SlideShare uma empresa Scribd logo
TRABALHO DE CONCLUSÃO DE
CURSO
A SUSTENTABILIDADE INCORPORADA AO
DIA A DIA DAS CIDADES BRASILEIRAS
RESUMO
ESTE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TENTA EVIDENCIAR O
IMPORTANTE PAPEL DA ADOÇÃO DE PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS POR TODA A
SOCIEDADE. ENQUADRANDO NESSE UNIVERSO AS EMPRESAS, A
COMUNIDADE E OS INDIVÍDUOS TENDO COMO CENÁRIO AS CIDADES
BRASILEIRAS. DE PEQUENO PORTE. SERÁ ABORDADA A QUESTÃO DO
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E COMO ESTE SE RELACIONA A VIVENCIA
DA POPULAÇÃO DOS PEQUENOS CENTROS URBANOS BRASILEIROS.
INTRODUÇÃO
O TEMA SUSTENTABILIDADE TEM APRESENTADO CRESCENTE
INTERESSE ENTRE OS MAIS DIVERSOS ESTUDIOSOS. SUA
IMPORTÂNCIA SE DEVE PRINCIPALMENTE À ATENÇÃO DESPERTADA
FACE ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS CAUSADAS PELA AÇÃO HUMANA
DESCONTROLADA NO MEIO AMBIENTE GERANDO UM ESTADO
CONSTANTE DE EMERGÊNCIA EM TODO PLANETA.
A SUSTENTABILIDADE ENVOLVE ATENDER ÀS NECESSIDADES DO
PRESENTE SEM COMPROMETER A POSSIBILIDADE DE AS FUTURAS
GERAÇÕES TAMBÉM SATISFAZEREM SUAS NECESSIDADES. AÇÕES DE
SUSTENTABILIDADE HÁ TEMPOS VÊEM SENDO INCORPORADAS AS
EMPRESAS MODERNAS, BEM COMO DO DIA A DIA DOS INDIVÍDUOS.
AO CONTRÁRIO DO QUE SE ACREDITOU POR ALGUM TEMPO, A
SUSTENTABILIDADE NÃO É ONEROSA E VIÁVEL APENAS AS GRANDES
EMPRESAS DOS GRANDES CENTROS URBANOS. NA REALIDADE, É
ESSENCIAL QUE ELA ESTEJA INTRÍNSECA NA MISSÃO DA EMPRESA
PARA QUE A MESMA CONSIGA TRILHAR O SEU CAMINHO NO
CONTESTO DA SUSTENTABILIDADE CORPORATIVA. MESMO NAS
PEQUENAS CIDADES, COM SUA ROTINA MAIS PACATA, É POSSÍVEL
ADOTAR PRÁTICAS E AÇÕES MAIS VOLTADAS À SUSTENTABILIDADE..
A SUSTENTABILIDADE É UM TEMA BASTANTE IMPORTANTE QUE JÁ SE
DIFUNDI NA CULTURA ORGANIZACIONAL DE MUITAS EMPRESAS.
CABE A TODOS SE ENQUADRAREM EM UM NOVO MODELO, UM QUE
POSSA GERAR DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL
ENQUANTO SE PREOCUPA COM A CONSERVAÇÃO AMBIENTAL.
É SABIDO QUE A PREOCUPAÇÃO COM SUSTENTABILIDADE É
ESSENCIAL NO MOMENTO ATUAL. ISSO ACONTECE PORQUE
CONSUMIDORES PASSARAM A COBRAR MAIS DAS EMPRESAS ESSA
POSTURA, SOBRETUDO, AS NOVAS GERAÇÕES. ALÉM DISSO,
IMPLEMENTAR AÇÕES SUSTENTÁVEIS PODE TRAZER VANTAGENS
PARA O FATURAMENTO E A EFICIÊNCIA DO NEGÓCIO. E AINDA
MELHORAR A QUALIDADE DE VIDA DA COMUNIDADE LOCAL.
O IDEAL É QUE TAIS PRÁTICA SUSTENTÁVEIS ESTEJAM PRESENTES
NOS GRANDE E NOS PEQUENOS CENTROS URBANOS E AINDA NO
CAMPO. SENDO ASSIM, QUESTIONA- SE: COMO AS CIDADES
BRASILEIRAS VEEM SE ENQUADRANDO ÀS NOVAS PRÁTICAS
ECONÔMICAS, POLÍTICAS E SOCIAIS IMERSAS NO CONTEXTO DA
SUSTENTABILIDADE?
OBJETIVOS
GERAIS
ANALISAR OS FATORES SOCIAIS, POLÍTICOS E
ORGANIZACIONAIS QUE NORTEIAM A IMPLANTAÇÃO DE
MEDIDAS POLÍTICAS, SOCIAIS E ECONÔMICAS ANCORADAS EM
PRÁTICAS MAIS SUSTENTÁVEIS, NAS CIDADES BRASILEIRAS.
ESPECÍFICOS
A) RESSALTAR AS EVIDÊNCIAS QUE LEVAM À IMPORTÂNCIA DAS AÇÕES
SUSTENTABILIDADE NAS PEQUENAS CIDADES BRASILEIRAS;
B) REVISAR A TEORIA SOBRE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, POR
DE UM DEBATE TEÓRICO, TRATANDO DA RELAÇÃO ENTRE ECONOMIA E
AMBIENTE;
C) DISCUTIR A POSSIBILIDADE DE HARMONIA OU NÃO ENTRE MEIO
AMBIENTE E AS POLÍTICAS ECONÔMICAS ATUAIS;
D) MOSTRAR EXEMPLOS DE MEDIDAS TOMADAS PARA PROMOVER O
DESENVOLVIMENTO DE FORMA SUSTENTÁVEL, NO UNIVERSO
PELO PRESENTE ESTUDO.
METODOLOGIA
O procedimento metodológico utilizado nesta pesquisa resume-se em
uma revisão bibliográfica qualitativa exploratória, uma vez que esse
apresenta- se amparado por uma ampla revisão teórica. A
sustentabilidade econômica significa pensar sobre sob vários aspectos
os processos econômicos de maneira mais profunda e responsável.
UM BREVE HISTÓRICO DA SUSTENTABILIDADE
Oficialmente o conceito de desenvolvimento sustentável foi usado
pela primeira vez na Assembléia Geral das Nações Unidas em
1979.
Foi assumido pelos governos e pelos organismos multilaterais a
partir de 1987.
Tempos depois surgiu a questão, válida até os dias de hoje: como produzir
sustentavelmente? Surge quatro estratégias.
 A primeira era a política: cabe ao poder público e não às empresas garantir
a sustentabilidade;
 A segunda era a colonial: para resolver a falta de sustentabilidade nacional
impunha-se buscar os recursos faltantes fora;
 terceira era a liberal: o mercado aberto e o livre comércio vão regular a
demanda e o consumo, resultando então a sustentabilidade;
 A quarta era técnica: para superar a escassez e garantir a sustentabilidade
buscar-se-á a inovação tecnológica ou a substituição dos recursos
escassos.
Portanto, é mister que haja garantia de que as futuras gerações
também tenham acesso a tais recursos, e também é claro se faz
necessário a conservação dos mais variados ecossistemas que se
encontram ameaçados pelas diferentes atividades econômicas.
Espera- se que a sustentabilidade torne- se a nova regra.
Segundo dados do IBGE o Brasil conta com 5.568 municípios, mais
Distrito Federal e Distrito Estadual de Fernando de Noronha,
considerando a situação atualizada da Divisão Político‐Administrativa
Brasileira – DPA vigente em 30/06/2020, de acordo com o último
Censo realizado pelo Instituto. Dentre esses há cidades e territórios de
diversas dimensões territoriais.
AS CIDADES BRASILEIRAS NO CONTEXTO DA SUSTENTABILIDADE
Conhecer os relacionamentos entre as cidades brasileiras com base
na análise dos fluxos de bens, serviços e gestão é um importante
instrumento para se realizar escolhas locacionais, tais como decidir a
localização de uma universidade, de um hospital ou decidir a
localização de uma filial de empresa.
Existem planos de sustentabilidade no Brasil que constituem
orientação e posicionamento global sobre a estratégia de crescimento
do país. É utilizado várias metas para a melhoria da saúde, das
condições de vida e ao mesmo tempo reduzindo o impacto ambiental.
As ações pautadas em aspectos sustentáveis viraram sinônimo de
engajamento social no Brasil e no mundo. Em um futuro próximo,
espera- se que as cidades tidas como desenvolvidas sejam as cidades
sustentáveis, inclusive socialmente. Mais verdes e inclusivas.
Com o quesito sustentabilidade isso ganha peso e importância.
Embora não seja a regra, as grandes cidades com mais empresas,
comércios e serviços abraçam com mais afinco práticas sustentáveis.
Algo previsível, quando se analisa fatores como concorrência,
quantidade de consumidores ou até mesmo o nível de engajamento da
população dos grandes centros urbanos.
Sempre ao se analisar a temática ambiental chega- se a um consenso de que
o meio ambiente é parte integrante da existência de todos os seres vivos.
Existe uma forte dependência em relação a esse meio que supre os indivíduos
das mais primitivas substâncias, desde a água, do dia a dia, ao petróleo e os
mais diversos tipos de minérios os quais a sociedade, nos moldes atuais não
se sustentaria sem.
Esse ambiente que nutre a todos com os mais variados subsídios, também
tem como função absorver os lixos e resíduos. No entanto, esse bioma é finito,
limitado, e se faz necessário o estabelecimento de medidas e programas que
de certo modo preserve a manutenção do mesmo.
Colocando em prática ações mais sustentáveis
Nesse sentido foi aqui apresentado que é imperioso que haja o
estabelecimento de ações no sentido da manutenção dos ecossistemas,
preservação de espécies, conservação e preservação de áreas e iniciativas no
sentido de mitigar impactos ambientais.
A partir da atitude da implantação de programas como o de mudanças de
matrizes energéticas, são estabelecidas as bases para uma mudança dos
padrões produtivos. No entanto, como visto, é fundamental que haja um forte
aparato estrutural e institucional viabilizando tais medidas e projetos de cunho
sustentáveis para que os mesmos sejam economicamente viáveis já que são
fundamentais.
O SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) traz
dicas valiosas sobre como o comerciante/empresário e afins podem contribuir
para um estilo de vida que priorize a Sustentabilidade, segue algumas:
 Desperdício de água: faça a leitura do hidrômetro para checar se há
vazamento de água;
 Eficiência energética: máquinas e motores impactam muito na conta de
energia. Perante isso, planeje a produção para concentrar o uso
colocando-os para funcionar o mínimo possível;
 Gerenciamento de Resíduos Sólidos: comece pela identificação da área
da empresa que mais gera lixo e adote medidas como – promova o maior
aproveitamento de matéria-prima, reduza sobras, padronize produtos e use
embalagens ecológicas;
 Redução de Desperdício de Alimentos: crie receitas que reaproveitem
alimentos, estude a previsão de vendas e adquira direto
de produtores locais, armazene os alimentos corretamente.
Cabe notar, portanto, que a cidade sustentável, da mesma
forma que o desenvolvimento sustentável como um todo,
depende de cada indivíduo. Gozar desse direito, assim
como do direito de viver numa cidade sustentável, passa,
por certo, por ações proativas do poder público, mas
passa igualmente pela proatividade social, em todos os
seus segmentos.
O objetivo deste trabalho foi dissertar sobre o tema sustentabilidade e como
esse novo modo de economia/vida está presente nas empresas e nas cidades
brasileiras. Podendo proporcionar uma vida com qualidade e dignidade para
todos. A sustentabilidade consciente tende a tornar-se o novo normal no modo
de vida mundial. O Brasil se engloba nesse universo. Construir uma sociedade
sustentável não é tarefa fácil e demanda conscientização, uma mudança de
acesso à informação e educação ambiental, sem esquecer o uso mais
eficiente e responsável dos recursos naturais, garantindo o desenvolvimento
com a adoção de novos paradigmas com a preservação da dignidade humana
como valor inegociável.
conclusão
ALMEIDA, F. O bom negócio da sustentabilidade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002.
BAITELO, Ricardo. A caminho da sustentabilidade energética: como desenvolver um mercado de
renováveis no Brasil. Greenpeace Brasil, 2008.
BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. O que é agenda 21. Marcos Referenciais do Desenvolvimento
Sustentável.
BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e
Estatística (IBGE). Pesquisa de Informações Básicas Municipais. Perfil dos Municípios Brasileiros
2008. Rio de Janeiro: IBGE, 2008, p. 244.
HOLTHAUSEN, Carlos. Desenvolvimento Sustentável. Florianópolis: Cuca Fresca, 2002.
SILVA, D. da, C. C., Sc: Sustentabilidade Corporativa. In: Anais VI Simpósio de Excelência em
Gestão e Tecnologia - SEGeT, Resende, RJ, 2009.
VEIGA, J. E. da. Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. 3.ed. Rio de Janeiro:
Garamond, 2008.
REFERENCIA

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Apresentacao2.pptx

A CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVEL
A CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVELA CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVEL
A CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVEL
Maria Araújo
 
CIÊNCIASsssssssssssssssssssssssddsssssssssss
CIÊNCIASsssssssssssssssssssssssddsssssssssssCIÊNCIASsssssssssssssssssssssssddsssssssssss
CIÊNCIASsssssssssssssssssssssssddsssssssssss
Day Bacelar
 
EDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdf
EDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdfEDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdf
EDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdf
Silvia Azevedo
 
responsabilidade social e meio ambiente
responsabilidade social e meio ambienteresponsabilidade social e meio ambiente
responsabilidade social e meio ambiente
renatabofreire
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadores
thaisfantazia
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadores
thaisfantazia
 
Apresentação Multiplicadores
Apresentação MultiplicadoresApresentação Multiplicadores
Apresentação Multiplicadores
guestcd7b95
 

Semelhante a Apresentacao2.pptx (20)

5 mitos sobre sustentabilidade empresarial
5 mitos sobre sustentabilidade empresarial5 mitos sobre sustentabilidade empresarial
5 mitos sobre sustentabilidade empresarial
 
Gestao Ambiental.pdf
Gestao Ambiental.pdfGestao Ambiental.pdf
Gestao Ambiental.pdf
 
Gestao Ambiental e Social na Empresa Coelce
Gestao Ambiental e Social na Empresa CoelceGestao Ambiental e Social na Empresa Coelce
Gestao Ambiental e Social na Empresa Coelce
 
A CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVEL
A CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVELA CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVEL
A CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVEL
 
Meio ambiente sust
Meio ambiente sustMeio ambiente sust
Meio ambiente sust
 
CIÊNCIASsssssssssssssssssssssssddsssssssssss
CIÊNCIASsssssssssssssssssssssssddsssssssssssCIÊNCIASsssssssssssssssssssssssddsssssssssss
CIÊNCIASsssssssssssssssssssssssddsssssssssss
 
Visao brasil 2050
Visao brasil 2050Visao brasil 2050
Visao brasil 2050
 
Sustentabilidade e energias renováveis
Sustentabilidade e energias renováveisSustentabilidade e energias renováveis
Sustentabilidade e energias renováveis
 
EDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdf
EDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdfEDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdf
EDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdf
 
Apresentação 2(1)
Apresentação 2(1)Apresentação 2(1)
Apresentação 2(1)
 
Sustentabilidade no brasil
Sustentabilidade no brasilSustentabilidade no brasil
Sustentabilidade no brasil
 
responsabilidade social e meio ambiente
responsabilidade social e meio ambienteresponsabilidade social e meio ambiente
responsabilidade social e meio ambiente
 
Compra sust fgv
Compra sust fgvCompra sust fgv
Compra sust fgv
 
PLATAFORMA COLABORATIVA: IPÊ - AGÊNCIA PINGOD'AGUA
PLATAFORMA COLABORATIVA: IPÊ - AGÊNCIA PINGOD'AGUAPLATAFORMA COLABORATIVA: IPÊ - AGÊNCIA PINGOD'AGUA
PLATAFORMA COLABORATIVA: IPÊ - AGÊNCIA PINGOD'AGUA
 
Oficina cmds tema 3
Oficina cmds   tema 3Oficina cmds   tema 3
Oficina cmds tema 3
 
Gestão Social Responsável
Gestão Social ResponsávelGestão Social Responsável
Gestão Social Responsável
 
Microeconomia e sustentabilidade
Microeconomia e sustentabilidadeMicroeconomia e sustentabilidade
Microeconomia e sustentabilidade
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadores
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadores
 
Apresentação Multiplicadores
Apresentação MultiplicadoresApresentação Multiplicadores
Apresentação Multiplicadores
 

Apresentacao2.pptx

  • 1. TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO A SUSTENTABILIDADE INCORPORADA AO DIA A DIA DAS CIDADES BRASILEIRAS
  • 2. RESUMO ESTE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TENTA EVIDENCIAR O IMPORTANTE PAPEL DA ADOÇÃO DE PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS POR TODA A SOCIEDADE. ENQUADRANDO NESSE UNIVERSO AS EMPRESAS, A COMUNIDADE E OS INDIVÍDUOS TENDO COMO CENÁRIO AS CIDADES BRASILEIRAS. DE PEQUENO PORTE. SERÁ ABORDADA A QUESTÃO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E COMO ESTE SE RELACIONA A VIVENCIA DA POPULAÇÃO DOS PEQUENOS CENTROS URBANOS BRASILEIROS.
  • 3. INTRODUÇÃO O TEMA SUSTENTABILIDADE TEM APRESENTADO CRESCENTE INTERESSE ENTRE OS MAIS DIVERSOS ESTUDIOSOS. SUA IMPORTÂNCIA SE DEVE PRINCIPALMENTE À ATENÇÃO DESPERTADA FACE ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS CAUSADAS PELA AÇÃO HUMANA DESCONTROLADA NO MEIO AMBIENTE GERANDO UM ESTADO CONSTANTE DE EMERGÊNCIA EM TODO PLANETA.
  • 4. A SUSTENTABILIDADE ENVOLVE ATENDER ÀS NECESSIDADES DO PRESENTE SEM COMPROMETER A POSSIBILIDADE DE AS FUTURAS GERAÇÕES TAMBÉM SATISFAZEREM SUAS NECESSIDADES. AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE HÁ TEMPOS VÊEM SENDO INCORPORADAS AS EMPRESAS MODERNAS, BEM COMO DO DIA A DIA DOS INDIVÍDUOS.
  • 5. AO CONTRÁRIO DO QUE SE ACREDITOU POR ALGUM TEMPO, A SUSTENTABILIDADE NÃO É ONEROSA E VIÁVEL APENAS AS GRANDES EMPRESAS DOS GRANDES CENTROS URBANOS. NA REALIDADE, É ESSENCIAL QUE ELA ESTEJA INTRÍNSECA NA MISSÃO DA EMPRESA PARA QUE A MESMA CONSIGA TRILHAR O SEU CAMINHO NO CONTESTO DA SUSTENTABILIDADE CORPORATIVA. MESMO NAS PEQUENAS CIDADES, COM SUA ROTINA MAIS PACATA, É POSSÍVEL ADOTAR PRÁTICAS E AÇÕES MAIS VOLTADAS À SUSTENTABILIDADE..
  • 6. A SUSTENTABILIDADE É UM TEMA BASTANTE IMPORTANTE QUE JÁ SE DIFUNDI NA CULTURA ORGANIZACIONAL DE MUITAS EMPRESAS. CABE A TODOS SE ENQUADRAREM EM UM NOVO MODELO, UM QUE POSSA GERAR DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL ENQUANTO SE PREOCUPA COM A CONSERVAÇÃO AMBIENTAL.
  • 7. É SABIDO QUE A PREOCUPAÇÃO COM SUSTENTABILIDADE É ESSENCIAL NO MOMENTO ATUAL. ISSO ACONTECE PORQUE CONSUMIDORES PASSARAM A COBRAR MAIS DAS EMPRESAS ESSA POSTURA, SOBRETUDO, AS NOVAS GERAÇÕES. ALÉM DISSO, IMPLEMENTAR AÇÕES SUSTENTÁVEIS PODE TRAZER VANTAGENS PARA O FATURAMENTO E A EFICIÊNCIA DO NEGÓCIO. E AINDA MELHORAR A QUALIDADE DE VIDA DA COMUNIDADE LOCAL.
  • 8. O IDEAL É QUE TAIS PRÁTICA SUSTENTÁVEIS ESTEJAM PRESENTES NOS GRANDE E NOS PEQUENOS CENTROS URBANOS E AINDA NO CAMPO. SENDO ASSIM, QUESTIONA- SE: COMO AS CIDADES BRASILEIRAS VEEM SE ENQUADRANDO ÀS NOVAS PRÁTICAS ECONÔMICAS, POLÍTICAS E SOCIAIS IMERSAS NO CONTEXTO DA SUSTENTABILIDADE?
  • 9. OBJETIVOS GERAIS ANALISAR OS FATORES SOCIAIS, POLÍTICOS E ORGANIZACIONAIS QUE NORTEIAM A IMPLANTAÇÃO DE MEDIDAS POLÍTICAS, SOCIAIS E ECONÔMICAS ANCORADAS EM PRÁTICAS MAIS SUSTENTÁVEIS, NAS CIDADES BRASILEIRAS.
  • 10. ESPECÍFICOS A) RESSALTAR AS EVIDÊNCIAS QUE LEVAM À IMPORTÂNCIA DAS AÇÕES SUSTENTABILIDADE NAS PEQUENAS CIDADES BRASILEIRAS; B) REVISAR A TEORIA SOBRE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, POR DE UM DEBATE TEÓRICO, TRATANDO DA RELAÇÃO ENTRE ECONOMIA E AMBIENTE; C) DISCUTIR A POSSIBILIDADE DE HARMONIA OU NÃO ENTRE MEIO AMBIENTE E AS POLÍTICAS ECONÔMICAS ATUAIS; D) MOSTRAR EXEMPLOS DE MEDIDAS TOMADAS PARA PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DE FORMA SUSTENTÁVEL, NO UNIVERSO PELO PRESENTE ESTUDO.
  • 11. METODOLOGIA O procedimento metodológico utilizado nesta pesquisa resume-se em uma revisão bibliográfica qualitativa exploratória, uma vez que esse apresenta- se amparado por uma ampla revisão teórica. A sustentabilidade econômica significa pensar sobre sob vários aspectos os processos econômicos de maneira mais profunda e responsável.
  • 12. UM BREVE HISTÓRICO DA SUSTENTABILIDADE Oficialmente o conceito de desenvolvimento sustentável foi usado pela primeira vez na Assembléia Geral das Nações Unidas em 1979. Foi assumido pelos governos e pelos organismos multilaterais a partir de 1987.
  • 13. Tempos depois surgiu a questão, válida até os dias de hoje: como produzir sustentavelmente? Surge quatro estratégias.  A primeira era a política: cabe ao poder público e não às empresas garantir a sustentabilidade;  A segunda era a colonial: para resolver a falta de sustentabilidade nacional impunha-se buscar os recursos faltantes fora;  terceira era a liberal: o mercado aberto e o livre comércio vão regular a demanda e o consumo, resultando então a sustentabilidade;  A quarta era técnica: para superar a escassez e garantir a sustentabilidade buscar-se-á a inovação tecnológica ou a substituição dos recursos escassos.
  • 14. Portanto, é mister que haja garantia de que as futuras gerações também tenham acesso a tais recursos, e também é claro se faz necessário a conservação dos mais variados ecossistemas que se encontram ameaçados pelas diferentes atividades econômicas. Espera- se que a sustentabilidade torne- se a nova regra.
  • 15. Segundo dados do IBGE o Brasil conta com 5.568 municípios, mais Distrito Federal e Distrito Estadual de Fernando de Noronha, considerando a situação atualizada da Divisão Político‐Administrativa Brasileira – DPA vigente em 30/06/2020, de acordo com o último Censo realizado pelo Instituto. Dentre esses há cidades e territórios de diversas dimensões territoriais. AS CIDADES BRASILEIRAS NO CONTEXTO DA SUSTENTABILIDADE
  • 16. Conhecer os relacionamentos entre as cidades brasileiras com base na análise dos fluxos de bens, serviços e gestão é um importante instrumento para se realizar escolhas locacionais, tais como decidir a localização de uma universidade, de um hospital ou decidir a localização de uma filial de empresa.
  • 17. Existem planos de sustentabilidade no Brasil que constituem orientação e posicionamento global sobre a estratégia de crescimento do país. É utilizado várias metas para a melhoria da saúde, das condições de vida e ao mesmo tempo reduzindo o impacto ambiental. As ações pautadas em aspectos sustentáveis viraram sinônimo de engajamento social no Brasil e no mundo. Em um futuro próximo, espera- se que as cidades tidas como desenvolvidas sejam as cidades sustentáveis, inclusive socialmente. Mais verdes e inclusivas.
  • 18. Com o quesito sustentabilidade isso ganha peso e importância. Embora não seja a regra, as grandes cidades com mais empresas, comércios e serviços abraçam com mais afinco práticas sustentáveis. Algo previsível, quando se analisa fatores como concorrência, quantidade de consumidores ou até mesmo o nível de engajamento da população dos grandes centros urbanos.
  • 19. Sempre ao se analisar a temática ambiental chega- se a um consenso de que o meio ambiente é parte integrante da existência de todos os seres vivos. Existe uma forte dependência em relação a esse meio que supre os indivíduos das mais primitivas substâncias, desde a água, do dia a dia, ao petróleo e os mais diversos tipos de minérios os quais a sociedade, nos moldes atuais não se sustentaria sem. Esse ambiente que nutre a todos com os mais variados subsídios, também tem como função absorver os lixos e resíduos. No entanto, esse bioma é finito, limitado, e se faz necessário o estabelecimento de medidas e programas que de certo modo preserve a manutenção do mesmo. Colocando em prática ações mais sustentáveis
  • 20. Nesse sentido foi aqui apresentado que é imperioso que haja o estabelecimento de ações no sentido da manutenção dos ecossistemas, preservação de espécies, conservação e preservação de áreas e iniciativas no sentido de mitigar impactos ambientais. A partir da atitude da implantação de programas como o de mudanças de matrizes energéticas, são estabelecidas as bases para uma mudança dos padrões produtivos. No entanto, como visto, é fundamental que haja um forte aparato estrutural e institucional viabilizando tais medidas e projetos de cunho sustentáveis para que os mesmos sejam economicamente viáveis já que são fundamentais.
  • 21. O SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) traz dicas valiosas sobre como o comerciante/empresário e afins podem contribuir para um estilo de vida que priorize a Sustentabilidade, segue algumas:  Desperdício de água: faça a leitura do hidrômetro para checar se há vazamento de água;  Eficiência energética: máquinas e motores impactam muito na conta de energia. Perante isso, planeje a produção para concentrar o uso colocando-os para funcionar o mínimo possível;
  • 22.  Gerenciamento de Resíduos Sólidos: comece pela identificação da área da empresa que mais gera lixo e adote medidas como – promova o maior aproveitamento de matéria-prima, reduza sobras, padronize produtos e use embalagens ecológicas;  Redução de Desperdício de Alimentos: crie receitas que reaproveitem alimentos, estude a previsão de vendas e adquira direto de produtores locais, armazene os alimentos corretamente.
  • 23. Cabe notar, portanto, que a cidade sustentável, da mesma forma que o desenvolvimento sustentável como um todo, depende de cada indivíduo. Gozar desse direito, assim como do direito de viver numa cidade sustentável, passa, por certo, por ações proativas do poder público, mas passa igualmente pela proatividade social, em todos os seus segmentos.
  • 24. O objetivo deste trabalho foi dissertar sobre o tema sustentabilidade e como esse novo modo de economia/vida está presente nas empresas e nas cidades brasileiras. Podendo proporcionar uma vida com qualidade e dignidade para todos. A sustentabilidade consciente tende a tornar-se o novo normal no modo de vida mundial. O Brasil se engloba nesse universo. Construir uma sociedade sustentável não é tarefa fácil e demanda conscientização, uma mudança de acesso à informação e educação ambiental, sem esquecer o uso mais eficiente e responsável dos recursos naturais, garantindo o desenvolvimento com a adoção de novos paradigmas com a preservação da dignidade humana como valor inegociável. conclusão
  • 25. ALMEIDA, F. O bom negócio da sustentabilidade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002. BAITELO, Ricardo. A caminho da sustentabilidade energética: como desenvolver um mercado de renováveis no Brasil. Greenpeace Brasil, 2008. BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. O que é agenda 21. Marcos Referenciais do Desenvolvimento Sustentável. BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa de Informações Básicas Municipais. Perfil dos Municípios Brasileiros 2008. Rio de Janeiro: IBGE, 2008, p. 244. HOLTHAUSEN, Carlos. Desenvolvimento Sustentável. Florianópolis: Cuca Fresca, 2002. SILVA, D. da, C. C., Sc: Sustentabilidade Corporativa. In: Anais VI Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia - SEGeT, Resende, RJ, 2009. VEIGA, J. E. da. Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. 3.ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2008. REFERENCIA