renda e postos de trabalho, a produção e o beneficiamento do vidro está buscando o desenvolvimento sustentável, através de ações que evitam o desperdício e a emissão de poluentes.
  • 21. A reciclagem sempre teve grande destaque na indústria vidreira, mas ganhou força nos últimos anos. Os índices da Abividro mostram que a reciclagem de vidro passou de 15% do total produzido no Brasil, em 1991, para 45%, em 2005. SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS
  • 22. Etapas do processo de reciclagem: 1º) O vidro é coletado e separado por cor; SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS
  • 23. 2º) O que foi selecionado é submetido à um eletroímã para a retirada de qualquer tipo de metal, como resíduo de tampas; 3º) Segue um processo de lavagem de grandes tanques com água; SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS
  • 24. 4º) O vidro vai para uma esteira ou mesa para a retirada de impurezas, como pedras, outros vidros, terra, plásticos; 5º) Os objetos (garrafas, frascos) são colocados em um triturador, que transforma o vidro em cacos homogêneos. Esses cacos vão para uma esteira, que os leva a um segundo eletroímã, retirando qualquer metal que ainda possa ter permanecido. SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS
  • 25. 6º) Por último, o material é armazenado e encaminhado à indústria vidraceira, que o submeterá à temperaturas entre 1000 e 1200ºC e irá transformá-los em novos artefatos de vidro; SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS
  • 26. Sendo 100% reciclável, o vidro pode ser totalmente reaproveitado no ciclo produtivo, com uma série de vantagens. Economia de matérias primas naturais, como areia, barrilha e calcário; Consome menor quantidade de energia; Menor descarte de lixo, reduzindo os custos de coleta urbana; - Emite resíduos menos particulados de CO2. SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS
  • 27. Classificação de sucatas de vidro SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS Recicláveis Não-recicláveis Garrafas de bebida alcoólica e não alcoólica (refrigerantes, cerveja, suco, água, vinho, etc) Espelhos, vidros de janela e box de banheiro, lâmpadas, cristal Frascos em geral (molhos, condimentos, remédios, perfumes e produtos de limpeza) Ampolas de remédios, formas, travessas e utensílios de mesa de vidro temperado Potes de produtos alimentícios Vidros de automóveis Cacos de embalagens Tubos de televisão e válvulas
  • 28. Incentivos para a reciclagem do vidro Nos últimos anos, a reciclagem deste material ganhou força com os grandes investimentos feitos pela Abividro para promover e estimular o retorno da embalagem do material descartável como matéria-prima. Dezenas de eventos foram feitos visando ampliar o índice de reuso do vidro, já que dos 5 mil municípios brasileiros, apenas 327 apresentam algum tipo de programa de coleta seletiva de vidro. SOLUÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS
  • 29. CAROLINE SCHVEPPER GREGÓRIO BACELAR RAMOS HENRIQUE MÜLLER NATÁLIA G. SILVA RAFAEL MATOS