Fred.,m

686 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
686
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fred.,m

  1. 1. Educação para a solidariedade Frederico Soares nº 13 Luís Ferreira nº18
  2. 2. Índice <ul><li>Introdução; </li></ul><ul><li>A solidariedade social; </li></ul><ul><li>Ser solidário é; </li></ul><ul><li>Causas; </li></ul><ul><li>Banco Alimentar contra a fome; </li></ul>
  3. 3. Introdução <ul><li>Nós, Luís e Frederico fomos propostos a escolher um de cinco temas. Escolhe-mos: ‘’Promover o espírito de entreajuda’’ porque achamos que era um bom tema a trabalhar. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>A solidariedade social é a condição do grupo que resulta da comunhão de atitudes e de sentimentos, de modo a constituir o grupo em apreço uma unidade sólida, capaz de resistir às forças exteriores e mesmo de tornar-se ainda mais firme em face de oposição vinda de fora. </li></ul>
  5. 6. <ul><li>Ser solidário é: É ajudar ao próximo, sem pensar em raça, crença, cor. É ajudar sem esperar nada em troca, apenas por solidariedade e bondade. </li></ul><ul><li>Solidariedade é informar, é dividir o que a gente sabe. É compartilhar com aquelas pessoas que não tem acesso a informação, o que nós conseguimos aprender. Ser solidário é ter interesse pelo próximo. </li></ul>
  6. 7. Causas <ul><li>A evolução da sociedade permite-nos criar eventos de muitas fontes, e vários tipos. </li></ul>
  7. 8. Banco Alimentar contra a fome <ul><li>O Banco Alimentar contra a fome foi uma experiência no qual nós já tivemos o prazer de experimentar. </li></ul>
  8. 10. Banco Alimentar contra a fome <ul><li>‘’ Os Bancos Alimentares Contra a Fome são... </li></ul><ul><li>Uma resposta necessária mas provisória, porque &quot;toda a pessoa tem direito a um nível de vida suficiente que lhe assegure e à sua família, a saúde e o bem-estar, principalmente quanto à alimentação, ao vestuário, ao alojamento, à assistência médica e ainda aos serviços sociais necessários&quot; (Excerto do artigo 25º da Declaração Universal dos Direitos do Homem)’’ </li></ul><ul><li>In http:// bancoalimentar.pt / article /8 </li></ul>
  9. 11. Unicef
  10. 13. Unicef <ul><li>A UNICEF é uma agência das Nações Unidas que tem como objectivo promover a defesa dos direitos das crianças, ajudar a dar resposta às suas necessidades básicas e contribuir para o seu pleno desenvolvimento. </li></ul>
  11. 14. Unicef <ul><li>A UNICEF rege-se pela Convenção sobre os Direitos da Criança, e trabalha para que esses direitos se convertam em princípios éticos permanentes e em códigos de conduta internacionais para as crianças. </li></ul>
  12. 15. Liga Portuguesa Contra o Cancro
  13. 17. Liga Portuguesa Contra o Cancro <ul><li>A Liga Portuguesa Contra o Cancro é uma associação cultural e de serviço social, privada e declarada de utilidade pública, que promove a prevenção primária e secundária do cancro, o apoio social e a humanização da assistência ao doente oncológico e a formação e investigação em oncologia.  </li></ul><ul><li>In http:// www.ligacontracancro.pt / gca /index.php?id=122 </li></ul>
  14. 18. <ul><li>Tem como finalidades: </li></ul><ul><li>Divulgar informação sobre o Cancro e promover a Educação para a Saúde, nomeadamente quanto à sua prevenção; </li></ul><ul><li>Contribuir para resolver a situação dos doentes oncológicos em todas as fases da história natural da doença; </li></ul>
  15. 19. <ul><li>Estimular e apoiar a formação e a investigação em oncologia; </li></ul><ul><li>Estabelecer e manter relações com Instituições congéneres, nacionais e estrangeiras; </li></ul><ul><li>Contribuir para o apoio social e a humanização da assistência ao doente oncológico; </li></ul>
  16. 20. <ul><li>Desenvolver, isoladamente ou em colaboração com outras entidades, estruturas para a prevenção primária, diagnóstico, tratamento e reabilitação em Cancro. </li></ul>
  17. 21. <ul><li>Cooperar com as Instituições envolvidas na área da oncologia, nomeadamente com os Centros do Instituto Português de Oncologia de Francisco Gentil; </li></ul>
  18. 23. Conclusão <ul><li>Gostamos muito de realizar este trabalho. Podemos aperceber-nos das dificuldades que o mundo passa. </li></ul>
  19. 24. L u i s F e r r e i r a 18
  20. 25. F r e d e r i c o S o a r e s 13

×