29/07/2011<br />1<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro<...
29/07/2011<br />2<br />A onça ficou com as patas e a barriga machucadas. A luta durou, segundo o fotógrafo, 25 minutos. O ...
A vertente preventiva da Defesa Nacional<br />Poder de combate que propicie credibilidade à estratégia da dissuasão<br />V...
Objetivo<br />Conhecer o Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro aos participantes da RIOINFO 2011, bem como algumas de ...
Roteiro<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga<br />Comando e Controle<br />5<br /><ul><li>O Sistema
Processos
Transformação</li></li></ul><li>O Sistema<br />29/07/2011<br />6<br />Criação<br />Decreto-Lei nº 1.778, de 18 de março de...
SISDABRA
SISCEAB</li></li></ul><li>O Sistema<br />29/07/2011<br />7<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br /><...
Comunicação
Meteorologia
Capacitação
Manutenção</li></ul>SISCEAB<br />SISDABRA<br /><ul><li>COMDABRA
CODA
COPM
ANV DA/CAV
AAAe
Sistema Integrado
SISDABRA
SISCEAB</li></li></ul><li>O Sistema<br />29/07/2011<br />8<br /><ul><li>Sistema Integrado
SISDABRA
SISCEAB</li></ul>Regiões de Defesa Aérea<br />Subsistema de Detecção<br />Subsistema de Visualização<br />Subsistema de Co...
O Sistema<br />29/07/2011<br />9<br /><ul><li>Sistema Integrado
SISDABRA
SISCEAB</li></ul>Regiões de Defesa Aérea<br />Subsistema de Detecção<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Contro...
O Sistema<br />29/07/2011<br />10<br />Subsistema de Visualização<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle ...
SISDABRA
SISCEAB</li></li></ul><li>O Sistema<br />29/07/2011<br />11<br /><ul><li>Sistema Integrado
SISDABRA
SISCEAB</li></ul>Subsistema de Visualização<br />Subsistema de Comando e Controle<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Com...
O Sistema<br />29/07/2011<br />12<br /><ul><li>Sistema Integrado
SISDABRA
SISCEAB</li></ul>Criação<br />Decreto-Lei nº 1.778, de 18 de março de 1980<br />Missão<br /><ul><li>Manter a soberania no ...
Órgão Central
COMDABRA</li></ul>Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />
O Sistema<br />29/07/2011<br />13<br />MISSÃO<br />Realizar a defesa do território nacional contra todas as formas de amea...
COMDABRA</li></ul>Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />
O Sistema<br />29/07/2011<br />14<br />Atribuições<br /><ul><li>Propor política, estratégia e doutrina
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

29/09/2011 - 14h às 17h - TI nacional e os projetos do ministério da defesa - Ricardo de Queiroz Veiga

661 visualizações

Publicada em

29/09/2011 - 14h às 17h - TI nacional e os projetos do ministério da defesa - Ricardo de Queiroz Veiga

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
661
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
24
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • O estabelecimento da consciência situacional (CS) corresponde ao processo “observar” do ciclo de Boyde.Ela é essencial para o funcionamento do sistema porque, sem ela, não seria possível haver a coordenação das ações de forma eficiente e, até mesmo, eficaz.A DA requer antecipação das ações e intenções dos oponentes. Para isso, o espaço aéreo é constantemente vigiado em busca de veículos aéreos que possam oferecer alguma ameaça à soberania nacional.Quando um novo alvo é detectado, ele é imediatamente classificado e passa a ser vigiado.Esse processo é responsável pelo fornecimento das informações necessárias ao planejamento do que fazer em seguida.O processo seguinte é destinado ao estabelecimento de linhas de ações possíveis. Ele é baseado nas informações geradas no processo anterior, que definem as condições de contorno em que o sistema deverá funcionar. Devido à característica dinâmica e veloz do ambiente aeroespacial, o processo de orientação também é baseado em situações hipotéticas criadas a partir da projeção de vários cenários de emprego do sistema. Para isso, o COMDABRA elabora o seu PLANDABRA e estabelece as normas e regras de engajamento.Mesmo assim, situações novas e não planejadas ocorrem a todo o momento e o decisor recorre aos seus auxiliares para
  • O estabelecimento da consciência situacional (CS) corresponde ao processo “observar” do ciclo de Boyde.Ela é essencial para o funcionamento do sistema porque, sem ela, não seria possível haver a coordenação das ações de forma eficiente e, até mesmo, eficaz.A DA requer antecipação das ações e intenções dos oponentes. Para isso, o espaço aéreo é constantemente vigiado em busca de veículos aéreos que possam oferecer alguma ameaça à soberania nacional.Quando um novo alvo é detectado, ele é imediatamente classificado e passa a ser vigiado.Esse processo é responsável pelo fornecimento das informações necessárias ao planejamento do que fazer em seguida.O processo seguinte é destinado ao estabelecimento de linhas de ações possíveis. Ele é baseado nas informações geradas no processo anterior, que definem as condições de contorno em que o sistema deverá funcionar. Devido à característica dinâmica e veloz do ambiente aeroespacial, o processo de orientação também é baseado em situações hipotéticas criadas a partir da projeção de vários cenários de emprego do sistema. Para isso, o COMDABRA elabora o seu PLANDABRA e estabelece as normas e regras de engajamento.Mesmo assim, situações novas e não planejadas ocorrem a todo o momento e o decisor recorre aos seus auxiliares para
  • Consciência SituacionalMonitoramentoDetecçãoVigilânciaOrientarPlanejamentoEstratégias e táticasNormas e regras (ROE)DecidirMPEAAlertarInterceptarCombaterAgir
  • Mostrar uma imagem de uma pista com aeronaves de caça e transporteIdentificação de desdobramento.
  • 29/09/2011 - 14h às 17h - TI nacional e os projetos do ministério da defesa - Ricardo de Queiroz Veiga

    1. 1. 29/07/2011<br />1<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro<br />
    2. 2. 29/07/2011<br />2<br />A onça ficou com as patas e a barriga machucadas. A luta durou, segundo o fotógrafo, 25 minutos. O porco-espinho castigou o felino e o colocou para correr.<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />Eficiência<br />Credibilidade<br />Dissuasão<br />
    3. 3. A vertente preventiva da Defesa Nacional<br />Poder de combate que propicie credibilidade à estratégia da dissuasão<br />Valorização da ação diplomática como instrumento primeiro de solução de conflitos <br />Postura estratégica baseada na existência de capacidade militar com credibilidade, apta a gerar efeito dissuasório<br />FA modernas, balanceadas e aprestadas<br />Política de DefesaNacional<br />OrientaçõesEsrtatégicas<br />Dissuasão<br />29/07/2011<br />3<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga<br />Comando e Controle<br />
    4. 4. Objetivo<br />Conhecer o Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro aos participantes da RIOINFO 2011, bem como algumas de suas necessidades de transformação.<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga<br />Comando e Controle<br />4<br />
    5. 5. Roteiro<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga<br />Comando e Controle<br />5<br /><ul><li>O Sistema
    6. 6. Processos
    7. 7. Transformação</li></li></ul><li>O Sistema<br />29/07/2011<br />6<br />Criação<br />Decreto-Lei nº 1.778, de 18 de março de 1980<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br /><ul><li>Sistema Integrado
    8. 8. SISDABRA
    9. 9. SISCEAB</li></li></ul><li>O Sistema<br />29/07/2011<br />7<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br /><ul><li>Deteção
    10. 10. Comunicação
    11. 11. Meteorologia
    12. 12. Capacitação
    13. 13. Manutenção</li></ul>SISCEAB<br />SISDABRA<br /><ul><li>COMDABRA
    14. 14. CODA
    15. 15. COPM
    16. 16. ANV DA/CAV
    17. 17. AAAe
    18. 18. Sistema Integrado
    19. 19. SISDABRA
    20. 20. SISCEAB</li></li></ul><li>O Sistema<br />29/07/2011<br />8<br /><ul><li>Sistema Integrado
    21. 21. SISDABRA
    22. 22. SISCEAB</li></ul>Regiões de Defesa Aérea<br />Subsistema de Detecção<br />Subsistema de Visualização<br />Subsistema de Comando e Controle<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />
    23. 23. O Sistema<br />29/07/2011<br />9<br /><ul><li>Sistema Integrado
    24. 24. SISDABRA
    25. 25. SISCEAB</li></ul>Regiões de Defesa Aérea<br />Subsistema de Detecção<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />
    26. 26. O Sistema<br />29/07/2011<br />10<br />Subsistema de Visualização<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br /><ul><li>Sistema Integrado
    27. 27. SISDABRA
    28. 28. SISCEAB</li></li></ul><li>O Sistema<br />29/07/2011<br />11<br /><ul><li>Sistema Integrado
    29. 29. SISDABRA
    30. 30. SISCEAB</li></ul>Subsistema de Visualização<br />Subsistema de Comando e Controle<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />
    31. 31. O Sistema<br />29/07/2011<br />12<br /><ul><li>Sistema Integrado
    32. 32. SISDABRA
    33. 33. SISCEAB</li></ul>Criação<br />Decreto-Lei nº 1.778, de 18 de março de 1980<br />Missão<br /><ul><li>Manter a soberania no Espaço Aéreo Brasileiro
    34. 34. Órgão Central
    35. 35. COMDABRA</li></ul>Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />
    36. 36. O Sistema<br />29/07/2011<br />13<br />MISSÃO<br />Realizar a defesa do território nacional contra todas as formas de ameaça aeroespacial, a fim de assegurar o exercício da soberania no Espaço Aéreo Brasileiro.<br /><ul><li>Órgão Central
    37. 37. COMDABRA</li></ul>Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />
    38. 38. O Sistema<br />29/07/2011<br />14<br />Atribuições<br /><ul><li>Propor política, estratégia e doutrina
    39. 39. Fixar critérios e elaborar normas
    40. 40. Planejar (PLANDABRA)
    41. 41. Comandar a DA
    42. 42. Coordenar os elos
    43. 43. Órgão Central
    44. 44. COMDABRA</li></ul>Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />
    45. 45. O Sistema<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />15<br />SISC2FAB<br />SISC2CS<br />SISC2FTer<br />SISNC2<br />
    46. 46. Roteiro<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga<br />Comando e Controle<br />16<br /><ul><li>O Sistema
    47. 47. Processos
    48. 48. Transformação</li></li></ul><li>Processos<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />17<br />Consciência Situacional<br /><ul><li>Vigilância
    49. 49. Detecção
    50. 50. Monitoramento</li></ul>Orientar<br /><ul><li>Planejamento
    51. 51. Estratégias e táticas
    52. 52. Normas e regras (ROE)</li></ul>Agir<br />Decidir<br /><ul><li>MPEA
    53. 53. Alertar
    54. 54. Interceptar
    55. 55. Combater</li></li></ul><li>Consciência Situacional<br /><ul><li>Vigilância
    56. 56. Detecção
    57. 57. Monitoramento</li></ul>Processos<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />18<br />
    58. 58. Processos<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />19<br />
    59. 59. Processos<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />20<br />
    60. 60. Processos<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />21<br />
    61. 61. Processos<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />22<br />Consciência Situacional<br /><ul><li>Vigilância
    62. 62. Detecção
    63. 63. Monitoramento</li></ul>Orientar<br /><ul><li>Planejamento
    64. 64. Estratégias e táticas
    65. 65. Normas e regras (ROE)</li></ul>Agir<br />Decidir<br /><ul><li>MPEA
    66. 66. Alertar
    67. 67. Interceptar
    68. 68. Combater</li></li></ul><li>Processos<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />Planejamento<br />Estratégico<br />Planejamento<br />Operacional<br />Planejamento<br />Tático<br />Gerenciamento<br />de Missões<br />Armazenamento<br />de <br />Resultados<br />Consolidação <br />de Resultados<br />Avaliação de <br />Resultados<br />29/07/2011<br />23<br />
    69. 69. Processos<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />Planejamento<br />Estratégico<br />Planejamento<br />Operacional<br />Planejamento<br />Tático<br />Gerenciamento<br />de Missões<br />Armazenamento<br />de <br />Resultados<br />Consolidação <br />de Resultados<br />Avaliação de <br />Resultados<br />29/07/2011<br />24<br />
    70. 70. Roteiro<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga<br />Comando e Controle<br />25<br /><ul><li>O Sistema
    71. 71. Transformação
    72. 72. Processos</li></li></ul><li>Transformação<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />26<br />SISDABRA<br />“... disporá de um complexo de monitoramento, incluindo veículos lançadores, satélites geoestacionários e de monitoramento, aviões de inteligência e respectivos aparatos de visualização e de comunicações, que estejam sob integral domínio nacional.”<br />END, pág 28, 2ª edição<br />29/07/2011<br />
    73. 73. Transformação<br />Objetivos da transformação pretendida<br />Integração de sistemas + Sinergia<br />Flexibilidade<br />Qualidade de dados e informações<br />Fusão de dados<br />Segurança (da informação, de voo e da decisão)<br />Defesa Cibernética<br />Governança Efetiva<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />27<br />
    74. 74. Transformação<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga<br />Comando e Controle<br />Satélites <br /><ul><li>Comunicação
    75. 75. Geoestacionário
    76. 76. Tático
    77. 77. Imageamento
    78. 78. Óptico
    79. 79. SAR
    80. 80. Tático
    81. 81. Meteorológicos
    82. 82. Termal
    83. 83. Multiespectral</li></ul>28<br />
    84. 84. <ul><li>Estratégicos
    85. 85. Táticos
    86. 86. Aeronaves
    87. 87. CC2</li></ul>Transformação<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga<br />Comando e Controle<br />29<br />Veículos lançadores<br />Enlaces táticos<br />
    88. 88. Transformação<br />29/07/2011<br />CelAv Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />30<br />ID POS RTB<br />FAB<br />F320<br />H195<br />
    89. 89. Transformação<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga<br />Comando e Controle<br />31<br />Veículos lançadores<br /><ul><li>Estratégicos
    90. 90. Táticos </li></ul>Enlaces táticos<br /><ul><li>Aeronaves
    91. 91. CC2</li></ul>Radares<br /><ul><li>2D e 3D
    92. 92. Móveis/Transp.</li></ul>Antiaérea<br /><ul><li>Média altura</li></li></ul><li>Transformação<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />32<br />Revitalização e modernização dos sistemas de defesa antiaérea<br />Antiaérea<br /><ul><li>Média altura</li></li></ul><li>Transformação<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga<br />Comando e Controle<br />33<br />Criação de um Centro Operacional de Análise de Imagens e Sinais<br />
    93. 93. Transformação<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />34<br />Coordenação<br />Capacitação do COMDABRA no gerenciamento dos serviços e produtos satelitais de Defesa (END)<br />
    94. 94. Transformação<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga Comando e Controle <br />35<br />SG<br />Comunicação<br />SATCOM<br />Imagens SAR/EO<br />ANV Intel<br />Monitoramento<br />
    95. 95. Roteiro<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga<br />Comando e Controle<br />36<br /><ul><li>O Sistema
    96. 96. Transformação
    97. 97. Processos</li></li></ul><li>Objetivo<br />Conhecer o Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro aos participantes da RIOINFO 2011, bem como algumas de suas necessidades de transformação.<br />29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga<br />Comando e Controle<br />37<br />
    98. 98. 29/07/2011<br />Cel Av Ricardo de Queiroz Veiga<br />Comando e Controle<br />38<br />

    ×