Sol na meia noite

316 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
316
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sol na meia noite

  1. 1. Se o viajante segue em seu barco e desce além do Cabo Horn<br />
  2. 2. Se o viajante segue em seu barco e desce além do Cabo Horn<br />após as violentas tempestades, estará sobre o mais gelado mar que se conhece. <br />
  3. 3. Seguindo no inverno - louca aventura que poucos se atreveram a fazer <br />e da qual poucos voltaram - verá a orla do continente antártico, no qual ondas violentas agridem o paredão gelado, sem cessar. <br />
  4. 4. Adentrando mais verá leões marinhos, focas e <br />pinguins na louca insistência de viver ali. <br />
  5. 5. Prisioneiros do instinto que Deus lhes impôs, <br />vivem e amam neste ermo sem tentar partir. <br />
  6. 6. Adiante encontrará, após dois dias de viagem, os últimos sinais de vida; o berçário onde os filhotes de pinguins, protegidos pelos pais, aguardam pelo alimento que as mães foram buscar, <br />algumas das quais jamais voltarão a ver seu filhos.<br />
  7. 7. Dali prá frente, só o branco, a neve e nada mais. <br />
  8. 8. Mas o viajante obstinado, desbravador que busca fama à custa da própria vida, insistirá em caminhar na solidão gelada.<br />
  9. 9. Então segue protegendo os olhos da brancura que domina tudo e deixará seu <br />rastro na imensidão de uma terra sem plantas, água ou vida. <br />
  10. 10. Apenas a neve, o vazio e a solidão. <br />
  11. 11. No extremo sul do planeta, sob uma noite de seis meses e vendo um céu inédito, ele se deparará com uma cratera larga, que vai lhe atrair, onde ele penetra descendo as grandes paredes escarpadas. <br />
  12. 12. Ao fundo, longe,uma caverna. <br />
  13. 13. Entrando ali, desce um estreito e longo túnel:<br />o fim da caminhada. <br />
  14. 14. Vê numa arca de pedra e gelo que guarda uma luz suave, de rubro tom. <br />
  15. 15. Brasa que ainda teima em reluzir. <br />
  16. 16. Aproximando-se, entende: esse estranho pedaço de calor e luz pulsante, <br />registra um nome nome de mulher<br />
  17. 17. É tua lembrança terna, que guardo a chaves dentro em mim.<br />
  18. 18. A última sobra de calor humano que me restou no peito - e mesmo sob toda a neve que a vida me cumulou, teimo em conservar. <br />
  19. 19. E me aquece, só por me lembrar. <br />

×