SlideShare uma empresa Scribd logo
COMBATE CONTRA AIDS
O QUE É AIDS
HIV é a sigla em inglês do
vírus da imunodeficiência
humana. Causador da
aids, ataca o sistema
imunológico, responsável
por defender o organismo
de doenças. As células
mais atingidas são os
linfócitos T CD4+. E é
alterando o DNA dessa
célula que o HIV faz cópias
de si mesmo. Depois de se
multiplicar, rompe os
linfócitos em busca de
outros para continuar a
infecção.
As células mais atingidas
são os linfócitos T CD4+. E
é alterando o DNA dessa
célula que o HIV faz cópias
de si mesmo. Depois de se
multiplicar, rompe os
linfócitos em busca de
outros para continuar a
infecção.
Ter o HIV não é a mesma
coisa que ter a aids. Há
muitos soropositivos que
vivem anos sem apresentar
sintomas e sem desenvolver
a doença. Mas, podem
transmitir o vírus a outros
pelas relações sexuais
desprotegidas
Acompanhamento médico
ACOMPANHAMENTO
MEDICO
O acompanhamento médico
da infecção pelo HIV é
essencial, tanto para quem
não apresenta sintomas e
não toma remédios (fase
assintomática), quanto para
quem já exibe algum sinal da
doença e segue tratamento
com os medicamentos
antirretrovirais, fase que os
médicos classificam como
aids.
Nas consultas regulares, a
equipe de saúde precisa
avaliar a evolução clínica do
paciente. Para isso, solicita os
exames necessários e
acompanha o tratamento.
Tomar os remédios conforme
as indicações do médico é
fundamental para ter sucesso
no tratamento. Isso é ter
uma boa adesão.
O uso irregular dos
antirretrovirais (má adesão
ao tratamento) acelera o
processo de resistência do
vírus aos medicamentos, por
isso, toda e qualquer decisão
sobre interrupção ou troca de
medicamentos deve ser
tomada com o consentimento
do médico que faz o
acompanhamento do
soropositivo.
No atendimento inicial, são
solicitados os seguintes
exames: sangue (hemograma
completo), fezes, urina, testes
para hepatites B e C,
tuberculose, sífilis, dosagem
de açúcar e gorduras
(glicemia, colesterol e
triglicerídeos), avaliação do
funcionamento do fígado e
rins, além de raios-X do
tórax.
Outros dois testes
fundamentais para o
acompanhamento médico
são o de contagem dos
linfócitos T CD4+ e o de carga
viral (quantidade de HIV que
circula no sangue). Eles são
cruciais para o profissional
decidir o momento mais
adequado para iniciar o
tratamento ou modificá-lo.
Como servem para
monitorar a saúde de
quem toma os
antirretrovirais ou não, o
Consenso de Terapia
Antirretroviral recomenda
que esses exames sejam
realizados a cada três ou
quatro meses.
Sintomas e fases da aids
Quando ocorre a infecção
pelo vírus causador da aids, o
sistema imunológico começa
a ser atacado. E é na
primeira fase, chamada de
infecção aguda, que ocorre a
incubação do HIV - tempo da
exposição ao vírus até o
surgimento dos primeiros
sinais da doença.
E o organismo leva de 30 a
60 dias após a infecção
para produzir anticorpos
anti-HIV. Os primeiros
sintomas são muito
parecidos com os de uma
gripe, como febre e mal-
estar. Por isso, a maioria
dos casos passa
despercebido.
A próxima fase é marcada
pela forte interação entre as
células de defesa e as
constantes e rápidas
mutações do vírus. Mas que
não enfraquece o organismo
o suficiente para permitir
novas doenças, pois os vírus
amadurecem e morrem de
forma equilibrada. Esse
período,
que pode durar muitos anos, é
chamado de assintomático.

Com o frequente ataque, as células de
defesa começam a funcionar com
menos eficiência até serem destruídas.
O organismo fica cada vez mais fraco e
vulnerável a infecções comuns. A fase
sintomática inicial é caracterizada pela
alta redução dos linfócitos T CD4 -
glóbulos brancos do sistema
imunológico - que chegam a ficar
abaixo de 200 unidades por mm³ de
sangue. Em adultos saudáveis,
. A fase sintomática inicial
é caracterizada pela alta
redução dos linfócitos T
CD4 - glóbulos brancos do
sistema imunológico - que
chegam a ficar abaixo de
200 unidades por mm³ de
sangue. Em adultos
saudáveis,
esse valor varia entre 800 a
1.200 unidades. Os sintomas
mais comuns são: febre,
diarreia, suores noturnos e
emagrecimento.
A baixa imunidade permite o
aparecimento de doenças
oportunistas, que recebem
esse nome por se
aproveitarem da fraqueza do
organismo. Com isso,
, atinge-se o estágio
mais avançado da
doença, a aids. Quem
chega a essa fase, por
não saber ou não
seguir o tratamento
indicado pelos
médicos,
MEDICAMENTOS
Os medicamentos
antirretrovirais surgiram
na década de 1980, para
impedir a multiplicação do
vírus no organismo. Eles
não matam o HIV , vírus
causador da aids , mas
ajudam a evitar o
enfraquecimento do
sistema imunológico . Por
isso,
seu uso é fundamental para
aumentar o tempo e a
qualidade de vida de quem
tem aids.
Desde 1996, o Brasil distribui
gratuitamente o coquetel
antiaids para todos que
necessitam do tratamento.
Segundo dados do Ministério
da Saúde,
cerca de 200 mil pessoas
recebem regularmente os
remédios para tratar a
doença. Atualmente,
existem 21 medicamentos
divididos em cinco tipos.
ou seja aderir ao tratamento
. Por isso, é fundamental
manter o diálogo com os
profissionais de saúde,
compreender todo o
esquema de tratamento e
nunca ficar com dúvidas.
necessita de
acompanhamento médico
para avaliar as
adaptações do organismo
ao tratamento, seus
efeitos colaterais e as
possíveis dificuldades em
seguir corretamente as
recomendações médicas,
Para combater o HIV é
necessário utilizar pelo
menos três antirretrovirais
combinados, sendo dois
medicamentos de classes
diferentes, que poderão
ser combinados em um só
comprimido. O tratamento
é complexo,
DUVIDAS
FREQUENTES
Quanto tempo o HIV sobrevive em
        ambiente externo?
O vírus da aids é bastante sensível ao meio externo.
Estima-se que ele possa viver em torno de uma hora
fora do organismo humano. Graças a uma variedade
  de agentes físicos (calor, por exemplo) e químicos
     (água sanitária, glute raldeído, álcool, água
   oxigenada) pode tornar-se inativo rapidamente.
Toda ferida ou corrimento genital é
               uma DST?
Não necessariamente. Além das doenças
sexualmente transmissíveis, existem outras
causas para úlceras ou corrimentos genitais.
Entretanto, a única forma de saber o diagnóstico
correto é procurar um serviço de saúde.
Doenças sexualmente transmissíveis
As chances de se contrair uma DST através do sexo
oral são menores do que sexo com penetração?
O fato é que nenhuma das relações sexuais sem
proteção é isenta de risco - algumas DST têm maior
risco que outras. A transmissão da doença depende
da integridade das mucosas das cavidades oral ou
vaginal. Independente da forma praticada, o sexo
deve ser feito sempre com camisinha.
É possível estar com uma DST e não
         apresentar sintomas?
Sim. Muitas pessoas podem se infectar com alguma
DST e não ter reações do organismo durante
semanas, até anos. Dessa forma, a única maneira
de se prevenir efetivamente é usar a camisinha em
todas as relações sexuais e procurar regularmente o
serviço de saúde para realizar os exames de rotina.
Caso haja alguma exposição de risco (por exemplo,
relação sem camisinha), é preciso procurar um
profissional de saúde para receber o atendimento
adequado.
Onde se deve ir para fazer o
 tratamento de outras DST que não a
                aids
Deve-se procurar qualquer serviço de saúde
disponível no Sistema Único de Saúde (SUS).
Que período de tempo é necessário
esperar para se fazer a identificação de
      um possível caso de sífilis?
Os primeiros sintomas da sífilis são pequenas
feridas nos órgãos sexuais e caroços nas virilhas,
que surgem entre a 7 e 20 dias após o sexo
desprotegido com pessoa infectada. A ferida e
as ínguas não doem, não coçam, não ardem e
não apresentam pus. Mas, mesmo sem
sintomas, a doença pode ser diagnosticada por
meio de um exame de sangue.
Sífilis tem cura?
Sim. A sífilis é uma doença de tratamento
simples que deve ser indicado por um
profissional de saúde.
Quais as providências a serem tomadas em
 caso de suspeita de infecção por alguma
   Doença Sexualmente Transmissível?
Na presença de qualquer sinal ou sintoma de
possível DST, é recomendado procurar um
profissional de saúde, para o diagnóstico correto
e indicação do tratamento adequado.
EQUIPE:IUCHIKAW
    EDI DASILVA PEREIRA
LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 01 dst
Aula 01  dstAula 01  dst
Aula 01 dst
Alinebrauna Brauna
 
4 hiv sida
4 hiv sida4 hiv sida
Sida
SidaSida
Resumo tudo sobre AIDS
Resumo tudo sobre AIDSResumo tudo sobre AIDS
Resumo tudo sobre AIDS
Natacha Ágata
 
Dst2
Dst2Dst2
Dst2
fc7c0809
 
Sida
SidaSida
Sida
maria25
 
HIV / AIDS
HIV / AIDSHIV / AIDS
Cartilha de DST
Cartilha de  DST Cartilha de  DST
Cartilha de DST
Rafaela Bragança
 
Herpes vírus e vírus hiv
Herpes vírus e vírus hivHerpes vírus e vírus hiv
Herpes vírus e vírus hiv
Estephane ingrid Souza Pessoa
 
Apresentação aids
Apresentação aidsApresentação aids
Apresentação aids
letosgirl
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
Loune93
 
Sida
SidaSida
Aids - Prevenir é melhor do que remediar!
Aids - Prevenir é melhor do que remediar!Aids - Prevenir é melhor do que remediar!
Aids - Prevenir é melhor do que remediar!
leliaklausner
 
Apresentação sida
Apresentação sida  Apresentação sida
Apresentação sida
bibliotecacorga
 
A Sida
A SidaA Sida
A aids entre os adolescentes
A aids entre os adolescentesA aids entre os adolescentes
A aids entre os adolescentes
loirinha17
 
Vale a pena LER de novo...
Vale a pena LER de novo...Vale a pena LER de novo...
Vale a pena LER de novo...
ISI Engenharia
 
Sida 6ano
Sida 6anoSida 6ano
Sida 6ano
pgraca
 
Dst – doenças sexualmente transmissíveis
Dst – doenças sexualmente transmissíveisDst – doenças sexualmente transmissíveis
Dst – doenças sexualmente transmissíveis
stcnsaidjv
 
Aids
AidsAids

Mais procurados (20)

Aula 01 dst
Aula 01  dstAula 01  dst
Aula 01 dst
 
4 hiv sida
4 hiv sida4 hiv sida
4 hiv sida
 
Sida
SidaSida
Sida
 
Resumo tudo sobre AIDS
Resumo tudo sobre AIDSResumo tudo sobre AIDS
Resumo tudo sobre AIDS
 
Dst2
Dst2Dst2
Dst2
 
Sida
SidaSida
Sida
 
HIV / AIDS
HIV / AIDSHIV / AIDS
HIV / AIDS
 
Cartilha de DST
Cartilha de  DST Cartilha de  DST
Cartilha de DST
 
Herpes vírus e vírus hiv
Herpes vírus e vírus hivHerpes vírus e vírus hiv
Herpes vírus e vírus hiv
 
Apresentação aids
Apresentação aidsApresentação aids
Apresentação aids
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
Sida
SidaSida
Sida
 
Aids - Prevenir é melhor do que remediar!
Aids - Prevenir é melhor do que remediar!Aids - Prevenir é melhor do que remediar!
Aids - Prevenir é melhor do que remediar!
 
Apresentação sida
Apresentação sida  Apresentação sida
Apresentação sida
 
A Sida
A SidaA Sida
A Sida
 
A aids entre os adolescentes
A aids entre os adolescentesA aids entre os adolescentes
A aids entre os adolescentes
 
Vale a pena LER de novo...
Vale a pena LER de novo...Vale a pena LER de novo...
Vale a pena LER de novo...
 
Sida 6ano
Sida 6anoSida 6ano
Sida 6ano
 
Dst – doenças sexualmente transmissíveis
Dst – doenças sexualmente transmissíveisDst – doenças sexualmente transmissíveis
Dst – doenças sexualmente transmissíveis
 
Aids
AidsAids
Aids
 

Semelhante a Trabalho combate contra a aids edi

Apresentaoaids 140327164349-phpapp01
Apresentaoaids 140327164349-phpapp01Apresentaoaids 140327164349-phpapp01
Apresentaoaids 140327164349-phpapp01
Glaucione Garcia
 
Aids
AidsAids
Cartilha_Infeccoes_Sexualmente_Transmissiveis_IST_compressed20200610132403(1)...
Cartilha_Infeccoes_Sexualmente_Transmissiveis_IST_compressed20200610132403(1)...Cartilha_Infeccoes_Sexualmente_Transmissiveis_IST_compressed20200610132403(1)...
Cartilha_Infeccoes_Sexualmente_Transmissiveis_IST_compressed20200610132403(1)...
enferikarodrigues
 
Aids
AidsAids
7- HIV e aids.pptx
7- HIV e aids.pptx7- HIV e aids.pptx
7- HIV e aids.pptx
GeniViana
 
Aids
AidsAids
Aids ,por Simone Tavares
Aids ,por Simone TavaresAids ,por Simone Tavares
Aids ,por Simone Tavares
Simone
 
Power Point Sobre A Sida 1
Power Point Sobre A Sida 1Power Point Sobre A Sida 1
Power Point Sobre A Sida 1
efaesvn
 
DST
DSTDST
O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DSTO QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
Hiv sida
Hiv sidaHiv sida
Hiv sida
Tiago Porto
 
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS.pptx
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS.pptxINFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS.pptx
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS.pptx
Rayson Arruda Martins
 
Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)
Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)
Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)
Eduardo Borges
 
O que é aids
O que é aidsO que é aids
O que é aids
gabih_c
 
HIV"Sida"
HIV"Sida"HIV"Sida"
HIV"Sida"
Tiago Porto
 
dezembro vermelho - MILKA.pptx
dezembro vermelho - MILKA.pptxdezembro vermelho - MILKA.pptx
dezembro vermelho - MILKA.pptx
MilkaPassos1
 
O que é aids
O que é aidsO que é aids
O que é aids
Rossana Vasco
 
Sida
SidaSida
Sida
Death212
 
Sífilis- 1F
Sífilis- 1FSífilis- 1F
Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia
Allane Lima
 

Semelhante a Trabalho combate contra a aids edi (20)

Apresentaoaids 140327164349-phpapp01
Apresentaoaids 140327164349-phpapp01Apresentaoaids 140327164349-phpapp01
Apresentaoaids 140327164349-phpapp01
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Cartilha_Infeccoes_Sexualmente_Transmissiveis_IST_compressed20200610132403(1)...
Cartilha_Infeccoes_Sexualmente_Transmissiveis_IST_compressed20200610132403(1)...Cartilha_Infeccoes_Sexualmente_Transmissiveis_IST_compressed20200610132403(1)...
Cartilha_Infeccoes_Sexualmente_Transmissiveis_IST_compressed20200610132403(1)...
 
Aids
AidsAids
Aids
 
7- HIV e aids.pptx
7- HIV e aids.pptx7- HIV e aids.pptx
7- HIV e aids.pptx
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Aids ,por Simone Tavares
Aids ,por Simone TavaresAids ,por Simone Tavares
Aids ,por Simone Tavares
 
Power Point Sobre A Sida 1
Power Point Sobre A Sida 1Power Point Sobre A Sida 1
Power Point Sobre A Sida 1
 
DST
DSTDST
DST
 
O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DSTO QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
 
Hiv sida
Hiv sidaHiv sida
Hiv sida
 
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS.pptx
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS.pptxINFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS.pptx
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS.pptx
 
Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)
Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)
Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)
 
O que é aids
O que é aidsO que é aids
O que é aids
 
HIV"Sida"
HIV"Sida"HIV"Sida"
HIV"Sida"
 
dezembro vermelho - MILKA.pptx
dezembro vermelho - MILKA.pptxdezembro vermelho - MILKA.pptx
dezembro vermelho - MILKA.pptx
 
O que é aids
O que é aidsO que é aids
O que é aids
 
Sida
SidaSida
Sida
 
Sífilis- 1F
Sífilis- 1FSífilis- 1F
Sífilis- 1F
 
Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia
 

Mais de EMEF João da silva

áLbum da vida correto
áLbum da vida corretoáLbum da vida correto
áLbum da vida correto
EMEF João da silva
 
Carnaval 3
Carnaval 3Carnaval 3
Biografia de Cartola
Biografia de CartolaBiografia de Cartola
Biografia de Cartola
EMEF João da silva
 
Inclusão escolar
Inclusão escolarInclusão escolar
Inclusão escolar
EMEF João da silva
 
CARNAVAL 2013
CARNAVAL  2013CARNAVAL  2013
CARNAVAL 2013
EMEF João da silva
 
Patricik 6°a
Patricik 6°aPatricik 6°a
Patricik 6°a
EMEF João da silva
 
Energia
EnergiaEnergia
Reciclagem.com.br
Reciclagem.com.brReciclagem.com.br
Reciclagem.com.br
EMEF João da silva
 
Karine e lorane 5 b
Karine e lorane 5 bKarine e lorane 5 b
Karine e lorane 5 b
EMEF João da silva
 
Tipos de lixo 6 c
Tipos de lixo 6 cTipos de lixo 6 c
Tipos de lixo 6 c
EMEF João da silva
 
SUSTENTABILIDADE
SUSTENTABILIDADESUSTENTABILIDADE
SUSTENTABILIDADE
EMEF João da silva
 
Festa Junina
Festa JuninaFesta Junina
Festa Junina
EMEF João da silva
 
Luiz gonzaga do nascimento2
Luiz gonzaga do nascimento2Luiz gonzaga do nascimento2
Luiz gonzaga do nascimento2
EMEF João da silva
 
SUSTENTABILIDADE
SUSTENTABILIDADESUSTENTABILIDADE
SUSTENTABILIDADE
EMEF João da silva
 
Violência contra mulher
Violência contra mulherViolência contra mulher
Violência contra mulher
EMEF João da silva
 
Alessandra
AlessandraAlessandra
Pensamento do dia 10
Pensamento do dia  10Pensamento do dia  10
Pensamento do dia 10
EMEF João da silva
 

Mais de EMEF João da silva (17)

áLbum da vida correto
áLbum da vida corretoáLbum da vida correto
áLbum da vida correto
 
Carnaval 3
Carnaval 3Carnaval 3
Carnaval 3
 
Biografia de Cartola
Biografia de CartolaBiografia de Cartola
Biografia de Cartola
 
Inclusão escolar
Inclusão escolarInclusão escolar
Inclusão escolar
 
CARNAVAL 2013
CARNAVAL  2013CARNAVAL  2013
CARNAVAL 2013
 
Patricik 6°a
Patricik 6°aPatricik 6°a
Patricik 6°a
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
Reciclagem.com.br
Reciclagem.com.brReciclagem.com.br
Reciclagem.com.br
 
Karine e lorane 5 b
Karine e lorane 5 bKarine e lorane 5 b
Karine e lorane 5 b
 
Tipos de lixo 6 c
Tipos de lixo 6 cTipos de lixo 6 c
Tipos de lixo 6 c
 
SUSTENTABILIDADE
SUSTENTABILIDADESUSTENTABILIDADE
SUSTENTABILIDADE
 
Festa Junina
Festa JuninaFesta Junina
Festa Junina
 
Luiz gonzaga do nascimento2
Luiz gonzaga do nascimento2Luiz gonzaga do nascimento2
Luiz gonzaga do nascimento2
 
SUSTENTABILIDADE
SUSTENTABILIDADESUSTENTABILIDADE
SUSTENTABILIDADE
 
Violência contra mulher
Violência contra mulherViolência contra mulher
Violência contra mulher
 
Alessandra
AlessandraAlessandra
Alessandra
 
Pensamento do dia 10
Pensamento do dia  10Pensamento do dia  10
Pensamento do dia 10
 

Último

UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
IslanderAndrade
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 

Trabalho combate contra a aids edi

  • 2. O QUE É AIDS HIV é a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana. Causador da aids, ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças. As células mais atingidas são os linfócitos T CD4+. E é alterando o DNA dessa célula que o HIV faz cópias de si mesmo. Depois de se multiplicar, rompe os linfócitos em busca de outros para continuar a infecção.
  • 3. As células mais atingidas são os linfócitos T CD4+. E é alterando o DNA dessa célula que o HIV faz cópias de si mesmo. Depois de se multiplicar, rompe os linfócitos em busca de outros para continuar a infecção.
  • 4. Ter o HIV não é a mesma coisa que ter a aids. Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença. Mas, podem transmitir o vírus a outros pelas relações sexuais desprotegidas
  • 6. ACOMPANHAMENTO MEDICO O acompanhamento médico da infecção pelo HIV é essencial, tanto para quem não apresenta sintomas e não toma remédios (fase assintomática), quanto para quem já exibe algum sinal da doença e segue tratamento com os medicamentos antirretrovirais, fase que os médicos classificam como aids.
  • 7. Nas consultas regulares, a equipe de saúde precisa avaliar a evolução clínica do paciente. Para isso, solicita os exames necessários e acompanha o tratamento. Tomar os remédios conforme as indicações do médico é fundamental para ter sucesso no tratamento. Isso é ter uma boa adesão.
  • 8.
  • 9. O uso irregular dos antirretrovirais (má adesão ao tratamento) acelera o processo de resistência do vírus aos medicamentos, por isso, toda e qualquer decisão sobre interrupção ou troca de medicamentos deve ser tomada com o consentimento do médico que faz o acompanhamento do soropositivo.
  • 10. No atendimento inicial, são solicitados os seguintes exames: sangue (hemograma completo), fezes, urina, testes para hepatites B e C, tuberculose, sífilis, dosagem de açúcar e gorduras (glicemia, colesterol e triglicerídeos), avaliação do funcionamento do fígado e rins, além de raios-X do tórax.
  • 11. Outros dois testes fundamentais para o acompanhamento médico são o de contagem dos linfócitos T CD4+ e o de carga viral (quantidade de HIV que circula no sangue). Eles são cruciais para o profissional decidir o momento mais adequado para iniciar o tratamento ou modificá-lo.
  • 12. Como servem para monitorar a saúde de quem toma os antirretrovirais ou não, o Consenso de Terapia Antirretroviral recomenda que esses exames sejam realizados a cada três ou quatro meses.
  • 13. Sintomas e fases da aids
  • 14. Quando ocorre a infecção pelo vírus causador da aids, o sistema imunológico começa a ser atacado. E é na primeira fase, chamada de infecção aguda, que ocorre a incubação do HIV - tempo da exposição ao vírus até o surgimento dos primeiros sinais da doença.
  • 15. E o organismo leva de 30 a 60 dias após a infecção para produzir anticorpos anti-HIV. Os primeiros sintomas são muito parecidos com os de uma gripe, como febre e mal- estar. Por isso, a maioria dos casos passa despercebido.
  • 16. A próxima fase é marcada pela forte interação entre as células de defesa e as constantes e rápidas mutações do vírus. Mas que não enfraquece o organismo o suficiente para permitir novas doenças, pois os vírus amadurecem e morrem de forma equilibrada. Esse período,
  • 17. que pode durar muitos anos, é chamado de assintomático. Com o frequente ataque, as células de defesa começam a funcionar com menos eficiência até serem destruídas. O organismo fica cada vez mais fraco e vulnerável a infecções comuns. A fase sintomática inicial é caracterizada pela alta redução dos linfócitos T CD4 - glóbulos brancos do sistema imunológico - que chegam a ficar abaixo de 200 unidades por mm³ de sangue. Em adultos saudáveis,
  • 18. . A fase sintomática inicial é caracterizada pela alta redução dos linfócitos T CD4 - glóbulos brancos do sistema imunológico - que chegam a ficar abaixo de 200 unidades por mm³ de sangue. Em adultos saudáveis,
  • 19. esse valor varia entre 800 a 1.200 unidades. Os sintomas mais comuns são: febre, diarreia, suores noturnos e emagrecimento. A baixa imunidade permite o aparecimento de doenças oportunistas, que recebem esse nome por se aproveitarem da fraqueza do organismo. Com isso,
  • 20. , atinge-se o estágio mais avançado da doença, a aids. Quem chega a essa fase, por não saber ou não seguir o tratamento indicado pelos médicos,
  • 22. Os medicamentos antirretrovirais surgiram na década de 1980, para impedir a multiplicação do vírus no organismo. Eles não matam o HIV , vírus causador da aids , mas ajudam a evitar o enfraquecimento do sistema imunológico . Por isso,
  • 23. seu uso é fundamental para aumentar o tempo e a qualidade de vida de quem tem aids. Desde 1996, o Brasil distribui gratuitamente o coquetel antiaids para todos que necessitam do tratamento. Segundo dados do Ministério da Saúde,
  • 24. cerca de 200 mil pessoas recebem regularmente os remédios para tratar a doença. Atualmente, existem 21 medicamentos divididos em cinco tipos.
  • 25. ou seja aderir ao tratamento . Por isso, é fundamental manter o diálogo com os profissionais de saúde, compreender todo o esquema de tratamento e nunca ficar com dúvidas.
  • 26. necessita de acompanhamento médico para avaliar as adaptações do organismo ao tratamento, seus efeitos colaterais e as possíveis dificuldades em seguir corretamente as recomendações médicas,
  • 27. Para combater o HIV é necessário utilizar pelo menos três antirretrovirais combinados, sendo dois medicamentos de classes diferentes, que poderão ser combinados em um só comprimido. O tratamento é complexo,
  • 29. Quanto tempo o HIV sobrevive em ambiente externo? O vírus da aids é bastante sensível ao meio externo. Estima-se que ele possa viver em torno de uma hora fora do organismo humano. Graças a uma variedade de agentes físicos (calor, por exemplo) e químicos (água sanitária, glute raldeído, álcool, água oxigenada) pode tornar-se inativo rapidamente.
  • 30. Toda ferida ou corrimento genital é uma DST? Não necessariamente. Além das doenças sexualmente transmissíveis, existem outras causas para úlceras ou corrimentos genitais. Entretanto, a única forma de saber o diagnóstico correto é procurar um serviço de saúde.
  • 31. Doenças sexualmente transmissíveis As chances de se contrair uma DST através do sexo oral são menores do que sexo com penetração? O fato é que nenhuma das relações sexuais sem proteção é isenta de risco - algumas DST têm maior risco que outras. A transmissão da doença depende da integridade das mucosas das cavidades oral ou vaginal. Independente da forma praticada, o sexo deve ser feito sempre com camisinha.
  • 32. É possível estar com uma DST e não apresentar sintomas? Sim. Muitas pessoas podem se infectar com alguma DST e não ter reações do organismo durante semanas, até anos. Dessa forma, a única maneira de se prevenir efetivamente é usar a camisinha em todas as relações sexuais e procurar regularmente o serviço de saúde para realizar os exames de rotina. Caso haja alguma exposição de risco (por exemplo, relação sem camisinha), é preciso procurar um profissional de saúde para receber o atendimento adequado.
  • 33. Onde se deve ir para fazer o tratamento de outras DST que não a aids Deve-se procurar qualquer serviço de saúde disponível no Sistema Único de Saúde (SUS).
  • 34. Que período de tempo é necessário esperar para se fazer a identificação de um possível caso de sífilis? Os primeiros sintomas da sífilis são pequenas feridas nos órgãos sexuais e caroços nas virilhas, que surgem entre a 7 e 20 dias após o sexo desprotegido com pessoa infectada. A ferida e as ínguas não doem, não coçam, não ardem e não apresentam pus. Mas, mesmo sem sintomas, a doença pode ser diagnosticada por meio de um exame de sangue.
  • 35. Sífilis tem cura? Sim. A sífilis é uma doença de tratamento simples que deve ser indicado por um profissional de saúde.
  • 36. Quais as providências a serem tomadas em caso de suspeita de infecção por alguma Doença Sexualmente Transmissível? Na presença de qualquer sinal ou sintoma de possível DST, é recomendado procurar um profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado.
  • 37. EQUIPE:IUCHIKAW EDI DASILVA PEREIRA LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA