SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
ENSAIOS LABORATORIAIS PARA
AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E
MICROESTRUTURA DOS MATERIAIS
LORENZO DALVI BERGAMINI
LUCAS MARIANI BINOTTI
NASA SOARES SANTANA
O QUE É FIBRA?
• As fibras são materiais muito finos e alongados, como filamentos, que podem ser
contínuos ou cortados.
FIBRAS
• Origem vegetal: Fibra de madeira e bambu, sementes, fibras de frutas, fibras de
folhas
• Origem mineral: Amianto, wollastonita
• Origem animal: fibras de cabelo, seda
• Fibras feito pelo homem
Cerca de 70% a 85% do peso bruto do coco é constituído por cascas, que são acumulados em lixões ou as margens da
estrada
COCOS NUCIFERA
• Nome cientifico: cocos nucifera L.
• Família botânica: Arecaceae
• Nomes populares: coco, coco da bahia, coqueiro da bahia
• Categoria: Árvore, Árvore frutífera, Palmeiras
• Origem: Ásia, Oceania ou África
Fonte: Stella Legnaioli
FIBRA DE COCO
Fonte: agriurbana
Fonte: jardim das ideias
IMPORTÂNCIA DA FIBRA DE COCO NA
ENGENHARIA
• Substituir matéria prima não renovável
• Baixo custo
• Fonte Renovável
• Aumento da capacidade de deformação
• Aumenta resistência
• Alta disponibilidade
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO MATERIAL
• As fibras de coco são materiais lignocelulósicos
• Baixa taxa de degradação
• Durabilidade atribuída ao alto teor de lignina
COMPOSIÇÃO QUÍMICA
CARACTERÍSTICA MECÂNICA
Tensão de ruptura
Fonte: Revista Brasileira de Fruticultura
CARACTERÍSTICA MECÂNICA
Módulo de elasticidade
Fonte: Revista Brasileira de Fruticultura
CARACTERÍSTICA MECÂNICA
Deformação na ruptura
Fonte: Revista Brasileira de Fruticultura
CARACTERÍSTICA FÍSICA E MECÂNICAS
Fonte: Maxwell
PROPRIEDADES
• Entre as propriedades estão os níveis ótimos de porosidade, absorção e
resistência aos fertilizantes (ARAGÃO et al., 2005).
PROPRIEDADES TÉRMICAS
curvas termogravimétricas (TG)
Fonte: Revista Brasileira de Fruticultura
PROPRIEDADES TÉRMICAS
curvas termogravimétricas derivadas (DTG)
Fonte: Revista Brasileira de Fruticultura
CARACTERÍSTICA MICROESTRUTURAL
FW
Micrografias obtidas em MEV das
fibras de coco.
Fonte: MOURA, A. S.
CONCLUSÃO
• O aproveitamento da fibra de coco além de reduzir a quantidade de resíduos
sólidos proporciona uma nova opção de rendimento.
• A fibra de coco como matéria prima alternativa na composição de produtos é
viável tecnicamente.
• A matéria prima é abundante em nosso país, fatores estes que alavancam os
estudos e pesquisas nesta área.
• Assim, este material tem boa perspectiva de aplicação no mercado nacional.
REFERÊNCIAS
• Corradini, Elisângela; Rosa, Morsyleide de Freitas; Macedo, Bruno Pereira;
Paladin, Priscila Danielle; Mattoso, Luiz Henrique Capparelli. Composição
química, propriedades mecânicas e térmicas da fibra de frutos de cultivares
de coco verde. Rev. Bras. Frutic. vol.31 no.3 Jaboticabal Sept. 2009.
• Maxwell. Fibras Naturais. Puc-rio. Disponível em: https://www.maxwell.vrac.puc-
rio.br/5271/5271_3.PDF. Acessado em: 19 de outubro de 2020.
• Legnaioli, Stella. Água de coco: benefícios cientificamente
comprovados. Disponível em : https://www.ecycle.com.br/6359-agua-de-
coco.html. Acessado em: 19 de outubro de 2020.
REFERÊNCIAS
• Jardim das ideias. Fibra de coco na jardinagem. Disponível
em: https://www.jardimdasideias.com.br/fibra-de-coco-na-jardinagem/. Acessado
em: 19 de outubro de 2020.
• Agriurbana. Fibra de coco - fibroso. Disponível em:
https://www.agriurbana.com.br/produto/fibra-de-coco-farinha-lavada-5l/.
Acessado em: 19 de outubro de 2020.
• MOURA, A. S.. Estudo Comparativo das Propriedades Mecânicas e Térmicas
entre os Compósitos de PHB (polihidroxibutirato) Reforçados com Casca de
Arroz ou Fibra de Coco Dissertação de Mestrado em Integridade de Materiais,
Publicação 011A/2014, Faculdade UnB Gama/FT/Universidade de Brasília, DF, nº.p
90.
REFERÊNCIAS
• Kratz, Dagma; Wendling, Ivar; Nogueira, Antonio Carlos; Souza, Paulo Vitor
de. Propriedades físicas e químicas de substratos renováveis. Rev.
Árvore vol.37 no.6 Viçosa Nov./Dec. 2013.
• Carrijo, Osmar Alves; Liz, Ronaldo Setti; Makishima, Nozomu. Fibra da casca do
coco verde como substrato agrícola. Hortic. Bras. vol.20 no.4 Brasília Dec. 2002.
• Junior, Holmer Savastano ; Pimentel, Lia Lorena. Viabilidade do aproveitamento
de resíduos de fibras vegetais para fins de obtenção de material de
construção. Rev. bras. eng. agríc. ambient. vol.4 no.1 Campina
Grande Jan./Apr. 2000
REFERÊNCIAS
• Santos, Alexandre M.; ydenstricker, Thais H. D; Amico, Sandro C. ESTUDO DE
COMPÓSITOS HÍBRIDOS POLIPROPILENO / FIBRAS DE VIDRO E COCO PARA
APLICAÇÕES EM ENGENHARIA. Disponível em :
https://www.ipen.br/biblioteca/cd/cbpol/2007/PDF/172.pdf. Acessado em: 19 de
outubro de 2020.
• Martins, Adriana Pacheco ; Silva, Pedro Luiz Rodrigues; Watanabe, Toshiko ;
Borelli, Camilla; Marcicano, João Paulo Pereira; Sanches, Regina Aparecida . O
Problema do Pós-consumo do Coco no Brasil: Alternativas e
Sustentabilidade. Disponível em
: http://periodicos.unb.br/index.php/sust/article/download/15840/14139. Acessad
o em: 19 de outubro de 2020.
REFERÊNCIAS
• Silva, Everton ; Marques, Maria Lidiane; Junior, Celso
Fornari; Velasco., Fermin Análise técnica para o reaproveitamento da fibra de
coco na construção civil. Disponível em:
https://periodicos.unb.br/index.php/sust/article/download/15840/14139. Acessad
o em: 19 de outubro de 2020.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a FIBRA DE COCO

DIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO
DIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃODIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO
DIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃOAna Aguiar
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
APROVEITAMENTO DE RESÍDUOS DA MADEIRA DE CANDEIA (Eremanthus erythrop...
APROVEITAMENTO  DE  RESÍDUOS  DA  MADEIRA  DE  CANDEIA  (Eremanthus  erythrop...APROVEITAMENTO  DE  RESÍDUOS  DA  MADEIRA  DE  CANDEIA  (Eremanthus  erythrop...
APROVEITAMENTO DE RESÍDUOS DA MADEIRA DE CANDEIA (Eremanthus erythrop...KleilsonRaimundoChag
 
Propriedades e microestrutura das fnls
Propriedades e microestrutura das fnlsPropriedades e microestrutura das fnls
Propriedades e microestrutura das fnlsGéssica Nicolau
 
Estufa ecologica-feita-de-bambu
Estufa ecologica-feita-de-bambuEstufa ecologica-feita-de-bambu
Estufa ecologica-feita-de-bambuJuci Santos
 
Efeito do espacamento_de_plantio_na_variacao_dos_elementos_anatmicos_da_madei...
Efeito do espacamento_de_plantio_na_variacao_dos_elementos_anatmicos_da_madei...Efeito do espacamento_de_plantio_na_variacao_dos_elementos_anatmicos_da_madei...
Efeito do espacamento_de_plantio_na_variacao_dos_elementos_anatmicos_da_madei...brionlith
 
Sistemas agroflorestais em espaços protegidos
Sistemas agroflorestais em espaços protegidosSistemas agroflorestais em espaços protegidos
Sistemas agroflorestais em espaços protegidosGeraldo Henrique
 
Sistemas agroflorestais em espaços protegidos
Sistemas agroflorestais em espaços protegidosSistemas agroflorestais em espaços protegidos
Sistemas agroflorestais em espaços protegidosGeraldo Henrique
 
Correlação entre teor de umidade e eficiência energética de pinus taeda em di...
Correlação entre teor de umidade e eficiência energética de pinus taeda em di...Correlação entre teor de umidade e eficiência energética de pinus taeda em di...
Correlação entre teor de umidade e eficiência energética de pinus taeda em di...zetec10
 
Mudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquia
Mudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquiaMudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquia
Mudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquiaLaerte Pedro
 
Barbara Usp Fibras Biodegradaveis
Barbara Usp Fibras BiodegradaveisBarbara Usp Fibras Biodegradaveis
Barbara Usp Fibras Biodegradaveis PEDRO PACHECO
 

Semelhante a FIBRA DE COCO (18)

DIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO
DIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃODIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO
DIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO
 
Meio ambiente e celulose
Meio ambiente e celuloseMeio ambiente e celulose
Meio ambiente e celulose
 
P44-45_CH341_Pelo Brasil
P44-45_CH341_Pelo BrasilP44-45_CH341_Pelo Brasil
P44-45_CH341_Pelo Brasil
 
Ensaios no caroá
Ensaios no caroáEnsaios no caroá
Ensaios no caroá
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
APROVEITAMENTO DE RESÍDUOS DA MADEIRA DE CANDEIA (Eremanthus erythrop...
APROVEITAMENTO  DE  RESÍDUOS  DA  MADEIRA  DE  CANDEIA  (Eremanthus  erythrop...APROVEITAMENTO  DE  RESÍDUOS  DA  MADEIRA  DE  CANDEIA  (Eremanthus  erythrop...
APROVEITAMENTO DE RESÍDUOS DA MADEIRA DE CANDEIA (Eremanthus erythrop...
 
Propriedades e microestrutura das fnls
Propriedades e microestrutura das fnlsPropriedades e microestrutura das fnls
Propriedades e microestrutura das fnls
 
Estufa ecologica-feita-de-bambu
Estufa ecologica-feita-de-bambuEstufa ecologica-feita-de-bambu
Estufa ecologica-feita-de-bambu
 
Estufa ecologica-feita-de-bambu
Estufa ecologica-feita-de-bambuEstufa ecologica-feita-de-bambu
Estufa ecologica-feita-de-bambu
 
Efeito do espacamento_de_plantio_na_variacao_dos_elementos_anatmicos_da_madei...
Efeito do espacamento_de_plantio_na_variacao_dos_elementos_anatmicos_da_madei...Efeito do espacamento_de_plantio_na_variacao_dos_elementos_anatmicos_da_madei...
Efeito do espacamento_de_plantio_na_variacao_dos_elementos_anatmicos_da_madei...
 
Fibras Naturais
Fibras NaturaisFibras Naturais
Fibras Naturais
 
Sistemas agroflorestais em espaços protegidos
Sistemas agroflorestais em espaços protegidosSistemas agroflorestais em espaços protegidos
Sistemas agroflorestais em espaços protegidos
 
Sistemas agroflorestais em espaços protegidos
Sistemas agroflorestais em espaços protegidosSistemas agroflorestais em espaços protegidos
Sistemas agroflorestais em espaços protegidos
 
JulianaJarussi-POSTER SIICUSP[EF]
JulianaJarussi-POSTER SIICUSP[EF]JulianaJarussi-POSTER SIICUSP[EF]
JulianaJarussi-POSTER SIICUSP[EF]
 
Correlação entre teor de umidade e eficiência energética de pinus taeda em di...
Correlação entre teor de umidade e eficiência energética de pinus taeda em di...Correlação entre teor de umidade e eficiência energética de pinus taeda em di...
Correlação entre teor de umidade e eficiência energética de pinus taeda em di...
 
Mudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquia
Mudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquiaMudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquia
Mudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquia
 
Barbara Usp Fibras Biodegradaveis
Barbara Usp Fibras BiodegradaveisBarbara Usp Fibras Biodegradaveis
Barbara Usp Fibras Biodegradaveis
 
capitulo_casca.pdf
capitulo_casca.pdfcapitulo_casca.pdf
capitulo_casca.pdf
 

Mais de Nasa Soares Santana

Mais de Nasa Soares Santana (6)

Tecnologia das redes inteligentes
Tecnologia das redes inteligentesTecnologia das redes inteligentes
Tecnologia das redes inteligentes
 
Curiosidade das Aves
Curiosidade das AvesCuriosidade das Aves
Curiosidade das Aves
 
Tratamento de esgoto (tratamentos de aguas reiduos)
Tratamento de esgoto (tratamentos de aguas reiduos)Tratamento de esgoto (tratamentos de aguas reiduos)
Tratamento de esgoto (tratamentos de aguas reiduos)
 
bim
bim bim
bim
 
Matemática contagem.
Matemática contagem.Matemática contagem.
Matemática contagem.
 
Fascismo
FascismoFascismo
Fascismo
 

Último

Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdfPlanejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdfssusercc9a5f
 
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdfNormas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdfAlexsandroRocha22
 
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADECONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADEssusercc9a5f
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxmarketing18485
 
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxavaseg
 
pgr programa de gerenciamento de risco posto de gasolina
pgr programa de gerenciamento de risco posto  de gasolinapgr programa de gerenciamento de risco posto  de gasolina
pgr programa de gerenciamento de risco posto de gasolinamikhaelbaptista
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdftatebib346
 
apostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheiroapostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheirossuserd390f8
 

Último (8)

Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdfPlanejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
 
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdfNormas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
 
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADECONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
 
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
 
pgr programa de gerenciamento de risco posto de gasolina
pgr programa de gerenciamento de risco posto  de gasolinapgr programa de gerenciamento de risco posto  de gasolina
pgr programa de gerenciamento de risco posto de gasolina
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 
apostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheiroapostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheiro
 

FIBRA DE COCO

  • 1. ENSAIOS LABORATORIAIS PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E MICROESTRUTURA DOS MATERIAIS LORENZO DALVI BERGAMINI LUCAS MARIANI BINOTTI NASA SOARES SANTANA
  • 2. O QUE É FIBRA? • As fibras são materiais muito finos e alongados, como filamentos, que podem ser contínuos ou cortados.
  • 3. FIBRAS • Origem vegetal: Fibra de madeira e bambu, sementes, fibras de frutas, fibras de folhas • Origem mineral: Amianto, wollastonita • Origem animal: fibras de cabelo, seda • Fibras feito pelo homem
  • 4. Cerca de 70% a 85% do peso bruto do coco é constituído por cascas, que são acumulados em lixões ou as margens da estrada
  • 5. COCOS NUCIFERA • Nome cientifico: cocos nucifera L. • Família botânica: Arecaceae • Nomes populares: coco, coco da bahia, coqueiro da bahia • Categoria: Árvore, Árvore frutífera, Palmeiras • Origem: Ásia, Oceania ou África Fonte: Stella Legnaioli
  • 6. FIBRA DE COCO Fonte: agriurbana Fonte: jardim das ideias
  • 7. IMPORTÂNCIA DA FIBRA DE COCO NA ENGENHARIA • Substituir matéria prima não renovável • Baixo custo • Fonte Renovável • Aumento da capacidade de deformação • Aumenta resistência • Alta disponibilidade
  • 8. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO MATERIAL • As fibras de coco são materiais lignocelulósicos • Baixa taxa de degradação • Durabilidade atribuída ao alto teor de lignina
  • 10. CARACTERÍSTICA MECÂNICA Tensão de ruptura Fonte: Revista Brasileira de Fruticultura
  • 11. CARACTERÍSTICA MECÂNICA Módulo de elasticidade Fonte: Revista Brasileira de Fruticultura
  • 12. CARACTERÍSTICA MECÂNICA Deformação na ruptura Fonte: Revista Brasileira de Fruticultura
  • 15. PROPRIEDADES • Entre as propriedades estão os níveis ótimos de porosidade, absorção e resistência aos fertilizantes (ARAGÃO et al., 2005).
  • 16. PROPRIEDADES TÉRMICAS curvas termogravimétricas (TG) Fonte: Revista Brasileira de Fruticultura
  • 17. PROPRIEDADES TÉRMICAS curvas termogravimétricas derivadas (DTG) Fonte: Revista Brasileira de Fruticultura
  • 18. CARACTERÍSTICA MICROESTRUTURAL FW Micrografias obtidas em MEV das fibras de coco. Fonte: MOURA, A. S.
  • 19. CONCLUSÃO • O aproveitamento da fibra de coco além de reduzir a quantidade de resíduos sólidos proporciona uma nova opção de rendimento. • A fibra de coco como matéria prima alternativa na composição de produtos é viável tecnicamente. • A matéria prima é abundante em nosso país, fatores estes que alavancam os estudos e pesquisas nesta área. • Assim, este material tem boa perspectiva de aplicação no mercado nacional.
  • 20. REFERÊNCIAS • Corradini, Elisângela; Rosa, Morsyleide de Freitas; Macedo, Bruno Pereira; Paladin, Priscila Danielle; Mattoso, Luiz Henrique Capparelli. Composição química, propriedades mecânicas e térmicas da fibra de frutos de cultivares de coco verde. Rev. Bras. Frutic. vol.31 no.3 Jaboticabal Sept. 2009. • Maxwell. Fibras Naturais. Puc-rio. Disponível em: https://www.maxwell.vrac.puc- rio.br/5271/5271_3.PDF. Acessado em: 19 de outubro de 2020. • Legnaioli, Stella. Água de coco: benefícios cientificamente comprovados. Disponível em : https://www.ecycle.com.br/6359-agua-de- coco.html. Acessado em: 19 de outubro de 2020.
  • 21. REFERÊNCIAS • Jardim das ideias. Fibra de coco na jardinagem. Disponível em: https://www.jardimdasideias.com.br/fibra-de-coco-na-jardinagem/. Acessado em: 19 de outubro de 2020. • Agriurbana. Fibra de coco - fibroso. Disponível em: https://www.agriurbana.com.br/produto/fibra-de-coco-farinha-lavada-5l/. Acessado em: 19 de outubro de 2020. • MOURA, A. S.. Estudo Comparativo das Propriedades Mecânicas e Térmicas entre os Compósitos de PHB (polihidroxibutirato) Reforçados com Casca de Arroz ou Fibra de Coco Dissertação de Mestrado em Integridade de Materiais, Publicação 011A/2014, Faculdade UnB Gama/FT/Universidade de Brasília, DF, nº.p 90.
  • 22. REFERÊNCIAS • Kratz, Dagma; Wendling, Ivar; Nogueira, Antonio Carlos; Souza, Paulo Vitor de. Propriedades físicas e químicas de substratos renováveis. Rev. Árvore vol.37 no.6 Viçosa Nov./Dec. 2013. • Carrijo, Osmar Alves; Liz, Ronaldo Setti; Makishima, Nozomu. Fibra da casca do coco verde como substrato agrícola. Hortic. Bras. vol.20 no.4 Brasília Dec. 2002. • Junior, Holmer Savastano ; Pimentel, Lia Lorena. Viabilidade do aproveitamento de resíduos de fibras vegetais para fins de obtenção de material de construção. Rev. bras. eng. agríc. ambient. vol.4 no.1 Campina Grande Jan./Apr. 2000
  • 23. REFERÊNCIAS • Santos, Alexandre M.; ydenstricker, Thais H. D; Amico, Sandro C. ESTUDO DE COMPÓSITOS HÍBRIDOS POLIPROPILENO / FIBRAS DE VIDRO E COCO PARA APLICAÇÕES EM ENGENHARIA. Disponível em : https://www.ipen.br/biblioteca/cd/cbpol/2007/PDF/172.pdf. Acessado em: 19 de outubro de 2020. • Martins, Adriana Pacheco ; Silva, Pedro Luiz Rodrigues; Watanabe, Toshiko ; Borelli, Camilla; Marcicano, João Paulo Pereira; Sanches, Regina Aparecida . O Problema do Pós-consumo do Coco no Brasil: Alternativas e Sustentabilidade. Disponível em : http://periodicos.unb.br/index.php/sust/article/download/15840/14139. Acessad o em: 19 de outubro de 2020.
  • 24. REFERÊNCIAS • Silva, Everton ; Marques, Maria Lidiane; Junior, Celso Fornari; Velasco., Fermin Análise técnica para o reaproveitamento da fibra de coco na construção civil. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/sust/article/download/15840/14139. Acessad o em: 19 de outubro de 2020.