Materiais Utensílios de Ed.Tecnológica - 5ºe 6ºano

4.905 visualizações

Publicada em

Guião sobre Materiais e Utensílios utilizados em Educação tecnológica

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.905
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
83
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Materiais Utensílios de Ed.Tecnológica - 5ºe 6ºano

  1. 1. Matérias Primas / Materiais História / Origem (Papel) Propriedades Técnicas Utensílios / Ferramentas Educação Tecnológica
  2. 2. História do Papel É na China que, no séc. II (século segundo) da “Era Cristã”, surge o papel, utilizando-se então cascas de árvores, cânhamo e trapos como matéria-prima. A amoreira era a árvore mais utilizada nessa fase inicial do fabrico do papel. Devido às dificuldades de comunicação, a divulgação deste invento só ocorreu alguns séculos mais tarde. Todavia, no séc. VII (século sétimo), o papel já era conhecido e fabricado no Japão. O papel era então produzido por processos artesanais, utilizando trapos de linho como matéria-prima, de que resultava o seu aspeto grosseiro e a sua reduzida dimensões. Aos Árabes, vulgarmente conhecidos por Mouros, então vindos do Norte de África e que conquistaram grande parte da Península Ibérica, tendo permanecido nesta vários séculos, se deve a introdução do papel em Espanha e em Portugal, tendo-se difundido, a pouco e pouco, pelo resto da Europa. No entanto, só no reinado do Rei Lavrador, cognome de D. Dinis, surgem os primeiros engenhos de fabrico de papel em Portugal, em Leiria, junto ao rio Lis. Saliente-se que, na Idade Média, em Portugal, como aliás em toda a “Europa Cristã”, o Clero era a classe mais culta, que sabia ler e escrever. Não admira, por conseguinte, que a composição e ilustração dos livros estivesse a cargo do Clero através dos monges copistas. Os livros eram, nessa época da História, copiados à mão e artisticamente decorados com iluminuras. Atualmente, o nosso país tem boas condições para produzir papel, em virtude de possuir árvores resinosas, como o pinheiro e o eucalipto, importantes para a extração de fibras utilizadas no processo industrial do fabrico de papel, sendo já as máquinas, em geral, controladas por computadores. Nos nossos dias, é preciso ter em consideração a obtenção de papel reciclado. De facto, no nosso país, como em muitos outros, há recipientes próprios para se depositar o papel já usado, como jornais, revistas e caixas de papelão. Esse papel já usado é depois encaminhado para postes de receção e enviado, a partir destes, para fábricas para ser nelas reciclado, dando novamente origem a papel em condições de ser novamente utilizado.
  3. 3. As propriedades do papel são: -Espessura; A espessura é mais variável e diz respeito à grossura da folha de papel, desde o fino papel de seda até às cartolinas e cartões. -Gramagem; A gramagem depende da espessura da folha de papel e exprime-se pelo peso obtido por metro quadrado. -Textura; A textura refere-se ao aspeto da superfície do papel conforme se apresenta lisa ou rugosa. -Resistência; A resistência dos papéis depende, geralmente, da espessura. Assim, os papéis finos são mais frágeis do que os mais grossos. O papel grosso corta- se com mais dificuldade do que o papel fino, mas este rasga-se mais facilmente. Pode-se concluir que da resistência depende a dificuldade ou a facilidade de corte e dobragem do papel. -Cor. Sensação visual quando existe luz Propriedades do Papel
  4. 4. Técnicas 1- Medir 2- Traçar 3-Dobrar 4- Vincar 5- Corte 6- Meio-corte 7- Recorte
  5. 5. Utensílios / Ferramentas 1- Régua 2- Esquadro 3- Lápis 4- Borracha 5- Afia 6- Tesoura 7- X-acto Tipos de Papeis 1- Papel Seda 2- Papel Lustro 3- Papel Canson 4- Papel Crocodilo 5- Papel Fantasia 6- Papel Jornal 7- Papel Cavalinho 8- Papel Manteiga 9- Papel Engenheiro 10- Papel Metalizado 11- Etc……
  6. 6. FIM Prof. Agostinho Silva

×