SlideShare uma empresa Scribd logo
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE



         Universidade Federal do Rio de Janeiro
       Social Responsible Investiments (SRI)
                        e
      Avaliação de Empresas de Petróleo e Gás

                  Status Atual e Tendências


                  Fernando Bulhões
                         Tatiana Botelho



Gestão Ambiental do Petróleo
Programa de Planejamento Energético e Ambiental
COPPE / UFRJ
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE
REFERÊNCIAS
 Fung, Hung-gay; Law, Sheryl A.; Yau, Jot. Social Responsible Investiment in a Global
 Enviroment. Edward Elgar Publishing: EUA, Massachussetts, 2010.

 Campos, Fabiana Moreno de; Lemme, Celso Funcia.                Investimento Socialmente
 Responsável no Mercado de Capitais: análise do desempenho de índices
 internacionais e fundos de ações brasileiros que consideram questões ambientais e
 sociais. Revista Eletrônica de Administração: Brasil, 08/2009.

 Sandberg,, Joakim; Juravle, Carmen; Hedesstrom, Ted Martin; Hamilton, Ian. The
 Heterogeneity of Socially Responsible Investment. Journal of Business Ethics: 2009.

 Huimin, Li; Adrian, Cheung; Eduardo, Roca. Yes, Idiosyncratic Risk Matters for Socially
 Responsible Investiments. International Research Journal of Finance and Economics,
 2010.

 Jansson, Magnus; Biel, Anders. Investment Institutions´ Beliefs about and Attitudes
 Toward Socially Responsible Investment (SRI): A Comparison between SRI and non-
 SRI Management. University of Gothenburg, Sweden: Sustainable Investment Research
 Platform, 2009.

 Jansson, Magnus; Biel, Anders; Andersson, Maria; Garling, Tommy. Investment Style and
 Perceived Drivers os Adoption of Socially Responsible Investment among Swedish
 Institutional Investors. University of Gothenburg, Sweden: Sustainable Investment
 Research Platform, 2010.

 Hawken, Paul; Natural Capital Institute. Socially Responsible Investing: How SRI
 industry has failed to respond to people who want to invest with conscience and                     1
 what can be done to change it. www.naturalcapital.org, 2004.
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE



Agenda
  Introdução e Conceituação

  Questões atuais relevantes

  Iniciativas SRI

  Fundos SRI no Brasil

  Índices e Rankings

     Goldman Sachs

     DJSI

  Exemplos: Caso da BP

  Conclusão
                                                                                          2
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE

Socially Responsible Investiment or Investing or Investors (SRI)

É um conceito “guarda chuva” para investimentos ou estratégias de
investimento que busquem provocar mudanças sociais positivas,
minimizar danos ambientais e/ou incorporar crenças éticas e religiosas.
SRI objetiva melhorar a performance dos negócios e a riqueza dos
investidores no longo prazo buscando a construção de um mundo
melhor.

SRI e Responsabilidde Social Corporativa (CSR) são dois lados da
mesma moeda. Enquanto o SRI busca satisfazer o interesse dos
investidores por boas práticas sociais, ambientais e de governança
corporativa (ESG) associadas a retornos financeiros atrativos, a CSR é a
abordagem gerencial da organização para compatibilizar os interesses
dos investidores por retornos financeiros e boas práticas de ESG.




                                                                                              3
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE

Socially Responsible Investiment or Investing or Investors (SRI)


SRI se refere a prática de direcionar fundos de investimento
para combinar o objetivo financeiro com o compromisso
social. Esse compromisso pode ser variado, desde justiça
social, desenvolvimento econômico, paz, meio ambiente ou
religioso.
(Haigh and Hazelton, 2004)

SRI é uma forma de investir que considera as consequencias
sociais e ambientais, tanto positiva quanto negativa, dentro
do contexto de uma rigorosa analise financeira.
(SIF, 2006)



                                                                                              4
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE

Iniciativas relacionadas e complementares ao SRI
     Fundos globais de investimento
     Fundos locais
     Índices como o Dow Jones Sustainability Index e o índice sócio-ambiental de empresas de energia
     do Goldman Sachs
     No Brasil o Índice de Sustentabilidade Empresarial – ISE (2005), metodologia FGV
     A ABRAPP pretende desenvolver princípios como PRI
     APIMEC com o IFC vem treinando analistas brasileiros em questões de ESG
     Princípios do Equador formulados pela International Finance Corporation – IFC
Braço do Banco Mundial para o setor privado que estabelecem critérios sócios-ambientais para
    concessão de crédito acima de US$ 50 milhões, com adesão dos principais bancos brasileiros
     Princípios para o Investimento Responsável (PRI)
Promovido pela United Nations Enviromental Program (UNEP) com mais de 400 empresas signatárias
   aos seguintes princípios:
1.   Incorporar critérios sociais, ambientais e de governança corporativa em seus processos de análise e
     decisão
2.   Serem proprietários ativos
3.   Divulgação das questões sociais, ambientais e de governança corporativa
4.   Promover a aceitação e implementação do PRI no setor de investimentos
5.   Reforçar a efetividade na implementação do PRI
                                                                                                            5
6.   Reportar progressos na implementação do PRI
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE

Iniciativas SRI
    Who cares wins – Integrando mercados financeiros a um mundo em transformação, Pacto Mundial
    ONU (1999), 20 instituições financeiras, 9 países (2004)
Mais ambiental que social, elenca recomendações para que todos os atores do sistema integrem
    efetivamente os fatores ESG à seus procedimentos e missão (empresas, bancos, assets, corretoras,
    seguradoras, auditorias, consultorias, bolsas de valores, organizações educacionais, governos,
    agências, ONGs, fundos de pensão e investidores)
“As instituições que apoiam este relatório estão convencidas de que, num mundo mais globalizado,
    interdependente e competitivo, o modo como são geridas as questões ambientais, sociais e de
    governança corporativa é parte integrante da própria administração geral da companhina e isso é
    necessário para competir com sucesso…..Companhias de melhor desempenho nesse campo
    podem aumentar seu valor para os acionistas, por exemplo, administrando adequadamente os
    riscos, antecipando ações nos marcos regulatórios ou tendo acesso a novos mercados, contribuindo
    ao mesmo tempo para o desenvolvimento sustentável das sociedades nas quais operam…Mais do
    que tudo, essas questões podem ter forte impacto na reputação e nas marcas, um ítem
    crescentemente importante na agregação de valor para a companhia.”
    Entre os emergentes, a BOVESPA e as bolsasde Istambul e Jakarta subscreveram o pacto
    Global Reporting Initiative – GRI, independente e de adesão voluntária, desenvolve e dissemina
    diretrizes para harmonizar os relatórios das organizações segundo critérios aceitos globalmente:
    Indicadores econômicos (a organização e seus impactos nos mercados e na economia), ambientais
    (poluição, emissão, reciclagem, redução de desperdícios do consumo de água e energia) e sociais
    (práticas trabalhistas, direitos humanos, transparência anti-corrupção)
    ANBID, Conselho de Auto-Regulação de Fundos de Investimento, fundos SRI e de boa governança
    corporativa poderão se intitular “Ações Sustentabilidade/Governança” promovendo padronização e
                                                                                                         6
    divulgação (2008)
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE




Princípios de Investimento Responsáveis (UN-PRI)
  Lançado Maio 2006
  Planteia 6 princípios com ações de como incorporar ESG nas suas
  decisões rotineiras de investimento.
  Cria uma rede de investidores socialmente responsáveis;
  Trabalha com o Global Compact para alinhar expectativas de
  investidores e empresas;
  Total de 855 signatários, representando entorno de US$22 trilhões de
  ativos;
  44 Signatários Brasileiros: ex: BDF Management, PREVI, Arus,
  Banesprev, CELPOS, Centrus, DESBAN, Funcef Brazil, Fundação 14,
  Fundação BrTPREV, Economus, Infraprev, Bradesco Asset
  Management, Green Capital Investimentos, Itaú Asset Management,
  Petros, SUSTAIN Capital and Valia.

                                                                         •Fonte:www.unpri.org7
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Influencia nos acordos internacionais




                                                                                       8
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Estudos




                                                                             9
                                •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE



Questões atuais relacionadas a SRI


  Investimentos emergentes cuja melhor análise e avaliação precisam
  incorporar    fatores não financeiros relacionados às práticas
  ambientais, sociais e de governança

  Organizações que incorporam os riscos SAGC em suas estratégias
  de longo prazo devem comunicar-se mais precisa e continuamente
  com seus grupos de interesse

  Construção de portfólios SRI




                                                                                             10
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE

Proposta Preliminar de Perguntas para Pesquisa
Quais os benchmarks e índices SRI relevantes para análise de empresas
de petróleo?

Quais as características e condições de contorno do processo decisório
SRI para investimento em empresas de petróleo?

Como o SRI influência o desempenho socioambiental de empresas de
petróleo?

Quais são os critérios socioambientais relevantes para os SRIs em
empresas de petróleo?

Há impactos financeiros relevantes com a incorporação de aspectos
sociais e ambientais nas decisões de investimento?

Como se evidência a heterogeneidade dos SRI?

                                                                                             11
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Fundos SRI no Brasil
Carteira de Fundos “Ações de Sustentabilidade e Governança”
•   Estes são fundos que investem somente em empresas que apresentam bons níveis de
    governança corporativa, ou que se destacam em responsabilidade social e ambiental. No
    caso, a participação pela empresa no Índice de Sustentabilidade Empresarial, divulgado
    pela BOVESPA, é o critério utilizado pelos fundos para a seleção de investimentos.

•   Existiam no Brasil, ao final de 2008, 19 fundos deste tipo, que totalizavam US$ 1,14
    bilhões em ativos. Em termos de participação no mercado brasileiro de fundos de
    investimento, as aplicações que utilizam critérios ambientais para seleção de seu portfólio,
    contribuíram com apenas 0,17% do total.
           Fundo Ações Sustentabilidade e Governança                Admistrador        Total de Ativos (US$ milhões)
             1           Itaú Governança Corporativa Ações FI             Itaú                     184,43
             2                    Real FI Ações Ethical II             Santander                   178,62
             3               Itaú Excelência Social Ações FI              Itaú                     159,35
             4       Itaú Person Governança Corp Ações FICFI              Itaú                     158,33
             5                     Real FIQ FIA Ethical                Santander                   128,23
             6       Itaú Person Excelência Social Ações FICFI            Itaú                     110,16
             7    Legg Mason Ações Sustentabilidade Empresarial       Legg Mason                    48,10
             8               HSBC FIA Sustent Empresarial                HSBC                       41,65
             9             Itaú Excelência Social Ações FICFI             Itaú                      41,08
            10      Bradesco FIA Índice de Sustent Empresarial         Bradesco                     31,82
            11                 Bradesco Prime Fic FIA ISE              Bradesco                     14,11
            12                    BB Top Ações ISE FIA               Banco do Brasil                13,74
            13                    BB Ações ISE FICFIA                Banco do Brasil                11,23
            14       Bradesco FIC FIA Governança Corporativa           Bradesco                      5,36
            15             Itaú Empresa Govern Corp Ações                 Itaú                       4,29
            16        Itaú Governança Corporativa Ações FICFI             Itaú                       4,02
            17                     Caixa FI Açõews ISE                   Caixa                       3,15
            18                     Safra ISE FI Ações                    Safra                      2,32
            19                Unibanco Sustentabilidade FIA               Itau                       2,30              12
                                     Total                                                        1.142,29
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


                  •SRI MARKET SIZE
Tamanho do Mercado - Europa




                                                                                        13
                                        Fonte: Eurosif; Social Investment Forum 2010;
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE



Tamanho do Mercado – Estados Unidos




                                                                                            14
                      Fonte: http://www.socialinvest.org/resources/sriguide/srifacts.cfm;
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Abordagem para estruturação de portfólios SRI

                                 Exclusões éticas: número alto de filtros aplicados (não só
                                 tabaco ou só armas);

                                 Filtros positivos: investimento em empresas com bom
                                 desempenho (best in class - DJSI) ou que produzem produtos
                                 ou serviços sustentáveis (ex. empresas de energia
                                 renovável);

                                 Exclusões simples e baseada em acordos internacionais:
                                 (ex. tabaco, armas, pornogradia, direitos humanos, testes em
                                 animais) e ou baseada em acordos ou normas internacionais
                                 (OECD, ONU, ILO, etc);

                                 Engajamento: gestores de fundos dialogam com empresa
                                 para influenciar na gestão, pode incluir utilização de poder de
                                 voto;

                                 Integração: avaliação de risco social, ambiental, ético e de
                                 governança integrada com a analise financeira tradicional.




                                                    Fonte: EuroSif, 2006                     15
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE

Críticas à construção de portfólios SRI
  Limita as opções de investimento e a chance de maiores retornos
  Em 2003 nos EUA, o portfólio acumulado dos fundos SRI não era diferente do acumulado dos
  demais fundos
  Os nomes dos fundos e suas descrições podem decepicionar diante da estratégia praticada na
  gestão do fundo
  As diversas metodologias de enquadramento para fundos SRI permitem praticamente qualquer
  empresa de capital aberto integrar um fundo SRI
  Ausëncia de transparëncia e responsabilização (accountability) quanto ao enquadramento,
  metodologia e seus critérios
  Ausëncia de regulação e padrões financeiros
  Dificulta comparações entre fundos pelos investidores
  Mais de 90% das empresas da Fortune 500 integram portfólios SRI
  Gestores de fundos decidem sobre critérios para satisfazer interesses subjetivos e difusos de
  investidores
  Decisões de inclusão podem ser fortemente influenciadas pela gestão da imagem das empresas,
  amplificando e omitindo informações
  Gestores de fundos que analisam a empresa com um todo podem ignorar detalhes obscuros de
  suas operações
  Embora o ativismo dos acionistas possa ser esperado, pouquíssimos fundos engajam-se em
  atividades com seus investidores ou investidas                                                         16
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE




                         Existem mais de 100 instituições de
                       ranking

                         Das 108 apresentadas, somente 21
                       existia em 2000




                              Fonte: SustainAbility, 2010        17
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Rankings


 Existem diversos tipos de rankings de sustentabilidade empresarial:
     Focado no investidor (e.g. Dow Jones Sustainability Index 4),
     Focado no consumidor (e.g. GoodGuide 5),
     Especifico da indústria (e.g. Tomorrow’s Value Rating 6)

 Para comparar os ranking é necessário saber:
     Fonte de pesquisa,
     Foco de questões
     Foco em industrias,
     Foco geográfico
     Transparência da metodologia




                                                                             Sustainability, 2010   18
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Atributos dos Rankings

        Fonte de Pesquisa
  .



Abrangência Geográfica




        Obtenção de dados




                                                          Fonte: SustainAbility, 2010        19
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Atributos dos Rankings
 Informação de fontes alternativas




 Abrangência de Temas




 Divulgação da Metodologia




                                                        Fonte: SustainAbility, 2010        20
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Interdependência dos Rankings




                                                   Fonte: SustainAbility, 2010        21
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE




Credibilidade




                                                                                   22
                                                     Fonte: SustainAbility, 2010
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Rankings Mais Relevantes para o Setor de Petróleo e Gás


  Dow Jones Sustainability Index/ FTSE4GOOD/ ISE Bovespa
  Goldman Sachs Energy SUSTAIN
  Global 100 Most Sustainable Corporations in the World – World
  Economic Forum
  Carbon Disclosure Project
  Management & Excellence World's Most Sustainable and Ethical Oil
  Companies
  CERES – Investors and Environmentalists for Sustainable Prosperity




                                                                                               23
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Principais questões dos investidores SRI em empresas de O&G


  Políticas, Diretrizes & Padrões – escopo e abrangência
  Governança– responsabilidades, accountability e integração com
  questões de negócios
  Gestão de Risco– sistemática, abrangência e preparação para
  resposta
  Gestão da Cadeia de Fornecedores– padrões, auditorias e
  avaliação de risco
  Transparência– Relatórios de Sustentabilidade, EITI, Ouvidoria,
  relações com governo, engajamento de partes interessadas
  Recursos Humanos– Avaliação com critérios de sustentabilidade
  e compensação variável
  Desempenho: indicadores de saúde e segurança



                                                                                           24
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE




Histórico dos Estudos da Goldman Sachs

  A Iniciativa de Finanças do PNUMA solicitou em 2003 à GS que identificasse
  questões ambientais e sociais que possam afetar as empresas da indústria de
  P&G em termos de:
      competitividade e
      Reputação.
      Quantificando, quando possível, o impacto no valor das ações.

  Criou-se o índice ambiental e social de empresas de energia da GS (GSEES)
  com 30 critérios e 23 empresas analisadas – Fevereiro 2004
  Por causa de alguns erros de interpretação do Balanço Social em Inglês, a
  Petrobras ficou em 16o lugar (com a pontuação correta ficaria em 12o lugar).
  Este ano questões de governança foram adicionadas ao índice, criando o ESG-
  com 42 critérios e 26 empresas analisadas.




                                                                                                      25
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE

EXEMPLO: GOLDMAN SACHS ESG FRAMEWORK




                                                                                 26
                                                 Fonte: Goldman Sachs SUSTAIN, 2007
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


         Peso por Setor – Critérios Aplicados



               U

               U
             U/E
              E
              E


Empregados - Específicos




                                                                                              27
                                                 •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Critérios Específicos para Energia

Stakeholder
   Investimento em P&D relativo ao CAPEX
   Investimento em comunidade relativo ao CAPEX
   Engajamento: código de conduta, ouvidoria, participação no EITI e VPSHR
   Transparência de Pagamentos: governos, impostos e executivos


Meio Ambiente
   Uso de energia e emissões de GEE aplicam-se a todas as indústrias
   Redução de flare em relação a produção de hidrocarbonetos
   Produção de gás
   Investimento em CCS
   Eco-eficiência (água, resíduos)
   Vazamentos de petróleo
   Gestão da biodiversidade

                                                                                                    28
                                                       •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE

Integrando o Índice ESG com analise das Cias de Energia




      Qualidade da Gestão          Acesso a reservas futuras               Desempenho e avaliação

            Índice ESG             Melhores 100 Projetos                       Director’s Cut
Forte correlação entre lideres       Retorno econômico é                Avaliação e desempenho são
do ESG e de novas reservas        impulsionado por acesso a              impulsionados por retornos
                                  novas reservas (new legacy                    econômicos
                                           assets)

 •Fonte: Pesquisa Goldman Sachs
                                                                                                     29
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


EXEMPLO: GOLDMAN SACHS SUSTAIN




                                                                                 30
                                              •Source: Goldman Sachs SUSTAIN, 2007
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE




                                                                   31
                      •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Conclusão: A indústria de P&G está mudando rapidamente - somente
as empresas com melhor gestão poderão sobreviver e prosperar



  Campos são maiores

  Projetos mais desafiadores – áreas sensíveis, águas profundas, condições
  climáticas, reinvidicações comunitárias, etc.

  Aumento de riscos - mais de 78% das reservas do T100 são em países não OECD.

  Competição está mais acirrada – Em 1991: onze das maiores 20 eram do EUA,
  hoje somente quatro. Mais diversa e melhor capitalizada.

  Questões de recursos humanos estão mais intensivas – menos pessoas para
  mais projetos

  Transição para o gás e além (beyond)




                                                                                                 32
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


SAM Sustainable Asset Management

•   Fundada em 1995, adiquirida pelo Robeco 2006
•   Matriz em Zurich
•   Mais de 100 funcionários
•   Produtos
      •   Gestão de Recursos (EUR 11.2 billões)
      •   Indices (Geral & Temático)
      •   Private Equity (Clean Tech)

•   Cooperação com o Indice Dow Jones– O primeiro índice global de sustentabilidade
    (Dow Jones Sustainability Index) em 1999;
•   Dow Jones Sustainability Europe and Dow Jones Sustainability Eurozone Index
•   Dow Jones Sustainability North America Index and Dow Jones Sustainability United
    States Index
•   Dow Jones Sustainability Asia Pacific Index
•   Dow Jones Sustainability Korea Index
•   Indices Customizations                                                                                 33
                                                              •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


        Índice Global Dow Jones de Sustentabilidade


•   Lançado em 1999

•   Cobre 10% das 2500 maiores empresas do Dow Jones Global Total Stock Market
    Index

•   DJSI Global 80 – líderes de sustentabilidade. Lançado em Agosto de 2008.
•   Dow Jones Sustainability World Index (DJSI World)
•   Dow Jones Sustainability World Index ex Alcohol (DJSI World ex Alcohol)
•   Dow Jones Sustainability World Index ex Tobacco (DJSI World ex Tobacco)
•   Dow Jones Sustainability World Index ex Gambling (DJSI World ex Gambling)
•   Dow Jones Sustainability World Index ex Armaments and Firearms (DJSI World ex
    Armaments and Firearms)
•   Dow Jones Sustainability World Index ex Alcohol, Tobacco, Gambling,
•   Armaments and Firearms (DJSI World ex All)




                                                                                                    34
                                                       •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Metodologia de Comparação da SAM

• Avaliação integrada de critérios economicos, sociais e ambientais com vista em
 criação de valor de longo prazo.

• Sistemática baseada em “best in class”:
    • Estudos empiricos (in-house ou cooperação com Universidades)
    • Estudos de terceira parte
    • Engajamento com network de especialistas e empresas
• 58 industries
• Avaliação específica para industrias
• Principal fonte: Formulário e documentos da empresa
• Revisão annual de melhores práticas
• Monitoramento contínuo de empresas em relação a temas controversiais
• Auditado por terceira parte


                                                                                              35
                                                 •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Fontes de Informação


                   Questionário




                   Interação com empresa


                                                               Desempenho de

                                                              Sustentabilidade
                   Documentos da Cia
                                                                  Corporativa



                   Imprensa



                   ONGs
                   Partes Interessadas

                                                                                 36
                                    •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Pesos para o Setor de Petróleo e Gás




 39%                                                                          Especifico
                                          100%          40%                    Industria




            32%

                                                                    60%         Geral

                              29%


Econômico   Ambiental        Social          Total    Critérios Critérios
                                                                 Gerais
                                                      Indústria

                                                                                     37
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


    Critérios de Análise do DJSI

                                        Oportunidades                                                             Riscos

Econômico                       •   Portfólio de Gas                                                          •   Governança Corporativa
                                •   Exploração e Produção                                                     •   Gestão de Risco e Crise.
                                •   Gestão da Marca                                                           •   Procedimentos Anti Corrupção
                                •   Relacionamento com clientes                                               •   Transparência


Ambiental                       •   Gestão Ambiental.                                                         •   Desempenho Ambiental
                                •   Estratégia do Clima                                                       •   Vazamentos
                                •   Biodiversidade                                                            •   Estratégia do Clima
                                •   Eco eficiência                                                            •   Riscos relacionados a água
                                •   Refino/Combustiveis+limpos
                                •   Energia Renovável

Social                          •   Retenção e Atração de Talentos                                            •   Politicas de Direitos Humanos
                                •   Desenvolvimento de Capital Humano                                         •   Impacto nas comunidades
                                •   Engajamento com partes interessadas                                       •   Saúde e Segurança Ocupacional
                                •   Cidadania Corporativa e Filantropia                                       •   Práticas laborais
                                                                                                              •   Padrões para Fornecedores


         See http://www.sustainability-index.com/htmle/assessment/criteria.html for full list of criteria and weightings


                                                                                                                                                   38
                                                                                                      •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE




                                                                 39
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Exemplos Ilustrativos da Integração de ESG
na análise de investimentos utilizando o
vazamento da BP


•Uma consultora entrevistou 4 gestoras de recursos.
•Objetivo: verificar como que ESG influenciou suas visões da BP
antes e depois do acidente.

•Esses exemplos permitem visualizar a variedade de aplicações da
integração de ESG na analise financeira de empresas.




                                                                                      40
                                 Fonte: http://www.mercer.com/articles/1395175
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Exemplo 1 – Gestora de Recursos Reino
Unido; metodologia própria, divisão em
setores
Classificação Antes do Acidente Deepwater Horizon
•ESG - Levemente acima da média (Financeiro+ESG=abaixo da
média)
•Questões:
 •   Estatísticas de saúde e segurança em queda
 •    Acidentes de Texas City e Prudhoe Bay afetaram negativamente a
     reputação
 •   Sistema de remuneração não priorizava questões de ESG

Classificação Depois do Acidente Deepwater Horizon
•Abaixo da média
•Confiança na gestão de saúde e segurança
•Gestor encerrou posição em todas as empresas que
historicamente desempenhavam abaixo da média


                                                                                         41
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Exemplo 2 – Gestora de Recursos Global;
avaliação ESG tercerizada e Engagement

Classificação Antes do Acidente Deepwater Horizon

•Exposição mínima da BP em parte porcausa de questões de
ESG

•Opinião baseada em conversa com outros drillers, fornecedores
e gestores da BP.




                                                                                     42
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Exemplo 3 – Gestora de Recursos Global;
metodologia própria disponibilizada para
gestores de recursos
Classificação Antes do Acidente Deepwater Horizon
•Pouca exposição – BP estava cara (over-valued)
Classificação Depois do Acidente Deepwater Horizon
•Reavaliaram com base no preço de mercado
•Avaliaram implicações do acidente a curto, médio e longo prazo
na BP e na indústria de petróleo
•Pesquisa ficará disponível para os gestores de recursos, que
tomam sua próprias decisões sobre investimento




                                                                                     43
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Exemplo 4 – Gestora de Recursos Global;
equipe dedicada a Investimentos Socialmente
Responsáveis (não contribui para avaliação
mainstream)

Classificação Antes do Acidente Deepwater Horizon
•Mainstream: Visão negativa das Oil Majors baseado na
pespectiva que os ativos estão em declínio
•Fundo SRI: Preferência para empresas de gás natural vis a vis
petróleo. BP for a do universo de investimento com base na
baixa pontuação na matriz de sustentabilidade.

Classificação Depois do Acidente Deepwater Horizon
•Mainstream: Após a queda significativa no preço das ações, os
gestores de portfólio aumentaram sua posição da companhia.
•Fundo SRI: abaixou ainda mais a pontuação da BP na sua
matriz de sustentabilidade.


                                                                                     44
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE


Conclusão



Interesse dos investidores aumentaram a visibilidade
e transparência das questões ambientais nas
empresas de P&G

Reforçou o elo entre atuação responsável e retorno
financeiro

Criação de uma competitividade saudável

Transformação de incentivo: regulatório
investidores.



                                                                                  45
Uma nova questão se coloca!                Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE




Desastres ambientais, como o causado pelo acidente na Deepwater
Horizon, alteram o portfólio de investimentos dos principais fundos
             de investimento em empresas de petróleo?

                                            Furacão Katrina afeta a
                                           produção de 14 refinarias,
                                               diminuindo em 2,2
                                           milhões bbl/d o refino nos
                                                     EUA
                                                                                                       Após o furacão
                    Entrada em vigor                                                                Gustav, EUA atinge
                    do Protocolo de                                                                   o menor nível de
                         Kyoto                                Publicação do                         estoque de gasolina
                                                              Relatório Stern                           desde 1967



  Antes das metas                                                                            2008                  2009        2010
                      2005                      2006                       2007
   de emissão de
  GEE para países                                    Ciclone no Oceano
      Anexo 1                                        Índico interrompe a
                    Lançamento do                   produção de petróleo
                                                      em Cingapura e na
                       EU-ETS
                                                          Austrália

                                          Recorde de                       Publicação do          Furacão Dolly              Acidente na
                                       temperatura no                      4º Relatório do    interrompe em 5% a              Plataforma
                                         verão causa                            IPCC            produção de óleo          Deepwater Horizon
                                         “apagão” na                                          no Golfo do México          no Golfo do México
                                            China


                                                                                                                                               46
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE




Especificamente no que diz
     respeito à BP...




                                                                        47
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE
          Date   Open    High     Low       Close      Avg Vol    Adj Close*
Nov 15, 2010     43.60   43.64   41.32      42.03     6,908,800        42.03
 Nov 8, 2010     43.16   44.37   42.69      42.99    10,416,900        42.99
 Nov 1, 2010     40.99   43.98   40.61      43.79    11,537,900        43.79
Oct 25, 2010     40.61   41.35   39.58      40.80     9,488,800        40.80
Oct 18, 2010     40.66   41.74   40.22      40.50     8,421,300        40.50
Oct 11, 2010     41.32   41.75   40.40      40.62     7,299,300        40.62
  Oct 4, 2010    41.46   42.08   40.73      41.92     7,618,600        41.92
Sep 27, 2010     38.39   42.00   37.86      41.95    17,403,300        41.95
Sep 20, 2010     38.36   38.99   37.84      38.46     7,400,300        38.46
Sep 13, 2010     38.35   38.85   37.49      38.03     7,119,500        38.03
 Sep 7, 2010     37.71   38.67   37.13      38.22     9,039,600        38.22
Aug 30, 2010     35.64   37.43   34.50      37.43     8,663,400        37.43
Aug 23, 2010     36.42   36.91   34.16      35.56    12,202,800        35.56
Aug 16, 2010     38.42   38.85   35.53      36.40    12,265,300        36.40
 Aug 9, 2010     41.56   41.59   37.49      38.93    15,322,800        38.93
 Aug 2, 2010     39.00   41.50   38.95      41.33    24,497,400        41.33   Houve forte impacto no valor das
 Jul 26, 2010    37.93   39.00   37.32      38.47    23,591,300        38.47                ações!
 Jul 19, 2010    36.00   36.88   34.58      36.86    33,979,500        36.86
 Jul 12, 2010    35.64   39.81   35.42      37.10    65,923,700        37.10
   Jul 6, 2010   31.03   34.17   30.74      34.05    49,972,000        34.05
Jun 28, 2010     27.65   30.42   26.75      29.35    60,125,700        29.35
Jun 21, 2010     30.64   31.18   26.83      27.02    74,388,100        27.02
Jun 14, 2010     32.39   33.00   29.58      31.76   141,660,500        31.76
  Jun 7, 2010    38.13   38.15   29.00      33.97   147,152,400        33.97
  Jun 1, 2010    37.34   39.41   36.20      37.16    90,828,300        37.16
May 24, 2010     42.49   45.57   40.61      42.95    37,290,400        42.95
May 17, 2010     47.20   47.56   43.31      43.86    28,504,200        43.86
May 10, 2010     49.12   49.89   46.00      46.87    27,038,800        46.87
 May 5, 2010                       0.84 Dividend
 May 3, 2010     49.36   52.00   47.35      49.06    63,227,300        49.06
Apr 26, 2010     59.77   59.87   51.36      52.15    37,534,700        51.29
Apr 19, 2010     58.86   60.70   58.75      59.88     4,812,200        58.90
Apr 12, 2010     59.27   60.98   58.71      59.88     5,012,100        58.90
 Apr 5, 2010     58.27   59.50   58.00      59.46     5,011,200        58.48
                                                                                                                     48
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE
Que afetou a rentabilidade dos seus papéis, por isso levando a uma
substancial queda na sua alavancagem em fundos mútuos. Somente
             esse fator levou à queda na alavancagem?
                   •Posição em 01/04/2010:
                                                             (30/06/2010) e (05-07/2010)
     •US$ 16,2 bilhões (10 maiores holders institucionais)

        •US$ 6,7 bilhões (10 maiores fundos mútuos)
                         •(Fonte: Bloomberg)




                                                              US$ 4,5 bilhões (holders)

                                                          US$ 1,6 bilhões (fundos mútuos)
                                                                       (Fonte: Bloomberg)




                                                                                              49
Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE
Isso sobretudo é um problema para a BP, pois...

 Alta alavancagem financeira implica em dificuldades
adicionais na captação de recursos junto à terceiros!!!

                                  Alavancagem Financeira (AT/PL)



         3       3



        2,8
                           2,73
                 2,7
                                                                              Petrobras
        2,6
                           2,57             2,55                              Repsol
                                            2,51
AT/PL




                 2,49                                      2,49       2,48    RoyalDutchShell
                                                           2,46
        2,4                                                                   BP
                                                                              ExxonMobil
                           2,31
                                                                              Chevron
                           2,24
        2,2
                                            2,13           2,14
                 2,05                       2,05
         2                 2                                          2,01
                                            1,92           1,92       1,94
                 1,85                       1,86                      1,85
        1,8                1,82
              2004      2005            2006           2007        2008
                                        Ano

                                                                                                   50

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Trabajo de anátomia
Trabajo  de  anátomiaTrabajo  de  anátomia
Trabajo de anátomia
Alexandra Melendrez
 
Moffat. psicologo. (d).ppsx
Moffat. psicologo. (d).ppsxMoffat. psicologo. (d).ppsx
Moffat. psicologo. (d).ppsx
Ligia Nancy Cajina Pérez
 
Khu đô thị FPT City. Đất nền Đà Nẵng. Call : 0932.43.86.91
Khu đô thị FPT City. Đất nền Đà Nẵng. Call : 0932.43.86.91Khu đô thị FPT City. Đất nền Đà Nẵng. Call : 0932.43.86.91
Khu đô thị FPT City. Đất nền Đà Nẵng. Call : 0932.43.86.91
RELand.,Ltd
 
Esquema delterritorio
Esquema delterritorioEsquema delterritorio
Esquema delterritorio
UFToro
 

Destaque (8)

Vedam 54
Vedam 54Vedam 54
Vedam 54
 
Trabajo de anátomia
Trabajo  de  anátomiaTrabajo  de  anátomia
Trabajo de anátomia
 
Lanjutan jawaban nomor 3
Lanjutan jawaban nomor 3Lanjutan jawaban nomor 3
Lanjutan jawaban nomor 3
 
Ex algebra (17)
Ex algebra  (17)Ex algebra  (17)
Ex algebra (17)
 
Moffat. psicologo. (d).ppsx
Moffat. psicologo. (d).ppsxMoffat. psicologo. (d).ppsx
Moffat. psicologo. (d).ppsx
 
Kipya Certificate (1)
Kipya Certificate (1)Kipya Certificate (1)
Kipya Certificate (1)
 
Khu đô thị FPT City. Đất nền Đà Nẵng. Call : 0932.43.86.91
Khu đô thị FPT City. Đất nền Đà Nẵng. Call : 0932.43.86.91Khu đô thị FPT City. Đất nền Đà Nẵng. Call : 0932.43.86.91
Khu đô thị FPT City. Đất nền Đà Nẵng. Call : 0932.43.86.91
 
Esquema delterritorio
Esquema delterritorioEsquema delterritorio
Esquema delterritorio
 

Semelhante a Social Responsible Investment - SRI

Sustentabilidade setor farmaceutico_luiz henrique
Sustentabilidade setor farmaceutico_luiz henriqueSustentabilidade setor farmaceutico_luiz henrique
Sustentabilidade setor farmaceutico_luiz henrique
Ivana da Silveira
 
020_circuito_sesi_-_oficina_como_tornar-se_socialmente_responsavel-2.ppt
020_circuito_sesi_-_oficina_como_tornar-se_socialmente_responsavel-2.ppt020_circuito_sesi_-_oficina_como_tornar-se_socialmente_responsavel-2.ppt
020_circuito_sesi_-_oficina_como_tornar-se_socialmente_responsavel-2.ppt
MuniqueHolandaAlves1
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadores
thaisfantazia
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadores
thaisfantazia
 
Apresentação Multiplicadores
Apresentação MultiplicadoresApresentação Multiplicadores
Apresentação Multiplicadores
guestcd7b95
 
E-book-Guia-ESG-T-Environmental-Social-Governance-Tecnologia-e-Inovacao.pdf
E-book-Guia-ESG-T-Environmental-Social-Governance-Tecnologia-e-Inovacao.pdfE-book-Guia-ESG-T-Environmental-Social-Governance-Tecnologia-e-Inovacao.pdf
E-book-Guia-ESG-T-Environmental-Social-Governance-Tecnologia-e-Inovacao.pdf
ssuser0dee13
 
P´Rincipios Para O Investimento Responsavel Unep Fi
P´Rincipios Para O Investimento Responsavel Unep FiP´Rincipios Para O Investimento Responsavel Unep Fi
P´Rincipios Para O Investimento Responsavel Unep Fi
TEIAS TEIA DE EXECUTIVOS
 
Ricardo Nogueira 16.45 Sala B
Ricardo Nogueira 16.45 Sala BRicardo Nogueira 16.45 Sala B
Ricardo Nogueira 16.45 Sala B
apimec
 
Gestaoda responsabilidadesocial
Gestaoda responsabilidadesocialGestaoda responsabilidadesocial
Gestaoda responsabilidadesocial
Luana Fidelis
 
Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
IFGe
 
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambientalTrabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
Joao Moreira
 
ABRAPP - Cartilha de elaboração de relatórios de sustentabilidade para EFPCs
ABRAPP - Cartilha de elaboração de relatórios de sustentabilidade para EFPCsABRAPP - Cartilha de elaboração de relatórios de sustentabilidade para EFPCs
ABRAPP - Cartilha de elaboração de relatórios de sustentabilidade para EFPCs
MZ .
 
ESG | Environmental, Social & Governance
ESG | Environmental, Social & GovernanceESG | Environmental, Social & Governance
ESG | Environmental, Social & Governance
Grupo Index
 
Palestra Responsabilidade Social em Contexto de Mudança: 05 nov 2010
Palestra Responsabilidade Social em Contexto de Mudança: 05 nov 2010Palestra Responsabilidade Social em Contexto de Mudança: 05 nov 2010
Palestra Responsabilidade Social em Contexto de Mudança: 05 nov 2010
Patricia Almeida Ashley
 
Apresentacao wri rachel_ago2011 16_40
Apresentacao wri rachel_ago2011 16_40Apresentacao wri rachel_ago2011 16_40
Apresentacao wri rachel_ago2011 16_40
forumsustentar
 
Consultoria Finanças Sustentáveis e o PRI
Consultoria Finanças Sustentáveis e o PRIConsultoria Finanças Sustentáveis e o PRI
Consultoria Finanças Sustentáveis e o PRI
finsus
 
A_Responsabilidade_Social_nas_Organizacoes_Percepc.pdf
A_Responsabilidade_Social_nas_Organizacoes_Percepc.pdfA_Responsabilidade_Social_nas_Organizacoes_Percepc.pdf
A_Responsabilidade_Social_nas_Organizacoes_Percepc.pdf
BrainerRani
 
POLÍTICAS ECOAMBIENTAIS APLICADAS NAS EMPRESAS DE CONSTRUÇÀO CIVIL
POLÍTICAS ECOAMBIENTAIS APLICADAS NAS EMPRESAS DE CONSTRUÇÀO CIVILPOLÍTICAS ECOAMBIENTAIS APLICADAS NAS EMPRESAS DE CONSTRUÇÀO CIVIL
POLÍTICAS ECOAMBIENTAIS APLICADAS NAS EMPRESAS DE CONSTRUÇÀO CIVIL
MaisoDias
 
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
ExpoGestão
 
Unilever, stakeholders e criação de valor compartilhado
Unilever, stakeholders e criação de valor compartilhadoUnilever, stakeholders e criação de valor compartilhado
Unilever, stakeholders e criação de valor compartilhado
Cristiana Menezes Fonseca Ramos
 

Semelhante a Social Responsible Investment - SRI (20)

Sustentabilidade setor farmaceutico_luiz henrique
Sustentabilidade setor farmaceutico_luiz henriqueSustentabilidade setor farmaceutico_luiz henrique
Sustentabilidade setor farmaceutico_luiz henrique
 
020_circuito_sesi_-_oficina_como_tornar-se_socialmente_responsavel-2.ppt
020_circuito_sesi_-_oficina_como_tornar-se_socialmente_responsavel-2.ppt020_circuito_sesi_-_oficina_como_tornar-se_socialmente_responsavel-2.ppt
020_circuito_sesi_-_oficina_como_tornar-se_socialmente_responsavel-2.ppt
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadores
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadores
 
Apresentação Multiplicadores
Apresentação MultiplicadoresApresentação Multiplicadores
Apresentação Multiplicadores
 
E-book-Guia-ESG-T-Environmental-Social-Governance-Tecnologia-e-Inovacao.pdf
E-book-Guia-ESG-T-Environmental-Social-Governance-Tecnologia-e-Inovacao.pdfE-book-Guia-ESG-T-Environmental-Social-Governance-Tecnologia-e-Inovacao.pdf
E-book-Guia-ESG-T-Environmental-Social-Governance-Tecnologia-e-Inovacao.pdf
 
P´Rincipios Para O Investimento Responsavel Unep Fi
P´Rincipios Para O Investimento Responsavel Unep FiP´Rincipios Para O Investimento Responsavel Unep Fi
P´Rincipios Para O Investimento Responsavel Unep Fi
 
Ricardo Nogueira 16.45 Sala B
Ricardo Nogueira 16.45 Sala BRicardo Nogueira 16.45 Sala B
Ricardo Nogueira 16.45 Sala B
 
Gestaoda responsabilidadesocial
Gestaoda responsabilidadesocialGestaoda responsabilidadesocial
Gestaoda responsabilidadesocial
 
Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
 
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambientalTrabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
 
ABRAPP - Cartilha de elaboração de relatórios de sustentabilidade para EFPCs
ABRAPP - Cartilha de elaboração de relatórios de sustentabilidade para EFPCsABRAPP - Cartilha de elaboração de relatórios de sustentabilidade para EFPCs
ABRAPP - Cartilha de elaboração de relatórios de sustentabilidade para EFPCs
 
ESG | Environmental, Social & Governance
ESG | Environmental, Social & GovernanceESG | Environmental, Social & Governance
ESG | Environmental, Social & Governance
 
Palestra Responsabilidade Social em Contexto de Mudança: 05 nov 2010
Palestra Responsabilidade Social em Contexto de Mudança: 05 nov 2010Palestra Responsabilidade Social em Contexto de Mudança: 05 nov 2010
Palestra Responsabilidade Social em Contexto de Mudança: 05 nov 2010
 
Apresentacao wri rachel_ago2011 16_40
Apresentacao wri rachel_ago2011 16_40Apresentacao wri rachel_ago2011 16_40
Apresentacao wri rachel_ago2011 16_40
 
Consultoria Finanças Sustentáveis e o PRI
Consultoria Finanças Sustentáveis e o PRIConsultoria Finanças Sustentáveis e o PRI
Consultoria Finanças Sustentáveis e o PRI
 
A_Responsabilidade_Social_nas_Organizacoes_Percepc.pdf
A_Responsabilidade_Social_nas_Organizacoes_Percepc.pdfA_Responsabilidade_Social_nas_Organizacoes_Percepc.pdf
A_Responsabilidade_Social_nas_Organizacoes_Percepc.pdf
 
POLÍTICAS ECOAMBIENTAIS APLICADAS NAS EMPRESAS DE CONSTRUÇÀO CIVIL
POLÍTICAS ECOAMBIENTAIS APLICADAS NAS EMPRESAS DE CONSTRUÇÀO CIVILPOLÍTICAS ECOAMBIENTAIS APLICADAS NAS EMPRESAS DE CONSTRUÇÀO CIVIL
POLÍTICAS ECOAMBIENTAIS APLICADAS NAS EMPRESAS DE CONSTRUÇÀO CIVIL
 
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
 
Unilever, stakeholders e criação de valor compartilhado
Unilever, stakeholders e criação de valor compartilhadoUnilever, stakeholders e criação de valor compartilhado
Unilever, stakeholders e criação de valor compartilhado
 

Social Responsible Investment - SRI

  • 1. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Universidade Federal do Rio de Janeiro Social Responsible Investiments (SRI) e Avaliação de Empresas de Petróleo e Gás Status Atual e Tendências Fernando Bulhões Tatiana Botelho Gestão Ambiental do Petróleo Programa de Planejamento Energético e Ambiental COPPE / UFRJ
  • 2. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE REFERÊNCIAS Fung, Hung-gay; Law, Sheryl A.; Yau, Jot. Social Responsible Investiment in a Global Enviroment. Edward Elgar Publishing: EUA, Massachussetts, 2010. Campos, Fabiana Moreno de; Lemme, Celso Funcia. Investimento Socialmente Responsável no Mercado de Capitais: análise do desempenho de índices internacionais e fundos de ações brasileiros que consideram questões ambientais e sociais. Revista Eletrônica de Administração: Brasil, 08/2009. Sandberg,, Joakim; Juravle, Carmen; Hedesstrom, Ted Martin; Hamilton, Ian. The Heterogeneity of Socially Responsible Investment. Journal of Business Ethics: 2009. Huimin, Li; Adrian, Cheung; Eduardo, Roca. Yes, Idiosyncratic Risk Matters for Socially Responsible Investiments. International Research Journal of Finance and Economics, 2010. Jansson, Magnus; Biel, Anders. Investment Institutions´ Beliefs about and Attitudes Toward Socially Responsible Investment (SRI): A Comparison between SRI and non- SRI Management. University of Gothenburg, Sweden: Sustainable Investment Research Platform, 2009. Jansson, Magnus; Biel, Anders; Andersson, Maria; Garling, Tommy. Investment Style and Perceived Drivers os Adoption of Socially Responsible Investment among Swedish Institutional Investors. University of Gothenburg, Sweden: Sustainable Investment Research Platform, 2010. Hawken, Paul; Natural Capital Institute. Socially Responsible Investing: How SRI industry has failed to respond to people who want to invest with conscience and 1 what can be done to change it. www.naturalcapital.org, 2004.
  • 3. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Agenda Introdução e Conceituação Questões atuais relevantes Iniciativas SRI Fundos SRI no Brasil Índices e Rankings Goldman Sachs DJSI Exemplos: Caso da BP Conclusão 2
  • 4. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Socially Responsible Investiment or Investing or Investors (SRI) É um conceito “guarda chuva” para investimentos ou estratégias de investimento que busquem provocar mudanças sociais positivas, minimizar danos ambientais e/ou incorporar crenças éticas e religiosas. SRI objetiva melhorar a performance dos negócios e a riqueza dos investidores no longo prazo buscando a construção de um mundo melhor. SRI e Responsabilidde Social Corporativa (CSR) são dois lados da mesma moeda. Enquanto o SRI busca satisfazer o interesse dos investidores por boas práticas sociais, ambientais e de governança corporativa (ESG) associadas a retornos financeiros atrativos, a CSR é a abordagem gerencial da organização para compatibilizar os interesses dos investidores por retornos financeiros e boas práticas de ESG. 3
  • 5. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Socially Responsible Investiment or Investing or Investors (SRI) SRI se refere a prática de direcionar fundos de investimento para combinar o objetivo financeiro com o compromisso social. Esse compromisso pode ser variado, desde justiça social, desenvolvimento econômico, paz, meio ambiente ou religioso. (Haigh and Hazelton, 2004) SRI é uma forma de investir que considera as consequencias sociais e ambientais, tanto positiva quanto negativa, dentro do contexto de uma rigorosa analise financeira. (SIF, 2006) 4
  • 6. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Iniciativas relacionadas e complementares ao SRI Fundos globais de investimento Fundos locais Índices como o Dow Jones Sustainability Index e o índice sócio-ambiental de empresas de energia do Goldman Sachs No Brasil o Índice de Sustentabilidade Empresarial – ISE (2005), metodologia FGV A ABRAPP pretende desenvolver princípios como PRI APIMEC com o IFC vem treinando analistas brasileiros em questões de ESG Princípios do Equador formulados pela International Finance Corporation – IFC Braço do Banco Mundial para o setor privado que estabelecem critérios sócios-ambientais para concessão de crédito acima de US$ 50 milhões, com adesão dos principais bancos brasileiros Princípios para o Investimento Responsável (PRI) Promovido pela United Nations Enviromental Program (UNEP) com mais de 400 empresas signatárias aos seguintes princípios: 1. Incorporar critérios sociais, ambientais e de governança corporativa em seus processos de análise e decisão 2. Serem proprietários ativos 3. Divulgação das questões sociais, ambientais e de governança corporativa 4. Promover a aceitação e implementação do PRI no setor de investimentos 5. Reforçar a efetividade na implementação do PRI 5 6. Reportar progressos na implementação do PRI
  • 7. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Iniciativas SRI Who cares wins – Integrando mercados financeiros a um mundo em transformação, Pacto Mundial ONU (1999), 20 instituições financeiras, 9 países (2004) Mais ambiental que social, elenca recomendações para que todos os atores do sistema integrem efetivamente os fatores ESG à seus procedimentos e missão (empresas, bancos, assets, corretoras, seguradoras, auditorias, consultorias, bolsas de valores, organizações educacionais, governos, agências, ONGs, fundos de pensão e investidores) “As instituições que apoiam este relatório estão convencidas de que, num mundo mais globalizado, interdependente e competitivo, o modo como são geridas as questões ambientais, sociais e de governança corporativa é parte integrante da própria administração geral da companhina e isso é necessário para competir com sucesso…..Companhias de melhor desempenho nesse campo podem aumentar seu valor para os acionistas, por exemplo, administrando adequadamente os riscos, antecipando ações nos marcos regulatórios ou tendo acesso a novos mercados, contribuindo ao mesmo tempo para o desenvolvimento sustentável das sociedades nas quais operam…Mais do que tudo, essas questões podem ter forte impacto na reputação e nas marcas, um ítem crescentemente importante na agregação de valor para a companhia.” Entre os emergentes, a BOVESPA e as bolsasde Istambul e Jakarta subscreveram o pacto Global Reporting Initiative – GRI, independente e de adesão voluntária, desenvolve e dissemina diretrizes para harmonizar os relatórios das organizações segundo critérios aceitos globalmente: Indicadores econômicos (a organização e seus impactos nos mercados e na economia), ambientais (poluição, emissão, reciclagem, redução de desperdícios do consumo de água e energia) e sociais (práticas trabalhistas, direitos humanos, transparência anti-corrupção) ANBID, Conselho de Auto-Regulação de Fundos de Investimento, fundos SRI e de boa governança corporativa poderão se intitular “Ações Sustentabilidade/Governança” promovendo padronização e 6 divulgação (2008)
  • 8. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Princípios de Investimento Responsáveis (UN-PRI) Lançado Maio 2006 Planteia 6 princípios com ações de como incorporar ESG nas suas decisões rotineiras de investimento. Cria uma rede de investidores socialmente responsáveis; Trabalha com o Global Compact para alinhar expectativas de investidores e empresas; Total de 855 signatários, representando entorno de US$22 trilhões de ativos; 44 Signatários Brasileiros: ex: BDF Management, PREVI, Arus, Banesprev, CELPOS, Centrus, DESBAN, Funcef Brazil, Fundação 14, Fundação BrTPREV, Economus, Infraprev, Bradesco Asset Management, Green Capital Investimentos, Itaú Asset Management, Petros, SUSTAIN Capital and Valia. •Fonte:www.unpri.org7
  • 9. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Influencia nos acordos internacionais 8
  • 10. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Estudos 9 •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
  • 11. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Questões atuais relacionadas a SRI Investimentos emergentes cuja melhor análise e avaliação precisam incorporar fatores não financeiros relacionados às práticas ambientais, sociais e de governança Organizações que incorporam os riscos SAGC em suas estratégias de longo prazo devem comunicar-se mais precisa e continuamente com seus grupos de interesse Construção de portfólios SRI 10
  • 12. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Proposta Preliminar de Perguntas para Pesquisa Quais os benchmarks e índices SRI relevantes para análise de empresas de petróleo? Quais as características e condições de contorno do processo decisório SRI para investimento em empresas de petróleo? Como o SRI influência o desempenho socioambiental de empresas de petróleo? Quais são os critérios socioambientais relevantes para os SRIs em empresas de petróleo? Há impactos financeiros relevantes com a incorporação de aspectos sociais e ambientais nas decisões de investimento? Como se evidência a heterogeneidade dos SRI? 11
  • 13. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Fundos SRI no Brasil Carteira de Fundos “Ações de Sustentabilidade e Governança” • Estes são fundos que investem somente em empresas que apresentam bons níveis de governança corporativa, ou que se destacam em responsabilidade social e ambiental. No caso, a participação pela empresa no Índice de Sustentabilidade Empresarial, divulgado pela BOVESPA, é o critério utilizado pelos fundos para a seleção de investimentos. • Existiam no Brasil, ao final de 2008, 19 fundos deste tipo, que totalizavam US$ 1,14 bilhões em ativos. Em termos de participação no mercado brasileiro de fundos de investimento, as aplicações que utilizam critérios ambientais para seleção de seu portfólio, contribuíram com apenas 0,17% do total. Fundo Ações Sustentabilidade e Governança Admistrador Total de Ativos (US$ milhões) 1 Itaú Governança Corporativa Ações FI Itaú 184,43 2 Real FI Ações Ethical II Santander 178,62 3 Itaú Excelência Social Ações FI Itaú 159,35 4 Itaú Person Governança Corp Ações FICFI Itaú 158,33 5 Real FIQ FIA Ethical Santander 128,23 6 Itaú Person Excelência Social Ações FICFI Itaú 110,16 7 Legg Mason Ações Sustentabilidade Empresarial Legg Mason 48,10 8 HSBC FIA Sustent Empresarial HSBC 41,65 9 Itaú Excelência Social Ações FICFI Itaú 41,08 10 Bradesco FIA Índice de Sustent Empresarial Bradesco 31,82 11 Bradesco Prime Fic FIA ISE Bradesco 14,11 12 BB Top Ações ISE FIA Banco do Brasil 13,74 13 BB Ações ISE FICFIA Banco do Brasil 11,23 14 Bradesco FIC FIA Governança Corporativa Bradesco 5,36 15 Itaú Empresa Govern Corp Ações Itaú 4,29 16 Itaú Governança Corporativa Ações FICFI Itaú 4,02 17 Caixa FI Açõews ISE Caixa 3,15 18 Safra ISE FI Ações Safra 2,32 19 Unibanco Sustentabilidade FIA Itau 2,30 12 Total 1.142,29
  • 14. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE •SRI MARKET SIZE Tamanho do Mercado - Europa 13 Fonte: Eurosif; Social Investment Forum 2010;
  • 15. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Tamanho do Mercado – Estados Unidos 14 Fonte: http://www.socialinvest.org/resources/sriguide/srifacts.cfm;
  • 16. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Abordagem para estruturação de portfólios SRI Exclusões éticas: número alto de filtros aplicados (não só tabaco ou só armas); Filtros positivos: investimento em empresas com bom desempenho (best in class - DJSI) ou que produzem produtos ou serviços sustentáveis (ex. empresas de energia renovável); Exclusões simples e baseada em acordos internacionais: (ex. tabaco, armas, pornogradia, direitos humanos, testes em animais) e ou baseada em acordos ou normas internacionais (OECD, ONU, ILO, etc); Engajamento: gestores de fundos dialogam com empresa para influenciar na gestão, pode incluir utilização de poder de voto; Integração: avaliação de risco social, ambiental, ético e de governança integrada com a analise financeira tradicional. Fonte: EuroSif, 2006 15
  • 17. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Críticas à construção de portfólios SRI Limita as opções de investimento e a chance de maiores retornos Em 2003 nos EUA, o portfólio acumulado dos fundos SRI não era diferente do acumulado dos demais fundos Os nomes dos fundos e suas descrições podem decepicionar diante da estratégia praticada na gestão do fundo As diversas metodologias de enquadramento para fundos SRI permitem praticamente qualquer empresa de capital aberto integrar um fundo SRI Ausëncia de transparëncia e responsabilização (accountability) quanto ao enquadramento, metodologia e seus critérios Ausëncia de regulação e padrões financeiros Dificulta comparações entre fundos pelos investidores Mais de 90% das empresas da Fortune 500 integram portfólios SRI Gestores de fundos decidem sobre critérios para satisfazer interesses subjetivos e difusos de investidores Decisões de inclusão podem ser fortemente influenciadas pela gestão da imagem das empresas, amplificando e omitindo informações Gestores de fundos que analisam a empresa com um todo podem ignorar detalhes obscuros de suas operações Embora o ativismo dos acionistas possa ser esperado, pouquíssimos fundos engajam-se em atividades com seus investidores ou investidas 16
  • 18. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Existem mais de 100 instituições de ranking Das 108 apresentadas, somente 21 existia em 2000 Fonte: SustainAbility, 2010 17
  • 19. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Rankings Existem diversos tipos de rankings de sustentabilidade empresarial: Focado no investidor (e.g. Dow Jones Sustainability Index 4), Focado no consumidor (e.g. GoodGuide 5), Especifico da indústria (e.g. Tomorrow’s Value Rating 6) Para comparar os ranking é necessário saber: Fonte de pesquisa, Foco de questões Foco em industrias, Foco geográfico Transparência da metodologia Sustainability, 2010 18
  • 20. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Atributos dos Rankings Fonte de Pesquisa . Abrangência Geográfica Obtenção de dados Fonte: SustainAbility, 2010 19
  • 21. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Atributos dos Rankings Informação de fontes alternativas Abrangência de Temas Divulgação da Metodologia Fonte: SustainAbility, 2010 20
  • 22. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Interdependência dos Rankings Fonte: SustainAbility, 2010 21
  • 23. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Credibilidade 22 Fonte: SustainAbility, 2010
  • 24. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Rankings Mais Relevantes para o Setor de Petróleo e Gás Dow Jones Sustainability Index/ FTSE4GOOD/ ISE Bovespa Goldman Sachs Energy SUSTAIN Global 100 Most Sustainable Corporations in the World – World Economic Forum Carbon Disclosure Project Management & Excellence World's Most Sustainable and Ethical Oil Companies CERES – Investors and Environmentalists for Sustainable Prosperity 23
  • 25. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Principais questões dos investidores SRI em empresas de O&G Políticas, Diretrizes & Padrões – escopo e abrangência Governança– responsabilidades, accountability e integração com questões de negócios Gestão de Risco– sistemática, abrangência e preparação para resposta Gestão da Cadeia de Fornecedores– padrões, auditorias e avaliação de risco Transparência– Relatórios de Sustentabilidade, EITI, Ouvidoria, relações com governo, engajamento de partes interessadas Recursos Humanos– Avaliação com critérios de sustentabilidade e compensação variável Desempenho: indicadores de saúde e segurança 24
  • 26. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Histórico dos Estudos da Goldman Sachs A Iniciativa de Finanças do PNUMA solicitou em 2003 à GS que identificasse questões ambientais e sociais que possam afetar as empresas da indústria de P&G em termos de: competitividade e Reputação. Quantificando, quando possível, o impacto no valor das ações. Criou-se o índice ambiental e social de empresas de energia da GS (GSEES) com 30 critérios e 23 empresas analisadas – Fevereiro 2004 Por causa de alguns erros de interpretação do Balanço Social em Inglês, a Petrobras ficou em 16o lugar (com a pontuação correta ficaria em 12o lugar). Este ano questões de governança foram adicionadas ao índice, criando o ESG- com 42 critérios e 26 empresas analisadas. 25
  • 27. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE EXEMPLO: GOLDMAN SACHS ESG FRAMEWORK 26 Fonte: Goldman Sachs SUSTAIN, 2007
  • 28. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Peso por Setor – Critérios Aplicados U U U/E E E Empregados - Específicos 27 •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
  • 29. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Critérios Específicos para Energia Stakeholder Investimento em P&D relativo ao CAPEX Investimento em comunidade relativo ao CAPEX Engajamento: código de conduta, ouvidoria, participação no EITI e VPSHR Transparência de Pagamentos: governos, impostos e executivos Meio Ambiente Uso de energia e emissões de GEE aplicam-se a todas as indústrias Redução de flare em relação a produção de hidrocarbonetos Produção de gás Investimento em CCS Eco-eficiência (água, resíduos) Vazamentos de petróleo Gestão da biodiversidade 28 •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
  • 30. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Integrando o Índice ESG com analise das Cias de Energia Qualidade da Gestão Acesso a reservas futuras Desempenho e avaliação Índice ESG Melhores 100 Projetos Director’s Cut Forte correlação entre lideres Retorno econômico é Avaliação e desempenho são do ESG e de novas reservas impulsionado por acesso a impulsionados por retornos novas reservas (new legacy econômicos assets) •Fonte: Pesquisa Goldman Sachs 29
  • 31. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE EXEMPLO: GOLDMAN SACHS SUSTAIN 30 •Source: Goldman Sachs SUSTAIN, 2007
  • 32. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE 31 •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
  • 33. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Conclusão: A indústria de P&G está mudando rapidamente - somente as empresas com melhor gestão poderão sobreviver e prosperar Campos são maiores Projetos mais desafiadores – áreas sensíveis, águas profundas, condições climáticas, reinvidicações comunitárias, etc. Aumento de riscos - mais de 78% das reservas do T100 são em países não OECD. Competição está mais acirrada – Em 1991: onze das maiores 20 eram do EUA, hoje somente quatro. Mais diversa e melhor capitalizada. Questões de recursos humanos estão mais intensivas – menos pessoas para mais projetos Transição para o gás e além (beyond) 32
  • 34. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE SAM Sustainable Asset Management • Fundada em 1995, adiquirida pelo Robeco 2006 • Matriz em Zurich • Mais de 100 funcionários • Produtos • Gestão de Recursos (EUR 11.2 billões) • Indices (Geral & Temático) • Private Equity (Clean Tech) • Cooperação com o Indice Dow Jones– O primeiro índice global de sustentabilidade (Dow Jones Sustainability Index) em 1999; • Dow Jones Sustainability Europe and Dow Jones Sustainability Eurozone Index • Dow Jones Sustainability North America Index and Dow Jones Sustainability United States Index • Dow Jones Sustainability Asia Pacific Index • Dow Jones Sustainability Korea Index • Indices Customizations 33 •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
  • 35. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Índice Global Dow Jones de Sustentabilidade • Lançado em 1999 • Cobre 10% das 2500 maiores empresas do Dow Jones Global Total Stock Market Index • DJSI Global 80 – líderes de sustentabilidade. Lançado em Agosto de 2008. • Dow Jones Sustainability World Index (DJSI World) • Dow Jones Sustainability World Index ex Alcohol (DJSI World ex Alcohol) • Dow Jones Sustainability World Index ex Tobacco (DJSI World ex Tobacco) • Dow Jones Sustainability World Index ex Gambling (DJSI World ex Gambling) • Dow Jones Sustainability World Index ex Armaments and Firearms (DJSI World ex Armaments and Firearms) • Dow Jones Sustainability World Index ex Alcohol, Tobacco, Gambling, • Armaments and Firearms (DJSI World ex All) 34 •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
  • 36. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Metodologia de Comparação da SAM • Avaliação integrada de critérios economicos, sociais e ambientais com vista em criação de valor de longo prazo. • Sistemática baseada em “best in class”: • Estudos empiricos (in-house ou cooperação com Universidades) • Estudos de terceira parte • Engajamento com network de especialistas e empresas • 58 industries • Avaliação específica para industrias • Principal fonte: Formulário e documentos da empresa • Revisão annual de melhores práticas • Monitoramento contínuo de empresas em relação a temas controversiais • Auditado por terceira parte 35 •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
  • 37. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Fontes de Informação Questionário Interação com empresa Desempenho de Sustentabilidade Documentos da Cia Corporativa Imprensa ONGs Partes Interessadas 36 •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
  • 38. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Pesos para o Setor de Petróleo e Gás 39% Especifico 100% 40% Industria 32% 60% Geral 29% Econômico Ambiental Social Total Critérios Critérios Gerais Indústria 37
  • 39. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Critérios de Análise do DJSI Oportunidades Riscos Econômico • Portfólio de Gas • Governança Corporativa • Exploração e Produção • Gestão de Risco e Crise. • Gestão da Marca • Procedimentos Anti Corrupção • Relacionamento com clientes • Transparência Ambiental • Gestão Ambiental. • Desempenho Ambiental • Estratégia do Clima • Vazamentos • Biodiversidade • Estratégia do Clima • Eco eficiência • Riscos relacionados a água • Refino/Combustiveis+limpos • Energia Renovável Social • Retenção e Atração de Talentos • Politicas de Direitos Humanos • Desenvolvimento de Capital Humano • Impacto nas comunidades • Engajamento com partes interessadas • Saúde e Segurança Ocupacional • Cidadania Corporativa e Filantropia • Práticas laborais • Padrões para Fornecedores See http://www.sustainability-index.com/htmle/assessment/criteria.html for full list of criteria and weightings 38 •Benchmarking Report Petrobras, April 2006
  • 40. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE 39
  • 41. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Exemplos Ilustrativos da Integração de ESG na análise de investimentos utilizando o vazamento da BP •Uma consultora entrevistou 4 gestoras de recursos. •Objetivo: verificar como que ESG influenciou suas visões da BP antes e depois do acidente. •Esses exemplos permitem visualizar a variedade de aplicações da integração de ESG na analise financeira de empresas. 40 Fonte: http://www.mercer.com/articles/1395175
  • 42. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Exemplo 1 – Gestora de Recursos Reino Unido; metodologia própria, divisão em setores Classificação Antes do Acidente Deepwater Horizon •ESG - Levemente acima da média (Financeiro+ESG=abaixo da média) •Questões: • Estatísticas de saúde e segurança em queda • Acidentes de Texas City e Prudhoe Bay afetaram negativamente a reputação • Sistema de remuneração não priorizava questões de ESG Classificação Depois do Acidente Deepwater Horizon •Abaixo da média •Confiança na gestão de saúde e segurança •Gestor encerrou posição em todas as empresas que historicamente desempenhavam abaixo da média 41
  • 43. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Exemplo 2 – Gestora de Recursos Global; avaliação ESG tercerizada e Engagement Classificação Antes do Acidente Deepwater Horizon •Exposição mínima da BP em parte porcausa de questões de ESG •Opinião baseada em conversa com outros drillers, fornecedores e gestores da BP. 42
  • 44. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Exemplo 3 – Gestora de Recursos Global; metodologia própria disponibilizada para gestores de recursos Classificação Antes do Acidente Deepwater Horizon •Pouca exposição – BP estava cara (over-valued) Classificação Depois do Acidente Deepwater Horizon •Reavaliaram com base no preço de mercado •Avaliaram implicações do acidente a curto, médio e longo prazo na BP e na indústria de petróleo •Pesquisa ficará disponível para os gestores de recursos, que tomam sua próprias decisões sobre investimento 43
  • 45. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Exemplo 4 – Gestora de Recursos Global; equipe dedicada a Investimentos Socialmente Responsáveis (não contribui para avaliação mainstream) Classificação Antes do Acidente Deepwater Horizon •Mainstream: Visão negativa das Oil Majors baseado na pespectiva que os ativos estão em declínio •Fundo SRI: Preferência para empresas de gás natural vis a vis petróleo. BP for a do universo de investimento com base na baixa pontuação na matriz de sustentabilidade. Classificação Depois do Acidente Deepwater Horizon •Mainstream: Após a queda significativa no preço das ações, os gestores de portfólio aumentaram sua posição da companhia. •Fundo SRI: abaixou ainda mais a pontuação da BP na sua matriz de sustentabilidade. 44
  • 46. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Conclusão Interesse dos investidores aumentaram a visibilidade e transparência das questões ambientais nas empresas de P&G Reforçou o elo entre atuação responsável e retorno financeiro Criação de uma competitividade saudável Transformação de incentivo: regulatório investidores. 45
  • 47. Uma nova questão se coloca! Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Desastres ambientais, como o causado pelo acidente na Deepwater Horizon, alteram o portfólio de investimentos dos principais fundos de investimento em empresas de petróleo? Furacão Katrina afeta a produção de 14 refinarias, diminuindo em 2,2 milhões bbl/d o refino nos EUA Após o furacão Entrada em vigor Gustav, EUA atinge do Protocolo de o menor nível de Kyoto Publicação do estoque de gasolina Relatório Stern desde 1967 Antes das metas 2008 2009 2010 2005 2006 2007 de emissão de GEE para países Ciclone no Oceano Anexo 1 Índico interrompe a Lançamento do produção de petróleo em Cingapura e na EU-ETS Austrália Recorde de Publicação do Furacão Dolly Acidente na temperatura no 4º Relatório do interrompe em 5% a Plataforma verão causa IPCC produção de óleo Deepwater Horizon “apagão” na no Golfo do México no Golfo do México China 46
  • 48. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Especificamente no que diz respeito à BP... 47
  • 49. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Date Open High Low Close Avg Vol Adj Close* Nov 15, 2010 43.60 43.64 41.32 42.03 6,908,800 42.03 Nov 8, 2010 43.16 44.37 42.69 42.99 10,416,900 42.99 Nov 1, 2010 40.99 43.98 40.61 43.79 11,537,900 43.79 Oct 25, 2010 40.61 41.35 39.58 40.80 9,488,800 40.80 Oct 18, 2010 40.66 41.74 40.22 40.50 8,421,300 40.50 Oct 11, 2010 41.32 41.75 40.40 40.62 7,299,300 40.62 Oct 4, 2010 41.46 42.08 40.73 41.92 7,618,600 41.92 Sep 27, 2010 38.39 42.00 37.86 41.95 17,403,300 41.95 Sep 20, 2010 38.36 38.99 37.84 38.46 7,400,300 38.46 Sep 13, 2010 38.35 38.85 37.49 38.03 7,119,500 38.03 Sep 7, 2010 37.71 38.67 37.13 38.22 9,039,600 38.22 Aug 30, 2010 35.64 37.43 34.50 37.43 8,663,400 37.43 Aug 23, 2010 36.42 36.91 34.16 35.56 12,202,800 35.56 Aug 16, 2010 38.42 38.85 35.53 36.40 12,265,300 36.40 Aug 9, 2010 41.56 41.59 37.49 38.93 15,322,800 38.93 Aug 2, 2010 39.00 41.50 38.95 41.33 24,497,400 41.33 Houve forte impacto no valor das Jul 26, 2010 37.93 39.00 37.32 38.47 23,591,300 38.47 ações! Jul 19, 2010 36.00 36.88 34.58 36.86 33,979,500 36.86 Jul 12, 2010 35.64 39.81 35.42 37.10 65,923,700 37.10 Jul 6, 2010 31.03 34.17 30.74 34.05 49,972,000 34.05 Jun 28, 2010 27.65 30.42 26.75 29.35 60,125,700 29.35 Jun 21, 2010 30.64 31.18 26.83 27.02 74,388,100 27.02 Jun 14, 2010 32.39 33.00 29.58 31.76 141,660,500 31.76 Jun 7, 2010 38.13 38.15 29.00 33.97 147,152,400 33.97 Jun 1, 2010 37.34 39.41 36.20 37.16 90,828,300 37.16 May 24, 2010 42.49 45.57 40.61 42.95 37,290,400 42.95 May 17, 2010 47.20 47.56 43.31 43.86 28,504,200 43.86 May 10, 2010 49.12 49.89 46.00 46.87 27,038,800 46.87 May 5, 2010 0.84 Dividend May 3, 2010 49.36 52.00 47.35 49.06 63,227,300 49.06 Apr 26, 2010 59.77 59.87 51.36 52.15 37,534,700 51.29 Apr 19, 2010 58.86 60.70 58.75 59.88 4,812,200 58.90 Apr 12, 2010 59.27 60.98 58.71 59.88 5,012,100 58.90 Apr 5, 2010 58.27 59.50 58.00 59.46 5,011,200 58.48 48
  • 50. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Que afetou a rentabilidade dos seus papéis, por isso levando a uma substancial queda na sua alavancagem em fundos mútuos. Somente esse fator levou à queda na alavancagem? •Posição em 01/04/2010: (30/06/2010) e (05-07/2010) •US$ 16,2 bilhões (10 maiores holders institucionais) •US$ 6,7 bilhões (10 maiores fundos mútuos) •(Fonte: Bloomberg) US$ 4,5 bilhões (holders) US$ 1,6 bilhões (fundos mútuos) (Fonte: Bloomberg) 49
  • 51. Fernando Bulhões, PhD Candidate, Planejamento Energético, UFRJ - COPPE Isso sobretudo é um problema para a BP, pois... Alta alavancagem financeira implica em dificuldades adicionais na captação de recursos junto à terceiros!!! Alavancagem Financeira (AT/PL) 3 3 2,8 2,73 2,7 Petrobras 2,6 2,57 2,55 Repsol 2,51 AT/PL 2,49 2,49 2,48 RoyalDutchShell 2,46 2,4 BP ExxonMobil 2,31 Chevron 2,24 2,2 2,13 2,14 2,05 2,05 2 2 2,01 1,92 1,92 1,94 1,85 1,86 1,85 1,8 1,82 2004 2005 2006 2007 2008 Ano 50