SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
Baixar para ler offline
1
2. Soluções
1. Forças intermoleculares (Pontes de hidrogénio, Dipolo-dipolo, Forças de London, Ião-dipolo)
2. Ligações intramoleculares vs. Forças intermoleculares
3. A importância das forças intermoleculares
5. Soluções
6. Concentração de uma solução
7. Unidades de concentração (% em massa, fração molar, molaridade, molalidade, ppm, problemas resolvidos)
8. Diluição
9. Fator de diluição
10. Conversão entre unidades de concentração
2
Ligações intramoleculares vs. Forças intermoleculares
 Covalente Polar e Apolar
 Iónica
 Metálica
Intramoleculares
 Pontes de Hidrogénio
 Ião-Dipolo
 Dipolo-Dipolo
 Forças de London
Intermoleculares
Ligações intramoleculares – mantêm os átomos de uma molécula unidos
Forças intermoleculares – forças atrativas entre moléculas vizinhas
 A quebra de Ligações Intramoleculares requer
mais energia
 Fenómeno Químico (transformação de matéria)
 A quebra de Forças Intermoleculares requer menos
energia
 Fenómeno Físico (não há transformação de matéria,
apenas alteração no estado físico)
Aumento
da
intensidade
3
Forças intermoleculares
No caso particular da água, as forças intermoleculares são relativamente fortes. Porquê?
m1
m2
Em cada ligação O-H há uma deslocamento da
nuvem eletrónica em direção ao átomo de O
(elemento mais eletronegativo) – momentos
dipolares, m1 e m2
mR ≠ 0
+d
- d
Verifica-se assim, maior densidade de cargas
negativas junto ao átomo de O e um défice de
cargas negativas junto aos átomos de H
A geometria angular da molécula leva a que a
soma vetorial dos m1 e m2 seja um mR ≠ 0 (regra
do paralelogramo)
- d
O átomo de H de uma molécula é atraída pelo polo negativo da molécula vizinha
Estabelece-se uma ponte entre as 2 moléculas – Ponte de Hidrogénio
4
Dipolo-Dipolo
Pontes de Hidrogénio
• São normalmente representadas por linhas a tracejado em oposição às
linhas contínuas que representam as ligações covalentes
• Ocorrem sempre entre moléculas polares que contenham átomos de H
diretamente ligados a um átomo muito eletronegativo (um dos
elementos “NOF”) – e.g., H2O, HF...
• Forças que atuam entre moléculas polares
• Uma molécula polar comporta-se como um dipolo elétrico, i.e, 2 cargas
de sinal contrário a uma distância curta uma da outra
• A ligação entre moléculas vizinhas estabelece-se por atração
eletrostática entre as cargas opostas de 2 dipolos
• As pontes de hidrogénio são um caso particular de interações dipolo-
dipolo
- d
+d
5
Forças de London
Ião-Dipolo
• As forças ião-dipolo são as principais responsáveis
pela elevada solubilidade de alguns compostos
iónicos na água
c. O dipolo instantâneo em A vai induzir dipolos em B e em C 
Dipolo induzido
Representação esquemática da ligação
dipolo instantâneo - dipolo induzido
Entre zonas de sinal contrário surgem interações responsáveis
pela ligação intermolecular (------)
a. Forças que atuam entre moléculas apolares – cargas elétricas
uniformemente distribuídas – (moléculas A, B e C)
b. Polarização instantânea da nuvem eletrónica de A – depende
da polarizabilidade da nuvem eletrónica  Dipolo instantâneo
6
7
Indique quais destas espécies podem formar ligações de hidrogénio com a água: CH3OCH3, CH4, F-, HCOOH e Na+.
Problemas Resolvidos
Resolução:
Não há elementos eletronegativos (F, O ou N) em CH4 ou Na+. Portanto, só CH3OCH3, F- e HCOOH podem formar
ligações de hidrogénio com a água.
Quais das seguintes espécies são capazes de formar ligações de hidrogénio entre si: a) H2S, b) C6H6, c) CH3OH.
Resolução:
Apenas no metanol é que existe um átomo de H diretamente ligado a um dos átomos de elevada eletronegatividade
(F, O ou N). Assim, apenas este composto poderá estabelecer entre as suas moléculas, ligações pontes de hidrogénio.
8
A importância das forças intermoleculares
As forças intermoleculares são responsáveis por um conjunto importante de propriedades dos compostos:
 Pontos de fusão e ebulição (responsáveis pelo estado físico dos compostos à temperatura ambiente)
 Densidade
 Viscosidade dos líquidos
 Tensão superficial dos líquidos
 Miscibilidade entre compostos
– Mistura homogénea de 2 ou mais substâncias
substâncias dissolvidas substância na qual estão dissolvidos os solutos
9
Soluções
Solução – mistura homogénea de 2 ou mais substâncias. Nas soluções, as substâncias dissolvidas
designam-se por solutos e a substância na qual estão dissolvidos os solutos designa-se por solvente
Solvente – Componente que apresenta o mesmo estado físico da solução; se houver mais do que um
componente nesse estado físico, o solvente é o que existe em maior quantidade ou se as quantidades
forem iguais, é o componente mais volátil
Tipos de solução - Uma dada solução é gasosa (mistura de gases), líquida ou sólida (liga)
conforme o estado físico da solução é respetivamente gasosa, líquida ou sólida. E.g.,
 Gasosa: Ar
 Líquida: água gaseificada (CO2 dissolvido em água); água do mar; álcool etílico 95 % (etanol e água)
 Sólida: ligas metálicas como o bronze (Cu/Zn) solda (Sn/Pb) ou aço (Fe/C)
A miscibilidade entre compostos depende da capacidade dos compostos estabelecerem entre si ligações
intermoleculares. 2 compostos serão miscíveis se apresentarem polaridades semelhantes: “Igual dissolve igual”
10
Para caracterizar completamente uma solução é necessário indicar quais são os componentes – composição
qualitativa e quantidades relativas, i.e., concentração de cada componente – composição quantitativa
Concentração de uma solução
Concentração – Quantidade de soluto presente numa dada quantidade de solução
Solução saturada – Solução que contém a quantidade máxima de um soluto num dado solvente, a uma
dada temperatura
Solução sobressaturada – Soluções que contêm maior quantidade de soluto do que a existente numa
solução saturada; as soluções sobressaturadas não são muito estáveis
Solubilidade – Quantidade máxima de um soluto que se dissolve numa determinada quantidade de solvente
a uma dada temperatura. A solubilidade de um soluto depende, entre outros, do solvente, da temperatura e
da pressão, em particular quando o soluto é um gás
11
Unidade Definição Expressão matemática
Molaridade Moles de soluto por litro de solução
M ou mol.l-1
Molalidade Moles de soluto por quilograma de solvente
m ou mol.kg-1
Fração molar Moles de soluto por moles totais em solução
Percentagem
em massa
g de soluto por 100 g de solução
ppm 1 mg de soluto por kg de solução
(em soluções aquosas diluídas = mg.l-1 ou mg.ml-1)
C=
nsoluto
Vsolução (l)
soluto
=
nsoluto
nsoluto + n
solvente
% (m/m) =
msoluto
solução
m
x 100
m =
nsoluto
msolvente
(kg)
Unidades de concentração
Concentração  propriedade intensiva, i.e., independente da quantidade de matéria.
Pode ser expressa em diferentes unidades:
ppm =
msoluto
msolução
× 106
12
Percentagem em massa
Percentagem em massa ou percentagem em peso - % (m/m), % (p/p), % (w/w)
É definida como: % (m/m) =
msoluto
solução
m
x 100 Não tem unidades (adimensional) porque é uma
razão entre 2 grandezas da mesma espécie
Dissolveram-se 0,892 g duma amostra de cloreto de potássio (KCl) em 54,6 g de água. Qual a % em massa de KCl?
Resolução:
% (m/m) =
0,892
0,892+54,6
× 100 = 1,61 %
Fração molar
soluto
=
nsoluto
nsoluto + n
solvente
Não tem unidades (adimensional) porque é
uma razão entre 2 grandezas da mesma espécie
Exemplo % (m/m)
Msolução = msolvente +
msoluto
13
Quantas gramas de sulfato de sódio (Na2SO4) são necessárias para preparar 250 ml de uma solução de concentração 0,683 M?
M (Na2SO4)=142,10 g.mol-1
Resolução:
n (Na2SO4) = C × V = 0,683 mol.l−1× 0,250 l = 0,171 mol
m (Na2SO4) = n × M = 0,171 mol × 142,10 g.mol−1 = 24,3 g
Molaridade (M) Número de moles de soluto num litro de solução C=
nsoluto
Vsolução (l)
Molalidade (m) Número de moles de soluto num kg de solvente m =
nsoluto
msolvente
(kg)
Calcule a molalidade duma solução de ácido sulfúrico (H2SO4) contendo 24,4 g do ácido em 198 g de água.
M (H2SO4)= 98,08 g.mol-1
Resolução:
nácido =
m
M =
24,4 g
98,08 g.mol−1 = 0,249 mol
molalidade =
0,249 mol
0,198 kg
= 1,26 m
Exemplo Molaridade
Exemplo Molalidade
14
Numa análise efetuada a uma amostra de 500 ml de água de um poço destinada para fins agrícolas, determinou-se um
teor em ião sulfato SO4
2-, de 6,0 ppm. Calcule a massa de iões SO4
2- que existia na amostra de água analisada
1ª proposta de resolução:
6,0 ppm = 6,0 mg.l-1
m (SO4
2−) = C × V = 6,0 mg.l−1 × 0,5 l = 3,0 mg = 3,0 × 10−3 g
2ª proposta de resolução
Exemplo ppm
ppm =
msoluto
msolução
× 106
6,0 =
msoluto
500 g
× 106
msoluto= 6,0 × 500 × 10−6= 3,0 × 10−3 g
Partes por milhão (ppm) mg de soluto por kg de solução (10-3 g/103 g = 1/106)
É definida como:
15
Diluição
Preparação de uma solução a partir de outra mais concentrada, em
geral por adição do solvente puro
Densidade de uma substância ou solução
Exprime a massa da substância ou solução por unidade de
volume. Assim, enquanto 1 ml de água pura pesa 1 g (4 °C), 1ml
da solução de HCl a 37 % pesa, à mesma temperatura, 1,19 g
Exemplo diluição
1. Exprima a concentração da solução concentrada em
molaridade.
2. Calcule o número de moles de HCl necessário para
preparar 100 ml da solução diluída (C~0,1 M).
3. Calcule o volume da solução concentrada de HCl
que contenha o nHCl calculado no ponto anterior.
CiVi = CfVf
CiVi
CfVf
Preparação de 100 ml de uma solução HCl 0,1 M a partir da solução HCl concentrada
16
Fator de diluição
Uma diluição envolve sempre duas soluções: a inicial (i), mais concentrada e a final (f), diluída
nfinal = ninicial
Cfinal . Vfinal = Cinicial . Vinicial
Cinicial
Cfinal
=
Vfinal
Vinicial
Partindo de uma determinada solução concentrada é possível obter várias soluções diluídas com
diferentes fatores de diluição, bastando para isso alterar o volume inicial da solução concentrada (Vi) e/ou
o volume final da solução diluída (Vf).
Ao quociente entre o volume de solução diluída (Vf) e o volume da solução concentrada utilizada (Vi) chama-se
fator de diluição, que indica o número de vezes que a concentração final é menor que a concentração inicial
Fator de diluição
17
Conversão entre unidades
A escolha das unidades de concentração depende do objetivo. Por exemplo:
 Fração molar – Apropriada para calcular pressões parciais de gases e pressões de vapor de soluções
 Molaridade – É mais fácil medir o volume de uma solução, usando balões de diluição, do que pesar o solvente
Calcule a molaridade de uma solução de glucose 0,396 m e de densidade 1,16 g.ml-1.
M(glucose) = 180,20 g.mol-1
Exemplo de conversão entre unidades
Resolução:
Cálculo da massa correspondente a 0,396 mol de glucose
m = n.M glucose = 0,396 mol × 180,20 g.mol−1= 71,4 g
Cálculo da massa da solução contendo as 0,396 mol de glucose
msolução = 1000 g solvente + 71,4 g soluto =1071,4 g
Cálculo do volume da solução correspondente à massa de 1071,4 g
Vsolução =
1071,4 g
1,16 g.ml−1
= 923,4 ml
Molaridade =
0,396 mol
0,9234 l
= 0,429 M
Não esquecer de reduzir o volume
a litros

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Forças intermoleculares.pptx soluções e teorica Agrária.pdf

3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
MayraFonseca11
 
Propriedades Coligativas: Tonoscopia e Ebulioscopia
Propriedades Coligativas: Tonoscopia e EbulioscopiaPropriedades Coligativas: Tonoscopia e Ebulioscopia
Propriedades Coligativas: Tonoscopia e Ebulioscopia
Lenilson Santana de Araujo
 
Apostila quimica2
Apostila quimica2Apostila quimica2
Apostila quimica2
resolvidos
 
Aplicacao da linguagem_quimica_tito e canto
Aplicacao da linguagem_quimica_tito e cantoAplicacao da linguagem_quimica_tito e canto
Aplicacao da linguagem_quimica_tito e canto
Editora Moderna
 
Biofisica - propriedades fisicas e quimicas da agua
Biofisica - propriedades fisicas e quimicas da aguaBiofisica - propriedades fisicas e quimicas da agua
Biofisica - propriedades fisicas e quimicas da agua
Marcelo Silva
 
Portifólio-Willian Vaniel
Portifólio-Willian VanielPortifólio-Willian Vaniel
Portifólio-Willian Vaniel
WillianVaniel
 

Semelhante a Forças intermoleculares.pptx soluções e teorica Agrária.pdf (20)

Apostila de quimica inorganica
Apostila  de  quimica  inorganicaApostila  de  quimica  inorganica
Apostila de quimica inorganica
 
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
 
Propriedades Coligativas: Tonoscopia e Ebulioscopia
Propriedades Coligativas: Tonoscopia e EbulioscopiaPropriedades Coligativas: Tonoscopia e Ebulioscopia
Propriedades Coligativas: Tonoscopia e Ebulioscopia
 
Apostila quimica2
Apostila quimica2Apostila quimica2
Apostila quimica2
 
Aplicacao da linguagem_quimica_tito e canto
Aplicacao da linguagem_quimica_tito e cantoAplicacao da linguagem_quimica_tito e canto
Aplicacao da linguagem_quimica_tito e canto
 
solucoes.pdf
solucoes.pdfsolucoes.pdf
solucoes.pdf
 
Biofisica - propriedades fisicas e quimicas da agua
Biofisica - propriedades fisicas e quimicas da aguaBiofisica - propriedades fisicas e quimicas da agua
Biofisica - propriedades fisicas e quimicas da agua
 
solucoes aula inicial 2.ppt
solucoes aula inicial 2.pptsolucoes aula inicial 2.ppt
solucoes aula inicial 2.ppt
 
solucoes aula inicial 2.ppt
solucoes aula inicial 2.pptsolucoes aula inicial 2.ppt
solucoes aula inicial 2.ppt
 
solucoes aula inicial 2.ppt
solucoes aula inicial 2.pptsolucoes aula inicial 2.ppt
solucoes aula inicial 2.ppt
 
Mais
MaisMais
Mais
 
SOLUÇÕES - TEORIA
SOLUÇÕES - TEORIASOLUÇÕES - TEORIA
SOLUÇÕES - TEORIA
 
TERMOQUÍMICA - TEORIA
TERMOQUÍMICA - TEORIATERMOQUÍMICA - TEORIA
TERMOQUÍMICA - TEORIA
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
 
www.centroapoio.com - Química - Soluções - Vídeo Aula
www.centroapoio.com - Química - Soluções - Vídeo Aulawww.centroapoio.com - Química - Soluções - Vídeo Aula
www.centroapoio.com - Química - Soluções - Vídeo Aula
 
Dispersoes
DispersoesDispersoes
Dispersoes
 
Soluções - resolução de exercícios
Soluções - resolução de exercíciosSoluções - resolução de exercícios
Soluções - resolução de exercícios
 
Soluções 1
Soluções 1Soluções 1
Soluções 1
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
 
Portifólio-Willian Vaniel
Portifólio-Willian VanielPortifólio-Willian Vaniel
Portifólio-Willian Vaniel
 

Último (6)

ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
 
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptxProposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
 
treinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticatreinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plástica
 
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
 
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADECONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
 

Forças intermoleculares.pptx soluções e teorica Agrária.pdf

  • 1. 1 2. Soluções 1. Forças intermoleculares (Pontes de hidrogénio, Dipolo-dipolo, Forças de London, Ião-dipolo) 2. Ligações intramoleculares vs. Forças intermoleculares 3. A importância das forças intermoleculares 5. Soluções 6. Concentração de uma solução 7. Unidades de concentração (% em massa, fração molar, molaridade, molalidade, ppm, problemas resolvidos) 8. Diluição 9. Fator de diluição 10. Conversão entre unidades de concentração
  • 2. 2 Ligações intramoleculares vs. Forças intermoleculares  Covalente Polar e Apolar  Iónica  Metálica Intramoleculares  Pontes de Hidrogénio  Ião-Dipolo  Dipolo-Dipolo  Forças de London Intermoleculares Ligações intramoleculares – mantêm os átomos de uma molécula unidos Forças intermoleculares – forças atrativas entre moléculas vizinhas  A quebra de Ligações Intramoleculares requer mais energia  Fenómeno Químico (transformação de matéria)  A quebra de Forças Intermoleculares requer menos energia  Fenómeno Físico (não há transformação de matéria, apenas alteração no estado físico) Aumento da intensidade
  • 3. 3 Forças intermoleculares No caso particular da água, as forças intermoleculares são relativamente fortes. Porquê? m1 m2 Em cada ligação O-H há uma deslocamento da nuvem eletrónica em direção ao átomo de O (elemento mais eletronegativo) – momentos dipolares, m1 e m2 mR ≠ 0 +d - d Verifica-se assim, maior densidade de cargas negativas junto ao átomo de O e um défice de cargas negativas junto aos átomos de H A geometria angular da molécula leva a que a soma vetorial dos m1 e m2 seja um mR ≠ 0 (regra do paralelogramo) - d O átomo de H de uma molécula é atraída pelo polo negativo da molécula vizinha Estabelece-se uma ponte entre as 2 moléculas – Ponte de Hidrogénio
  • 4. 4 Dipolo-Dipolo Pontes de Hidrogénio • São normalmente representadas por linhas a tracejado em oposição às linhas contínuas que representam as ligações covalentes • Ocorrem sempre entre moléculas polares que contenham átomos de H diretamente ligados a um átomo muito eletronegativo (um dos elementos “NOF”) – e.g., H2O, HF... • Forças que atuam entre moléculas polares • Uma molécula polar comporta-se como um dipolo elétrico, i.e, 2 cargas de sinal contrário a uma distância curta uma da outra • A ligação entre moléculas vizinhas estabelece-se por atração eletrostática entre as cargas opostas de 2 dipolos • As pontes de hidrogénio são um caso particular de interações dipolo- dipolo - d +d
  • 5. 5 Forças de London Ião-Dipolo • As forças ião-dipolo são as principais responsáveis pela elevada solubilidade de alguns compostos iónicos na água c. O dipolo instantâneo em A vai induzir dipolos em B e em C  Dipolo induzido Representação esquemática da ligação dipolo instantâneo - dipolo induzido Entre zonas de sinal contrário surgem interações responsáveis pela ligação intermolecular (------) a. Forças que atuam entre moléculas apolares – cargas elétricas uniformemente distribuídas – (moléculas A, B e C) b. Polarização instantânea da nuvem eletrónica de A – depende da polarizabilidade da nuvem eletrónica  Dipolo instantâneo
  • 6. 6
  • 7. 7 Indique quais destas espécies podem formar ligações de hidrogénio com a água: CH3OCH3, CH4, F-, HCOOH e Na+. Problemas Resolvidos Resolução: Não há elementos eletronegativos (F, O ou N) em CH4 ou Na+. Portanto, só CH3OCH3, F- e HCOOH podem formar ligações de hidrogénio com a água. Quais das seguintes espécies são capazes de formar ligações de hidrogénio entre si: a) H2S, b) C6H6, c) CH3OH. Resolução: Apenas no metanol é que existe um átomo de H diretamente ligado a um dos átomos de elevada eletronegatividade (F, O ou N). Assim, apenas este composto poderá estabelecer entre as suas moléculas, ligações pontes de hidrogénio.
  • 8. 8 A importância das forças intermoleculares As forças intermoleculares são responsáveis por um conjunto importante de propriedades dos compostos:  Pontos de fusão e ebulição (responsáveis pelo estado físico dos compostos à temperatura ambiente)  Densidade  Viscosidade dos líquidos  Tensão superficial dos líquidos  Miscibilidade entre compostos – Mistura homogénea de 2 ou mais substâncias substâncias dissolvidas substância na qual estão dissolvidos os solutos
  • 9. 9 Soluções Solução – mistura homogénea de 2 ou mais substâncias. Nas soluções, as substâncias dissolvidas designam-se por solutos e a substância na qual estão dissolvidos os solutos designa-se por solvente Solvente – Componente que apresenta o mesmo estado físico da solução; se houver mais do que um componente nesse estado físico, o solvente é o que existe em maior quantidade ou se as quantidades forem iguais, é o componente mais volátil Tipos de solução - Uma dada solução é gasosa (mistura de gases), líquida ou sólida (liga) conforme o estado físico da solução é respetivamente gasosa, líquida ou sólida. E.g.,  Gasosa: Ar  Líquida: água gaseificada (CO2 dissolvido em água); água do mar; álcool etílico 95 % (etanol e água)  Sólida: ligas metálicas como o bronze (Cu/Zn) solda (Sn/Pb) ou aço (Fe/C) A miscibilidade entre compostos depende da capacidade dos compostos estabelecerem entre si ligações intermoleculares. 2 compostos serão miscíveis se apresentarem polaridades semelhantes: “Igual dissolve igual”
  • 10. 10 Para caracterizar completamente uma solução é necessário indicar quais são os componentes – composição qualitativa e quantidades relativas, i.e., concentração de cada componente – composição quantitativa Concentração de uma solução Concentração – Quantidade de soluto presente numa dada quantidade de solução Solução saturada – Solução que contém a quantidade máxima de um soluto num dado solvente, a uma dada temperatura Solução sobressaturada – Soluções que contêm maior quantidade de soluto do que a existente numa solução saturada; as soluções sobressaturadas não são muito estáveis Solubilidade – Quantidade máxima de um soluto que se dissolve numa determinada quantidade de solvente a uma dada temperatura. A solubilidade de um soluto depende, entre outros, do solvente, da temperatura e da pressão, em particular quando o soluto é um gás
  • 11. 11 Unidade Definição Expressão matemática Molaridade Moles de soluto por litro de solução M ou mol.l-1 Molalidade Moles de soluto por quilograma de solvente m ou mol.kg-1 Fração molar Moles de soluto por moles totais em solução Percentagem em massa g de soluto por 100 g de solução ppm 1 mg de soluto por kg de solução (em soluções aquosas diluídas = mg.l-1 ou mg.ml-1) C= nsoluto Vsolução (l) soluto = nsoluto nsoluto + n solvente % (m/m) = msoluto solução m x 100 m = nsoluto msolvente (kg) Unidades de concentração Concentração  propriedade intensiva, i.e., independente da quantidade de matéria. Pode ser expressa em diferentes unidades: ppm = msoluto msolução × 106
  • 12. 12 Percentagem em massa Percentagem em massa ou percentagem em peso - % (m/m), % (p/p), % (w/w) É definida como: % (m/m) = msoluto solução m x 100 Não tem unidades (adimensional) porque é uma razão entre 2 grandezas da mesma espécie Dissolveram-se 0,892 g duma amostra de cloreto de potássio (KCl) em 54,6 g de água. Qual a % em massa de KCl? Resolução: % (m/m) = 0,892 0,892+54,6 × 100 = 1,61 % Fração molar soluto = nsoluto nsoluto + n solvente Não tem unidades (adimensional) porque é uma razão entre 2 grandezas da mesma espécie Exemplo % (m/m) Msolução = msolvente + msoluto
  • 13. 13 Quantas gramas de sulfato de sódio (Na2SO4) são necessárias para preparar 250 ml de uma solução de concentração 0,683 M? M (Na2SO4)=142,10 g.mol-1 Resolução: n (Na2SO4) = C × V = 0,683 mol.l−1× 0,250 l = 0,171 mol m (Na2SO4) = n × M = 0,171 mol × 142,10 g.mol−1 = 24,3 g Molaridade (M) Número de moles de soluto num litro de solução C= nsoluto Vsolução (l) Molalidade (m) Número de moles de soluto num kg de solvente m = nsoluto msolvente (kg) Calcule a molalidade duma solução de ácido sulfúrico (H2SO4) contendo 24,4 g do ácido em 198 g de água. M (H2SO4)= 98,08 g.mol-1 Resolução: nácido = m M = 24,4 g 98,08 g.mol−1 = 0,249 mol molalidade = 0,249 mol 0,198 kg = 1,26 m Exemplo Molaridade Exemplo Molalidade
  • 14. 14 Numa análise efetuada a uma amostra de 500 ml de água de um poço destinada para fins agrícolas, determinou-se um teor em ião sulfato SO4 2-, de 6,0 ppm. Calcule a massa de iões SO4 2- que existia na amostra de água analisada 1ª proposta de resolução: 6,0 ppm = 6,0 mg.l-1 m (SO4 2−) = C × V = 6,0 mg.l−1 × 0,5 l = 3,0 mg = 3,0 × 10−3 g 2ª proposta de resolução Exemplo ppm ppm = msoluto msolução × 106 6,0 = msoluto 500 g × 106 msoluto= 6,0 × 500 × 10−6= 3,0 × 10−3 g Partes por milhão (ppm) mg de soluto por kg de solução (10-3 g/103 g = 1/106) É definida como:
  • 15. 15 Diluição Preparação de uma solução a partir de outra mais concentrada, em geral por adição do solvente puro Densidade de uma substância ou solução Exprime a massa da substância ou solução por unidade de volume. Assim, enquanto 1 ml de água pura pesa 1 g (4 °C), 1ml da solução de HCl a 37 % pesa, à mesma temperatura, 1,19 g Exemplo diluição 1. Exprima a concentração da solução concentrada em molaridade. 2. Calcule o número de moles de HCl necessário para preparar 100 ml da solução diluída (C~0,1 M). 3. Calcule o volume da solução concentrada de HCl que contenha o nHCl calculado no ponto anterior. CiVi = CfVf CiVi CfVf Preparação de 100 ml de uma solução HCl 0,1 M a partir da solução HCl concentrada
  • 16. 16 Fator de diluição Uma diluição envolve sempre duas soluções: a inicial (i), mais concentrada e a final (f), diluída nfinal = ninicial Cfinal . Vfinal = Cinicial . Vinicial Cinicial Cfinal = Vfinal Vinicial Partindo de uma determinada solução concentrada é possível obter várias soluções diluídas com diferentes fatores de diluição, bastando para isso alterar o volume inicial da solução concentrada (Vi) e/ou o volume final da solução diluída (Vf). Ao quociente entre o volume de solução diluída (Vf) e o volume da solução concentrada utilizada (Vi) chama-se fator de diluição, que indica o número de vezes que a concentração final é menor que a concentração inicial Fator de diluição
  • 17. 17 Conversão entre unidades A escolha das unidades de concentração depende do objetivo. Por exemplo:  Fração molar – Apropriada para calcular pressões parciais de gases e pressões de vapor de soluções  Molaridade – É mais fácil medir o volume de uma solução, usando balões de diluição, do que pesar o solvente Calcule a molaridade de uma solução de glucose 0,396 m e de densidade 1,16 g.ml-1. M(glucose) = 180,20 g.mol-1 Exemplo de conversão entre unidades Resolução: Cálculo da massa correspondente a 0,396 mol de glucose m = n.M glucose = 0,396 mol × 180,20 g.mol−1= 71,4 g Cálculo da massa da solução contendo as 0,396 mol de glucose msolução = 1000 g solvente + 71,4 g soluto =1071,4 g Cálculo do volume da solução correspondente à massa de 1071,4 g Vsolução = 1071,4 g 1,16 g.ml−1 = 923,4 ml Molaridade = 0,396 mol 0,9234 l = 0,429 M Não esquecer de reduzir o volume a litros