Análise Essencial
O que é um Sistema de Informação?
O que é um Sistema de Informação?
É um sistema, seja ele automatizado, computadorizado ou manual, que abrange
pessoas, máq...
O método que um analista empregará para o desenvolvimento de um sistema, pode ser
entendido como um caminho a ser percorri...
Análise Essencial
A análise essencial deve começar com o entendimento daquilo que o usuário está
solicitando. Este entendi...
Análise Essencial
A análise essencial deve começar com o entendimento daquilo que o usuário está
solicitando. Este entendi...
Análise Essencial
A análise essencial deve começar com o entendimento daquilo que o usuário está
solicitando. Este entendi...
O desenvolvimento de um sistema
Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases.
O...
O desenvolvimento de um sistema
Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases.
O...
O desenvolvimento de um sistema
Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases.
O...
O desenvolvimento de um sistema
Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases.
O...
O desenvolvimento de um sistema
Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases.
O...
O desenvolvimento de um sistema
Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases.
O...
O desenvolvimento de um sistema
Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases.
O...
O desenvolvimento de um sistema
Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases.
O...
O desenvolvimento de um sistema
Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases.
O...
Análise Essencial
- A análise essencial, propõe o particionamento do sistema por eventos.
Análise Essencial
- A análise essencial, propõe o particionamento do sistema por eventos.
- Um evento pode ser definido in...
Análise Essencial
- A análise essencial, propõe o particionamento do sistema por eventos.
- Um evento pode ser definido in...
Análise Essencial
- A análise essencial, propõe o particionamento do sistema por eventos.
- Um evento pode ser definido in...
Análise Essencial
Definições:
Processo: Conjunto de atividade que produzem, modificam ou atribuem
qualidade às informações...
Análise Essencial
Simbologia:
Processo
Depósito de dados
Entidade Externa
Fluxo de Dados
MiniEspec
A miniespec deve definir a forma pela qual os fluxos de dados de entrada são transformados
em fluxos de dados de...
Português estruturado
Algoritmo "SomaDeDoisValores";
variável:
SOMA,A,B: inteiro;
inicio
Escreva("Digite um numero");
Leia...
Tabela de decisão
Árvore de decisão
Diagrama de contexto
O DFD de mais alto nível que representa todo o sistema como um único processo é
conhecido como diagra...
Diagrama de contexto
Sistema PDV
Vendedor
Pedido
Pedido Aprovado
Vendas
Comissão
Vendas do Dia
Compras
Solicitação de comp...
Tabela de Eventos
Antes dos DFDs, precisamos conhecer bem os eventos que compões o sistema a ser
desenvolvido.
Isso é feit...
Tabela de Eventos
Número Evento Tipo Estímulo Ações Resposta
1 Cliente entrega o
pedido.
F Pedido Registrar
pedido
(Pedido...
Evento Orientado por Fluxo de Dados
- Um evento orientado por fluxo de dados é aquele que o estímulo é a chegada ao sistem...
Evento Orientado por Fluxo de Dados
- Um evento orientado por fluxo de dados é aquele que o estímulo é a chegada ao sistem...
Evento Orientado por Controle
- Um evento orientado por controle é aquele que o estímulo é a chegada ao sistema de um
flux...
Evento Orientado por Controle
- Um evento orientado por controle é aquele que o estímulo é a chegada ao sistema de um
flux...
Dicionário de dados
- Um dicionário de dados é uma coleção de metadados que contêm definições e
representações de elemento...
Evento Orientado por Tempo (Temporal)
- Um evento orientado por tempo é aquele que o estímulo é a chegada ao sistema da
in...
Evento Orientado por Tempo (Temporal)
- Um evento orientado por tempo é aquele que o estímulo é a chegada ao sistema da
in...
Sincronismo de Eventos
-Podemos sincronizar os eventos quanto ao grau de sincronismo entre eles.
Tal grau pode avaliar des...
Dicionário de dados
Símbolo Significado
= é composto de
() opcional (pode estar presente ou ausente)
{} iteração
[] escolh...
Dicionário de dados
Descrição dos dados.
Endereço Cliente = @Código Cliente
Rua
Número
Complemento
[CEP]
Sigla-UF % Sigla ...
Dicionário de dados
Descrição dos dados.
Código Cliente = {@CPF % CPF se pessoa física ou %
@CNPJ % } % CNPJ se pessoa jur...
Diagrama entidade
Diagrama entidade relacionamento é um modelo diagramático que descreve o modelo
de dados de um sistema c...
DER
O DER é composto de poucos símbolos gráficos que representam os
relacionamentos do banco, listados a seguir:
Retângulo...
Dados
Entidades
Entidades são qualquer elemento que possua atributos que serão utilizados na base
de dados, como por exemp...
Dados
Relacionamentos:
O relacionamento 1-1 (um para um)
Ocorrem quando uma se relaciona com no máximo 1 para com a outra....
Relacionamentos
Os relacionamentos 1-N (um para n, um para muitos)
Ocorrem quando o relacionamento da entidade a para a en...
Relacionamentos
Os Relacionamentos N-N(n para n, muitos para muitos)
Ocorrem quando tanto de a para b quanto de b para a o...
Diagrama de Fluxos de Dados
O diagrama de fluxos de dados (DFD) é uma ferramenta para a modelagem de sistemas.
Ela fornece...
Diagrama de Fluxos de Dados
Regras de utilização dos objetos
Embora nem todos os autores utilizem os mesmos símbolos para ...
Diagrama de Fluxos de Dados
Número Evento Tipo Estímulo Ações Resposta
1 Cliente entrega o
pedido.
F Pedido Registrar
pedi...
Diagrama de Fluxos de Dados
Número Evento Tipo Estímulo Ações Resposta
1 Cliente entrega o
pedido.
F Pedido Registrar
pedi...
Diagrama de Fluxos de Dados
Número Evento Tipo Estímulo Ações Resposta
1 Cliente entrega o
pedido.
F Pedido Registrar
pedi...
Diagrama de Fluxos de Dados
Número Evento Tipo Estímulo Ações Resposta
1 Cliente entrega o
pedido.
F Pedido Registrar
pedi...
Diagrama de Fluxos de Dados
Evento Tipo Estímulo Ações Resposta
2 Cliente cancela o
pedido.
F Pedido de
cancelamento
Cance...
Diagrama de Fluxos de Dados
Evento Tipo Estímulo Ações Resposta
2 Cliente cancela o
pedido.
F Pedido de
cancelamento
Cance...
Diagrama de Fluxos de Dados
Evento Tipo Estímulo Ações Resposta
2 Cliente cancela o
pedido.
F Pedido de
cancelamento
Cance...
Diagrama de Fluxos de Dados
Evento Tipo Estímulo Ações Resposta
2 Cliente cancela o
pedido.
F Pedido de
cancelamento
Cance...
Diagrama de transição de Estado
Em engenharia de software e eletrônica digital, um diagrama de transição de estados é uma
...
Diagrama de transição de Estado
Apagada
Acesa
Interruptor
Foi Ligado
Acender
Lâmpada
Interruptor
Foi Desligado
Apagar
Lâmp...
Diagrama de transição de Estado
Apagada
Acesa
Interruptor
Foi Ligado
Acender
Lâmpada
Interruptor
Foi Desligado
Apagar
Lâmp...
Diagrama de transição de Estado
Outro exemplo de diagrama de transição de estado, representando as estações do ano.
Diagrama de transição de Estado
Primavera
Diagrama de transição de Estado
Primavera
Verão
Diagrama de transição de Estado
Primavera
Verão
Outono
Diagrama de transição de Estado
Primavera
Verão
Outono
Inverno
Diagrama de transição de Estado
Primavera
Verão
Outono
Inverno
Análise Essencial
Análise Essencial
Modelo Essencial Modelo de implementação
Análise Essencial
A Análise Essencial é a técnica que orienta a análise de sistemas para a essência do negócio
ao qual se ...
Análise Essencial
Análise Essencial
Guia Prático de Análise de Sistema
S. Pompilho
Análise Essencial (23/05/2011)
http://p...
Análise Essencial
Tiago Serra
E-mail: contato@tiagoserra.com
Site: http://tiagoserra.com
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Análise essencial

490 visualizações

Publicada em

“A análise essencial deve começar com o entendimento daquilo que o usuário está solicitando. Este entendimento no primeiro momento, refere-se apenas ao tracejamento dos limites fronteiriços do sistema.”

Publicada em: Software
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
490
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Análise essencial

  1. 1. Análise Essencial
  2. 2. O que é um Sistema de Informação?
  3. 3. O que é um Sistema de Informação? É um sistema, seja ele automatizado, computadorizado ou manual, que abrange pessoas, máquinas e ou métodos organizados para coletar, processar, transmitir e disseminar dados que representam informação para o usuário ou cliente.
  4. 4. O método que um analista empregará para o desenvolvimento de um sistema, pode ser entendido como um caminho a ser percorrido em etapas, algumas delas podendo ser desenvolvidas em paralelo, outras não. As técnicas são procedimentos parametrizados e sistemáticos, pelos quais uma tarefa é executada; em uma analogia: é a forma de se caminhar pelo caminho escolhido. Método de desenvolvimento
  5. 5. Análise Essencial A análise essencial deve começar com o entendimento daquilo que o usuário está solicitando. Este entendimento no primeiro momento, refere-se apenas ao tracejamento dos limites fronteiriços do sistema, ou seja, procure responder:
  6. 6. Análise Essencial A análise essencial deve começar com o entendimento daquilo que o usuário está solicitando. Este entendimento no primeiro momento, refere-se apenas ao tracejamento dos limites fronteiriços do sistema, ou seja, procure responder: O que o sistema deverá fazer?
  7. 7. Análise Essencial A análise essencial deve começar com o entendimento daquilo que o usuário está solicitando. Este entendimento no primeiro momento, refere-se apenas ao tracejamento dos limites fronteiriços do sistema, ou seja, procure responder: O que o sistema deverá fazer? Quais são seus objetivos?
  8. 8. O desenvolvimento de um sistema Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases. O encadeamento dessas fases para a construção de um sistema, denominamos:
  9. 9. O desenvolvimento de um sistema Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases. O encadeamento dessas fases para a construção de um sistema, denominamos: Ciclo de vida do desenvolvimento de sistemas
  10. 10. O desenvolvimento de um sistema Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases. O encadeamento dessas fases para a construção de um sistema, denominamos: Ciclo de vida do desenvolvimento de sistemas Análise
  11. 11. O desenvolvimento de um sistema Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases. O encadeamento dessas fases para a construção de um sistema, denominamos: Ciclo de vida do desenvolvimento de sistemas Análise Projeto
  12. 12. O desenvolvimento de um sistema Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases. O encadeamento dessas fases para a construção de um sistema, denominamos: Ciclo de vida do desenvolvimento de sistemas Análise Projeto Implementação
  13. 13. O desenvolvimento de um sistema Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases. O encadeamento dessas fases para a construção de um sistema, denominamos: Ciclo de vida do desenvolvimento de sistemas Análise Projeto Implementação
  14. 14. O desenvolvimento de um sistema Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases. O encadeamento dessas fases para a construção de um sistema, denominamos: Ciclo de vida do desenvolvimento de sistemas Análise Projeto Implementação “O que” o sistema deve fazer em termos essenciais.
  15. 15. O desenvolvimento de um sistema Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases. O encadeamento dessas fases para a construção de um sistema, denominamos: Ciclo de vida do desenvolvimento de sistemas Análise Projeto Implementação “Como” o sistema funcionará para atender aos requisitos especificados.
  16. 16. O desenvolvimento de um sistema Como toda linha de produção, o desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases. O encadeamento dessas fases para a construção de um sistema, denominamos: Ciclo de vida do desenvolvimento de sistemas Análise Projeto Implementação A fase em que será efetuada a construção do sistema de acordo com o modelo de funcionamento.
  17. 17. Análise Essencial - A análise essencial, propõe o particionamento do sistema por eventos.
  18. 18. Análise Essencial - A análise essencial, propõe o particionamento do sistema por eventos. - Um evento pode ser definido informalmente como um acontecimento do mundo externo, que requer uma resposta do sistema.
  19. 19. Análise Essencial - A análise essencial, propõe o particionamento do sistema por eventos. - Um evento pode ser definido informalmente como um acontecimento do mundo externo, que requer uma resposta do sistema. - Um estímulo é um ativador de uma função do sistema. E a forma como o evento age sobre o sistema.
  20. 20. Análise Essencial - A análise essencial, propõe o particionamento do sistema por eventos. - Um evento pode ser definido informalmente como um acontecimento do mundo externo, que requer uma resposta do sistema. - Um estímulo é um ativador de uma função do sistema. E a forma como o evento age sobre o sistema. - Uma resposta é o resultado gerado pelo sistema devido à ocorrência de um evento.
  21. 21. Análise Essencial Definições: Processo: Conjunto de atividade que produzem, modificam ou atribuem qualidade às informações. Depósito de dados: Conjunto de informações armazenadas pelo processo para serem utilizadas por algum processo, a qualquer momento. Entidade Externa: É algo situado fora do escopo do sistema, que é fonte ou destino das suas informações. Fluxo de dados: O nome deve expressar o significado do conjunto de informações que está fluindo.
  22. 22. Análise Essencial Simbologia: Processo Depósito de dados Entidade Externa Fluxo de Dados
  23. 23. MiniEspec A miniespec deve definir a forma pela qual os fluxos de dados de entrada são transformados em fluxos de dados de saída, independentemente do fato da função ser executada manualmente ou por qualquer outra forma de implementação. Em relação ao segundo aspecto, as principais técnicas de especificação são: - Português estruturado - Pseudocódigo - Tabela de decisão - Árvore de decisão
  24. 24. Português estruturado Algoritmo "SomaDeDoisValores"; variável: SOMA,A,B: inteiro; inicio Escreva("Digite um numero"); Leia(A); escreva("digite outro numero"); leia(B); SOMA ← A + B; escreva(SOMA); fim.
  25. 25. Tabela de decisão
  26. 26. Árvore de decisão
  27. 27. Diagrama de contexto O DFD de mais alto nível que representa todo o sistema como um único processo é conhecido como diagrama de contexto, e é composto por fluxos de dados que mostram as interfaces entre o sistema e as entidades externas. O diagrama é uma forma de representar o objeto do estudo, o projeto, e sua relação ao ambiente. -Um diagrama de contexto permite identificar os limites dos processos, as áreas envolvidas com o processo e os relacionamentos com outros processos e elementos externos à empresa (ex.: clientes, fornecedores)e mostra as características do sistema.
  28. 28. Diagrama de contexto Sistema PDV Vendedor Pedido Pedido Aprovado Vendas Comissão Vendas do Dia Compras Solicitação de compra Cliente Comprovante de pedido Nota Fiscal Produtos Pedidos
  29. 29. Tabela de Eventos Antes dos DFDs, precisamos conhecer bem os eventos que compões o sistema a ser desenvolvido. Isso é feito da forma mais simples, em uma tabela, com a descrição bem resumida dos estímulos, ações e respostas de cada evento.
  30. 30. Tabela de Eventos Número Evento Tipo Estímulo Ações Resposta 1 Cliente entrega o pedido. F Pedido Registrar pedido (Pedido Registrado) 2 Cliente cancela o pedido. F Pedido de cancelamento Cancelar pedido (Pedido Cancelado) 3 Cliente envia o pagamento F Pagamento Emitir Recibo de pagamento (Recibo de pagamento) 4 Fornecedor solicita cadastramento F Pedido de cadastrament o de fornecedor Cadastrar fornecedor (Pedido de Cadastro)
  31. 31. Evento Orientado por Fluxo de Dados - Um evento orientado por fluxo de dados é aquele que o estímulo é a chegada ao sistema de um fluxo de dados enviado por uma entidade externa, que ativa uma função. Que pode ou não gerar uma resposta.
  32. 32. Evento Orientado por Fluxo de Dados - Um evento orientado por fluxo de dados é aquele que o estímulo é a chegada ao sistema de um fluxo de dados enviado por uma entidade externa, que ativa uma função. Que pode ou não gerar uma resposta. SistemaEntidade Externa Resposta Estímulo
  33. 33. Evento Orientado por Controle - Um evento orientado por controle é aquele que o estímulo é a chegada ao sistema de um fluxo de controle. Quando a função só é ativada se o fluxo de controle está com um determinado valor.
  34. 34. Evento Orientado por Controle - Um evento orientado por controle é aquele que o estímulo é a chegada ao sistema de um fluxo de controle. Quando a função só é ativada se o fluxo de controle está com um determinado valor. SistemaEntidade Externa Resposta Estímulo Valor?
  35. 35. Dicionário de dados - Um dicionário de dados é uma coleção de metadados que contêm definições e representações de elementos de dados. -Dentro do contexto de SGBD, um dicionário de dados é um grupo de tabelas, habilitadas apenas para leitura ou consulta, ou seja, é uma base de dados, propriamente dita, que entre outras coisas, mantém as seguintes informações: -Definição precisa sobre elementos de dados -Perfis de usuários, papéis e privilégios -Descrição de objetos -Integridade de restrições -Stored procedures (pequeno trecho de programa de computador, armazenado em um SGBD, que pode ser chamado frequentemente por um programa principal) e gatilhos -Estrutura geral da base de dados -Informação de verificação -Alocações de espaço
  36. 36. Evento Orientado por Tempo (Temporal) - Um evento orientado por tempo é aquele que o estímulo é a chegada ao sistema da informação de haver passado um determinado intervalo de tempo e não com chegada de algum fluxo de dados.
  37. 37. Evento Orientado por Tempo (Temporal) - Um evento orientado por tempo é aquele que o estímulo é a chegada ao sistema da informação de haver passado um determinado intervalo de tempo e não com chegada de algum fluxo de dados. SistemaEntidade Externa Resposta “Fim do mês” Estímulo
  38. 38. Sincronismo de Eventos -Podemos sincronizar os eventos quanto ao grau de sincronismo entre eles. Tal grau pode avaliar desde total dependência ou até coincidência no tempo. - Simultaneidade: a ocorrência de um evento é simultânea, concomitante cm a ocorrência de outro. - Precedência: a ocorrência de evento deve necessariamente preceder a ocorrência de outro. - Excludência: a ocorrência de um evento deve necessariamente excluir a ocorrência de outro.
  39. 39. Dicionário de dados Símbolo Significado = é composto de () opcional (pode estar presente ou ausente) {} iteração [] escolha em uma das alternativas ** comentário @ identificador (chave) em um depósito | separa opções alternativas na construção Simbologia de um dicionário de dados.
  40. 40. Dicionário de dados Descrição dos dados. Endereço Cliente = @Código Cliente Rua Número Complemento [CEP] Sigla-UF % Sigla da unidade da federação % Telefone % Telefone para contato, com DDD %
  41. 41. Dicionário de dados Descrição dos dados. Código Cliente = {@CPF % CPF se pessoa física ou % @CNPJ % } % CNPJ se pessoa jurídica %
  42. 42. Diagrama entidade Diagrama entidade relacionamento é um modelo diagramático que descreve o modelo de dados de um sistema com alto nível de abstração. Ele é a principal representação do Modelo de Entidades e Relacionamentos. É usado para representar o modelo conceitual do negócio. Não confundir com modelo relacional, que representam as tabelas, atributos e relações materializadas no banco de dados.
  43. 43. DER O DER é composto de poucos símbolos gráficos que representam os relacionamentos do banco, listados a seguir: Retângulo Representa a entidade do banco de dados, o que muito provavelmente será uma tabela quando o banco for criado; Losango Representa o relacionamento entre as entidades. Triângulo Representam as especializações. Bolinhas Representa os atributos.
  44. 44. Dados Entidades Entidades são qualquer elemento que possua atributos que serão utilizados na base de dados, como por exemplo, um cliente que possui nome, CPF, Telefone, E-mail e outros dados, ou um produto possuir nome, data de validade, fabricante e etc. Chaves Primárias Uma chave primária é um atributo usado como identificador do ítem da entidade, como por exemplo um produto que possui um código de barras que o difere dos demais produtos. Esse código de identificação deve ser único. Chaves Estrangeiras A chave estrangeira é responsável pelo relacionamento entre duas entidades, como por exemplo, um produto que se relaciona com categoria deve conter como chave estrangeira o código (chave primária) da categoria a qual ele pertence Relacionamento Os relacionamentos ocorrem entre as entidades, e esse conjunto forma a base do banco de dados. Uma entidade pode se relacionar com outra entidade de três formas diferentes
  45. 45. Dados Relacionamentos: O relacionamento 1-1 (um para um) Ocorrem quando uma se relaciona com no máximo 1 para com a outra. Um exemplo desse tipo de relacionamento poderia ser entre cônjuges, onde um marido pode ter apenas uma mulher e uma mulher apenas um marido, segundos as leis brasileiras.
  46. 46. Relacionamentos Os relacionamentos 1-N (um para n, um para muitos) Ocorrem quando o relacionamento da entidade a para a entidade b e de no máximo 1 e de b para a e de no máximo n (ou seja, não tem máximo)
  47. 47. Relacionamentos Os Relacionamentos N-N(n para n, muitos para muitos) Ocorrem quando tanto de a para b quanto de b para a o máximo de n (ou seja, não tem máximo) Um exemplo desse tipo de relacionamento é o de compra, onde um cliente pode comprar vários produtos, e um produto pode ser comprado por vários clientes.
  48. 48. Diagrama de Fluxos de Dados O diagrama de fluxos de dados (DFD) é uma ferramenta para a modelagem de sistemas. Ela fornece apenas uma visão do sistema, a visão estruturada das funções, ou seja, o fluxo dos dados. Se estivermos desenvolvendo um sistema no qual os relacionamentos entre os dados sejam mais importantes que as funções, podemos dar menos importância ao DFD e dedicar-nos aos diagramas de entidade-relacionamento (DER)
  49. 49. Diagrama de Fluxos de Dados Regras de utilização dos objetos Embora nem todos os autores utilizem os mesmos símbolos para representar os diferentes objetos do sistema, todos eles permitem que, ao desenhar um DFD, um símbolo que represente um objeto particular possa ser duplicado (pode-se por exemplo, representar duas ou mais vezes uma entidade externa). Contudo deve ser reduzida ao mínimo a duplicação do mesmo objeto. Assim, só para evitar o cruzamento de linhas e melhorar a leitura do DFD é que se deve duplicar o mesmo objeto; DeMarco não utiliza nenhuma convenção para mostrar que um determinado símbolo está a ser duplicado.
  50. 50. Diagrama de Fluxos de Dados Número Evento Tipo Estímulo Ações Resposta 1 Cliente entrega o pedido. F Pedido Registrar pedido (Pedido Registrado) Registrar pedido
  51. 51. Diagrama de Fluxos de Dados Número Evento Tipo Estímulo Ações Resposta 1 Cliente entrega o pedido. F Pedido Registrar pedido (Pedido Registrado) Cliente Registrar pedido Pedido
  52. 52. Diagrama de Fluxos de Dados Número Evento Tipo Estímulo Ações Resposta 1 Cliente entrega o pedido. F Pedido Registrar pedido (Pedido Registrado) Cliente Registrar pedido Clientes Pedido
  53. 53. Diagrama de Fluxos de Dados Número Evento Tipo Estímulo Ações Resposta 1 Cliente entrega o pedido. F Pedido Registrar pedido (Pedido Registrado) Cliente Registrar pedido Clientes Pedido Registrado Pedido Pedido Registrado
  54. 54. Diagrama de Fluxos de Dados Evento Tipo Estímulo Ações Resposta 2 Cliente cancela o pedido. F Pedido de cancelamento Cancelar pedido (Pedido Cancelado) Cancelar pedido
  55. 55. Diagrama de Fluxos de Dados Evento Tipo Estímulo Ações Resposta 2 Cliente cancela o pedido. F Pedido de cancelamento Cancelar pedido (Pedido Cancelado) Cliente Cancelar pedido Cancelamento
  56. 56. Diagrama de Fluxos de Dados Evento Tipo Estímulo Ações Resposta 2 Cliente cancela o pedido. F Pedido de cancelamento Cancelar pedido (Pedido Cancelado) Cliente Cancelar pedido Pedidos Cancelamento
  57. 57. Diagrama de Fluxos de Dados Evento Tipo Estímulo Ações Resposta 2 Cliente cancela o pedido. F Pedido de cancelamento Cancelar pedido (Pedido Cancelado) Cliente Cancelar pedido Pedidos Pedidos Cancelados Cancelamento Pedido Cancelado
  58. 58. Diagrama de transição de Estado Em engenharia de software e eletrônica digital, um diagrama de transição de estados é uma representação do estado ou situação em que um objeto pode se encontrar no decorrer da execução de processos de um sistema. Com isso, o objeto pode passar de um estado inicial para um estado final através de uma transição.
  59. 59. Diagrama de transição de Estado Apagada Acesa Interruptor Foi Ligado Acender Lâmpada Interruptor Foi Desligado Apagar Lâmpada
  60. 60. Diagrama de transição de Estado Apagada Acesa Interruptor Foi Ligado Acender Lâmpada Interruptor Foi Desligado Apagar Lâmpada
  61. 61. Diagrama de transição de Estado Outro exemplo de diagrama de transição de estado, representando as estações do ano.
  62. 62. Diagrama de transição de Estado Primavera
  63. 63. Diagrama de transição de Estado Primavera Verão
  64. 64. Diagrama de transição de Estado Primavera Verão Outono
  65. 65. Diagrama de transição de Estado Primavera Verão Outono Inverno
  66. 66. Diagrama de transição de Estado Primavera Verão Outono Inverno
  67. 67. Análise Essencial Análise Essencial Modelo Essencial Modelo de implementação
  68. 68. Análise Essencial A Análise Essencial é a técnica que orienta a análise de sistemas para a essência do negócio ao qual se destina, independente das soluções de informática que serão utilizadas em sua construção, partindo do princípio de que os sistemas existem independentemente dos computadores, e são feitos visando uma oportunidade de negócio. Na Análise Essencial existem dois modelos, denominados de Modelo Essencial e Modelo de Implementação. Modelo Essencial: Apresenta o sistema num grau de abstração completamente independente de restrições tecnológicas. Modelo Implementação: Apresenta o sistema num grau de abstração completamente dependente de restrições tecnológicas. É derivado do modelo essencial. Diz respeito a implementação do sistema.
  69. 69. Análise Essencial Análise Essencial Guia Prático de Análise de Sistema S. Pompilho Análise Essencial (23/05/2011) http://pt.scribd.com/doc/23928776/Analise-Essencial Análise Essencial de Sistemas (24/05/2011) http://javafree.uol.com.br/wiki/Analise%20Essencial Referências
  70. 70. Análise Essencial Tiago Serra E-mail: contato@tiagoserra.com Site: http://tiagoserra.com

×