Resumo da apresentação do curso de webwriting em Santos

748 visualizações

Publicada em

Veja o que rolou na primeira turma do curso de webwriting em Santos. Essa apresentação é um resumo do curso de webwriting.

A primeira turma do curso de webwriting aconteceu no dia 22/06 no TIP em Santos. Veja o principais tópicos abordados no curso.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
748
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
46
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resumo da apresentação do curso de webwriting em Santos

  1. 1. Aprendendo a escrever
  2. 2. panda e pinguim
  3. 3. Com as atualizações Panda e Pinguim, o Google se posicionou oficialmente como um buscador que da mais relevância ao conteúdo do que truques de SEO. Por isso, o conteúdo bem produzido passou a ser fator chave para que um website esteja bem posicionado.
  4. 4. 22/05 Google lança o Pinguim 2.0 A nova atualização do Pinguim traz uma nova geração de algoritmos, que conseguem analisar mais profundamente a qualidade de links de um site. Por isto, esta cada vez mais importante focar em bom conteúdo, para conseguir links em sites de qualidade e de forma natural.
  5. 5. O que é webwriting pra você?
  6. 6. O que não é webwriting... Webriting não pode ser traduzido como redação online, porque não se trata apenas de uma técnica de redação. Webwriting não pode ser traduzido como jornalismo online. O jornalismo online é que é o ramo do webwriting dedicado a produção de notícias online. Webwriting não pode ser entendido como SEO de conteúdo, porque não visa apenas otimizar o conteúdo, mas sim torná-lo amigável ao leitor. ... afinal, o que é webwriting?
  7. 7. O “papa” do webwriting - Crawford Kilian é autor de Writing for the Web (lançado em 1998 e, hoje em sua 4ª edição), além de ser um professor universitário e um romancista canadense. - Os estudos de Kilian são focados no comportamento do texto em ambientes digitais. - O livro de Kilian, ainda não possui tradução ou Adaptação para o português.
  8. 8. Os princípios do webwriting
  9. 9. Persuasão Seu discurso precisa estar bem amarrado em argumentos sólidos. Portanto, dê atenção ao que está escrevendo, valorize sempre o gancho emocional com o leitor, explicite o seu ponto de vista e crie credibilidade. Ao final do seu texto, o leitor deve saber muito bem o que fazer. Chame-o para a ação.
  10. 10. Objetividade Vá direito ao ponto, sem rodeios, sem meias palavras, sem falsas promessas. Pense sempre se as informações estão completas, se faltaria algum aspecto a ser abordado, se existe informação em excesso. Não enrole o leitor!
  11. 11. Visibilidade Dê destaque às informações mais importantes – é por conta delas que o leitor está ali e, se você não dar ênfase a elas, eles vão sair da sua página. Mostre o que precisa ser mostrado, destaque, em listas ou numericamente, o que o leitor quer ler.
  12. 12. Navegabilidade Guie o usuário como um guia turístico. Primeiro capture a curiosidade do usuário, depois a atenção e aí sim o interesse do usuário. Somente depois disso, deixe que ele saiba mais sobre você. O título do link deve ser o título da página de destino.
  13. 13. Benefícios do webwriting 1. Produção de conteúdo focado no hábito de leitura dos leitores da web. 2. Criação da reputação (seja marca pessoal ou corporativo) em torno de assuntos. 3. Otimização de conteúdo com técnicas mais valorizadas pelos buscadores. 4. Produção de conteúdo focado em 2 frentes: leitores e buscadores. 5. Fazer o conteúdo ser lido, compartilhado e espalhado pela internet.
  14. 14. Como ter um termômetro do meu site?
  15. 15. Como o design fala a favor do webwriting... Cores limpas, sem poluição visual, abusando de cores que estimulam a leitura em campos de texto (como cinza claro e branco) Títulos visíveis em fontes de fácil leitura e de maneira que mostrem a divisão do conteúdo pelo texto, principalmente com fontes estilo ‘rounded’ ou sem serifa. Com conteúdo no corpo do texto em letras serifadas, que dão mais conforto à leitura e são mais amigáveis ao leitor, cansando menos a vista.
  16. 16. O fator encontra bilidade
  17. 17. En.con.tra.bi.li.da.de É a facilidade de localização de informações, serviços na web. Tanto para os usuários que estão dentro do website quanto para quem está buscando informações em buscadores.
  18. 18. quando o design atrapalha
  19. 19. Conclusão 1. Banners exagerados tiram a atenção do leitor para o conteúdo. Além de cansar a vista. 2. Muitos anúncios tiram a credibilidade de seu website/blog. 3. Confusão visual incomoda os usuários e faz com que eles abandonem a página. 4. Enquadre o website ao nível cultural e tecnológico de seus leitores. 5. Distribua/divida a página em sessões que ajudem os usuários a se localizar e decidirem o próximo passo.
  20. 20. O processo de redação começa antes da escrita
  21. 21. Você sabe com quem está falando? Qual é o perfil do seu leitor?
  22. 22. Perfil do usuário de internet no Brasil
  23. 23. onde está o seu leitor no meio disso tudo?
  24. 24. Um meio hipertextual como a web exige utilizar formatos que aproveitem a possibilidade de fragmentar o discurso informativo e criar níveis de profundidade documental. a fragmentação do discurso
  25. 25. O que isso significa?
  26. 26. por onde começar a escrever?
  27. 27. como chamar a atenção do leitor para o texto
  28. 28. a metáfora da cebola
  29. 29. o que você precisa saber sobre títulos
  30. 30. como escrever títulos 1. Dê preferência utilize a palavra-chave principal no título do artigo. 2. Evite utilizar grandes títulos. Seja direto. E lembre-se: o medo de perder faz as pessoas clicarem mais do que a possibilidade de ganhar. 3. Títulos curtos ajudam na exibição completa quando listados no Google, enquanto títulos grandes acabam não aparecem completamente nos buscadores. 4. Escrevas títulos preferencialmente com verbos de ação. 5. Faça perguntas polêmicas. Isso desperta a curiosidade das pessoas.
  31. 31. anatomia do corpo do texto
  32. 32. SEO para conteúdo
  33. 33. LINKS como fazer? por que fazer? quando fazer? aonde fazer?
  34. 34. links internos Porque o objetivo é fazer o leitor navegar pelo seu site. Não apenas ler 1 artigo e ir embora.
  35. 35. motivos para fazer links internos 1. Fazer com que os leitores continuem navegando pelo seu website. 2. Aprofundar o assunto tratado no artigo. 3. Ajudar a otimizar um determinado artigo ou página. 4. Fazer com que os leitores conheçam melhor a sua empresa. 5. Diminuir a taxa de rejeição e aumentar o tempo de visualização de seu website.
  36. 36. links internos Porque quanto mais ligações você faz para outros sites, mais ligações você recebe de volta.
  37. 37. motivos para fazer links externos 1. Criar relacionamento com outros websites do seu segmento. 2. Referenciar sites que seguem a mesma linha de pensamento. 3. Conseguir sites para fazer backlinks. 4. Aumentar o page rank do seu website. 5. Estender a discussão para outro nível, oferecer aprofundamento ao tema e, referenciar um pensamento com líderes de pensamento.
  38. 38. como fazer links?
  39. 39. o link deve ter o nome exato da página de destino.
  40. 40. edição e revisão do texto
  41. 41. O primeiro passo da edição e revisão do texto é buscar por erros ou inconsistências: erros de português, digitação, concordância e, frases sem sentido, que podem ser cortadas sem que o texto perca a essência. O ideal é que isso seja feito por um terceiro. Mas, caso isso não seja possível, espere o intervalo de 20 a 30 minutos e busque coisas que precisem ser consertadas, melhoradas e eliminadas.
  42. 42. tags e categorias
  43. 43. como usar tags e categorias? 1. Seja o mais específico possível ao escolher tags e categorias. Elas podem tanto ajudar, quanto atrapalhar o seu conteúdo ser encontrado. 2. Coloque cada texto em apenas 1 categoria. Quando escolhemos mais de 1, geramos conteúdo duplicado que é sujeito à penalidades do Google. 3. Opte por poucas tags que sejam fiéis a essência do texto, ao invés de colocar milhões de tags que nada têm a ver com o assunto tratado. 4. O Google interpreta tudo em exagero como spam. Portanto, seja específico e moderado.
  44. 44. papel do apoio visual no webwriting
  45. 45. SEO de imagens na prática
  46. 46. métricas de webwriting
  47. 47. + métricas
  48. 48. aspectos legais do webwriting
  49. 49. O que você precisa saber sobre os aspectos legais de produzir textos, traduzir, adaptar e usar imagens...
  50. 50. Quando produzimos conteúdo podemos estar infringindo o direito de alguém com nossas palavras. Portanto, assegure-se de não produzir material ofensivo e que não possa ser enquadrado como calúnia e/ou difamação. Esse precisa ser o primeiro cuidado do webwriter.
  51. 51. garanta que: 1. Você tenha autorização para reproduzir o conteúdo desejado, para que você não viole os direitos autorais de terceiros. Quando autorizado, sempre coloque no rodapé o link do artigo original. 2. Que você não fere ou contradiz o texto de um autor durante a tradução/adaptação. Sempre coloque links para o artigo original. 3. Assegure-se de comprar imagens em bancos de imagens reconhecidos ou de sempre buscar por imagens royalties free para uso não comercial (Flikr por exemplo). 4. Fique por dentro das normas creative commons.
  52. 52. Muito Obrigado! Enrico Cardoso falecom@enricocardoso.com.br @enricocardozo facebook.com/enrico.cardoso br.linkedin.com/in/enricocardoso enricocardoso.com.br

×