Matematica e Mistério em Baker Street

778 visualizações

Publicada em

Matheus Vitor 8°C
Verônica 8°C

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
778
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Matematica e Mistério em Baker Street

  1. 1. Matematica e mistério em Baker Street Este trabalho solicitado pelos professores Carlos Ossamu Cardoso Narita e Maria Piedade Teodoro da Silva das disciplinas de Matematica e Língua portuguesa que tem por objetivo apresentar o livro de Lázaro Coutinho,” Matematica e mistério em Baker Street” Matematica e mistério em Baker Street,nos leva ao fantástico mundo de Sherlock Holmes e seu fiel companheiro Dr Watson. Com vários mistérios,o livro não poderia faltar calculos, lendas e histórias da matematica que completam o livro,o tornando educacional e muito interessante
  2. 2. Lázaro Coutinho Lázaro Coutinho,depois de viajar pelo mundo como oficial da marinha marcante, é hoje mestre em matemática e autor do livro Convite às Geometrias Não Euclidianas.Entre outras instituições foi professor de astronomia Náutica na EFOMM e de cálculo avançado do IME. Atualmente trabalha no Centro de Análises de Sistema Navais,na área de Segurança de Informação e Criptologia,sendo ainda interessado em tudo o que diz respeito ao mundialmente conhecido detetive-consultor de Baker Street.
  3. 3. Resumo do livro Matematica e Misterio em Baker Street conduznos ao fantastico mundo de Sherlock Holmes e seu parceiro Dr. Watson. De acordo com a historia,Sherlock viveu 103 anos. Como o proprio livro ja diz,a historia nos leva ao novo mundo cheio de calculos e misterios
  4. 4. A notícia Foi surpreendente como tudo começou.Eu acabara de sentar-me à mesa para tomar café da manhã quando Sherlock Holmes fez o seguinte comentário: _ Há pessoas,Watson,que não se curvam as evidências por mais irrefutáveis que sejam.Veja por exemplo o que acabo de ler no “TIMES”. Segundo o jornal,um matemático amador faz uma descoberta que irá provocar uma reviravolta na geometria. _De fato, Holmes,surpresa é a palavra correta para o que sinto.Como poderia imaginar que o renomado detetive consultor de Baker Street estaria preocupado com as flutuações da matemática.
  5. 5. As geometrias não-euclidianas Agora,Watson,Nada mais justo e oportuno do que voltarmos ao motivo inicial dessa nossa longa e estimulante conversa_ disse Holmes_ passandome o jornal,do qual havia me esquecido por completo. Li a notícia em letras garrafais: METAMATICO AMADOR DESCOBRE ERROS NA CRIAÇÃO DAS GEOMETRIAS NÃO-EUCLIDIANAS O fato não me dizia muita coisa,talvez,por isso,minha mente fora estimulada apenas pela presença de uma palavra na manchete. _ A propósito,Holmes_ resolvi perguntar_ os matemáticos criam ou descobrem ? _ Ah ! meu caro doutor,brilhante pergunta ! Primeiro criam depois descobrem.
  6. 6. A lei de Tales Holmes havia despertado em mim o interesse pelas geometrias nãoeuclidianas.Não iria estudar essas geometrias,é claro,pois meu interesse não chegava a tanto,mas estava curioso em saber que princípio da geometria euclidiana Sherlock Holmes usara no misterioso caso intitulado “O ritual Musgrave” que,segundo ele mesmo dissera,não era válido nas geometrias não-euclidianas.
  7. 7. As probabilidades Dias depois da notícia dada no “TIMES” sobre o matemático amador, estávamos,eu e Sherlock Holmes,após a ceia,sentados um do lado do outro, de frente para a lareira. _ De quantos pacientes cuida você atualmente,Watson ? _ Cerca de uns sessenta ou um pouco menos
  8. 8. A aposta As novidades vieram mais rápidas e trágicas do que poderia Holmes ter imaginado.Estava me vestindo,na manhã seguinte,quando ouvi uma batida à porta.Holmes entrou com um telegrama na mão.Leu-o em voz alta. _ Venha imediatamente a Pitt Street,113,Kensignton_ Lestrade. _ Que será ? _ perguntei. _ Não sei.Pode ser … qualquer coisa. Mas creio que é a sequência do caso dos bustos. Ao final de tudo este conflito,o verdadeiro motivo,era uma aposta.
  9. 9. Capitulo 6 No capítulo “Os números”, Sherlock Holmes se lembra de um professor, James Moriarty, e assim, explica à Watson sobre o número 6, o primeiro número perfeito descoberto. Watson, curioso, queria saber o porquê os números perfeitos têm esse nome, e Holmes explica que o motivo é o fato de a soma de seus divisores resultarem nele mesmo. Holmes apresenta à Watson os próximos quatro números perfeitos. Holmes apresenta também, os números amigos, e explica que dois números são amigos quando cada um dele é igual à soma dos divisores do outro.
  10. 10. Capitulo 7 No capítulo “Os teoremas”, Sherlock Holmes revela à Watson que James Moriarty foi seu preceptor por quase dois anos. Watson demorou a acreditar, então Sherlock Holmes conta que suas primeiras lições de matemática seria, foram com o professor Moriarty. Watson logo perguntou por que Sherlock Holmes não era um matemático profissional, Holmes respondeu à pergunta de Watson contando a história de sua vida profissional em que teve o professor Moriarty como preceptor, até chegar à resposta direta, dizendo que aquela área de conhecimento seria útil para sua carreira como detetive. Holmes descreveu James Moriarty, apresentando-o à Watson, após isso, Holmes foi até o quarto e levou para Watson, livros dentro de uma caixa, colocou a caixa em cima da mesa e tirou uns amarrados de papéis amarelados pelo tempo. Watson pegou um deles, no qual tinha o título de “Sobre o teorema de binômios”, que se tratava de um trabalho sobre o binômio de Newton. Watson começou a lê-lo, mas logo desistiu, pois não entendia o trabalho do Sr. Moriarty.
  11. 11. Capitulo 8 No capítulo “O circulo”, Watson lê a história de Dido, uma princesa, irmã de Pigmalião, que mandou matar seu primeiro marido. Dido conseguiu fugir com seus amigos, levando as riquezas de seu marido. Dido cheg ao local onde decide ficar. O rei Jarbas, que era o rei do local onde Dido decidiu comprar suas terras, tin como norma não ceder terras a estrangeiros. A princesa Dido convocou uma reunião com seus assessores para encontrar um meio de convencer o Rei Jarbas a ceder a terra. Princesa Dido marcou uma audiência c Rei Jarbas. No dia, Rei Jarbas sugeriu à princesa que usasse a pele de um boi para fazer um cercado em volta do tanto de terra que ela conseguisse cercar com a pele. Rei Jarbas deu o prazo de um dia para isso Dido aceitou e mandou contar a pele do boi em tiras estreitas. Ao amanhecer o dia, começaram a realizar tarefa num trecho bem plano do litoral, com a linha da praia bem reta. Depois de alguns cálculos, demarcaram, levando em conta os efeitos de maré, a linha de arrebentação das ondas do trecho reto da praia. Em uma das extremidades dessa linha, enterraram a primeira estaca, onde ataram uma das pontas longo cordão feito com tiras bem finas de couro. A partir dessa primeira estaca conduziram em direção a terra o cordão, fixando-o no solo com novas estacas posicionadas a intervalos curtos. No final, formaram semicírculo com o cordão de couro. O trabalho demorou, porém, ao final da tarde, já havia acabado. Ness momento, Watson decidiu não continuar lendo a história de Dido, e ficou impressionado com a solução encontrada pela princesa. Ficou pensativo e criou a seguinte questão: por que ela escolhera um semicírcul para demarcar as terras? Pensou em levar essa questão à Sherlock Holmes, mas não foi, afinal, o importa foi que a princesa conseguiu as terras que precisava.
  12. 12. A Helena da geometria Neste capítulo Holmes nos diz o que é a Ciclóides,a curva do circulo que tem dois apelidos que são:Braquistócrona e A Helena da geometria. A Ciclóide seria nada mais e nada menos que uma curva feita por um ponto de círculo quanto este rola sobre uma reta. Está explicação é devida a Galileu Galilei
  13. 13. As incógnitas Este capítulo começa com Holmes e Watson comentando sobre o professor Moriarty. A evidente admiração de Holmes pelo professor faz-me pensar sobre algumas situações,para as quais gostaria de ter respostas,ainda mais depois que fiquei sabendo que o professor deu aulas de matematica a Holmes,meu parceiro de aventuras. Prof Mortiarty (Gênio matematico do universo sherlockiano que enveredou para o crime.)
  14. 14. Os cálculos Quando os dois companheiros retornam a Baker street,Holmes disse: _ O mentor não nos disse tudo o que sabia. Quanto ao morto,cerca de um mês atrás,como você disse. Sir Hamilton veio em busca de orientação: julgava-me ameaçado por um insano. Esta pessoa dizia-se prejudicada por um parecer negativo dado pelo professor,a um pretenso trabalho científico da sua autoria. Depois quando chegam em Scotland Yard o acusado fala com eles,mas não deixa de estar sendo acusado da morte de Sir Hamilton. O acusado é o Sr Hopkins,mas ele foge. No final descobrem a causa da morte e o cupado.
  15. 15. A solução Este capitulo começa com Holmes andando de um lado para o outro ,e quando ele percebe que Watson esta presente na sala diz , que eles receberiam ainda naquele dia notícias conclusivas da morte de Sir Hamilton, até que toca a campainha,era Sr Hudson,depois a campainha toca novamente,era Le traste com notícias do caso do professor Hamilton. No desfecho da história o caso é mais uma vez resolvido,e na verdade ninguém havia matado o Sir Hamilton e sim ele teria cometido suicídio.
  16. 16. Por que vale a pena ler ou não o livro ? Ao decorrer do bimestre,tivemos a chance de ler este maravilhoso livro “ Matemática e mistérios em Baker Street”. O livro é muito fascinante,e cheio de suspense,e casos a se desenrolarem. Além dos mistérios o livro também mostra histórias da matemática. Uma história muito boa,foi a de Dido,fora os caso da Pérola. O livro vale muito a pena ler,pelo simples fato de que além de mostrar varios mistérios,ele também te mostra um pouco da matematica,o que é muito útil no nosso cotidiano Matheus Vitor n°28 Vêronica n°34

×