SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Baixar para ler offline
Sonoridade no Saxofone
Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br
Sonoridade no Saxofone
www.explicasax.com.br
Sonoridade.
Eu gostaria de dar algumas dicas, para tentarmos melhorar o seu Som.
Vou utilizar o Sax Alto, mas os princípios aqui ensinados, podem ser
aplicados em todos os saxofones.
O Som.
Você que está iniciando, deve ter percebido algo elementar. Seu som
não é parecido com aquele Saxofonista mais experiente que você
admira.
Ao Soprar seu instrumento, o Som, na verdade não tem nada a ver
com o Saxofonista que você admira.
Isso porque, para tirar som no instrumento, é relativamente fácil. Basta
colocar a boca na boquilha e soprar. Se você não apertar demais o
lábio inferior na palheta, o Ar vai passar pela palheta, está vai vibrar e
vai produzir um Som.
Pronto.
Sim pronto, mas para tirarmos o som bonito, precisamos algo mais.
Som Bonito? Mas O que é Bonito?
Você precisa saber que som quer alcançar.
O som do Sax pode ser dentre outras classificações Erudito ou popular.
No Erudito
É O som do Sax, pelo Som do Sax entendeu? Sim é muito bonito, mas
não é o que a maioria está acostumada a ouvir. Acontece, que no
Erudito, não se usa “Ornamentos” como Vibratos, som Rasgado,
Harmônicos e etc. As notas soam mais ou menos parecidas em todas
as regiões do Sax. A embocadura é estática.
Sonoridade no Saxofone
Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br
Sonoridade no Saxofone
www.explicasax.com.br
Seria mais ou menos isso aqui.
http://www.youtube.com/watch?v=tt674qNW9NQ
http://www.youtube.com/watch?v=wE7goXetjCo
Ivan - erudito
http://www.youtube.com/watch?v=DuUPN1jL_e0
O Sax Popular
Na linha Popular, cada nota possui uma característica.
Existe o uso do vibrato, trabalho da câmara interna da Boca para abrir
e encorpar ainda mais o Som, e inúmeros outros efeitos.
Seria isso aqui ...
http://www.youtube.com/watch?v=8KhpTBzP97U
Este Guia, é para buscarmos a sonoridade usada no Sax popular, ok?
Posição da Boquilha na Boca.
Se você ainda não se fez essa pergunta, creio que em breve ela
surgirá.
É difícil falar em certo ou errado. Isso depende do tipo de som que
você deseja.
Dependendo do ponto em que você coloca a Boquilha dentro da sua
boca você terá um Som mais voltado para o Som encorpado, pesado,
denso, ou um Som mais ardido, estridente.
Sonoridade no Saxofone
Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br
Sonoridade no Saxofone
www.explicasax.com.br
Se você não tem idéia de onde começar.
Observe sua boquilha da Ponta seguindo em direção ao Sax.
Veja a Palheta agora. Confira em que ponto a palheta começa a
deixar a Boquilha, ou seja, Sua palheta está presa por uma
abraçadeira na sua boquilha, veja qual é o ponto em que ela começa
a deixar se desgrudar a palheta. Nesse ponto seus lábios precisão
estar.
Esse seria o ponto “neutro”.
Ao colocar a Boca mais para dentro, em direção ao Tudél
(pescocinho do sax), o som tenderá a ser mais estridente, ardido.
Se você montar a embocadura mais para a ponta da boquilha, você
terá um Som, mais encorpado, pesado.
Usando o diafragma
Uma vez, fui cortar meu cabelo. Cheguei no barbeiro (barbeiro
mesmo), e ele estava sem clientes ... ele estava recostado na
bancada de tesouras e secadores, tocando saxofone divinamente.
Eu nem imaginava que ele tocava sax.
Fiquei besta com o Som. Era totalmente diferente do meu.
Ele disse, que eu precisava caprichar em cada nota. Ouvir o som
emitido, e perceber o que estava acontecendo em cada nota.
Sonoridade no Saxofone
Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br
Sonoridade no Saxofone
www.explicasax.com.br
Então, ele me disse que eu não podia soprar o sax como se estivesse
apagando uma vela. Eu deveria colocar um pouco de pressão,
usando o diafragma e fazendo um pouco de retenção de ar na região
da traquéia.
Eu nunca tinha ouvido nada disso.¨
Mas a informação confere, e passo a diante.
Ao tocar o Sax, pense na “forcinha do banheiro” ... ao fazê-la, você
ativa o diafragma, e ao soprar o sax, procure sentir um pouco do ar
pressionando o seu pescoço (essa região da traqueia). Ao reter só um
pouquinho o ar, esse, entrará com mais pressão dentro do Sax, e isso
produzirá uma diferença no seu som.
A tendência é não sair mais um som de estudante, ao contrario, ao
executar essa simples técnica, você obterá um som um pouquinho
mais encorpado.
Abra o Maxilar.
Ao tocar o sax, experimente abrir um pouquinho o maxilar. Isso
aumentará o espaço interno da sua boca.
Repare, que ao pegar um pequeno fraco vazio (de remédio por
exemplo) e ao soprar, produzirá um som agudo.
Ao pegar uma garrafa de dois litro e soprar, você obterá um som mais
grave, pesado, encorpado.
Isso acontece também com nossa boca. O assovio, é uma prova disso.
Ao movimentarmos a língua, produzimos sons agudos ou graves,
conforme o espaço interno da nossa boca.
Com o Sax, o princípio é o mesmo. Ao aumentar “a câmara” interna
da boca, produzimos um som mais encorpado.
Vibrato, fundamental.
Sonoridade no Saxofone
Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br
Sonoridade no Saxofone
www.explicasax.com.br
Vibrato, ... que Trêm é isso? De uma maneira bem simples: Vibrato é
fazer a “ondinha no som”. É Soprar uma nota, sustentá-la, e no
finalzinho da mesma, produzir uma vibração no som, que pode ser
realizada por meio dos lábios, ou, mais acertadamente, por meio do
diafragma.
Ok? Vamos bem de vagar para você entender.
O professor Ivan Meyer costuma dizer que o vibrato: é a assinatura no
Saxofonista. Isso porque cada saxofonista tem o seu.
O vibrato é o tempero do som, ... por meio dele, conseguimos
identificar inclusive quem é o Saxofonista que estamos ouvindo.
Sendo usado na medida certa traz um diferencial significativo.
Nós tínhamos aqui no fórum (ou temos, pois está sumido), um
experiente saxofonista, extremamente habilidoso com o Sax.
Mas, que carregava demais o vibrato.
O sax dele, na maioria das vezes, parecia com o estilo usado em 1920.
O professor Ivan deu um toque no colega. Mas acho que o colega
não entendeu muito bem, ... e desde então não o vi mais por aqui.
O fato é, se usarmos vibrato na nota toda, ou ainda, toda hora, ... fica
feio. Parece o Som produzido por esses doidos que tocam “serrote”.
Não podemos exagerar.
Não se pode tocar vibrando todas as notas.
Veja o Grafico.
Sonoridade no Saxofone
Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br
Sonoridade no Saxofone
www.explicasax.com.br
Vou dar um exemplo real quando não usamos vibrato.
Se tomarmos um saxofonista, com um mês de sax, e, outro experiente,
com mais de 30 anos, e mandarmos os dois tocarem uma música ... ao
ouvi-los, saberemos imediatamente quem é um, e quem é o outro.
Isso devido ao som.
Mas, se ambos tocarem um trecho, usando colcheias, ou semi-
colcheias em estacato, ou articulando, sendo estás notas de curta
duranção, não se tem tempo para executar o vibrato, e logo, fica
difícil, identificar quem é o novato e quem é o saxofonista experiente.
Eu toco Saxofone a mais de 20 anos. E se você ouvir o inicio dessa
gravação aqui embaixo, em que toco articulando as notinhas ... vc
perceberá, que o meu diferencial no Sax, só é notado, do meio da
música para frente, onde passo a usar o vibrato. No Inicio da música,
onde não uso essa técnica, o som é comum, como qualquer outro.
O Thi e o Thô
Dentre algumas maneiras de se iniciar o Som no Sax, temos o “hoo” da
escola Americana, em que soprano o Sax com a pressão do
diafragma, produzindo o som.
A outra maneira, vem da Escola Francesa, ... é uma Salada, ... é o
toque de língua, na palheta para iniciar o som. A salada fica por
conta da sílaba que deve ser pronunciada. Cada um fala uma coisa.
Eu vou adorar nessa explicação o Thi e o Thô.
Nas notas agudas da mão esquerda aplicamos um “thi” nas notas em
todas outras aplicamos um Thô.
O legal é mesclar a Americana com a Francesa.
Sonoridade no Saxofone
Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br
Sonoridade no Saxofone
www.explicasax.com.br
O Tipo de Boquilha
Toda boquilha que se preze, possui um Nome e um número.
O que é isso? O nome, claro, indica o fabricante.
O número indica qual é a abertura da Boquilha.
Quando eu comecei a tocar sax, não tínhamos muitas opções. Ao
chegarmos em uma loja, tínhamos as boquilhas “Rico” (de massa) ou
Selmer. Meu sonho era ter uma Selmer (de massa).
Boquilhas de Metal, eram muito pouco divulgadas. Quase ninguém
dos saxofonistas que eram meus amigos, e minhas referências usavam.
Para escolher sua boquilha, você precisa urgentemente saber que
com você almeja. Erudito ou Pop.
Se for erudito, você deverá partir para boquilhas chamadas fechadas.
São boquilhas de numeração inferiores a 7. (usadas pela escola
Clássica Francesa – trabalhasse com palhetas mais duras, pois as
nuances de som são menores. O Músico busca um som mais
constante, em que o sax soa parecido em todas as regiões das
oitavas)
Se deseja um Som mais Pop, deverá procurar boquilhas com aberturas
superiores ao número 6. (e trabalhar com palhetas mais leves.)
As Boquilhas de Metal.
Eu comecei a tocar com uma Boquilha que não posso te dizer o nome
nem o número, porque a miserável não tinha nenhum dos dois. Fiquei
com Ela mais ou menos um Ano seguindo o conselho de um
saxofonista mais experiente. Então, comecei a busca. Isso porque
Só após tocar um bom tempo com uma boquilha é que você
conseguirá avaliar com mais segurança, a diferença da sua para uma
Sonoridade no Saxofone
Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br
Sonoridade no Saxofone
www.explicasax.com.br
outra, e chance de você conseguir o que deseja é maior.
Depois, me lembro que comprei uma Boquilha “rico” – daquela Cinza.
O som era bem mais aperto que até então eu usava. Antes parecia
que eu tocava dentro de um guarda-roupa. Agora, não.
Passei por outras boquilhas até experimentar a Claude Lackey 7*3. No
começo sofri para dominá-la. Mas depois tivemos um longo
casamento. Até eu chegar a conclusão de que queria algo mais no
meu som. Queria ainda mais peso. E um timbre mais denso. Queria
harmônicos mais definidos.
Percebi que procurando nas boquilhas de massa, não conseguiria
nada melhor.
Então passei a procurar dentre as boquilhas de Metal. Experimentei
muitas. Ottolink, ARB, Anagisawa ... e parei na Dukoff D8. Adorei.
Boquilha que me Oferecia O Som denso e encorpado que sempre
procurei.
A descoberta (Boquilha Ivan Meyer)
Faz 1 Semana que passei a usar a Boquilha do Ivan Meyer, uma Pop 7.
Estou maravilhado. Adapto ferrenho da Dukoff D8, não conseguia
imaginar uma boquilha que a superasse.
E estou feliz que encontrei. Essa Boquilha é maravilhosa.
Ela é linda. Mas o Principal, Fácil de tocar. Leve.
Com graves encorpados e Agudos bem definidos.
Tenho o conforto de uma Boquilha de Massa, mas com a Sonoridade
do Metal.
Vale a pena você conhecer.
Grande Abraço, espero ter ajudado. Professor Lander, landersax@yahoo.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Método básico para clarinete(2)
Método básico para clarinete(2)Método básico para clarinete(2)
Método básico para clarinete(2)Partitura de Banda
 
Método básico para sax alto
Método básico para sax altoMétodo básico para sax alto
Método básico para sax altoPartitura de Banda
 
História da flauta apostila para flauta completa
História da flauta    apostila para flauta completa História da flauta    apostila para flauta completa
História da flauta apostila para flauta completa Abiderlan José Nogueira
 
Apostila de saxofone
Apostila de saxofoneApostila de saxofone
Apostila de saxofoneSaulo Gomes
 
Apostilha de flauta transversal ccb
Apostilha de flauta transversal   ccbApostilha de flauta transversal   ccb
Apostilha de flauta transversal ccbDaniel Siqueira
 
Método básico para trompete
Método básico para trompeteMétodo básico para trompete
Método básico para trompeteSaulo Gomes
 
A embocadura eficiente para o músico trompetista
A embocadura eficiente para o músico trompetistaA embocadura eficiente para o músico trompetista
A embocadura eficiente para o músico trompetistaPartitura de Banda
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2Luis Moura
 

Mais procurados (13)

Método básico para clarinete(2)
Método básico para clarinete(2)Método básico para clarinete(2)
Método básico para clarinete(2)
 
Método básico para sax alto
Método básico para sax altoMétodo básico para sax alto
Método básico para sax alto
 
Conhtfla
ConhtflaConhtfla
Conhtfla
 
Sobre o saxofone
Sobre o saxofoneSobre o saxofone
Sobre o saxofone
 
História da flauta apostila para flauta completa
História da flauta    apostila para flauta completa História da flauta    apostila para flauta completa
História da flauta apostila para flauta completa
 
Apostila de saxofone
Apostila de saxofoneApostila de saxofone
Apostila de saxofone
 
Apostilha de flauta transversal ccb
Apostilha de flauta transversal   ccbApostilha de flauta transversal   ccb
Apostilha de flauta transversal ccb
 
Metodo para-embocadura-de-trompete
Metodo para-embocadura-de-trompeteMetodo para-embocadura-de-trompete
Metodo para-embocadura-de-trompete
 
Método básico para trompete
Método básico para trompeteMétodo básico para trompete
Método básico para trompete
 
A embocadura eficiente para o músico trompetista
A embocadura eficiente para o músico trompetistaA embocadura eficiente para o músico trompetista
A embocadura eficiente para o músico trompetista
 
Ponteio
PonteioPonteio
Ponteio
 
O saxofone
O saxofoneO saxofone
O saxofone
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
 

Destaque

Sax artigo-embocadura-palheta-e-superagudos-no-saxofone
Sax artigo-embocadura-palheta-e-superagudos-no-saxofoneSax artigo-embocadura-palheta-e-superagudos-no-saxofone
Sax artigo-embocadura-palheta-e-superagudos-no-saxofoneRichard Cleyton Chiaveli
 
[Metodo] klose metodo completo para todos os saxofones
[Metodo] klose   metodo completo para todos os saxofones[Metodo] klose   metodo completo para todos os saxofones
[Metodo] klose metodo completo para todos os saxofonesAlex Cárdenas Vences
 
MTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisado
MTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisadoMTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisado
MTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisadocreito cezares
 
Avaliacao do ruido_-setor_marista
Avaliacao do ruido_-setor_maristaAvaliacao do ruido_-setor_marista
Avaliacao do ruido_-setor_maristaDaniel Godoi Faria
 
Instrumentos musicais giovanna, eduardo e marilia
Instrumentos musicais giovanna, eduardo e mariliaInstrumentos musicais giovanna, eduardo e marilia
Instrumentos musicais giovanna, eduardo e marilianacirbertini
 
RELATÓRIO DO CREA/RS - INCÊNDIO DA BOATE KISS
RELATÓRIO DO CREA/RS  - INCÊNDIO DA BOATE KISSRELATÓRIO DO CREA/RS  - INCÊNDIO DA BOATE KISS
RELATÓRIO DO CREA/RS - INCÊNDIO DA BOATE KISSFSBbr2012
 
Modelo laudo pericial de ação renovatória
Modelo laudo pericial de ação renovatóriaModelo laudo pericial de ação renovatória
Modelo laudo pericial de ação renovatóriaCelso Daví Rodrigues
 
Plano de emergência e rota de fuga 2
Plano de emergência e rota de fuga 2Plano de emergência e rota de fuga 2
Plano de emergência e rota de fuga 2Anne E Luiz
 
Laudo pericial insalubridade periculosidade soldador
Laudo pericial insalubridade periculosidade soldadorLaudo pericial insalubridade periculosidade soldador
Laudo pericial insalubridade periculosidade soldadorPaulo H Bueno
 
Notas Saxo y dedos
Notas Saxo y dedosNotas Saxo y dedos
Notas Saxo y dedosmensajeiro
 
Relatório de vistoria técnica
Relatório de vistoria técnicaRelatório de vistoria técnica
Relatório de vistoria técnicaPortal NE10
 
Tecnica vocal - a fisiologia da voz - Claiton Lima
Tecnica vocal - a fisiologia da voz - Claiton LimaTecnica vocal - a fisiologia da voz - Claiton Lima
Tecnica vocal - a fisiologia da voz - Claiton LimaIan S.
 
Plano de-emergencia-6
Plano de-emergencia-6Plano de-emergencia-6
Plano de-emergencia-6Paulo H Bueno
 

Destaque (20)

Digitação completa do saxofone
Digitação completa do saxofoneDigitação completa do saxofone
Digitação completa do saxofone
 
Sax artigo-embocadura-palheta-e-superagudos-no-saxofone
Sax artigo-embocadura-palheta-e-superagudos-no-saxofoneSax artigo-embocadura-palheta-e-superagudos-no-saxofone
Sax artigo-embocadura-palheta-e-superagudos-no-saxofone
 
Flauta doce respiração
Flauta doce   respiraçãoFlauta doce   respiração
Flauta doce respiração
 
[Metodo] klose metodo completo para todos os saxofones
[Metodo] klose   metodo completo para todos os saxofones[Metodo] klose   metodo completo para todos os saxofones
[Metodo] klose metodo completo para todos os saxofones
 
MTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisado
MTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisadoMTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisado
MTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisado
 
Avaliacao do ruido_-setor_marista
Avaliacao do ruido_-setor_maristaAvaliacao do ruido_-setor_marista
Avaliacao do ruido_-setor_marista
 
Instrumentos musicais giovanna, eduardo e marilia
Instrumentos musicais giovanna, eduardo e mariliaInstrumentos musicais giovanna, eduardo e marilia
Instrumentos musicais giovanna, eduardo e marilia
 
Conforto ambiental pp
Conforto ambiental ppConforto ambiental pp
Conforto ambiental pp
 
Apostila de saxofone
Apostila de saxofoneApostila de saxofone
Apostila de saxofone
 
RELATÓRIO DO CREA/RS - INCÊNDIO DA BOATE KISS
RELATÓRIO DO CREA/RS  - INCÊNDIO DA BOATE KISSRELATÓRIO DO CREA/RS  - INCÊNDIO DA BOATE KISS
RELATÓRIO DO CREA/RS - INCÊNDIO DA BOATE KISS
 
Modelo laudo pericial de ação renovatória
Modelo laudo pericial de ação renovatóriaModelo laudo pericial de ação renovatória
Modelo laudo pericial de ação renovatória
 
Plano de emergência e rota de fuga 2
Plano de emergência e rota de fuga 2Plano de emergência e rota de fuga 2
Plano de emergência e rota de fuga 2
 
Laudo pericial insalubridade periculosidade soldador
Laudo pericial insalubridade periculosidade soldadorLaudo pericial insalubridade periculosidade soldador
Laudo pericial insalubridade periculosidade soldador
 
Acustica isolamento
Acustica isolamentoAcustica isolamento
Acustica isolamento
 
Notas Saxo y dedos
Notas Saxo y dedosNotas Saxo y dedos
Notas Saxo y dedos
 
Relatório de vistoria técnica
Relatório de vistoria técnicaRelatório de vistoria técnica
Relatório de vistoria técnica
 
Tecnica vocal - a fisiologia da voz - Claiton Lima
Tecnica vocal - a fisiologia da voz - Claiton LimaTecnica vocal - a fisiologia da voz - Claiton Lima
Tecnica vocal - a fisiologia da voz - Claiton Lima
 
Laudo de técnico de vistoria predial
Laudo de técnico de vistoria predialLaudo de técnico de vistoria predial
Laudo de técnico de vistoria predial
 
98731023 amadeu-russo-metodo-sax
98731023 amadeu-russo-metodo-sax98731023 amadeu-russo-metodo-sax
98731023 amadeu-russo-metodo-sax
 
Plano de-emergencia-6
Plano de-emergencia-6Plano de-emergencia-6
Plano de-emergencia-6
 

Semelhante a Sonoridade _como_melhorar_meu_som.

Saxofone método - amadeu russo
Saxofone   método - amadeu russoSaxofone   método - amadeu russo
Saxofone método - amadeu russoSaulo Gomes
 
Saxofone metodo-amadeu-russo
Saxofone metodo-amadeu-russoSaxofone metodo-amadeu-russo
Saxofone metodo-amadeu-russoClaudio Camara
 
Aprenda-Saxofone-em-180-Dias-UNISAXPRO_3599d72c75824116b4903b5284bf9bcf.pdf
Aprenda-Saxofone-em-180-Dias-UNISAXPRO_3599d72c75824116b4903b5284bf9bcf.pdfAprenda-Saxofone-em-180-Dias-UNISAXPRO_3599d72c75824116b4903b5284bf9bcf.pdf
Aprenda-Saxofone-em-180-Dias-UNISAXPRO_3599d72c75824116b4903b5284bf9bcf.pdfJosé Gonçalves Filho
 
metodo -de-gaita-harmonica
metodo -de-gaita-harmonicametodo -de-gaita-harmonica
metodo -de-gaita-harmonicaSaulo Gomes
 
Apostila contra-baixo
Apostila contra-baixoApostila contra-baixo
Apostila contra-baixoMiranda Fase
 
Curso de violão para iniciantes
Curso de violão para iniciantesCurso de violão para iniciantes
Curso de violão para inicianteselenir duarte dias
 
[Cliqueapostilas.com.br] manual-pratico-de-violao-gaucho
[Cliqueapostilas.com.br] manual-pratico-de-violao-gaucho[Cliqueapostilas.com.br] manual-pratico-de-violao-gaucho
[Cliqueapostilas.com.br] manual-pratico-de-violao-gaucholucit0208
 
Apostila contra-baixo
Apostila contra-baixoApostila contra-baixo
Apostila contra-baixoeltoleon
 
PercepçãO Musical Para Cantores
PercepçãO Musical Para CantoresPercepçãO Musical Para Cantores
PercepçãO Musical Para CantoresHOME
 
Como e quando devemos acentuar _
Como e quando devemos  acentuar _Como e quando devemos  acentuar _
Como e quando devemos acentuar _paulacpfs
 
Método básico para trompete
Método básico para trompeteMétodo básico para trompete
Método básico para trompetePartitura de Banda
 
Aprender como tocar um violão
Aprender como tocar um violãoAprender como tocar um violão
Aprender como tocar um violãoCarlos Eugênio
 

Semelhante a Sonoridade _como_melhorar_meu_som. (20)

Saxofone método - amadeu russo
Saxofone   método - amadeu russoSaxofone   método - amadeu russo
Saxofone método - amadeu russo
 
Saxofone metodo-amadeu-russo
Saxofone metodo-amadeu-russoSaxofone metodo-amadeu-russo
Saxofone metodo-amadeu-russo
 
Método Completo de Saxofone
Método Completo de SaxofoneMétodo Completo de Saxofone
Método Completo de Saxofone
 
Saxofone metodo-amadeu-russo
Saxofone metodo-amadeu-russoSaxofone metodo-amadeu-russo
Saxofone metodo-amadeu-russo
 
Aprenda-Saxofone-em-180-Dias-UNISAXPRO_3599d72c75824116b4903b5284bf9bcf.pdf
Aprenda-Saxofone-em-180-Dias-UNISAXPRO_3599d72c75824116b4903b5284bf9bcf.pdfAprenda-Saxofone-em-180-Dias-UNISAXPRO_3599d72c75824116b4903b5284bf9bcf.pdf
Aprenda-Saxofone-em-180-Dias-UNISAXPRO_3599d72c75824116b4903b5284bf9bcf.pdf
 
Violo1b
Violo1bViolo1b
Violo1b
 
metodo -de-gaita-harmonica
metodo -de-gaita-harmonicametodo -de-gaita-harmonica
metodo -de-gaita-harmonica
 
projeto
projetoprojeto
projeto
 
Apostila contra-baixo
Apostila contra-baixoApostila contra-baixo
Apostila contra-baixo
 
Efeitos no saxofone
Efeitos no saxofoneEfeitos no saxofone
Efeitos no saxofone
 
Tipos de flauta
Tipos de flautaTipos de flauta
Tipos de flauta
 
Curso de violão para iniciantes
Curso de violão para iniciantesCurso de violão para iniciantes
Curso de violão para iniciantes
 
[Cliqueapostilas.com.br] manual-pratico-de-violao-gaucho
[Cliqueapostilas.com.br] manual-pratico-de-violao-gaucho[Cliqueapostilas.com.br] manual-pratico-de-violao-gaucho
[Cliqueapostilas.com.br] manual-pratico-de-violao-gaucho
 
LEVITAS POR EXCELÊNCIA
LEVITAS POR EXCELÊNCIALEVITAS POR EXCELÊNCIA
LEVITAS POR EXCELÊNCIA
 
Apostila contra-baixo
Apostila contra-baixoApostila contra-baixo
Apostila contra-baixo
 
PercepçãO Musical Para Cantores
PercepçãO Musical Para CantoresPercepçãO Musical Para Cantores
PercepçãO Musical Para Cantores
 
Como e quando devemos acentuar _
Como e quando devemos  acentuar _Como e quando devemos  acentuar _
Como e quando devemos acentuar _
 
Método básico para trompete
Método básico para trompeteMétodo básico para trompete
Método básico para trompete
 
Viola iniciante
Viola inicianteViola iniciante
Viola iniciante
 
Aprender como tocar um violão
Aprender como tocar um violãoAprender como tocar um violão
Aprender como tocar um violão
 

Sonoridade _como_melhorar_meu_som.

  • 1. Sonoridade no Saxofone Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br Sonoridade no Saxofone www.explicasax.com.br Sonoridade. Eu gostaria de dar algumas dicas, para tentarmos melhorar o seu Som. Vou utilizar o Sax Alto, mas os princípios aqui ensinados, podem ser aplicados em todos os saxofones. O Som. Você que está iniciando, deve ter percebido algo elementar. Seu som não é parecido com aquele Saxofonista mais experiente que você admira. Ao Soprar seu instrumento, o Som, na verdade não tem nada a ver com o Saxofonista que você admira. Isso porque, para tirar som no instrumento, é relativamente fácil. Basta colocar a boca na boquilha e soprar. Se você não apertar demais o lábio inferior na palheta, o Ar vai passar pela palheta, está vai vibrar e vai produzir um Som. Pronto. Sim pronto, mas para tirarmos o som bonito, precisamos algo mais. Som Bonito? Mas O que é Bonito? Você precisa saber que som quer alcançar. O som do Sax pode ser dentre outras classificações Erudito ou popular. No Erudito É O som do Sax, pelo Som do Sax entendeu? Sim é muito bonito, mas não é o que a maioria está acostumada a ouvir. Acontece, que no Erudito, não se usa “Ornamentos” como Vibratos, som Rasgado, Harmônicos e etc. As notas soam mais ou menos parecidas em todas as regiões do Sax. A embocadura é estática.
  • 2. Sonoridade no Saxofone Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br Sonoridade no Saxofone www.explicasax.com.br Seria mais ou menos isso aqui. http://www.youtube.com/watch?v=tt674qNW9NQ http://www.youtube.com/watch?v=wE7goXetjCo Ivan - erudito http://www.youtube.com/watch?v=DuUPN1jL_e0 O Sax Popular Na linha Popular, cada nota possui uma característica. Existe o uso do vibrato, trabalho da câmara interna da Boca para abrir e encorpar ainda mais o Som, e inúmeros outros efeitos. Seria isso aqui ... http://www.youtube.com/watch?v=8KhpTBzP97U Este Guia, é para buscarmos a sonoridade usada no Sax popular, ok? Posição da Boquilha na Boca. Se você ainda não se fez essa pergunta, creio que em breve ela surgirá. É difícil falar em certo ou errado. Isso depende do tipo de som que você deseja. Dependendo do ponto em que você coloca a Boquilha dentro da sua boca você terá um Som mais voltado para o Som encorpado, pesado, denso, ou um Som mais ardido, estridente.
  • 3. Sonoridade no Saxofone Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br Sonoridade no Saxofone www.explicasax.com.br Se você não tem idéia de onde começar. Observe sua boquilha da Ponta seguindo em direção ao Sax. Veja a Palheta agora. Confira em que ponto a palheta começa a deixar a Boquilha, ou seja, Sua palheta está presa por uma abraçadeira na sua boquilha, veja qual é o ponto em que ela começa a deixar se desgrudar a palheta. Nesse ponto seus lábios precisão estar. Esse seria o ponto “neutro”. Ao colocar a Boca mais para dentro, em direção ao Tudél (pescocinho do sax), o som tenderá a ser mais estridente, ardido. Se você montar a embocadura mais para a ponta da boquilha, você terá um Som, mais encorpado, pesado. Usando o diafragma Uma vez, fui cortar meu cabelo. Cheguei no barbeiro (barbeiro mesmo), e ele estava sem clientes ... ele estava recostado na bancada de tesouras e secadores, tocando saxofone divinamente. Eu nem imaginava que ele tocava sax. Fiquei besta com o Som. Era totalmente diferente do meu. Ele disse, que eu precisava caprichar em cada nota. Ouvir o som emitido, e perceber o que estava acontecendo em cada nota.
  • 4. Sonoridade no Saxofone Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br Sonoridade no Saxofone www.explicasax.com.br Então, ele me disse que eu não podia soprar o sax como se estivesse apagando uma vela. Eu deveria colocar um pouco de pressão, usando o diafragma e fazendo um pouco de retenção de ar na região da traquéia. Eu nunca tinha ouvido nada disso.¨ Mas a informação confere, e passo a diante. Ao tocar o Sax, pense na “forcinha do banheiro” ... ao fazê-la, você ativa o diafragma, e ao soprar o sax, procure sentir um pouco do ar pressionando o seu pescoço (essa região da traqueia). Ao reter só um pouquinho o ar, esse, entrará com mais pressão dentro do Sax, e isso produzirá uma diferença no seu som. A tendência é não sair mais um som de estudante, ao contrario, ao executar essa simples técnica, você obterá um som um pouquinho mais encorpado. Abra o Maxilar. Ao tocar o sax, experimente abrir um pouquinho o maxilar. Isso aumentará o espaço interno da sua boca. Repare, que ao pegar um pequeno fraco vazio (de remédio por exemplo) e ao soprar, produzirá um som agudo. Ao pegar uma garrafa de dois litro e soprar, você obterá um som mais grave, pesado, encorpado. Isso acontece também com nossa boca. O assovio, é uma prova disso. Ao movimentarmos a língua, produzimos sons agudos ou graves, conforme o espaço interno da nossa boca. Com o Sax, o princípio é o mesmo. Ao aumentar “a câmara” interna da boca, produzimos um som mais encorpado. Vibrato, fundamental.
  • 5. Sonoridade no Saxofone Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br Sonoridade no Saxofone www.explicasax.com.br Vibrato, ... que Trêm é isso? De uma maneira bem simples: Vibrato é fazer a “ondinha no som”. É Soprar uma nota, sustentá-la, e no finalzinho da mesma, produzir uma vibração no som, que pode ser realizada por meio dos lábios, ou, mais acertadamente, por meio do diafragma. Ok? Vamos bem de vagar para você entender. O professor Ivan Meyer costuma dizer que o vibrato: é a assinatura no Saxofonista. Isso porque cada saxofonista tem o seu. O vibrato é o tempero do som, ... por meio dele, conseguimos identificar inclusive quem é o Saxofonista que estamos ouvindo. Sendo usado na medida certa traz um diferencial significativo. Nós tínhamos aqui no fórum (ou temos, pois está sumido), um experiente saxofonista, extremamente habilidoso com o Sax. Mas, que carregava demais o vibrato. O sax dele, na maioria das vezes, parecia com o estilo usado em 1920. O professor Ivan deu um toque no colega. Mas acho que o colega não entendeu muito bem, ... e desde então não o vi mais por aqui. O fato é, se usarmos vibrato na nota toda, ou ainda, toda hora, ... fica feio. Parece o Som produzido por esses doidos que tocam “serrote”. Não podemos exagerar. Não se pode tocar vibrando todas as notas. Veja o Grafico.
  • 6. Sonoridade no Saxofone Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br Sonoridade no Saxofone www.explicasax.com.br Vou dar um exemplo real quando não usamos vibrato. Se tomarmos um saxofonista, com um mês de sax, e, outro experiente, com mais de 30 anos, e mandarmos os dois tocarem uma música ... ao ouvi-los, saberemos imediatamente quem é um, e quem é o outro. Isso devido ao som. Mas, se ambos tocarem um trecho, usando colcheias, ou semi- colcheias em estacato, ou articulando, sendo estás notas de curta duranção, não se tem tempo para executar o vibrato, e logo, fica difícil, identificar quem é o novato e quem é o saxofonista experiente. Eu toco Saxofone a mais de 20 anos. E se você ouvir o inicio dessa gravação aqui embaixo, em que toco articulando as notinhas ... vc perceberá, que o meu diferencial no Sax, só é notado, do meio da música para frente, onde passo a usar o vibrato. No Inicio da música, onde não uso essa técnica, o som é comum, como qualquer outro. O Thi e o Thô Dentre algumas maneiras de se iniciar o Som no Sax, temos o “hoo” da escola Americana, em que soprano o Sax com a pressão do diafragma, produzindo o som. A outra maneira, vem da Escola Francesa, ... é uma Salada, ... é o toque de língua, na palheta para iniciar o som. A salada fica por conta da sílaba que deve ser pronunciada. Cada um fala uma coisa. Eu vou adorar nessa explicação o Thi e o Thô. Nas notas agudas da mão esquerda aplicamos um “thi” nas notas em todas outras aplicamos um Thô. O legal é mesclar a Americana com a Francesa.
  • 7. Sonoridade no Saxofone Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br Sonoridade no Saxofone www.explicasax.com.br O Tipo de Boquilha Toda boquilha que se preze, possui um Nome e um número. O que é isso? O nome, claro, indica o fabricante. O número indica qual é a abertura da Boquilha. Quando eu comecei a tocar sax, não tínhamos muitas opções. Ao chegarmos em uma loja, tínhamos as boquilhas “Rico” (de massa) ou Selmer. Meu sonho era ter uma Selmer (de massa). Boquilhas de Metal, eram muito pouco divulgadas. Quase ninguém dos saxofonistas que eram meus amigos, e minhas referências usavam. Para escolher sua boquilha, você precisa urgentemente saber que com você almeja. Erudito ou Pop. Se for erudito, você deverá partir para boquilhas chamadas fechadas. São boquilhas de numeração inferiores a 7. (usadas pela escola Clássica Francesa – trabalhasse com palhetas mais duras, pois as nuances de som são menores. O Músico busca um som mais constante, em que o sax soa parecido em todas as regiões das oitavas) Se deseja um Som mais Pop, deverá procurar boquilhas com aberturas superiores ao número 6. (e trabalhar com palhetas mais leves.) As Boquilhas de Metal. Eu comecei a tocar com uma Boquilha que não posso te dizer o nome nem o número, porque a miserável não tinha nenhum dos dois. Fiquei com Ela mais ou menos um Ano seguindo o conselho de um saxofonista mais experiente. Então, comecei a busca. Isso porque Só após tocar um bom tempo com uma boquilha é que você conseguirá avaliar com mais segurança, a diferença da sua para uma
  • 8. Sonoridade no Saxofone Lander saxofonista membro do www.explicasax.com.br Sonoridade no Saxofone www.explicasax.com.br outra, e chance de você conseguir o que deseja é maior. Depois, me lembro que comprei uma Boquilha “rico” – daquela Cinza. O som era bem mais aperto que até então eu usava. Antes parecia que eu tocava dentro de um guarda-roupa. Agora, não. Passei por outras boquilhas até experimentar a Claude Lackey 7*3. No começo sofri para dominá-la. Mas depois tivemos um longo casamento. Até eu chegar a conclusão de que queria algo mais no meu som. Queria ainda mais peso. E um timbre mais denso. Queria harmônicos mais definidos. Percebi que procurando nas boquilhas de massa, não conseguiria nada melhor. Então passei a procurar dentre as boquilhas de Metal. Experimentei muitas. Ottolink, ARB, Anagisawa ... e parei na Dukoff D8. Adorei. Boquilha que me Oferecia O Som denso e encorpado que sempre procurei. A descoberta (Boquilha Ivan Meyer) Faz 1 Semana que passei a usar a Boquilha do Ivan Meyer, uma Pop 7. Estou maravilhado. Adapto ferrenho da Dukoff D8, não conseguia imaginar uma boquilha que a superasse. E estou feliz que encontrei. Essa Boquilha é maravilhosa. Ela é linda. Mas o Principal, Fácil de tocar. Leve. Com graves encorpados e Agudos bem definidos. Tenho o conforto de uma Boquilha de Massa, mas com a Sonoridade do Metal. Vale a pena você conhecer. Grande Abraço, espero ter ajudado. Professor Lander, landersax@yahoo.com.br