12.3.12. #2 flm

178 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
178
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

12.3.12. #2 flm

  1. 1. A investigação e as redes de conhecimento na European Network for Housing Research Teresa Sá Marques, Fátima Matos , Joana Pinheiro – Departmento de Geografia, CEGOT, Faculdade de Letras, Universidade do Porto
  2. 2. A investigação e as redes de conhecimento na European Network for Housing Research Objetivos Metodologia Análise dos resultados Conclusão e rumo a seguir nas próximas abordagens
  3. 3. Objetivos Analisar as grandes linhas de investigação que dominam na Europa em matéria de habitação. Como fonte de informação foi selecionada uma das principais redes de investigação europeia na área da habitação - European Network for Housing Research (ENHR), que celebra este ano 25 anos de existência; Esta rede tem contribuído muito na disseminação do conhecimento sobre a habitação não só na Europa mas também mundialmente, como veremos mais à frente.
  4. 4. Objetivos Que posição os diferentes países têm no sistema de investigação a nível internacional? E em termos institucionais, que instituições são centralizadoras da investigação na área da habitação? Que temas dominam na investigação europeia? Há alguma diferenciação temática entre a investigação europeia, asiática, norte- americana, africana, entre outras?
  5. 5. Objetivos Em termos de redes de conhecimento em matéria de investigação no domínio da habitação nas Conferências da European Network for Housing Research analisamos: 1 - As centralidades e as proximidades geográficas, através da identificação dos países; 2 - As centralidades e as proximidades organizacionais, através da identificação das instituições centrais e periféricas; 3 - As centralidades e as proximidades cognitivas, através da identificação dos autores integrados nos sub-temas dos Congressos ENHR, avaliando os autores fortemente especializados e os autores que ligam diferentes temáticas de investigação.
  6. 6. Metodologia Para responder às questões da investigação compilamos numa base de dados todas as comunicações das Conferências da ENHR, para todos os anos 2007, 2009, 2011 e 2012, ). A base inclui 1212 comunicações, com 1417 autores/investigadores, inseridos em 718 instituições localizadas em 64 países. A análise das redes sociais e conhecimento passa pela caracterização dos atores e das suas ligações. Atualmente existe um grande número de softwares de apoio, UNICET, NodeXL, Pajek, NetMiner, Siena. Esta investigação utilizou o NodeXL.
  7. 7. Metodologia Em termos de análise de redes, tendo em conta os objetivos desta investigação, esta proposta metodológica vai privilegiar alguns eixos analíticos: Como se relacionam os autores com os 21 working groups temáticos Como se relacionamas instituições com os 21 working groups temáticos Como se relacionam as instituições com os autores
  8. 8. Análise dos resultados Em termos de caracterização geral podemos salientar que os working groups temáticos mais fortes, ou seja, onde foram apresentados maior número de comunicações, são: Housing Economics (154 comunicações); Social Housing-Institutions, Organisations and Governance (144 comunicações); Housing and Urban Sustainability (com 124 comunicações). Estes três working groups correspondem a 35% do total de comunicações
  9. 9. % de comunicações apresentadas nas conferencias da ENHR por continente Relativamente à representatividade de cada continente na produção divulgada na ENHR a Europa é naturalmente predominante (81% das comunicações apresentadas). Podemos salientar que a Holanda é o país mais representativo com 237 comunicações, seguida pelo Reino Unido (194), Turquia (75) a Austrália e Suécia (71). A Ásia ocupa o segundo lugar com 7%.
  10. 10. Produção de conhecimento em habitação por working groups temáticos relativamente ao continente de origem (dos investigadores/instituições) Temáticas mais representativas Temáticas mais periféricas
  11. 11. Relacionamento dos 21 working groups temáticos com os autores/investigadores Working group with most centrality authors grey circles working groups peripheral in this knowledge network
  12. 12. • Relacionamentos dos Grupos Temáticos com as Instituições Institutions in grey
  13. 13. Relacionamentos entre Instituições e working groups Temáticos Refletindo agora o degree ou a centralidade das instituições a partir do grafo apresentado podemos identificar no centro do grafo um número bastante razoável de instituições. A maioria das instituições são europeias, podendo-se destacar também algumas asiáticas. Há um número bastante significativo de instituições que têm um posicionamento periférico na rede pois produziram só para um grupo temático
  14. 14. Indicadores relativos ao Edge Weight (comunicações apresentadas) cruzando os working groups temáticos e as Instituições The OTB Research Institute participa ativamente em vários working groups, especialmente em “Social Housing: Institutions, Organizations and Governance”, “Housing Economics”, “Poverty Neighbourhoods”, “Housing Regeneration and Maintenance”, “Residential Environments and People” and “Legal Aspects of Housing, Land and Planning”. The Istanbul Technical University (Turkey) produz ativamente para o “Housing and Urban Sustainability” and “Residential Environments and People”. Vertex : Working groups Vertex: institutions Edge Weight Social Housing: Institutions, Organizations and Governance OTB Research Institute | Delft University of Technology | The Netherlands 31 Social Housing: Institutions, Organizations and Governance Delft University of Technology | The Netherlands 27 Housing Economics OTB Research Institute | Delft University of Technology | The Netherlands 25 Housing and UrbanSustainability Delft University of Technology | The Netherlands 24 Poverty Neighbourhoods OTB Research Institute | Delft University of Technology | The Netherlands 21 Housing Regenerationand Maintenance OTB Research Institute | Delft University of Technology | The Netherlands 19 Housing Regenerationand Maintenance Delft University of Technology | The Netherlands 17 Tools to facilitate housingand urban processes Delft University of Technology | The Netherlands 15 Residential Environments and People OTB Research Institute | Delft University of Technology | The Netherlands 14 Housing and UrbanSustainability Istanbul Technical University | Turkey 13 Legal Aspects of Housing, Land and Planning OTB Research Institute | Delft University of Technology | The Netherlands 12 Residential Environments and People Istanbul Technical University | Turkey 12 Housing Economics University of Glasgow | United Kingdom 11 Migration, Residential Mobility and Housing Policy University of St Andrews, United Kingdom 10 Poverty Neighbourhoods University of Glasgow | United Kingdom 10
  15. 15. Relacionamento entre as Instituições com os Autores
  16. 16. Authors No. of papers Authors No. of papers Authors No. of papers Ade Kearns 11 Andre Mulder 4 Jie Chen 4 Reinout Kleinhans 10 Angela Spinney 4 Jos Smeets 4 Christine Whitehead 9 Anke Van Hal 4 Kathleen Scanlon 4 Marja Elsinga 9 Berit Nordahl 4 Kees Dol 4 Sasha Tsenkova 9 Caroline Newton 4 Kristof Heylen 4 Gerard van Bortel 8 Clarine van Oel 4 Lena Magnusson Turner 4 David Mullins 7 Darinka Czischke 4 Margrit Hugentobler 4 Joris Hoekstra 7 David Manley 4 Morten Skak 4 Marietta Haffner 7 Eva Bosch 4 Nadia Charalambous 4 Mark Stephens 7 George de Kam 4 Nessa Winston 4 Nico Nieboer 7 Gulcin Pulat Gokmen 4 Pascal De Decker 4 Sarah Monk 7 Guy Johnson 4 Eli Støa 6 Hal Pawson 4 Glen Bramley 6 Hans Skifter Andersen 4 Gwilym Pryce 6 Heidrun Feigelfeld 4 Henny Coolen 6 Hélène Bélanger 4 Jens Lunde 6 Henryk Adamczuk 4 Sake Zijlstra 6 Hugo Priemus 4 Sandra Marques Pereira 6 Inga Britt Werner 4 Vincent Gruis 6 Iván Tosics 4 Andre Ouwehand 5 Phil Mason 4 André Thomsen 5 Richard Sendi 4 Arne van Overmeeren 5 Roland Goetgeluk 4 Eva Andersson 5 Ronald van Kempen 4 Gemma Burgess 5 Sako Musterd 4 George Galster 5 Susanne Søholt 4 Gideon Bolt 5 Tomislav Šimecek 4 Maarten Van Ham 5 Tony Gilmour 4 Mark Livingston 5 Wenda Doff 4 Michael Oxley 5 Willem K. Korthals Altes 4 Montserrat Pareja- Eastaway 5 Yoko Matsuoka 4 Rebecca L. H. Chiu 5 Jardar Sorvoll 4 Em termos de fluxos, nº de comunicações por autor, num total de 1417 investigadores que estiveram nas Conferências, 1087 (77%) produziram só uma comunicação, portanto as suas ligações na rede são pouco intensas. Devemos no entanto referir, que existem 75 investigadores muito participativos na Conferencia.
  17. 17. Rede de autores
  18. 18. Conclusões 1. A influência geográfica da rede ENHR Embora a EHNR seja uma plataforma de conhecimento a nível europeu, o seu interesse internacional manifesta- se pela importância das comunicações oriundas de países não europeus. Cerca de 20% das comunicações vêm de fora da Europa, e neste contexto a Ásia destaca-se. Em termos temáticos, as instituições europeias produzem para todos os working groups temáticas e com um número muito elevado de comunicações. A América do Sul e a África são claramente periféricas nesta rede de conhecimento, com um pequeno número de comunicações.
  19. 19. Conclusion 2. A produção temática da rede ENHR : Globalmente, os working groups temáticos, Housing Economics, Housing and Urban Sustainability, Social Housing: Institutions, Organisations and Governance, and Residential Environments and Peopletêmmais ligações diretas com os autores, exibindo uma maior centralidade na rede, logo uma posição mais favorável para as interações em matéria de produção de conhecimento na habitação Há temáticas que são claramente periféricas nesta rede de conhecimento, nomeadamente Home Ownership and Globalisation and Land Markets and Housing Policy, sem expressividade em termos do numero de comunicações e do número de autores envolvidos. A fraca massa critica destes working groups (menos de vinte autores) não fornece as condições necessárias ao intercâmbio e à disseminação e absorção de conhecimento.
  20. 20. Conclusão 3. A força das instituições na rede ENHR: Em termos instituicionais, o OTB Research Institute, Delft University of Technology (Holanda) e a Delft University of Technology (Holanda) evidenciam uma centralidade claramente destacada na rede de conhecimento da ENHR, pois disseminaram a sua produção científica em 16 working groups. Mas há outras instituições com uma forte centralidade nesta rede de conhecimento, nomeadamente Istanbul Technical University (Turkey), Institute for Housing and Urban Research - Uppsala University(Sweden),Danish Building Research Institute - Aalborg University (Denmark), Institute of Sociology - Academy of Sciences of the Czech Republic (Czech Republic), University of Cambridge (United Kingdom), University of Glasgow (United Kingdom), University of Barcelona (Spain), University of New South Wales (Australia), London School of Economics (United Kingdom), Heriot-Watt University (United Kingdom), University of Amsterdam (The Netherlands).
  21. 21. Conclusão 4. Os autores/investigadores na rede ENHR: O perfil dos autores é muito diversificado. Alguns autores optam por produzir muito só para um working group temático, mas há outros investigadores que exibem um perfil diversificado. Cerca de 16 investigadores apresentaram comunicações em 4 ou 5 working groups temáticos. Este perfil de investigadores pode ter um papel importante na interação de conhecimentos entre os diferentes working groups.
  22. 22. Rumo a seguir nas próximas abordagens Em termos de futuras investigações estamos a dar seguimento a esta apresentação. Neste momento, estamos a desenvolver as redes de co-autoriaa partir das co-autorias das comunicações apresentadas às Conferencias da ENHR. Num total 1212 comunicações, temos 548 em co-autoria, institucionais, sustentadas nas comunicações produzidas em parceria inter- institucional. É crucial também perceber o posicionamento que a heterogeneidade de atores (centros de investigação, universidades, empresas, bancos, etc.) têm na produção de conhecimento. Simultaneamente estamos a focar a nossa investigação nos working groups temáticos mais fortes e nas instituições mais centrais da rede de conhecimento da ENHR, Interessa analisar os autores/investigadores centrais nessas temáticas e o rumo que a investigação está a ter analisando as palavra-chave das diferentes comunicações. De forma a aprofundarmos esta análise estamos a elaborar um questionário, a dirigir às principais instituições produtores de conhecimento.
  23. 23. Muito Obrigado

×