<ul><li>Certo dia, na horta  do tio Manuel Liró apareceu um grilo diferente de todos os outros. Era um grilo verde que, em...
<ul><li>  </li></ul>Numa tarde de domingo decidiram visitar o grilo verde, na horta do tio Manuel Liró, para o convencerem...
Perante isto, surgiu uma grande confusão aliada a uma grande algazarra que, acordou o tio Manuel Liró da sua sesta. Zangad...
<ul><ul><li>Os grilos pretos, com medo da enxada fugiram. Esqueceram-se da guerra que queriam fazer ao grilo verde. Este a...
<ul><ul><li>Exausto o tio Manuel Liró decidiu, retomar a sua  soneca. Enquanto isto, ao grilo verde que continuava escondi...
<ul><ul><li>Ao som da sua melodia o tio Manuel despertou de mansinho.  </li></ul></ul><ul><ul><li>Admirado pesquisou de on...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

ApresentaçãO Grilo Verde

5.970 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

ApresentaçãO Grilo Verde

  1. 2. <ul><li>Certo dia, na horta do tio Manuel Liró apareceu um grilo diferente de todos os outros. Era um grilo verde que, em vez de circrilar, assobiava. Estas características eram uma afronta para toda a espécie de grilos, pois eram pretos e cricrilavam. </li></ul><ul><li> A notícia começou a espalhar-se por todas as redondezas e todos os grilos pretos sentiram-se ameaçados na sua reputação. </li></ul>
  2. 3. <ul><li> </li></ul>Numa tarde de domingo decidiram visitar o grilo verde, na horta do tio Manuel Liró, para o convencerem a mudar de farda e mudar a sua maneira de se expressar. Não convencidos, os outros grilos decidiram prendê-lo numa lura muito funda e escura. Desta forma, não seria visto como uma ameaça à reputação dos grilos que, teimavam em manter a tradição.
  3. 4. Perante isto, surgiu uma grande confusão aliada a uma grande algazarra que, acordou o tio Manuel Liró da sua sesta. Zangado pegou numa enxada e de talho a talho procurou a “cricrilada”. Finalmente, encontrou-a no seu feijoal que teve de destruir para afastar toda a bicharada.
  4. 5. <ul><ul><li>Os grilos pretos, com medo da enxada fugiram. Esqueceram-se da guerra que queriam fazer ao grilo verde. Este aproveitou a confusão para se esconder entre duas folhas de uma couve que tinha a sua cor. Aproveitando-se desta característica, passou </li></ul></ul><ul><ul><li>despercebido aos olhos do tio Manuel Liró que continuava a destruir o seu feijoal. </li></ul></ul>
  5. 6. <ul><ul><li>Exausto o tio Manuel Liró decidiu, retomar a sua soneca. Enquanto isto, ao grilo verde que continuava escondido na couve, nasceram uma asas cor de fogo. Com elas, voou para o ramo mais alto da oliveira, onde o tio Manuel descansava. </li></ul></ul><ul><ul><li>Dali cantou uma belíssima melodia. </li></ul></ul>
  6. 7. <ul><ul><li>Ao som da sua melodia o tio Manuel despertou de mansinho. </li></ul></ul><ul><ul><li>Admirado pesquisou de onde vinha aquele maravilhoso som. </li></ul></ul><ul><ul><li>O grilo confundido no verde da oliveira, foi solicitado para aparecer ao dono da horta. </li></ul></ul><ul><ul><li>Aquele esquisito animal suscitou a curiosidade do tio Manuel, que logo pretendeu apanha-lo para mostrar aos seus amigos. Mas, o grilo verde com as asas cor de fogo fugiu pelo meio das nuvens, desaparecendo no infinito. </li></ul></ul>

×