QUANDO NOS RESTA APENAS ESPERAR


DANIEL 6.1-28




I – DE CATIVO A UMA POSIÇÃO IMPORTANTE NO REINO PERSA


  1. Daniel ch...
que desobedecesse o decreto real deveria ser lançado na cova dos
     leões.
  3. Daniel tinha compromisso de oração com D...
4. Daniel foi poupado porque crera em Deus. Muitos outros que
    também creram não foram poupados, por razões e propósito...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Daniel 6 1 28 Quando Nos Resta Apenas Esperar

2.036 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Diversão e humor
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.036
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Daniel 6 1 28 Quando Nos Resta Apenas Esperar

  1. 1. QUANDO NOS RESTA APENAS ESPERAR DANIEL 6.1-28 I – DE CATIVO A UMA POSIÇÃO IMPORTANTE NO REINO PERSA 1. Daniel chegou à posição importante na condução dos negócios do reino de Dario (v.2). Daniel foi colocado como um dos três presidentes. 2. Havia em Daniel ‘um espírito excelente’, o que fez com que se destacasse dos demais (v.3). 3. Daniel era fiel e homem sem culpa ou erro (v.4). Não havia como alguém acusá-lo de qualquer deslize ou de infidelidade nas coisas que era responsável. 4. A fidelidade a Deus levou Daniel a ser fiel também com as coisas dos homens, deste mundo. II – A FIDELIDADE DO SERVO DE DEUS QUE SE DESTACA PODE LHE TRAZER DIFICULDADES TEMPORAIS. 1. Dario intencionava colocar Daniel na posição de primeiro-ministro (v.3). A intenção do rei não foi vista com bons olhos pelos demais (v.4). É bom lembrarmos que Daniel era um estrangeiro na Babilônia (1.1-7). 2. Como os homens do mal não viam do que acusar Daniel, persuadiram o rei, a estabelecer um decreto que, apenas a ele as pessoas poderiam recorrer no espaço de trinta dias (v.7); qualquer 1
  2. 2. que desobedecesse o decreto real deveria ser lançado na cova dos leões. 3. Daniel tinha compromisso de oração com Deus, o que foi usado pelos homens do mal contra ele (v.5). Mas nada mudou a rotina daquele homem de oração (v.10). 4. Como não mudou a sua rotina, Daniel quebrou o decreto real e foi acusado diante do rei Dario (v.11-13). 5. Daniel estava em dificuldades; o decreto real não podia ser revogado (v.8). O rei não teria como favorecer ou ajudar Daniel, embora tentou fazê-lo (v.14). Os homens do mal não saiam da ‘cola’ do rei (v.15). 6. O rei Dario, penalizado, manda prender Daniel, mas antes que ele fosse jogado na cova dos leões, o próprio rei lhe diz: “O teu Deus, a quem tu continuamente serves, que ele te livre” (v.16). Não foi da parte do rei um lavar das mãos como fez Pilatos, mas um desejo sincero do seu coração. III – QUANDO AS COISAS PARECEM DIFÍCEIS SÓ NOS RESTA APENAS ESPERAR 1. O destino de Daniel parecia selado, assim pensavam todos (v.17), menos para o rei, que muito estimava Daniel (v.18). 2. Dario logo de manhã busca a Daniel, na esperança que o seu Deus, o Deus vivo o tenha livrado dos leões (v.19). 3. Do fundo da cova, Daniel saúda o rei (v.21), e lhe disse o modo como Deus operou em seu favor (v.22). No caso de Daniel, por razões e propósitos divinos ele foi poupado. 2
  3. 3. 4. Daniel foi poupado porque crera em Deus. Muitos outros que também creram não foram poupados, por razões e propósitos divinos (Hb 11). 5. Os acusadores de Daniel pagaram o preço da inveja e da maledicência, tomaram do próprio remédio (v.24). 6. Deus transformou uma situação má em bem, e o seu Nome foi divulgado em todo o Império (v.25-27). A fidelidade de Daniel a Deus fez com que prosperasse até o próximo reinado (v.28) CONCLUSÃO Daniel entendeu que nada podia fazer por si mesmo; ele sabia que não havia nada a fazer, a não ser esperar. Daniel esperou e Deus agiu em sua vida segundo os Seus propósitos. Deus também quer agir em nossas vidas, mas sempre, de acordo com os Seus propósitos. Mantenhamos a nossa fidelidade. Fidelidade foi a marca na vida de Daniel. Amém. PR. Eli da Rocha Silva (Res. Irmã Dusolina – 10/11/2009) 3

×