Artigo1 apresentaçao

135 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
135
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artigo1 apresentaçao

  1. 1. Ao analisar o artigo “Redes Sociais e Autoconhecimento” de Gloria Arieira, nosdeparamos com um assusto muito atual, que acontece com todos que passam pelatransição de achar sua personalidade, ou seja, na busca do seu eu interior, eacabam procurando em todos os lugares. Como as redes sociais, e até mesmo aprópria internet pode colaborar ou atrapalhar essa busca, é algo totalmentequestionável e intrigante.
  2. 2. Há uma necessidade de buscar essaidentidade, buscamos a nossa identidadeatravés das culturas e hábitos que temosdiante de nossa família, pois somos criadoscom ela e a busca de novas culturas eaprendizados, através de amigos e atémesmo com a ajuda das próprias redessociais. Na busca da nossa identidadeacabamos nos distanciando dos nossospais e familiares e buscamos em amigos,colegas de trabalhos e outros, para suprir anossa necessidade e até mesmo as vezesagressivamente a vontade de nos conhecer.
  3. 3. Para nos conhecer, vamos em busca de aventuras, de experiências, a buscado desconhecido, que é tão excitante e prazeroso. Nessa busca, a internet e as redessociais ganham espaço e um grande papel. A internet nos possibilita pesquisar, econhecer novos “mundos”, a internet nos dá oportunidade de se expressar e é o maisnovo instrumento para isto, nos possibilita conectar com qualquer pessoa do mundoe trocar ideias, opiniões e informações sobre qualquer assunto.
  4. 4. A internet nos mostra um mundo depossibilidades, podemos criar nossaspáginas e como queremos ser vistos pelomundo, podemos multiplicar nossosamigos, podemos postar nossas ideias etemos a opção de “curtir” as ideias deoutros. Podemos dizer o que fazemos ouo que gostaríamos de dizes, as redescomo Orkut, Facebook e Twitter, nosdeixam expressar nossasindividualidades e observar a vida e osdesejos de outras pessoas.
  5. 5. As redes sócias tem como papel, nos deixar apresentar o nosso eu e atémesmo pesquisar para nos descobrimos, podemos “curtir” páginas queachamos interessantes e que concordamos, ou seja, que vão de acordo comnossas crenças. Há uma rapidez nas trocas de informações que podem gerarnovas ideias. Essas redes nos permitem crescer e descobrir coisas jamaisesperadas. Na nossa busca pelo nosso próprio conhecimento, qualquerinstrumento é de muita ajuda e valor, pois precisamos saber nossas opções eculturas que não estão ao nosso redor para nos completar.
  6. 6. Apesar da internet e as redes sociais nospossibilitarem novos conhecimentos, temos que noslembrar que a internet pode ser algo vicioso, e que podemoscriar falsas identidades e as vezes achamos que estamos nosrelacionando com alguém de um determinado perfil, porémé um perfil falso.
  7. 7. A internet nospermite nos mostrar,porém ela tambémpermite que nosescondemos através dealgo que achamosperfeito e quedesejamos mas não fazparte do nosso mundoreal, e acabamos nosperdendo nessemundo virtual quepode estar cheio dementiras e falsidades.
  8. 8. As relações entre pessoastambém estão se tornandomais frias e com menos emoçãodevido a falta do encontro, ochat, um messenger, tomaramo lugar da conversa íntima ecorpo a corpo, repleta deemoções para uma virtual deemoções criadas e“trabalhadas” para o quequeremos que seja perfeito.
  9. 9. Apesar das redes sociais nos permitirem muitos amigos, as vezes essesamigos nós não temo o mínimo de intimidade, muitas vezes nemcumprimentamos na rua esses amigos que temos no mundo virtual, mas“curtimos” suas postagens e ideias, será que isso é algo bom, ou estamosapenas nos afastando do nosso mundo real e indo para o mundo virtualque consideramos mais importante, ou até mesmo o mundinho perfeitoque gostaríamos de viver mas não vivemos!? Algo totalmentequestionável, mas pouco percebido no nosso cotidiano.
  10. 10. Nessas relações virtuais não há ocomprometimento e a necessidade deser sincero, são conversas superficiaisque não trazem muito conhecimentopara o nosso eu, são apenasmomentâneas, não são momentospara sempre, são vidas de segundos,pois a casa segundo na internet algomuda ou um novo assunto éabordado, deixando assim algo asvezes ate incompleto ou nãoentendido pela quantidade deinformações geradas em tão poucotempo.
  11. 11. Com essa opção de se esconder na internet, as pessoas podem ficar alienadasda sociedade, e às vezes até mesmo egoístas, pois criam esse mundo que osconsideram perfeitos e não querem e não se interessam pelo mundo real quesão obrigados a ceder aos desejos e necessidades dos outros. Esses confrontoscolaboram com a criação de nossas identidades, e nos ensinam a nosdefender do mundo, pois esses confrontos nos ajudam a crescer até mesmoespiritualmente.
  12. 12. Apesar de tudo, a internet permite que saibamos que temos algoem comum com outra pessoa do mundo, as comunidades nasredes sociais, possibilitam a troca de informações de um assuntoreal, e em muitas comunidades as pessoas marcam encontros eajuda grandes causas, como caridades, doações para pessoas queprecisam, como por exemplo o Ceso, o Greenpeace e outros.
  13. 13. Assim as pessoas não se entregam naalienação, pois a alienação acontecequando a pessoa se sente sozinha nomundo, sem ninguém que possacompartilhar suas ideias e desejos,mas essas comunidades fazem comque as pessoas possam conversar,como outros e não ficam apenas noseu mundo criado por você, mas simdiscutindo e trocando informaçõessobre algo que está acontecendo nomundo real e tentando criar soluções,ou seja, fazendo sua parte para ajudaro mundo.
  14. 14. É necessário sempre umequilíbrio nas coisas, ainternet é ótima nos ajuda aconstruir nossasidentidades, aproveitar oque ela oferece, mas semexagerar, encontrar umdosagem equilibrada paravida. É importante sempredosas as coisas, para nãohaver o vício e adependência, aprender aseparar a vida virtual com avida real.
  15. 15. Deve-se sempre buscar emoções reais, e ter o confronto como outro para que possamos discutir e argumentar nossasopiniões e saber a opinião das outras pessoas, pois assim sãoconstruídas as culturas e a vida, de experiências econhecimento.

×