17 humberto-tavares-workshop-cria-beefpoint-2012

380 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
380
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
24
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

17 humberto-tavares-workshop-cria-beefpoint-2012

  1. 1. IATF no Brasil central –Experiências e cenários futuros Humberto de Freitas Tavares
  2. 2. Tópicos  Controledo peso adulto das vacas  Fazenda São Sebastião do Rio Claro  Fazenda Sucuri  O Futuro já começou
  3. 3. Controle do peso adulto das vacas  Preocupação antiga (ABCZ, 1997) “Efeito do Peso das Matrizes, Peso das Crias e Eficiência Reprodutiva Sobre a Rentabilidade do Sistema de Cria-Recria-Engorda”
  4. 4. Simulação Peso Vaca Quant Nasc Aumento 550 1000 800 -- 500 1074 859 7,40% 450 1140 930 16,20%  Mas não se consegue capturar a totalidade desta vantagem, pois  Vaca pequena tende a produzir bezerro pequeno  Tenta-se contornar isso usando cruzamentos e repasse por touro Nelore de características terminais
  5. 5. Workshop BeefPoint Cria 2009 -Propostas  Construir um rebanho de cria –  Médio porte –  Fértil –  Nelore –  Cruzamento terminal com europeu –  Uma IATF, repasse por Nelore
  6. 6. Passos  1. Seleção de novilhas de tipo maternal, adaptadas, funcionalmente corretas –  Feminilidade/Vulva –  Dorso-Lombo –  Aprumos, cascos, quartela –  Locomoção –  Boca –  Chanfro –  Pigmentação –  Temperamento
  7. 7. Passos (cont.)2. IATF de novilhas com touro Nelore de tipo maternal3. Repasse de novilhas com touro Nelore de tipo maternal4. IATF de vacas com touro europeu; no primeiro lote, algum Nelore maternal5. Repasse de vacas com touro Nelore de tipo terminal6. Estação de monta7. Descarte sumário das vazias8. Marcação das crias com o mês de nascimento
  8. 8. Touros para novilhas  RMaté uma estimativa do retorno por vaca em kg de peso vivo produzido ao ano, descontado o custo estimado de mantença(*)(*) Gensys, Sumário Aliança Nelore 2011
  9. 9. Macuni
  10. 10. Dvorak AJ
  11. 11. Solimões AJ
  12. 12. Touros para vacas  Valorizar GPD, Conformação ao sobreano e Musculatura ao sobreano  Maternal, leite, CE são irrelevantes  Touros assim escolhidos terão características semelhantes aos das fotos seguintes
  13. 13. CFM Backup
  14. 14. Provador do IZ
  15. 15. Fazenda São Sebastião do Rio Claro  Jussara (GO)  Cerradão  Cria-recria-engorda, 1000 vacas  Recria-engorda de machos  Sistema extensivo
  16. 16. Um problemão  Diagnóstico 16/01/2012  Cabeceira novilhas e vacas paridas de mês 10  Só fiz diagnóstico porque pensava em ressincronizar  IA 15 e 16/12/2011  33% prenhez contra expectativa de pelo menos 50%  Ano anterior foi OK. Agora, 33 = 25 + 8
  17. 17. Que variáveis analisei para concluirque o culpado foi o novo inseminador?  Sêmen  Estado Corporal  Stress  Descongelamento  Fármacos  Erros nos manejos dos fármacos  Falta de coordenação  Surto de doença reprodutiva  Inseminador
  18. 18. Decisões de emergência  Ressincronizar o lote e o próximo (paridas de mês 11)  Terceirizar lotes seguintes  Erros da mão-de-obra são possíveis, mas inaceitáveis  Doravante só farei uma IATF, não vou mais ressincronizar –  Perderia 1 cio –  Equipe pequena –  Poucos pastos –  Distancia do centro de manejo –  Importante tirar touros e mudar de lote  Parece que lote grande prejudica resultados –  Lotes Max 120 –  Mas o benefício da quebra do anestro existe sempre
  19. 19. Decisão sobre raças  Fazer cruzamento terminal. Por que? –  Heterose máxima –  Menos lotes e menos raças/composições descomplicam manejo –  Matriz menor, com leite na medida certa –  Matriz adaptada –  Melhoramento genético da matriz é possível  Neloreprovado nas novilhas, para fabricar reposição melhorada
  20. 20. Decisão sobre raças (cont.)  Usar Aberdeen Angus. Por que? –  Mocho –  Gestação curta –  Leve ao nascer –  Padronização (uniformidade) –  Mercado de receptoras de embrião Pardo-Suiço em queda –  Programas de fomento e qualidade em alta
  21. 21. Fazenda Sucuri  Itapirapuã(GO)  Cerrado/Campo  Seleção de Nelore PO, 350 vacas  Sistema extensivo
  22. 22. IATF na Sucuri  Há 3 anos vinha usando IATF nos restolhos dos lotes de IA, feita com observação de cio  Em 2011 iniciou-se 100% de IATF, com 100% de ressincronização –  Aceitou-se a inevitável perda de 1 cio; ainda assim o IP médio (Pietro) < 365 dias –  Aumentará a proporção de crias por IA, e com isso   Aumentarão os acasalamentos dirigidos
  23. 23. IATF na Sucuri LOTE 1 IA 10/11/2011 DIAG 19/12/2011 QUANT CHEIA % Vacas Paridas ** ** ** Vacas Sêmen Sexado 1 0 0,0 Vacas Solteiras 24 16 66,7 Primíparas 9 6 66,7 Novilhas ** ** ** TOTAL 34 22 64,7
  24. 24. IATF na Sucuri LOTE 2 IA 18/11/2011 DIAG 19/12/2011 QUANT CHEIA % Vacas Paridas ** ** ** Vacas Sêmen Sexado 9 2 22,2 Vacas Solteiras 32 25 78,1 Primíparas 12 9 75,0 Novilhas ** ** ** TOTAL 53 36 67,9
  25. 25. IATF na Sucuri LOTE 3 IA 15/12/2011 DIAG 15/1/2012 QUANT CHEIA % Vacas Paridas 39 26 66,7 Vacas Sêmen Sexado 4 1 25,0 Vacas Solteiras ** ** ** Primíparas 9 4 44,4 Novilhas ** ** ** TOTAL 52 31 59,6
  26. 26. IATF na Sucuri LOTE 4 IA 13/1/2012 DIAG 20/2/2012 QUANT CHEIA % Vacas Paridas 37 23 62,2 Vacas Sêmen Sexado 1 0 0,0 Vacas Solteiras ** ** ** Primíparas 1 1 100,0 Novilhas ** ** ** TOTAL 39 24 61,5
  27. 27. IATF na Sucuri LOTE 5 IA 21/1/2012 DIAG 20/2/2012 QUANT CHEIA % Vacas Paridas ** ** ** Vacas Sêmen Sexado ** ** ** Vacas Solteiras ** ** ** Primíparas ** ** ** Novilhas 36 12 33,3 TOTAL 36 12 33,3
  28. 28. IATF na Sucuri TOTALIZAÇÃO QUANT CHEIA % Vacas Paridas 76 49 64,5 Vacas Sêmen Sexado 15 3 20,0 Vacas Solteiras 56 41 73,2 Primíparas 31 20 64,5 Novilhas 36 12 33,3 TOTAL 214 125 58,4
  29. 29. IATF na Sucuri  Sexado não foi OK –  Vacada bem erada –  Usei Estrotec –  Usei sêmen de vários touros –  Rever protocolo
  30. 30. IATF na Sucuri  Novilhas não foi OK –  Haviam sido pré-selecionadas com ultrassom –  Usei sêmen de vários touros –  Rever protocolo
  31. 31. IATF na Sucuri  Resultados excelentes com paridas, solteiras e primíparas  Resultados da ressincronização (números) só em fins de 2012  Lotes pequenos aparentemente trouxeram resultados excelentes –  Menos stress, talvez –  Manejos são feitos na hora certa –  Mas quebra do anestro vai ocorrer independente do tamanho do lote
  32. 32. O Futuro já começou  Sêmen nacional –  Técnicos preferem –  Tem onde reclamar –  Continuidade (não “acaba o estoque”) à medida que se conhecem resultados de   Qualidade da progênie   Resposta a IATF –  Avaliação genética: Provas Zootécnicas são indícios preciosos do mérito genético
  33. 33. O Futuro já começou  Zebuinocultores precisam –  Reconhecer que o cruzamento veio para ficar –  Alertar para dificuldades em ressincronizar grandes rebanhos –  Entender as linhagens de Nelore para IA e repasse de novilhas (retorno maternal) –  Entender as linhagens de Nelore para repasse de vacas (ganho+conformação+musculatura)
  34. 34. O Futuro já começou  Na era da IATF, rever conceitos sobre fertilidade –  Maximizar CE? +10% na CE é +33% no peso testicular; +20% é +73% no peso –  Ou tratá-la como característica de ponto ótimo? –  Como ficam PP14, idade ao primeiro parto, stayability, intervalo parto-monta etc? –  Nova DEP de “resposta ao protocolo hormonal” –  Nova DEP de “stayability sob IATF”
  35. 35. O Futuro já começou  Com o cruzamento a taxa de reposição das vacas tem que diminuir –  Fica mais dramática a necessidade de longevidade –  Empresas e pesquisadores precisam garantir a “longevidade sob IATF”  Futuro nebuloso para –  Outras raças zebuínas –  Outras raças taurinas
  36. 36. MUITO OBRIGADO

×