Texto: Os suicidasAutor: Luiz Gonzaga PinheiroMúsica: Capricho italiano
Há muitos anos, compadecido de um jovem  que se jogara de um edifício devido a alguémque o deixara, iniciei um trabalho de...
Para toda reunião mediúnica que eu dirigisse apartir daquele dia, o primeiro minuto seria para  eles. A principio fiquei p...
Quais palavras seriam capazes de gerar esperança,  amenizar a dor, minimizar a decepção, evitar       a loucura total e o ...
Intimamente perguntei ao meu guia espiritualsobre este minuto que se repetiria milhares devezes na minha vida, posto que d...
Então ele fez soar em minha mente as palavrasdo salmo que, de tanto repetir, trago gravado na   memória: o Senhor é meu Pa...
Certa feita, no Natal, estava eu na reunião e  preparava-me para a prece final quando umajovem, utilizando-se da palavra d...
Então a médium se levantou sob a influência da comunicante e beijou a mão de todos os componentes do grupo, dizendo a cada...
Depois disso, ela contou que estivera internadaem um hospital de amparo aos suicidas e que o seu nome estava escrito no li...
Em seguida descreveu o que ocorre no hospital   no minuto da prece: abre-se na parede um grande painel luminoso e nele sur...
Disse-nos, também que muitos enfermos  se recuperam e se alegram através daqueleminuto e que alguns, sabendo que ela obtiv...
Finalmente, agradeceu em nome de todos os desesperados, enfatizando: este minuto    dedicado a nós é mais importante doque...
E voltou, agora na condição de enfermeira,para junto dos seus irmãos internos, deixando-nos      o agradecimento em nome e...
Aquilo, para nós, foi a confirmação do óbvio: o bem que fazemos hoje é nosso advogado em           qualquer tempo ou lugar.
Formatação: o caçador de imagens
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Suicidas

611 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Suicidas

  1. 1. Texto: Os suicidasAutor: Luiz Gonzaga PinheiroMúsica: Capricho italiano
  2. 2. Há muitos anos, compadecido de um jovem que se jogara de um edifício devido a alguémque o deixara, iniciei um trabalho de preces pelos suicidas.
  3. 3. Para toda reunião mediúnica que eu dirigisse apartir daquele dia, o primeiro minuto seria para eles. A principio fiquei pensando o que dizer para alguém que, magoado, busca na morte asolução do seu problema e acorda enlouquecidode dor e de espanto com sua indestrutibilidade.
  4. 4. Quais palavras seriam capazes de gerar esperança, amenizar a dor, minimizar a decepção, evitar a loucura total e o embrutecimento?
  5. 5. Intimamente perguntei ao meu guia espiritualsobre este minuto que se repetiria milhares devezes na minha vida, posto que dirijo reuniões mediúnicas já fazem mais de quarenta anos.
  6. 6. Então ele fez soar em minha mente as palavrasdo salmo que, de tanto repetir, trago gravado na memória: o Senhor é meu Pastor. Nada me faltará. ...
  7. 7. Certa feita, no Natal, estava eu na reunião e preparava-me para a prece final quando umajovem, utilizando-se da palavra de uma médiumdisse: professor! Não se assuste com o meu gesto. Eu tenho permissão dos dirigentes da casa para agir.
  8. 8. Então a médium se levantou sob a influência da comunicante e beijou a mão de todos os componentes do grupo, dizendo a cada um: Deus lhe pague. Eu não tenho como.
  9. 9. Depois disso, ela contou que estivera internadaem um hospital de amparo aos suicidas e que o seu nome estava escrito no livro, ali sobre a mesa, junto com outros sofredores.
  10. 10. Em seguida descreveu o que ocorre no hospital no minuto da prece: abre-se na parede um grande painel luminoso e nele surgem cenas e palavras do salmo, impregnadas de luz, que sedesloca da parede encharcando o perispírito dos enfermos que esperavam ansiosos por aquele momento.
  11. 11. Disse-nos, também que muitos enfermos se recuperam e se alegram através daqueleminuto e que alguns, sabendo que ela obtivera a permissão para nos visitar, lhe pediramque colocássemos seus nomes no referido livro.
  12. 12. Finalmente, agradeceu em nome de todos os desesperados, enfatizando: este minuto dedicado a nós é mais importante doque anos de conversa vã sobre o que fizemos.
  13. 13. E voltou, agora na condição de enfermeira,para junto dos seus irmãos internos, deixando-nos o agradecimento em nome e em louvor da Mãe dos Sofredores, Maria de Nazaré.
  14. 14. Aquilo, para nós, foi a confirmação do óbvio: o bem que fazemos hoje é nosso advogado em qualquer tempo ou lugar.
  15. 15. Formatação: o caçador de imagens

×