A Crise do Capitalismo     nos Anos 30    .        .        .
A crise do capitalismo: Superprodução   Na década de 20, os EUA viveram um período de prosperidade económica    para o qu...
   A partir de 1927 alguns setores da indústria e da agricultura    começaram a dar sinais de crise. A Mecanização e os n...
O crash e a depressão económica   As ações não paravam de subir. Os especuladores recorriam ao crédito    para comprar aç...
O “ciclo vicioso” da crise         VER ESQUEMA 2 – P. 79
A crise do capitalismo: Superprodução   Foi uma crise diferente das que até então ocorreram, porque se fez sentir    em t...
Mundialização da crise   A crise de 29 estendeu-se, primeiro à Europa e depois ao resto do mundo,    à exceção da União S...
Os problemas sociais: desemprego   A crise económica foi de imediato seguida por uma profunda crise    social:       des...
Uma fila de desempregados espera a distribuição de comida por uma instituição decaridade.
Oferta de trabalho por 1 dólar por semana (1930).
“Sopa dos pobres”.
“Sopa dos pobres”.
“Hoovervilles”.Eram bairros-de-latae foram assimchamados por ironiaao presidenteHerbert Hoover
“Hoovervilles”.
Marcha contra o desemprego (Inglaterra).
Ku Klux Klan (KKK) é um movimento racista,fundado em 1865 nos E.U.A., que apoia asupremacia branca e o protestantismo. AKK...
Utilização do café como combustível (Brasil).
Actividades1 – Refere os que conduziram à crise de superprodução nos finais da década   de 20.2 – Explica como se deu o cr...
A intervenção do estado na economia:New Deal (Nova distribuição):   A gravidade da crise levou os estados a intervir na e...
A política do New Deal teve duas fases distintas: 1ª - 1933-1935 - Fase de intervenção na economia:      Na agricultura ...
Resultados da New Deal   A aplicação das medidas teve como consequência:        Aumento do emprego;        Aumento do p...
Actividades1 – Identifica o presidente americano que desenvolveu o New Deal.2 – Refere as principais medidas do New Deal.3...
Consequências do crash da bolsa                                descida do valor das acções;CRASH DA BOLSA                ...
Crise de 1929
Crise de 1929
Crise de 1929
Crise de 1929
Crise de 1929
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Crise de 1929

432 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Crise de 1929

  1. 1. A Crise do Capitalismo nos Anos 30 . . .
  2. 2. A crise do capitalismo: Superprodução Na década de 20, os EUA viveram um período de prosperidade económica para o qual contribuíram os seguintes fatores:  crescimento de novas indústrias como a automóvel, química…;  abundantes capitais, resultantes do reembolso das dívidas de guerra e da venda de produtos estrangeiros  aumento da produção devido à aplicação de novos métodos de produção e aos progressos técnicos;  desenvolvimento da agricultura com a mecanização.  Aumento do poder de compra e do consumo, muitas vezes com recurso ao crédito Este crescimento económico provocou um excesso de otimismo nos investidores. Na Bolsa de Nova Iorque, os títulos eram vendidos a preços muito altos, todos arriscavam investir na bolsa. Doc. 3- p. 79 Como resultado da grande procura de ações, a cotação das empresas subia sem, contudo, terem aumentado os seus lucros. Era assim uma prosperidade frágil, falsa.
  3. 3.  A partir de 1927 alguns setores da indústria e da agricultura começaram a dar sinais de crise. A Mecanização e os novos métodos de produção levaram à saturação dos mercados. O consumo estagnou, mas a produção continuou a crescer o que e levou a uma baixa dos preços = DEFLAÇÃO. A OFERTA tornou-se MAIOR do que a PROCURA = CRISE DE SUPERPRODUÇÃO
  4. 4. O crash e a depressão económica As ações não paravam de subir. Os especuladores recorriam ao crédito para comprar ações. Em Outubro de 1929 as ações começavam a descer. O pânico apoderou-se dos investidores que tentam vender a qualquer preço. Doc. 4 – P. 79 Em 24 de Outubro de 1929, a chamada Quinta-feira Negra, dá-se o Crash na Bolsa de Wall Street. Nesse dia numerosos acionistas tentaram vender as suas ações, fazendo com que o seu valor baixasse abruptamente, não havendo um único comprador. A Bolsa entra em ruptura. À falência dos accionistas seguiu-se a falência dos bancos, uma vez que os especuladores não tinham como pagar os empréstimos. A crise alastrou rapidamente levando à falência as empresas; Aumentou o desemprego, diminuiu o consumo… Entrou-se assim num ciclo de crise em que crise gera crise… As famílias que viviam bem, perderam os seus bens e viram-se em casa sem trabalho e sem meios de subsistência; O desemprego levou a situações de fome.
  5. 5. O “ciclo vicioso” da crise VER ESQUEMA 2 – P. 79
  6. 6. A crise do capitalismo: Superprodução Foi uma crise diferente das que até então ocorreram, porque se fez sentir em todos sectores da economia e porque foi devida à SUPERPRODUÇÃO. Não foi uma crise provocada pela subida de preços e pela quebra do poder de compra, como era habitual, mas ao contrário, ficou a dever-se à DEFLAÇÃO; Esta crise pôs em causa o capitalismo liberal, que assentava na ideia de que os problemas económicos se resolveriam por eles mesmos, isto é sem intervenção do estado e pôs em causa a crença na capacidade das economias fazerem crescer continuamente a produção.
  7. 7. Mundialização da crise A crise de 29 estendeu-se, primeiro à Europa e depois ao resto do mundo, à exceção da União Soviética que tinha uma economia fechada ao comércio com os países capitalistas. Como?  Os EUA reduziram as suas importações da Europa, provocando a falência de muitas empresas;  Retiraram os capitais que tinham aplicado em bancos e empresas estrangeiras, principalmente na Europa, que foram à falência;  Os EUA adotaram uma política protecionista , limitando as importações para protegera produção interna. Resto do mundo: Como?  A Europa e os EUA, em crise, deixam de comprar matérias-primas aos países e às colónias de África, da Ásia, da América Latina; (no Brasil provocou a ruína dos produtores de café que foi lançado ao mar ou aproveitado para combustível das locomotivas).
  8. 8. Os problemas sociais: desemprego A crise económica foi de imediato seguida por uma profunda crise social:  despedimentos em massa, cerca de 30 milhões de desempregados;  muita mão-de-obra disponível que se oferecia para trabalhar por baixos salários;  as entidades empregadoras não conseguiam escoar a produção e, paradoxalmente, destroem os stocks para tentarem aumentar os preços de venda dos produtos;  milhões de trabalhadores ficam sem emprego e na miséria, sem quaisquer subsídio;  cresceu a mendicidade, a criminalidade, a prostituição, os suicídios e os antagonismos sociais;  a falência dos bancos trouxe a ruína de milhões de pequenos investidores e reformados que ficaram sem as suas poupanças. Os vários setores económicos e toda a população, reclamam do estado uma urgente intervenção económica e social; Rapidamente, a crise económica e social se converte, igualmente, numa crise política.
  9. 9. Uma fila de desempregados espera a distribuição de comida por uma instituição decaridade.
  10. 10. Oferta de trabalho por 1 dólar por semana (1930).
  11. 11. “Sopa dos pobres”.
  12. 12. “Sopa dos pobres”.
  13. 13. “Hoovervilles”.Eram bairros-de-latae foram assimchamados por ironiaao presidenteHerbert Hoover
  14. 14. “Hoovervilles”.
  15. 15. Marcha contra o desemprego (Inglaterra).
  16. 16. Ku Klux Klan (KKK) é um movimento racista,fundado em 1865 nos E.U.A., que apoia asupremacia branca e o protestantismo. AKKK, no seu período mais forte, actuouprincipalmente na região sul dos E.U.A., emestados como o Texas e o Mississipi.
  17. 17. Utilização do café como combustível (Brasil).
  18. 18. Actividades1 – Refere os que conduziram à crise de superprodução nos finais da década de 20.2 – Explica como se deu o crash na Bolsa de nova Iorque.3 – Relaciona a crise na Bolsa de Nova Iorque com o desmoronamento da economia que se verificou a seguir.4 – Caracteriza a situação social provocada pela crise económica.5 – Justifica a mundialização da crise.6 – Pensa e comenta:O capitalismo e o desenvolvimento económico dependem muito do recurso ao crédito. Seria impossível a criação de algumas empresas sem a ajuda do crédito bancário. Contudo, quando se abusa do recurso ao crédito, sobretudo para aplicar em atividades não lucrativas (férias, produtos de consumo diário…), as consequências são muitas vezes trágicas…
  19. 19. A intervenção do estado na economia:New Deal (Nova distribuição): A gravidade da crise levou os estados a intervir na economia. As primeiras medidas foram a redução das importações e o fomento das exportações. Nos EUA foi posto em prática, por Franklin Roosevelt, uma política de combate à crise, a New Deal:  Defendia a intervenção do estado na economia, tentando aumentar o consumo e dinamizar a economia.  Para tal tentou diminuir o desemprego e aumentar o poder de compra.
  20. 20. A política do New Deal teve duas fases distintas: 1ª - 1933-1935 - Fase de intervenção na economia:  Na agricultura e na indústria: limitou os níveis de produção, fixou preços mínimos para os produtos, baixou as taxas de juro do crédito bancário e diminuiu os impostos;  No sistema financeiro: controlo das atividades da banca e da bolsa;  Nas obras públicas: construção de pontes, barragens centrais hidroelétricas e estradas  2ª - 1935-1938 - Fase da melhoria das condições sociais:  Foi fixado o salário mínimo, fixado o horário de trabalho semanal, criado o subsídio de desemprego, de doença, de invalidez e a reforma na velhice;  Foram aumentados os impostos sobre os altos rendimentos.
  21. 21. Resultados da New Deal A aplicação das medidas teve como consequência:  Aumento do emprego;  Aumento do poder de compra;  Retoma do consumo. A crise era um “ciclo vicioso negativo” a New Deal transformou-se num “ciclo de prosperidade”. Com o aumento da procura, deu-se um aumento da produção, as fábricas voltaram a trabalhar e a contratar novos trabalhadores. Na Europa  A Grã-Bretanha e a França aplicaram medidas semelhantes às dos EUA, com igual sucesso.  Na Itália, Alemanha e Portugal, estas medidas não surtiram efeito. Os governos foram considerados incapazes de resolver a situação e, consequentemente, o poder foi tomado por DITADORES.
  22. 22. Actividades1 – Identifica o presidente americano que desenvolveu o New Deal.2 – Refere as principais medidas do New Deal.3 – Indica as medidas tomadas nos EUA para fazer face ao problema do desemprego.4 – Explica o ciclo de prosperidade iniciado com a aplicação da New Deal.5 – Avalia o resultado das medidas tomadas pelos principais países europeus para recuperar da crise.
  23. 23. Consequências do crash da bolsa  descida do valor das acções;CRASH DA BOLSA  não reembolso dos empréstimos feitos aos especuladores;  levantamento maciço de capitais e de depósitos. Levantamento de capitais investidos no estrangeiro Suspensão do crédito Falência dos bancos ao consumo às empresas A crise generaliza-se na diminuição do consumo Dificuldades financeiras Europa, no resto do com as empresas mundo capitalista e nas colónias.  aumento dos stocks Paragem dos investimentos  baixa generalizada dos preços redução dos negócios e desemprego dos lucros das empresas Falência e contracção da produção

×