Dalton Cézane
   Algoritmos de clustering – estruturas    hierárquicas;   Desafio: tornar processo auto-organizável    através de pouc...
   Redes ad hoc multi-hops são encontradas em:     Cenários de tráfico;     Observações ambientais;     Acesso ubíqüot...
   Clusterheads – responsabilidades;   Ponto crítico: falha de clusterhead;   Redes estáticas/móveis: desafio (mobilida...
   KHOPCA – K-HOP Clustering Algorithm;   K  Distância ao clusterhead, em hops;   Trabalha com informação de vizinhanç...
   Critérios: nível de energia dos nós, posição, nº    de vizinhos (grau), velocidade e direção;   Métrica mais utilizad...
   Problema dos clusters k-hops:       Encontrar clusters ótimos;       K-clustering é NP-completo   para   grafos   nã...
   Todos os nós participam da formação e da    manutenção;   Sem configuração pré-determinada;   Os nós conhecem o peso...
   Wn > Wv  Wv = Wn – 1;   Wv == MIN e Wv == Wn (nenhum vizinho com    peso maior que v)  v é clusterhead e Wv = MAX;...
   Métricas comuns: faixa de trasmissão, área de    simulação e número de dispositivos +    densidade de rede;   > densi...
   Acrescentar a idéia de intra- e inter-clusters, que    já existem em outras abordagens;   Tornar o valor de k “mais p...
   Clustering tem o objetivo de particionar a rede e    simplificar a implementação de algoritmos e    protocolos de níve...
   BRUST,     Matthias  R.;  FREY,  Hannes;    ROTHKUGEL, Steffen. Adaptive Multi-Hop    Clustering     in     Mobile    ...
Apresentação sobre adaptação de topologia em redes móveis
Apresentação sobre adaptação de topologia em redes móveis
Apresentação sobre adaptação de topologia em redes móveis
Apresentação sobre adaptação de topologia em redes móveis
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação sobre adaptação de topologia em redes móveis

688 visualizações

Publicada em

Apresentação de artigo sobre adaptação de topologia em redes móveis. Trabalho realizado para disciplina de mestrado.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
688
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação sobre adaptação de topologia em redes móveis

  1. 1. Dalton Cézane
  2. 2.  Algoritmos de clustering – estruturas hierárquicas; Desafio: tornar processo auto-organizável através de pouca informação do ambiente; Algoritmos com informação local: clusters 1- hop; Contribuição: como formar e manter clusters k- hops com informação da vizinhança local.
  3. 3.  Redes ad hoc multi-hops são encontradas em:  Cenários de tráfico;  Observações ambientais;  Acesso ubíqüoto à Internet;  Cenários de busca e resgate. Arquiteturas baseadas em clusters:  Reduzem consumo de energia;  Provêem melhor suporte a protocolos de MAC e roteamento, agregação de dados e segurança.
  4. 4.  Clusterheads – responsabilidades; Ponto crítico: falha de clusterhead; Redes estáticas/móveis: desafio (mobilidade); Dependendo do cenário de aplicação:  Reduz-se o nº de clustersheads, aumenta nº de clusters;  Quanto maior o tamanho do cluster, menor é o nº de clusters e o nº de clusterheads.
  5. 5.  KHOPCA – K-HOP Clustering Algorithm; K  Distância ao clusterhead, em hops; Trabalha com informação de vizinhança a 1-hop, assincronamente e completamente distribuído; Experimentos avaliaram o desempenho do algoritmo e redução de clusterheads.
  6. 6.  Critérios: nível de energia dos nós, posição, nº de vizinhos (grau), velocidade e direção; Métrica mais utilizada: nº de clusterheads; LEACH (abordagem prob. dist.), algoritmos baseados em ID, WCA (função “peso”), DCA e DMAC (distribuído, baseado em “pesos”), WACA (baseado em “pesos”, idéia de sub- heads); Estudo comparativo de algumas abordagens; Redes ad hoc móveis;
  7. 7.  Problema dos clusters k-hops:  Encontrar clusters ótimos;  K-clustering é NP-completo para grafos não- dirigidos; KHOPCA permite mais que 2 hops entre nós arbitrários em um cluster (principal diferença);
  8. 8.  Todos os nós participam da formação e da manutenção; Sem configuração pré-determinada; Os nós conhecem o peso dos clusterheads (MAX) e o peso mínimo (MIN); Apenas informação 1-hop (beacons): vizinhos e pesos;
  9. 9.  Wn > Wv  Wv = Wn – 1; Wv == MIN e Wv == Wn (nenhum vizinho com peso maior que v)  v é clusterhead e Wv = MAX; Wv != MAX e Wv >= Wn (não há vizinho com peso maior)  Wv = Wv – 1; Wv == MAX e algum Wn == MAX (dois clusterheads na mesma faixa)  escolhe um e W = W – 1; Empates: ID e nº de vizinhos (grau).
  10. 10.  Métricas comuns: faixa de trasmissão, área de simulação e número de dispositivos + densidade de rede; > densidade de rede  maior faixa de transmissão, maior número de dispositivos ou menor área; Resultados obtidos utilizando-se “densidade de rede” pode ser comparado com outros resultados, sem muita variação; Variação do k (3 a 6), da densidade (entre 4.71 e 25.29) e da velocidade.
  11. 11.  Acrescentar a idéia de intra- e inter-clusters, que já existem em outras abordagens; Tornar o valor de k “mais pervasivo”, variando de acordo com o ambiente; Tornar o desempenho do algoritmo melhor, na ausência de mobilidade.
  12. 12.  Clustering tem o objetivo de particionar a rede e simplificar a implementação de algoritmos e protocolos de nível mais alto; KHOPCA introduzido, que permite clusters de tamanhos arbitrários; K é o número máximo de hops até o clusterhead; Verificou-se que é altamente adaptativo à mobilidade, trabalha com informação 1-hop, assincronamente e completamente distribuído; O desempenho foi avaliado por simulação.
  13. 13.  BRUST, Matthias R.; FREY, Hannes; ROTHKUGEL, Steffen. Adaptive Multi-Hop Clustering in Mobile Networks. Setembro/2007. Singapura.

×