ANO XII - JULHO 2015 Diretor Responsável: Jornalista EDISON TORRES
JORNAL DO MUNICÍPIO
MARICÁ
www.obarao.blogspot.com jorn...
2 - JORNAL DO MUNICÍPIO JULHO 2015
Expediente:
JORNAL DO MUNICÍPIO de Maricá Editora JC - Av. Rio Branco, 14 - 18º andar -...
JULHO 2015 JORNAL DO MUNICÍPIO ----- 3
Repórter ET
QUEDA DE BRAÇOS
A queda de braços entre Picianni e
Paulo Melo, já vem d...
4 - JORNAL DO MUNICÍPIO JULHO 2015
As leis caem em desuso muitas vezes por falta de
conhecimento do cidadão, que por desco...
JULHO 2015 JORNAL DO MUNICÍPIO ----- 5
REPORTAGEM
QUAQUÁ PEITA A JUSTIÇA E QUER SER PRESO PARA VIRAR HERÓI
Depois da sente...
6 - JORNAL DO MUNICÍPIO JULHO 2015
MEMÓRIA NACIONAL
Outro conspirador civil de grande importância para o
desfecho do golpe...
JULHO 2015 JORNAL DO MUNICÍPIO - 7- 7- 7- 7- 7
Muito agitada a política brasileira nesse mês de
Julho, exatamente à época ...
8 - JORNAL DO MUNICÍPIO JULHO 2015
ALIANÇA PT x PMDB NAALIANÇA PT x PMDB NAALIANÇA PT x PMDB NAALIANÇA PT x PMDB NAALIANÇA...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

JORNAL DO MUNICIPIO - julho 2015

686 visualizações

Publicada em

Prefeito de Maricá quer ser preso para virar herói
A verdadeira história da criação dos vermelhinhos
Memória Nacional: Os conspiradores civis
Lula e Cunha na mira da justiça
Repórter ET
Gal Hanalla é a primeira Miss Baixada Fluminense Plus Size
tudo isso e muito mais na edição de julho do JORNAL DO MUNICÍPIO

Publicada em: Notícias e política
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
686
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
371
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

JORNAL DO MUNICIPIO - julho 2015

  1. 1. ANO XII - JULHO 2015 Diretor Responsável: Jornalista EDISON TORRES JORNAL DO MUNICÍPIO MARICÁ www.obarao.blogspot.com jornal.domunicipio@yahoo.com.br QUAQUÁ QUER SER PRESO PARA VIRAR HERÓIOrdem judicial é para ser cumprida. Mas o prefeito Washington Siqueira (Quaquá) não cumpre. Com um discurso demagogo que é a sua principal característica, ele esbraveja, faz ameaças querendo se transformar em vítima. Página 5 REDUÇÃODESALÁRIOSENÃODEMISSÕESTÊMCHEIROELEITOREIRO Alegando crise econômica, prefeitura reduz em 20% salários do prefeito, secretários municipais e comissionados. Se fosse no inicio da administração, certamente haveria demissões em massa. Página 4 LULA E EDUARDO CUNHA, NA ALÇA DE MIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO ALIANÇA PT X PMDB NA SUCESSÃO MUNICIPAL Jorge Picianni, que quer ser governador, declarou estar apalavrado com Quaquá e o seu partido vai indicar o vice na chapa petista para 2016 Página 8 Editorial – A estratégia de Lula. Página 2 Itaboraí: O sonho que virou pesadelo. Página 7 Campanha de valorização do nosso legislativo. Página 2 Faltam soluções para as principais mazelas desse país. Página 4 Nobre Chiquinho, não comanda mais a saúde do município. Repórter ET Memória Nacional: Os Conspiradores civis Página 6 Gal Hanalla de Japeri é a primeira Miss Baixada Fluminense Plus Size em mais um evento da PR PRODUÇÕES Página 8 NOVAS REGRAS PARA A CAMPANHA ELEITORAL As convenções partidárias, que aconteciam entre 10 e 30 de Junho, serão realizadas do dia 12 a 31 de Julho, e o registro de candidatos terá prazo até 5 de Agosto. Outras medidas foram tomadas dentro da nova reforma política. Repórter ET
  2. 2. 2 - JORNAL DO MUNICÍPIO JULHO 2015 Expediente: JORNAL DO MUNICÍPIO de Maricá Editora JC - Av. Rio Branco, 14 - 18º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ Diretor Executivo: Tiago Salles - Editor Responsável: Edison Torres, RP 385-DRT-PA Redação: jornalismopr@hotmail.com / jornal.domunicipio@yahoo.com.br Digitação: Pery Salgado e Stephanie Dalliany Programação Visual: PR PRODUÇÕES www.obarao.blogspot.com Representante:TRÁFEGO PUBLICIDADE Distribuição: Central de Jornalismo - Rua Barão de Inohan 233 - Centro - Maricá > Tel.: 2637-4170 Impressão: A TRIBUNA Fotos: Pery Salgado e Rosemery Oliveira Os artigos assinados e opiniões são de responsabilidade de seus autores EDITORIAL VOZES DA RUA JORNAL DO MUNICÍPIO A verdade sempre! A ESTRATÉGIA DE LULA No final do mês passado, a imprensa desse país deu destaque a uma declaração do ex-presidente Lula, de que o seu partido, o PT, está velho e só pensa em cargos. Dias antes, ele já havia criticado a presidente Dilma e o seu governo, numa reunião com religiosos no instituto que leva o seu nome em São Paulo. O partido não reagiu diante de tais declarações. E nem reagiria, porque se trata de uma estratégia do cacique petista, que quer voltar ao poder em 2018. Dilma, se disse “incomodada” com as críticas de Lula, que entre outras coisas, afirmou que ela estava no “volume morto”, diante da baixa popularidade e principalmente de que mentira ao dizer em sua campanha eleitoral que não mexeria nos direitos trabalhistas e não faria o ajuste fiscal, que acaba de ser aprovado no Congresso Nacional. Pela imprensa, soube-se também que, a presidente conversando com seus ministros, disse não ter gostado das declarações do ex-presidente, mas que entendia o seu discurso. Claro que ela entende, como entenderam os que estão próximos a ela, ao afirmarem que Lula ao bater no governo, começara a alavancar a sua candidatura para 2018. Estrategista como ele é, deve ter chegado a conclusão de que bater no governo e no seu partido que ajudou a fundar há trinta e cinco anos, seria a melhor forma de dizer que está tudo errado e só ele seria capaz de consertar, ao voltar para o Planalto. Mas, se o seu partido está velho e só pensa em cargos, apenas vem reforçar a tese de que o Partido dos Trabalhadores é o maior cabide de empregos de qualquer governo que esteja no poder. E Lula é o grande responsável por tudo isso. Por tudo que está acontecendo na política brasileira com o PT, chegando ao fundo do poço, diante de um mar de corrupção, entende-se que o ex-presidente com toda a certeza levará um não na eleição de 2018. Edison Torres VOTO PROPORCIONAL É uma vergonha. Os mais votados são derrotados pelos menos votados. Esses últimos sem qualquer expressão junto ao eleitorado. Uma vergonha! Luis Alberto EXONERAÇÃO Estou surpreso com a atitude do prefeito Quaquá, que exonerou o seu secretário de Educação, porque promoveu o desfile cívico de 26 de Maio. Quem matou o samba e o civismo da população é capaz de qualquer coisa. Guilherme Barros PARABÉNS! Parabéns ao Dr. Carolino, pela competência e pelos artigos que escreve desejando melhores dias para o nosso município. Gustavo Freitas CAMPANHA DE VALORIZAÇÃO Atenção meu povo. Vamos valorizar o nosso legislativo. Chega de entrar mudo e sair calado. Parabéns ao jornal pela idéia. Carlos Carvalho EXPLORAÇÃO Quando é que esses políticos vão parar de explorar a população carente? Os despolitizados que vivem a míngua e na hora de votar, vota errado. Precisamos dar um basta. Antonio Lemos BURRO VOTANDO Espetacular a charge desse jornal, mostrando dois burros votando. É exatamente isso que acontece no dia da eleição. E o que se vê, são legislativos totalmente desqualificados. Carlos Gomes ME ENGANA QUE EU GOSTO Não poderia ser outro o apelido que deram para a tal reforma política, que está sendo discutida no Congresso. Me engana que eu gosto, está sendo enfiada pela goela do povo que não esboça qualquer reação. Pedro Paulo MEMÓRIA NACIONAL (I) Uma aula de história esse jornal está dando para seus leitores esclarecidos. A derrubada de Jango, pelos militares, teve grande repercussão na época e ainda hoje é comentada por todos. Fernando Moura MEMÓRIA NACIONAL (II) Estou acompanhando essa série da Memória Nacional, que esse jornal vem publicando. Espero que outros fatos históricos sejam aqui reproduzidos. Paulo Ernesto EDITORIAL Feliz o jornalista ao retratar em seu editorial da edição passada o que o prefeito fez com o samba e com os desfiles cívicos. Matou os dois de uma vez só. José Luís ANCHIETA Gostei da reportagem sobre José de Anchieta, o grande catequizador dos índios. Emanuel Veiga Em Outubro do próximo ano teremos novamente as eleições municipais. Em conseqüência, muita gente já se apresenta como candidato a vereador que nada mais é do que um bom emprego com duração de quatro anos, prorrogáveis por mais quatro anos. O que se tem notado é que há quantidade, mas não há qualidade entre os candidatos. Por isso o nosso jornal, inicia desde já uma campanha de valorização de nosso legislativo tão desvalorizado nos dias atuais, por culpa exclusivamente do eleitor principalmente da população carente que hoje já não troca mais seu voto por manilha ou dentadura, mas por dinheiro vivo em espécie como todo mundo sabe. Estamos cheios de currais eleitorais e quem não tem curral, não se elege. CAMPANHA DE VALORIZAÇÃO DE NOSSO LEGISLATIVOCANDIDATOS A VEREADOR Teste seus conhecimentos. 1º Você sabe o que é lei orgânica dos municípios? 2º Você sabe o que significa atos das disposições transitórias? 3º O que quer dizer projeto de resolução? 4º Sabe como se faz um requerimento? 5º A Câmara é uma casa de leis? 6º O que é improbidade administrativa? 7º Você tem condições de usar o microfone em plenário para discutir, debater, apresentar alguma coisa em favor da população ou ficará calado? Se responder cem por cento, você estará apto a se candidatar. Caso contrário, fique onde está. Precisamos valorizar o nosso legislativo. Precisamos acabar com o entra mudo e sai calado.
  3. 3. JULHO 2015 JORNAL DO MUNICÍPIO ----- 3 Repórter ET QUEDA DE BRAÇOS A queda de braços entre Picianni e Paulo Melo, já vem de longe. O ex- governador Sergio Cabral, foi por oito anos, presidente daAssembleia Legislativa. Jorge Picianni, também dirigiu o legislativo estadual por oito anos. Paulo Melo, quando assumiu a presidência na legislatura passada, queria permanecer por igual tempo, na presidência da casa, mas foi rechaçado por Cabral e Picianni, sob a alegação de que Melo estava desgastado com o colegiado. Houve uma reunião entre os três no Palácio Guanabara. Essa informação foi dada ao repórter por um influente peemedebista da cidade. NONONONONOVVVVVAS REGRAS PAS REGRAS PAS REGRAS PAS REGRAS PAS REGRAS PARAARAARAARAARA A CAMPA CAMPA CAMPA CAMPA CAMPANHA ELEITANHA ELEITANHA ELEITANHA ELEITANHA ELEITORALORALORALORALORAL NOME DE FAVELA Uma nova favela que surgiu na zona norte do Rio, foi batizada de “Dilma Roussef” em homenagem a presidente, mas agora seus moradores, revoltados com o preço dos alimentos, o desemprego e os escândalos de corrupção, resolveram tirar o nome de Dilma e rebatizar a comunidade com o nome do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa. A classe política, também não escapa da indignação e o presidente da Associação de Moradores do local, pastor Wagner Gonzaga, declarou que “os políticos são ratos. Nós somos o queijo. Eles vêm com tudo atrás de votos, mas desaparecem depois da eleição”. SECRETÁRIO DE SEGURANÇA O secretário de segurança do município, Fabrício Bittencourt, está sendo contestado pelos “nobres” da Câmara que já pediram a sua cabeça ao prefeito. Ele está certo, ao não atender aos pedidos pessoais, mais erra quando manda rebocar carros nos sábados, domingos e feriados. Talvez o secretário não saiba que em todas as cidades desse país, o estacionamento de carros é permitido em locais proibidos nos dias não úteis. PRIVATIZAÇÃO DA CEDAE Um funcionário da CEDAE garantiu a esse repórter que a companhia será privatizada em breve. Ela que já chegou a ter dezenove mil funcionários em todo o Estado, está hoje reduzida a apenas pouco mais de cinco mil. Quase todo o seu serviço é terceirizado daí a idéia do governo de que privatizá-la será um grande negócio. Ainda sobre a CEDAE. Não existe nenhum projeto de investimento para Maricá que vai continuar dependendo de São Pedro, para ter água. SUCESSÃO MUNICIPAL Alguns pequenos partidos estão trabalhando desde já nos bastidores para apresentar candidatos a sucessão de Quaquá. O Dem, também, segundo o seu presidente, deputado Rodrigo Maia, terá candidato próprio, nas eleições de 2016. Quem seria, por exemplo se esse partido praticamente não existe em nosso município. Alguns se apressam para negociar mais adiante, o que não seria novidade. DESESPERO O desespero tomou conta do PT e seus filiados. Diante de uma intensiva campanha de oposição e da própria população contra o governo de Dilma que acaba de atingir a meta de apenas 9% de aprovação, Lula vai a público pedir que a presidente fique “menos no gabinete e mais tempo conversando com o povo”. Conversando o quê, se ela se tornou impopular criando projetos contra os trabalhadores brasileiros? COMISSÃO PROVISÓRIA Finalmente o diretório municipal do PMDB instalou sua comissão provisória integrada pelo nobre, Felipe Bittencourt (presidente), Olímpio do Rêgo, Paulo Bizorro, Vinicius Moro e Nilson Rodrigues, no lugar do seu Jairo Moro. A novidade entre os peemedebistas da terra é que, agora quem manda no partido aqui é o deputado Jorge Picianni. Presidente da Assembleia Legislativa, que ganhou a queda de braço com seu hoje desafeto, deputado Paulo Melo. Todos sabem que Picianni, quer se eleger governador em 2018 e desde já, articula coligações como a que vai fazer com o seu ex-desafeto e hoje amigo, prefeito Quaquá. Aguardemos! FORA DA SAÚDE O nobre Chiquinho, não é mais o todo poderoso da saúde do município. Ele começa a perder força na guerra que quer travar com Quaquá. Motivo: o nobre quer ser o candidato do PT, a prefeito em 2016, por isso está sendo jogado para escanteio, por Quaquá que já tem no bolso do colete, o nome de seu candidato para sucede-lo. A saúde agora está sob o comando do nobre Tatai, que também já controla a Secretaria dos velhinhos, onde manda e desmanda. CORONEL SALEMA e CAPITÃO BARRETO ASSUMEM 12° BPM E 4° CIA Em uma cerimônia cercada de emoção e muita esperança em dias melhores para a população de Maricá no quesito segurança, o Coromel Salema novo comandante do 12° BPM (Niterói e Maricá) e o Capitão Barreto (comandante da 4° Cia) foram recebidos e falaram para um seleto público de empresários, autoridades e imprensa local em peso, na Casa da Amizade do Rotary Clube de Maricá, na tarde do dia 28 de julho. O Coronel Salema se colocou a disposição da população de Maricá dizendo que fará tanto em Niteroi como aqui, o que fez em São Gonçalo, onde tornou o 7 BPM exemplo para Policia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Já o Capitão Barreto após contar sua história de crescimento dentro da corporação, já informou como irá atuar, garantindo que devolverá as praças e ruas da cidade à família maricaense. A nota triste da cerimônia foi o não comparecimento de NINGUÉM da secretaria de segurança pública de Maricá e apenas uma funcionária do executivo representando o prefeito. Vários vereadores se fizeram presentes. Uma comissão especial do Senado que discute a chamada reforma política, aprovou no inicio do mês, reduzir o período da campanha eleitoral na televisão de quarenta e cinco para trinta dias. As convenções partidárias que sempre foram de 10 a 30 de Junho, agora acontecerão de 12 a 31 de Julho, menos trinta dias também. O registro de candidatos na justiça eleitoral passará de 05 de Julho, para 05 de Agosto. A campanha de rua também por sua vez, sofrerá alteração e as famosas bandeiras com a propaganda dos candidatos começará em 05 de Agosto. Redução de tudo à vista, os “fazedores” de leis, para tomar essa decisão alegaram que o objetivo é reduzir os gastos de campanha. Não acredito. Os que eles gastam em quarenta e cinco dias, vão também gastar em trinta. O principal motivo eles vão negar: o povo já está de saco cheio e sempre debocha do horário eleitoral, que para muitos é um programa humorístico. Uma grande parte da população desliga o televisor e só volta a religá-lo, no horário do jornal e das novelas. Em tempo: a campanha eleitoral de noventa dias foi reduzida a metade, isto é, quarenta e cinco dias. No mais é aquilo que já se sabe: fim da reeleição e mandato de cinco anos para cargos do Executivo. Mas, nada que possa prejudicá-los no futuro, foi mexido e os deputados, senadores e vereadores, vão se eternizar no poder e o povo, deverá ignorar a quantidade e apostar na qualidade. Chega de incompetentes dirigindo esse país, que no dia 08 de Julho, comemorou os 7 x 1 imposto pela Alemanha na Copa do Mundo do ano passado.
  4. 4. 4 - JORNAL DO MUNICÍPIO JULHO 2015 As leis caem em desuso muitas vezes por falta de conhecimento do cidadão, que por desconhecer seus direitos, não o reivindicam. O projeto OAB na Escola, que funcionou de 2001 a 2003, sob o patrocínio de grandes empresas, inclusive da Petrobrás, tinha justamente esse propósito de legar aos estudantes do Ensino Médio, noções de cidadania, apresentando aos mesmos seus direitos e deveres. Na relação de consumo, o famoso direito do consumidor, ainda hoje está engatinhando. O código de defesa do consumidor contribuiu em muito para melhoria dos serviços. Basta lembrar as inúmeras ações que existem contra a antiga Telemar, hoje Oi, e a Ampla que ainda continuam como campeãs de reclamações. O cidadão consumidor, ganhou um forte aliado que foi o juizado especial, que faculta o jus-postulandi, que significa, agir em nome próprio, ou seja, até vinte salários mínimos, o interessado pode procurar o primeiro atendimento do juizado especial e entrar com uma ação sem obrigatoriedade da presença do advogado. Houve um retrocesso aproximadamente há dois anos, quando por falta de vontade política de nossos mandatários que permitiram o fechamento do posto avançado do juizado especial que funcionava em Inoã, deixando órfão mais um segmento que beneficiava a sociedade. A centralização dos processos em um único juizado não poderia ser diferente do que o acúmulo e mais acumulo de trabalho sobrecarregando o diminuto número de funcionários. (Julio Carolino é advogado, ex-delegado da OAB/RJ, e também foi coordenador do Projeto OAB da Escola). “É voz corrente – aliás, há bastante tempo – que o sistema político – partidário – eleitoral brasileiro, precisa de mudanças. A revelação de irregularidades, envolvendo parlamentares, dentro e fora do parlamento, assim como a falta de soluções para as principais mazelas do país, trazem novamente á baila o tema da reforma política. A opinião pública, o governo e os próprios partidos – enfim, toda a sociedade, parece insatisfeita com o atual sistema. Relator da Comissão Especial da Reforma Político Partidária do Senado, de 1995 a 1998, o senador Sergio Machado do PSDB, do Ceará, acha o momento oportuno para realizar agora a tão necessária revisão das regras eleitorais e partidárias. Se dependesse dele, a reforma política seria retomada ainda esse ano, para que as novas regras já estivessem em vigor nas eleições de 2002”. 14 ANOS SE PASSARAM Se o leitor pensa que isso foi escrito esse ano, está enganado. O texto é de autoria do desembargador Antonio Carlos Viana Santos, escrito em 2001, e publicado no livro “Cidadania e justiça”, daquela instituição, a Associação dos Magistrados Brasileiros, do qual ele era presidente. Enquanto o prefeito Quaquá, passeava pelos Estados Unidos e ao que parece, não teria pedido licença à Câmara Municipal para viajar, os nobres do legislativo se reuniram extraordinariamente duas vezes nesse mês de Julho, para aprovar uma mensagem oriunda do Executivo reduzido em vinte por cento os salários do prefeito, de vice- prefeito, secretários municipais e cerca de mil comissionados. A prefeitura alega ter que tomar essa medida, para se adequar à crise econômica que atinge o país. E que é melhor reduzir os salários, do que demitir. Ora, até aí, tudo bem. Só que Quaquá enxerga quilômetros a frente e já visualizou que daqui há um ano, teremos eleições municipais e ele vai usar todos os poderes que têm para manter o PT a frente do governo de Maricá. Se fosse ao contrário, no inicio da administração municipal, ele certamente usaria sua caneta para mandar todos os comissionados para o olho da rua. E aí, cabe a pergunta. Por quê os nobres da Câmara não entraram também no pacote e não reduziram os seus salários? Afinal, dizendo-se “representantes do povo”, eles teriam que dar o bom exemplo. Mas, para eles, nada que vá pesar em seus bolsos. USO E DESUSO DAS LEIS FALTAM SOLUÇÕES PARA AS PRINCIPAIS MAZELAS DESSE PAÍS Nesse espaço de tempo os nossos parlamentares, fizeram de tudo para deixar o projeto engavetado, até que a população foi para as ruas clamar por uma solução. Encostados na parede, eles decidiram discutir a tal reforma que foi apelidada de “me engana que eu gosto” pelo fato dela está sendo discutida e votada de acordo com os seus interesses pessoais e não da sociedade. E, ainda naquela oportunidade a matéria expôs os pensamentos de três figuras de nossa política, o ex- senador Marco Maciel, de Pernambuco, que foi também vice presidente da República e serviu a todos os governos militares e que felizmente já vestiu o pijama, há muito tempo, disse que há mais de vinte anos, vinha se dedicando ao tema. Michel Temer, hoje, vice presidente da República, na época deputado federal, declarou que a “crise política, não é recente, e já se arrasta há muito tempo” e o mensaleiro José Genoíno, disse que o nosso presidencialismo era imperial, formado por uma coalizão ampla de grandes e pequenos partidos. Os três falaram e não disseram nada. Foram simplesmente coadjuvantes de um sistema que se arrastou durante todos esses anos e que ainda persistirá, porque pouca coisa irá mudar nessa reforma que está sendo articulada por quinhentos e treze deputados federais e oitenta e um senadores.As chamadas principais mazelas explícitas no texto escrito em 2001, continuarão através dos séculos. Edison Torres REDUÇÃODESALÁRIOSENÃODEMISSÕES,TEMCHEIROELEITOREIRO Itaipuaçu se desenvolveu em todos os sentidos, como bairro, população e força política. Cresceu no extremo de uma cidade conservadora onde o pólo mais importante sempre foi o centro e até pouco tempo chamado de “Vila”. Os bairros periféricos como ponta negra, Inoã e São José de Imbassaí, recebiam migalhas pela luta de poucos vereadores aliados a situação, enquanto Itaipuaçu crescia como um filho adotivo, tipo gato borralheiro, sem influência política e sempre rejeitado. Seu processo de amadurecimento se deu ao dizer “basta” e tentar se emancipar, prenúncio da coragem que é hoje. Embora atrelado ao julgo da “vila”, sem direito de se tornar cidade, se organizou como força política, conscientização popular e hoje busca respeito e cobra dignidade. Atualmente Itaipuaçu é considerada uma “República”, não no sentido de separação e sim como um sistema de igualdade perante a Lei e de verificar o potencial abuso de pessoas com mais poder. Um exemplo a seguir por todos maricaenses, não só por lutar pela “coisa pública” e sim pela decência e respeito aos direitos do cidadão. Os itaipuacianos são homens e mulheres unidos, corajosos, que gritam, brigam, apanham e voltam para casa de cabeça erguida, na certeza do dever cumprido, de desmascarar vereadores falsos, em troca de alianças “escusas”, se atrelar ao julgo de prefeitos corruptos. Conscientes de que sua maior vitória não é mais a cassação do prefeito e sim seu desgaste político e mesmo que não perca seu mandato, farão o impossível para que não seja reeleito. Por isso, que a cada fato novo, a cada ato de corrupção, os itaipuaçuanos estarão de volta e, com certeza, serão sempre bem recebidos pelos seus irmãos maricaenses. Walter Monteiro República de Itaipuaçu
  5. 5. JULHO 2015 JORNAL DO MUNICÍPIO ----- 5 REPORTAGEM QUAQUÁ PEITA A JUSTIÇA E QUER SER PRESO PARA VIRAR HERÓI Depois da sentença do desembargador Pedro Raguenet do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro contra a prefeitura e a EPT proibindo que esta continue trafegando nas linhas existentes por terem trajeto semelhante das linhas das duas empresas concessionárias de Maricá (Viação Amparo e Costa Leste), mas não impedindo que a autarquia explore outras linhas no município, a juíza da 1ª Vara Cível de Maricá – Luciana Estiges Toledo - fixou uma multa diária de R$ 20 mil pelo descumprimento da ordem judicial que determinou então na última quarta feira dia 22, a retirada imediata de circulação dos coletivos da EPT (sugestivo esse nome). A decisão da aplicação da multa foi tomada após denúncia do SETRERJ – Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro que comunicou o descumprimento da decisão, alegando que os coletivos continuavam circulando, fato comrpovado pela reportagem do Barão de Inohan em fotos e vídeos desta matéria. Segundo a Juíza, a EPT e a Prefeitura (as duas agravadas no processo movido pelo SETRERJ) foram notificadas da decisão da 21ª Vara Cível, mas fotografias entregues pelo SETRERJ mostravam claramente que os coletivos continuavam circulando durante todo a sexta feira (24/07), assim como continuam circulando normalmente hoje, mesmo após decisão da justiça. ACIMA DA JUSTIÇA, PREFEITURA E EPT NÃO ACATAM DECISÃO JUDICIAL Ainda segundo a Juíza, o relator não havia estipulado multa diária na sua decisão por ACREDITAR NOS ACATAMENTOS JUDICIAIS POR PARTE DA PREFEITURA E DA EPT. Na sentença do desembargador Pedro Raguenet, é clara a decisão quando diz: ...Deixo de estabelecer – no presente momento processual – quaisquer outras medidas coercitivas, ao entendimento do acatamento das ordens judiciais por todos os súditos da legislação brasileira. ... Segundo a Luiza Luciana Toledo “Inicialmente será imposta multa com o objetivo de se fazer respeitar a decisão. Será avaliada uma medida extrema na hipótese de persistência do descumprimento.” Dos R$ 20 mil de multa diária, R$ 10 mil são da parte da prefeitura e os outros R$ 10 mil por parte da EPT. Deu chabu de novo. Prefeito convoca população em rede social no domingo 26 de julho, mas pouco mais de 40 comissionados dentre eles secretários, estiveram na manifestação na manhã da segunda 27 de julho em prol dos “vermelhinhos” Aonde está o ônibus com número de ordem MAR 03.007 que provocou gravde acidente no domingo de carnaval em Cordeirinho? Depois de passar meses no arremedo de garagem da EPT às margens da RJ 106 e após denúncias do Jornal do Município e Barão de Inohan, o ônibus foi supostamente levado para uma oficina no Rio de Janeiro e nunca mais foi visto por aqui. Alguém sabe dele? ENTENDA O CASO COM A VERDADEIRA HISTÓRIA DESDE O SEU INÍCIO como prevíamos, com chapa branca. Em setembro acabaram com a Maricá Transportes Públicos e criaram a autarquia com o sugestivo nome de EPT (Empresa Pública de Transportes). Mesmo com chapa branca, tentaram comprar os validadores, mas estes só poderiam ser colocados em funcionamento se a EPT fosse associada ao SETRERJ. Como não conseguiu e bradando em discursos eleitoreiros, o prefeito - rendido - disse que os ônibus seriam de graça para a população (só lhe restava essa alternativa para depois de um ano da chegada deles, os colocarem para rodar e justificar o alto investimento). Chegou o grande dia: 18 de dezembro de 2014. Começaram a circular, ainda limpos. Mas em muito pouco tempo, sem nenhum tipo de manutenção e limpeza, os vermelhinhos começaram a ser conhecidos também como sujinhos. Não são lavados externamente e internamente, nenhum tipo de higienazação é feito. As cameras de segurança não foram implantadas. No verão, tornaram-se motivo de desespero para os moradores do Recanto e de Ponta Negra, com relatos de invasões de casas por uma orda de vândalos que chegavam em bandos vindos de cidades vizinhas. O índice de criminalidade aumentou também graças aos vermelhinhos, que segundo os próprios motoristas que pedem para não ser identificados, são transportados a noite e pela madrugada. Hoje, dos 13 ônibus (mais 3 chegaram em abril de 2014), apenas 11 estão rodando e destes, apenas 3 ainda tem o ar condicionado funcionando. Já se envoveram em alguns acidentes, dois bastante graves, onde destruiram por completo uma Saveiro e um Voyage. Ninguém é contra a passagem gratuita, repetimos, mas uma empresa pública com 165 funcionários e 11 ônibus rodando (cerca 15 funcionários por ônibus, número quase 4 vezes maior do que a média de funcionários de qualquer empresa de transporte público no Brasil), mas por que não utilizar os 25 ônibus da Costa Leste e os quase 50 da Viação Amparo que fazem linhas municipais e poderiam ter as passagens subsidiadas pela prefeitura, servindo TODAAPOPULAÇÃO e não uma pequena parte, como fazem os ônibus da EPT? Hoje, os gastos da EPT para transportar (segundo a empresa 200 mil passageiros por mês) chegam a casa de R$ 1,3 milhões, ou seja, cada passagem sai por absurdos R$ 6,50 (seis reais e cinquenta). Com o valor da passagem municipal (R$ 2,70) e gastando apenas R$ 1 milhão por mês (ou seja, uma economia de R$ 300 mil mensais), poder-se-ia transportar mais de 370 mil passageiros por mês, ou seja, quase o dobro de passageiros, com mais veiculos, atendendo mais a municipalidade e deixando com as empresas TODOS OS ENCARGOS TRABALHISTAS e de MANUTENÇÃO DOS VEÍCULOS, coisa que apesar de julgar as duas empresas com as fiscalizações feitas nos dias 27, 28 e 29 de julho, não fazem em seus próprios veiculos. Ah sim, é bom lembrar que na maioria das viagens a EPT infrige as leis de trãnsito trafegando com muito mais passageiros do que a capacidade máxima permitida. Isso ninguém vê. E a tal segurança do povo, aonde fica? É literalmente o aleijado falando do manco. Os detalhes por que o atual prefeito sempre quis aca- bar com o “monopólio” dos transportes agora não vem ao caso, mas o erro já começa aí, quando o mesmo bradava em seus discursos desde a campanha de 2008 que iria acabar com o monopólio dos transportes. Que monopó- lio se DUAS EMPRESAS tem a concessão de linhas em Maricá? Mas vamos pular alguns anos e chegar a outubro de 2013, quando os os primeiros 10 vermelhinhos chegaram e esse jornalista teve a infelicidade de batiza-los dessa forma. Desde aquela época avisamos que (embora o prefeito afirmasse que as tarifas do ônibus da prefeitura seriam de R$ 2,00 e iriam ser reduzidas em R$ 0,50 por ano até chegar a zero em 2018) os ônibus não seirma emplacados com chapa vermelha pois, por terem sidos comprados pela prefeitura, era veículos oficiais e só poderiam ser emplacados com chapa branca e veículos com chapa branca SÓ PODEM FAZER TRANSPORTES GRATUITOS. A então Maricá Transportes Públicos anunciou o início das operações para dezembro de 2013, depois para o carnaval de 2014, depois para 26 de maio, depois para odia de Nossa Senhora do Amparo e depois desistiu de anunciar cquando começariam a rodar. Em 30 de junho foram f i n a l m e n t e emplacados e Hoje, a maior parte da frota anda sem ar condicionado
  6. 6. 6 - JORNAL DO MUNICÍPIO JULHO 2015 MEMÓRIA NACIONAL Outro conspirador civil de grande importância para o desfecho do golpe, foi Carlos Lacerda (foto acima). Na verdade, esse jornalista esteve envolvido em quase todas as conspirações que agitaram a nação desde os anos 30. No ano de 1935, quando era comunista, lançara o nome de Prestes para a presidência da recém fundada ANL, o que precipitou o fechamento da entidade, a eclosão da Intentona Comunista de 1935 e o golpe do Estado Novo. Em 1939, rompido com os comunistas, Lacerda passou a colaborar com o DTP. Seis anos depois, em 1945, já afastado de Vargas, fez uma entrevista com o ex- candidato à presidência José Américo, que ajudou a acabar com a censura, forçou Vargas a marcar as eleições para 1946 e precipitou a queda do ditador. Em 1949, vereador pela UDN e convertido ao catolicismo, Lacerda, fundou a Tribuna da Imprensa. O jornal se tornaria o mais violento foco da oposição a Vargas, fazendo com que colaboradores íntimos da presidente tentassem assassinar Lacerda. GRANDE CONSPIRADOR A crise após o atentado da Rua Toneleiros, levou Vargas ao suicídio. Em 1955, Lacerda conspirou contra a posse de JK. Dois anos depois, tornou-se o líder da UDN na Câmara e em 1960, foi eleito governador da Guanabara. Iniciou a oposição a Jânio e, ao acusar o OS CONSPIRADORES CIVISOS CONSPIRADORES CIVISOS CONSPIRADORES CIVISOS CONSPIRADORES CIVISOS CONSPIRADORES CIVIS Apesar de vários segmentos da sociedade civil – dos quais faziam parte, empresários do Rio e de São Paulo, uma boa parcela das classes médias urbanas e a maioria do patronato rural – estarem dispostos a apoiar um complô para derrubar o governo constitucional de Jango, foi o governador de Minas Gerais, Magalhães Pinto, quem se escalou para “assumir a liderança civil do movimento anti- Goulart”. No dia seguinte à Revolta dos Marinheiros, três representantes do governador mineiro, procuraram o general Humberto Castelo Branco – cientes de que ele era o “coordenador geral dos grupos militares da conspiração” – para comunicar a decisão de Magalhães Pinto. Nascido em 1909, Magalhães fora um dos signatários do manifesto dos mineiros que ajudou a derrubar Vargas em 1947, e um dos fundadores da UDN. Já como banqueiro (era dono do Banco Nacional, criado em 1944) e governador de Minas, eleito em 1960, lutou contra a posse de Jango, em 1961e, a partir de 1963, virou chefe da conspiração civil. Chegou a armar vinte mil homens da Polícia Militar mineira, e, junto com os governadores do Rio, Carlos Lacerda, de São Paulo, Ademar de Barros e do Rio Grande do Sul, Ildo Meneghetti (foto abaixo), tramou a derrubada de Jango. CONSPIRAÇÃO AGITA A NAÇÃO Magalhães acabaria tendo participação exclusiva no desfecho do golpe, pois, quando Castelo Branco, considerou “precipitada” a partida das tropas do general Olímpio Mourão de Minas para o Rio e ligou para Magalhães, ordenando que o movimento fosse detido, o governador recusou-se a transmitir o recado. presidente de tramar um golpe, foi o maior responsável pela renuncia dele. Lacerda, passou então a conspirar de todas as formas imagináveis, primeiro contra a posse e, a seguir, contra o governo de Goulart, ele publicara cartas falsas em 1955 tentando vinculá-lo a Peron. Censurou jornais, fez aliança com militares do Brasil e dos Estados Unidos e envolveu os governadores Ney Braga do Paraná e Ildo Meneghetti do Rio Grande do Sul, na trama. A terceira ponte do tripé dos governadores golpistas era ocupada por Ademar de Barros (foto abaixo ao centro) – cujo slogan, nos anos 50, fora “rouba, mas faz”. Filho da oligarquia cafeeira, Ademar participara de luta dos paulistas contra Vargas, em 1932, mas em 1937, após o Estado Novo, conseguiu por indicação de Filinto Muller, ser nomeado interventor em São Paulo, ocupando o cargo até 1941. EXPOENTE DO POPULISMO Fundador do PSP, Ademar se tornou um dos expoentes do populismo à brasileira. Governador de São Paulo em 1947, não se reelegeu em 1 9 5 4 , perdendo para Jânio Quadros. Em 1955, foi vencido por JK, nas eleições para presidente, mas em 1962, elegeu-se outra vez governador paulista. Em Abril de 1963, lançou o manifesto dos governadores democratas, contra Goulart, assinado, entre outros, por Ney Braga e Ildo Meneghetti. Prefeito de Porto Alegre em 1951, quando venceu Brizola e governador em 1954, Meneghetti, voltaria a se reeleger em 1962. Em 1955, fora contra a posse de Juscelino, e em 1961, contra a posse de Jango. Durante a eclosão do golpe de 1964, retirou-se para Passo Fundo e só voltou à capital, após a vitória da revolução. O clero conservador, liderado pelo Cardeal D. Jaime de Barros Câmara, do Rio de Janeiro e pelo padre americano Patrick Peyton, também se envolveu na trama contra o governo. No Congresso, a oposição a Jango, era liderada pelo presidente da UDN, deputados Olavo Bilac Pinto, e pelo bloco Ação Democrática popular, cujos parlamentares, em sua maioria, tinham sido eleitos com apoio financeiro dos Estados Unidos. Em Outubro de 1964, Magalhães Pinto (foto acima), Carlos Lacerda e Ademar de Barros, romperam com Castelo Branco, que já era presidente da República, por discordarem de sua política econômica. E os três que se destacaram como os conspiradores civis, foram cassados pela revolução. Eduardo Bueno – Jornalista (No próximo número, “Os conspiradores militares”.
  7. 7. JULHO 2015 JORNAL DO MUNICÍPIO - 7- 7- 7- 7- 7 Muito agitada a política brasileira nesse mês de Julho, exatamente à época do recesso parlamentar. De um lado, o ex-presidente Lula que começa a ser investigado pelo Ministério Público Federal, acusado de tráfico de influência junto a outros países para conseguir contratos para uma empreiteira que está sendo devassada pela operação lava jato. Como acontece em toda a acusação, a defesa sempre nega, é claro, mas nesse caso o Procurador Geral da República no Distrito Federal já solicitou cópias de documentos da operação lava jato, referentes às obras executadas fora do país financiado com recursos diretos do BNDES ou que tenham relação com Lula. Do outro lado, o polêmico presidente da Câmara Federal, deputado Eduardo Cunha, que se vê no centro do furação ao ser acusado pelo empreiteiro Julio Camargo, de ter recebido uma propina de cinco milhões de dólares para ajudar num contrato da Petrobrás com a empresa Toyo Setal, para construção de um navio sonda. Camargo é delator, e em delação premiada não se mente. Essa declaração foi dada ao juiz Sergio Moro, em Curitiba, que vestiu a toga para fazer justiça e acabar com a roubalheira no país como já o fizera anteriormente o Ministro Joaquim Barbosa, no caso do mensalão. Acuado, ele chamou a mídia para uma entrevista para tentar se transformar em vítima. Rompeu com o governo da presidente Dilma, no que ficou sozinho, pois não teve a adesão de seus companheiros de partido. Declarou em tom de desespero que o juiz Sergio Moro “não é o dono do país”. Disse também que a declaração de Camargo é nula, porque foi feita em primeira instância, e que, como tem foro privilegiado, quer ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal. PONTO DE VISTA A Petrobrás que foi atingida por uma avalanche de corrupção acaba de anunciar que não está mais em seus planos a construção do Complexo Petroquímico de Itaboraí, que dará lugar apenas a uma refinaria.Anunciada como uma obra gigantesca de bilhões de reais, em 2006 quando começaram os trabalhos de terraplanagem da área, a previsão era de que em 2011, tudo estaria pronto para ser inaugurado. Foi uma ilusão vendida a preços módicos, dando conta de que aquele município se transformaria na Dubai brasileira. Como aconteceu no garimpo de Serra Pelada no Pará. Houve uma intensa corrida de trabalhadores de todos os cantos desse país e de empresários que viram no futuro eldorado, a oportunidade de ganhar muito dinheiro. Começaram, então a surgir os grandes empreendimentos: hotéis, prédios de apartamentos residenciais e de lojas para o comércio, shoppings e alojamentos para os milhares de trabalhadores. Wilson dos Santos, um montador de andaimes foi um deles, ao ser demitido, quando começou a onda de demissões, declarou: “eu estou aqui em Itaboraí pedindo ajuda aos meus pais no sertão da Bahia, vim tentar a vida com minha mulher, deixei meus filhos para trás e o sonho acabou”. Foi um tiro certeiro da operação lava jato, no que seria o Complexo Petroquímico. O município é hoje vítima de um grande impacto econômico aliado a isso o temor pelo crescimento da violência na região devido ao grande número de desempregados e a falta de outras oportunidades de trabalho. O setor hoteleiro, segmento em que muitos empresários, apostaram no inicio das obras, chegou ao fundo do poço, não tendo mais ninguém para hospedar. Enfim, a crise do Comperj, sofreu uma retração, derrubando preços já que agora a oferta é maior que a procura. Maricá está inserido nesse contexto. Com o Complexo de Itaboraí, surgiria aqui em nosso município, o Complexo empresarial de Ubatiba, que iria abrigar empresas e fábrica de componentes para aquele empreendimento. Nada disso aconteceu, para decepção de muita gente que migrou para cá, na certeza de que viveria melhores dias com empregos garantidos nos dois complexos. Todos, não restam dúvidas, são vítimas de um governo incompetente sob a bandeira de um partido que pregava pela moralidade, antes de assumir o poder e que se tornou depois que assumiu com Lula, um antro de corrupção, em que se destacam o mensalão e o petrolão. Emancipação, por quê? Porque as necessidades de hoje permanecem as mesmas de sempre. A emancipação do terceiro distrito, Inoã/Itaipuaçu, é uma necessidade para que a população desta área possa desfrutar de autonomia para poder criar projetos que satisfaçam suas necessidades, em tudo que possa, não só atenuar, mas terminar com suas carências. Os governantes alegam fazerem algo pela região, porém, o que fazem não satisfazendo as necessidades, e o pouco que fazem atribuímos que seja com a intenção de abrandar o espírito de luta de nosso povo, pela sua libertação através da emancipação para a criação do Município de Barão de Inoã, fato que é uma questão de tempo, mas que virá em tempo breve, tão logo o Legislativo Federal se disponha a cumprir a Constituição e liberar a Lei Complementar reguladora das emancipações para a criação de novos municípios. E são vários os distritos que estão nesta expectativa em todo o Brasil. E nós continuamos nossa luta, pois cremos que a vitória dos emancipacionistas não está longe de acontecer. Rodovaldo Coutinho LULA E EDUARDO CUNHA NA ALÇA DE MIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO Mas, se Camargo “confessou” em primeira instância, certamente repetirá o que disse ao juiz Sergio Moro, perante aos ministros do STF. Acontece que bateu o desespero em Eduardo Cunha, fácil de observar pelas declarações à imprensa: “tem um bando de aloprados no Planalto”, “o governo não me engole, tem um ódio pessoal contra mim”, ou ainda “essa lama eu não vou aceitar”. E é como disse um Ministro do governo, “ele está ferido de morte”, e o Procurador Geral da República deverá pedir o seu afastamento da presidência da Câmara Federal. Na repercussão do fato, o presidente do PROSS, Eurípedes Junior, foi categórico ao declarar: “Cunha tem que ser preso, está usando o cargo para coagir todo mundo”. Se Cunha acha que é inocente, a primeira coisa que tem que fazer é se afastar da presidência da Câmara, e aqui fora tentar provar que tudo é mentira. Mas, repito: delator não mente e se isso acontecesse, sua pena de prisão não seria atenuada. Muito pelo contrário, iria sofrer as conseqüências de uma punição severa, por parte da justiça, que ainda em tempo decidiu punir os “crimes do colarinho branco”. Comecemos uma devassa pela justiça, para depois repeti-la nas urnas e é bom que já se comece pelas eleições municipais de 2016. Há muito peixinhos aí, precisando serem fisgados a fim de que tenham o mesmo destino dos tubarões: a cadeia. EMANCIPEMANCIPEMANCIPEMANCIPEMANCIPAÇÃO:AÇÃO:AÇÃO:AÇÃO:AÇÃO: QQQQQUE SE CUMPRAUE SE CUMPRAUE SE CUMPRAUE SE CUMPRAUE SE CUMPRA A CONSTITUIÇÃOA CONSTITUIÇÃOA CONSTITUIÇÃOA CONSTITUIÇÃOA CONSTITUIÇÃO ITABORAÍ: O SONHO QUE VIROU PESADELO
  8. 8. 8 - JORNAL DO MUNICÍPIO JULHO 2015 ALIANÇA PT x PMDB NAALIANÇA PT x PMDB NAALIANÇA PT x PMDB NAALIANÇA PT x PMDB NAALIANÇA PT x PMDB NA SUCESSÃO MUNICIPSUCESSÃO MUNICIPSUCESSÃO MUNICIPSUCESSÃO MUNICIPSUCESSÃO MUNICIPALALALALAL O que estava sendo cogitado como mera especulação política, tornou-se realidade com a declaração do presidente da Assembléia Legislativa e presidente da regional do PMDB, deputado Jorge Picianni. Numa entrevista concedida a um jornal de grande circulação da capital, ele declarou quando indagado sobre as eleições municipais do próximo ano, que conversou com o prefeito Quaquá: “me apalavrei com ele, e vamos dar o vice do candidato dele”. Por sua vez, Quaquá insiste em dizer que seu candidato é o atual vice, Marcos Ribeiro. Mas, há quem garanta que o prefeito está blefando. Está em cogitação nos bastidores, uma dobradinha formada pelo deputado federal Fabiano Horta e pelo nobre Felipe Bittencourt, que acaba de assumir a presidência da Comissão provisória do PMDB em nosso município. Mas, resta saber se Quaquá vai cumprir a palavra com Picianni. GAL HANALLA É A PRIMEIRA MISS BAIXADA FLUMINENSE PLUS SIZE Foi uma noite magnífica e com um resultado sensacional. A grande final do Miss Baixada Fluminense Plus Size 2015 que aconteceu na noite de quinta feira 23 de julho no Clube Nilopolitano com apoio da prefeitura de Nilópolis através da secretaria de Cultura coroou Gal Hanalla (Miss Japeri)como primeira Miss Baixada Fluminense Plus Size. Gal faturou também o título de Miss Fotogenia. Thais Oliveira (Miss Belford Roxo) - vice campeã, conquistou também o título de Miss Baixada Fluminense Plus Size Web 2015 e o título de Miss Elegância. Etiene Gomes (Miss Seropédica) além do título de Miss Simpatia, ficou com o terceiro lugar geral. O top 5 fechou com Leticia Desiderati (Miss Magé) em quarto lugar e Hana Zurah (Miss Paracambi) em quinto lugar. Gal Hanalla tem 26 anos, é professora de dança do ventre, nascida em Barra do Pirai e moradora de japeri há vários anos. Sua beleza, simplicidade, profissionalismo e carisma encantou à todos fazendo com que ela conquistasse o título máximo da beleza plus size da Baixada Fluminense. O Miss Baixada Fluminense Plus Size é uma criação do produtor Pery Salgado e foi realizado pela PR PRODUÇÕES. Luana Felinto, Madrinha do Miss Baixada Fluminense Plus Size 2015 fez a coroação da primeira Miss Plus Size da Baixada Fluminense. O secretário de Cultura de Nilópolis - Augusto Vargas - fez a entrega oficial da faixa para Gal Hanalla. Na foto, ao lado do produtor Pery Salgado

×