Etec Expansao

1.282 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.282
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • 1 - A SECT – Secretaria de Ciência e Tecnologia – foi criada em 16/12/1976. 2 – Em 26/11/2003, através da Lei n.º 14.797, a SECT recebeu nova denominação, passando a se chamar SECTES - Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Hoje, a Secretaria tem como finalidade as ações setoriais do Governo de Minas relativas ao desenvolvimento, fomento da pesquisa, e à geração e aplicação de conhecimentos científicos e tecnológicos, bem como exercer o controle das Entidades de Ensino Superior.
  • Esta figura síntese do PMDI – 2007/2023 evidencia: 1 – a visão de futuro: “ Minas, o Melhor Estado para se viver ”. 2 – as 6 estratégias, perspectivas, que formam o núcleo propulsor da transformação de Minas Gerais. 3 – os 5 objetivos ou destinatários das políticas públicas. (Foco) 4 – as 11 áreas de resultados ou desafios a serem superados. A SECTES abrande diretamente as Áreas de Resultados: Educação de Qualidade. Inovação, Tecnologia e Qualidade.
  • Missão é a razão de existir da SECTES. É o diferencial em relação as outras Secretarias e Instituições, enuncia o seu negócio: Ciência, Tecnologia, Inovação e Ensino Superior. Evidencia o foco: “Desenvolvimento sustentável e melhoria da qualidade de vida em Minas Gerais”.
  • Visão é o grande sonho de futuro, a extraordinária conquista – “ser vista e reconhecida pela sociedade como exemplo, expoente na formulação e implantação de políticas públicas que assegurem o Desenvolvimento Científico e Tecnológico, a Inovação e o Ensino Superior.
  • Neste Mapa estratégico da SECTES, destacamos, resumidamente: MISSÃO SECTES – promover a ciência, a tecnologia, a inovação e o ensino superior para o desenvolvimento sustentável e a melhoria da qualidade de vida em Minas Gerais. OBJETIVOS PARA MINAS GERAIS : 1. Transformar conhecimento em negócios, elevando a produtividade e a competitividade, contribuindo para o desenvolvimento sustentável do Estado. 2. Preparar Minas como Estado Líder na economia do conhecimento. 3. Consolidar, na sociedade, a percepção de CTI e ES como área estratégica. 4. Alinhar as ações e os indicadores deste sistema operacional da SECTES às diretrizes do PMDI.
  • SIMI – Sistema Mineiro de Inovação www.simi.org.br Missão : integrar e coordenar o Ambiente de Inovação do Estado. Objetivo : Articular entidades e ações, visando estimular a transformação de conhecimento em inovação,promovendo o desenvolvimento socioeconômico de Minas Gerais. Instrumentos: Fórum Mineiro de Inovação : presidido pelo Governador. Objetivo: elaborar e decidir sobre as Estratégias de Promoção de Inovação em Minas Gerais. Comitê de Empresários para Inovação : promover a difusão e propagação da inovação nos setores socioeconômicos de MG. Programa de Comunicação : promover a inovação por meio da divulgação de novos conhecimentos e seus benefícios socioeconômicos para os mineiros. Parcerias Internacionais: promover parcerias com outros países, visando estimular os setores de C,T,I&ES em MG, tendo por base a expertise e conhecimento internacionais. Portal Web 2.0 – promover ambiente de integração de ações virtuais e presenciais dos Agentes de Inovação em Minas. Disponibiliza ferramentas para oportunidades de colaboração e interatividade dos atores de inovação do Estado. Observatório: visa desenvolver competências em gestão e no uso e operação de ferramentas e métodos que permitam o emprego prático das bases de dados, indicadores e análises produzidas O SIMI está sendo operado por 03 (três) projetos estruturadores: 1 – Rede de Inovação Tecnológica – RIT - Visa ampliar a capacidade de inovação tecnológica nas empresas mineiras, com atuação em: 1.1 - AMBIENTE DE INOVAÇÃO – prover ambiente favorável à Inovação. 1.2 - INOVAÇÃO NA EMPRESA – ações de suporte e articulação entre Empresas e Instituições de Ciência e Tecnologia. 1.3 - INOVAÇÃO NA SOCIEDADE – visa disseminar e ampliar a cultura do empreendedorismo e da inovação pelos mineiros. 2 – Desenvolvimento Regional e Setorial - Visa ampliar a competitividade dos segmentos econômicos de elevado conteúdo tecnológico. Arranjos Produtivos Locais – são concentrações geográficas de empresas de um segmento ou instaladas em um mesmo Complexo Industrial: Biocombustíveis, Biotecnologia, Eletroeletônica e Software. Pólos de Excelência : consolidar a liderança de Minas Gerais no desenvolvimento sustentável de setores estratégicos, nos quais o Estado possua tradição, massa crítica e/ou vantagens competitivas. Integrar as competências institucionais para induzir o processo de desenvolvimento sustentável de cada setor. Pólos de Inovação : visa acelerar o processo de desenvolvimento de regiões economicamente deprimidas. Governo e Parceiros, através de um Arcabouço Institucional, vão agir como catalisadores de oportunidades. 3 – Rede de Formação Profissional Orientada pelo Mercado ( RFPOM ) - Visa a inclusão social e digital, através de Telecentros e CVTs (Centros Vocacionais Tecnológicos). Apoiar o crescimento do Ensino Superior, privilegiando a elevação de sua qualidade e acessibilidade. Contribuindo para que os mineiros estejam preparados e valendo-se das oportunidades do mercado de trabalho.
  • APLs são concentrações geográficas de empresas de um segmento ou instaladas em um mesmo complexo industrial. Eles funcionam como redes de indústrias que trabalham de forma cooperada, com tecnologia de produção flexíveis. Este Projeto Estruturador contempla 4 grandes cadeias produtivas: Eletroeletrônica, Software, Biotecnologia e Biocombustíveis. Objetivam ampliar e melhorar a capacidade competitiva de segmentos econômicos de elevado conteúdo tecnológico, de forma sustentável, e promovendo o desenvolvimento regional. Investimentos por APL. Biocombustiveis –-------------------------- - R$ 25,19 milhões. Eletroeletronica e Telecomunicações – R$ 18,0 milhões. Biotecnologia ----------------------------------R$ 9,60 milhões Software ----------------------------------------R$ 5,40 milhões Total ------------------------R$ 58,19 milhões Obs. A França investe uma media de R$ 60,00 milhões por APL, em seus 66 APLs.Totalizando R$ 4,00 milhões no período 2006 a 2008.
  • O Arranjo Produtivo Local (APL) de Eletroeletrônicos garante apoio às 132 empresas instaladas no município de Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas. A expectativa é manter o faturamento e os empregos gerados. O setor fechou o ano, de 2008, com 9.200 empregos, um crescimento de 22,7% em relação aos 7.500 existentes em 2007. O faturamento anual também foi satisfatório e subiu de R$ 780 milhões para R$ 1 bilhão. O Vale da Eletrônica fabrica em torno de 11 mil itens que são comercializados no Brasil e no exterior. O Sindvel foi criado para coordenar, proteger e representar legalmente as indústrias do setor e, juntamente com a Associação Industrial de Santa Rita do Sapucaí, desempenha importante papel na representação das indústrias da região e na realização de atividades de interesse comum. Filiado à Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), o sindicato viabiliza o desenvolvimento tecnológico e empresarial com o apoio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), o desenvolvimento profissional por meio de convênios com o Senai e o desenvolvimento social mediante parcerias com o Sesi, além de canalizar para seus associados outras facilidades oferecidas pelo Sistema Fiemg e Sebrae. A atuação em conjunto das empresas, aliada ao relacionamento com essas entidades, tem permitido o treinamento de funcionários e empresários, a participação em feiras nacionais e internacionais e a visita a eventos em diversas partes do mundo, entre outras atividades. A Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapemig), tem dado atenção especial à área de inovação tecnológica. Investimento de aproximadamente R$ 18 milhões na formação de mão-de-obra em Santa Rita do Sapucaí .  O APL de Eletroeletrônica se destacou em 2008 ao vencer o 3º Prêmio de Inovação em Inteligência Competitiva, realizado pela Associação Brasileira de Analistas em Inteligência Competitiva (Abraic). O trabalho diz respeito à implantação do Núcleo de Informações Estratégicas (NIE), sediado na Faculdade de Administração e Informática de Santa Rita do Sapucaí. O segundo colocado foi o projeto da Petrobras. Outra ação importante é a internacionalização. Foi aberto um escritório em Montevidéu, no Uruguai, para dar suporte a micro e pequenas empresas. Atualmente, dez empresas e 30 produtos desenvolvidos no APL, encontram-se em processo de homologação. Já foi realizada a aquisição de dez estações de trabalho para serem utilizadas na Design House, assim como de um software especializado em desenvolvimento de chips para aplicação nos produtos das empresas do APL. A Design House é uma infra-estrutura criada em apoio ao desenvolvimento/projetos de novos chips e placas de circuitos impressos. O Bureau de Eletroeletrônica conta com o Sistema Web de Informações Estratégicas e tem o objetivo de promover a competitividade das empresas do APL.
  • O objetivo do Projeto Estruturador (PE) APL de Biotecnologia é promover e articular ações de pesquisa, desenvolvimento e inovação na área da Biotecnologia aplicada à saúde humana, animal, agricultura e meio ambiente. Além disso, deve fomentar parcerias entre o setor acadêmico e o setor empresarial mineiro, promovendo a qualificação dos setores produtivos e ampliando a capacidade competitiva do APL de forma autossustentável. Trabalha com três pólos existentes no Estado. O primeiro está localizado na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH); o segundo localizado no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba; e o terceiro em Viçosa. Tem como parceiros o Sebrae, IEL/Fiemg, Sindusfarq, Fundação Triângulo, Centev e o Centro de Pesquisa René Rachou/Fiocruz. Em 2008, 48 empresas e 27 municípios foram beneficiados com R$ 5 milhões de recursos investidos. Recursos estes oriundos da Fapemig e do Tesouro Estadual. Em 2009, estão previstos investimentos de R$ 4,6 milhões. Entre as ações realizadas estão a criação do Bureau de Inovação, Gestão da Competitividade; Implantação do Centro de Excelência em Bioinformática; Certificação de Produtos e Processos; Comunicação e Marketing.
  • Segundo o Secretário de Governo do Município de Belo Horizonte, há em Minas 3.100 empresas cadastradas que atuam neste segmento. O Governo de Minas, através da FAPEMIG, já alocou R$ 3,8 milhões neste APL, e tem programado a liberação de R$ 1,4 milhões até 2010, totalizando R$ 5,4 milhões, que evidenciam a grande prioridade imprimida pela atual gestão dos mineiros. É um setor gerador de empregos, com demanda crescente, em quantidade e qualidade – 17 mil empregos em TI. O objetivo deste APL é: Promover a capacitação técnica e gerencial de pessoas e empresas visando ao incremento da qualidade e da produtividade; ampliar o acesso a mercados e ao crédito; aumentar a visibilidade nos vários mercados, bem como a integração com universidades e centros de pesquisa; a criação do Núcleo de Inteligência Competitiva. Localizado na Região Metropolitana de Belo Horizonte e em Viçosa (Zona da Mata), o APL de Software tem a sua fonte de recursos na Fapemig e no Tesouro Estadual. Os parceiros são: Assespro, Fumsoft, Siindifor, Sucesu-MG, Amcham-MG, Fapemig, Prefeitura de Belo Horizonte, Sebrae, IEL, PUC Minas e UFMG. Foco em Certificação de produtos e processos e Capacitação em Gestão da competitividade.
  • O APL de Biocombustíveis tem dentre suas ações o Escritório Gestor do Centro de Inovação em Bioenergia do Estado de Minas Gerais (BIOERG). O objetivo é apoiar o desenvolvimento, a consolidação e a competitividade das cadeias produtivas da bioenergia: etanol, biodiesel e óleos vegetais, carvão vegetal e biomassa. As fontes de recursos são o Tesouro Nacional e a FAPEMIG, além e parcerias nacionais e internacionais. O público-alvo é formado por empresários, produtores, trabalhadores rurais, técnicos, pesquisadores e professores da rede pública e privada. Ações: - Implantação do Núcleo de Inteligência Competitiva – NIC-BIO - Instalação da Rede Laboratorial de certificação e controle de qualidade de biocombustíveis - Instalação da Rede de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) - Publicação de editais induzidos para Inteligência e Inovação - Ações de capacitação e formação profissional nos APLs; - Implementação do plano de comunicação e marketing para o setor; - Internacionalização do APL. Investimentos: 2007 = R$ 3.950.554,00 2008 = R$ 9.250.481,00 2009 = R$ 11.989.134,00 Total = R$ 25.190.169,00
  • Pólos de Excelência : visam à consolidação do Estado no desenvolvimento de setores estratégicos, nos quais Mias Gerais tenha tradição, massa crítica e/ou vantagens competitivas. O objetivo é integrar as competências institucionais para induzir o processo de desenvolvimento sustentável de cada setor. Já foram implantados os Pólos de Café, Leite, Florestas, Mineração e Metalurgia, Recursos Hídricos e Genética Bovina. Na sequência, encontra-se em fase de implantação os Pólos de Excelência em Gestão Ambiental, Eletroeletrônica e Telecomunicações e Gemas e Jóias.
  • O Brasil ocupa papel relevante no cenário mundial da Bovinocultura: Maior Rebanho Comercial do Mundo – Aproximadamente 200 milhões de cabeças. Maior Exportador de Carne Bovina – 2,40 milhões de toneladas/ano. 2ª Maior Produtor de Carne Bovina – 10,4 milhões de toneladas/ano. 2º Maior Consumidor de Carne Bovina – 8,0 milhões de toneladas/ano. 2º Maior Produtor e Exportador de Couros – 50,5 milhões de abate/ano. 3º Maior Consumidor per capita de Carne Bovina – 41,8 kg/hab./ano 6º Maior Produtor de Leite – 28,0 Bilhões de litros/ano. Se Minas fosse um país, seria o 10º do Mundo em Rebanho Bovino, o 12º em produção de carne e o 21º em Produção de Leite. No Brasil, Minas se destaca na bovinocultura, como: 3º maior rebanho bovino = 22,5 milhões de cabeças. 3º maior produtor de carne bovina = 1,13 milhões ton./ano. Consome = 0,85 milhões ton./ano. Excedente exportável = 0,28 milhões ton./ano. Todo o Território Mineiro ja recebeu o estatus de livre de febre aftosa. O Pólo de Excelência em Genética Bovina tem a missão de promover as condições necessárias para consolidar a liderança de Minas no desenvolvimento sustentável da genética bovina, por meio da integração de empresas e instituições de ensino e pesquisa, aplicando recursos para o fortalecimento da pesquisa e da capacidade de inovação. Reconhecida como a capital mundial da raça zebu, a cidade de Uberaba é sede do Pólo de Excelência em Genética de Bovinos, em razão da sua importância como centro mobilizador de negócios e pesquisas que envolvem melhoramento genético de bovinos. O escritório do polo está instalado na Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ), uma parceria estrategicamente importante. Na era do conhecimento, alcançarão vantagens competitivas aquelas regiões que desenvolverem ambientes adequados para o domínio da inteligência do processo produtivo, o que envolve a articulação de empresas, universidades, centros de pesquisa e governo. O Pólo de Excelência de Genética Bovina conta com o apoio de um comitê gestor formado por empresas, associações e instituições importantes do segmento da genética bovina.
  • A quantidade de água na Terra é praticamente invariável há centenas de anos, mantida pelo fenômeno do ciclo hidrológico, porém, a distribuição da água no mundo é muito desigual, havendo necessidade constante de se desenvolver pesquisas e gerar tecnologias que permitam a captação, armazenamento, utilização adequada e preservação da água e seus mananciais. Considerando que cada pessoa utiliza uma média de 150 litros de água por dia, em 1970 esta demanda era de 153,7 bilhões de litros/dia e, em 2009, é de 1 trilhão de litros/dia no mundo. O Brasil é altamente privilegiado, possui o maior volume de água doce do planeta, porém a sua distribuição é bastante irregular. A Amazônia é o lugar mais rico de água potável superficial do planeta. O Brasil conta com cerca de 50.810m³ de água/hab/ano, considerando que cada brasileiro utiliza, em média, 150 litros de água por dia, o consumo de água no Brasil era de 14 bilhões de litros/dia em 1970, e em 2009, será de 28,7 bilhões de litros/dia. Minas é conhecida por ser a caixa d’água do Brasil. O Estado é um fornecedor significativo de água potável no país, e, ainda, é divisor de várias bacias hidrográficas. Criação do Instituto Hidroex localizado em Frutal, na região do Triângulo Mineiro, incluído na Rede Internacional de Referência em Recursos Hídricos da UNESCO, é um marco importante para mineiros e brasileiros. O HIDROEX atuará como centro produtor e difusor de conhecimentos das questões relacionadas à água na América Latina e na África. O Hidroex e o Verde Minas contam com investimentos de R$27,6 milhões, sendo R$ 21,2 milhões do MCT e R$6,4 milhões do Governo de Minas. O Diretor-geral Adjunto da UNESCO, Márcio Barbosa, afirmou: “ A criação do Hidroex vai além dos méritos de estudos, qualificação de pessoal, ele me sensibilizou pelo espírito de solidariedade que carrega” . O Pólo de Excelência em Recursos Hídricos tem como objetivo ampliar ações que envolvam ciência, tecnologia e inovação, tornando-se referência nacional e internacional no setor, além de fortalecer a geração de negócios baseados na economia do conhecimento sobre o tema água. Uma das ações do Pólo é auxiliar e manter articulações junto a Gender and Water Alliances (GWA), Rede Brasileira de Capacitação em Recursos Hídricos (CapNet) e Instituto Internacional de Ecologia (IIE), para a formação de redes de pesquisas e educação. O Pólo firmou um acordo com o Fundo Setorial de Recursos Hídricos (CT-Hidro/MCT), Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) que resultou no termo de referência do edital conjunto de Recursos Hídricos para a Bacia do Rio Doce, cujos investimentos totalizam R$ 3 milhões.Projetos do Pólo: Implantação de uma Unidade de Educação Ambiental para as Águas: “Escola da Água”. Monitoramento em Tempo Real da Qualidade das Águas da Lagoa Dom Helvécio. Criação e Estruturação do Núcleo de Referência e Inovação em Irrigação (Nurii), além da parceria na concepção do Instituto Nacional de Recursos Minerais, Água e Biodiversidade. Apoio aos principais centros de pesquisa do Estado, 81 grupos de pesquisa e 283 pesquisadores divididos em 14 grandes áreas relacionadas com recursos hídricos.
  • Tem como principal negócio a expansão da massa crítica que agregue valor, competitividade e novos negócios à cadeia produtiva industrial de Minas Gerais numa dimensão global. As principais realizações estruturantes do Programa no período 2008 foram: a consolidação da acordos e propostas efetivas de cooperação com instituições australianas, que resultaram em visitas de inúmeras missões deste país a Belo Horizonte; o lançamento de propostas conjuntas com o Consórcio Minerometalúrgico de Formação e Qualificação Profissional de Minas Gerais; e o lançamento do programa de capacitação de jornalistas. As atividades de 2008 envolveram a iniciativa de mobilização para acreditação do Geoparque do Quadrilátero Ferrífero pela Unesco; elaboração do Plano de Negócios do PEMM para 2009/2010; projetos conjuntos para cada instituição-membro do Comitê Gestor; estruturação da rede de projetos de sustentabilidade em regiões minerárias e metalúrgicas; estruturação do Portal de Pesquisa e Inteligência do PEMM; e Realização do Espaço Mineração, Metalurgia e Recursos Hídricos durante a INOVATEC.
  • O Brasil destaca-se como o maior produtor mundial de café – média anual de 41 milhões de sacas/ano (últimos 4 anos). Maior exportador mundial, com 30% de participação, exportando cerca de 30 milhões de sacas/ano. Minas é o maior produtor nacional de café, participando com uma média de 50,3% da produção brasileira de café. Se Minas fosse um país, seria o maior produtor de café do mundo. Área – 1,17 milhões de hectares e 3,64 bilhões de covas. Produção – 21,4 milhões de sacas/ano (média das duas últimas safras). Consumo mineiro de café de aproximadamente 2,1 milhões de sacas/ano. Excedente exportável superior a 19 milhões de sacas/ano. Visando consolidar a liderança de Minas, o Pólo de Excelência do Café tem como objetivo: integrar as competências institucionais para induzir o processo de desenvolvimento competitivo sustentável do agronegócio do café em Minas Gerais, além de promover um ambiente adequado para a atração de investimento e novos negócios com densidade de inteligência e conhecimento nos diversos elos da cadeia produtiva do café.O Pólo funciona no Centro de Ensino, Pesquisa e Extensão do Agronegócio Café (Cepecafé) da Universidade Federal de Lavras (UFLA). O local possui infraestrutura adequada, necessária ao uso simultâneo das instalações também pela Epamig e Embrapa-Café, que já estão dentro do campus da UFLA desenvolvendo pesquisas na área. Ações implementadas: -Estudo de viabilidade do Parque Tecnológico do Café, em Varginha. Criação de dois cursos de MBA em Coffee Business (Lavras e Machado). Criação de Curso Trainee em Mercados.
  • O Brasil é o 6º produtor mundial de leite com cerca de 28,0 bilhões de litros/ano. Minas é o maior produtor do país, participando com 28% da produção nacional de leite. Possui também o 3º maior rebanho bovino (22,5 milhões de cabeças). Se Minas fosse uma país seria o 10º do mundo em Rebanho Bovino (22,5 milhões de cabeças) e o 21º em produção de leite (7,8 bilhões de litros). Tem como missão articular as competências existentes na Zona da Mata e no Campo das Vertentes, com o objetivo de promover inovações tecnológicas, atender demandas e atrair negócios para o desenvolvimento sustentável do sistema agroindustrial do leite. Visa, também, melhorias na cadeira produtiva do leite que induzam incrementos nas exportações mineiras e consolidem a região da Zona da Mata e Campo das Vertentes como um polo de excelência em produtos lácteos de alto valor agregado. A Gerência Executiva do programa, localizada na cidade de Juiz de Fora, apóia-se em um Comitê Gestor, formado por representas de 18 instituições parceiras que demandam ações, monitoram e referendam as iniciativas contidas no Plano de Negócios: Sectes, Seapa, SEDE, UFJF, UFLA, UFV, Cefet/Rio Pomba, Embrapa/Gado de Leite, Epamig, Emater-MG, INDI, Sebrae/MG, Faemg, Fetaemg, Silemg, Fiemg, BDMG e Itambé.
  • O Brasil conta 6,58 milhões de hectares de florestas plantadas, sendo 4,26 milhões de hectares em eucalipto, 1,86 milhões de hectares em pinos e 0,46 milhões de hectares em outras espécies.Minas é o maior Estado reflorestador do País, com um total de 1,43 milhões de hectares, sendo 1,29 milhões de hectares em eucalipto, representando mais de 30% da área plantada dessa espécie no Brasil.Em pinus, conta com uma área plantada de 145 mil hectares A demanda elevada e crescente do complexo madeira tem-se constituído em importante desafio para a sustentabilidade das cadeias produtivas dos segmentos industriais da celulose e papel; produtos sólidos de madeira, painéis reconstituídos, móveis, siderurgia a carvão vegetal, energia e outros. O pólo tem como proposta consolidar a liderança de Minas Gerais no desenvolvimento sustentável do Sistema Agroindustrial de Base Florestal, no qual possui tradição, massa crítica científica, empresarial e grande vantagem competitiva em negócios. Foi lançado pelo Governador Aécio Neves e está sediado na Universidade Federal de Viçosa.Em 2008, foram desenvolvidos projetos de Sequestro de Carbono em Florestas e um Sistema de Queima de Gases na Carbonização para Geração de Energia, como subsídios à elaboração de projetos de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), em parceria da Sectes, UFV e Embrapa, também, tecnologias para produção sustentada de três espécies arbóreas do Cerrado para o Alto Jequitinhonha. O Pólo prioriza suas ações na identificação e remoção de entraves estruturais, seja no que respeita aos negócios, seja na formação de estruturas de pessoal, de conhecimentos, de laboratórios e de comunicação e ação entre os diferentes agentes do Sistema Agroindustrial de Base Florestal de Minas Gerais, no país e no exterior.
  • Pólos de Inovação visam acelerar o processo de desenvolvimento de regiões economicamente deprimidas. Nesses pólos, o Governo do Estado e os parceiros vão agir como catalisadores de oportunidades. Em cada região selecionada, será criado um arcabouço institucional para dar suporte à inovação, por meio da pesquisa, do desenvolvimento e da capacitação de recursos humanos, condições essenciais para dar sustentabilidade aos investimentos. Os Pólos de Inovação estão em Montes Claros, Salinas, Araçuaí, Januária, Pirapora, Corinto, Janaúba, Almenara, Diamantina e Teófilo Otoni. Premissas: Possibilitar o salto necessário á alteração das dinâmicas de desenvolvimento através da formação e concentração de massa critica territorialmente localizada, que acelere o fluxo informação – conhecimento –inovação – projeto – desenvolvimento. Agregar valor á economia regional(emprego e renda) e ás políticas públicas através de um grande esforço de inovação, ancorado em sólidas estruturas de capacitação de recursos humanos de P&D.
  • Visão das ações em todas as regiões do Estado, ampliando a competitividade dos segmentos econômicos de elevado conteúdo tecnológico e nas regiões economicamente deprimidas um grande esforço catalisador de oportunidades, através de parceiros e de um arcabouço institucional estratégico para capacitação de recursos humanos essenciais na atração de investimentos de forma sustentável e também fornecer e/ou garantir suporte à pesquisa e à inovação.
  • Etec Expansao

    1. 1.
    2. 2. Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado
    3. 3. Missão <ul><li>Promover a Ciência, a Tecnologia, a Inovação e o Ensino Superior para o desenvolvimento sustentável e a melhoria da qualidade de vida em Minas Gerais. </li></ul>
    4. 4. Visão <ul><li>Ser referência nacional na formulação e implementação de políticas públicas que assegurem o Desenvolvimento Científico e Tecnológico, a Inovação e o Ensino Superior. </li></ul>
    5. 5. PROMOVER A CIÊNCIA, A TECNOLOGIA, A INOVAÇÃO E O ENSINO SUPERIOR PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA EM MINAS GERAIS PESSOAS ORGANIZAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO APRENDIZADO PROCESSOS PARCEIROS MINAS GERAIS 21 - Alinhar as ações e indicadores do sistema operacional de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior às diretrizes do PMDI 19 - Preparar MG como Estado líder na economia do conhecimento 20 - Consolidar na sociedade a percepção de CTI e ES como área estratégica 18 - Transformar conhecimento em negócios elevando a produtividade e a competitividade, contribuindo para o desenvolvimento sustentável do Estado 3 – Aprimorar a gestão da informação e do conhecimento 2 - Consolidar o modelo de gestão da SECTES 1 - Atuar com foco em competências estratégicas 7 - Desenvolver ações para ampliar a oferta do Ensino Superior com qualidade 9 - Produzir análises prospectivas para induzir ações estratégicas e subsidiar políticas públicas nas áreas de CTI e ES 6 - Ampliar a oferta de Ensino Superior por meio do Ensino à Distância 8 - Buscar ordenamento jurídico e regulatório compatível com as características e dinâmicas da área de CTI e ES. 4 - Fortalecer a pesquisa científica tecnológica, os Centros de Excelência e a retenção de talentos 5 – Estimular a criação e o fortalecimento de cursos de base tecnológica e profissionalizante 12 - Fortalecer a capacidade de gestão e articulação para impulsionar o Sistema Estadual de CTI e ES 13 – Acelerar e valorizar o processo e a cultura da inovação 16 - Apoiar o desenvolvimento regional e setorial, por meio dos APLs, Pólos de Excelência e Pólos de Inovação. 17 – Estimular empreendimentos de base tecnológica em áreas estratégicas portadoras de futuro 14 - Aprimorar a interação entre IESs, ICTs e setor produtivo atendendo às demandas do mercado 15 – Apoiar a constituição e a consolidação de Centros de P,D&I 11 – Apoiar os programas e agentes de Tecnologia Industrial Básica (TIB) 10 – Estabelecer diretrizes para a política de comunicação da SECTES e para a popularização de CT&I, integrando as entidades que compõem o sistema.
    6. 6. Sistema Mineiro de Inovação - SIMI Ambiente de Inovação: - Parques Tecnológicos - Incubadoras de Empresas - Atração de Centros de P&D - Parque Industrial Tecnológico - Lei da Inovação (FIIT) - INOVATEC Inovação na Empresa: - PII - NIT - TIB - Plataforma SIMI - Centro Minas Design Editais Induzidos: * PAPPE * Mestres e Doutores na empresa * Venture Capital e Private Equity Inovação na Sociedade: - Cultura Empreendedora : NAEs – Núcleo de Apoio ao empreendedor, Projeto Jovens Empreendedores, Curso de Empreendedorismo - TEIA: Tecnologia, Empreendedorismo e Inovação Aplicados - C5: Centros de Competência em comunidades de Cooperação e Conhecimento Desenvolvimento Regional e Setorial: - APLs - Pólos de Excelência - Pólos de Inovação FÓRUM – PORTAL Web 2.0 OBSERVATÓRIO de C,T,I & ES www.simi.org.br Rede de Formação Profissional: - CVTs e Telecentros - Instituições de Ensino COMITÊ DE EMPRESÁRIOS PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO PARCERIAS INTERNACIONAIS
    7. 7. Programa APLs SOFTWARE BIOCOMBUSTÍVEIS BIOTECNOLOGIA ELETRO-ELETRÔNICOS E TELECOMUNICAÇÕES UNIFEI UFMG UNIUBE UFU UFV UNIMONTES MCT / ABDI APEX / MDIC FUNSOFT SINDINFOR SUCESU ASSESPRO UFMG PUC MINAS UFV PBH IEL – FIEMG SEBRAE SINDVEL INATEL ETE CETEC FAI IEL – FIEMG SEBRAE SINDUSFARC FUNED BIOMINAS UFMG UFU PUC MINAS RENE RACHOU IEL – FIEMG SEBRAE EMBRAPA EPAMIG CEMIG IEL – FIEMG PETROBRAS SEBRAE APEX ABDI MCT MDIC MCT ABDI APEX MDIC MCT / ABDI APEX / MDIC
    8. 8. Faturamento na APL de Santa Rita do Sapucaí chegou a R$ 1 bi em 2008 (29/02/2009) Fonte: Imprensa Oficial - MG APL de Eletroeletrônica e Telecomunicações
    9. 9. APL de Biotecnologia Biotecnologia em Minas
    10. 10. APL DE SOFTWARE Número de municípios beneficiados: 35 Número de empresas beneficiadas: 1.300 Empregos formais gerados: 7.240 Faturamento 2008: R$ 2,8 bilhões (Fonte: Sociedade Mineira de Software - Fumsoft) A taxa de crescimento de BH de 2000 a 2007 é maior (150%) que das outras três cidades brasileiras que mais empregam: São Paulo (54%), Brasília (106%) e Rio de Janeiro (-4%) Software de Minas: “ Aqui se produz” Valor total 2008 / 2009: R$ 3 milhões 814 mil
    11. 11. APL DE BIOCOMBUSTÍVEIS REGIÕES : Etanol : Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba Biodiesel e Óleos Vegetais : Norte de Minas Carvão Vegetal e Biomassa : Região Central e Jequitinhonha Total de investimentos 2007-2009: R$ 25.190.169,00
    12. 12. GENÉTICA BOVINA LEITE CAFÉ FLORESTAS GESTÃO AMBIENTAL Programa Pólos de Excelência RECURSOS HÍDRICOS UFV UFLA UFVJM FAEMG SEBRAE SIF AMS INTERSIND EMBRAPA EMATER EPAMIG FAEMG SEBRAE UFJF CEFET UFLA UFV PATRIMONIAL SILEMG ITAMBÉ FETAEMG IEL-FIEMG ABICS CIC CNC EMBRAPA EMATER ANA IGAM UFMG UFV UFU UFOP CEMIG HIDROEX COPASA EMBRAPA ABCZ ASBIA EMBRAPA FASU FETAEMG FAEMG IMA SEBRAE EPAMIG FAEMG EAFM PRÓ-CAFÉ SEBRAE UFLA SINDCAFÉ ELETRO-ELETRÔNICOS E TELECOMUNICAÇÕES SINDVEL INATEL ETE CETEC FAI IEL – FIEMG SEBRAE UFLA UFTM UNIUBE UFMG UFV UFU MINERAL E METALÚRGICO UFOP UFMG UFSJ PUC CETEC FIEMG APEX ABDI MCT MDIC INHOTIM UFMG PUC MINAS UFOP
    13. 13. Pólo de Excelência Genética Bovina
    14. 14. Pólo de Excelência Recursos Hídricos
    15. 15. Pólo de Excelência Mineral e Metalúrgico
    16. 16. Pólo de Excelência Café
    17. 17. Pólo de Excelência Leite
    18. 18. Pólo de Excelência Florestas
    19. 19. Pólo de Excelência Gestão Ambiental
    20. 20. Pólo de Excelência Gemas e Joias
    21. 21. Programa Polos de Inovação Diamantina Corinto Janaúba Salinas Almenara Araçuaí Teófilo Otoni Montes Claros Pirapora Januária
    22. 22. Programa Pólos de Excelência, de Inovação e APLs RECURSOS HÍDRICOS GENÉTICA BOVINA LEITE MINERAL METALÚRGICO CAFÉ FLORESTAS GESTÃO AMBIENTAL SOFTWARE BIOCOMBUSTÍVEIS BIOTECNOLOGIA Diamantina Corinto Janaúba Salinas Almenara Araçuaí Teófilo Otoni Montes Claros Pirapora Januária ELETRO-ELETRÔNICOS E TELECOMUNICAÇÕES
    23. 23. Almenara Sto. Antônio do Jacinto Porteirinha Alfenas Boa Esperança Cataguases Timóteo Três Pontas Bicas Buritizeiro Cambuí Campo Belo Campos Gerais Crisólita Cristália Guarará Ibiaí Ilicínea Itamonte Jaíba Lima Duarte Maripá de Minas Sabará Sabinópolis Sta. Rita de Jacutinga Matias Barbosa Stna. Garambeu Virgem da Lapa
    24. 25. Almenara Sto. Antônio do Jacinto Porteirinha Alfenas Boa Esperança Cataguases Timóteo Três Pontas Espinosa Manga Bocaiúva Grão Mogol Brasília de Minas Janaúba Joaíma São Francisco Taiobeiras Monte Azul Pompéu Unaí
    25. 26. SOFTWARE GENÉTICA BOVINA CAFÉ FLORESTAS LEITE RECURSOS HÍDRICOS MINERAL METALÚRGICO GESTÃO AMBIENTAL BIOCOMBUSTÍVEIS ELETRO-ELETRÔNICOS E TELECOMUNICAÇÕES BIOTECNOLOGIA
    26. 27. RECURSOS HÍDRICOS GENÉTICA BOVINA Técnico em Agropecuária Técnico em Agronegócio Técnico em Zootecnia Técnico em Controle Ambiental Técnico em Meio Ambiente Técnico em Biotecnologia Técnico em Análises Químicas Técnico em Informática para Internet BIOCOMBUSTÍVEIS Técnico em Biocombustíveis Técnico em Controle Ambiental Técnico em Informática para Internet BIOCOMBUSTÍVEIS Técnico em Açúcar e Álcool Técnico em Controle Ambiental Técnico em Informática para Internet BIOTECNOLOGIA Técnico em Biotecnologia Técnico em Análises Químicas Técnico em Informática para Internet FLORESTAS Técnico em Meio Ambiente Técnico em Controle Ambiental Técnico em Florestas LEITE Técnico em Alimentos Técnico em Análises Químicas Técnico em Meio Ambiente Técnico em Informática para Internet CAFÉ Técnico em Informática para Internet Técnico em Cafeicultura Técnico em Meio Ambiente MINERAL METALÚRGICO MINERAL METALÚRGICO Técnico em Mineração Técnico em Recursos Minerais Técnico em Administração Técnico em Meio Ambiente Técnico em Controle Ambiental Técnico em Segurança do Trabalho Técnico em Logística ELETRO-ELETRÔNICOS E TELECOMUNICAÇÕES Técnico em Segurança do Trabalho Técnico em Serviços Públicos Técnico em Meio Ambiente Técnico em Informática para Internet GEMAS E JÓIAS Técnico em Design de Jóias Técnico em Floricultura Técnico em Paisagismo
    27. 28. Identificação de Demandas – Pólos de Excelência Região Curso Técnico Triângulo Mineiro Técnico em Açúcar e Álcool Técnico em Agronegócio Técnico em Análises Químicas Técnico em Biotecnologia Técnico em Controle Ambiental Técnico em Informática para Internet Técnico em Meio Ambiente Técnico em Zootecnia
    28. 29. Identificação de Demandas – Pólos de Excelência Região Curso Técnico Central Técnico em Administração Técnico em Agronegócio Técnico em Agropecuária Técnico em Análises Químicas Técnico em Biocombustíveis Técnico em Biotecnologia Técnico em Controle Ambiental Técnico em Design de Jóias Técnico em Florestas Técnico em Floricultura Técnico em Informática para Internet Técnico em Logística Técnico em Meio Ambiente Técnico em Mineração Técnico em Paisagismo Técnico em Recursos Minerais Técnico em Segurança do Trabalho Técnico em Zootecnia
    29. 30. Identificação de Demandas – Pólos de Excelência Região Curso Técnico Sudeste Técnico em Alimentos Técnico em Análises Químicas Técnico em Meio Ambiente Técnico em Informática para Internet
    30. 31. Identificação de Demandas – Pólos de Excelência Região Curso Técnico Sul Técnico em Cafeicultura Técnico em Informática para Internet Técnico em Meio Ambiente Técnico em Segurança do Trabalho Técnico em Serviços Públicos
    31. 32. Identificação de Demandas – Pólos de Excelência Região Curso Técnico Teófilo Otoni Técnico em Design de Jóias Técnico em Floricultura Técnico em Paisagismo

    ×