Silvana trabalho de grupo unopar

2.229 visualizações

Publicada em

dsafdasdfasdsadasdsadas

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.229
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
54
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Silvana trabalho de grupo unopar

  1. 1. Universidade Norte do Paraná SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO SERVIÇO SOCIAL MARIA MÉCIA ROCHA DE ANDRADE RAIMUNDA GOMES DA SILVA ROBERTO JOSÉ DA SILVA SILVANA DE SOUZA PINTO SOARES WENDESON RAMÓN MOURA DE OLIVEIRA O PROCESSO MIGRATÓRIO E SUAS INFLUÊNCIAS NA CONSTRUÇÃO DO VALOR DO TRABALHO, REMUNERAÇÃO E RENDA CARPINA – PE 2014
  2. 2. MARIA MÉCIA ROCHA DE ANDRADE RAIMUNDA GOMES DA SILVA ROBERTO JOSÉ DA SILVA SILVANA DE SOUZA PINTO SOARES WENDESON RAMÓN MOURA DE OLIVEIRA O PROCESSO MIGRATÓRIO E SUAS INFLUÊNCIAS NA CONSTRUÇÃO DO VALOR DO TRABALHO, REMUNERAÇÃO E RENDA. CARPINA – PE 2014 Trabalho de produção textual em grupo apresentado à Universidade Norte do Paraná- UNOPAR, como requisito parcial para a obtenção de média bimestral nas disciplinas do 1º semestre do curso de Graduação em Serviço Social.
  3. 3. INTRODUÇÃO Para podermos compreender a história e/ou o desenvolvimento de uma comunidade, cidade ou país é necessário, antes de tudo, entendermos os processos que determinaram seu crescimento, assim como o seu surgimento, o que designa em influências para a sua existência, ou seja, precisamos analisar todo o seu contexto histórico. A esse contexto apontamos como descritores e causas: a globalização e o processo migratório. Considerando que a globalização é responsável pela integração econômica em que vivemos. Afetando, direta e indiretamente, os deslocamentos espaciais da população, fazendo com que o horizonte dos migrantes seja o mundo deixando de se restringir à cidade, estado ou país. Enquanto, os movimentos migratórios, conhecidos também por deslocamentos de populações humanas, constituem um fenômeno muito antigo na história da humanidade. Caracterizam-se pela busca de novas oportunidades de vida que, em consequência, influenciam os aspectos políticos, sociais, culturais e religiosos dos países e das regiões de destino e de origem do migrante, respectivamente. Estes movimentos marcaram determinadas épocas da história da humanidade, em que se constata a força intrínseca no homem, de sobrevivência e de ambição. Juntos (globalização e migração), são responsáveis pela diversidade, tanto social quanto cultural, em que vivemos. No Brasil, por exemplo, as culturas se misturam como os ingredientes de uma sopa, pois o fluxo migratório, em grande massa das populações do Nordeste, dirige-se onde há oferta de emprego e condições de vida digna e satisfatória para todos. Um reflexo de tal situação é o aumento da densidade demográfica na cidade de São Paulo que recebe todos os dias centenas de imigrantes em busca de empregos que muitas vezes não encontram. Assim estruturada a pesquisa, traçou-se o seguinte tema para desenvolvê-la: O Processo Migratório e suas influências na construção do valor do trabalho,
  4. 4. remuneração e renda. A fim de dar conta deste tema, elaboraram-se as seguintes indagações:  Qual é o perfil migratório deste século?  Qual é a influência dos avanços tecnológicos e dos pólos educacionais na migração atual?  Quais são as perspectivas migratórias com base na diferenças regionais de renda e salário?  Que papel deve/deveria ter o Estado frente aos desafios migratórios em nível global? Esperamos que esta pesquisa somada aos conhecimentos prévios que temos a respeito desta temática possa contribuir para a troca de saberes, uma vez que, estamos fortalecendo cada vez mais nossa formação acadêmica. Desse modo, procura-se nesse trabalho apresentar a importância do perfil dos fluxos migratórios, seu desenvolvimento, suas vantagens, influência e sua relação na construção do trabalho, da remuneração, no desenvolvimento das regiões receptoras e das doadoras de pessoal. A DÍADE ENTRE MIGRAÇÃO x GLOBALIZAÇÃO As transformações rápidas e profundas geradas pela globalização têm tido um grande impacto sobre os movimentos migratórios, mas de forma ainda segmentada e contraditória. Por um lado, parece existir um consenso na literatura de que a globalização constitui o motor principal da migração internacional neste momento histórico (MASSEY et al., 1998, p. 277). Por definição, a globalização leva ao desarraigamento quando acelera o progresso econômico que transforma comunidades, estimula as pessoas a abandonar trabalhos tradicionais e a buscar novos lugares, enquanto as obriga a confrontarem-se com novos costumes e novas maneiras de pensar (MILANOVIC, 1999, p. 10-11). Mas as diferentes assimetrias observadas acima também impulsionam o deslocamento populacional. Assim, os subsídios à agricultura nos países desenvolvidos impactam na baixa renda dos agricultores nos subdesenvolvidos, provocando tanto a migração rural-urbana como a emigração. As desigualdades crescentes entre países, resultantes do conjunto das assimetrias, aumentam per se a motivação para migrar (MARTIN, 2004, p. 448-9). Ao
  5. 5. mesmo tempo, a globalização aumenta o fluxo de informações a respeito das oportunidades ou dos padrões de vida existentes ou imaginados nos países industrializados. Dessa forma, suscita uma vontade cada vez maior de migrar e de aproveitar as oportunidades e as comodidades que aparentemente estão sendo criadas em outros países. Em suma, os padrões da migração internacional refletem tanto as desigualdades entre países como as mudanças econômicas e sociais que ocorrem em diferentes países. No atual momento histórico, exceto no caso dos conflitos armados e dos desastres naturais, a globalização é o principal fator que ativa os movimentos migratórios entre países e determina seus contornos. Entretanto, esse não é o aspecto mais marcante da relação atual entre globalização e migração. Mais notável ainda é como a migração é limitada e restrita dentro do contexto atual, considerando a multiplicação demográfica, assim como os enormes avanços nos domínios de transporte e comunicação havidos na atual fase de globalização, era de se esperar uma expansão muito maior da migração internacional no atual momento histórico. Devido, o estímulo massivo à migração, provocado pela globalização, não é acompanhado por um aumento correspondente de oportunidades porque os países que atraem migrantes bloqueiam sistematicamente sua entrada. Pois, o bordão que define a globalização: "o mundo sem fronteiras", não se aplica ao movimento de pessoas. Considerando que o capital humano é um fator de produção que, formalmente, não tem livre trânsito entre fronteiras nos dias de hoje; não existe um "mercado global de trabalho". As fronteiras abrem-se para o fluxo de capitais e mercadorias, mas estão cada vez mais fechadas aos migrantes: essa é a grande inconsistência que define o atual momento histórico no que se refere às migrações internacionais. Com base nesse contexto, podemos observar que a globalização é motivadora e uma influente causa de oportunidade, pelo menos na visão da população que acreditam na ação migratória. Sobretudo, é importante entendermos e revisarmos sobre os principais aspectos da migração contemporânea e analisar o que eles aportam e o que eles têm de negativo, para poder entender melhor por que a migração não pode fluir livremente.
  6. 6. O FLUXO MIGRATÓRIO Ao analisar a evolução do homem sob o aspecto da mobilidade, verifica-se que esta sempre foi uma necessidade inerente à raça humana. Em um primeiro momento, pode-se dizer que estes deslocamentos visavam garantir a sobrevivência dos indivíduos visto que estes buscavam lugares que provessem segurança e alimento para assegurar sua integridade física. Com o advento do capitalismo e, com ele, o surgimento de um novo modo de produção, os indivíduos passaram a se deslocar em função das condições socioeconômicas, buscando oportunidades de trabalho em lugares estranhos a sua origem. Assim, a migração, ou seja, a “[...] mudança permanente ou semipermanente de residência” (LEE, 1980, p. 99), nos seres humanos é movida pelos mais diferentes motivos, acompanhando o movimento de evolução da própria sociedade. Para Andrade (1998), amigração pode ser analisada a partir de dois enfoques: espaço e tempo. Com relação aoespaço, tem-se a classificação como interna (dentro de um mesmo país) ou externa (fora do país de origem). E, com relação ao tempo, pode-se ter uma migração de caráter temporário ou permanente. A conquista do direito ao lazer, o acesso aos bens de consumo e a facilidade de acesso a diferentes escalas permitiu que o homem contemporâneo conseguisse atravessar vários territórios durante a sua vida. A possibilidade de ter uma vida estável em outros lugares, através de estudos ou trabalho, contribui para que o homem esteja, constantemente, passando por períodos contínuos de desterritorialização e reterritorialização. Entende-se que a partir do momento em que as pessoas saem do seu lugar de origem, encontram-se em processo de desterritorialização, ou seja, ocorre uma desvinculação física deste espaço. Com relação à composição étnica do Brasil, as grandes correntes migratórias que vieram para o país, como a dos alemães, italianos, japoneses, portugueses etc., não foram as únicas responsáveis pela formação étnica do país. Na realidade, antes da chegada dos colonizadores portugueses, já viviam aqui grupos indígenas, da etnia tupi, principalmente. Estes grupos contribuíram para que a população atual tivesse traços físicos e culturais diferenciados que marcam até hoje os regionalismos no Brasil.
  7. 7. O PROCESSO MIGRATÓRIO E SUAS INFLUÊNCIAS Em muitos momentos da história da humanidade, observa-se que as migrações internas e externas acontecidas em várias partes do mundo estão relacionadas à busca incessante do homem por melhores condições de vida. Porém o que se ver é que apenas uma parcela da população mundial consegue usufruir dos bens materiais produzidos que deveria estar disponível para todos. Como já vimos subitem da díade entre migração x globalização, isso ocorre devido a inúmeras burocracias imposto pelos próprios países, considerando, também que o processo migratório hoje se encontra relacionado à globalização da economia mundial. Para história do Brasil, o deslocamento espacial dos séculos XIX e XX, é o grande responsável pela diversidade racial, cultural e religiosa. Difundindo, assim, o pluralismo. Nas últimas décadas, o fenômeno migratório no Brasil continuou intenso. O povo brasileiro parece viver num estado crônico de mobilidade que adquire características específicas dependendo dos períodos e dos lugares nos quais se processa. De fato, as migrações foram influenciadas de forma decisiva pelo processo de globalização, e, em decorrência das transformações e reconfigurações que sofreram, passaram a ocupar papel de destaque em diferentes debates políticos nos quais até então eram desconsideradas, hoje, tornaram-se objetos de debates acalorados na era globalizada, debates esses marcados pela pluralidade de atores e grupos participantes. Outro fator influente é a tecnologia, que absorveu um grande número de imigrantes qualificados de países em desenvolvimento, e um êxodo inicial de profissionais liberais, estudantes e trabalhadores qualificados seguiu para os locais em que havia melhores condições de trabalho. Os movimentos migratórios internacionais, devido a sua complexidade e heterogeneidade, serem responsáveis por várias influências nas sociedades envolvidas – tanto de origem quanto de recepção – tem como consequência o surgimento, na mesma proporção dessas influências, de distintas percepções sobre
  8. 8. esses fluxos, uma vez que sãomuitos os grupos sociais afetados por essa nova realidade. Nessa perspectiva, entendemos os fluxos de migrantes como uma ação altamente padronizada, que apresenta regularidades histórica, que muitas vezes independe da realidade particular dos Estados, esta diretamente relacionada à influencia dos países desenvolvidos sobre aqueles em desenvolvimento em um processo de contra partida do capital, constituindo tais fluxos migratórios uma consequência estrutural da expansão dos mercados dentro da hierarquia política global. Como podemos ver as migrações expandiram seu campo de influências pelos mais variados âmbitos, impactando de forma profunda e difusa as dimensões do político, do econômico, do social e do cultural. CONCLUSÃO A mobilidade humana é um fenômeno amplo e complexo. Abrange numerosos atores sociais pertencentes a uma pluralidade de classes, etnias, culturas e religiões. As causas e as motivações que levam aos deslocamentos são variadas, tendo consequências bastante diversificadas, dependendo dos diferentes contextos socioculturais e da singularidade de cada pessoa. Cabe frisar, contudo, que as migrações em si representam um fenômeno basicamente positivo. Não podemos esquecer o direito humano de ir e vir, as funções sociais e econômicas dos deslocamentos, a relativa melhoria das condições de vida da fuga de situações de opressão ou de catástrofes ecológicas, as novas oportunidade abertas e o enriquecimento cultural decorrente do encontro entre diferentes povos, culturas e religiões. Entretanto, deve-se lembrar também que, frequentemente, por trás das migrações escondem-se aspectos negativos ou conflitivos, como a expulsão do lugar de residência, o desenraizamento cultural, a desestruturação identitária e religiosa, a exclusão social, a rejeição e a dificuldade de inserção no lugar de chegada. Hoje, em geral, a migração não é consequência de uma escolha livre, mas tem uma raiz claramente compulsória. A maioria dos migrantes é impelida a abandonar a própria terra ou o próprio bairro, buscando melhores condições de vida e fugindo de situações de violência estrutural e doméstica. Este é um grande desafio, pois “migrar” é um direito humano, mas “fazer migrar” é uma violação dos direitos humanos!
  9. 9. Acreditamos que a realização deste trabalho proporcionou a troca de conhecimentos entre as disciplinas, pois percebemos que elas interagem de maneira significativa nos estudos realizados, fortalecendo a construção de novos saberes. Vale ressaltar que cada mestre também teve sua participação significativa para a construção do mesmo, pois por intermédio dos conteúdos expostos e das atividades desenvolvidas tornou-se mais fácil o entendimento e a busca, bem como do fortalecimento e do enriquecimento do Curso de Serviço Social. Todas as ferramentas utilizadas para a construção e realização desta Produção Textual Interdisciplinar em Grupo com certeza contribuirão de maneira plena em nossa formação profissional.
  10. 10. REFERÊNCIAS MASSEY, D.S. et al. Worlds in Motion: Understanding International Migration at the end of the Millennium. Oxford: Clarendon Press, 1998. DURAND, Jorge; PARRADO, Emílio A.; MASSEY, Douglas. Migradollars andDevelopment: A Reconsideration of the Mexican Case. International Review 30(2), 1998. MILANOVIC, B. On the threshold of the Third Globalization: Why Liberal Capitalism Might Fail? Washington, DC: World Bank - Development Economics Research Group (DECRG), December 1999. Preliminary Draft. Disponível em: <http://ssrn.com/abstract=262176>. MARTIN, P.L. Migration. In: LOMBORG, B. (Ed.). Global Crises, Global Solutions. Cambridge, United Kingdom: Cambridge University Press, 2004. p. 443-477. LEE, Everett. S. Uma teoria sobre a migração. In: MOURA, Hélio Augusto de. (coord.).Migração Interna: textos selecionados. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, 1980, p.89-114. ANDRADE, Manoel Correia de. O homem como produtor e consumidor. In: _______.Geografia Econômica. São Paulo: Atlas, 1998, p. 41- 63.

×