SlideShare uma empresa Scribd logo
DO BATERA
MANUAL
DE ARMANDO VIANA
FOLHA 3 A 6 CONHECENDO A BATERIA
- Peças da bateria
- Como são feitas
- A bateria
Folha 7 TIPOS DE BAQUETAS
- Baqueta normal
- Baqueta com feltro
- Vassourinha
Folha 8 E 9 MODO DE SEGURAR AS BAQUETAS
- Matched grip
- Tradicional grip
FOLHA 10 A 25 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
- Pauta musical
- Clave de percussão
- Barra final
- Compasso
- Barra de compasso
- Ritornelo
- Barra de repetição
- Formula de compasso
- Formula de compasso 4/4
- Notação musical
- Figuras rítmicas.
FOLHA 15 METRÔNOMO
- Pulsação e metrônomo
FOLHA 26 COMPASSO BINÁRIO
- Formula de compasso 2/4
FOLHA 27 A 30 COORDENAÇÃO
- Coordenação em semínimas
- Coordenação em colcheias
- Coordenação em semicolcheias
FOLHA 31 A 33 PAUSA DAS FIGURAS RITMICAS
- Pausa de semínima
- Pausa de colcheia
- Pausa de semicolcheia
FOLHA 34 A 35 RITMOS BASE
- Ritmos base conduzidos em semínimas
- Ritmos base conduzidos em colcheias
- Ritmos base conduzidos em semicolcheias
FOLHA 36 A 38 VIRADAS BASE
- Executadas em semínimas
- Executadas em Colcheias
- Executadas em Semicolcheias
FOLHA 39 A 52 TEMPO DE VIRADAS
- Exemplos em semínimas
- Exemplos em Colcheias
- Exemplos em Semicolcheias
- Viradas de 1 tempo
- Viradas de 2 tempos
- Viradas de 3 tempos
- Viradas de 4 tempos
FOLHA 53 A 54 RITMOS BASE COM 2 COMPASSOS
- Ritmos base conduzidos em colcheias com 2 compassos
FOLHA 55 A 56 RITMOS BASE COM SEMICOLCHEIAS NO
BUMBO
- Ritmos base com bumbo na ultima semicolcheia do tempo
2
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 SUMÁRIO
3
FOLHA 57 A 58 RITMOS BASE COM SEMICOLCHEIAS NA
CAIXA
- Ritmos base com caixa na ultima semicolcheia do tempo
FOLHA 59 A 60 PONTO DE AUMENTO
- Ponto de aumento
- Figuras pontuadas
FOLHA 61 A 67 FORMULA DE COMPASSO COMPOSTO
- Pulso e subdivisão ternaria
- Formula de compasso 6/8
- Ritmo blues em 6/8
- Formula de compasso 12/8
- Ritmo blues em 12/8
FOLHA 68 A 84 RUDIMENTOS
- Single Stroke Roll
- Variações do Single Stroke Roll
- Aplicando as variações do single stroke em viradas
- Double Stroke Roll
- Aplicando as variações do Double Stroke em viradas
- Aplicando as variações do Double Stroke em levadas
- Paradiddles simples
- Aplicando o Paradiddles simples em viradas
- Aplicando o Paradiddles simples em levadas
- Flam
- Aplicando o Flam em viradas
- Flam tap
- Aplicando o flam tap em viradas
- Flam accent
- Aplicando o flam accent em viradas
FOLHA 85 A 86 ABERTURA DE CHIMBAL
- Aplicando a abertura de chimbal em levadas
FOLHA 87 A 88 MARCANDO O TEMPO NO CHIMBAL
- Aplicando a marcação de tempo no chimbal em levadas
FOLHA 89 A 91 RITMO SAMBA
- Ostinato base do samba
- Levadas de samba com 2 compassos
FOLHA 92 A 93 RITMO BAIÃO
- Levadas de baião com 2 compassos
FOLHA 94 A 97 RITMO AXÉ
- Célula rítmica de caixa
- Levadas de axé com 2 compassos
FOLHA 98 A 99 RITMO VANERA
- Levadas de vanera com 2 compassos
FOLHA 100 A 101 RITMO ARROCHA
- Levadas de arrocha com 2 compassos
FOLHA 102 A 103 RITMO FUNK
- Levadas de funk com 2 compassos
FOLHA 104 A 107 TERCINAS E SEXTINAS
- Grupos de 3 e 6 notas (tercinas e sextinas)
FOLHA 108 VARIAÇÕES DA TERCINA
- Shuffle e swing
FOLHA 109 A 115 SHUFFLE BLUES
- Shuffle base do blues
- Levadas de Shuffle blues
- Levadas de Shuffle blues com notas fantasmas
FOLHA 116 A 121 RITMO REGGAE
- Shuffle base do reggae
- Padrão de bumbo One drop
- Padrão de bumbo Two drop
- Padrão de bumbo Foor drop
- Levadas de reggae utilizando o shuffle
FOLHA 122 A 125 RITMO JAZZ
- Swing base do jazz
- Levadas de jazz utilizando o swing
- Levadas de jazz com notas fantasmas
 SUMÁRIO
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
4
PEÇAS DA BATERIA:
A bateria é composta de tambores, pratos e ferragens que podem ser desde
o banquinho até os pedais. Uma bateria simples é formada de 2 tons, surdo,
caixa, chimbal, pratos de ataque e condução.
 CONHECENDO A BATERIA
By: Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
5
COMO SÃO FEITAS?
Na maioria elas são feitas de madeira e seu som pode ser modificado
através da afinação e troca de peles. Hoje em dia existe uma grande
variedade de marcas e tipos de peles para cada estilo musical, assim
também para os pratos existem vários tipos de ligas de metal para
construi-los.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 CONHECENDO A BATERIA
By: Armando Viana
6
BATERIA:
Existem hoje no mercado diversos modelos de baterias, o desenho a sima
mostra as peças básica de uma bateria simples.
PRATO DE
CONDUÇÃO
PRATO DE
ATAQUE
PRATO DE
ATAQUE
CHIMBAL OU
CONTRATEMPO
BUMBO
CAIXA
TON1 TON2
SURDO
BANQUINHO
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 CONHECENDO A BATERIA
By: Armando Viana
7
 BAQUETAS
By: Armando Viana
TIPOS DE BAQUETAS:
Existem também diferentes tipos de baquetas, além das convencionais
tem também as de efeito, como a baqueta de feltro e a vassourinha.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
8
 MODO DE SEGURAR AS BAQUETAS
By: Armando Viana
MATCHED GRIP:
Forma mais utilizada pelos bateristas para segurar as baquetas, o
posicionamento das mãos em pegada Matched Grip. No desenho nº 1, segure
a baqueta com os dedos indicador e polegar, no desenho nº 2, abrace a
baqueta com os demais dedos formando assim a pegada Matched Grip.Utilize
essa pegada em ambas as mãos como mostra o desenho nº 3.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
9
TRADICIONAL GRIP:
Utilizado antigamente pelos tocadores de caixa de guerra, o Tradicional Grip
foi adotado também pela maioria dos bateristas de jazz. Como mostra o
desenho nº 1, posicione a baqueta deitada sobre a palma da mão esquerda
abraçando-a com o dedo polegar e indicador, e repousando ela sobre os dedos
anelar e mínimo, a mão direita permanece com a pegada Matched Grip.
Observe no desenho nº 2 o posicionamento de ambas as mãos sobre a caixa.
01 02
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 MODO DE SEGURAR AS BAQUETAS
By: Armando Viana
Pauta musical:
Também chamada de Pentagrama, a pauta musical é composta de 5
linhas e 4 espaços que são contados de baixo para sima, é nela que
vamos escrever as notas para formarmos os ritmos , viradas etc.
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
10
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
5
4
3
2
1
4
3
2
1
LINAS
ESPAÇOS
Clave de percurssão e barra final:
A clave de percurssão deve ser colocada sempre no inicio da pauta ao lado
esquerdo, entre a 2º e a 4º linha como segue no exemplo abaixo. Já a barra
final é colocada no fim da pauta do lado direito e siguinifica que é o fim do
compasso.
11
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
Compasso e barra de compasso:
O compasso divide a música em partes idênticas, a barra de compasso ou
barra simples serve para separar um compasso do outro, se dividirmos a
pauta no meio usando a barra de compasso nós teremos 2 compassos.
12
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
13
Ritornello:
O ritornello serve para demarcar o trecho da musíca que deve ser repetido.
Ou seja; quando um compasso estiver demarcado com o ritornello, aquele
trecho deve ser tocado normalmente e em seguida repetido.
Repetir o trecho entre eles
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
14
Barra de repetição:
Também chamado de simile, a barra de repetição serve para repetir o
compasso anterior; Ou seja, se o compasso seguinte for igual ao anterior
não precisamos escreve-lo novamente.
Repetir o compasso anterior
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
x
15
A pulsação e o metrônomo:
Pulsação ou pulso é o movimento contínuo e sem interrupções que organiza a
música. Quando dois ou mais instrumentos musicais tocam juntos, eles estão
sintonizados dentro de um mesmo pulso. Pela sensação do pulso percebemos
quando uma musica é mais rápida ou mais lenta, um exemplo bem simples é
bater palmas sem interrupções junto com alguma música, fazendo isso estaremos
marcando o pulso ou tempo da mesma.
Para treinar o pulso sem ocorrer variações no movimento contínuo, é importe
estudar com o metrônomo (aparelho que marca a velocidade e ajuda a
desenvolver a senso de pulso constante) nesse aparelho temos como medida de
velocidade as siglas (BPM) que significa BATIDAS POR MINUTO, se regularmos o
metrônomo a 50 bpm, o metrônomo fara 50 batidas por minuto, se regular a
100bpm, ela fará 100 batidas por minuto e assim sucessivamente.
O metrônomo é uma ferramenta fundamental para qualquer músico, o baterista
tem por obrigação tocar dentro do pulso (ou tempo),por isso é muito importante
estudar com o metrônomo para permanecer dentro do tempo.
Metrônomo antigo
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
16
Formula de compasso:
Representada pelos dois números que são colocados um em sima do outro no
inicio da pauta depois da clave de percussão. O numerador indica quantos
tempos vai ter o compasso e o denominador qual figura vai valer um tempo.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
Quantidade de tempos
Qual figura vai valer 1 tempo
As formulas de compassos facilitam a execução musical ao definir a unidade
de tempo o pulso e o ritmo da composição ou de partes dela. A formula de
compasso 4/4 é a mas utilizada nas musicas, ela indica que para cada
compasso teremos 4 tempos e que a semínima equivale a uma nota por
tempo.
17
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
NOTAÇÃO MUSICAL:
É a representação das peças da bateria na pauta musical, essa notação não é
universal, a maioria dos bateristas cria sua própria notação para facilitar sua
leitura e interpretação das figuras rítmicas. No entanto algumas peças como
bumbo caixa e chimbal, quase sempre são utilizados no padrão que vemos abaixo.
BUMBO 1
SURDO CAIXA TON 3
TON 2 TON 1
CH.B.
ABERT.CH.
FE.DE CH. CRASH
ataque
RID
condução
GOST NOT
CH.pé
Cúpula
do rid
BUMBO 2
18
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
ARO DE CAIXA
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
FIGURAS RÍTMICAS:
Também chamadas de figuras musicais, elas são as figuras utilizadas para
escrever os ritmos viradas etc. Cada figura tem o seu valor próprio e
tempo de duração. Veja no exemplo abaixo as figuras e seu numero de
duração.
19
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
Figuras mais utilizadas na bateria:
Por hora vamos falar das três principais figuras que são utilizadas na bateria.
São elas: a semínima, a colcheia e semicolcheia.
Veja o exemplo abaixo.
Semínima:
A semínima é a figura que vale uma nota por tempo, um exemplo de fácil
entendimento é imaginar que ela vale 100% de cada tempo, ou seja, dentro
de cada tempo (pulso) vai caber apenas uma nota.
20
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
21
Notas com valores menores que a seminima contem um colchete, cada colchete
equivale a metade do valor da nota.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
Colcheia:
Falando a grosso modo, a colcheia é a figura que vale duas notas por
tempo, seguindo o mesmo exemplo da semínima que vale 100% de cada
tempo, a colcheia vai valer a metade, ou seja, 50% .Então dentro de cada
tempo (pulso) vai caber duas notas subdivididas igualmente.
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
Nota
Semicolcheia:
A semicolcheia é a figura que vale quatro notas por tempo (pulso) ou seja,
dentro de cada tempo vai caber quatro notas subdivididas igualmente. Ou
25% da semínima que vale 100% do tempo.
22
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
Talvez esse termo de porcentagem seja difícil de você entender, então
basta memorizar que a semínima vale 1 nota por tempo, a colcheia 2 notas
por tempo e a semicolcheia 4 notas por tempo.
EXERCÍCIOS:
Nesse exemplo, vamos utilizar compassos com 4 tempos e cada figura deve ser
utilizada respeitando a quantidade de notas por tempo. A manulação será direita e
esquerda, sempre nessa ordem.
EX.A
EX.B
EX.C
23
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
EXERCÍCIOS:
Nesse exemplo as notas estão misturadas dentro do tempo, cada figura
deve ser utilizada respeitando o seu tempo de duração.
EX.1
EX.2
EX.3
24
EX.4
EX.5
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
EXERCÍCIOS:
Continue estudando com os exercícios abaixo.
EX.6
EX.7
EX.8
25
EX.9
EX.10
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA
By: Armando Viana
COMPASSO BINÁRIO:
Célula rítmica formada por dois tempos, um compasso binário pode ser simples
ou composto. Um Exemplo de binário simples é o compasso 2/4, onde dentro de
cada compasso vão caber apenas 2 tempos. Também temos o binário composto
6/8 que veremos mais pra frente.
26
 COMPASSO BINÁRIO
By: Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
COORDENAÇÃO EM SEMÍNIMAS:
Nesse exemplo vamos começar a se acostumar a utilizar os quatro membros
do nosso corpo para tocar a bateria. A letra D representa a mão direita e a
letra E a mão esquerda
EX.1
EX.2
EX.3
EX.4
27
 COORDENAÇÃO DAS MÃO E PÉS
By: Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
COORDENAÇÃO EM COLCHEIAS:
Nesse exemplo vamos utilizar apenas colcheias em todos os exercícios.
EX1
EX2
EX3
EX4
28
 COORDENAÇÃO DAS MÃO E PÉS
By: Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
COORDENAÇÃO EM SEMICOLCHEIAS:
Agora vamos utilizar apenas semicolcheias em todos os exercícios.
EX.1
EX.2
EX.3
EX.4
29
 COORDENAÇÃO DAS MÃO E PÉS
By: Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
COORDENAÇÃO:
Nesses exercícios vamos continuar a praticar a coordenação utilizando as
três figuras mas utilizadas na bateria. Agora a formula de compasso é a 2/4
ou seja, em cada compasso vão caber apenas 2 tempos.
Semínimas Colcheias Semicolcheias
EX.1
EX.2
EX.3
EX.4
30
 COORDENAÇÃO DAS MÃO E PÉS
By: Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
PAUSAS DAS FIGURAS RITMICAS:
A pausa é a nota que representa o trecho do compasso onde existe silêncio,
cada figura possui sua respectiva pausa, e essa pausa tem o mesmo valor da
sua figura, veja no exemplo abaixo as pausas de cada figura ritmica que
estamos aprendendo.
Pausa de Semínimas
Pausa de Colcheias
Pausa de Semicolcheias
31
 PAUSAS DAS FIGURAS RITMICAS
By: Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
EX.1
EX.2
EX.3
EXERCÍCIOS:
Nos exercícios abaixo vamos utilizar as pausas para representar o silêncio
quando necessário. A manulação pode ser DIREITA e ESQUERDA.
32
 PAUSAS DAS FIGURAS RITMICAS
By: Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
4
4
EX.1
EX.2
EX.3
EXERCÍCIOS:
Nos exercícios abaixo vamos continuar a utilizar as pausas para representar o
silêncio quando necessário. Continue com a manulação DIREITA e ESQUERDA
 PAUSAS DAS FIGURAS RITMICAS
By: Armando Viana
33
EX.4
EX.5
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
D E D E D E
4
4
RITMO BASE:
Agora que você se acostumou um pouco com as três figuras mas usandas na
bateria, vamos construir ritmos base a partir delas.
 RITMOS BASE USANDO AS TRÊS FIGURAS RITMICAS
By:Armando Viana
Semínimas
Colcheias
Semicolcheias
34
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
4
4
RITMOS BASE:
Agora vamos praticar executando ritmos base usando o que aprendemos até aqui.
No 1º compasso usando a seminima, no 2º colcheias e no 3º semicolcheias.
Pratique devagar sempre com a ajuda do metrônomo.
Semínimas Colcheias Semicolcheias
35
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
 RITMOS BASE USANDO AS TRÊS FIGURAS RITMICAS
By:Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
VIRADAS USANDO SEMÍNIMAS:
Eu costumo dizer que as viradas servem para enfeitar a musica ou destacar trechos
dela. Vamos começar a usar as viradas em semínimas, no 1º compasso faremos um
ritmo base conduzindo em colcheias e no 2º compasso faremos a virada.
36
 VIRADAS BASE USANDO AS TRÊS FIGURAS RITMICAS
By:Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
VIRADAS USANDO COLCHEIAS:
Seguindo o mesmo padrão da folha anterior, agora vamos ver viradas em colcheias.
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
37
 VIRADAS BASE USANDO AS TRÊS FIGURAS RITMICAS
By:Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
VIRADAS USANDO SEMICOLCHEIAS:
E agora vamos ver as viradas em semicolcheias. Lembrando que a semicolcheia é
tocada 4 notas por tempo, estude devagar sempre com a ajuda do metrônomo.
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
 VIRADAS BASE USANDO AS TRÊS FIGURAS RITMICAS
By:Armando Viana
38
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
TEMPOS DE VIRADAS:
Para fazer as viradas nem sempre vamos utilizar os quatro tempos do
compasso,você também pode fazer viradas de 1, 2, 3 e até 4 tempos.
No exemplo abaixo,veja viradas de apenas 1 tempo utilzando as três figuras
rítmicas para executa-las .
Exemplo em seminima
1 e 2 e 3 e 4 e
Exemplo em colcheia
1 e 2 e 3 e 4 e
Exemplo em semicolcheia
1 e 2 e 3 e 4 e
39
 TEMPOS DE VIRADAS
By:Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
Virada de 1 tempo em semínima:
Agora vamos praticar as viradas de 1 tempo utilizando a figura semínima.
utilize apenas o 4º tempo do compasso para fazer as viradas.
1 e 2 e 3 e 4 e
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
40
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEMPOS DE VIRADAS
By:Armando Viana
Virada de 1 tempo em colcheia:
Agora vamos praticar as viradas de 1 tempo utilizando a figura da colcheia.
utilize apenas o 4º tempo do compasso para fazer as viradas.
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
41
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEMPOS DE VIRADAS
By:Armando Viana
Virada de 1 tempo em semicolcheia:
Agora vamos praticar as viradas de 1 tempo utilizando a figura
semicolcheia. utilize apenas o 4º tempo do compasso para fazer as viradas.
42
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEMPOS DE VIRADAS
By:Armando Viana
Virada de 2 tempos em semínimas:
Agora vamos praticar as viradas de 2 tempos utilizando a figura semínima.
utilize apenas o 3º e o 4º tempo do compasso para fazer as viradas.
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
43
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
1 e 2 e 3 e 4 e
 TEMPOS DE VIRADAS
By:Armando Viana
Virada de 2 tempos em colcheia:
Agora vamos praticar as viradas de 2 tempos utilizando a figura colcheia.
utilize apenas o 3º e o 4º tempo do compasso para fazer as viradas.
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
44
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
1 e 2 e 3 e 4 e
 TEMPOS DE VIRADAS
By:Armando Viana
Virada de 2 tempo em semicolcheia:
Agora vamos praticar as viradas de 2 tempos utilizando a figura
semicolcheia.utilize apenas o 3º e o 4º tempo do compasso para fazer as
viradas.
45
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 TEMPOS DE VIRADAS
By:Armando Viana
Virada de 3 tempos em semínimas:
Agora vamos praticar as viradas de 3 tempos utilizando a figura semínima.
utilize apenas o 2º o 3º e o 4º tempo do compasso para fazer as viradas.
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
46
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
1 e 2 e 3 e 4 e
 TEMPOS DE VIRADAS
By:Armando Viana
Virada de 3 tempos em colcheia:
Agora vamos praticar as viradas de 3 tempos utilizando a figura colcheia.
utilize apenas o 2º o 3º e o 4º tempo do compasso para fazer as viradas.
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
47
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
1 e 2 e 3 e 4 e
 TEMPOS DE VIRADAS
By:Armando Viana
Virada de 3 tempos em semicolcheia:
Agora vamos praticar as viradas de 3 tempos utilizando a figura semicolcheia,
utilize apenas o 2º o 3º e o 4º tempo do compasso para fazer as viradas.
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
48
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
1 e 2 e 3 e 4 e
 TEMPOS DE VIRADAS
By:Armando Viana
Virada de 4 tempos em semínimas:
Agora vamos praticar as viradas de 4 tempos utilizando a figura da semínima,
toque o ritmo no 1º compasso e utilize os 4 tempos do compasso seguinte para
fazer as viradas a manulação fica por sua conta.
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
49
1 e 2 e 3 e 4 e
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
1 e 2 e 3 e 4 e
 TEMPOS DE VIRADAS
By:Armando Viana
Virada de 4 tempos em colcheias:
Agora vamos praticar as viradas de 4 tempos utilizando a figura da colcheia,
toque o ritmo no 1º compasso e utilize os 4 tempos do compasso seguinte para
fazer as viradas, a manulação fica por sua conta.
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
50
1 e 2 e 3 e 4 e
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
1 e 2 e 3 e 4 e
 TEMPOS DE VIRADAS
By:Armando Viana
Virada de 4 tempos em semicolcheias:
Agora vamos praticar as viradas de 4 tempos utilizando a figura da semicolcheia,
toque o ritmo no 1º compasso e utilize os 4 tempos do compasso seguinte para
fazer as viradas.
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
51
1 e 2 e 3 e 4 e
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
1 e 2 e 3 e 4 e
 TEMPOS DE VIRADAS
By:Armando Viana
Virada de 4 tempos usando as 4 figuras + usadas:
Agora vamos praticar as viradas de 4 tempos utilizando as 4 figura rítmicas +
usadas, a semínima, a colcheia e a semicolcheia misturando elas dentro do
compasso.
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
52
1 e 2 e 3 e 4 e
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
1 e 2 e 3 e 4 e
 TEMPOS DE VIRADAS
By:Armando Viana
 RITMOS BASE COM 2 COMPASSOS
By:Armando Viana
53
Agora vamos praticar alguns ritmos base usando dois compassos demarcados
com o ritornelo. Lembrando que trecho entre eles deve ser repetido.
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
 RITMOS BASE COM 2 COMPASSOS
By:Armando Viana
54
Continue praticando com mais algumas levadas básicas utilizando 2 compassos
demarcados com o ritornelo.
EX6
EX7
EX8
EX9
EX10
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e
55
Agora vamos praticar alguns ritmos base onde a semicolcheia vai aparece na
ultima nota de alguns tempos.
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
 RITMOS BASE
Com a semicolcheia no bumbo
By:Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e
56
EX6
EX7
EX8
EX9
EX10
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 RITMOS BASE
Com a semicolcheia no bumbo
By:Armando Viana
1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e
EXERCÍCIOS:
Continue praticando com os exercícios abaixo..
57
Seguindo o mesmo exemplo dos exercícios anteriores , só que agora vamos
colocar a ultima semicolcheia na caixa de alguns tempos.
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 RITMOS BASE
Com a semicolcheia na caixa
By:Armando Viana
1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e
58
EX6
EX7
EX8
EX9
EX10
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 RITMOS BASE
Com a semicolcheia na caixa
By:Armando Viana
1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e
EXERCÍCIOS:
Continue praticando com os exercícios abaixo..
59
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
59
Ponto de aumento:
É colocado sempre a direita da nota ou pausa, para aumentar a
metade do seu valor.
 Ponto de aumento
by: Armando Viana
60
60
 Ponto de aumento
by: Armando Viana
Veja abaixo alguns exemplos de figuras pontuadas.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
61
61
Compasso composto:
Na formula de compasso composto, temos algumas diferenças ao
compasso simples, nele as figuras são pontuadas, e ele possui subdivisão
ternária (diferente do simples que possui subdivisão binária). Dois
exemplos de formulas de compassos simples são o 2/4 e o 4/4, sendo o
2/4 uma formula de compasso binária e o 4/4 uma formula de compasso
quaternária. O 6/8 é um exemplo de binário composto, nesse tipo de
compasso, ao invés de contar os tempos (pulso) nós iremos contar as
subdivisões como mostra o exemplo abaixo.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Formula de compasso composto
by: Armando Viana
62
62
Compasso composto:
Veja no exemplo abaixo uma levada simples utilizando a formula de compasso
composta 6/8 onde iremos contar as subdivisões ao invés dos tempos.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Formula de compasso composto
by: Armando Viana
63
 Formula de compasso composto
by: Armando Viana
Podemos concluir que 6 subdivisões de tempo são correspondentes a dois
tempos, então temos um compasso binário composto do compasso simples
2/4.
Subdivisões no tempo
Temos a figura da colcheia como Subdivisão de tempo
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
64
 Compasso composto
Levadas em 6/8 Blues
by: Armando Viana
Agora vamos praticar levadas no compasso 6/8 no estilo musical Blues.
EX1
EX2
EX3
EX4
EX5
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
65
O 12/8 também é uma formula de compasso composta, ao invés de 6
subdivisões, ele vai conter 12 subdivisões, sendo o 6/8 um binário composto
da formula de compasso simples 2/4, e o 12/8 um quaternário composto da
formula de compasso 4/4.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Compasso composto
12/8 Blues
by: Armando Viana
66
Agora vamos praticar algumas variações de condução no ritmo blues em 12/8.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Compasso composto
Levadas em 12/8 Blues
by: Armando Viana
67
 Levadas em 12/8 Blues
by: Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
EXERCÍCIOS:
Continue praticando com os exercícios abaixo..
68
Rudimentos:
São um dos fundamentos básicos para se ter o domínio total da bateria.
As técnicas e movimentos dos 40 rudimentos ajudam o baterista a se desenvolver
com mais habilidade e precisão . Eles são divididos em quatro grupos, são eles:
1. Roll Rudiments
2. Diddle Rudiments
3. Flam Rudiments
4. Drag Rudiments
Alguns exemplos de Roll Rudiments são o single stroke roll, triple stroke roll e o
seven stroke roll.
Diddle Rudiments (ou paradiddles) são rudimentos baseados na combinação
entre toques simples e duplos. Alguns exemplos bastante conhecidos são o single
paradiddle e o double paradiddle.
Flam Rudiments são 2 toques executados quase que simultaneamente .
Drag Rudiments são baseados em rufos e alguns exemplos são o single drag tap,
double drag tap.
Nas próximas paginas vamos começar a aprender os rudimentos mas conhecidos
que são:
-Single Stroke Roll
-Double Stroke Roll
-Paradiddles simples
-Flam
 RUDIMENTOS
By:Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
Single Stroke Roll:
Para tocar esse rudimento basta alternar as mão em DIREITA e ESQUERDA,veja o
exemplo abaixo utilizando as três figuras, semínimas , colcheias e semicolcheias.
EX1
EX2
EX3
 RUDIMENTOS BASE
Single Stroke Roll
By:Armando Viana
69
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
Variações do Single Stroke Roll:
No exemplo abaixo vamos variar a subdivisão do singol stroke utilizando
Semínimas, colcheias e semicolcheias
EX1
EX2
EX3
EX4
 RUDIMENTOS BASE
Single Stroke Roll
By:Armando Viana
70
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
APLICANDO AS VARIAÇÕES:
Nos exercícios abaixo,vamos aplicar as variações do single stroke roll em
viradas seguindo a mesma manulação da folha anterior.
EX1
EX2
EX3
EX4
 RUDIMENTOS BASE
Single Stroke Roll
By:Armando Viana
71
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
Double Stroke Roll:
Diferente do single stroke roll, no double stroke usaremos a manulação direita
direita, esquerda esquerda. Pratique em seminimas,colcheias e semicolcheias.
D D E E
D E D
D E D D D
D D E E D D E E D D E E D D E E
EX.A
EX.B
EX.C
 RUDIMENTOS BASE
Double Stroke Roll
By:Armando Viana
72
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
APLICANDO EM VIRADAS:
Depois de praticar bastante aplique o Double Stroke Roll em viradas.
EX.1
EX.2
EX.3
EX.4
D D E E D D E E D D E E D D E E
 RUDIMENTOS BASE
Double Stroke Roll
By:Armando Viana
73
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
D D E E D D E E D D E E D D E E
D D E E D D E E D D E E D D E E
D D E E D D E E D D E E D D E E
APLICANDO EM LEVADAS:
Agora vamos aplicar o Double Stroke Roll em levadas, usando um grupamento de
semicolcheias no chimbal em apenas um tempo de cada compasso.
 RUDIMENTOS BASE
Double Stroke Roll
By:Armando Viana
74
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
Paradiddle simples:
O paradiddle é a união do single e double stroke, sua manulação é
D e d d E d e e Acentue sempre a cabeça de cada tempo.
D d e e E d e e
PARADIDDLE
 RUDIMENTOS BASE
Paradiddle
By:Armando Viana
75
D d e e E d e e
1 e 2 e 3 e 4 e
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
EX.1
EX.2
EX.3
EX.4
 RUDIMENTOS BASE
Paradiddle
By:Armando Viana
76
APLICANDO EM VIRADAS:
Depois de praticar bastante aplique o Paradiddle em viradas.
D e d d E d e e D e d d E d e e
D e d d E d e e D e d d E d e e
D e d d E d e e D e d d E d e e
D e d d E d e e D e d d E d e e
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 RUDIMENTOS BASE
Paradiddle
By:Armando Viana
77
APLICANDO EM LEVADAS:
Agora vamos aplicar o paradiddle em levadas, no exercício 1 vamos aplica-lo em
todo os tempos do compasso, nos demais exercícios vamos aplicar em tempos
isolados.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 RUDIMENTOS BASE
Paradiddle
By:Armando Viana
78
APLICANDO EM LEVADAS:
Agora vamos aplicar o paradiddle em levadas um pouco mais avançadas.
Pratique devagar sempre com a ajuda do metrônomo.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 RUDIMENTOS BASE
Flam
By:Armando Viana
Flam:
No flam teremos duas notas tocadas quase que simultaneamente, a
primeira nota é a apogiatura que vem antes da nota principal, essa nota
deve ser tocada bem baixinha e a nota principal deve ser acentuada como
segue no exemplo abaixo. Note que você pode começar tanto com a mão
esquerda na apogiatura, quanto com a mão direita.
79
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
Exemplo
 RUDIMENTOS BASE
Viradas Flam
By:Armando Viana
Viradas em Flam:
Segue abaixo cinco viradas utilizando o rudimento FLAM, pratique devagar
sempre com a ajuda do metrônomo.
80
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 RUDIMENTOS BASE
Flam tap
By:Armando Viana
Flam tap:
Na família do flam temos o FLAM TAP que nada mas é do que o flam
seguido de uma colcheia, veja o exemplo abaixo.
81
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
Exemplo
82
 RUDIMENTOS BASE
Viradas Flam tap
By:Armando Viana
Viradas em Flam tap:
Segue abaixo cinco viradas utilizando o rudimento FLAM TAP, pratique
devagar sempre com a ajuda do metrônomo.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 RUDIMENTOS BASE
Flam accent
By:Armando Viana
Flam accent:
Na família do flam também temos o FLAM ACCENT que é o flam tocado
em grupos de tercinas, veja o exemplo abaixo.
83
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
Exemplo
84
 RUDIMENTOS BASE
Viradas Flam accent
By:Armando Viana
Viradas em Flam accent:
Segue abaixo cinco viradas utilizando o rudimento FLAM ACCENT, pratique
devagar sempre com a ajuda do metrônomo.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
85
 ABERTURA DE CHIMBAL
by:Armando Viana
Abertura de chimbal:
É utilizada para deixar os ritmos e levadas mais interessantes, a bolinha em
sima da colcheia indica o momento em que se deve abrir o chimbal, e o sinal
de + indica o momento do fechamento.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
86
 ABERTURA DE CHIMBAL
by:Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
EXERCÍCIOS:
Continue praticando com os exercícios abaixo..
87
 MARCANDO O TEMPO NO CHIMBAL
By:Armando Viana
Para marcar o tempo no chimbal vamos conduzir o ritmo no prato de condução,
nos exercícios abaixo vamos marcar o chimbal com pé sempre na cabeça do
tempo.
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
88
Também podemos marcar o chimbal com pé no contratempo, ou seja sempre no
(e) do tempo.
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
1 e 2 e 3 e 4 e
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 MARCANDO O TEMPO NO CHIMBAL
By:Armando Viana
89
 Ritmo samba
By:Armando Viana
OSTINATO BASE:
Para tocar o ritmo samba, vamos utilizar o ostinato base na formula de
compasso 2/4. O bumbo vai estar sempre na cabeça e na ultima semicolcheia de
cada tempo, marcaremos o chimbal com pé sempre no (e) do tempo.
Veja no exemplo abaixo
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
O samba é um gênero musical, que deriva de um tipo de dança, de
raízes africanas, surgido no Brasil e considerado uma das principais
manifestações culturais populares brasileiras
90
EXERCÍCIOS:
Para conduzir usaremos a semicolcheia no chimbal e o aro da caixa nos ataques.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo samba
By:Armando Viana
91
EXERCÍCIOS:
Continue praticando com os exercícios abaixo..
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo samba
By:Armando Viana
92
BAIÃO:
O ritmo baião é um ritmo típico brasileiro originado no nordeste que se tornou
popular em 1944 com o trabalho de Luiz Gonzaga. Como no samba, iremos toca-lo
na formula de compasso 2/4.
 Ritmo baião
By:Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
93
EXERCÍCIOS:
Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo baião
By:Armando Viana
94
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
O AXÉ:
Ou Axé music, é um gênero musical que surgiu no estado da Bahia na década
de 80 durante as manifestações populares do Carnaval de Salvador. Em alguns
casos o batera precisa suprir a falta de um percussionista, para tocar o axé
vamos pegar como base a figura da semicolcheia e adicionar algumas
acentuações. Domine primeiro essa célula rítmica para depois distribuir na
bateria.
 Ritmo axé
By:Armando Viana
Também é importante dominar o exercício de marcação dos pés, que será
executado em colcheias . Veja o exercício abaixo.
95
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo axé
By:Armando Viana
EXERCÍCIOS:
Agora vamos praticar as levadas já predefinidas.
EX1
EX2
EX3
4
4
96
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo axé
By:Armando Viana
EX4
EX5
EX6
EXERCÍCIOS:
Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
97
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo axé
By:Armando Viana
EX7
EX8
EX9
EXERCÍCIOS:
Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
98
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo vanera
By:Armando Viana
O ritmo vanerão é um tipo de dança típica, assim como a venera e a vanerinha
nasceu de origem alemã e se desenvolveu no Rio Grande Do Sul. De acordo com
o andamento da música, têm-se as variantes vanerinha, para ritmo lento, venera,
para ritmo moderado, e vanerão, para ritmo mais rápido. Ao lado do xote,
tornou-se uma das danças mais populares do Rio Grande do Sul.
99
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo vanera
By:Armando Viana
EXERCÍCIOS:
Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
100
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo Arrocha
By:Armando Viana
O Arrocha é um gênero musical originário da Bahia.
Ele veio proveniente da seresta, influenciado pela música brega e o estilo
romântico, com modificações que o tornaram, segundo seus adeptos, mais
sensuais e eufóricos com influencias do axé e do forró. O arrocha pode ser
romântico (brega) ou agitado (forró) fonte wikipedia.
101
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
EXERCÍCIOS:
Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
 Ritmo Arrocha
By:Armando Viana
102
O Funk:
Se popularizou na década de 60 com o musico James Brown e outros.Os
músicos afro-americanos inicialmente relacionavam "funk" às músicas com
um ritmo lento e, mais tarde, com um ritmo persistente. Nos exercícios
abaixo, vamos adicionando o bumbo de funk pouco a pouco a levada,
pratique devagar sempre com a ajuda do metrônomo.
 Ritmo funk
By:Armando Viana
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
4
4
103
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
EXERCÍCIOS:
Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
 Ritmo funk
By:Armando Viana
104
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Tercinas e sextinas
Grupos de 3 e 6 notas
By:Armando Viana
Para representar grupos de notas ternárias geralmente utilizamos formulas
de compasso composta em 6/8 ou 12/8 onde a nota é subdividida a partir
da colcheia pontuada. Para utilizar esse grupo de notas na formula de
compasso 4/4 utilizamos um recurso bem simples, basta colocar o nº 3 sobe
cada grupo de três colcheias, formando assim as tercinas (quialtera).
E o nº 6 sobe cada grupo de seis semicolcheias formando então as sextinas
como mostra os exemplos abaixo.
105
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
Agora vamos praticar com as tercinas e sextinas em exercícios de
controle onde a manulação será sempre D D D e E E E.
 Tercinas e sextinas
Exercícios
By:Armando Viana
106
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Tercinas e sextinas
Exercícios
By:Armando Viana
Nos próximos exercícios vamos misturar as tercinas e sextinas dentro de
cada compasso.
107
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
 Tercinas e sextinas
Exercícios
By:Armando Viana
108
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
Como já sabemos, a tercina possui três subdivisões por tempo, se acrescentarmos
uma pausa de colcheia sempre na 2º subdivisão de cada tempo, vamos criar uma
variação chamada de shuffle muito utilizada no ritmo blues e reggae
Se acrescentarmos duas pausas de colcheia na segunda e terceira subdivisão do
1º e do 3º tempo, e uma pausa na segunda subdivisão do 2º e 4º tempos teremos
a variação chamada swing que pode ser usada no ritmo jazz .
 Variações da tercina
Shuffle e swing
By:Armando Viana
109
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Shuffle blues
By:Armando Viana
Como vimos na folha anterior, o shufle é basicamente uma variação da tercina
e ele vai servir para conduzir as levadas de blues e até reggae. Nos exercícios
abaixo seguem algumas levadas de shuffle blues.
110
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Shuffle blues
Exercícios
By:Armando Viana
Exercícios:
Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
111
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Shuffle blues
Exercícios
By:Armando Viana
Exercícios:
Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
112
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Shuffle blues com notas fantasmas
By:Armando Viana
O shuffle fica ainda mais bonito quando adicionamos as notas fantasmas.
As notas fantasmas são notas que tocamos bem baixinhas, diferente das notas
tocadas em som normal ou acentuado.
Nota fantasma
113
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Shuffle blues com notas fantasmas
Exercícios
By:Armando Viana
Exercícios:
Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
114
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Shuffle blues com notas fantasmas
Exercícios
By:Armando Viana
Exercícios:
Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
115
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Shuffle blues com notas fantasmas
Exercícios
By:Armando Viana
Exercícios:
Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
116
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo Reggae
Padrões de bumbo
By:Armando Viana
Assim como no blues, também utilizamos o shuffle para tocar o ritmo reggae.
Reggae é um gênero musical desenvolvido originalmente na Jamaica no fim da
década de 1960. Para tocar o reggae na bateria existem alguns padrões de bumbo
que darão mas ênfase ao estilo.
São eles: One drop ,Two drop e Foor drop.
No 1º padrão ``ONE DROP´´ tocaremos o bumbo sempre na cabeça do 3º tempo
como mostra o exemplo abaixo.
117
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo Reggae
Padrões de bumbo
By:Armando Viana
No 2º padrão ``TWO DROP´´ tocaremos o bumbo sempre na cabeça do 1º e 3º
tempo como mostra o exemplo abaixo.
118
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo Reggae
Padrões de bumbo
By:Armando Viana
No 3º padrão ``FOOR DROP´´ tocaremos o bumbo na cabeça de todos os tempos
como mostra o exemplo abaixo.
119
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo Reggae
Exercícios com o padrão one drop
By:Armando Viana
Agora vamos praticar algumas levadas utilizando do shuffle e do padrão
``ONE DROP´´ tocaremos o bumbo sempre na cabeça do 3º tempo.
Pratique devagar sempre com a ajuda do metrônomo.
120
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo Reggae
Exercícios com o padrão one drop
By:Armando Viana
Agora vamos praticar algumas levadas utilizando do shuffle e do padrão
``TWO DROP´´ tocaremos o bumbo sempre na cabeça do 1º e 3º tempo.
Pratique devagar sempre com a ajuda do metrônomo.
121
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo Reggae
Exercícios com o padrão one drop
By:Armando Viana
Agora vamos praticar algumas levadas utilizando do shuffle e do padrão
``FOOR DROP´´ tocaremos o bumbo na cabeça de todos os tempos.
Pratique devagar sempre com a ajuda do metrônomo.
122
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo Jazz
By:Armando Viana
O jazz é um estilo que teria surgido por volta do início do século XX na região
de Nova Orleans e em suas proximidades, e se desenvolveu com a mistura de
várias tradições religiosas, em particular a afro-americana. fonte wikipedia.
Para tocar o jazz vamos utiliza a variação da tercina chamada de SWING , se
acrescentarmos duas pausas de colcheia na segunda e terceira subdivisão
do 1º e do 3º tempo, e uma pausa na segunda subdivisão do 2º e 4º tempos
criaremos então a variação chamada swing.
123
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo Jazz
By:Armando Viana
Nos exercício 1 vamos utilizar o swing para conduzir as levadas de jazz no
prato de condução. No exercícios 2 vamos adicionar o chimbal com pé
sempre na cabeça do 2º e 4º tempo.
124
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo Jazz
By:Armando Viana
Nos exercícios abaixo vamos adicionar algumas notas fantasmas sempre na
segunda subdivisão do tempo 2 ou tempo 4
Nota fantasma
125
Partituras de Armando Viana
www.drumav.com
 Ritmo Jazz
By:Armando Viana
Nos exercícios abaixo vamos praticar levadas com dois compassos sempre
adicionando o bumbo na cabeça do 1º tempo do primeiro compasso.
126
ARMANDO VIANA
Nascido e criado em Duque de Caxias RJ, logo cedo sua mãe percebeu seu interesse pela musica,
aos 9 anos de idade começou a tocar pandeiro em uma pequena igreja onde sua família congregava.
Ao passar para outra igreja ele conheceu um novo instrumento chamado bateria.
Estudou um tempo com o baterista oficial da igreja, mas por falta de recursos financeiros,
começou a estudar sozinho através de vídeo-aulas, partituras em revistas livros etc.Estudava até 4
horas por dia quando dava, pois tinha que dividir o tempo com escola e trabalho.
Hoje aos 29 anos, ele da aulas em seu estúdio particular, toca em uma banda de rock chamada
Foco, e recentemente gravou 9 faixas do cd do ministério de louvor Canção de Vida. E no ano de 2012
participou do concurso V-drums Contest, ficando classificado entre os 20 finalistas do Brasil.​
Todos os direitos reservados
Armando Viana
www.drumav.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila batidas de violao vol 3
Apostila batidas de violao   vol 3Apostila batidas de violao   vol 3
Apostila batidas de violao vol 3
Leafar Azous
 
Curso de violao
Curso de violaoCurso de violao
Curso de violao
Fernando Santos
 
Curso completo de bateria
Curso completo de bateriaCurso completo de bateria
Curso completo de bateria
Elienai Galdino
 
Abc musical
Abc musicalAbc musical
Abc musical
Geraldo Pinheiro
 
Harmonia - Sergio Solimando
Harmonia - Sergio SolimandoHarmonia - Sergio Solimando
Harmonia - Sergio Solimando
Sergio Solimando
 
Conceitos para tirar e tocar músicas de ouvido
Conceitos para tirar e tocar músicas de ouvidoConceitos para tirar e tocar músicas de ouvido
Conceitos para tirar e tocar músicas de ouvido
paulo_206
 
Curso-completo-de-violao-para-iniciantes
 Curso-completo-de-violao-para-iniciantes Curso-completo-de-violao-para-iniciantes
Curso-completo-de-violao-para-iniciantes
eltoleon
 
Apostila estudos-bateria
Apostila estudos-bateriaApostila estudos-bateria
Apostila estudos-bateria
Adilson Alves - Engenharia Civil
 
Curso Básico de Violão para Iniciantes
Curso Básico de Violão para IniciantesCurso Básico de Violão para Iniciantes
Curso Básico de Violão para Iniciantes
Wilson Diamantino
 
Da Capo - Sax Horn
Da Capo - Sax HornDa Capo - Sax Horn
Da Capo - Sax Horn
Partitura de Banda
 
Apostila de violao
Apostila de violaoApostila de violao
Apostila de violao
Júlio Rocha
 
Apostila de gaita de boca (Marcelo Mello)
Apostila de gaita de boca (Marcelo Mello)Apostila de gaita de boca (Marcelo Mello)
Apostila de gaita de boca (Marcelo Mello)
Marcelo Mello
 
Apostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musicalApostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musical
jaconiasmusical
 
Livro diagramas de acordes def5
Livro diagramas de acordes def5Livro diagramas de acordes def5
Livro diagramas de acordes def5
Nando Costa
 
Apostila - Leitura Ritmica
Apostila - Leitura RitmicaApostila - Leitura Ritmica
Apostila - Leitura Ritmica
Partitura de Banda
 
Aprender guitarra-classica
Aprender guitarra-classicaAprender guitarra-classica
Aprender guitarra-classica
home
 
Apostila de contrabaixo prof. Luciano Carvalho
Apostila de contrabaixo prof. Luciano CarvalhoApostila de contrabaixo prof. Luciano Carvalho
Apostila de contrabaixo prof. Luciano Carvalho
Luciano Carvalho
 
Apostila-de-violao-avancado
Apostila-de-violao-avancadoApostila-de-violao-avancado
Apostila-de-violao-avancado
Nando Costa
 
Escalas maiores e menores
Escalas maiores e menoresEscalas maiores e menores
Escalas maiores e menores
Eva Docinho Lima
 
Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)
Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)
Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)
Saulo Gomes
 

Mais procurados (20)

Apostila batidas de violao vol 3
Apostila batidas de violao   vol 3Apostila batidas de violao   vol 3
Apostila batidas de violao vol 3
 
Curso de violao
Curso de violaoCurso de violao
Curso de violao
 
Curso completo de bateria
Curso completo de bateriaCurso completo de bateria
Curso completo de bateria
 
Abc musical
Abc musicalAbc musical
Abc musical
 
Harmonia - Sergio Solimando
Harmonia - Sergio SolimandoHarmonia - Sergio Solimando
Harmonia - Sergio Solimando
 
Conceitos para tirar e tocar músicas de ouvido
Conceitos para tirar e tocar músicas de ouvidoConceitos para tirar e tocar músicas de ouvido
Conceitos para tirar e tocar músicas de ouvido
 
Curso-completo-de-violao-para-iniciantes
 Curso-completo-de-violao-para-iniciantes Curso-completo-de-violao-para-iniciantes
Curso-completo-de-violao-para-iniciantes
 
Apostila estudos-bateria
Apostila estudos-bateriaApostila estudos-bateria
Apostila estudos-bateria
 
Curso Básico de Violão para Iniciantes
Curso Básico de Violão para IniciantesCurso Básico de Violão para Iniciantes
Curso Básico de Violão para Iniciantes
 
Da Capo - Sax Horn
Da Capo - Sax HornDa Capo - Sax Horn
Da Capo - Sax Horn
 
Apostila de violao
Apostila de violaoApostila de violao
Apostila de violao
 
Apostila de gaita de boca (Marcelo Mello)
Apostila de gaita de boca (Marcelo Mello)Apostila de gaita de boca (Marcelo Mello)
Apostila de gaita de boca (Marcelo Mello)
 
Apostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musicalApostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musical
 
Livro diagramas de acordes def5
Livro diagramas de acordes def5Livro diagramas de acordes def5
Livro diagramas de acordes def5
 
Apostila - Leitura Ritmica
Apostila - Leitura RitmicaApostila - Leitura Ritmica
Apostila - Leitura Ritmica
 
Aprender guitarra-classica
Aprender guitarra-classicaAprender guitarra-classica
Aprender guitarra-classica
 
Apostila de contrabaixo prof. Luciano Carvalho
Apostila de contrabaixo prof. Luciano CarvalhoApostila de contrabaixo prof. Luciano Carvalho
Apostila de contrabaixo prof. Luciano Carvalho
 
Apostila-de-violao-avancado
Apostila-de-violao-avancadoApostila-de-violao-avancado
Apostila-de-violao-avancado
 
Escalas maiores e menores
Escalas maiores e menoresEscalas maiores e menores
Escalas maiores e menores
 
Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)
Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)
Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)
 

Semelhante a MANUAL DO BATERA COMPLETO.pdf

Apostila teoria musical - Rose Andréia.pdf
Apostila teoria musical - Rose Andréia.pdfApostila teoria musical - Rose Andréia.pdf
Apostila teoria musical - Rose Andréia.pdf
Marcos Vinícius Dias Colvara
 
Manual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinhoManual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinho
Saulo Gomes
 
Manual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinhoManual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinho
Saulo Gomes
 
Da Capo trombone-1.pdf
Da Capo  trombone-1.pdfDa Capo  trombone-1.pdf
Da Capo trombone-1.pdf
RcivalAlves1
 
Manual Aula Cavaquinho
Manual Aula CavaquinhoManual Aula Cavaquinho
Manual Aula Cavaquinho
Vagner Taschetti
 
Da Capo - Tuba Eb
Da Capo - Tuba EbDa Capo - Tuba Eb
Da Capo - Tuba Eb
Partitura de Banda
 
Da Capo Flauta-1.pdf
Da Capo Flauta-1.pdfDa Capo Flauta-1.pdf
Da Capo Flauta-1.pdf
RcivalAlves1
 
Da Capo tuba Bb.pdf
Da Capo  tuba Bb.pdfDa Capo  tuba Bb.pdf
Da Capo tuba Bb.pdf
RcivalAlves1
 
Da Capo - Tuba Bb
Da Capo - Tuba BbDa Capo - Tuba Bb
Da Capo - Tuba Bb
Partitura de Banda
 
Da Capo trompete-1.pdf
Da Capo  trompete-1.pdfDa Capo  trompete-1.pdf
Da Capo trompete-1.pdf
RcivalAlves1
 
Da Capo - Trompete
Da Capo - TrompeteDa Capo - Trompete
Da Capo - Trompete
Partitura de Banda
 
Apostila como ler partituras
Apostila como ler partiturasApostila como ler partituras
Apostila como ler partituras
marciomir
 
Como ler partituras
Como ler partiturasComo ler partituras
Como ler partituras
Elvis Live
 
Curso de violao
Curso de violao Curso de violao
Curso de violao
Saulo Gomes
 
Curso de violão
Curso de violãoCurso de violão
Curso de violão
Nando Costa
 
Codigo fonte contrabaixo_paraleigos
Codigo fonte contrabaixo_paraleigosCodigo fonte contrabaixo_paraleigos
Codigo fonte contrabaixo_paraleigos
aryew
 
Dobrado Ouro Negro
Dobrado Ouro NegroDobrado Ouro Negro
Dobrado Ouro Negro
Banda de Música do CBMCE
 
Apostila de guitarra
Apostila de guitarraApostila de guitarra
Apostila de guitarra
Marlon Ferreira
 
Da Capo - Oboé
Da Capo - OboéDa Capo - Oboé
Da Capo - Oboé
Partitura de Banda
 
Violao jt metodo
Violao jt metodoViolao jt metodo
Violao jt metodo
Alcinei Junior
 

Semelhante a MANUAL DO BATERA COMPLETO.pdf (20)

Apostila teoria musical - Rose Andréia.pdf
Apostila teoria musical - Rose Andréia.pdfApostila teoria musical - Rose Andréia.pdf
Apostila teoria musical - Rose Andréia.pdf
 
Manual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinhoManual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinho
 
Manual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinhoManual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinho
 
Da Capo trombone-1.pdf
Da Capo  trombone-1.pdfDa Capo  trombone-1.pdf
Da Capo trombone-1.pdf
 
Manual Aula Cavaquinho
Manual Aula CavaquinhoManual Aula Cavaquinho
Manual Aula Cavaquinho
 
Da Capo - Tuba Eb
Da Capo - Tuba EbDa Capo - Tuba Eb
Da Capo - Tuba Eb
 
Da Capo Flauta-1.pdf
Da Capo Flauta-1.pdfDa Capo Flauta-1.pdf
Da Capo Flauta-1.pdf
 
Da Capo tuba Bb.pdf
Da Capo  tuba Bb.pdfDa Capo  tuba Bb.pdf
Da Capo tuba Bb.pdf
 
Da Capo - Tuba Bb
Da Capo - Tuba BbDa Capo - Tuba Bb
Da Capo - Tuba Bb
 
Da Capo trompete-1.pdf
Da Capo  trompete-1.pdfDa Capo  trompete-1.pdf
Da Capo trompete-1.pdf
 
Da Capo - Trompete
Da Capo - TrompeteDa Capo - Trompete
Da Capo - Trompete
 
Apostila como ler partituras
Apostila como ler partiturasApostila como ler partituras
Apostila como ler partituras
 
Como ler partituras
Como ler partiturasComo ler partituras
Como ler partituras
 
Curso de violao
Curso de violao Curso de violao
Curso de violao
 
Curso de violão
Curso de violãoCurso de violão
Curso de violão
 
Codigo fonte contrabaixo_paraleigos
Codigo fonte contrabaixo_paraleigosCodigo fonte contrabaixo_paraleigos
Codigo fonte contrabaixo_paraleigos
 
Dobrado Ouro Negro
Dobrado Ouro NegroDobrado Ouro Negro
Dobrado Ouro Negro
 
Apostila de guitarra
Apostila de guitarraApostila de guitarra
Apostila de guitarra
 
Da Capo - Oboé
Da Capo - OboéDa Capo - Oboé
Da Capo - Oboé
 
Violao jt metodo
Violao jt metodoViolao jt metodo
Violao jt metodo
 

Último

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
JohnnyLima16
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 

Último (20)

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 

MANUAL DO BATERA COMPLETO.pdf

  • 2. FOLHA 3 A 6 CONHECENDO A BATERIA - Peças da bateria - Como são feitas - A bateria Folha 7 TIPOS DE BAQUETAS - Baqueta normal - Baqueta com feltro - Vassourinha Folha 8 E 9 MODO DE SEGURAR AS BAQUETAS - Matched grip - Tradicional grip FOLHA 10 A 25 TEORIA MUSICAL PARA BATERIA - Pauta musical - Clave de percussão - Barra final - Compasso - Barra de compasso - Ritornelo - Barra de repetição - Formula de compasso - Formula de compasso 4/4 - Notação musical - Figuras rítmicas. FOLHA 15 METRÔNOMO - Pulsação e metrônomo FOLHA 26 COMPASSO BINÁRIO - Formula de compasso 2/4 FOLHA 27 A 30 COORDENAÇÃO - Coordenação em semínimas - Coordenação em colcheias - Coordenação em semicolcheias FOLHA 31 A 33 PAUSA DAS FIGURAS RITMICAS - Pausa de semínima - Pausa de colcheia - Pausa de semicolcheia FOLHA 34 A 35 RITMOS BASE - Ritmos base conduzidos em semínimas - Ritmos base conduzidos em colcheias - Ritmos base conduzidos em semicolcheias FOLHA 36 A 38 VIRADAS BASE - Executadas em semínimas - Executadas em Colcheias - Executadas em Semicolcheias FOLHA 39 A 52 TEMPO DE VIRADAS - Exemplos em semínimas - Exemplos em Colcheias - Exemplos em Semicolcheias - Viradas de 1 tempo - Viradas de 2 tempos - Viradas de 3 tempos - Viradas de 4 tempos FOLHA 53 A 54 RITMOS BASE COM 2 COMPASSOS - Ritmos base conduzidos em colcheias com 2 compassos FOLHA 55 A 56 RITMOS BASE COM SEMICOLCHEIAS NO BUMBO - Ritmos base com bumbo na ultima semicolcheia do tempo 2 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  SUMÁRIO
  • 3. 3 FOLHA 57 A 58 RITMOS BASE COM SEMICOLCHEIAS NA CAIXA - Ritmos base com caixa na ultima semicolcheia do tempo FOLHA 59 A 60 PONTO DE AUMENTO - Ponto de aumento - Figuras pontuadas FOLHA 61 A 67 FORMULA DE COMPASSO COMPOSTO - Pulso e subdivisão ternaria - Formula de compasso 6/8 - Ritmo blues em 6/8 - Formula de compasso 12/8 - Ritmo blues em 12/8 FOLHA 68 A 84 RUDIMENTOS - Single Stroke Roll - Variações do Single Stroke Roll - Aplicando as variações do single stroke em viradas - Double Stroke Roll - Aplicando as variações do Double Stroke em viradas - Aplicando as variações do Double Stroke em levadas - Paradiddles simples - Aplicando o Paradiddles simples em viradas - Aplicando o Paradiddles simples em levadas - Flam - Aplicando o Flam em viradas - Flam tap - Aplicando o flam tap em viradas - Flam accent - Aplicando o flam accent em viradas FOLHA 85 A 86 ABERTURA DE CHIMBAL - Aplicando a abertura de chimbal em levadas FOLHA 87 A 88 MARCANDO O TEMPO NO CHIMBAL - Aplicando a marcação de tempo no chimbal em levadas FOLHA 89 A 91 RITMO SAMBA - Ostinato base do samba - Levadas de samba com 2 compassos FOLHA 92 A 93 RITMO BAIÃO - Levadas de baião com 2 compassos FOLHA 94 A 97 RITMO AXÉ - Célula rítmica de caixa - Levadas de axé com 2 compassos FOLHA 98 A 99 RITMO VANERA - Levadas de vanera com 2 compassos FOLHA 100 A 101 RITMO ARROCHA - Levadas de arrocha com 2 compassos FOLHA 102 A 103 RITMO FUNK - Levadas de funk com 2 compassos FOLHA 104 A 107 TERCINAS E SEXTINAS - Grupos de 3 e 6 notas (tercinas e sextinas) FOLHA 108 VARIAÇÕES DA TERCINA - Shuffle e swing FOLHA 109 A 115 SHUFFLE BLUES - Shuffle base do blues - Levadas de Shuffle blues - Levadas de Shuffle blues com notas fantasmas FOLHA 116 A 121 RITMO REGGAE - Shuffle base do reggae - Padrão de bumbo One drop - Padrão de bumbo Two drop - Padrão de bumbo Foor drop - Levadas de reggae utilizando o shuffle FOLHA 122 A 125 RITMO JAZZ - Swing base do jazz - Levadas de jazz utilizando o swing - Levadas de jazz com notas fantasmas  SUMÁRIO Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 4. 4 PEÇAS DA BATERIA: A bateria é composta de tambores, pratos e ferragens que podem ser desde o banquinho até os pedais. Uma bateria simples é formada de 2 tons, surdo, caixa, chimbal, pratos de ataque e condução.  CONHECENDO A BATERIA By: Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 5. 5 COMO SÃO FEITAS? Na maioria elas são feitas de madeira e seu som pode ser modificado através da afinação e troca de peles. Hoje em dia existe uma grande variedade de marcas e tipos de peles para cada estilo musical, assim também para os pratos existem vários tipos de ligas de metal para construi-los. Partituras de Armando Viana www.drumav.com  CONHECENDO A BATERIA By: Armando Viana
  • 6. 6 BATERIA: Existem hoje no mercado diversos modelos de baterias, o desenho a sima mostra as peças básica de uma bateria simples. PRATO DE CONDUÇÃO PRATO DE ATAQUE PRATO DE ATAQUE CHIMBAL OU CONTRATEMPO BUMBO CAIXA TON1 TON2 SURDO BANQUINHO Partituras de Armando Viana www.drumav.com  CONHECENDO A BATERIA By: Armando Viana
  • 7. 7  BAQUETAS By: Armando Viana TIPOS DE BAQUETAS: Existem também diferentes tipos de baquetas, além das convencionais tem também as de efeito, como a baqueta de feltro e a vassourinha. Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 8. 8  MODO DE SEGURAR AS BAQUETAS By: Armando Viana MATCHED GRIP: Forma mais utilizada pelos bateristas para segurar as baquetas, o posicionamento das mãos em pegada Matched Grip. No desenho nº 1, segure a baqueta com os dedos indicador e polegar, no desenho nº 2, abrace a baqueta com os demais dedos formando assim a pegada Matched Grip.Utilize essa pegada em ambas as mãos como mostra o desenho nº 3. Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 9. 9 TRADICIONAL GRIP: Utilizado antigamente pelos tocadores de caixa de guerra, o Tradicional Grip foi adotado também pela maioria dos bateristas de jazz. Como mostra o desenho nº 1, posicione a baqueta deitada sobre a palma da mão esquerda abraçando-a com o dedo polegar e indicador, e repousando ela sobre os dedos anelar e mínimo, a mão direita permanece com a pegada Matched Grip. Observe no desenho nº 2 o posicionamento de ambas as mãos sobre a caixa. 01 02 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  MODO DE SEGURAR AS BAQUETAS By: Armando Viana
  • 10. Pauta musical: Também chamada de Pentagrama, a pauta musical é composta de 5 linhas e 4 espaços que são contados de baixo para sima, é nela que vamos escrever as notas para formarmos os ritmos , viradas etc.  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana 10 Partituras de Armando Viana www.drumav.com 5 4 3 2 1 4 3 2 1 LINAS ESPAÇOS
  • 11. Clave de percurssão e barra final: A clave de percurssão deve ser colocada sempre no inicio da pauta ao lado esquerdo, entre a 2º e a 4º linha como segue no exemplo abaixo. Já a barra final é colocada no fim da pauta do lado direito e siguinifica que é o fim do compasso. 11 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana
  • 12. Compasso e barra de compasso: O compasso divide a música em partes idênticas, a barra de compasso ou barra simples serve para separar um compasso do outro, se dividirmos a pauta no meio usando a barra de compasso nós teremos 2 compassos. 12 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana
  • 13. 13 Ritornello: O ritornello serve para demarcar o trecho da musíca que deve ser repetido. Ou seja; quando um compasso estiver demarcado com o ritornello, aquele trecho deve ser tocado normalmente e em seguida repetido. Repetir o trecho entre eles Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana
  • 14. 14 Barra de repetição: Também chamado de simile, a barra de repetição serve para repetir o compasso anterior; Ou seja, se o compasso seguinte for igual ao anterior não precisamos escreve-lo novamente. Repetir o compasso anterior Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana x
  • 15. 15 A pulsação e o metrônomo: Pulsação ou pulso é o movimento contínuo e sem interrupções que organiza a música. Quando dois ou mais instrumentos musicais tocam juntos, eles estão sintonizados dentro de um mesmo pulso. Pela sensação do pulso percebemos quando uma musica é mais rápida ou mais lenta, um exemplo bem simples é bater palmas sem interrupções junto com alguma música, fazendo isso estaremos marcando o pulso ou tempo da mesma. Para treinar o pulso sem ocorrer variações no movimento contínuo, é importe estudar com o metrônomo (aparelho que marca a velocidade e ajuda a desenvolver a senso de pulso constante) nesse aparelho temos como medida de velocidade as siglas (BPM) que significa BATIDAS POR MINUTO, se regularmos o metrônomo a 50 bpm, o metrônomo fara 50 batidas por minuto, se regular a 100bpm, ela fará 100 batidas por minuto e assim sucessivamente. O metrônomo é uma ferramenta fundamental para qualquer músico, o baterista tem por obrigação tocar dentro do pulso (ou tempo),por isso é muito importante estudar com o metrônomo para permanecer dentro do tempo. Metrônomo antigo Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana
  • 16. 16 Formula de compasso: Representada pelos dois números que são colocados um em sima do outro no inicio da pauta depois da clave de percussão. O numerador indica quantos tempos vai ter o compasso e o denominador qual figura vai valer um tempo. Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana
  • 17. Quantidade de tempos Qual figura vai valer 1 tempo As formulas de compassos facilitam a execução musical ao definir a unidade de tempo o pulso e o ritmo da composição ou de partes dela. A formula de compasso 4/4 é a mas utilizada nas musicas, ela indica que para cada compasso teremos 4 tempos e que a semínima equivale a uma nota por tempo. 17 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana
  • 18. NOTAÇÃO MUSICAL: É a representação das peças da bateria na pauta musical, essa notação não é universal, a maioria dos bateristas cria sua própria notação para facilitar sua leitura e interpretação das figuras rítmicas. No entanto algumas peças como bumbo caixa e chimbal, quase sempre são utilizados no padrão que vemos abaixo. BUMBO 1 SURDO CAIXA TON 3 TON 2 TON 1 CH.B. ABERT.CH. FE.DE CH. CRASH ataque RID condução GOST NOT CH.pé Cúpula do rid BUMBO 2 18 Partituras de Armando Viana www.drumav.com ARO DE CAIXA  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana
  • 19. FIGURAS RÍTMICAS: Também chamadas de figuras musicais, elas são as figuras utilizadas para escrever os ritmos viradas etc. Cada figura tem o seu valor próprio e tempo de duração. Veja no exemplo abaixo as figuras e seu numero de duração. 19 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana
  • 20. Figuras mais utilizadas na bateria: Por hora vamos falar das três principais figuras que são utilizadas na bateria. São elas: a semínima, a colcheia e semicolcheia. Veja o exemplo abaixo. Semínima: A semínima é a figura que vale uma nota por tempo, um exemplo de fácil entendimento é imaginar que ela vale 100% de cada tempo, ou seja, dentro de cada tempo (pulso) vai caber apenas uma nota. 20 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana
  • 21. 21 Notas com valores menores que a seminima contem um colchete, cada colchete equivale a metade do valor da nota. Partituras de Armando Viana www.drumav.com Colcheia: Falando a grosso modo, a colcheia é a figura que vale duas notas por tempo, seguindo o mesmo exemplo da semínima que vale 100% de cada tempo, a colcheia vai valer a metade, ou seja, 50% .Então dentro de cada tempo (pulso) vai caber duas notas subdivididas igualmente.  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana Nota
  • 22. Semicolcheia: A semicolcheia é a figura que vale quatro notas por tempo (pulso) ou seja, dentro de cada tempo vai caber quatro notas subdivididas igualmente. Ou 25% da semínima que vale 100% do tempo. 22 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana Talvez esse termo de porcentagem seja difícil de você entender, então basta memorizar que a semínima vale 1 nota por tempo, a colcheia 2 notas por tempo e a semicolcheia 4 notas por tempo.
  • 23. EXERCÍCIOS: Nesse exemplo, vamos utilizar compassos com 4 tempos e cada figura deve ser utilizada respeitando a quantidade de notas por tempo. A manulação será direita e esquerda, sempre nessa ordem. EX.A EX.B EX.C 23 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana
  • 24. EXERCÍCIOS: Nesse exemplo as notas estão misturadas dentro do tempo, cada figura deve ser utilizada respeitando o seu tempo de duração. EX.1 EX.2 EX.3 24 EX.4 EX.5 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana
  • 25. EXERCÍCIOS: Continue estudando com os exercícios abaixo. EX.6 EX.7 EX.8 25 EX.9 EX.10 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEORIA MUSICAL PARA BATERIA By: Armando Viana
  • 26. COMPASSO BINÁRIO: Célula rítmica formada por dois tempos, um compasso binário pode ser simples ou composto. Um Exemplo de binário simples é o compasso 2/4, onde dentro de cada compasso vão caber apenas 2 tempos. Também temos o binário composto 6/8 que veremos mais pra frente. 26  COMPASSO BINÁRIO By: Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 27. COORDENAÇÃO EM SEMÍNIMAS: Nesse exemplo vamos começar a se acostumar a utilizar os quatro membros do nosso corpo para tocar a bateria. A letra D representa a mão direita e a letra E a mão esquerda EX.1 EX.2 EX.3 EX.4 27  COORDENAÇÃO DAS MÃO E PÉS By: Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 28. COORDENAÇÃO EM COLCHEIAS: Nesse exemplo vamos utilizar apenas colcheias em todos os exercícios. EX1 EX2 EX3 EX4 28  COORDENAÇÃO DAS MÃO E PÉS By: Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 29. COORDENAÇÃO EM SEMICOLCHEIAS: Agora vamos utilizar apenas semicolcheias em todos os exercícios. EX.1 EX.2 EX.3 EX.4 29  COORDENAÇÃO DAS MÃO E PÉS By: Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 30. COORDENAÇÃO: Nesses exercícios vamos continuar a praticar a coordenação utilizando as três figuras mas utilizadas na bateria. Agora a formula de compasso é a 2/4 ou seja, em cada compasso vão caber apenas 2 tempos. Semínimas Colcheias Semicolcheias EX.1 EX.2 EX.3 EX.4 30  COORDENAÇÃO DAS MÃO E PÉS By: Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 31. PAUSAS DAS FIGURAS RITMICAS: A pausa é a nota que representa o trecho do compasso onde existe silêncio, cada figura possui sua respectiva pausa, e essa pausa tem o mesmo valor da sua figura, veja no exemplo abaixo as pausas de cada figura ritmica que estamos aprendendo. Pausa de Semínimas Pausa de Colcheias Pausa de Semicolcheias 31  PAUSAS DAS FIGURAS RITMICAS By: Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 32. EX.1 EX.2 EX.3 EXERCÍCIOS: Nos exercícios abaixo vamos utilizar as pausas para representar o silêncio quando necessário. A manulação pode ser DIREITA e ESQUERDA. 32  PAUSAS DAS FIGURAS RITMICAS By: Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com 4 4
  • 33. EX.1 EX.2 EX.3 EXERCÍCIOS: Nos exercícios abaixo vamos continuar a utilizar as pausas para representar o silêncio quando necessário. Continue com a manulação DIREITA e ESQUERDA  PAUSAS DAS FIGURAS RITMICAS By: Armando Viana 33 EX.4 EX.5 Partituras de Armando Viana www.drumav.com D E D E D E 4 4
  • 34. RITMO BASE: Agora que você se acostumou um pouco com as três figuras mas usandas na bateria, vamos construir ritmos base a partir delas.  RITMOS BASE USANDO AS TRÊS FIGURAS RITMICAS By:Armando Viana Semínimas Colcheias Semicolcheias 34 Partituras de Armando Viana www.drumav.com 4 4
  • 35. RITMOS BASE: Agora vamos praticar executando ritmos base usando o que aprendemos até aqui. No 1º compasso usando a seminima, no 2º colcheias e no 3º semicolcheias. Pratique devagar sempre com a ajuda do metrônomo. Semínimas Colcheias Semicolcheias 35 EX1 EX2 EX3 EX4 EX5  RITMOS BASE USANDO AS TRÊS FIGURAS RITMICAS By:Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 36. VIRADAS USANDO SEMÍNIMAS: Eu costumo dizer que as viradas servem para enfeitar a musica ou destacar trechos dela. Vamos começar a usar as viradas em semínimas, no 1º compasso faremos um ritmo base conduzindo em colcheias e no 2º compasso faremos a virada. 36  VIRADAS BASE USANDO AS TRÊS FIGURAS RITMICAS By:Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 37. VIRADAS USANDO COLCHEIAS: Seguindo o mesmo padrão da folha anterior, agora vamos ver viradas em colcheias. EX1 EX2 EX3 EX4 EX5 37  VIRADAS BASE USANDO AS TRÊS FIGURAS RITMICAS By:Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 38. VIRADAS USANDO SEMICOLCHEIAS: E agora vamos ver as viradas em semicolcheias. Lembrando que a semicolcheia é tocada 4 notas por tempo, estude devagar sempre com a ajuda do metrônomo. EX1 EX2 EX3 EX4 EX5  VIRADAS BASE USANDO AS TRÊS FIGURAS RITMICAS By:Armando Viana 38 Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 39. TEMPOS DE VIRADAS: Para fazer as viradas nem sempre vamos utilizar os quatro tempos do compasso,você também pode fazer viradas de 1, 2, 3 e até 4 tempos. No exemplo abaixo,veja viradas de apenas 1 tempo utilzando as três figuras rítmicas para executa-las . Exemplo em seminima 1 e 2 e 3 e 4 e Exemplo em colcheia 1 e 2 e 3 e 4 e Exemplo em semicolcheia 1 e 2 e 3 e 4 e 39  TEMPOS DE VIRADAS By:Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 40. Virada de 1 tempo em semínima: Agora vamos praticar as viradas de 1 tempo utilizando a figura semínima. utilize apenas o 4º tempo do compasso para fazer as viradas. 1 e 2 e 3 e 4 e EX1 EX2 EX3 EX4 EX5 40 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEMPOS DE VIRADAS By:Armando Viana
  • 41. Virada de 1 tempo em colcheia: Agora vamos praticar as viradas de 1 tempo utilizando a figura da colcheia. utilize apenas o 4º tempo do compasso para fazer as viradas. 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e EX1 EX2 EX3 EX4 EX5 41 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEMPOS DE VIRADAS By:Armando Viana
  • 42. Virada de 1 tempo em semicolcheia: Agora vamos praticar as viradas de 1 tempo utilizando a figura semicolcheia. utilize apenas o 4º tempo do compasso para fazer as viradas. 42 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEMPOS DE VIRADAS By:Armando Viana
  • 43. Virada de 2 tempos em semínimas: Agora vamos praticar as viradas de 2 tempos utilizando a figura semínima. utilize apenas o 3º e o 4º tempo do compasso para fazer as viradas. EX1 EX2 EX3 EX4 EX5 43 Partituras de Armando Viana www.drumav.com 1 e 2 e 3 e 4 e  TEMPOS DE VIRADAS By:Armando Viana
  • 44. Virada de 2 tempos em colcheia: Agora vamos praticar as viradas de 2 tempos utilizando a figura colcheia. utilize apenas o 3º e o 4º tempo do compasso para fazer as viradas. EX1 EX2 EX3 EX4 EX5 44 Partituras de Armando Viana www.drumav.com 1 e 2 e 3 e 4 e  TEMPOS DE VIRADAS By:Armando Viana
  • 45. Virada de 2 tempo em semicolcheia: Agora vamos praticar as viradas de 2 tempos utilizando a figura semicolcheia.utilize apenas o 3º e o 4º tempo do compasso para fazer as viradas. 45 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  TEMPOS DE VIRADAS By:Armando Viana
  • 46. Virada de 3 tempos em semínimas: Agora vamos praticar as viradas de 3 tempos utilizando a figura semínima. utilize apenas o 2º o 3º e o 4º tempo do compasso para fazer as viradas. EX1 EX2 EX3 EX4 EX5 46 Partituras de Armando Viana www.drumav.com 1 e 2 e 3 e 4 e  TEMPOS DE VIRADAS By:Armando Viana
  • 47. Virada de 3 tempos em colcheia: Agora vamos praticar as viradas de 3 tempos utilizando a figura colcheia. utilize apenas o 2º o 3º e o 4º tempo do compasso para fazer as viradas. EX1 EX2 EX3 EX4 EX5 47 Partituras de Armando Viana www.drumav.com 1 e 2 e 3 e 4 e  TEMPOS DE VIRADAS By:Armando Viana
  • 48. Virada de 3 tempos em semicolcheia: Agora vamos praticar as viradas de 3 tempos utilizando a figura semicolcheia, utilize apenas o 2º o 3º e o 4º tempo do compasso para fazer as viradas. EX1 EX2 EX3 EX4 EX5 48 Partituras de Armando Viana www.drumav.com 1 e 2 e 3 e 4 e  TEMPOS DE VIRADAS By:Armando Viana
  • 49. Virada de 4 tempos em semínimas: Agora vamos praticar as viradas de 4 tempos utilizando a figura da semínima, toque o ritmo no 1º compasso e utilize os 4 tempos do compasso seguinte para fazer as viradas a manulação fica por sua conta. EX1 EX2 EX3 EX4 EX5 49 1 e 2 e 3 e 4 e Partituras de Armando Viana www.drumav.com 1 e 2 e 3 e 4 e  TEMPOS DE VIRADAS By:Armando Viana
  • 50. Virada de 4 tempos em colcheias: Agora vamos praticar as viradas de 4 tempos utilizando a figura da colcheia, toque o ritmo no 1º compasso e utilize os 4 tempos do compasso seguinte para fazer as viradas, a manulação fica por sua conta. EX1 EX2 EX3 EX4 EX5 50 1 e 2 e 3 e 4 e Partituras de Armando Viana www.drumav.com 1 e 2 e 3 e 4 e  TEMPOS DE VIRADAS By:Armando Viana
  • 51. Virada de 4 tempos em semicolcheias: Agora vamos praticar as viradas de 4 tempos utilizando a figura da semicolcheia, toque o ritmo no 1º compasso e utilize os 4 tempos do compasso seguinte para fazer as viradas. EX1 EX2 EX3 EX4 EX5 51 1 e 2 e 3 e 4 e Partituras de Armando Viana www.drumav.com 1 e 2 e 3 e 4 e  TEMPOS DE VIRADAS By:Armando Viana
  • 52. Virada de 4 tempos usando as 4 figuras + usadas: Agora vamos praticar as viradas de 4 tempos utilizando as 4 figura rítmicas + usadas, a semínima, a colcheia e a semicolcheia misturando elas dentro do compasso. EX1 EX2 EX3 EX4 EX5 52 1 e 2 e 3 e 4 e Partituras de Armando Viana www.drumav.com 1 e 2 e 3 e 4 e  TEMPOS DE VIRADAS By:Armando Viana
  • 53.  RITMOS BASE COM 2 COMPASSOS By:Armando Viana 53 Agora vamos praticar alguns ritmos base usando dois compassos demarcados com o ritornelo. Lembrando que trecho entre eles deve ser repetido. EX1 EX2 EX3 EX4 EX5 Partituras de Armando Viana www.drumav.com 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e
  • 54.  RITMOS BASE COM 2 COMPASSOS By:Armando Viana 54 Continue praticando com mais algumas levadas básicas utilizando 2 compassos demarcados com o ritornelo. EX6 EX7 EX8 EX9 EX10 Partituras de Armando Viana www.drumav.com 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e
  • 55. 55 Agora vamos praticar alguns ritmos base onde a semicolcheia vai aparece na ultima nota de alguns tempos. EX1 EX2 EX3 EX4 EX5  RITMOS BASE Com a semicolcheia no bumbo By:Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e
  • 56. 56 EX6 EX7 EX8 EX9 EX10 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  RITMOS BASE Com a semicolcheia no bumbo By:Armando Viana 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e EXERCÍCIOS: Continue praticando com os exercícios abaixo..
  • 57. 57 Seguindo o mesmo exemplo dos exercícios anteriores , só que agora vamos colocar a ultima semicolcheia na caixa de alguns tempos. EX1 EX2 EX3 EX4 EX5 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  RITMOS BASE Com a semicolcheia na caixa By:Armando Viana 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e
  • 58. 58 EX6 EX7 EX8 EX9 EX10 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  RITMOS BASE Com a semicolcheia na caixa By:Armando Viana 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e EXERCÍCIOS: Continue praticando com os exercícios abaixo..
  • 59. 59 Partituras de Armando Viana www.drumav.com 59 Ponto de aumento: É colocado sempre a direita da nota ou pausa, para aumentar a metade do seu valor.  Ponto de aumento by: Armando Viana
  • 60. 60 60  Ponto de aumento by: Armando Viana Veja abaixo alguns exemplos de figuras pontuadas. Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 61. 61 61 Compasso composto: Na formula de compasso composto, temos algumas diferenças ao compasso simples, nele as figuras são pontuadas, e ele possui subdivisão ternária (diferente do simples que possui subdivisão binária). Dois exemplos de formulas de compassos simples são o 2/4 e o 4/4, sendo o 2/4 uma formula de compasso binária e o 4/4 uma formula de compasso quaternária. O 6/8 é um exemplo de binário composto, nesse tipo de compasso, ao invés de contar os tempos (pulso) nós iremos contar as subdivisões como mostra o exemplo abaixo. Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Formula de compasso composto by: Armando Viana
  • 62. 62 62 Compasso composto: Veja no exemplo abaixo uma levada simples utilizando a formula de compasso composta 6/8 onde iremos contar as subdivisões ao invés dos tempos. Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Formula de compasso composto by: Armando Viana
  • 63. 63  Formula de compasso composto by: Armando Viana Podemos concluir que 6 subdivisões de tempo são correspondentes a dois tempos, então temos um compasso binário composto do compasso simples 2/4. Subdivisões no tempo Temos a figura da colcheia como Subdivisão de tempo Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 64. 64  Compasso composto Levadas em 6/8 Blues by: Armando Viana Agora vamos praticar levadas no compasso 6/8 no estilo musical Blues. EX1 EX2 EX3 EX4 EX5 Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 65. 65 O 12/8 também é uma formula de compasso composta, ao invés de 6 subdivisões, ele vai conter 12 subdivisões, sendo o 6/8 um binário composto da formula de compasso simples 2/4, e o 12/8 um quaternário composto da formula de compasso 4/4. Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Compasso composto 12/8 Blues by: Armando Viana
  • 66. 66 Agora vamos praticar algumas variações de condução no ritmo blues em 12/8. Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Compasso composto Levadas em 12/8 Blues by: Armando Viana
  • 67. 67  Levadas em 12/8 Blues by: Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com EXERCÍCIOS: Continue praticando com os exercícios abaixo..
  • 68. 68 Rudimentos: São um dos fundamentos básicos para se ter o domínio total da bateria. As técnicas e movimentos dos 40 rudimentos ajudam o baterista a se desenvolver com mais habilidade e precisão . Eles são divididos em quatro grupos, são eles: 1. Roll Rudiments 2. Diddle Rudiments 3. Flam Rudiments 4. Drag Rudiments Alguns exemplos de Roll Rudiments são o single stroke roll, triple stroke roll e o seven stroke roll. Diddle Rudiments (ou paradiddles) são rudimentos baseados na combinação entre toques simples e duplos. Alguns exemplos bastante conhecidos são o single paradiddle e o double paradiddle. Flam Rudiments são 2 toques executados quase que simultaneamente . Drag Rudiments são baseados em rufos e alguns exemplos são o single drag tap, double drag tap. Nas próximas paginas vamos começar a aprender os rudimentos mas conhecidos que são: -Single Stroke Roll -Double Stroke Roll -Paradiddles simples -Flam  RUDIMENTOS By:Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 69. Single Stroke Roll: Para tocar esse rudimento basta alternar as mão em DIREITA e ESQUERDA,veja o exemplo abaixo utilizando as três figuras, semínimas , colcheias e semicolcheias. EX1 EX2 EX3  RUDIMENTOS BASE Single Stroke Roll By:Armando Viana 69 Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 70. Variações do Single Stroke Roll: No exemplo abaixo vamos variar a subdivisão do singol stroke utilizando Semínimas, colcheias e semicolcheias EX1 EX2 EX3 EX4  RUDIMENTOS BASE Single Stroke Roll By:Armando Viana 70 Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 71. APLICANDO AS VARIAÇÕES: Nos exercícios abaixo,vamos aplicar as variações do single stroke roll em viradas seguindo a mesma manulação da folha anterior. EX1 EX2 EX3 EX4  RUDIMENTOS BASE Single Stroke Roll By:Armando Viana 71 Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 72. Double Stroke Roll: Diferente do single stroke roll, no double stroke usaremos a manulação direita direita, esquerda esquerda. Pratique em seminimas,colcheias e semicolcheias. D D E E D E D D E D D D D D E E D D E E D D E E D D E E EX.A EX.B EX.C  RUDIMENTOS BASE Double Stroke Roll By:Armando Viana 72 Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 73. APLICANDO EM VIRADAS: Depois de praticar bastante aplique o Double Stroke Roll em viradas. EX.1 EX.2 EX.3 EX.4 D D E E D D E E D D E E D D E E  RUDIMENTOS BASE Double Stroke Roll By:Armando Viana 73 Partituras de Armando Viana www.drumav.com D D E E D D E E D D E E D D E E D D E E D D E E D D E E D D E E D D E E D D E E D D E E D D E E
  • 74. APLICANDO EM LEVADAS: Agora vamos aplicar o Double Stroke Roll em levadas, usando um grupamento de semicolcheias no chimbal em apenas um tempo de cada compasso.  RUDIMENTOS BASE Double Stroke Roll By:Armando Viana 74 Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 75. Paradiddle simples: O paradiddle é a união do single e double stroke, sua manulação é D e d d E d e e Acentue sempre a cabeça de cada tempo. D d e e E d e e PARADIDDLE  RUDIMENTOS BASE Paradiddle By:Armando Viana 75 D d e e E d e e 1 e 2 e 3 e 4 e Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 76. EX.1 EX.2 EX.3 EX.4  RUDIMENTOS BASE Paradiddle By:Armando Viana 76 APLICANDO EM VIRADAS: Depois de praticar bastante aplique o Paradiddle em viradas. D e d d E d e e D e d d E d e e D e d d E d e e D e d d E d e e D e d d E d e e D e d d E d e e D e d d E d e e D e d d E d e e Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 77.  RUDIMENTOS BASE Paradiddle By:Armando Viana 77 APLICANDO EM LEVADAS: Agora vamos aplicar o paradiddle em levadas, no exercício 1 vamos aplica-lo em todo os tempos do compasso, nos demais exercícios vamos aplicar em tempos isolados. Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 78.  RUDIMENTOS BASE Paradiddle By:Armando Viana 78 APLICANDO EM LEVADAS: Agora vamos aplicar o paradiddle em levadas um pouco mais avançadas. Pratique devagar sempre com a ajuda do metrônomo. Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 79.  RUDIMENTOS BASE Flam By:Armando Viana Flam: No flam teremos duas notas tocadas quase que simultaneamente, a primeira nota é a apogiatura que vem antes da nota principal, essa nota deve ser tocada bem baixinha e a nota principal deve ser acentuada como segue no exemplo abaixo. Note que você pode começar tanto com a mão esquerda na apogiatura, quanto com a mão direita. 79 Partituras de Armando Viana www.drumav.com Exemplo
  • 80.  RUDIMENTOS BASE Viradas Flam By:Armando Viana Viradas em Flam: Segue abaixo cinco viradas utilizando o rudimento FLAM, pratique devagar sempre com a ajuda do metrônomo. 80 Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 81.  RUDIMENTOS BASE Flam tap By:Armando Viana Flam tap: Na família do flam temos o FLAM TAP que nada mas é do que o flam seguido de uma colcheia, veja o exemplo abaixo. 81 Partituras de Armando Viana www.drumav.com Exemplo
  • 82. 82  RUDIMENTOS BASE Viradas Flam tap By:Armando Viana Viradas em Flam tap: Segue abaixo cinco viradas utilizando o rudimento FLAM TAP, pratique devagar sempre com a ajuda do metrônomo. Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 83.  RUDIMENTOS BASE Flam accent By:Armando Viana Flam accent: Na família do flam também temos o FLAM ACCENT que é o flam tocado em grupos de tercinas, veja o exemplo abaixo. 83 Partituras de Armando Viana www.drumav.com Exemplo
  • 84. 84  RUDIMENTOS BASE Viradas Flam accent By:Armando Viana Viradas em Flam accent: Segue abaixo cinco viradas utilizando o rudimento FLAM ACCENT, pratique devagar sempre com a ajuda do metrônomo. Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 85. 85  ABERTURA DE CHIMBAL by:Armando Viana Abertura de chimbal: É utilizada para deixar os ritmos e levadas mais interessantes, a bolinha em sima da colcheia indica o momento em que se deve abrir o chimbal, e o sinal de + indica o momento do fechamento. Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 86. 86  ABERTURA DE CHIMBAL by:Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com EXERCÍCIOS: Continue praticando com os exercícios abaixo..
  • 87. 87  MARCANDO O TEMPO NO CHIMBAL By:Armando Viana Para marcar o tempo no chimbal vamos conduzir o ritmo no prato de condução, nos exercícios abaixo vamos marcar o chimbal com pé sempre na cabeça do tempo. 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 88. 88 Também podemos marcar o chimbal com pé no contratempo, ou seja sempre no (e) do tempo. 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e 1 e 2 e 3 e 4 e Partituras de Armando Viana www.drumav.com  MARCANDO O TEMPO NO CHIMBAL By:Armando Viana
  • 89. 89  Ritmo samba By:Armando Viana OSTINATO BASE: Para tocar o ritmo samba, vamos utilizar o ostinato base na formula de compasso 2/4. O bumbo vai estar sempre na cabeça e na ultima semicolcheia de cada tempo, marcaremos o chimbal com pé sempre no (e) do tempo. Veja no exemplo abaixo Partituras de Armando Viana www.drumav.com O samba é um gênero musical, que deriva de um tipo de dança, de raízes africanas, surgido no Brasil e considerado uma das principais manifestações culturais populares brasileiras
  • 90. 90 EXERCÍCIOS: Para conduzir usaremos a semicolcheia no chimbal e o aro da caixa nos ataques. Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo samba By:Armando Viana
  • 91. 91 EXERCÍCIOS: Continue praticando com os exercícios abaixo.. Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo samba By:Armando Viana
  • 92. 92 BAIÃO: O ritmo baião é um ritmo típico brasileiro originado no nordeste que se tornou popular em 1944 com o trabalho de Luiz Gonzaga. Como no samba, iremos toca-lo na formula de compasso 2/4.  Ritmo baião By:Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com
  • 93. 93 EXERCÍCIOS: Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo. Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo baião By:Armando Viana
  • 94. 94 Partituras de Armando Viana www.drumav.com O AXÉ: Ou Axé music, é um gênero musical que surgiu no estado da Bahia na década de 80 durante as manifestações populares do Carnaval de Salvador. Em alguns casos o batera precisa suprir a falta de um percussionista, para tocar o axé vamos pegar como base a figura da semicolcheia e adicionar algumas acentuações. Domine primeiro essa célula rítmica para depois distribuir na bateria.  Ritmo axé By:Armando Viana Também é importante dominar o exercício de marcação dos pés, que será executado em colcheias . Veja o exercício abaixo.
  • 95. 95 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo axé By:Armando Viana EXERCÍCIOS: Agora vamos praticar as levadas já predefinidas. EX1 EX2 EX3 4 4
  • 96. 96 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo axé By:Armando Viana EX4 EX5 EX6 EXERCÍCIOS: Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
  • 97. 97 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo axé By:Armando Viana EX7 EX8 EX9 EXERCÍCIOS: Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
  • 98. 98 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo vanera By:Armando Viana O ritmo vanerão é um tipo de dança típica, assim como a venera e a vanerinha nasceu de origem alemã e se desenvolveu no Rio Grande Do Sul. De acordo com o andamento da música, têm-se as variantes vanerinha, para ritmo lento, venera, para ritmo moderado, e vanerão, para ritmo mais rápido. Ao lado do xote, tornou-se uma das danças mais populares do Rio Grande do Sul.
  • 99. 99 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo vanera By:Armando Viana EXERCÍCIOS: Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
  • 100. 100 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo Arrocha By:Armando Viana O Arrocha é um gênero musical originário da Bahia. Ele veio proveniente da seresta, influenciado pela música brega e o estilo romântico, com modificações que o tornaram, segundo seus adeptos, mais sensuais e eufóricos com influencias do axé e do forró. O arrocha pode ser romântico (brega) ou agitado (forró) fonte wikipedia.
  • 101. 101 Partituras de Armando Viana www.drumav.com EXERCÍCIOS: Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.  Ritmo Arrocha By:Armando Viana
  • 102. 102 O Funk: Se popularizou na década de 60 com o musico James Brown e outros.Os músicos afro-americanos inicialmente relacionavam "funk" às músicas com um ritmo lento e, mais tarde, com um ritmo persistente. Nos exercícios abaixo, vamos adicionando o bumbo de funk pouco a pouco a levada, pratique devagar sempre com a ajuda do metrônomo.  Ritmo funk By:Armando Viana Partituras de Armando Viana www.drumav.com 4 4
  • 103. 103 Partituras de Armando Viana www.drumav.com EXERCÍCIOS: Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.  Ritmo funk By:Armando Viana
  • 104. 104 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Tercinas e sextinas Grupos de 3 e 6 notas By:Armando Viana Para representar grupos de notas ternárias geralmente utilizamos formulas de compasso composta em 6/8 ou 12/8 onde a nota é subdividida a partir da colcheia pontuada. Para utilizar esse grupo de notas na formula de compasso 4/4 utilizamos um recurso bem simples, basta colocar o nº 3 sobe cada grupo de três colcheias, formando assim as tercinas (quialtera). E o nº 6 sobe cada grupo de seis semicolcheias formando então as sextinas como mostra os exemplos abaixo.
  • 105. 105 Partituras de Armando Viana www.drumav.com Agora vamos praticar com as tercinas e sextinas em exercícios de controle onde a manulação será sempre D D D e E E E.  Tercinas e sextinas Exercícios By:Armando Viana
  • 106. 106 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Tercinas e sextinas Exercícios By:Armando Viana Nos próximos exercícios vamos misturar as tercinas e sextinas dentro de cada compasso.
  • 107. 107 Partituras de Armando Viana www.drumav.com Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.  Tercinas e sextinas Exercícios By:Armando Viana
  • 108. 108 Partituras de Armando Viana www.drumav.com Como já sabemos, a tercina possui três subdivisões por tempo, se acrescentarmos uma pausa de colcheia sempre na 2º subdivisão de cada tempo, vamos criar uma variação chamada de shuffle muito utilizada no ritmo blues e reggae Se acrescentarmos duas pausas de colcheia na segunda e terceira subdivisão do 1º e do 3º tempo, e uma pausa na segunda subdivisão do 2º e 4º tempos teremos a variação chamada swing que pode ser usada no ritmo jazz .  Variações da tercina Shuffle e swing By:Armando Viana
  • 109. 109 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Shuffle blues By:Armando Viana Como vimos na folha anterior, o shufle é basicamente uma variação da tercina e ele vai servir para conduzir as levadas de blues e até reggae. Nos exercícios abaixo seguem algumas levadas de shuffle blues.
  • 110. 110 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Shuffle blues Exercícios By:Armando Viana Exercícios: Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
  • 111. 111 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Shuffle blues Exercícios By:Armando Viana Exercícios: Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
  • 112. 112 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Shuffle blues com notas fantasmas By:Armando Viana O shuffle fica ainda mais bonito quando adicionamos as notas fantasmas. As notas fantasmas são notas que tocamos bem baixinhas, diferente das notas tocadas em som normal ou acentuado. Nota fantasma
  • 113. 113 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Shuffle blues com notas fantasmas Exercícios By:Armando Viana Exercícios: Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
  • 114. 114 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Shuffle blues com notas fantasmas Exercícios By:Armando Viana Exercícios: Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
  • 115. 115 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Shuffle blues com notas fantasmas Exercícios By:Armando Viana Exercícios: Continue praticando as levadas dos exercícios abaixo.
  • 116. 116 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo Reggae Padrões de bumbo By:Armando Viana Assim como no blues, também utilizamos o shuffle para tocar o ritmo reggae. Reggae é um gênero musical desenvolvido originalmente na Jamaica no fim da década de 1960. Para tocar o reggae na bateria existem alguns padrões de bumbo que darão mas ênfase ao estilo. São eles: One drop ,Two drop e Foor drop. No 1º padrão ``ONE DROP´´ tocaremos o bumbo sempre na cabeça do 3º tempo como mostra o exemplo abaixo.
  • 117. 117 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo Reggae Padrões de bumbo By:Armando Viana No 2º padrão ``TWO DROP´´ tocaremos o bumbo sempre na cabeça do 1º e 3º tempo como mostra o exemplo abaixo.
  • 118. 118 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo Reggae Padrões de bumbo By:Armando Viana No 3º padrão ``FOOR DROP´´ tocaremos o bumbo na cabeça de todos os tempos como mostra o exemplo abaixo.
  • 119. 119 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo Reggae Exercícios com o padrão one drop By:Armando Viana Agora vamos praticar algumas levadas utilizando do shuffle e do padrão ``ONE DROP´´ tocaremos o bumbo sempre na cabeça do 3º tempo. Pratique devagar sempre com a ajuda do metrônomo.
  • 120. 120 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo Reggae Exercícios com o padrão one drop By:Armando Viana Agora vamos praticar algumas levadas utilizando do shuffle e do padrão ``TWO DROP´´ tocaremos o bumbo sempre na cabeça do 1º e 3º tempo. Pratique devagar sempre com a ajuda do metrônomo.
  • 121. 121 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo Reggae Exercícios com o padrão one drop By:Armando Viana Agora vamos praticar algumas levadas utilizando do shuffle e do padrão ``FOOR DROP´´ tocaremos o bumbo na cabeça de todos os tempos. Pratique devagar sempre com a ajuda do metrônomo.
  • 122. 122 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo Jazz By:Armando Viana O jazz é um estilo que teria surgido por volta do início do século XX na região de Nova Orleans e em suas proximidades, e se desenvolveu com a mistura de várias tradições religiosas, em particular a afro-americana. fonte wikipedia. Para tocar o jazz vamos utiliza a variação da tercina chamada de SWING , se acrescentarmos duas pausas de colcheia na segunda e terceira subdivisão do 1º e do 3º tempo, e uma pausa na segunda subdivisão do 2º e 4º tempos criaremos então a variação chamada swing.
  • 123. 123 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo Jazz By:Armando Viana Nos exercício 1 vamos utilizar o swing para conduzir as levadas de jazz no prato de condução. No exercícios 2 vamos adicionar o chimbal com pé sempre na cabeça do 2º e 4º tempo.
  • 124. 124 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo Jazz By:Armando Viana Nos exercícios abaixo vamos adicionar algumas notas fantasmas sempre na segunda subdivisão do tempo 2 ou tempo 4 Nota fantasma
  • 125. 125 Partituras de Armando Viana www.drumav.com  Ritmo Jazz By:Armando Viana Nos exercícios abaixo vamos praticar levadas com dois compassos sempre adicionando o bumbo na cabeça do 1º tempo do primeiro compasso.
  • 126. 126 ARMANDO VIANA Nascido e criado em Duque de Caxias RJ, logo cedo sua mãe percebeu seu interesse pela musica, aos 9 anos de idade começou a tocar pandeiro em uma pequena igreja onde sua família congregava. Ao passar para outra igreja ele conheceu um novo instrumento chamado bateria. Estudou um tempo com o baterista oficial da igreja, mas por falta de recursos financeiros, começou a estudar sozinho através de vídeo-aulas, partituras em revistas livros etc.Estudava até 4 horas por dia quando dava, pois tinha que dividir o tempo com escola e trabalho. Hoje aos 29 anos, ele da aulas em seu estúdio particular, toca em uma banda de rock chamada Foco, e recentemente gravou 9 faixas do cd do ministério de louvor Canção de Vida. E no ano de 2012 participou do concurso V-drums Contest, ficando classificado entre os 20 finalistas do Brasil.​ Todos os direitos reservados Armando Viana www.drumav.com