SlideShare uma empresa Scribd logo
INTRODUÇÃO À ECOLOGIA
O que é ecologia?
Deriva do grego “oikos” com sentido de casa e “logos”
que significa estudo.
O que fazem os ecólogos?
•Supervisionam parques florestais
•Avaliam impactos por obras/danos ao ambiente
•Trabalham em empresas como extração de petróleo
•Ecoturismo
•Professor/pesquisador
Relações com outras áreas
Saúde:
deriva do grego “manejo da casa”
Permite conhecer os insetos e outros animais
associados ao ambiente
Aspectos físicos que pode comprometer os aspectos
visuais/poluição/fogo.
Relação entre a saúde das populações e equilíbrio
ambiental.
Economia:
Zoologia:
Paisagístico:
CONCEITOS
•INJÚRIA E ESTRAGO :
•LESÃO:
•DANO:
•PREJUÍZO:
É considerado como injúria qualquer ação deletéria (ou
simplesmente estrago) decorrente da ação de um organismo
(principalmente alimentação) (Zanetti, 2004, Picanço et al., 1999)
ou um traumatismo, em geral produzido por força externa
(Ferreira,1975).
É o termo utilizado para indicar principalmente a ação de
um patógeno
É qualquer perda decorrente de uma injúria ou lesão, o
dano pode ser, também, ecológico, social, político entre
outros (Zanetti, 2004).
É um termo utilizado quando há uma queda na
produção ou simplesmente perda de dinheiro.
Homem primitivo x conhecimentos ecológicos. Era
necessário?
Na sociedade primitiva, para sobreviver, todos os
indivíduos precisavam conhecer o seu ambiente, ou seja,
as forças da natureza e os vegetais e os animais a sua
volta.
- Hipócrates, Aristóteles e outros filósofos gregos:
fazem referência a temas ecológicos em suas obras.
- Idade Média: visão aristotélica da natureza, isto é, a
natureza sempre esteve em “equilíbrio perfeito”.
HISTÓRICO
*Gaunt: pioneiro no estudo da demografia (mortalidade,
razão sexual, taxa de nascimentos, etc).
*Leeuwenhoeck (1632): importância das cadeias
alimentares e a regulação das populações.
*Richard Bradley: produtividade biológica.
*Buffon (1756): princípio básico da regulação ecológica
das populações.
*Malthus (1798): populações podem crescer em ritmo
exponencial enquanto os recursos necessários a essas
populações crescem em ritmo aritmético.
Alguns cientistas importantes:
a) muitas espécies foram extintas no decorrer dos
tempos;
b) existe competição causada por pressão populacional;
c) a seleção natural e a luta pela existência são
mecanismos evidenciáveis na natureza.
*Darwin (1859) e Malthus mudaram a visão aristotélica
e a base para essa mudança de pensamento baseou-se
nos seguintes fatos:
Enquanto isso...
Ernest Haeckel, em 1866 na Alemanha, propôs pela
primeira vez o termo ecologia – “Estudo da casa”
Ecologia é o estudo de todas as inter-relações complexas
denominadas por Darwin como as condições da luta pela
existência.” Ou, ainda, a ecologia era “a ciência capaz de
compreender a relação do organismo com o seu ambiente.”
Elton (1927) – história natural científica.
Krebs (1972) – estudo científico das interações que
determinam a distribuição e a abundância dos organismos
(ressalta a importância das interações bióticas, como
predação e competição, na estruturação das
comunidades).
Ricklefs (1973) – “o estudo do ambiente natural,
enfocando as inter-relações entre os organismos e seu
meio circundante.”
Algumas definições modernas de ecologia:
Möbius (1877) – noção de biocenose ao estudar uma comunidade de
organismos existentes em um banco de ostras.
Forbes (1887), Forel (1892) e Thienemann (1926) – pioneiros no
estudo da ecologia aquática (limnologia).
Warming (1895) – estudos fitossociológicos no cerrado de MG.
Cowles (1899) – descreveu sucessão ecológica nas dunas do lago
Michigan.
Clements (1916) – conceito de evolução de comunidade.
Tansley (1935) – propôs o ecossistema como unidade básica de estudo
da ecologia.
1872 – Yellowstone: primeiro Parque Nacional do mundo
Avanços nos séculos XIX e XX
Ecologia animal x ecologia vegetal = Ecologia geral
Década de 60 – surgimento das ONGs (em 1961).
Década de 70 – surgem os agentes políticos e estatais.
1972 – 1º Conferência sobre Meio Ambiente Humano (Suécia)
1974– 1º Conf. sobre População e Desenvolvimento (Romênia)
Década de 80 – surge o ecodesenvolvimento e desenvolvimento
sustentável.
1984 – 2º Conf. sobre População e Desenvolvimento (México)
– estabelece que a responsabilidade do controle da natalidade recai
sobre os governos de cada país.
1987 – surge o conceito de desenvolvimento sustentável com a
publicação do documento Nosso Futuro Comum (ou Relatório
Brundtland), elaborado pela Comissão Mundial sobre Meio Ambiente
e Desenvolvimento.
Recentemente, quais foram os avanços da ecologia?
O que se entende por Desenvolvimento
sustentável?
“Atender às necessidades e aspirações do presente,
sem comprometer a possibilidade de atende-las no
futuro.”
Apresenta: milhões de espécies diferentes, incontáveis, bilhões de
indivíduos geneticamente distintos, todos vivos e interagindo em um
mundo variado e sempre em transformação.
A ecologia, sendo uma ciência... os ecólogos procuram explicar e
compreender.
Explicação imediata (aqui e agora) – a distribuição e abundância
atuais de uma determinada espécie de ave pode ser explicada pelo
ambiente físico que ela tolera, o alimento que consome e os parasitas e
predadores que a atacam.
Explicação final – da distribuição e abundância atuais dessa aves
baseia-se nas experiências ecológicas de seus ancestrais.
Antes de compreender algo... é preciso descrever o que desejamos
entender.
A ecologia não é uma ciência fácil. Porquê?
Os ecólogos precisam descrever antes de explicar
Os ecólogos tentam prever o que acontecerá com uma
população de organismos sob um conjunto particular de
circunstâncias e, baseados nessas previsões, procuram
controla-los ou explorá-los.
•Auto-ecologia: é o ramo da ecologia que estuda a influência
dos fatores externos sobre o animal e/ou vegetal, ou sobre
uma espécie determinada. É, por assim dizer, o estudo
individual de um organismo, ou de uma espécie, em que é
posta em destaque a sua biologia e o comportamento que
apresenta na adaptação a um meio determinado.
•Sinecologia: estuda os grupos de organismos associados
entre si, quer dizer, o estudo das comunidades naturais,
incluindo animais e vegetais.
A Ecologia, foi dividida por Schroter, em 1896 em dois
grandes ramos:
PARA PESQUISAR
•IMPORTÂNCIA DA UTILIZAÇÃO DOS PRINCÍPIOS
ECOLÓGICOS PARAA ENGENHARIA FLORESTAL
•NÚNERO DE ESCOLAS COM GRADUAÇÃO EM
ECOLOGIA
•NÚMERO DE ESCOLAS COM PÓS-GRADUAÇÃO EM
ECOLOGIA
O que é um Ecossistema?
Antes de definirmos, exatamente o conceito de
ecossistema, o qual é fundamental para a compreensão
desta ciência, podemos encontrar na figura 1, um outro
conceito importante que é o de níveis de organização, o
qual pode ser entendido como um conjunto de entidades,
sejam elas genes, células, ou mesmo espécies, agrupadas
em uma ordem crescente de complexidade.
Figura 1- Níveis de organização
HIERARQUIA DOS NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO
Níveis de organização
DEFINIÇÕES BÁSICAS
A - Espécie - dois ou mais organismos são
considerados da mesma espécie, quando podem
se reproduzir, originando descendentes férteis
B - Populações - formadas por organismos da
mesma espécie, isto é, um conjunto de
organismos que podem se reproduzir produzindo
descendentes férteis.
C- Comunidades - Inclui todas as populações
que ocupam uma determinada área.
D- Ecossistema- formada pela comunidade e o
ambiente não vivo.
C- Comunidades - um conjunto de todas as populações, sejam elas
de microorganismos, animais ou vegetais existentes em uma
determinada área, constituem uma comunidade; também se pode
utilizar o conceito de comunidade para designar grupos com uma
maior afinidade separadamente, como por exemplo, comunidade
vegetal, animal, etc.
A comunidade é dividida em componentes vivos que
chamamos bióticos; em contrapartida, o conjunto formado por
regime de chuvas, temperatura, luz, umidade, minerais do solo
enfim, toda a parte não viva, é chamada de componentes abióticos.
D- Ecossistemas - em um determinado local, seja uma vegetação
de cerrado, mata ciliar, caatinga, mata atlântica ou floresta
amazônica, a todas as relações dos organismos entre si, e com seu
meio ambiente, ou dito de outra forma, a todas as relações entre
os fatores bióticos e abióticos em uma determinada área,
chamamos ecossistema.
Dentro do conceito de ecossistema, ainda cabe definirmos:
E-Hábitat: Local onde uma ou mais espécie vive.
Ex.: O hábitat do lobo guará é o cerrado.
F-Nicho Ecológico: unidade mais íntima da distribuição de uma
espécie (modo peculiar a cada grupo de organismo de obter sua
energia, dentro do seu hábitat)
•BIOSFERA OU ECOSFERA: A terra é composta por vários
ecossistemas sejam eles aquáticos, terrestres ou até mesmo aéreos. A
soma de todos estes ecossistemas chamamos de biosfera. Portanto, a
biosfera seria a parte na qual ocorre vida no planeta e na qual a vida
tem o poder de ação sobre o mesmo.
A tendência atual é a de considerar a ecologia dividida em
quatro subdivisões:
Ecologia das Espécies
Ecologia das Populações
Ecologia das Comunidades
Ecologia dos Ecossistemas
•DENSIDADE POPULACIONAL: Número de indivíduos por
unidade de área ou volume
Definições básicas
MEDIDAS DE DENSIDADE ABSOLUTA
1. Métodos de amostragem
1.1. Método dos quadrados
1.2.Coleta e recaptura (marca não desaparecer/taxa de
mortalidade)
1.3.Densidade relativa (estudo do índice de abundância)
- armadilha de captura
- contagem de bolas fecais
- freqüência de vocalização de pássaros
- número de evidências ou pistas da presença de um organismo
- questionários e censos sobre a população de vertebrados
- percentual de iscas consumidas
ATRIBUTOS DEMOGRÁFICOS DE UMA
POPULAÇÃO
•NATALIDADE: termo que descreve a produção de novos
indivíduos por unidade de tempo
•FERTILIDADE: número de nascimentos bem sucedidos/varia de
acordo com a população
•MORTALIDADE: pode ser estimada no campo pela técnica de
marcação e recaptura, por tabela de vida.
•IMIGRAÇÃO E EMIGRAÇÃO: quantidade de indivíduo que
entram e saem de um ambiente.
POPULAÇÕES (TÉCNICAS DEMOGRÁFICAS)
•TABELA DE VIDA
•CURVAS DE SOBREVIVÊNCIA
- TIPO I
- TIPO II
- TIPO III
•FLUTUAÇÕES POPULACIONAIS: termo utilizado para
designar o ciclo vital de um organismo/variações no ciclo
SÍNTESE DE ALGUNS FATORES QUE REGULAM
AS POPULAÇÕES
-Predação
-Competição
-Parasitismo
-Alimentação
-Espaço
-Clima
-Enfermidade
-Aumento nos genótipos inviáveis
-Problemas genéticos
-Mudança na biologia reprodutiva
ECOLOGIA TRÓFICA
Este termo ecológico representa o vínculo existente entre um
grupo de organismos presentes em um ecossistema, os quais são
regulados pela relação predador-presa. É através da cadeia
alimentar, ou cadeia trófica, que é possível a transferência de energia
entre os seres vivos.
1. Cadeias alimentares
1.1. Pastoreio: rotas tróficas envolvem o consumo de matéria
vegetal viva pelos herbívoros ou pastadores
1.2. Detritos: pastadores são incapazes de consumir a
biomassa vegetal/consumo de restos vegetais mortos.
Cadeia Alimentar e teia alimentar
PRODUTORES - São os organismos capazes de fazer
fotossíntese ou quimiossíntese. Produzem e acumulam energia
através de processos bioquímicos utilizando como matéria prima a
água, gás carbônico e luz. Em ambientes afóticos (sem luz), também
existem produtores, mas neste caso a fonte utilizada para a síntese
de matéria orgânica não é luz mas a energia liberada nas reações
químicas de oxidação efetuadas nas células (como por exemplo em
reações de oxidação de compostos de enxofre). Este processo
denominado quimiossíntese é realizado por muitas bactérias
terrestres e aquáticas.
A cadeia ou rede alimentar é constituída pelos
seguintes níveis:
CONSUMIDORES PRIMÁRIOS - São os animais que se alimentam dos
produtores, ou seja, são as espécies herbívoras. Os consumidores primários
podem ser desde microscópicas larvas planctônicas, ou invertebrados
bentônicos (de fundo) pastadores, até grandes mamíferos terrestres
como a girafa e o elefante.
CONSUMIDORES SECUNDÁRIOS - São os animais que se alimentam
dos herbívoros, a primeira categoria de animais carnívoros.
CONSUMIDORES TERCIÁRIOS - São os grandes predadores como os
tubarões, orcas e leões, os quais capturam grandes presas, sendo
considerados os predadores de topo de cadeia. Tem como característica,
normalmente, o grande tamanho e menores densidades populacionais.
DECOMPOSITORES - São os organismos responsáveis pela
decomposição da matéria orgânica, transformando-a em nutrientes minerais
que se tornam novamente disponíveis no ambiente. Os decompositores,
representados pelas bactérias e fungos, são os últimos elo da cadeia trófica,
fechando o ciclo.
ONÍVORO - Alimentam-se de tudo
•O conjunto de indivíduos que se alimenta dos mesmos
nutrientes estão colocados em um mesmo nível trófico.
•Os produtores estão colocados no 1º nível trófico
•Os consumidores primários, aqueles que se alimentam dos
produtores, são herbívoros e constituem o 2º nível trófico
•Os consumidores secundários compõem o 3º nível trófico,
sendo os carnívoros Após esses existe o 4º nível trófico e
assim por diante
•Os decompositores ocupam sempre o último nível da
transferência de energia formando um grupo especial que
degrada tanto produtores quanto consumidores
Níveis Tróficos
Cadeia alimentar
Exemplo de cadeia alimentar em um
ecossistema aquático
PRODUTORES
Composto pelas plantas da margem e do fundo da lagoa e por algas
microscópicas, as quais são as maiores responsáveis pela
oxigenação do ambiente aquático e terrestre; à esta categoria
formada pelas algas microscópicas chamamos fitoplâncton.
CONSUMIDORES 1º
Composto por pequenos animais flutuantes (chamados
Zooplâncton), caramujos e peixes herbívoros, todos se
alimentando diretamente dos vegetais.
CONSUMIDORES 2º
São aqueles que alimentam-se do nível anterior, ou seja, peixes
carnívoros, insetos, cágados, etc.,
CONSUMIDORES 3º
As aves aquáticas são as principais componentes desta categoria,
alimentando-se dos consumidores secundários.
DECOMPOSITORES
Esta categoria não pertence nem a fauna e nem a flora,
alimentando-se no entanto dos restos destes, e sendo composta
por fungos e bactérias.
Entretanto, a cadeia alimentar não mostra o quão
complexas são as relações tróficas em um ecossistema.
Para isso utiliza-se o conceito de teia alimentar, o qual
representa uma verdadeira situação encontrada em um
ecossistema, ou seja, várias cadeias interligadas
ocorrendo simultaneamente
2. Teias alimentares
Entretanto, a cadeia alimentar não mostra o quão
complexas são as relações tróficas em um ecossistema.
Para isso utiliza-se o conceito de teia alimentar, o qual
representa uma verdadeira situação encontrada em um
ecossistema, ou seja, várias cadeias interligadas
ocorrendo simultaneamente
Rede alimentar do Arenque do mar do Norte
•Espécie-chave
Rede alimentar hipotética
Qual a importância de se conhecer as cadeias
alimentares?
Uso natural de animais ou plantas que possam
controlar ou equilibrar o ecossistema de forma a evitar o
uso de pesticidas e quaisquer outras formas artificiais
que possam desequilibrar em longo prazo o ambiente, ou
ainda, provocar sérias reações nos animais e até os seres
humanos que ali habitam.
Exemplos de controle biológico:
- peixes no controle da esquistossomose;
- peixes no controle de larvas de Aedes aegypti ;
- bactérias e vírus no controle de pragas e insetos.
3. Pirâmides ecológicas
a- Pirâmides de números: considera-se apenas a densidade
(n° indivíduo/área ou volume) em diferentes níveis tróficos.
b- Pirâmides de biomassa: considera-se a biomassa (unidade
de massa/área ou volume)
c- Pirâmides energéticas: indica a magnitude energética das
interações tróficas dentro de uma comunidade.
HISTORICO-DA-ECOLOGIA.ppt

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a HISTORICO-DA-ECOLOGIA.ppt

Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
unesp
 
Capítulo 01
Capítulo 01Capítulo 01
Capítulo 01
Tarcisio Teixeira
 
1 parte ecologia
1 parte ecologia1 parte ecologia
1 parte ecologia
Ronaldo Republica
 
Ecologia socorro
Ecologia socorroEcologia socorro
Ecologia socorro
Flávia Fernandes
 
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
Nataliana Cabral
 
Ecologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slides
Ecologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slidesEcologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slides
Ecologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slides
claudionc
 
Ecologia - Fundamentos
Ecologia - FundamentosEcologia - Fundamentos
Ecologia - Fundamentos
claudionc
 
3 4 intro ecologia
3 4 intro ecologia3 4 intro ecologia
3 4 intro ecologia
professorfabiovalente
 
Ecologia e Meio Ambiente_NOÇÕES GERAIS DE ECOLOGIA_aula 1.pdf
Ecologia e Meio Ambiente_NOÇÕES GERAIS DE ECOLOGIA_aula 1.pdfEcologia e Meio Ambiente_NOÇÕES GERAIS DE ECOLOGIA_aula 1.pdf
Ecologia e Meio Ambiente_NOÇÕES GERAIS DE ECOLOGIA_aula 1.pdf
GeanGomes8
 
Ecologiaaaaaa
EcologiaaaaaaEcologiaaaaaa
Ecologiaaaaaa
Lucilo Campos
 
6 ano a b -c
6 ano a   b -c6 ano a   b -c
6 ano a b -c
profluiza
 
EEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.ppt
EEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.pptEEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.ppt
EEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.ppt
Lucas Lopes
 
Nt6
Nt6Nt6
Nt6
dcl3007
 
Nt4
Nt4Nt4
Nt4
dcl3007
 
01 as ciencias_ecologicas.pdf resenha 2
01 as ciencias_ecologicas.pdf resenha 201 as ciencias_ecologicas.pdf resenha 2
01 as ciencias_ecologicas.pdf resenha 2
Cidah Silva
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
FRANCISCO COSTA
 
A infinita variedade da vida
A infinita variedade da vidaA infinita variedade da vida
A infinita variedade da vida
Romualdo Caetano Barros
 
Ecologia - introducao.pptx
Ecologia - introducao.pptxEcologia - introducao.pptx
Ecologia - introducao.pptx
Natanael Ferreira
 
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.pptIntroducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
Bruno Oliveira
 
aula de ecológia.pptx
aula de ecológia.pptxaula de ecológia.pptx
aula de ecológia.pptx
RaianyAnielly1
 

Semelhante a HISTORICO-DA-ECOLOGIA.ppt (20)

Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
Capítulo 01
Capítulo 01Capítulo 01
Capítulo 01
 
1 parte ecologia
1 parte ecologia1 parte ecologia
1 parte ecologia
 
Ecologia socorro
Ecologia socorroEcologia socorro
Ecologia socorro
 
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
 
Ecologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slides
Ecologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slidesEcologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slides
Ecologia. Fundamentos. aulas para ensino médio em slides
 
Ecologia - Fundamentos
Ecologia - FundamentosEcologia - Fundamentos
Ecologia - Fundamentos
 
3 4 intro ecologia
3 4 intro ecologia3 4 intro ecologia
3 4 intro ecologia
 
Ecologia e Meio Ambiente_NOÇÕES GERAIS DE ECOLOGIA_aula 1.pdf
Ecologia e Meio Ambiente_NOÇÕES GERAIS DE ECOLOGIA_aula 1.pdfEcologia e Meio Ambiente_NOÇÕES GERAIS DE ECOLOGIA_aula 1.pdf
Ecologia e Meio Ambiente_NOÇÕES GERAIS DE ECOLOGIA_aula 1.pdf
 
Ecologiaaaaaa
EcologiaaaaaaEcologiaaaaaa
Ecologiaaaaaa
 
6 ano a b -c
6 ano a   b -c6 ano a   b -c
6 ano a b -c
 
EEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.ppt
EEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.pptEEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.ppt
EEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.ppt
 
Nt6
Nt6Nt6
Nt6
 
Nt4
Nt4Nt4
Nt4
 
01 as ciencias_ecologicas.pdf resenha 2
01 as ciencias_ecologicas.pdf resenha 201 as ciencias_ecologicas.pdf resenha 2
01 as ciencias_ecologicas.pdf resenha 2
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
A infinita variedade da vida
A infinita variedade da vidaA infinita variedade da vida
A infinita variedade da vida
 
Ecologia - introducao.pptx
Ecologia - introducao.pptxEcologia - introducao.pptx
Ecologia - introducao.pptx
 
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.pptIntroducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
 
aula de ecológia.pptx
aula de ecológia.pptxaula de ecológia.pptx
aula de ecológia.pptx
 

Último

Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
dengue atividade e caça-palavras 6 ano exercicios
dengue atividade e caça-palavras 6 ano exerciciosdengue atividade e caça-palavras 6 ano exercicios
dengue atividade e caça-palavras 6 ano exercicios
wfsouza2
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Geagra UFG
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 

Último (8)

Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
dengue atividade e caça-palavras 6 ano exercicios
dengue atividade e caça-palavras 6 ano exerciciosdengue atividade e caça-palavras 6 ano exercicios
dengue atividade e caça-palavras 6 ano exercicios
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 

HISTORICO-DA-ECOLOGIA.ppt

  • 1. INTRODUÇÃO À ECOLOGIA O que é ecologia? Deriva do grego “oikos” com sentido de casa e “logos” que significa estudo. O que fazem os ecólogos? •Supervisionam parques florestais •Avaliam impactos por obras/danos ao ambiente •Trabalham em empresas como extração de petróleo •Ecoturismo •Professor/pesquisador
  • 2. Relações com outras áreas Saúde: deriva do grego “manejo da casa” Permite conhecer os insetos e outros animais associados ao ambiente Aspectos físicos que pode comprometer os aspectos visuais/poluição/fogo. Relação entre a saúde das populações e equilíbrio ambiental. Economia: Zoologia: Paisagístico:
  • 3. CONCEITOS •INJÚRIA E ESTRAGO : •LESÃO: •DANO: •PREJUÍZO: É considerado como injúria qualquer ação deletéria (ou simplesmente estrago) decorrente da ação de um organismo (principalmente alimentação) (Zanetti, 2004, Picanço et al., 1999) ou um traumatismo, em geral produzido por força externa (Ferreira,1975). É o termo utilizado para indicar principalmente a ação de um patógeno É qualquer perda decorrente de uma injúria ou lesão, o dano pode ser, também, ecológico, social, político entre outros (Zanetti, 2004). É um termo utilizado quando há uma queda na produção ou simplesmente perda de dinheiro.
  • 4. Homem primitivo x conhecimentos ecológicos. Era necessário? Na sociedade primitiva, para sobreviver, todos os indivíduos precisavam conhecer o seu ambiente, ou seja, as forças da natureza e os vegetais e os animais a sua volta. - Hipócrates, Aristóteles e outros filósofos gregos: fazem referência a temas ecológicos em suas obras. - Idade Média: visão aristotélica da natureza, isto é, a natureza sempre esteve em “equilíbrio perfeito”. HISTÓRICO
  • 5. *Gaunt: pioneiro no estudo da demografia (mortalidade, razão sexual, taxa de nascimentos, etc). *Leeuwenhoeck (1632): importância das cadeias alimentares e a regulação das populações. *Richard Bradley: produtividade biológica. *Buffon (1756): princípio básico da regulação ecológica das populações. *Malthus (1798): populações podem crescer em ritmo exponencial enquanto os recursos necessários a essas populações crescem em ritmo aritmético. Alguns cientistas importantes:
  • 6. a) muitas espécies foram extintas no decorrer dos tempos; b) existe competição causada por pressão populacional; c) a seleção natural e a luta pela existência são mecanismos evidenciáveis na natureza. *Darwin (1859) e Malthus mudaram a visão aristotélica e a base para essa mudança de pensamento baseou-se nos seguintes fatos:
  • 7. Enquanto isso... Ernest Haeckel, em 1866 na Alemanha, propôs pela primeira vez o termo ecologia – “Estudo da casa” Ecologia é o estudo de todas as inter-relações complexas denominadas por Darwin como as condições da luta pela existência.” Ou, ainda, a ecologia era “a ciência capaz de compreender a relação do organismo com o seu ambiente.”
  • 8. Elton (1927) – história natural científica. Krebs (1972) – estudo científico das interações que determinam a distribuição e a abundância dos organismos (ressalta a importância das interações bióticas, como predação e competição, na estruturação das comunidades). Ricklefs (1973) – “o estudo do ambiente natural, enfocando as inter-relações entre os organismos e seu meio circundante.” Algumas definições modernas de ecologia:
  • 9. Möbius (1877) – noção de biocenose ao estudar uma comunidade de organismos existentes em um banco de ostras. Forbes (1887), Forel (1892) e Thienemann (1926) – pioneiros no estudo da ecologia aquática (limnologia). Warming (1895) – estudos fitossociológicos no cerrado de MG. Cowles (1899) – descreveu sucessão ecológica nas dunas do lago Michigan. Clements (1916) – conceito de evolução de comunidade. Tansley (1935) – propôs o ecossistema como unidade básica de estudo da ecologia. 1872 – Yellowstone: primeiro Parque Nacional do mundo Avanços nos séculos XIX e XX Ecologia animal x ecologia vegetal = Ecologia geral
  • 10. Década de 60 – surgimento das ONGs (em 1961). Década de 70 – surgem os agentes políticos e estatais. 1972 – 1º Conferência sobre Meio Ambiente Humano (Suécia) 1974– 1º Conf. sobre População e Desenvolvimento (Romênia) Década de 80 – surge o ecodesenvolvimento e desenvolvimento sustentável. 1984 – 2º Conf. sobre População e Desenvolvimento (México) – estabelece que a responsabilidade do controle da natalidade recai sobre os governos de cada país. 1987 – surge o conceito de desenvolvimento sustentável com a publicação do documento Nosso Futuro Comum (ou Relatório Brundtland), elaborado pela Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Recentemente, quais foram os avanços da ecologia?
  • 11. O que se entende por Desenvolvimento sustentável? “Atender às necessidades e aspirações do presente, sem comprometer a possibilidade de atende-las no futuro.”
  • 12. Apresenta: milhões de espécies diferentes, incontáveis, bilhões de indivíduos geneticamente distintos, todos vivos e interagindo em um mundo variado e sempre em transformação. A ecologia, sendo uma ciência... os ecólogos procuram explicar e compreender. Explicação imediata (aqui e agora) – a distribuição e abundância atuais de uma determinada espécie de ave pode ser explicada pelo ambiente físico que ela tolera, o alimento que consome e os parasitas e predadores que a atacam. Explicação final – da distribuição e abundância atuais dessa aves baseia-se nas experiências ecológicas de seus ancestrais. Antes de compreender algo... é preciso descrever o que desejamos entender. A ecologia não é uma ciência fácil. Porquê?
  • 13. Os ecólogos precisam descrever antes de explicar Os ecólogos tentam prever o que acontecerá com uma população de organismos sob um conjunto particular de circunstâncias e, baseados nessas previsões, procuram controla-los ou explorá-los.
  • 14. •Auto-ecologia: é o ramo da ecologia que estuda a influência dos fatores externos sobre o animal e/ou vegetal, ou sobre uma espécie determinada. É, por assim dizer, o estudo individual de um organismo, ou de uma espécie, em que é posta em destaque a sua biologia e o comportamento que apresenta na adaptação a um meio determinado. •Sinecologia: estuda os grupos de organismos associados entre si, quer dizer, o estudo das comunidades naturais, incluindo animais e vegetais. A Ecologia, foi dividida por Schroter, em 1896 em dois grandes ramos:
  • 15. PARA PESQUISAR •IMPORTÂNCIA DA UTILIZAÇÃO DOS PRINCÍPIOS ECOLÓGICOS PARAA ENGENHARIA FLORESTAL •NÚNERO DE ESCOLAS COM GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA •NÚMERO DE ESCOLAS COM PÓS-GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA
  • 16. O que é um Ecossistema? Antes de definirmos, exatamente o conceito de ecossistema, o qual é fundamental para a compreensão desta ciência, podemos encontrar na figura 1, um outro conceito importante que é o de níveis de organização, o qual pode ser entendido como um conjunto de entidades, sejam elas genes, células, ou mesmo espécies, agrupadas em uma ordem crescente de complexidade. Figura 1- Níveis de organização
  • 17. HIERARQUIA DOS NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO Níveis de organização
  • 18. DEFINIÇÕES BÁSICAS A - Espécie - dois ou mais organismos são considerados da mesma espécie, quando podem se reproduzir, originando descendentes férteis B - Populações - formadas por organismos da mesma espécie, isto é, um conjunto de organismos que podem se reproduzir produzindo descendentes férteis. C- Comunidades - Inclui todas as populações que ocupam uma determinada área. D- Ecossistema- formada pela comunidade e o ambiente não vivo.
  • 19. C- Comunidades - um conjunto de todas as populações, sejam elas de microorganismos, animais ou vegetais existentes em uma determinada área, constituem uma comunidade; também se pode utilizar o conceito de comunidade para designar grupos com uma maior afinidade separadamente, como por exemplo, comunidade vegetal, animal, etc. A comunidade é dividida em componentes vivos que chamamos bióticos; em contrapartida, o conjunto formado por regime de chuvas, temperatura, luz, umidade, minerais do solo enfim, toda a parte não viva, é chamada de componentes abióticos.
  • 20. D- Ecossistemas - em um determinado local, seja uma vegetação de cerrado, mata ciliar, caatinga, mata atlântica ou floresta amazônica, a todas as relações dos organismos entre si, e com seu meio ambiente, ou dito de outra forma, a todas as relações entre os fatores bióticos e abióticos em uma determinada área, chamamos ecossistema. Dentro do conceito de ecossistema, ainda cabe definirmos: E-Hábitat: Local onde uma ou mais espécie vive. Ex.: O hábitat do lobo guará é o cerrado. F-Nicho Ecológico: unidade mais íntima da distribuição de uma espécie (modo peculiar a cada grupo de organismo de obter sua energia, dentro do seu hábitat)
  • 21. •BIOSFERA OU ECOSFERA: A terra é composta por vários ecossistemas sejam eles aquáticos, terrestres ou até mesmo aéreos. A soma de todos estes ecossistemas chamamos de biosfera. Portanto, a biosfera seria a parte na qual ocorre vida no planeta e na qual a vida tem o poder de ação sobre o mesmo. A tendência atual é a de considerar a ecologia dividida em quatro subdivisões: Ecologia das Espécies Ecologia das Populações Ecologia das Comunidades Ecologia dos Ecossistemas
  • 22. •DENSIDADE POPULACIONAL: Número de indivíduos por unidade de área ou volume Definições básicas
  • 23. MEDIDAS DE DENSIDADE ABSOLUTA 1. Métodos de amostragem 1.1. Método dos quadrados 1.2.Coleta e recaptura (marca não desaparecer/taxa de mortalidade) 1.3.Densidade relativa (estudo do índice de abundância) - armadilha de captura - contagem de bolas fecais - freqüência de vocalização de pássaros - número de evidências ou pistas da presença de um organismo - questionários e censos sobre a população de vertebrados - percentual de iscas consumidas
  • 24. ATRIBUTOS DEMOGRÁFICOS DE UMA POPULAÇÃO •NATALIDADE: termo que descreve a produção de novos indivíduos por unidade de tempo •FERTILIDADE: número de nascimentos bem sucedidos/varia de acordo com a população •MORTALIDADE: pode ser estimada no campo pela técnica de marcação e recaptura, por tabela de vida. •IMIGRAÇÃO E EMIGRAÇÃO: quantidade de indivíduo que entram e saem de um ambiente.
  • 25. POPULAÇÕES (TÉCNICAS DEMOGRÁFICAS) •TABELA DE VIDA •CURVAS DE SOBREVIVÊNCIA - TIPO I - TIPO II - TIPO III •FLUTUAÇÕES POPULACIONAIS: termo utilizado para designar o ciclo vital de um organismo/variações no ciclo
  • 26. SÍNTESE DE ALGUNS FATORES QUE REGULAM AS POPULAÇÕES -Predação -Competição -Parasitismo -Alimentação -Espaço -Clima -Enfermidade -Aumento nos genótipos inviáveis -Problemas genéticos -Mudança na biologia reprodutiva
  • 27. ECOLOGIA TRÓFICA Este termo ecológico representa o vínculo existente entre um grupo de organismos presentes em um ecossistema, os quais são regulados pela relação predador-presa. É através da cadeia alimentar, ou cadeia trófica, que é possível a transferência de energia entre os seres vivos. 1. Cadeias alimentares 1.1. Pastoreio: rotas tróficas envolvem o consumo de matéria vegetal viva pelos herbívoros ou pastadores 1.2. Detritos: pastadores são incapazes de consumir a biomassa vegetal/consumo de restos vegetais mortos. Cadeia Alimentar e teia alimentar
  • 28. PRODUTORES - São os organismos capazes de fazer fotossíntese ou quimiossíntese. Produzem e acumulam energia através de processos bioquímicos utilizando como matéria prima a água, gás carbônico e luz. Em ambientes afóticos (sem luz), também existem produtores, mas neste caso a fonte utilizada para a síntese de matéria orgânica não é luz mas a energia liberada nas reações químicas de oxidação efetuadas nas células (como por exemplo em reações de oxidação de compostos de enxofre). Este processo denominado quimiossíntese é realizado por muitas bactérias terrestres e aquáticas. A cadeia ou rede alimentar é constituída pelos seguintes níveis:
  • 29. CONSUMIDORES PRIMÁRIOS - São os animais que se alimentam dos produtores, ou seja, são as espécies herbívoras. Os consumidores primários podem ser desde microscópicas larvas planctônicas, ou invertebrados bentônicos (de fundo) pastadores, até grandes mamíferos terrestres como a girafa e o elefante. CONSUMIDORES SECUNDÁRIOS - São os animais que se alimentam dos herbívoros, a primeira categoria de animais carnívoros. CONSUMIDORES TERCIÁRIOS - São os grandes predadores como os tubarões, orcas e leões, os quais capturam grandes presas, sendo considerados os predadores de topo de cadeia. Tem como característica, normalmente, o grande tamanho e menores densidades populacionais. DECOMPOSITORES - São os organismos responsáveis pela decomposição da matéria orgânica, transformando-a em nutrientes minerais que se tornam novamente disponíveis no ambiente. Os decompositores, representados pelas bactérias e fungos, são os últimos elo da cadeia trófica, fechando o ciclo. ONÍVORO - Alimentam-se de tudo
  • 30. •O conjunto de indivíduos que se alimenta dos mesmos nutrientes estão colocados em um mesmo nível trófico. •Os produtores estão colocados no 1º nível trófico •Os consumidores primários, aqueles que se alimentam dos produtores, são herbívoros e constituem o 2º nível trófico •Os consumidores secundários compõem o 3º nível trófico, sendo os carnívoros Após esses existe o 4º nível trófico e assim por diante •Os decompositores ocupam sempre o último nível da transferência de energia formando um grupo especial que degrada tanto produtores quanto consumidores Níveis Tróficos
  • 32. Exemplo de cadeia alimentar em um ecossistema aquático PRODUTORES Composto pelas plantas da margem e do fundo da lagoa e por algas microscópicas, as quais são as maiores responsáveis pela oxigenação do ambiente aquático e terrestre; à esta categoria formada pelas algas microscópicas chamamos fitoplâncton. CONSUMIDORES 1º Composto por pequenos animais flutuantes (chamados Zooplâncton), caramujos e peixes herbívoros, todos se alimentando diretamente dos vegetais.
  • 33. CONSUMIDORES 2º São aqueles que alimentam-se do nível anterior, ou seja, peixes carnívoros, insetos, cágados, etc., CONSUMIDORES 3º As aves aquáticas são as principais componentes desta categoria, alimentando-se dos consumidores secundários. DECOMPOSITORES Esta categoria não pertence nem a fauna e nem a flora, alimentando-se no entanto dos restos destes, e sendo composta por fungos e bactérias.
  • 34. Entretanto, a cadeia alimentar não mostra o quão complexas são as relações tróficas em um ecossistema. Para isso utiliza-se o conceito de teia alimentar, o qual representa uma verdadeira situação encontrada em um ecossistema, ou seja, várias cadeias interligadas ocorrendo simultaneamente 2. Teias alimentares
  • 35. Entretanto, a cadeia alimentar não mostra o quão complexas são as relações tróficas em um ecossistema. Para isso utiliza-se o conceito de teia alimentar, o qual representa uma verdadeira situação encontrada em um ecossistema, ou seja, várias cadeias interligadas ocorrendo simultaneamente
  • 36. Rede alimentar do Arenque do mar do Norte •Espécie-chave
  • 38. Qual a importância de se conhecer as cadeias alimentares? Uso natural de animais ou plantas que possam controlar ou equilibrar o ecossistema de forma a evitar o uso de pesticidas e quaisquer outras formas artificiais que possam desequilibrar em longo prazo o ambiente, ou ainda, provocar sérias reações nos animais e até os seres humanos que ali habitam. Exemplos de controle biológico: - peixes no controle da esquistossomose; - peixes no controle de larvas de Aedes aegypti ; - bactérias e vírus no controle de pragas e insetos.
  • 39. 3. Pirâmides ecológicas a- Pirâmides de números: considera-se apenas a densidade (n° indivíduo/área ou volume) em diferentes níveis tróficos. b- Pirâmides de biomassa: considera-se a biomassa (unidade de massa/área ou volume) c- Pirâmides energéticas: indica a magnitude energética das interações tróficas dentro de uma comunidade.