Jade Varallo Corte Jéssica Francyne Frias Jonas Rafael Duarte Cavalcante Alunos do curso de Engenharia Ambiental – UFAL Ma...
Localização <ul><li>Meio-norte: Maranhão, Piauí, Ceará e setentrional do Tocantins; </li></ul><ul><li>Transição entre a ca...
Fatores Ambientais <ul><li>o clima varia desde o equatorial úmido até o semi-árido </li></ul><ul><li>-clima mais úmido: Ma...
Espécies Locais Carnaúba: Nome popular: Carnaubeira Origem: Brasil, no Nordeste e Pantanal.  -Atinge de 10 a 15 m de altur...
Buriti: Nome popular: carandá-guaçu; coqueiro-buriti; palmeira-do-brejo; miriti. Origem: Brasil - Regiões brejosas de vári...
Babaçu: Nome popular: baguaçu; coco-de-macaco Origem: Brasil - Região amazônica e Mata Atlântica na Bahia.  - Pode atingir...
- Fácil Interação. - Zona de Transição entre três grandes biomas. - Consequentemente, maior diversidade biológica.   Relaç...
Importância Econômica <ul><li>Babaçu </li></ul><ul><ul><li>Uma árvore = 2.000 frutos por ano; </li></ul></ul><ul><ul><li>1...
<ul><li>Carnaúba </li></ul><ul><li>Utilização sustentável dos recursos naturais;  </li></ul><ul><li>A cera é extraída por ...
Pressões Antrópicas <ul><li>Ampliação das áreas de pasto para a pecuária, no Maranhão e no  norte do Tocantins. </li></ul>...
Particularidades <ul><li>Maior concentração de plantas oleaginosas do mundo </li></ul><ul><li>Maior produção extrativista ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação Mata Cocais

5.437 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre o bioma Mata dos Cocais. Maceió, 2009.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.437
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
25
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
80
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação Mata Cocais

  1. 1. Jade Varallo Corte Jéssica Francyne Frias Jonas Rafael Duarte Cavalcante Alunos do curso de Engenharia Ambiental – UFAL Maceió, 16 de novembro de 2009 Mata dos Cocais
  2. 2. Localização <ul><li>Meio-norte: Maranhão, Piauí, Ceará e setentrional do Tocantins; </li></ul><ul><li>Transição entre a caatinga, a floresta amazônica e o cerrado. </li></ul>
  3. 3. Fatores Ambientais <ul><li>o clima varia desde o equatorial úmido até o semi-árido </li></ul><ul><li>-clima mais úmido: Maranhão, norte do Tocantins e oeste do Piauí; </li></ul><ul><li>-áreas mais secas: leste do Piauí; </li></ul><ul><li>solos argilosos, salinidade, aluviões e rios </li></ul><ul><li>Planalto do Maranhão-Piauí - planaltos sedimentares e algumas cuestas </li></ul><ul><li>Floresta secundária </li></ul><ul><li>Menos de 3% da área do Brasil </li></ul>
  4. 4. Espécies Locais Carnaúba: Nome popular: Carnaubeira Origem: Brasil, no Nordeste e Pantanal.  -Atinge de 10 a 15 m de altura. -Apresenta folhas em forma de leque com até 1 m de comprimento. -Fornece cacho com centenas de frutos ovóides a globosos, brilhantes, esverdeados quando jovens e roxos quando maduros -Conhecida como árvore da vida.
  5. 5. Buriti: Nome popular: carandá-guaçu; coqueiro-buriti; palmeira-do-brejo; miriti. Origem: Brasil - Regiões brejosas de várias formações vegetais. - Atinge até 35 m de altura . - Apresenta folhas grandes, dispostas em leque - Apresenta flores em longos cachos de até 3 m de comprimento - Fornece fruto com formato elipsóide, castanho-avermelhado, de superfície revestida por escamas brilhantes. Polpa marcadamente amarela. Semente oval dura e amêndoa comestível.
  6. 6. Babaçu: Nome popular: baguaçu; coco-de-macaco Origem: Brasil - Região amazônica e Mata Atlântica na Bahia. - Pode atingir até 20 m de altura. - Apresenta folhas com até 8 m de comprimento. - Cada palmeira pode apresentar até 6 cachos. - Fornece frutos ovais alongados, de coloração castanha, em cachos pêndulos. Além destas, a mata dos cocais apresenta uma diversidade enorme de fauna e flora.
  7. 7. - Fácil Interação. - Zona de Transição entre três grandes biomas. - Consequentemente, maior diversidade biológica. Relações Ecológicas
  8. 8. Importância Econômica <ul><li>Babaçu </li></ul><ul><ul><li>Uma árvore = 2.000 frutos por ano; </li></ul></ul><ul><ul><li>14,5 milhões de hectares, por 7 estados brasileiros, com um potencial produtivo estimado em 15 milhões t/ano; </li></ul></ul><ul><ul><li>Maranhão: 300 mil famílias vivem do extrativismo do babaçu ; </li></ul></ul><ul><ul><li>Folhas, palmito, fibras, coco, casca, resíduos de natureza lignocelulósica. </li></ul></ul>
  9. 9. <ul><li>Carnaúba </li></ul><ul><li>Utilização sustentável dos recursos naturais; </li></ul><ul><li>A cera é extraída por processos manuais bastante rudimentares; </li></ul><ul><li>“ Pão de cera” de carnaúba; </li></ul><ul><li>Informática (chips, tonners, código de barras, matrizes de discos); </li></ul><ul><li>Polidores (pisos, móveis, carros, couro); </li></ul><ul><li>Indústria alimentícia, farmacêutica e cosmética; </li></ul><ul><li>Tintas, etc. </li></ul><ul><li>Produção no ambiente seco das caatingas do Nordeste do Brasil. </li></ul>Importância Econômica
  10. 10. Pressões Antrópicas <ul><li>Ampliação das áreas de pasto para a pecuária, no Maranhão e no norte do Tocantins. </li></ul><ul><li>A ocupação ocorre desde fins do século XVII, quando o Marquês de Pombal criou a Companhia Geral do Comércio do Maranhão e Grão-Pará. </li></ul><ul><li>Rápido crescimento e importância econômica na região. </li></ul>
  11. 11. Particularidades <ul><li>Maior concentração de plantas oleaginosas do mundo </li></ul><ul><li>Maior produção extrativista vegetal do país </li></ul><ul><li>Crise do petróleo, 1973 </li></ul><ul><li>Polígono das secas </li></ul><ul><li>Mário de Andrade, Guimarães Rosa, José de Alencar e Euclides da Cunha, além dos naturalistas Martius e Humboldt. </li></ul><ul><li>“ Palmeiras abundam na terra brasílica, medram nas areias do litoral, crescem nas campinas infindas, levantam-se destemidas e orgulhosas nos paius e brejos, expandem sobranceiras suas lindas frondes por entre o verdume das florestas e vivem mesmo no ressequido solo das caatingas... Grandes ou pequenas surgem em toda parte, nas praias sobre os cômores, nas encarpas das rochas, no solo fértil e no estéril.” </li></ul>

×