SlideShare uma empresa Scribd logo

020_circuito_sesi_-_oficina_como_tornar-se_socialmente_responsavel-2.ppt

Como se tornar socialmente responsável

1 de 80
Baixar para ler offline
SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA
Como tornar sua empresa
socialmente responsável
Fernanda Luna
Eu preciso me preocupar
com isso?
TENDÊNCIAS DOS CONSUMIDORES
• PAPEL DAS EMPRESAS
O consumidor brasileiro espera das empresas que, além de serem agentes
produtivos, sejam agentes sociais e ambientais, contribuindo ativamente
para o desenvolvimento da sociedade.
• COMUNICAÇÃO TRANSPARENTE
O consumidor desconfia das informações fornecidas pelas empresas a
respeito do que elas fazem em termos sociais e ambientais, e buscam mais
informações a esse respeito.
• DECISÕES DE COMPRA MAIS SUSTENTÁVEL
O consumidor valoriza cada vez mais as questões sociais e ambientais em
sua decisão de compra e mobilizam outros consumidores nesse sentido.
Pesquisa: Práticas e perspectivas da RSE no Brasil
• Conduzida pelo Instituto Ethos e Akatu e realizada pelo IBOPE no
primeiro semestre de 2008.
• Objetivo: Identificar as principais conquistas e os desafios do
fenômeno da RSE no Brasil.
• Foram avaliadas 56 práticas de Responsabilidade Social.
• Foram realizadas 1.333 entrevistas via telefone e e-mail.
• Público: empresas de pequeno, médio e grande porte de todas as
regiões do país. Setores: indústria, comércio e serviços.
Principais Conclusões
• 50% das empresas têm ao menos 22 práticas de RSE implantadas,
de um total de 56. Em 2004 a média era de 11 práticas implantadas.
• As empresas que fazem parte da amostra especial das 500 Maiores
da Revista Exame destacam-se substancialmente à média da
amostragem geral, tornando-as referência no processo de
discussão e implementação da RSE.
• Apesar do maior envolvimento das empresas, as práticas mais
adotadas tendem a estar relacionadas a temas que impactam
diretamente a sobrevivência da empresa e/ou imposições de
regulamentações.

Recomendados

Unilever, stakeholders e criação de valor compartilhado
Unilever, stakeholders e criação de valor compartilhadoUnilever, stakeholders e criação de valor compartilhado
Unilever, stakeholders e criação de valor compartilhadoCristiana Menezes Fonseca Ramos
 
Comunicar Responsabilidade Social Empresarial
Comunicar Responsabilidade Social EmpresarialComunicar Responsabilidade Social Empresarial
Comunicar Responsabilidade Social EmpresarialMaria Carvalhosa
 
Lançamento Guias da Coleção Empresa Amiga da Criança
Lançamento Guias da Coleção Empresa Amiga da Criança Lançamento Guias da Coleção Empresa Amiga da Criança
Lançamento Guias da Coleção Empresa Amiga da Criança Fundação Abrinq
 
A responsabilidade social corporativa como instrumento de marketing
A responsabilidade social corporativa como instrumento de marketingA responsabilidade social corporativa como instrumento de marketing
A responsabilidade social corporativa como instrumento de marketingAmanda Jhonys
 
Gestaoda responsabilidadesocial
Gestaoda responsabilidadesocialGestaoda responsabilidadesocial
Gestaoda responsabilidadesocialLuana Fidelis
 
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc ExpoGestão
 
Palestra Responsabilidade Social em Contexto de Mudança: 05 nov 2010
Palestra Responsabilidade Social em Contexto de Mudança: 05 nov 2010Palestra Responsabilidade Social em Contexto de Mudança: 05 nov 2010
Palestra Responsabilidade Social em Contexto de Mudança: 05 nov 2010Patricia Almeida Ashley
 
Projeto de responsabilidade social para empresas brasileiras
Projeto de responsabilidade social para empresas brasileiras Projeto de responsabilidade social para empresas brasileiras
Projeto de responsabilidade social para empresas brasileiras alfredobottone
 

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 020_circuito_sesi_-_oficina_como_tornar-se_socialmente_responsavel-2.ppt

Responsabilidade social
Responsabilidade socialResponsabilidade social
Responsabilidade socialAline Corso
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadoresthaisfantazia
 
Apresentação Multiplicadores
Apresentação MultiplicadoresApresentação Multiplicadores
Apresentação Multiplicadoresguestcd7b95
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadoresthaisfantazia
 
SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PETRÓLEO E GÁS.
SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PETRÓLEO E GÁS.SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PETRÓLEO E GÁS.
SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PETRÓLEO E GÁS.Lia Medeiros
 
empreendedorismo social.pdf
empreendedorismo social.pdfempreendedorismo social.pdf
empreendedorismo social.pdfRicardo Pereira
 
Sustentabilidade setor farmaceutico_luiz henrique
Sustentabilidade setor farmaceutico_luiz henriqueSustentabilidade setor farmaceutico_luiz henrique
Sustentabilidade setor farmaceutico_luiz henriqueIvana da Silveira
 
ABPS - Saúde e Responsabilidade Social
ABPS - Saúde e Responsabilidade Social ABPS - Saúde e Responsabilidade Social
ABPS - Saúde e Responsabilidade Social tana bassi
 
Apresentacao4_Responsabilidade.ppt
Apresentacao4_Responsabilidade.pptApresentacao4_Responsabilidade.ppt
Apresentacao4_Responsabilidade.pptNatanael Ferreira
 
Engajamento de Stakeholders na Gestão Ambiental Estratégica
Engajamento de Stakeholders na Gestão Ambiental EstratégicaEngajamento de Stakeholders na Gestão Ambiental Estratégica
Engajamento de Stakeholders na Gestão Ambiental EstratégicaCleiton Jardeweski
 
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambientalTrabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambientalJoao Moreira
 
Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria
Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria
Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria Dialogus Consultoria
 
Como Implantar a Responsabilidade Social nas Empresas - Dialogus Consultoria
Como Implantar a Responsabilidade Social nas Empresas - Dialogus ConsultoriaComo Implantar a Responsabilidade Social nas Empresas - Dialogus Consultoria
Como Implantar a Responsabilidade Social nas Empresas - Dialogus ConsultoriaDialogus Consultoria
 
Can Mark. Com. Help to Sustain the World?
Can Mark. Com. Help to Sustain the World?Can Mark. Com. Help to Sustain the World?
Can Mark. Com. Help to Sustain the World?Armando Junqueiro
 
Indicadores Ethos de responsabilidade social.pdf
Indicadores Ethos de responsabilidade social.pdfIndicadores Ethos de responsabilidade social.pdf
Indicadores Ethos de responsabilidade social.pdfjoseteste1
 
Sustentabilidade no Mercado Imobiliário
Sustentabilidade no Mercado ImobiliárioSustentabilidade no Mercado Imobiliário
Sustentabilidade no Mercado Imobiliáriotana bassi
 
Sustentabilidade e Sistema Financeiro: Inovações Importantes - Denise Hills (...
Sustentabilidade e Sistema Financeiro: Inovações Importantes - Denise Hills (...Sustentabilidade e Sistema Financeiro: Inovações Importantes - Denise Hills (...
Sustentabilidade e Sistema Financeiro: Inovações Importantes - Denise Hills (...Editora Fórum
 
Aneel A Realidade Brasileira No Caminho Da Sustentabilidade E Rs Livio Giosa
Aneel   A Realidade Brasileira No Caminho Da Sustentabilidade E Rs Livio GiosaAneel   A Realidade Brasileira No Caminho Da Sustentabilidade E Rs Livio Giosa
Aneel A Realidade Brasileira No Caminho Da Sustentabilidade E Rs Livio Giosataniamaciel
 

Semelhante a 020_circuito_sesi_-_oficina_como_tornar-se_socialmente_responsavel-2.ppt (20)

Responsabilidade social
Responsabilidade socialResponsabilidade social
Responsabilidade social
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadores
 
Apresentação Multiplicadores
Apresentação MultiplicadoresApresentação Multiplicadores
Apresentação Multiplicadores
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadores
 
SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PETRÓLEO E GÁS.
SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PETRÓLEO E GÁS.SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PETRÓLEO E GÁS.
SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PETRÓLEO E GÁS.
 
empreendedorismo social.pdf
empreendedorismo social.pdfempreendedorismo social.pdf
empreendedorismo social.pdf
 
Sustentabilidade setor farmaceutico_luiz henrique
Sustentabilidade setor farmaceutico_luiz henriqueSustentabilidade setor farmaceutico_luiz henrique
Sustentabilidade setor farmaceutico_luiz henrique
 
ABPS - Saúde e Responsabilidade Social
ABPS - Saúde e Responsabilidade Social ABPS - Saúde e Responsabilidade Social
ABPS - Saúde e Responsabilidade Social
 
Apresentacao4_Responsabilidade.ppt
Apresentacao4_Responsabilidade.pptApresentacao4_Responsabilidade.ppt
Apresentacao4_Responsabilidade.ppt
 
Engajamento de Stakeholders na Gestão Ambiental Estratégica
Engajamento de Stakeholders na Gestão Ambiental EstratégicaEngajamento de Stakeholders na Gestão Ambiental Estratégica
Engajamento de Stakeholders na Gestão Ambiental Estratégica
 
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambientalTrabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
 
Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria
Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria
Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria
 
Marketing social
Marketing socialMarketing social
Marketing social
 
Como Implantar a Responsabilidade Social nas Empresas - Dialogus Consultoria
Como Implantar a Responsabilidade Social nas Empresas - Dialogus ConsultoriaComo Implantar a Responsabilidade Social nas Empresas - Dialogus Consultoria
Como Implantar a Responsabilidade Social nas Empresas - Dialogus Consultoria
 
Can Mark. Com. Help to Sustain the World?
Can Mark. Com. Help to Sustain the World?Can Mark. Com. Help to Sustain the World?
Can Mark. Com. Help to Sustain the World?
 
alcides
alcidesalcides
alcides
 
Indicadores Ethos de responsabilidade social.pdf
Indicadores Ethos de responsabilidade social.pdfIndicadores Ethos de responsabilidade social.pdf
Indicadores Ethos de responsabilidade social.pdf
 
Sustentabilidade no Mercado Imobiliário
Sustentabilidade no Mercado ImobiliárioSustentabilidade no Mercado Imobiliário
Sustentabilidade no Mercado Imobiliário
 
Sustentabilidade e Sistema Financeiro: Inovações Importantes - Denise Hills (...
Sustentabilidade e Sistema Financeiro: Inovações Importantes - Denise Hills (...Sustentabilidade e Sistema Financeiro: Inovações Importantes - Denise Hills (...
Sustentabilidade e Sistema Financeiro: Inovações Importantes - Denise Hills (...
 
Aneel A Realidade Brasileira No Caminho Da Sustentabilidade E Rs Livio Giosa
Aneel   A Realidade Brasileira No Caminho Da Sustentabilidade E Rs Livio GiosaAneel   A Realidade Brasileira No Caminho Da Sustentabilidade E Rs Livio Giosa
Aneel A Realidade Brasileira No Caminho Da Sustentabilidade E Rs Livio Giosa
 

020_circuito_sesi_-_oficina_como_tornar-se_socialmente_responsavel-2.ppt

  • 1. SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA
  • 2. Como tornar sua empresa socialmente responsável Fernanda Luna
  • 3. Eu preciso me preocupar com isso?
  • 4. TENDÊNCIAS DOS CONSUMIDORES • PAPEL DAS EMPRESAS O consumidor brasileiro espera das empresas que, além de serem agentes produtivos, sejam agentes sociais e ambientais, contribuindo ativamente para o desenvolvimento da sociedade. • COMUNICAÇÃO TRANSPARENTE O consumidor desconfia das informações fornecidas pelas empresas a respeito do que elas fazem em termos sociais e ambientais, e buscam mais informações a esse respeito. • DECISÕES DE COMPRA MAIS SUSTENTÁVEL O consumidor valoriza cada vez mais as questões sociais e ambientais em sua decisão de compra e mobilizam outros consumidores nesse sentido.
  • 5. Pesquisa: Práticas e perspectivas da RSE no Brasil • Conduzida pelo Instituto Ethos e Akatu e realizada pelo IBOPE no primeiro semestre de 2008. • Objetivo: Identificar as principais conquistas e os desafios do fenômeno da RSE no Brasil. • Foram avaliadas 56 práticas de Responsabilidade Social. • Foram realizadas 1.333 entrevistas via telefone e e-mail. • Público: empresas de pequeno, médio e grande porte de todas as regiões do país. Setores: indústria, comércio e serviços.
  • 6. Principais Conclusões • 50% das empresas têm ao menos 22 práticas de RSE implantadas, de um total de 56. Em 2004 a média era de 11 práticas implantadas. • As empresas que fazem parte da amostra especial das 500 Maiores da Revista Exame destacam-se substancialmente à média da amostragem geral, tornando-as referência no processo de discussão e implementação da RSE. • Apesar do maior envolvimento das empresas, as práticas mais adotadas tendem a estar relacionadas a temas que impactam diretamente a sobrevivência da empresa e/ou imposições de regulamentações.
  • 7. Quantas práticas de RSE adotam as empresas brasileiras? Distribuição porcentual das faixas conforme o número de práticas implementadas (de um total de 56 práticas) no total da amostra principal.
  • 8. Distribuição porcentual das empresas conforme incorporação de práticas agrupadas em temas: média do total de empresas da amostra principal. Em quais temas se concentram as práticas de RSE adotadas pelas empresas? %
  • 9. “Pensar a economia e a questão social separadamente é um terrível erro. Precisamos de boas condições sociais e ambientais, do contrário as empresas poderão ter sucesso por um ou dois anos, mas não no longo prazo”. (Michael Porter, 2008)
  • 10. E o que tudo isso significa???
  • 11. Alinhamento Conceitual RESPONSABILIDADE SOCIAL Que responde pelos próprios atos ou pelos de outrem. Relativo à sociedade (meio humano em que o indivíduo está integrado). Responsabilidade Social Relação ética e transparente da organização com todas as suas partes interessadas, visando o desenvolvimento sustentável. Fonte: ABNT NBR 16001
  • 12. Partes Interessadas ou Stakeholders: Qualquer indivíduo ou grupo que possa afetar o negócio, por meio de suas opiniões ou ações, ou ser por ele afetado.
  • 13. DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Fazer crescer; Prosperar verbo Sustentar ; Equilibrar-se Desenvolvimento Sustentável Desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. É o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro.
  • 14. Qual empresa pratica responsabilidade social? Empresa “A” Despende todos os anos um percentual elevado e variável em atividades sociais nas comunidades onde atua. Nos últimos três anos, o balanço empresarial demonstra que foram gastos 5%, 8% e 3 % de seu faturamento líquido em tais atividades. Foram financiadas campanhas diversas de ajuda a entidades filantrópicas variadas, conforme iam sendo detectadas necessidades urgentes ou conforme chegavam os pedidos de auxílio e havia disponibilidade para atendê-los. Empresa “B” Possui apenas dois projetos assistenciais: um ligado a uma entidade filantrópica e outrorelacionado a uma causa ambiental. São gastos anualmente 2% de seu faturamento bruto nesses projetos, valor considerado em seu planejamento estratégico e orçamento anual. Existe continuidade, comprometimento e responsabilidade para com as causas assistidas.
  • 15. Filantropia Responsabilidade social Ação individual e voluntária Ação coletiva Fomento da caridade Fomento da cidadania Base assistencialista Base estratégica Restrita a empresários filantrópicos e abnegados Extensiva a todos Prescinde de gerenciamento Demanda gerenciamento Decisão individual Decisão consensual
  • 16. Responsabilidade Social Um modelo de negócios em que todos ganham Responsabilidade Social é: - comprometimento permanente dos empresários de adotar um comportamento ético . - contribuir para o desenvolvimento econômico, melhorando simultaneamente a qualidade de vida de seus empregados e de suas famílias, da comunidade local e da sociedade como um todo.
  • 17. Normas/padrões de gestão da responsabilidade social empresarial Cumprimento Engajamento e Transparência Pró-Atividade Estágios de integração da Responsabilidade Social Empresarial (RSE)
  • 19. Ativistas do Greenpeace protestam contra o afundamento de uma plataforma de petróleo Brent Spar da Shell, no Mar do Norte, sob a justificativa de que a ação lançaria milhares de quilos de substâncias químicas tóxicas no oceano. Diante do ocorrido, que atitude a companhia deve tomar: a) ir à imprensa e esclarecer sua decisão, que conta com estudos científicos e apoio do governo britânico; b) convidar os ativistas do Greenpeace para o diálogo a fim de apresentar os estudos que embasaram sua decisão; c) direcionar canhões de água para conter os manifestantes. Há pouco mais de 10 anos, a Shell optou pela última alternativa, em uma das atitudes mais equivocadas de relações públicas da história corporativa. Mais tarde, o Greenpeace admitiu ter exagerado em até 1000 vezes o volume de poluição decorrente do afundamento da plataforma, mas a essa altura o estrago já estava feito na reputação e imagem da Shell.
  • 20. “O erro mais comum cometido pelas companhias no relacionamento com seus stakeholders é o de transformar diálogo em monólogo. Ouve-se pouco e usam-se receitas prontas, que nem sempre são adequadas às necessidades e à realidade de determinado público. Além disso, é comum as empresas fazerem um mapeamento incompleto dos atores, não identificando aqueles que são realmente representativos”. (Cairo Magri, Instituto Ethos)
  • 21. Depois do incidente de Brent Spar, a petrolífera lançou uma campanha com o lema “Conte a Shell”. Hoje, a companhia é líder global na arte de lidar com seus stakeholders. Nas operações da empresa no Canadá, foram investidos milhões em centenas de reuniões com as comunidades locais, governos regionais e populações indígenas. O objetivo era se certificar de que todos que pudessem afetar seriamente as operações da Shell fossem ouvidos atentamente. E o quanto antes.
  • 22. Relacionamento Processo de conversar com as partes interessadas, corresponder-se com elas ou consultá-las de forma multilateral, em busca de um entendimento comum. No processo de engajamento, a empresa e as partes interessadas se expressam de forma livre e sem restrições. O processo exige disciplina para ouvir com a disponibilidade de considerar outros pontos de vista.  A empresa tem o compromisso de responder, mas as partes interessadas devem saber que nem sempre todas as questões poderão ser consideradas.
  • 23. Benefícios do relacionamento • Identificar as aspirações e necessidades dos stakeholders; • Compreender impactos, riscos e oportunidades; • Melhoria dos processos internos e tomadas de decisão; • Construir confiança e reputação na organização; • Antecipar ou gerenciar conflitos; • Construir consenso a partir de diferentes pontos de vista; • Promover a construção de soluções coletivas e inovadoras; • Desenvolver e expandir mercados e oportunidades; • Criar identificação dos stakeholders com os valores da empresa e atrair stakeholders alinhados a esses valores; • Mobilizar os stakeholders para o compromisso com o desenvolvimento sustentável.
  • 24. Possíveis formas de dialogar Permitir o diálogo: entrevistas individuais; reuniões; fórum on line; workshops e seminários; conselhos temáticos; ouvidoria. Ouvir o stakeholder: centrais de atendimento ao público; pesquisa de clima; pesquisa de percepção. Da organização para o stakeholder: relatórios; balanços; publicações; publicidade.
  • 25. E como eu faço para relacionar com as partes interessadas?
  • 26. Elementos-chave para gerenciar o relacionamento com stakeholders: 1- Elaborar um mapa de stakeholders; 2- Identificar quais são as ligações entre as partes interessadas; 3- Investigar quais os interesses de cada grupo; 4- Compreender o poder de cada parte interessada; 5- Construir uma matriz de prioridades em relação a cada um dos públicos; 6- Controlar, a partir das decisões estratégicas tomadas, a existência de mudanças nos circuitos de influência.
  • 27. “O campo do jogo” – as cinco categorias principais de stakeholders: Os definidores das regras do jogo e os cães de guarda, como os reguladores do governo e grupos de defesa do meio ambiente; Os geradores de idéias e líderes de opinião, inclusive os participantes dos grupos de opinião e os acadêmicos; Parceiros de negócios e concorrentes, bem como colaboradores, fornecedores e clientes; Consumidores e comunidade, inclusive autoridades locais e o público em geral; Investidores e avaliadores de risco, como analistas do mercado de ações e bancos. Fonte: “O verde que vale ouro”, Daniel C. Esty e Andrew S. Winston, editora Campus Elservier.
  • 32. Dinâmica 1 – Reflita (15 min) O que a empresa precisa fazer para tornar-se socialmente responsável? Que preocupações precisa ter? Que práticas deve adotar? 2 – Anote Coloque nas placas brancas a sua sugestão 3 – Priorize (10 min) Escolha 2 ações dentre as apresentadas pelo grupo que você julga ser mais importante
  • 33. Onde estou? Para onde vou?
  • 34. Ferramentas de diagnóstico em Responsabilidade Social
  • 35. INDICADORES ETHOS Ferramenta de aprendizado e auto- avaliação da gestão da empresa, no que se refere à incorporação de práticas de responsabilidade social empresarial.
  • 36. Um pouco de história • Fundado em 1998. • Dissemina a prática da responsabilidade social por intermédio de intercâmbio de experiências, publicações, programas e eventos voltados para seus associados e para a comunidade em geral. • 1.355 empresas associadas • 2000 – Lançamento dos indicadores com adesão espontânea • 2008 – 900 empresas preencheram o questionário
  • 37. Principais características • Auto-avaliação • Utilização essencialmente interna • Confidencialidade • Reflexão e aprendizado • Promover a ação • Consistência e qualidade nos relatórios de sustentabilidade / balanço social
  • 38. Empresa Público interno Meio Ambiente Governo e sociedade Comunidade Valores Transparência Governança Fornecedores Consumidores e clientes Os 7 temas e o sistema empresarial
  • 39. Valores, Transparência e Governança Meios que a empresa utiliza para oficializar, perante suas partes interessadas, seus critérios quanto conduta e relacionamento com os mesmos. - Compromissos éticos - Governança corporativa - Relações com a concorrência - Diálogo e engajamento das partes interessadas - Balanço Social
  • 40. Público Interno Analisa o relacionamento da empresa com seus empregados, incluindo terceiros. Aborda ainda as condições de trabalho oferecidas pela empresa e o compromisso com o desenvolvimento profissional e pessoal. - Gestão participativa - Valorização da diversidade - Relações com trabalhadores terceirizados - Política de remuneração, benefícios e carreira - Comportamento nas demissões - Preparação para aposentadoria
  • 41. Meio Ambiente Posicionamento da empresa quanto a responsabilidade com as gerações futuras. - Gerenciamento do impacto do meio ambiente e do ciclo de vida de produtos e serviços - Compromisso com a melhoria da qualidade ambiental - Educação e conscientização ambiental
  • 42. Fornecedores Analisa o relacionamento da empresa com seus fornecedores, preocupando-se com a sua cadeia produtiva. - Critérios de seleção e avaliação de fornecedores - Trabalho infantil e escravo na cadeia produtiva - Apoio e desenvolvimento de fornecedores
  • 43. Consumidores e clientes Aborda a dimensão social do consumo. - Excelência do atendimento - Política de comunicação comercial - Conhecimento e gerenciamento dos danos potenciais de produtos e serviços
  • 44. Comunidade Analisa o relacionamento da empresa com a comunidade de entorno e o seu engajamento nas ações sociais. - Gerenciamento do impacto da empresa na comunidade de entorno - Relações com organizações locais - Financiamento e envolvimento com a ação social
  • 45. Governo e sociedade Aborda o posicionamento da empresa frente as campanhas políticas e contribuição para construção da cidadania. - Contribuições em campanhas políticas - Práticas anticorrupção e antipropina - Liderança e influência social
  • 46. Estrutura do questionário (40) Indicadores de profundidade (294) Indicadores binários (167) Indicadores quantitativos Cada tema é dividido em um conjunto de indicadores. Cada indicador é formado por questões de profundidade, binárias e quantitativas.
  • 47. Indicadores de Profundidade Estágio 1 Estágio 2 Estágio 3 Estágio 4 Estágio básico, conformidade com exigências legais. Estágio intermediário, avanço em relação às exigências. Estágio avançado, a RS é considerada estratégica. Estágio proativo, fornecedores, clientes, consumidores e comunidade são envolvidos através do diálogo e há atuação em políticas públicas. • Não havíamos tratado antes deste assunto. • Não vemos aplicação disso em nossa empresa. (justifique) Permite avaliar o estágio atual da gestão da empresa em relação a determinada prática.
  • 48. Exemplo Estágio 1 Estágio 2 Estágio 3 Estágio 4 Elabora sem regularidade definida um balanço social com informações sobre suas ações sociais e ambientais. Elabora anualmente um balanço social, descrevendo suas ações sociais e ambientais e incorporando aspectos quantitativos. Produz, com amplo envolvimento interno um balanço social facilmente acessível, que aborda aspectos sociais, ambientais e econômicos de suas atividades, contendo exclusivamente resultados favoráveis. Elabora balanço social com envolvimento de partes interessadas externas, integrando as dimensões social, ambiental e econômica de suas atividades e incluindo resultados desfavoráveis e os respectivos desafios, com metas para o próximo período. • Não havíamos tratado antes deste assunto. • Não vemos aplicação disso em nossa empresa. (justifique) Tema: Valores, Transparência e Governança Subtema: Relações Transparentes com a sociedade Indicador 6: Balanço Social
  • 49. Indicadores Binários Qualificam a resposta escolhida no indicador de profundidade. Devem ser obrigatoriamente preenchidos, exceto nos casos em que o assunto do indicador de profundidade correspondente não foi tratado antes pela empresa ou não é aplicável à sua realidade. SIM NÃO 6.1 – As informações sobre a situação econômico-financeira das atividades da empresa são auditadas por terceiros. 6.2 – As informações sobre aspectos sociais e ambientais das atividades da empresa são auditadas por terceiros. 6.3 – A empresa incorpora no balanço social críticas, sugestões e depoimentos de partes interessadas.
  • 50. Indicadores Quantitativos Propõe o levantamento sistemático de determinados dados, que podem ser avaliados segundo séries anuais e cruzado com outros. Nem todos indicadores apresentam dados quantitativos. 2007 2008 2009 6.18 – Quantas partes interessadas estão envolvidas na elaboração do balanço social? xx xx xx 6.19 – Quantas partes interessadas estão contempladas no demonstrativo de distribuição de riqueza? xx xx xx
  • 52. PERFORMANCE INDIVIDUAL Cada tema possui uma quantidade máxima de pontos a serem alcançados. A nota é a razão entre os pontos obtidos pela empresa e o universo de pontos disponíveis. TEMA ESTÁGIOS PONTOS DISPONÍVEIS PONTOS OBTIDOS PELA EMPRESA NOTA DA EMPRESA 1 2 3 4 Valores, Transparência e Governança 345 105,23 3,05 Público Interno 345 83,31 2,41 Meio Ambiente 345 0,0 0,0 Fornecedores 345 96,96 2,81 Consumidores e Clientes 345 27,14 0,79 Comunidade 345 158,11 4,58 Governo e Sociedade 345 165 4,78
  • 53. COMPARATIVO: EMPRESA X GRUPO DE BENCHMARK X BANCO DE DADOS ETHOS - O grupo benchmark é composto pelas empresas que obtiveram as dez primeiras colocações com base no desempenho geral (performance geral). - O banco de dados Ethos é composto por todas as empresas que responderam a versão 2008 do questionário, no ciclo de 2009.
  • 54. TEMA NOTA DA EMPRESA MÉDIA DO BANCO DE DADOS ETHOS MÉDIA DO GRUPO DE BENCHMARK MELHOR DESEMPENHO NO TEMA Performance Geral 2,63 4,20 8,96 9,48 Valores, Transparência e Governança 3,05 4,46 9,24 10 Público Interno 2,41 3,98 8,38 10 Meio Ambiente 0,0 4,17 9,05 10 Fornecedores 2,81 3,88 8,69 10 Consumidores e Clientes 0,79 5,59 9,58 10 Comunidade 4,58 3,72 9 10 Governo e Sociedade 4,78 3,59 8,75 10
  • 55. 2,63 3,05 2,41 0 2,81 0,79 4,58 4,78 4,2 4,46 3,98 4,17 3,88 5,59 3,72 3,59 8,96 9,24 8,38 9,05 8,69 9,58 9 8,75 Performance Geral Valores, Transparência e Governança Público Interno Meio Ambiente Fornecedores Consumidores e Clientes Comunidade Governo e Sociedade SESI Banco de dados Ethos Grupo Benchmark
  • 56. COMPARATIVO: QUESTIONÁRIO ANTERIOR (VIGÊNCIA 2008) X QUESTIONÁRIO ATUAL (VIGÊNCIA 2009) TEMA 2008 2009 Performance Geral 2,43 2,63 Valores, Transparência e Governança 2,64 3,05 Público Interno 2,10 2,41 Meio Ambiente 0,0 0,0 Fornecedores 1,68 2,81 Consumidores e Clientes 1,53 0,79 Comunidade 3,48 4,58 Governo e Sociedade 4,37 4,78
  • 57. 2,43 2,64 2,1 0 1,68 1,53 3,48 4,37 2,63 3,05 2,41 0 2,81 0,79 4,58 4,78 Performance Geral Valores, Transparência e Governança Público Interno Meio Ambiente Fornecedores Consumidores e Clientes Comunidade Governo e Sociedade 2008 2009
  • 58. Ferramenta de diagnóstico e auto-avaliação que propõe às indústrias brasileiras uma reflexão sobre seus processos de gestão relacionados a sustentabilidade e a qualidade de vida no trabalho. Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho
  • 59. - Estimular a excelência na gestão da sustentabilidade e da qualidade de vida no trabalho. - Mensurar a relação entre os investimentos em qualidade de vida no trabalho e a produtividade e competitividade do negócio. - Formar um banco de dados para possibilitar a comparação do resultado da empresa com as demais que aplicarão a ferramenta no país e por segmento de negócio. Objetivos do Modelo
  • 61. Benefícios do Modelo Sesi EMPRESA • Identificar pontos fortes e fracos de sua gestão. • Conhecer o nível de satisfação dos colaboradores em relação às políticas e práticas de gestão da empresa. • Adotar medidas para melhoria das práticas de gestão. COLABORADOR • Contribuir para introdução de melhorias nas condiçoes e no ambiente de trabalho. • Aumentar o nível de comprometimento com os objetivos e metas da empresa. • Obter um melhor conhecimento sobre as práticas empresariais adotadas.
  • 62. Prática: ferramentas gerenciais e tecnológicas implementadas na empresa. Ex.: benefícios; pesquisa de clima; avaliação de desempenho. Performance: Resultados obtidos pela empresa. Ex.: confiança na gestão; retenção de talentos; idéias apresentadas. DIFERENCIAIS DO MODELO
  • 63. Questionário de Avaliação do Colaborador 29 Questões sobre qualidade de vida 28 Questões sobre satisfação sobre as condições e o ambiente de trabalho 48 Questões sobre as 6 áreas do Modelo Questionário de Avaliação da Empresa Questões de identificação, perfil e visão geral da empresa 80 questões de auto-avaliação das 6 áreas INSTRUMENTOS DA AUTO AVALIAÇÃO
  • 64. Cultura organizacional Compreende o conjunto de práticas e resultados que caracterizam o compromisso da empresa com: - Excelência - Sustentabilidade - Ética e transparência - Compartilhamento da visão, missão, valores, objetivos e metas - Comunicação e fluxo de informações - Relacionamento com as partes interessadas - Confiança na gestão - Orgulho e satisfação de trabalhar na empresa
  • 65. Gestão de pessoas Compreende o conjunto de práticas e resultados relacionados a satisfação dos colaboradores como fatores de melhoria do processo produtivo. - Organização do trabalho - Autonomia dos diversos níveis da força de trabalho - Interação entre os colaboradores - Exercício da liderança - Estrutura de cargos e salários - Oportunidades de crescimento pessoal e profissional - Sistema de remuneração e recompensa - Avaliação de desempenho - Retenção de talentos
  • 66. Educação e desenvolvimento Compreende o conjunto de práticas e resultados que visam garantir o sucesso dos negócios e aprendizado ao longo da vida do trabalhador. - Acesso ao conhecimento - Elevação da escolaridade e da qualificação profissional - Desenvolvimento de competências e aplicação de conhecimento
  • 67. Inovação Compreende o conjunto de práticas e resultados que visam atingir as metas de desempenho com maior eficiência e consolidar a cultura da excelência na empresa, com vistas a gerar um diferencial competitivo. - Inovação de processos, de produtos e no sistema de trabalho - Estímulo, reconhecimento e aproveitamento de idéias
  • 68. Ambiente de trabalho seguro e saudável Compreende o conjunto de práticas e resultados que visam criar e manter um clima organizacional propício à satisfação e motivação dos colaboradores. - Ações educativas - Prevenção de doenças e acidentes de trabalho - Promoção de um estilo de visa saudável - Elevação da auto-estima do colaborador - Manutenção de um ambiente de trabalho seguro e saudável - Humanização do ambiente de trabalho
  • 69. Desenvolvimento socioambiental Compreende o conjunto de práticas e resultados que a empresa adota visando não interferir negativamente no meio ambiente e no relacionamento com as partes interessadas. - Preservação ambiental - Estímulo ao voluntariado - Fomento do desenvolvimento das comunidades - Monitoramento do processo produtivo
  • 73. Posição Global 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 Índice Geral de Prática (%) Índice Geral de Performance(%) Banco de dados total Setor X mundial Empresa X
  • 74. Posição Global GRÁFICO 5 - Dispersão - Posição Global (empresa x colaboradores) 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 Índice Geral de Prática (%) Índice Geral de Performance(%) Correios - Gestores Correios - Colaboradores Grupo gestor PR: 80,04% PF: 73,05% Colaboradores PR: 68,05% PF: 71,03%
  • 75. Radar GRÁFICO 6 - Radar - Áreas avaliadas (empresa x colaboradores) 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 Cultura Organizacional PR % Cultura Organizacional PF % Gestão de Pessoas PR % Gestão de Pessoas PF % Educação e Desenvolvimento PR % Educação e Desenvolvimento PF % Inovação PR % Inovação PF % Ambiente de trabalho Seguro e Saudável PR % Ambiente de trabalho Seguro e Saudável PF % Desenvolvimento Socioambiental PR % Desenvolvimento Socioambiental PF % Correios - Gestores Correios - Colaboradores
  • 76. PRIORIZAÇÃO Estabelecer as prioridades de ação da empresa, a partir das oportunidades de melhoria identificadas na aplicação do Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho.
  • 79. ISO 26000 Caráter multistakeholder: Consumidores; Empresas; Governos; Trabalhadores; ONGs; e Serviços. Temas abordados: direitos humanos, práticas de trabalho, meio ambiente e governança, e questões de implementação da responsabilidade social; Deliberações: - Norma de diretrizes, sem propósito de certificação; - Aplicável a qualquer tipo de organização, como empresas, governos, ONGs, entre outros; Objetivo: Orientar organizações em diferentes culturas, sociedades e contextos quanto a prática da responsabilidade social. Grupo de Trabalho de Responsabilidade Social: - Constituído em 2005 pela ISO - Participação de mais de 400 pessoas e 78 países e cerca de 40 organizações internacionais e regionais. - Publicação em setembro de 2010.