Vendas a prazo caem pelo segundo mês
consecutivo, mostra indicador SPC Brasil
Menor otimismo com as perspectivas econômica...
cresce com tanto vigor como nos últimos anos, o que foi fundamental para
aquecer o consumo interno", avalia Pellizzaro Jun...
Metodologia
O indicador de vendas a prazo é construído a partir do número de consultas
mensais à base de registros do SPC ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Vendas a prazo caem pelo segundo mês consecutivo

755 visualizações

Publicada em

Menor otimismo com as perspectivas econômicas afeta resultado. No acumulado do quadrimestre, as vendas a prazo já acumulam perda de 1,12%

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
755
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vendas a prazo caem pelo segundo mês consecutivo

  1. 1. Vendas a prazo caem pelo segundo mês consecutivo, mostra indicador SPC Brasil Menor otimismo com as perspectivas econômicas afeta resultado. No acumulado do quadrimestre, as vendas a prazo já acumulam perda de 1,12% O número de consultas ao banco de dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), que reflete o nível de atividade no comércio para compras parceladas, repetiu o comportamento de baixa verificado no último mês e recuou 4,42% no mês de abril na comparação com o mesmo período do ano passado. Este é o pior resultado da série histórica, que começou em janeiro de 2012. Indicador de Consultas para Vendas a Prazo Variação em relação ao mesmo mês do ano anterior Na avaliação de Roque Pellizzaro Junior, presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), o resultado é consequência do desaquecimento da economia como um todo, influenciado principalmente pela escalada dos juros, pela inflação no limite da meta e pelo menor crescimento da renda do trabalhador. "O cenário econômico é desfavorável e a inflação está comprometendo o poder de compra dos brasileiros. Os juros estão mais caros e a massa salarial já não
  2. 2. cresce com tanto vigor como nos últimos anos, o que foi fundamental para aquecer o consumo interno", avalia Pellizzaro Junior. A perda de fôlego nas vendas a prazo também se repetiu no resultado consolidado do ano. No acumulado dos quatro primeiros meses, frente a igual período de 2013, as vendas somam uma queda de -1,12%. Comparação mensal Na comparação com março deste ano, as vendas a prazo apresentaram alta de +1,54%. Os economistas do SPC Brasil explicam que as vendas tradicionalmente crescem menos em abril do que em março, por conta do efeito base de comparação: em março, as compras costumam crescer mais de 10% após a queda em fevereiro. Em 2014, contudo, isso não aconteceu: o crescimento em março foi de apenas 4,18%, e, por isso, o dado de abril foi gerado a partir de um patamar menor que o habitual. Para a economista do SPC Brasil, Luiza Rodrigues, apesar de o crescimento verificado em março ser melhor do que o registrado nos anos anteriores (1,10% em abr/13 e -5,87% em abr/12), o resultado não significa, necessariamente, uma retomada do crescimento das vendas. “A base de comparação neste ano é mais fraca, uma vez que as vendas cresceram menos em março (em parte por conta do feriado de Carnaval). O efeito calendário, entretanto, não muda o fato de que as vendas estão mais fracas este ano que no ano passado”, explica a economista.
  3. 3. Metodologia O indicador de vendas a prazo é construído a partir do número de consultas mensais à base de registros do SPC Brasil. Baixe o material completo e a série histórica em https://www.spcbrasil.org.br/imprensa/indices-economicos Informações à imprensa: Guilherme de Almeida Ferreira (61) 3213 2030 | (61) 8350 3942 guilherme.dealmeida@inpressoficina.com.br Vinícius Bruno (11) 3251-2035 | (11) 9-7142-0742 | (11) 9-4161-6181 vinicius.bruno@spcbrasil.org.br

×