A Geração de Energia e oResultado Sócio Ambiental.
Poluição ambientaldos oceanos porplásticos eoutros resíduos              Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
MODERNIZAÇÃONovos sistemas e tecnologias são necessários paraque os objetivos da lei sejam alcançados.Obviamente, o sucess...
INTEGRAÇÃODE AÇÕESA política mais eficiente para a gestão de resíduos é aintegração de ações conectadas entre si: redução ...
Mudança de paradigma:da disposição finalinadequada aotratamento/recuperação.A reciclagem e a incineração diminuemas emissõ...
Tendência das emissõesde GEE resultantes dagestão de resíduosurbanos.53% das emissões de GEE são resultantes da gestão de ...
Legislação deresíduos sólidosno Brasil:LEI 12305/2010:A Política Nacional de Resíduos Sólidos prevê:    Gestão integrada...
Política Nacional eResíduos Sólidos(Lei 12305/2010) (Art. 9º) “Hierarquia na Gestão: na gestão e gerenciamento de resíduos...
HIERARQUIA PARAGERENCIAMENTODOS RSU                   $                 REDUÇÃO          NÃO GERAÇÃO                      ...
Evolução da Geração deResíduos Sólidos eCrescimento Populacionalno último ano                   Projeto: USINA DE ENERGIA ...
O MEIO AMBIENTENÃO ACEITAIMPROVISO!Os conceitos técnicos devem ser baseados em:• Tecnologia adequada e atual para cada flu...
UV & P            A     UV&P com        sede     na            Áustria,     presta   consultoria            ambiental e é ...
USINA DEENERGIARENOVÁVELO tripé necessário para a implementação bem sucedida do projeto                 Projeto: USINA DE ...
Cooperação NecessáriaProjeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
Conceito Integradopara uma Gestão deResíduos Sustentável      Em um sistema de tratamento integrado, diferentes tecnologia...
Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
Central de ValorizaçãoEnergética emSpittelau - Áustria                            Viena foi eleita em 2010 pelo WTERT     ...
Novos Padrões deDesempenho para Gases deCombustão de DiferentesProcessos de Incineração
Pré-Tratamento eIncineração nas Centraisde Valorização Energética                  Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
Comparação do poderCalorífico de DiferentesCombustíveis e Resíduos                   carvão                   Carvão      ...
Resíduos SólidosUrbanos e LamasPerigos Potenciais para a Saúde Humana e para oAmbiente A humanidade não mudou, mas as suas...
Comparação deTecnologias paraIncineração deResíduos    Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
GRELHA1) Sistema de queima em grelha: fluxo de arinferior, através das partículas sólidas colocadas notopo da grelha.     ...
LEITOFLUIDIZADO2) Incineração por leito fluidizado: turbulência intensa de gás mantém asuspensão dos pequenos pedaços de c...
FORNO ROTATIVOCOM PÓS-COMBUSTÃO3)     Forno     Rotativo       com     pós-combustão:      vários    tipos     deresíduos,...
Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
A CONSULTORIA         Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
RECICLAGEMO projeto da Usina prevê o aproveitamento dolixo, promovendo a reciclagem através deCooperativas e Associações d...
Precisamosinvestir mais.                                                   Abrelpe             Projeto: USINA DE ENERGIA R...
CUSTOSA tecnologia apresentadapossui 30 anos de sucesso  na União Européia, e é customizável à realidade         do local....
Representação no Brasil:
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Projeto Usina Energia Renovável

1.350 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.350
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto Usina Energia Renovável

  1. 1. A Geração de Energia e oResultado Sócio Ambiental.
  2. 2. Poluição ambientaldos oceanos porplásticos eoutros resíduos Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  3. 3. MODERNIZAÇÃONovos sistemas e tecnologias são necessários paraque os objetivos da lei sejam alcançados.Obviamente, o sucesso também está vinculado auma política clara de incentivos e estímulos, osgovernos deverão buscar soluções conjuntas eregionalizadas. Os municípios coletaram cerca de 31milhões de toneladas destes resíduos em2010, quantidade que em geral é composta porresíduos abandonados ou indevidamente lançadosem áreas públicas. Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  4. 4. INTEGRAÇÃODE AÇÕESA política mais eficiente para a gestão de resíduos é aintegração de ações conectadas entre si: redução dosresíduos gerados; dos produtos – reutilizar sempreque possível; separar as frações dos resíduos eencaminhá-la para processos de reciclagem; adotarações para recuperação da energia contida nosresíduos quando for viabilizada; e implementar asolução de tratamento e destinação que tragatecnologia disponível com custo que seja acessívelpela população a ser servida. Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  5. 5. Mudança de paradigma:da disposição finalinadequada aotratamento/recuperação.A reciclagem e a incineração diminuemas emissões de gases com efeito estufa Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  6. 6. Tendência das emissõesde GEE resultantes dagestão de resíduosurbanos.53% das emissões de GEE são resultantes da gestão de resíduos não tratados (em 2005 1,4 Bilhões de toneladas de CO2) Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  7. 7. Legislação deresíduos sólidosno Brasil:LEI 12305/2010:A Política Nacional de Resíduos Sólidos prevê:  Gestão integrada e gerenciamento adequado dos resíduos sólidos.  Responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos.  Hierarquia da gestão: Não geração, redução, reutilização, reciclagem, e tratamento de resíduos sólidos.  Aproveitamento Energético. (Art. 3º, VII) Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  8. 8. Política Nacional eResíduos Sólidos(Lei 12305/2010) (Art. 9º) “Hierarquia na Gestão: na gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, deve ser Não Geração + observada a seguinte ordem de Redução prioridade: não- geração, redução, reutilização, r Reuso eciclagem, tratamento dos resíduos sólidos, bem como Reciclagem disposição final Tratamento ambientalmente adequada dos rejeitos.” Disposição Final de Rejeitos Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL -
  9. 9. HIERARQUIA PARAGERENCIAMENTODOS RSU $ REDUÇÃO NÃO GERAÇÃO SOMENTE PARA RECICLAGEM ORGÂNICOS SEPARADOS NA ATERRO COMPOSTAGEM ORIGEM ANAERÓBIA COMPOSTAGEM AERÓBIA INCINERAÇÃO COM GERAÇÃO DE ENERGIA (WTE) ATERRO MODERNO COM CAPTURA E USO DO CH4 ATERRO MODERNO COM CAPTURA E QUEIMA DO CH4 LIXO A CÉU ABERTO (LIXÃO)(EEC, COLUMBIA UNIV. 2008) Earth Engineering Center Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  10. 10. Evolução da Geração deResíduos Sólidos eCrescimento Populacionalno último ano Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  11. 11. O MEIO AMBIENTENÃO ACEITAIMPROVISO!Os conceitos técnicos devem ser baseados em:• Tecnologia adequada e atual para cada fluxo de resíduos• Comprovação da operação técnica bem sucedida em centrais similares em tipo etamanho (ex.: > 80% de capacidade térmica requerida) por um período mínimosuperior a 3 anos.Os riscos financeiros para centrais com tecnologias não comprovadas sãosignificativos e devem ser legalmente bem definidos e economicamente assegurados.Os seguintes cenários devem ser levados em conta:• Custos de atualização imediata em caso de performance insuficiente.• Custos de instalação de um sistema de acordo com o estado da arte em caso defalha continuada.• Custos de um tratamento alternativo dos resíduos durante o mau funcionamento oufuncionamento incompleto do sistema. Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  12. 12. UV & P A UV&P com sede na Áustria, presta consultoria ambiental e é líder na área de gestão de resíduos.Nos últimos 30 anos, desenvolveu alternativaspara a gestão sustentável de resíduos atravésdo tratamento, reciclagem e valorizaçãoenergética, alcançando a redução da poluiçãodo ar, limpeza e recuperação de aterrossanitários. Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  13. 13. USINA DEENERGIARENOVÁVELO tripé necessário para a implementação bem sucedida do projeto Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  14. 14. Cooperação NecessáriaProjeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  15. 15. Conceito Integradopara uma Gestão deResíduos Sustentável Em um sistema de tratamento integrado, diferentes tecnologias são necessárias para resíduos específicos. Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  16. 16. Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  17. 17. Central de ValorizaçãoEnergética emSpittelau - Áustria Viena foi eleita em 2010 pelo WTERT (Waste-to-Energy Research and Technology) a cidade que melhor gerencia seus RSU. (RE-)Start-up: 1989 EXEMPLO A SER COPIADO Local: Viena Tecnologia: Sistema Grelha Capacidade: 85MW Eficiência: até 90% (co-geração) Produção de vapor: 2 x 50t/h (32bar, 2400C) Capacidade de Processamento: até 780 t/d Combustível: Resíduos Urbanos Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  18. 18. Novos Padrões deDesempenho para Gases deCombustão de DiferentesProcessos de Incineração
  19. 19. Pré-Tratamento eIncineração nas Centraisde Valorização Energética Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  20. 20. Comparação do poderCalorífico de DiferentesCombustíveis e Resíduos carvão Carvão mineral Òleo combustível Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  21. 21. Resíduos SólidosUrbanos e LamasPerigos Potenciais para a Saúde Humana e para oAmbiente A humanidade não mudou, mas as suas técnicas tornaram-se muito mais eficazes. • Novos químicos, bioquímicos e tecnologias nucleares proporcionam novas oportunidades, mas também novos riscos. • Exemplo das lamas tratamento de águas residuais urbanas: Riscos ambientais e para a saúde pública devido a várias substâncias orgânicas perigosas (ex. produtos farmacêuticos, produtos químicos domésticos), bem como riscos microbiológicos Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  22. 22. Comparação deTecnologias paraIncineração deResíduos Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  23. 23. GRELHA1) Sistema de queima em grelha: fluxo de arinferior, através das partículas sólidas colocadas notopo da grelha. Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  24. 24. LEITOFLUIDIZADO2) Incineração por leito fluidizado: turbulência intensa de gás mantém asuspensão dos pequenos pedaços de combustível em areia quente e o gás deincineração num estado “fluidizado” e dinâmico de movimento. Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  25. 25. FORNO ROTATIVOCOM PÓS-COMBUSTÃO3) Forno Rotativo com pós-combustão: vários tipos deresíduos, sólidos, líquidos, pastosos são tratados lentamente em forno rotativo. Ogás é subsequentemente queimado com combustível auxiliar na zona adjacentede pós combustão.•> 8500 C/11000 C •Tratamento de resíduos•Multi-estágios no tratamento de gases •Recuperação de energia Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  26. 26. Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  27. 27. Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  28. 28. A CONSULTORIA Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  29. 29. RECICLAGEMO projeto da Usina prevê o aproveitamento dolixo, promovendo a reciclagem através deCooperativas e Associações de Catadores. Art. 7º, XII: Integração dos catadores demateriais reutilizáveis e recicláveis nasações que envolvam a responsabilidade.Art. 8º, IV: o incentivo à criação e aodesenvolvimento de cooperativas ou deoutras formas de associação de catadoresde materiais reutilizáveis e recicláveis. Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  30. 30. Precisamosinvestir mais. Abrelpe Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  31. 31. CUSTOSA tecnologia apresentadapossui 30 anos de sucesso na União Européia, e é customizável à realidade do local. Projeto: USINA DE ENERGIA RENOVÁVEL
  32. 32. Representação no Brasil:

×