Sétima   dePentecoste    s
Com.: Dom da Piedade - O dom da   piedade é auxiliado por duas virtudesteologais: a da esperança e a da caridade. Pela vir...
6º dia: O Espírito Santo,      dom de Deus
Vinde, Espírito Santo,enchei os corações dos vossos fiéis,      e acendei neles o fogo          do vosso amor.      Enviai...
Oremos: Ó Deus, que instruíste oscorações de Vossos fiéis com a Luz    do Espírito Santo, fazei que  apreciemos retamente ...
Oração IntrodutóriaC.: Vinde, Espírito Santo e enviai-nos do alto docéu, um raio da vossa luz!T.: Vinde, Pai dos pobres, v...
C.: Ó luz da felicidade, inundai plenamente oscorações dos vossos fiéis!T.:   Sem o vosso auxílio, nada pode ohomem, nada ...
C.: Dai aos vossos fiéis, que em vós confiam, ossete dons sagrados!T.: Dai-nos o mérito da virtude! Dai-nos otroféu da sal...
L eitura BíblicaLeitura da Carta de Paulo aos Romanos,capítulo 5, versículos de 1 a 5:1. Justificados, pois, pela fé temos...
3. Não só isso, mas nos gloriamos até dastribulações. Pois sabemos que a tribulaçãoproduz a paciência, 4. a paciência prov...
5. E a esperança não engana. Porque o amorde Deus foi derramado em nossos coraçõespelo Espírito Santo que nos foi dado.C.:...
ReflexãoL.: Dizia o Evangelho de João, na leitura quevimos em nosso encontro anterior (Jo 7, 37-9),que o “Espírito ainda n...
Depois da catequese sobre o Espírito Santo-também já vista por nós (capítulos 14, 15 e 16de São João), Jesus se dirige ao ...
Após esses fatos (capítulo 20), naquele que éconsiderado o “Pentecostes apostólico”, jávemos os efeitos da glorificação de...
Na outra descrição de Pentecostes registradapor Lucas (Atos 1 e 2), temos outras evidênciasdo novo modo de o Espírito Sant...
Na seqüência, acontece o prometido. Osapóstolos, com Maria e algumas outrasmulheres, estavam em oração no Cenáculoquando u...
Quando o povo, atônito com aquelamanifestação espiritual, pergunta a Pedro o quefazer, ele diz: “Arrependam-se, sejam bati...
Cumpriu-se a promessa. Com Jesus glorificado,o Espírito é dado para todos os que ouvem ochamado do Senhor nosso Deus. O Pa...
Agora o Espírito se doa a todos, vem para estarem nós (“Acaso não sabeis que sois templo doEspírito?”, cf. 1Cor 3, 16), ve...
E nosso Catecismo da Igreja Católica nosconfirma: “O Espírito Santo está em ação com oPai e o Filho do inicio até a consum...
C onsagração ao Divino E spírito Santo T.: Ó Espírito Santo, Divino Espírito deluz e de amor, eu vos consagro a minha inte...
Que o meu coração seja sempre inflamado doamor de Deus e pelo próximo. Que a minhavontade seja sempre conforme a vontadedi...
Oração Final C.: Espírito Santo, que conduziste osprofetas por desertos de areia ou pelaamplidão dos mares.T.: Sopra sobre...
C.: Sopra sobre nossos lábios, a fim deque só digam e cantem a Verdade deque liberta.T.: Abre nossos corações à beleza dom...
C.: Para que todos os nossos encontrossejam sempre louvores a Deus emotivos de amor.T.: E todas as criaturas constituamopo...
Hino L itúrgico              Veni C reator  Vem, Espírito Criador, visita o espírito             dos que são teus.   Enche...
Tu nos ofereces os sete dons, Tu és o        dedo da mão de Deus,    a verídica promessa do Pai:        Tu inspiras nossa ...
Afasta para longe de nós o inimigo.     Desde agora dá-nos a paz. Sê nosso guia no caminho para que     possamos evitar to...
6º dia
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

6º dia

994 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
994
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
378
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

6º dia

  1. 1. Sétima dePentecoste s
  2. 2. Com.: Dom da Piedade - O dom da piedade é auxiliado por duas virtudesteologais: a da esperança e a da caridade. Pela virtude da esperança participamos da execução das promessas de Deus e,pela virtude da caridade, amamos a Deus e ao próximo.
  3. 3. 6º dia: O Espírito Santo, dom de Deus
  4. 4. Vinde, Espírito Santo,enchei os corações dos vossos fiéis, e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado. E renovareis a face da terra.
  5. 5. Oremos: Ó Deus, que instruíste oscorações de Vossos fiéis com a Luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas ascoisas, segundo o mesmo Espírito, e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo, Senhor Nosso. Amém.
  6. 6. Oração IntrodutóriaC.: Vinde, Espírito Santo e enviai-nos do alto docéu, um raio da vossa luz!T.: Vinde, Pai dos pobres, vinde, fonte detodos os dons, vinde, luz dos corações!C.: Consolador magnífico! Doce hóspede daalma! Doce reconforto!T.: Sois repouso para o nosso trabalho,calmante para as nossas paixões, lenitivopara as nossas lágrimas!
  7. 7. C.: Ó luz da felicidade, inundai plenamente oscorações dos vossos fiéis!T.: Sem o vosso auxílio, nada pode ohomem, nada produz de bom!C.: Lavai as nossas manchas! Banhai a nossaaridez! Sarai as nossas feridas!T.: Dobrai a nossa dureza! Aquecei a nossafraqueza! Retificai os nossos erros!
  8. 8. C.: Dai aos vossos fiéis, que em vós confiam, ossete dons sagrados!T.: Dai-nos o mérito da virtude! Dai-nos otroféu da salvação! Dai-nos a alegria eterna!Amém! Aleluia!
  9. 9. L eitura BíblicaLeitura da Carta de Paulo aos Romanos,capítulo 5, versículos de 1 a 5:1. Justificados, pois, pela fé temos a paz comDeus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.2. Por ele é que tivemos acesso a essa graça,na qual estamos firmes, e nos gloriamos naesperança de possuir um dia a glória de Deus.
  10. 10. 3. Não só isso, mas nos gloriamos até dastribulações. Pois sabemos que a tribulaçãoproduz a paciência, 4. a paciência prova afidelidade e a fidelidade, comprovada, produz aesperança.
  11. 11. 5. E a esperança não engana. Porque o amorde Deus foi derramado em nossos coraçõespelo Espírito Santo que nos foi dado.C.: Palavra do Senhor.T.: Graças a Deus.
  12. 12. ReflexãoL.: Dizia o Evangelho de João, na leitura quevimos em nosso encontro anterior (Jo 7, 37-9),que o “Espírito ainda não tinha sido dadoporque Jesus não tinha ainda sido glorificado.”
  13. 13. Depois da catequese sobre o Espírito Santo-também já vista por nós (capítulos 14, 15 e 16de São João), Jesus se dirige ao Pai em oraçãoe pede que seja removida essa barreira: “Pai, échegada a hora: glorifica o teu Filho, para que oteu Filho possa glorificar-te...” (Jo 17, 1). E nóssabemos em que consiste a glorificação deJesus, descrita nos capítulos seguintes (18 e19): prisão, julgamento, paixão, morte eressurreição!
  14. 14. Após esses fatos (capítulo 20), naquele que éconsiderado o “Pentecostes apostólico”, jávemos os efeitos da glorificação de Jesus:embora as portas estivessem fechadas, Jesusaparece no meio deles, mostra-lhes suaschagas gloriosas, deseja-lhes a paz, soprasobre eles (retomando uma imagem do Espíritomuito conhecida deles,o ruah) e diz: “Recebamo Espírito Santo! ( Jo 20, 19-21). Como a dizer:“Sim, recebam-no; agora Ele pode ser dado(como Eu vos disse!), agora Ele é dom paravocês...”
  15. 15. Na outra descrição de Pentecostes registradapor Lucas (Atos 1 e 2), temos outras evidênciasdo novo modo de o Espírito Santo estarpresente. Jesus, já ressuscitado e prestes aascender aos céus (glorificado, portanto), instruios apóstolos a aguardarem em Jerusalém, poisagora iria se cumprir-se a promessa do Pai.“Vocês vão receber o poder do Espírito Santo,que virá até vós” (cf. At 1,8), dizia.
  16. 16. Na seqüência, acontece o prometido. Osapóstolos, com Maria e algumas outrasmulheres, estavam em oração no Cenáculoquando um vento impetuoso tomou conta dolugar, e umas como que línguas de fogopousaram sobre eles, que logo começaram a seexpressar com manifestações carismáticas,“falando em diferentes línguas conforme oEspírito lhes concedia que falassem.” E sendoentendidos por “pessoas de diferentes línguas enações” (cf. Atos 1,12-14, Atos 2, 1ss).
  17. 17. Quando o povo, atônito com aquelamanifestação espiritual, pergunta a Pedro o quefazer, ele diz: “Arrependam-se, sejam batizadosem nome de Jesus para o perdão de vossospecados, e recebereis o dom do Espírito Santo;pois a promessa que foi feita a respeito dele épara vós, para vossos filhos e para todosaqueles que estão distantes, e que Deus estáchamando a Ele,” (cf. Atos 2, 37-39).
  18. 18. Cumpriu-se a promessa. Com Jesus glorificado,o Espírito é dado para todos os que ouvem ochamado do Senhor nosso Deus. O Pai e oFilho como doadores -se doam a nós naPessoa do Espírito Santo. Ele é uma Pessoa-dom, para nós de agora em diante. Inicia-se aí,em Pentecostes, uma possibilidade derelacionamento com Deus, no Espírito Santo,como nunca fora possível antes. Privilégio dostempos messiânicos, privilégio nosso.
  19. 19. Agora o Espírito se doa a todos, vem para estarem nós (“Acaso não sabeis que sois templo doEspírito?”, cf. 1Cor 3, 16), vem para estar“eternamente conosco” (cf. Jo 14, 16), comoPessoa divina ( e não como uma coisa!), demodo não apenas natural mas, pela graça dossacramentos, de um modo que superaadmiravelmente a nossa natureza humana (cf.1Cor 2, 4-5.10-14).
  20. 20. E nosso Catecismo da Igreja Católica nosconfirma: “O Espírito Santo está em ação com oPai e o Filho do inicio até a consumação doProjeto da nossa Salvação. Mas é nos ‘últimostempos’, inaugurados pela Encarnaçãoredentora do Filho, que Ele é revelado e dado,reconhecido e acolhido como Pessoa.” (n.686).Buscar, pois, ter para com a Pessoa Divina doEspírito Santo um relacionamento pessoalíntimo, é corresponder aos dom (ao presente)que Deus faz de Si mesmo, a nós, emPentecostes. Há como recusar isso?!
  21. 21. C onsagração ao Divino E spírito Santo T.: Ó Espírito Santo, Divino Espírito deluz e de amor, eu vos consagro a minha inteligência, o meu coração e a minhavontade, todo o meu ser, no tempo e na eternidade. Que a minha inteligência seja sempre dócil às vossas celestesinspirações e à doutrina da Santa Igreja Católica, de que sois guia infalível.
  22. 22. Que o meu coração seja sempre inflamado doamor de Deus e pelo próximo. Que a minhavontade seja sempre conforme a vontadedivina, e que toda a minha vida seja umaimitação fiel da vida e das virtudes de NossoSenhor e Salvador Jesus Cristo, a quem, com oPai e convosco, sejam dadas honra e glóriapara sempre Amém.(Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória ao Pai)
  23. 23. Oração Final C.: Espírito Santo, que conduziste osprofetas por desertos de areia ou pelaamplidão dos mares.T.: Sopra sobre nossos olhos, a fim deque, por toda parte, saibam ver aTrindade Santa.
  24. 24. C.: Sopra sobre nossos lábios, a fim deque só digam e cantem a Verdade deque liberta.T.: Abre nossos corações à beleza domundo, ao alegre esplendor das formassensíveis
  25. 25. C.: Para que todos os nossos encontrossejam sempre louvores a Deus emotivos de amor.T.: E todas as criaturas constituamoportunidades que nos levem aoCriador. Amém.
  26. 26. Hino L itúrgico Veni C reator Vem, Espírito Criador, visita o espírito dos que são teus. Enche de graça e de esplendor os corações que tu mesmo criaste. Nós te chamamos o Defensor, dom de Deus altíssimo.fonte viva, fogo, amor e unção da graça.
  27. 27. Tu nos ofereces os sete dons, Tu és o dedo da mão de Deus, a verídica promessa do Pai: Tu inspiras nossa voz. Abrasa-nos em tua luz, enche nossos corações. O que é fragilidade em nosso corpo revigora com Teu vigor.
  28. 28. Afasta para longe de nós o inimigo. Desde agora dá-nos a paz. Sê nosso guia no caminho para que possamos evitar todo mal. Dá que conheçamos o Pai, revela-nos o filho,Tu és o Espírito do Pai e do filho. Que sempre creiamos em Ti! FIM

×