Apresentação final

597 visualizações

Publicada em

Cálculo de demanda em edifícios residencias

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
597
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação final

  1. 1. Universidade Potiguar Graduação em Engenharia Civil CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS Thalisson Raphael de M. Pacheco Stênio da Silva Trindade Noronha Orientador: Fábio de Melo Peixoto Natal Dez/2013
  2. 2. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS INTRODUÇÃO Em uma instalação predial residencial, é raro se utilizar todos os equipamentos e todas as luzes e tomadas simultaneamente, por isso, não seria econômico dimensionar os alimentadores considerando a carga como a soma de todas as potências nominais instaladas. Considera-se que a potência realmente demandada pela instalação seja inferior à instalada. Calcula-se a potência que será realmente utilizada pelo “fator de demanda”.
  3. 3. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS OBJETIVOS  Importância;  Orientações para o cálculo;  Variação nos resultados.
  4. 4. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS O QUE É DEMANDA?  Resolução Normativa ANEEL n.414/2010;  Média das potências;  Módulo de demanda;  Fator de demanda;  Fator de diversidade.
  5. 5. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS COMO É CALCULADA A DEMANDA?  Normas das concessionárias;  Companhia Energética do RN – COSERN.
  6. 6. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS POR QUE CALCULAR A DEMANDA?  Estimar a carga;  Demandas diferentes;  Diferentes bitolas de condutor;  Economia.
  7. 7. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS APLICAÇÃO PRÁTICA Dados do empreendimento: - 64 apartamentos TIPO, de 69 m²; - 4 apartamentos DUPLEX, de 128 m²; - 3 aparelhos de ar condicionado para cada apartamento (TIPO e DUPLEX), com um total de 2.500 W em cada apartamento; - Carga de iluminação e tomadas do apartamento tipo: 5.380 W; - Carga de iluminação e tomadas do apartamento duplex: 7.220 W.
  8. 8. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS MÉTODO DA ELETROPAULO
  9. 9. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS CONCESSIONÁRIA ELETROPAULO - Média ponderada das áreas: (Nº ap. TIPO x Área do ap. TIPO) + (Nº ap. DUPLEX x Área do ap. DUPLEX) Nº total de ap. (64 x 69) + (4 x 128) = 72,47m² ≈ 73m². 68 - Potência de iluminação e tomadas do apartamento: 5W/m² 73 x 5 = 365W / ap.
  10. 10. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS CONCESSIONÁRIA ELETROPAULO Tabela 1 - Fatores de Demanda para Aparelhos de Ar Condicionado Fonte: ELETROPAULO 204 aparelhos de ar condicionado: 2500 W x 0,75 x 68 = 127,50 kW D1 = (365 W x 68) + 127500 W = 152.320 W
  11. 11. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS CONCESSIONÁRIA ELETROPAULO Tabela 2 – Coeficientes de simultaneidade Fonte: ELETROPAULO FS = 0,67
  12. 12. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS CONCESSIONÁRIA ELETROPAULO - Demanda: D = D1- x FS D = 152320 x 0,67 => D = 102,05 kVA - Corrente: I= P (u x √3) I = 102.050 => I = 154,97 A (380 x √3)
  13. 13. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS CONCESSIONÁRIA ELETROPAULO Tabela 3 - Capacidades de condução de corrente, em ampères, para os métodos de referência A1, A2, B1, B2, C e D. Fonte: NBR 5410:2008 I = 154,97 kVA => Ø 95mm²
  14. 14. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS MÉTODO DA LIGHT
  15. 15. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS CONCESSIONÁRIA LIGHT Média ponderada ≈ 73m² Tabela 4 – Unidades de consumo que NÃO utilizem equipamentos elétricos individuais para aquecimento de água Método de avaliação – Seção B; Demandas (kVA) de apartamentos em função das áreas (m²) Fonte: LIGHT D = 1,95kVA
  16. 16. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS CONCESSIONÁRIA LIGHT Tabela 5 – Método de Avaliação – Seção B Fonte: LIGHT Nº de ap. = 68 .: FD = 45,42
  17. 17. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS CONCESSIONÁRIA LIGHT - Demanda: Dag = D x FD Dag = 1,95 x 45,42 = 88,57 kVA - Corrente: I= P (u x √3) I = 88.570 => I = 134,57 A (380 x √3)
  18. 18. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS CONCESSIONÁRIA LIGHT Tabela 6 - Capacidades de condução de corrente, em ampères, para os métodos de referência A1, A2, B1, B2, C e D. Fonte: NBR 5410:2008 I = 134,57 kVA => Ø 70mm²
  19. 19. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS RESULTADOS Quadro: Comparativo dos resultados CONCESSIONÁRIA DEMANDA (kVA) CORRENTE (A) BITOLA (mm²) CUSTO R$ / m (3F+1N) ELETROPAULO 102,05 154,97 95 39,90 LIGHT 88,57 134,57 70 34,30 Fonte: Autores
  20. 20. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS CONSIDERAÇÕES FINAIS Observa-se que, independente do método utilizado, o cálculo da demanda é de extrema importância no processo de instalação elétrica em qualquer tipo de edificação, pois com esse cálculo tem-se uma noção do quanto um apartamento, como foi aplicado no exercício, ou até mesmo um edifício, necessita de corrente para a carga. Percebe-se também que ao aplicarem-se diferentes tipos de cálculo, usando várias concessionárias, a oscilação pode ser muito grande, podendo, assim, aumentar ou diminuir gradativamente os custos com os condutores de um empreendimento, como foi visto no exercício, os quais resultaram em diferentes tipos de condutores e, consequentemente, valores diferentes de custo.
  21. 21. CÁLCULO DE DEMANDA EM EDIFÍCIOS RESIDENCIAIS OBRIGADO !!!

×