Aula Grátis de RAID via software e LVM

372 visualizações

Publicada em

Aula Grátis de RAID via software e LVM

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
372
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
32
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula Grátis de RAID via software e LVM

  1. 1. O que é o RAID?
  2. 2. 4 RAID O RAID (Redundant Array of Inexpensive Disks) foi desenvolvido em 1988 como uma solução barata para garantir a disponibilidade da informação armazenada em discos, utilizando para isso uma configuração especial de discos rígidos, que podem oferecer redundância em caso de falhas e ganho de performance em escrita ou leitura, dependendo da configuração do conjunto RAID. Existem vários níveis de RAID.
  3. 3. 5 RAID O que é redundância? Redundância é ter componentes de reserva para substituir o componente principal mantendo disponibilidade de serviços. Existem fontes redundantes, matriz de discos redundantes, servidores redundantes. Manter redundância requer um custo!
  4. 4. 6
  5. 5. 7 RAID No RAID 0 (stripping), vários discos são vistos como se fossem um só disco. Os arquivos ficam fragmentados em vários discos, e com isso faço com que a leitura/gravação seja feita de forma simultânea, com isso, consegue-se uma taxa de leitura e gravação de dados. Qual a vantagem do RAID 0? Ganho de desempenho, já que a leitura/gravação é feita de forma simultânea, mas não garante redundância.
  6. 6. 8
  7. 7. 9 RAID RAID 1 é conhecido como espelhamento, pois a ideia é espelhar as informações em um segundo disco. O sistema vai gravar os dados ao mesmo tempo nos dois discos. Implementar RAID 1 traz redundância. O uso do RAID 1 necessita de dois discos ou qualquer número par. A desvantagem do RAID 1 é o custo, pois você vai ter dois discos e a área útil de apenas 1. RAID1 não é backup! Se você apagar um arquivo acidentalmente esse arquivo vai ser apagado em todos os discos! Sempre tenha uma CÓPIA dos dados.
  8. 8. 10
  9. 9. 11 RAID Este é o modo mais utilizado em servidores com um grande número de HDs. O RAID 5 usa um sistema de paridade para manter a integridade dos dados. Os arquivos são divididos em fragmentos e, para cada grupo de fragmentos, é gerado um fragmento adicional, contendo códigos de paridade. Os códigos de correção são espalhados entre os discos. Dessa forma, é possível gravar dados simultaneamente em todos os HDs, melhorando o desempenho. O RAID 5 pode ser usado com a partir de 3 discos.
  10. 10. O que é o LVM?
  11. 11. 13 LVM A sigla LVM significa: Logical Volume Manager. Ele é um gerenciador de discos que trabalha com camadas lógicas, que podem ser redimensionadas, aumentando ou diminuindo sem prejudicar o funcionamento do sistema. A necessidade de se usar LVM é para que possamos aproveitar ao máximo o tamanho do disco ou de vários discos e não se preocupar em ter colocado pouco tamanho, já que ele pode ser aumentado posteriormente.
  12. 12. 14 LVM Mas o que é o volume físico (PV)? Os PV's são as partições ou discos que serão usados para compor um disco no formato LVM, eles servem para dar o UUID, que é número de identificação de cada disco. Mas o que é o grupo de volume (VG)? Os VG's são um agrupamento de PV's Mas o que é o volume lógico (LV)? Os LVs são os pedaços criados a partir de um VG. Podemos classificá-los como sendo as partições de um VG e o VG sendo o disco. Eles são as partes que podem ser acessadas pelos usuários e que serão associados a um ponto de montagem específico.
  13. 13. 15 RAID e LVM ● Vamos inserir 5 discos na Máquina Virtual, cada um com 8 GB cada. Eles se chamarão: hd1.vdi, hd2.vdi, hd3.vdi, hd4.vdi e hd5.vdi; ● Vamos criar um RAID nível 5 composto pelos 5 discos adicionados e vamos chamar a matriz de discos de /dev/md0; ● Vamos usar a matriz /dev/md0 para criar um PV de 32 GB e depois um VG chamado /dev/dados e logo após um LV chamado /dev/dados/lv_home de 8 GB.
  14. 14. 16 /dev/sdb /dev/sdc /dev/sdd 8 GB /dev/8 GB sdd 8 GB /dev/sde 8 GB DISCOS ADICIONADOS NA MÁQUINA VIRTUAL /dev/md0 RAID NÍVEL 5 32 GB /dev/dados 8 GB INSERIR /dev/md0 COMO PV E DEPOIS COMO VG /dev/dados/lv_dados 8 GB MONTAR COMO /srv/dados /dev/sdf 8 GB
  15. 15. 17 RAID e LVM
  16. 16. 18 RAID e LVM
  17. 17. 19 RAID e LVM
  18. 18. 20 RAID e LVM
  19. 19. 21 RAID e LVM
  20. 20. 22 RAID e LVM Faça isso para mais 4 discos, no final você deve ter 5 discos: hd1.vdi, hd2.vdi, hd3.vdi, hd4.vdi, hd5.vdi. Veja no slide seguinte como deve ficar!
  21. 21. 23 RAID e LVM
  22. 22. 24 RAID e LVM – Criando RAID 5 1.# aptitude install parted 2.# partprobe 3.# cat /proc/partitions 4.# aptitude install mdadm 5.# mdadm --create /dev/md0 --level=5 --raid-devices=5 /dev/sdb /dev/sdc /dev/sdd /dev/sde /dev/sdf 6.# watch cat /proc/mdstat (tty2) 7.# mdadm --examine --scan >> /etc/mdadm/mdadm.conf
  23. 23. 25 RAID e LVM 1.# mkdir /srv/dados 2.# mkfs.ext4 /dev/md0 3.# mount /dev/md0 /srv/dados 4.# df -Th | grep md0 5.# umount /srv/dados
  24. 24. 26 RAID e LVM – Criando LVM 1.# aptitude install lvm2 2.# pvcreate /dev/md0 3.# pvdisplay 4.# vgcreate dados /dev/md0 5.# vgdisplay 6.# vgdisplay -v dados 7.# lvcreate -L 8g -n lv_dados dados 8.# lvdisplay -v /dev/dados/lv_dados
  25. 25. 27 RAID e LVM – Criando LVM 1.# mkfs.ext4 /dev/dados/lv_dados 2.# mount /dev/dados/lv_dados /srv/dados 3.# df -Th
  26. 26. 28 RAID e LVM – Aumentando LV 1.# umount /srv/dados 2.# lvextend -L +2g /dev/dados/lv_dados 3.# e2fsck -f /dev/dados/lv_dados 4.# resize2fs /dev/dados/lv_dados 5.# mount /dev/dados/lv_dados /srv/dados 6.# df -Th 7.# lvdisplay /dev/dados/lv_dados
  27. 27. 29 RAID e LVM – Diminuindo LV 1.# umount /srv/dados (Faça backup!) 2.# e2fsck -f /dev/dados/lv_dados 3.# resize2fs -p /dev/dados/lv_dados 7g 4.# lvreduce -L -3g /dev/dados/lv_dados 5.# e2fsck -f /dev/dados/lv_dados 6.# resize2fs /dev/dados/lv_dados 7.# mount /dev/dados/lv_dados /srv/dados 8.# df -Th 9.# lvdisplay /dev/dados/lv_dados
  28. 28. 30 RAID e LVM – /etc/fstab 1.# blkid | grep /dev/mapper/dados-lv_dados | awk -F” ” '{print $2}' >> /etc/fstab 2.# nano /etc/fstab Edite a última linha acrescentando após a coluna do UUID... UUID=”...” /srv/dados ext4 defaults 0 2
  29. 29. 31 Próximas atividades Resolva o laboratório que está na máquina virtual. Acesse o ambiente virtual de aprendizagem e faça download do documento com as tarefas que devem ser executadas, ao final delas execute nosso script de correção automática. Dúvidas: leonardoafonso@gmail.com ou cesardomingos@gmail.com

×