SlideShare uma empresa Scribd logo
Tejo, um cão valente Centro Escolar das Alagoas Turma: 1.3
Certa manhã, na quinta do tio João, o Tejo que era o cão da quinta andava muito feliz pois o Natal estava quase a chegar.  
Tejo era um cão muito peludo, o seu pêlo era castanho e preto, tinha as orelhas bicudas e os dentes afiados, no entanto era muito simpático, bonzinho e esperto. Ele gostava muito de abanar o rabo e brincar com os outros animais.
Ora, estava o Tejo a brincar com a neve que cobria os terrenos da quinta, quando viu um animal com uns olhos muito escuros, ar de mau e pêlo castanho e cinzento… Era um furão!  
O animal saiu de uma toca e fez fu…fu….fu… olhando ameaçadoramente para o cão.    
Tejo ficou assustado mas ladrou muito zangado pois era um cão valente e estava habituado a defender a quinta. O furão ao ouvir os latidos do cão escondeu-se atrás de uma pedra, então o Tejo saltou para ele e o furão não teve outro remédio senão fugir apressadamente.    
Os dias passaram e chegou finalmente a noite de Natal.  
Os animais da quinta esperavam ansiosos pela visita do Pai Natal, da janela do estábulo olhavam o céu, receosos que o velhinho de barbas brancas não viesse.  
Finalmente lá chegou! O trenó parou mesmo em frente à porta do estábulo.  
Os animais correram para receber os presentes que tanto desejavam. O Tejo recebeu um belo osso, o burrinho um fardo de palha, a galinha um lenço novo, o pato um cachecol azul e o coelho umas bonitas luvas.    
Estavam todos muito felizes quando de repente, o furão que se tinha escondido próximo do estábulo, saltou para a rena mais pequena que vinha a puxar o trenó, de dentes afiados e olhar ameaçador.  
A pequena rena fugiu assustada para o meio da mata.
Tejo, ao ver aquilo correu para o furão e ladrou ferozmente; este ao vê-lo fugiu cheio de medo e sem deixar rasto.  
O Pai Natal ficou muito triste por perder a sua rena…  
O cão como não queria que o Pai Natal ficasse triste, resolveu ir procurar a rena. Andou, andou por entre as árvores e lá encontrou a pequenita cheia de medo, escondida ao pé do muro da quinta.
O Tejo ajudou a rena e disse-lhe que já não havia perigo, o furão com o susto já deveria estar muito longe.  
Quando chegaram ao estábulo, todos os receberam com muita alegria!
O Pai Natal ficou muito contente por ver a sua amiga, antes de partir agradeceu muito ao Tejo e desejou a todos um Feliz Natal.
O cão não podia estar mais satisfeito, tinha ajudado a salvar o Natal. Vitória, vitória acabou-se a história!   Fim
Esta história faz parte de um projecto da turma 1.3, do Centro Escolar das Alagoas, intitulado: Uma história para ti. A história foi elaborada com ajuda de materiais de construção de narrativas, oralmente e em grande grupo. Os alunos apresentaram as suas ideias, caracterizaram as personagens com ajuda de algumas pesquisas principalmente em relação à personagem do furão, escolheram as fórmulas de abertura e encerramento e ainda o título. O texto foi escrito pela professora da turma, visto os alunos serem de 1º ano. As ilustrações foram desenhadas pelos alunos e com ajuda de familiares.  
Turma 1.3 Ana Cláudia  Ana Maria André Bernardo Carolina  Daniel José Filipe José Nuno Jéssica Letícia Filipa Letícia Morito Luís Miguel Luís Filipe Mariana Marisa Pedro Rafael Rafaela  Regina Sara Xavier   Professora: Maria do Socorro  

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Mini Histórias de Natal - La Violetera
Mini Histórias de Natal - La VioleteraMini Histórias de Natal - La Violetera
Mini Histórias de Natal - La Violetera
Grupo OM
 
8 história de natal
8  história de natal8  história de natal
8 história de natal
aevm
 
Natal das Belas Histórias - Sonhar Acordado Campinas
Natal das Belas Histórias - Sonhar Acordado CampinasNatal das Belas Histórias - Sonhar Acordado Campinas
Natal das Belas Histórias - Sonhar Acordado Campinas
grandesfestas_sonhar_cps
 
O Pai Natal dos Animais
O Pai Natal dos AnimaisO Pai Natal dos Animais
O Pai Natal dos Animais
266446113
 
Quem da prenda ao pai natal
Quem da prenda ao pai natalQuem da prenda ao pai natal
Quem da prenda ao pai natal
Ana Moreira
 
A velhinha que comeu os símbolos do natal
A velhinha que comeu os símbolos do natalA velhinha que comeu os símbolos do natal
A velhinha que comeu os símbolos do natal
Maria Sousa
 
Ninguem da prendas pai natal
Ninguem da prendas pai natalNinguem da prendas pai natal
Ninguem da prendas pai natal
esquecimento1
 
Uma Prenda de Natal
Uma Prenda de NatalUma Prenda de Natal
Uma Prenda de Natal
Biblioteca Escolar Sobreira
 
Os sapatos do pai natal[1]
Os sapatos do pai natal[1]Os sapatos do pai natal[1]
Os sapatos do pai natal[1]
joana1900
 
A oficina do pai natal- pdf
A oficina do pai natal- pdfA oficina do pai natal- pdf
A oficina do pai natal- pdf
Isa Crowe
 
O natal power point
O natal power pointO natal power point
O natal power point
Madalena Santos
 

Destaque (11)

Mini Histórias de Natal - La Violetera
Mini Histórias de Natal - La VioleteraMini Histórias de Natal - La Violetera
Mini Histórias de Natal - La Violetera
 
8 história de natal
8  história de natal8  história de natal
8 história de natal
 
Natal das Belas Histórias - Sonhar Acordado Campinas
Natal das Belas Histórias - Sonhar Acordado CampinasNatal das Belas Histórias - Sonhar Acordado Campinas
Natal das Belas Histórias - Sonhar Acordado Campinas
 
O Pai Natal dos Animais
O Pai Natal dos AnimaisO Pai Natal dos Animais
O Pai Natal dos Animais
 
Quem da prenda ao pai natal
Quem da prenda ao pai natalQuem da prenda ao pai natal
Quem da prenda ao pai natal
 
A velhinha que comeu os símbolos do natal
A velhinha que comeu os símbolos do natalA velhinha que comeu os símbolos do natal
A velhinha que comeu os símbolos do natal
 
Ninguem da prendas pai natal
Ninguem da prendas pai natalNinguem da prendas pai natal
Ninguem da prendas pai natal
 
Uma Prenda de Natal
Uma Prenda de NatalUma Prenda de Natal
Uma Prenda de Natal
 
Os sapatos do pai natal[1]
Os sapatos do pai natal[1]Os sapatos do pai natal[1]
Os sapatos do pai natal[1]
 
A oficina do pai natal- pdf
A oficina do pai natal- pdfA oficina do pai natal- pdf
A oficina do pai natal- pdf
 
O natal power point
O natal power pointO natal power point
O natal power point
 

Semelhante a Tejo, um cão valente

Dial5cp pg12 13
Dial5cp pg12 13Dial5cp pg12 13
Dial5cp pg12 13
Paula Rebelo
 
Pedro E O Lobo Novo
Pedro E O Lobo NovoPedro E O Lobo Novo
Pedro E O Lobo Novo
Mónica Vieira
 
Patinho Feio
Patinho FeioPatinho Feio
Patinho Feio
brunogawry
 
Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos
Mary Alvarenga
 
Atividades férias
Atividades fériasAtividades férias
Atividades férias
sibelems
 
Conto de outono
Conto de outonoConto de outono
Conto de outono
Violeta Violeta
 
O patinho feio adaptação patrícia amorim
O patinho feio adaptação patrícia amorimO patinho feio adaptação patrícia amorim
O patinho feio adaptação patrícia amorim
Maria Aparecida de Almeida
 

Semelhante a Tejo, um cão valente (7)

Dial5cp pg12 13
Dial5cp pg12 13Dial5cp pg12 13
Dial5cp pg12 13
 
Pedro E O Lobo Novo
Pedro E O Lobo NovoPedro E O Lobo Novo
Pedro E O Lobo Novo
 
Patinho Feio
Patinho FeioPatinho Feio
Patinho Feio
 
Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos
 
Atividades férias
Atividades fériasAtividades férias
Atividades férias
 
Conto de outono
Conto de outonoConto de outono
Conto de outono
 
O patinho feio adaptação patrícia amorim
O patinho feio adaptação patrícia amorimO patinho feio adaptação patrícia amorim
O patinho feio adaptação patrícia amorim
 

Mais de centroescolaralagoas

O gato e o escuro
O gato e o escuroO gato e o escuro
O gato e o escuro
centroescolaralagoas
 
Acrósticos 1.3
Acrósticos 1.3Acrósticos 1.3
Acrósticos 1.3
centroescolaralagoas
 
Draguim
DraguimDraguim
Espanta pardais
Espanta pardaisEspanta pardais
Espanta pardais
centroescolaralagoas
 
Espanta pardais
Espanta pardaisEspanta pardais
Espanta pardais
centroescolaralagoas
 
Dia da terra
Dia da terraDia da terra
Dia da terra
centroescolaralagoas
 
Dia da terra
Dia da terraDia da terra
Dia da terra
centroescolaralagoas
 
Notícia 4 s
Notícia 4 sNotícia 4 s
Notícia 4 s
centroescolaralagoas
 
Notícia 4 s
Notícia 4 sNotícia 4 s
Notícia 4 s
centroescolaralagoas
 
Cor do amor
Cor do amorCor do amor
Mistura de letras
Mistura de letrasMistura de letras
Mistura de letras
centroescolaralagoas
 
Feira da ciência
Feira da ciênciaFeira da ciência
Feira da ciência
centroescolaralagoas
 
Rimas
RimasRimas
Floresta
FlorestaFloresta
Floresta
FlorestaFloresta
Espaço biblioteca
Espaço bibliotecaEspaço biblioteca
Espaço biblioteca
centroescolaralagoas
 

Mais de centroescolaralagoas (20)

O gato e o escuro
O gato e o escuroO gato e o escuro
O gato e o escuro
 
Acrósticos 1.3
Acrósticos 1.3Acrósticos 1.3
Acrósticos 1.3
 
Draguim
DraguimDraguim
Draguim
 
Espanta pardais
Espanta pardaisEspanta pardais
Espanta pardais
 
Espanta pardais
Espanta pardaisEspanta pardais
Espanta pardais
 
Dia da terra
Dia da terraDia da terra
Dia da terra
 
Dia da terra
Dia da terraDia da terra
Dia da terra
 
Notícia 4 s
Notícia 4 sNotícia 4 s
Notícia 4 s
 
Notícia 4 s
Notícia 4 sNotícia 4 s
Notícia 4 s
 
Passatempos matemáticos
Passatempos matemáticosPassatempos matemáticos
Passatempos matemáticos
 
Eça de Queiroz
Eça de QueirozEça de Queiroz
Eça de Queiroz
 
Eça de Queiroz
Eça de QueirozEça de Queiroz
Eça de Queiroz
 
Cor do amor
Cor do amorCor do amor
Cor do amor
 
Cor do amor
Cor do amorCor do amor
Cor do amor
 
Mistura de letras
Mistura de letrasMistura de letras
Mistura de letras
 
Feira da ciência
Feira da ciênciaFeira da ciência
Feira da ciência
 
Rimas
RimasRimas
Rimas
 
Floresta
FlorestaFloresta
Floresta
 
Floresta
FlorestaFloresta
Floresta
 
Espaço biblioteca
Espaço bibliotecaEspaço biblioteca
Espaço biblioteca
 

Tejo, um cão valente

  • 1. Tejo, um cão valente Centro Escolar das Alagoas Turma: 1.3
  • 2. Certa manhã, na quinta do tio João, o Tejo que era o cão da quinta andava muito feliz pois o Natal estava quase a chegar.  
  • 3. Tejo era um cão muito peludo, o seu pêlo era castanho e preto, tinha as orelhas bicudas e os dentes afiados, no entanto era muito simpático, bonzinho e esperto. Ele gostava muito de abanar o rabo e brincar com os outros animais.
  • 4. Ora, estava o Tejo a brincar com a neve que cobria os terrenos da quinta, quando viu um animal com uns olhos muito escuros, ar de mau e pêlo castanho e cinzento… Era um furão!  
  • 5. O animal saiu de uma toca e fez fu…fu….fu… olhando ameaçadoramente para o cão.    
  • 6. Tejo ficou assustado mas ladrou muito zangado pois era um cão valente e estava habituado a defender a quinta. O furão ao ouvir os latidos do cão escondeu-se atrás de uma pedra, então o Tejo saltou para ele e o furão não teve outro remédio senão fugir apressadamente.  
  • 7. Os dias passaram e chegou finalmente a noite de Natal.  
  • 8. Os animais da quinta esperavam ansiosos pela visita do Pai Natal, da janela do estábulo olhavam o céu, receosos que o velhinho de barbas brancas não viesse.  
  • 9. Finalmente lá chegou! O trenó parou mesmo em frente à porta do estábulo.  
  • 10. Os animais correram para receber os presentes que tanto desejavam. O Tejo recebeu um belo osso, o burrinho um fardo de palha, a galinha um lenço novo, o pato um cachecol azul e o coelho umas bonitas luvas.    
  • 11. Estavam todos muito felizes quando de repente, o furão que se tinha escondido próximo do estábulo, saltou para a rena mais pequena que vinha a puxar o trenó, de dentes afiados e olhar ameaçador.  
  • 12. A pequena rena fugiu assustada para o meio da mata.
  • 13. Tejo, ao ver aquilo correu para o furão e ladrou ferozmente; este ao vê-lo fugiu cheio de medo e sem deixar rasto.  
  • 14. O Pai Natal ficou muito triste por perder a sua rena…  
  • 15. O cão como não queria que o Pai Natal ficasse triste, resolveu ir procurar a rena. Andou, andou por entre as árvores e lá encontrou a pequenita cheia de medo, escondida ao pé do muro da quinta.
  • 16. O Tejo ajudou a rena e disse-lhe que já não havia perigo, o furão com o susto já deveria estar muito longe.  
  • 17. Quando chegaram ao estábulo, todos os receberam com muita alegria!
  • 18. O Pai Natal ficou muito contente por ver a sua amiga, antes de partir agradeceu muito ao Tejo e desejou a todos um Feliz Natal.
  • 19. O cão não podia estar mais satisfeito, tinha ajudado a salvar o Natal. Vitória, vitória acabou-se a história!   Fim
  • 20. Esta história faz parte de um projecto da turma 1.3, do Centro Escolar das Alagoas, intitulado: Uma história para ti. A história foi elaborada com ajuda de materiais de construção de narrativas, oralmente e em grande grupo. Os alunos apresentaram as suas ideias, caracterizaram as personagens com ajuda de algumas pesquisas principalmente em relação à personagem do furão, escolheram as fórmulas de abertura e encerramento e ainda o título. O texto foi escrito pela professora da turma, visto os alunos serem de 1º ano. As ilustrações foram desenhadas pelos alunos e com ajuda de familiares.  
  • 21. Turma 1.3 Ana Cláudia Ana Maria André Bernardo Carolina Daniel José Filipe José Nuno Jéssica Letícia Filipa Letícia Morito Luís Miguel Luís Filipe Mariana Marisa Pedro Rafael Rafaela Regina Sara Xavier   Professora: Maria do Socorro