SlideShare uma empresa Scribd logo
Revolução industrial
NESTE TRABALHO VOU FALAR
SOBRE A REVOLUÇÃO
INDUSTRIAL
A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL FOI UM CONJUNTO DE
MUDANÇAS QUE ACONTECERAM NA EUROPA NOS
SÉCULOS XVIII E XIX. A PRINCIPAL
PARTICULARIDADE DESSA REVOLUÇÃO FOI A
SUBSTITUIÇÃO DO TRABALHO ARTESANAL PELO
ASSALARIADO E COM O USO DAS MÁQUINAS.
ATÉ O FINAL DO SÉCULO XVIII A MAIORIA DA
POPULAÇÃO EUROPEIA VIVIA NO CAMPO E
PRODUZIA O QUE CONSUMIA. DE MANEIRA
ARTESANAL O PRODUTOR DOMINAVA TODO O
PROCESSO PRODUTIVO.
APESAR DE A PRODUÇÃO SER
PREDOMINANTEMENTE ARTESANAL, PAÍSES
COMO A FRANÇA E A INGLATERRA, POSSUÍAM
MANUFATURAS. AS MANUFATURAS ERAM
GRANDES OFICINAS ONDE DIVERSOS ARTESÃOS
REALIZAVAM AS TAREFAS MANUALMENTE,
ENTRETANTO SUBORDINADOS AO PROPRIETÁRIO
DA MANUFATURA.
A INGLATERRA FOI PRECURSORA NA REVOLUÇÃO
INDUSTRIAL DEVIDO A DIVERSOS FATORES, ENTRE
ELES: POSSUIR UMA RICA BURGUESIA, O FATO DO
PAÍS POSSUIR A MAIS IMPORTANTE ZONA DE
LIVRE COMÉRCIO DA EUROPA, O ÊXODO RURAL E
A LOCALIZAÇÃO PRIVILEGIADA JUNTO AO MAR O
QUE FACILITAVA A EXPLORAÇÃO DOS MERCADOS
ULTRAMARINOS.
A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
DIVIDE – SE EM 3 ETAPAS :
A PRIMEIRA ETAPA DA REVOLUÇÃO
INDUSTRIAL
ENTRE 1760 A 1860, A REVOLUÇÃO
INDUSTRIAL FICOU LIMITADA,
PRIMEIRAMENTE, À INGLATERRA.
HOUVE O APARECIMENTO DE
INDÚSTRIAS DE TECIDOS DE ALGODÃO,
COM O USO DO TEAR MECÂNICO. NESSA
ÉPOCA O APRIMORAMENTO DAS
MÁQUINAS A VAPOR CONTRIBUIU PARA
A CONTINUAÇÃO DA REVOLUÇÃO.
A SEGUNDA ETAPA DA REVOLUÇÃO
INDUSTRIAL
A SEGUNDA ETAPA OCORREU NO
PERÍODO DE 1860 A 1900, AO
CONTRÁRIO DA PRIMEIRA FASE,
PAÍSES COMO ALEMANHA,
FRANÇA, RÚSSIA E ITÁLIA TAMBÉM
SE INDUSTRIALIZARAM. O
EMPREGO DO AÇO, A UTILIZAÇÃO
DA ENERGIA ELÉTRICA E DOS
COMBUSTÍVEIS DERIVADOS DO
PETRÓLEO, A INVENÇÃO DO
MOTOR A EXPLOSÃO, DA
LOCOMOTIVA A VAPOR E O
DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS
QUÍMICOS FORAM AS PRINCIPAIS
INOVAÇÕES DESSE PERÍODO.
A TERCEIRA ETAPA DA
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
ALGUNS HISTORIADORES
TÊM CONSIDERADO OS
AVANÇOS TECNOLÓGICOS
DO COMO COMPUTADOR,
O FAX, A ENGENHARIA
GENÉTICA, O TELEFONE
SERIAM ALGUMAS DAS
INOVAÇÕES DESSA ÉPOCA.
FIM
ESPERO QUE TENHAM GOSTADO
JOÃO CARREIRA
SE FICARAM COM DUVIDAS MANDEM –ME UM
E-MAIL JOAOCCARREIRA9@GMAIL.COM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

REVOLUÇÕES séculos XVIII XIX
REVOLUÇÕES séculos  XVIII XIXREVOLUÇÕES séculos  XVIII XIX
REVOLUÇÕES séculos XVIII XIX
duartcr
 
Revista história sherek
Revista história sherekRevista história sherek
Revista história sherek
blogsala2a
 
13
1313
Revolução industrial
Revolução industrial Revolução industrial
Revolução industrial
Geovana Rodrigues
 
2º fase da revolução industrial
2º fase da revolução    industrial2º fase da revolução    industrial
2º fase da revolução industrial
Alcymar Lopes
 
Trabalho daniel
Trabalho danielTrabalho daniel
Trabalho daniel
Nelia Salles Nantes
 
Segunda revolução industrial
Segunda revolução industrialSegunda revolução industrial
Segunda revolução industrial
Maria Gomes
 
Agritechnica nelcy
Agritechnica   nelcyAgritechnica   nelcy
Agritechnica nelcy
nelcysuzana
 
A revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrial
A revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrialA revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrial
A revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrial
Anabela Sousa Pinho
 
A segunda revolução industrial
A segunda revolução industrialA segunda revolução industrial
A segunda revolução industrial
Nelia Salles Nantes
 
2ª revolução industrial
2ª revolução industrial2ª revolução industrial
2ª revolução industrial
Maria Gomes
 
Manufatura x maquinofatura/Dica Enem!
Manufatura x maquinofatura/Dica Enem!Manufatura x maquinofatura/Dica Enem!
Manufatura x maquinofatura/Dica Enem!
Joemille Leal
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Anderson Torres
 
Revolução industrial 2010
Revolução industrial 2010Revolução industrial 2010
Revolução industrial 2010
BriefCase
 
História - Revolução industrial – 1ª fase
História - Revolução industrial – 1ª faseHistória - Revolução industrial – 1ª fase
História - Revolução industrial – 1ª fase
Carson Souza
 
Primeira revolução industrial
Primeira revolução industrialPrimeira revolução industrial
Primeira revolução industrial
Nilton Silva Jardim Junior
 
A RevoluçãO Industrial
A RevoluçãO IndustrialA RevoluçãO Industrial
A RevoluçãO Industrial
Walquiria Dutra
 
Segunda revolucao industrial
Segunda revolucao industrialSegunda revolucao industrial
Segunda revolucao industrial
monica10
 

Mais procurados (18)

REVOLUÇÕES séculos XVIII XIX
REVOLUÇÕES séculos  XVIII XIXREVOLUÇÕES séculos  XVIII XIX
REVOLUÇÕES séculos XVIII XIX
 
Revista história sherek
Revista história sherekRevista história sherek
Revista história sherek
 
13
1313
13
 
Revolução industrial
Revolução industrial Revolução industrial
Revolução industrial
 
2º fase da revolução industrial
2º fase da revolução    industrial2º fase da revolução    industrial
2º fase da revolução industrial
 
Trabalho daniel
Trabalho danielTrabalho daniel
Trabalho daniel
 
Segunda revolução industrial
Segunda revolução industrialSegunda revolução industrial
Segunda revolução industrial
 
Agritechnica nelcy
Agritechnica   nelcyAgritechnica   nelcy
Agritechnica nelcy
 
A revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrial
A revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrialA revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrial
A revoluo-agrcola-e-o-arranque-da-revoluo-industrial
 
A segunda revolução industrial
A segunda revolução industrialA segunda revolução industrial
A segunda revolução industrial
 
2ª revolução industrial
2ª revolução industrial2ª revolução industrial
2ª revolução industrial
 
Manufatura x maquinofatura/Dica Enem!
Manufatura x maquinofatura/Dica Enem!Manufatura x maquinofatura/Dica Enem!
Manufatura x maquinofatura/Dica Enem!
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial 2010
Revolução industrial 2010Revolução industrial 2010
Revolução industrial 2010
 
História - Revolução industrial – 1ª fase
História - Revolução industrial – 1ª faseHistória - Revolução industrial – 1ª fase
História - Revolução industrial – 1ª fase
 
Primeira revolução industrial
Primeira revolução industrialPrimeira revolução industrial
Primeira revolução industrial
 
A RevoluçãO Industrial
A RevoluçãO IndustrialA RevoluçãO Industrial
A RevoluçãO Industrial
 
Segunda revolucao industrial
Segunda revolucao industrialSegunda revolucao industrial
Segunda revolucao industrial
 

Semelhante a Revolução industrial

Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
emillyalmeida
 
Revolução industrial 2011
Revolução industrial 2011Revolução industrial 2011
Revolução industrial 2011
alfredo1ssa
 
A indústria em portugal no século xix
A indústria em portugal no século xixA indústria em portugal no século xix
A indústria em portugal no século xix
Anabela Sobral
 
Cap.13 - Revolução Industrial
Cap.13 - Revolução IndustrialCap.13 - Revolução Industrial
Cap.13 - Revolução Industrial
vbrizante
 
A IndúStria E Os Transportes
A IndúStria E Os TransportesA IndúStria E Os Transportes
A IndúStria E Os Transportes
jdlimaaear
 
Do artesanato à indústria
Do artesanato à indústriaDo artesanato à indústria
Do artesanato à indústria
Henrique Pontes
 
Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução
Paulo Roberto
 
As Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptxAs Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptx
HitaloSantos8
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Iury_corleone
 
Responde ou passa na HISTÓRIA - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL - 8º ANO.pptx
Responde ou passa na HISTÓRIA - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL - 8º ANO.pptxResponde ou passa na HISTÓRIA - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL - 8º ANO.pptx
Responde ou passa na HISTÓRIA - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL - 8º ANO.pptx
AntonioVieira539017
 
revolução industrial
revolução industrialrevolução industrial
revolução industrial
Ana Batista
 
Apresentação GEOGRAFIA.pptx
Apresentação GEOGRAFIA.pptxApresentação GEOGRAFIA.pptx
Apresentação GEOGRAFIA.pptx
FddtBgj
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Josias Vitor
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Leolina Heloisa Silva Sales
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Rose Vital
 
A indústria
A indústriaA indústria
A indústria
Maria Joao Feio
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Murilo Benevides
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
Maria Aparecida Ledesma
 
Capitalismo Industrial
Capitalismo IndustrialCapitalismo Industrial
Capitalismo Industrial
Ivanilson Lima
 
Capitalismo e Imperialismo
Capitalismo e ImperialismoCapitalismo e Imperialismo
Capitalismo e Imperialismo
Aulas de História
 

Semelhante a Revolução industrial (20)

Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial 2011
Revolução industrial 2011Revolução industrial 2011
Revolução industrial 2011
 
A indústria em portugal no século xix
A indústria em portugal no século xixA indústria em portugal no século xix
A indústria em portugal no século xix
 
Cap.13 - Revolução Industrial
Cap.13 - Revolução IndustrialCap.13 - Revolução Industrial
Cap.13 - Revolução Industrial
 
A IndúStria E Os Transportes
A IndúStria E Os TransportesA IndúStria E Os Transportes
A IndúStria E Os Transportes
 
Do artesanato à indústria
Do artesanato à indústriaDo artesanato à indústria
Do artesanato à indústria
 
Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução
 
As Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptxAs Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptx
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Responde ou passa na HISTÓRIA - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL - 8º ANO.pptx
Responde ou passa na HISTÓRIA - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL - 8º ANO.pptxResponde ou passa na HISTÓRIA - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL - 8º ANO.pptx
Responde ou passa na HISTÓRIA - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL - 8º ANO.pptx
 
revolução industrial
revolução industrialrevolução industrial
revolução industrial
 
Apresentação GEOGRAFIA.pptx
Apresentação GEOGRAFIA.pptxApresentação GEOGRAFIA.pptx
Apresentação GEOGRAFIA.pptx
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
A indústria
A indústriaA indústria
A indústria
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
 
Capitalismo Industrial
Capitalismo IndustrialCapitalismo Industrial
Capitalismo Industrial
 
Capitalismo e Imperialismo
Capitalismo e ImperialismoCapitalismo e Imperialismo
Capitalismo e Imperialismo
 

Último

Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
Daniel273024
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
Faga1939
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Mary Alvarenga
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 

Revolução industrial

  • 2. NESTE TRABALHO VOU FALAR SOBRE A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
  • 3. A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL FOI UM CONJUNTO DE MUDANÇAS QUE ACONTECERAM NA EUROPA NOS SÉCULOS XVIII E XIX. A PRINCIPAL PARTICULARIDADE DESSA REVOLUÇÃO FOI A SUBSTITUIÇÃO DO TRABALHO ARTESANAL PELO ASSALARIADO E COM O USO DAS MÁQUINAS. ATÉ O FINAL DO SÉCULO XVIII A MAIORIA DA POPULAÇÃO EUROPEIA VIVIA NO CAMPO E PRODUZIA O QUE CONSUMIA. DE MANEIRA ARTESANAL O PRODUTOR DOMINAVA TODO O PROCESSO PRODUTIVO.
  • 4. APESAR DE A PRODUÇÃO SER PREDOMINANTEMENTE ARTESANAL, PAÍSES COMO A FRANÇA E A INGLATERRA, POSSUÍAM MANUFATURAS. AS MANUFATURAS ERAM GRANDES OFICINAS ONDE DIVERSOS ARTESÃOS REALIZAVAM AS TAREFAS MANUALMENTE, ENTRETANTO SUBORDINADOS AO PROPRIETÁRIO DA MANUFATURA. A INGLATERRA FOI PRECURSORA NA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL DEVIDO A DIVERSOS FATORES, ENTRE ELES: POSSUIR UMA RICA BURGUESIA, O FATO DO PAÍS POSSUIR A MAIS IMPORTANTE ZONA DE LIVRE COMÉRCIO DA EUROPA, O ÊXODO RURAL E A LOCALIZAÇÃO PRIVILEGIADA JUNTO AO MAR O QUE FACILITAVA A EXPLORAÇÃO DOS MERCADOS ULTRAMARINOS.
  • 5. A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL DIVIDE – SE EM 3 ETAPAS :
  • 6. A PRIMEIRA ETAPA DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL ENTRE 1760 A 1860, A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL FICOU LIMITADA, PRIMEIRAMENTE, À INGLATERRA. HOUVE O APARECIMENTO DE INDÚSTRIAS DE TECIDOS DE ALGODÃO, COM O USO DO TEAR MECÂNICO. NESSA ÉPOCA O APRIMORAMENTO DAS MÁQUINAS A VAPOR CONTRIBUIU PARA A CONTINUAÇÃO DA REVOLUÇÃO.
  • 7. A SEGUNDA ETAPA DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL A SEGUNDA ETAPA OCORREU NO PERÍODO DE 1860 A 1900, AO CONTRÁRIO DA PRIMEIRA FASE, PAÍSES COMO ALEMANHA, FRANÇA, RÚSSIA E ITÁLIA TAMBÉM SE INDUSTRIALIZARAM. O EMPREGO DO AÇO, A UTILIZAÇÃO DA ENERGIA ELÉTRICA E DOS COMBUSTÍVEIS DERIVADOS DO PETRÓLEO, A INVENÇÃO DO MOTOR A EXPLOSÃO, DA LOCOMOTIVA A VAPOR E O DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS FORAM AS PRINCIPAIS INOVAÇÕES DESSE PERÍODO.
  • 8. A TERCEIRA ETAPA DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL ALGUNS HISTORIADORES TÊM CONSIDERADO OS AVANÇOS TECNOLÓGICOS DO COMO COMPUTADOR, O FAX, A ENGENHARIA GENÉTICA, O TELEFONE SERIAM ALGUMAS DAS INOVAÇÕES DESSA ÉPOCA.
  • 9. FIM ESPERO QUE TENHAM GOSTADO JOÃO CARREIRA SE FICARAM COM DUVIDAS MANDEM –ME UM E-MAIL JOAOCCARREIRA9@GMAIL.COM