SlideShare uma empresa Scribd logo
Demonstrações Financeiras
Fundo Cristão Para Crianças
31 de dezembro de 2010 e 2009
Fundo Cristão Para Crianças

Demonstrações Financeiras

31 de dezembro de 2010 e 2009



Índice



Relatório dos auditores independentes ................................................................................ 1

Demonstrações Financeiras Auditadas

Balanços patrimoniais ........................................................................................................... 3
Demonstração dos resultados dos exercícios ...................................................................... 5
Demonstração das mutações do patrimônio líquido ............................................................. 6
Demonstração dos fluxos de caixa ....................................................................................... 7
Notas explicativas às demonstrações financeiras ................................................................ 8
Edifício Asamar
                                                               Rua Paraíba, 1000
                                                               10º andar - Funcionários
                                                               30130-141 – Belo Horizonte, MG, Brasil
                                                               Tel: (5531) 3055-7750
                                                               Fax: (5531) 3055-7759
                                                               www.ey.com.br


Relatório dos Auditores Independentes Sobre as Demonstrações Financeiras


Aos Conselheiros e Administradores do
Fundo Cristão Para Crianças

Examinamos as demonstrações financeiras do Fundo Cristão Para Crianças, que
compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2010 e as respectivas
demonstrações do resultado do exercício, das mutações do patrimônio líquido e dos
fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais
práticas contábeis e demais notas explicativas.

Responsabilidade da administração sobre as demonstrações financeiras

A administração da entidade é responsável pela elaboração e adequada apresentação
dessas demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no
Brasil aplicáveis às pequenas e médias empresas (NBC T 19.41), e pelos controles
internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de
demonstrações financeiras livres de distorção relevante, independentemente se causada
por fraude ou erro.

Responsabilidade dos auditores independentes

Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações
financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras
e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas
pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter
segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção
relevante.

Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de
evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações
financeiras. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor,
incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras,
independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor
considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação
das demonstrações financeiras da Entidade para planejar os procedimentos de auditoria
que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião
sobre a eficácia desses controles internos da Entidade. Uma auditoria inclui, também, a
avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das
estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação
das demonstrações financeiras tomadas em conjunto.

Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para
fundamentar nossa opinião.




Ernst & Young Terco| 1
Opinião sobre as demonstrações financeiras

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras acima referidas apresentam
adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira do
Fundo Cristão Para Criança em 31 de dezembro de 2010, o desempenho de suas
operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com
as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis às pequenas e médias empresas
(NBC T 19.41).

Outros assuntos

Os valores correspondentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2009,
apresentados para fins de comparação, foram anteriormente auditados por outros
auditores independentes que emitiram relatório datado em 19/3/2010, que não conteve
modificação.


Belo Horizonte, 10 de março de 2011


ERNST & YOUNG TERCO
Auditores Independentes S.S.
CRC 2SP 015.199/O-6-F-MG




Luis Guilherme Villela Alves
Contador CRC - MG-067.509/O-8




Ernst & Young Terco| 2
Fundo Cristão Para Crianças
Balanço patrimonial
Em 31 de dezembro 2010 e de 2009
(Valores expressos em reais)


ATIVO                                               2010                2009

CIRCULANTE


Caixa e equivalentes de caixa (nota 4)                1.449.657           1.129.877
Adiantamento a terceiros                                 12.365              16.455
Adiantamento a funcionários                              54.720              54.809
Despesas do exercício seguinte                            5.956               8.389
Total do ativo circulante                             1.522.698           1.209.530

NÃO CIRCULANTE


Depósitos Judiciais                                           -                7.357



Investimentos (nota 5)                                  693.934             719.109
Imobilizado (nota 6)                                  4.882.862           5.032.272
Intangíveis (nota 7)                                    316.477              83.499
                                                      5.893.273           5.834.880

Total do ativo não circulante                         5.893.273           5.842.237


TOTAL DO ATIVO                                        7.415.971           7.051.767

As notas explicativas são partes integrantes das demonstrações financeiras.




Ernst & Young Terco| 3
PASSIVO                                             2010                2009

CIRCULANTE

Fornecedores                                             66.867                91.758
Impostos e contribuições a recolher                      61.705                53.680
Doações a repassar (nota 8)                             147.082                84.362
Subvenções a repassar (nota 9)                          991.441               147.152
Provisões de férias e encargos (nota 10)                217.525               209.665
Contas correntes credoras                                     -                44.487


Total do passivo circulante                           1.484.620               631.104


NÃO CIRCULANTE

Provisões p/ demandas judiciais                               -                 7.357


Total do passivo circulante                                                     7.357


PATRIMÔNIO LÍQUIDO (nota 11)

Patrimônio social contábil                            1.897.267           2.741.456
Reserva de reavaliação                                4.390.064           4.516.039
Déficit acumulado                                     (355.980)           (844.189)

Total do patrimônio líquido                           5.931.351           6.413.306


TOTAL DO PASSIVO                                      7.415.971           7.051.767

As notas explicativas são partes integrantes das demonstrações financeiras.




Ernst & Young Terco| 4
Fundo Cristão Para Crianças
Demonstração do Déficit/Superávit
Para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e 2009
(Valores expressos em reais)


                                                        2010                   2009

RECEITAS ORDINÁRIAS
Doações do exterior (nota 12)                           18.967.615             22.110.580
Doações locais (nota 12)                                 4.549.721               4.358.843


                                                        323.517.336            26.469.423


DESPESAS ORDINÁRIAS
Subsídios – Projetos conveniados (nota 13)             (17.580.414)           (21.095.327)
Verbas especiais a projetos (nota 13)                     (394.110)              (281.657)
Apoio à Programas Sociais (nota 13)                     (2.055.341)            (1.321.915)


                                                        (20.029.865)          (22.698.899)


SUPERÁVIT ORDINÁRIO                                       3.487.471             3.770.524


RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS
Despesas com pessoal e encargos                          (1.923.242)           (1.770.790)
Impostos e taxas                                            (21.404)              (16.939)
Serviços de terceiros                                      (648.344)             (527.258)
Despesas c/ INSS – isenção (nota18)                        (511.994)             (471.539)
Receita gratuidade isenção INSS (nota18)                     511.994               471.539
Despesas com depreciação e amortização (nota 16)           (255.268)             (241.664)
Despesas gerais (nota 14)                                (1.078.325)           (1.479.834)
Receitas financeiras                                          57.092                97.817
Despesas financeiras                                       (164.697)             (151.833)
Receitas de aluguéis                                          79.435                66.652
Alienação ou baixas de bens ativo imobilizado               (14.674)              (82.492)
Outras receitas (despesas)                                         -                 4.025

                                                         (3.969.426)           (4.102.316)



Déficit do exercício                                       (481.955)             (331.792)

As notas explicativas são partes integrantes das demonstrações financeiras.




Ernst & Young Terco| 5
Fundo Cristão Para Crianças
Demonstração das mutações do patrimônio líquido
Para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e de 2009
(Valores expressos em reais)


                                                                   Reserva de           Déficit
                         Descrição      Patrimônio Social          reavaliação        Acumulado         Total

Saldos em 31 de dezembro de 2008                  2.741.456               4.734.158        (730.516)      6.745.098

Realização da reserva de reavaliação                      -               (218.119)           218.119             --
Déficit do exercício                                      -                       -         (331.792)      (331.792)
Saldos em 31 de dezembro de 2009                  2.741.456               4.516.039         (844.189)     6.413.306

Incorporação do déficit acumulado                 (844.189)                                   844.189               -
Realização da reserva de reavaliação                      -               (125.975)           125.975         --1(((-
Déficit do exercício                                      -                       -         (481.955)     (481.955)

Saldos em 31 de dezembro de 2010                  1.897.267               4.390.064         (355.980)     5.931.351

As notas explicativas são partes integrantes das demonstrações financeiras.




Ernst & Young Terco| 6
Fundo Cristão Para Crianças
Demonstrações dos fluxos de caixa
Para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e de 2009
(Valores expressos em reais)


                                                             2010             2009

FLUXO DE CAIXA PROVENIENTE DAS OPERAÇÕES

Déficit do exercício                                           (481.955)      (331.792)

Depreciação e amortização                                        255.268       241.664
Baixa de ativos imobilizados                                           -        82.492
Baixa de investimentos                                            18.372              -
                                                               (208.315)        (7.636)

Redução (aumento) nos ativos:
Adiantamentos                                                     4.179         (5.667)
Despesas do exercício seguinte                                    2.433         (3.207)
Depósitos Judiciais                                               7.357           2.721
                                                                 13.969         (6.153)
Aumento (redução) nos passivos:
Fornecedores                                                    (24.891)         43.310
Impostos e contribuições a recolher                                8.025          3.137
Doações a repassar                                                62.720       (52.927)
Provisões de férias e encargos                                     7.860         11.869
Provisões p/ demandas judiciais                                  (7.357)          7.357
Subvenções                                                      844.289          72.500
Contas correntes credoras                                       (44.487)         40.455
                                                                846.159        125.701
RECURSOS LÍQUIDOS PROVENIENTES DAS
ATIVIDADES OPERACIONAIS                                         651.813        111.912

FLUXO DE CAIXA UTILIZADO NAS ATIVIDADES DE
INVESTIMENTOS

Adições do investimento                                          (6.225)              -
Adições do imobilizado                                          (64.487)      (198.988)
Adições do intangível                                          (261.321)              -

RECURSOS LÍQUIDOS UTILIZADOS NAS ATIVIDADES
DE INVESTIMENTOS                                               (332.033)      (198.988)

(Redução) aumento no caixa e equivalentes de caixa              319.780        (87.076)

Caixa e equivalente de caixa no início do exercício            1.129.877      1.216.953

Caixa e equivalente de caixa no final do exercício             1.449.657      1.129.877

(Redução) aumento no caixa e equivalentes de caixa              319.780        (87.076)

As notas explicativas são partes integrantes das demonstrações financeiras.



Ernst & Young Terco| 7
Fundo Cristão Para Crianças
Notas explicativas às demonstrações financeiras
Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009
(Valores expressos em reais)

1. Informações sobre a Entidade
       O Fundo Cristão Para Crianças ou “FCC” é uma sociedade civil de caráter filantrópico
       e sem fins lucrativos, reconhecida de utilidade pública em âmbitos Federal, Estadual
       e Municipal. Iniciou sua atividades no Brasil em 1966.

       Com atuação em quatro Estados (Minas Gerais, Ceará, Pernambuco e Rio Grande do
       Norte) apóia, técnica e financeiramente, entidades que desenvolvem programas de
       atendimento a crianças, adolescentes, famílias e comunidades carentes e/ou em
       situação de risco, urbanas e rurais, creches, escolas e centro de serviços de acordo
       com as políticas básicas de atendimento determinadas pelo Estatuto da Criança e do
       Adolescente e Convenção Internacional dos Direitos da Criança. A ênfase maior do
       trabalho do FCC está no processo de educação, com a participação da família e da
       comunidade.

       O FCC atua em 862 comunidades, sediadas em 54 municípios. Atende mais de 120
       mil crianças e adolescentes, totalizando 58 mil famílias em 104 entidades
       conveniadas, beneficiando um público de mais de 230 mil pessoas entre crianças,
       adolescentes e suas famílias. É mantido exclusivamente pelo sistema de
       apadrinhamento e de doações especiais de grupos de pessoas e empresas. Em 2010
       foram investidos mais de R$ 24 milhões em programas sociais e atualmente conta
       com 5.100 voluntários.

       O Fundo Cristão é uma entidade que não faz distinção de raça, cor, credo religioso ou
       político.

       Sua Administração é composta por uma Assembléia Deliberativa, por um Conselho
       Fiscal e por um Órgão de Direção Geral.

       A Entidade, em conformidade com o seu estatuto social, não distribui qualquer
       parcela de seu patrimônio ou de seu superávit como lucro ou participação em
       resultados, aplicando integralmente os seus recursos no País, na manutenção e no
       desenvolvimento de seus objetivos refletidos, devidamente, em seus demonstrativos
       contábeis.


2. Base de apresentação e preparação das demonstrações financeiras
       As demonstrações financeiras foram elaboradas e estão sendo apresentadas de
       acordo com as práticas contábeis aplicáveis às pequenas e médias empresas (NBC T
       19.41) adotadas no Brasil, requeridas para os exercícios findos em 31 de dezembro
       de 2010 e de 2009, as quais levam em consideração as disposições contidas na Lei
       das Sociedades por Ações - Lei nº 6.404/76 alteradas pelas Leis nº 11.638/07 e
       11.941/09, nos pronunciamentos, nas orientações e nas interpretações emitidas pelo
       Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) homologados pelos órgãos
       reguladores.



Ernst & Young Terco| 8
Fundo Cristão Para Crianças
Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação
Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009
(Valores expressos em reais)

2. Base de apresentação e preparação das demonstrações
   financeiras--Continuação
       A Entidade está sujeita ainda à observância da Norma Brasileira de contabilidade,
       NBC T 10.19 - Entidade Sem Finalidade de Lucros, do Conselho Federal de
       Contabilidade. As alterações introduzidas pela NBC T 19.41– Contabilidade para
       Pequenas e Médias Empresas não tiveram efeitos relevantes sobre as
       demonstrações financeiras referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2009,
       possibilitando a comparabilidade entre os exercícios.

       As presentes demonstrações financeiras foram aprovadas pela diretoria da Entidade
       em 10 de março de 2011.

       2.1 Práticas contábeis

               a. Ativos e passivos circulantes

                    Um ativo é reconhecido no balanço patrimonial quando for provável que seus
                    benefícios econômicos futuros serão gerados em favor da Entidade e seu
                    custo ou valor puder ser mensurado com segurança. Um passivo é
                    reconhecido no balanço patrimonial quando a Entidade possui uma obrigação
                    legal ou constituída como resultado de um evento passado, sendo provável
                    que um recurso econômico seja requerido para liquidá-lo. São acrescidos,
                    quando aplicável, dos correspondentes encargos e das variações monetárias
                    incorridas. As provisões são registradas tendo como base as melhores
                    estimativas do risco envolvido.

               b. Imobilizado

                    O imobilizado é demonstrado pelo custo de aquisição. A depreciação é
                    calculada pelo método linear, a taxas que levam em consideração o tempo de
                    vida útil remanescente dos bens, conforme mencionado na nota nº 6.

               c. Intangível

                    O ativo intangível é mensurado no reconhecimento inicial ao custo de
                    aquisição e, posteriormente, deduzidos da amortização acumulada e perdas
                    do valor recuperável, quando aplicável.

               d. Receitas e despesas

                    As receitas e despesas são reconhecidas, mensalmente, respeitando os
                    Princípios Fundamentais de Contabilidade, em especial os Princípios da
                    Oportunidade e da Competência. As receitas de doações, subvenções e
                    contribuições, recebidas para aplicação especifica, mediante constituição ou
                    não de fundos, são registradas em contas próprias, segregadas das demais
                    contas da Entidade.




Ernst & Young Terco| 9
Fundo Cristão Para Crianças
Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação
Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009
(Valores expressos em reais)

3. Adoção inicial dos CPCs
       Em todos os períodos anteriores, incluindo o ano fiscal findo em 31 de dezembro de
       2009, a Entidade preparou suas demonstrações financeiras de acordo com as
       políticas contábeis adotadas no Brasil (BRGAAP). As presentes demonstrações
       financeiras para o exercício findo em 31 de dezembro de 2010 são as primeiras
       preparadas de acordo com o Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC).
       Desta forma, a Entidade preparou suas demonstrações financeiras cumprindo as
       normas previstas nos CPCs para os períodos iniciados em, ou após, 1º de janeiro de
       2010, como descrito em suas políticas contábeis. Para as presentes demonstrações
       financeiras, o saldo de abertura considerado foi o de 1º de janeiro de 2009, data da
       transição para os CPCs. As alterações introduzidas pelas normas previstas nos
       CPCs, não tiveram efeitos relevantes sobre as demonstrações financeiras referentes
       ao exercício findo em 31 de dezembro de 2009, possibilitando a comparabilidade
       entre os exercícios.


4. Caixa e equivalentes de caixa
       A posição de caixa e equivalentes, em 31 de dezembro, estava assim representada:
                                                                2010             2009

        Caixa e Bancos                                            315.613           149.270
        Aplicações Financeiras                                  1.134.044           980.607
                                                                1.449.657         1.129.877


5. Investimentos
                                                                2010             2009

        Ações                                                            -           18.373
        Imóveis (i)                                               743.000          743.000
        Título de capitalização (ii)                                 6.222                -
        (Depreciação)                                             (55.288)         (42.264)
                                                                  693.934          719.109

       (i) Os investimentos da Entidade incluem salas do Edifício Work Center, à Av. Afonso
       Pena, no. 3.111, em Belo Horizonte – MG, reavaliadas de acordo com Laudo no. 481,
       em 31 de outubro de 2006. Os referidos imóveis são alugados a terceiros conforme
       preços de mercado e suas rendas revertidas ao objeto social da Entidade e possui
       depreciação de 1,75% a.a.
       (ii) O titulo de capitalização se refere a pagamento de caução à SJ Administradora de
       Imóveis Ltda, como garantia da locação da sala 807 localizada á Rua Pedro Borges,
       nº 20, a qual está situada o escritório do Fundo Cristão para Crianças em
       Fortaleza/CE. O titulo tem vigência de 12 meses, tendo iniciado em 19/07/2010,
       sendo atualizado pela Taxa de Remuneração Básica aplicada ás cadernetas de
       poupança (TR) que corresponde ao rendimento das cadernetas de poupança sem a
       parcela de juros mensais.


Ernst & Young Terco| 10
Fundo Cristão Para Crianças
Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação
Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009
(Valores expressos em reais)

6. Imobilizado
       Os bens imobilizados da Entidade foram reavaliados conforme Laudo de Reavaliação
       emitido pela empresa Dhisa Auditores Associados, no. 481, datado de 31 de outubro
       de 2006, quando suas taxas de depreciação, vida útil remanescente e valores foram
       ajustados conforme laudo.

                                             Taxa de
                                          depreciação ao
                                              ano %           2010             2009

      Terrenos                                                 1.167.000        1.167.000
      Edificações                             2,5% a 4,0%      3.776.700        3.776.700
      Máquinas e equipamentos                8,0% a 11,0%        102.689           85.158
      Móveis e utensílios                    8,0% a 10,0%         28.649           29.857
      Veículos                                6,0% a 20%         260.700          260.700
      Computadores e periféricos              11% a 25%          256.386          252.757
                                                               5.592.124        5.572.172
      Depreciação/Amortização acumulada                        (709.262)        (539.900)
                                                               4.882.862        5.032.272

       A Entidade não alterou a forma de utilização do seu imobilizado, como também, não
       identificou desgastes e quebra relevante inesperada, progresso tecnologico e
       mudanças nos preços de mercado que indicassem que o valor residual ou vida útil
       dos ativos necessitassem de modificação.


7. Intangível

                                                              2010             2009
      Saldo anterior                                              83.499         114.330
      Adições do período                                        271.179            22.988
      (-) Baixas                                                 (1.538)         (32.259)
      (-) Amortizações                                          (36.663)         (21.560)
      Doações não identificadas a repassar                      316.477            83.499


      Com o objetivo de melhorar seus processos de gestão, em 2010 o Fundo Cristão para
      Crianças iniciou o processo de implementação do software de gestão integrada
      Peoplesoft doado pela empresa Oracle Sistemas do Brasil, incorrendo em gastos no
      valor de R$ 261.320.




Ernst & Young Terco| 11
Fundo Cristão Para Crianças
Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação
Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009
(Valores expressos em reais)

8. Doações a repassar
       No momento do recebimento, as doações são registradas na rubrica “Doações não
       idenficadas a repassar”. Ao serem identificadas, estas são reclassificadas de acordo
       com sua natureza.

       Eventualmente, o saldo residual desta conta, refere-se a recursos ainda em processo
       de reconhecimento.

       Em 2010, o saldo residual foi de R$ 147.082 (R$ 84.362 em 2009), conforme a
       seguir:

                                                                2010              2009
      Saldo anterior                                                84.362           137.287
      Doações recebidas e não identificadas                      9.288.667         9.665.468
      Doações recebidas e identificadas conforme sua
      natureza                                                  (9.225.947)      (9.718.393)
      Doações não identificadas a repassar                          147.082           84.362

       O Fundo Cristão para Crianças controla em contas patrimoniais os efeitos de
       gratuidade dos presentes de padrinhos destinados às crianças apadrinhadas (DFC´s
       – Designated Fund Certificate), mantendo em seu passivo circulante os valores
       arrecadados para posterior repasse.

       O saldo de DFC´s repassado no exercicio foi:

                                                                2010              2009
       DFC´s de doações internacionais                           3.426.716         4.168.914
       DFC`s de doações nacionais                                1.228.911         1.139.213
                                                                 4.655.627         5.308.127



9. Subvenções a repassar
       A Entidade reconhece as subvenções quando há segurança de que cumprirá as
       condições estabelecidas pelos parceiros e de que a subvenção será recebida ou
       quando já foi recebida. Em 31 de dezembro a Entidade possuia em seus livros os
       seguintes registros:

        Subvenções a apropriar passiva                          2010              2009
        Subvenção campanha Pague Menos                             86.948           110.877
        Subvenção Pacto pela Vida                                       -            36.275
        Subvenção Programa Esportista Cidadão - PEC               888.628                 -
        Subvenção outros                                           15.865                 -
        Total das subvenções a realizar                           991.441           147.152



Ernst & Young Terco| 12
Fundo Cristão Para Crianças
Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação
Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009
(Valores expressos em reais)

10. Provisão de férias e encargos
       A posição de provisão de férias e encargos, em 31 de dezembro, estava assim
       representada:
                                                                2010              2009

        Provisão para férias                                      199.334           192.122
        Encargos s/ férias                                         18.191            17.543
                                                                  217.525           209.665


11. Patrimônio Líquido
       Os resultados dos períodos são mantidos na rubrica “Superávit/Déficit acumulado’’,
       enquanto não aprovados pela Assembléia Deliberativa e, após a sua aprovação, são
       transferidos para a conta de Patrimônio Social.
       O patrimônio social da Entidade, no montante de R$ 1.897.267 (R$ 2.741.456 em
       2009) em 31 de dezembro de 2010, representa o montante inicial aportado para inicio
       das atividades da Entidade, sendo aumentado ou reduzido anualmente em função do
       superávit ou déficit apurado.


12. Doações
       A Entidade recebeu doações e subvenções durante o exercício registradas em contas
       de receita da seguinte forma:
                                                                 2010             2009

       Subsídios internacionais                                  14.863.101       18.636.555
       Verbas do orçamento operacional                            3.668.675        3.472.804
       Outras doações recebidas                                     435.839            1.221
       Doações externas                                          18.967.615       22.110.580
       Subsídios brasileiros                                      2.767.276        2.625.850
       Arrecadações nacionais para custeio                        1.696.073        1.609.392
       Outras doações recebidas                                      86.372          123.601
       Doações locais                                             4.549.721        4.358.843
                                                                 23.517.336       26.469.423

       As receitas com doações auferidas pela Entidade são provenientes do Brasil e do
       exterior, na forma de subsídios a projetos conveniados e verbas especiais a projetos.
       Não são registrados como receitas os presentes às crianças apadrinhadas (DFCs),
       que são tratados em contas patrimoniais até sua efetiva entrega aos destinatários.
       Essas receitas são proporcionadas pelo sistema de apadrinhamento e outras
       doações eventuais. A Entidade possui aproximadamente 10 mil crianças
       apadrinhadas por brasileiros e 46 mil crianças apadrinhadas por estrangeiros.
       Em função desta característica, o Fundo Cristão para Crianças fica exposta a
       realização efetiva dos repasses da entidade internacional para manutenção dos seus
       objetivos.

Ernst & Young Terco| 13
Fundo Cristão Para Crianças
Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação
Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009
(Valores expressos em reais)

13. Concessão de Gratuidades (Repasse a Projetos Conveniados)
       As gratuidades convertidas à comunidade carente estão registradas dentro do grupo
       de despesas ordinárias, conforme demonstrado a seguir:

                                                                 2010              2009
       Subsídios – Projetos conveniados                          17.580.414       21.095.327
       Verbas especiais a projetos                                  394.110          281.657
       Apoio a Programas Sociais                                  2.055.341        1.321.915
                                                                 20.029.865       22.698.899

       As verbas e subsídios recebidos foram aplicados em projetos conveniados à
       Entidade, firmados e lançados em conta específica de despesa, tenho as seguintes
       principais entidades conveniadas: GEDAM, Grupo de Apoio do Cabana, GCRIVA,
       Conselho de Pais Criança Feliz, PROJAC (Sede), APLANT, AMPLIAR, PROSESC,
       APRISCO, AMAI, ABITA, ARAI, ASSOCIAR (Sede), ACHANTI, CONACREJE,
       ASCPOPP, ASCAI, ARAIC, Projeto do Bem Estar Comunitário, Projeto Famílias
       Reunidas, Assoc. Sonho Infantil, Projeto Criança Feliz, Projeto União, Projeto Alegria
       da Criança, Projeto Feliz Jornada, Frente Beneficente para Criança, Frente de Ass. A
       Criança Carente, Conselho B.C. e T. Quitaius, Sociedade de E. S. a Família, União
       Popular Pela Vida, Sociedade de A. a Criança, Sociedade de apoio a família, Centro
       de Apoio a Criança, Assoc. de Moradores de Frutilândia, entre outras.

       A finalidade dessas entidades conveniadas é, principalmente, a de apoiar programas
       sociais e de desenvolvimento de acordo com os planos de atividades.

       A Entidade mantém controle financeiro e realiza acompanhamento permanente sobre
       todas as verbas repassadas aos projetos conveniados. A cada repasse, a respectiva
       prestação de contas é obrigatória e, necessariamente, enviada ao FCC no prazo
       máximo de 20 dias do mês posterior ao do repasse, viabilizando o acompanhamento
       da coerência na aplicação das verbas.

       A verba destinada a “Apoio a Programas Sociais” são utilizadas para monitoramento
       da execução das atividades nas Organizações Conveniadas.




Ernst & Young Terco| 14
Fundo Cristão Para Crianças
Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação
Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009
(Valores expressos em reais)

14. Despesas Gerais
       O grupo de despesas gerais considera diversas despesas necessárias à
       operacionalidade da Entidade, sendo as mais relevantes:

                                                               2010           2009
        Despesas c/ publicidade e propaganda                       28.428        345.503
        Despesas c/ viagens                                       180.100        192.042
        Despesas c/ postais                                       173.465         79.057
        Despesas entre escritórios                                157.437        176.451
        Despesas c/ telecomunicações                               69.261        151.851
        Despesas c/ reuniões, conferências e eventos               24.509         55.052
        Taxa de condomínio                                         81.108         90.645
        Despesas c/ material de escritório                         32.389         67.291
        Despesas c/ energia elétrica                               59.528         62.783
        Despesas c/ taxas diversas                                 37.822         49.845
        Despesas c/ alimentação                                    40.612         27.381
        Despesas c/ manutenção de instalações e equipamentos       27.194         37.710
        Outras                                                    166.472        144.223
                                                                1.078.325      1.479.834



15. Despesas das Organizações Conveniadas
       Entre as despesas gerais, em 2010 a Entidade passou a custear despesas
       específicas de suas Organizações Conveniadas de modo a fazer uma melhor gestão
       destes referidos gastos, dos quais podemos destacar:

                                                               2010           2009
        Honorários de Auditoria                                   458.889       105.487
        Serviços de Tradutores                                    207.349        95.137
        Despesas c/ postais                                       312.342       144.435
        Outras                                                     56.496         4.899
                                                                1.035.076       349.958




Ernst & Young Terco| 15
Fundo Cristão Para Crianças
Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação
Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009
(Valores expressos em reais)

16. Despesas com depreciação/amortização
       Após reavaliação dos bens do ativo imobilizado, conforme laudo emitido pela
       empresa Dhisa Auditores Associados, no. 481, em 31 de outubro de 2006, a Entidade
       passou a registrar os efeitos da depreciação dos bens reavaliados no resultado do
       exercício, com base na vida útil informada no laudo, sendo a reserva correspondente
       simultaneamente transferida para a rubrica “Déficit ou Superávit acumulado no
       Patrimônio Líquido’’. Os efeitos de depreciação correspondentes à reavaliação e ao
       custo original no resultado do exercício podem ser assim demonstrados:

                                                                2010             2009
       Despesas de depreciações (custo líquido)                    85.615           63.048
       Despesas de amortizações                                    12.286            9.527
       Despesas de depreciações/amortizações (custo
       reavaliado)                                                157.367           169.089
                                                                  255.268           241.664



17. Seguros
       Em 31 de dezembro de 2010, a Entidade mantinha cobertura de seguros para o seu
       imobilizado em montante considerado pela mesma suficiente para cobrir eventuais
       sinistros.


18. Isenções
       Em função da isenção tributária quanto ao INSS patronal, por se tratar de entidade
       sem fins econômicos, devidamente regularizada nos órgãos normativos, não foram
       recolhidos nos exercícios de 2010 e 2009 os seguintes valores:

                                                                2010             2009
       INSS Patronal - Fopag                                      451.644          403.993
       INSS Patronal – Autônomos                                   48.650           57.030
       INSS Patronal – Cooperativas                                11.700           10.516
                                                                  511.994          471.539




Ernst & Young Terco| 16
Fundo Cristão Para Crianças
Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação
Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009
(Valores expressos em reais)

19. Instrumentos financeiros
       Os valores de mercado dos ativos e passivos financeiros foram determinados com
       base em informações de mercado disponíveis e metodologias de valorização
       apropriadas. O uso de diferentes premissas de mercado e/ou metodologia de
       estimativa poderão ter um efeito diferente nos valores estimados de mercado.
       Baseada nessa estimativa, a Administração entende que o valor contábil dos
       instrumentos financeiros equivale aproximadamente a seu valor de mercado,
       conforme descrito abaixo.
       Em 31 de dezembro de 2010, os principais instrumentos financeiros estão descritos a
       seguir:

       ► Caixa e equivalentes de caixa - está apresentado ao seu valor de mercado, que
            equivale ao seu valor contábil.

       Nos exercícios de 2010 e 2009 a Entidade não realizou operações com derivativos.




Ernst & Young Terco| 17

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Financas demonstracoes financeira natura 2008
Financas demonstracoes financeira natura 2008Financas demonstracoes financeira natura 2008
Financas demonstracoes financeira natura 2008
controladoriacontab
 
Analise demonstracoes contabeis dcs
Analise demonstracoes contabeis dcsAnalise demonstracoes contabeis dcs
Analise demonstracoes contabeis dcs
apostilacontabil
 
Demonstrações Financeiras 2011 - 2012
Demonstrações Financeiras 2011 - 2012Demonstrações Financeiras 2011 - 2012
Demonstrações Financeiras 2011 - 2012
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 
Analise demonstracoes financeira_aula04
Analise demonstracoes financeira_aula04Analise demonstracoes financeira_aula04
Analise demonstracoes financeira_aula04
contacontabil
 
Balanço financeiro do Sport sobre 2016
Balanço financeiro do Sport sobre 2016Balanço financeiro do Sport sobre 2016
Balanço financeiro do Sport sobre 2016
Cassio Zirpoli
 
Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008
Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008
Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008
Endesa Brasil
 
Demonstraes financeiras 4_t11_portugus_ingls
Demonstraes financeiras 4_t11_portugus_inglsDemonstraes financeiras 4_t11_portugus_ingls
Demonstraes financeiras 4_t11_portugus_ingls
lyneeee
 
Demonstrações financeiras anuais completas
Demonstrações financeiras anuais completasDemonstrações financeiras anuais completas
Demonstrações financeiras anuais completas
Jorge Meline
 
Balanco jun10
Balanco jun10Balanco jun10
Balanco jun10
Moumita Ghosh
 
O balanço financeiro do Náutico em 2015
O balanço financeiro do Náutico em 2015O balanço financeiro do Náutico em 2015
O balanço financeiro do Náutico em 2015
Cassio Zirpoli
 
Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016
Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016
Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016
Cassio Zirpoli
 
Banco sintetico 11806_13
Banco sintetico 11806_13Banco sintetico 11806_13
Banco sintetico 11806_13
Paraná Banco
 
Demonstração financeira Gerdau
Demonstração financeira GerdauDemonstração financeira Gerdau
Demonstração financeira Gerdau
anauliam
 
Balanço da Abril
Balanço da AbrilBalanço da Abril
Balanço da Abril
Luis Nassif
 
Balanço sintético 2012
Balanço sintético 2012Balanço sintético 2012
Balanço sintético 2012
Paraná Banco
 

Mais procurados (15)

Financas demonstracoes financeira natura 2008
Financas demonstracoes financeira natura 2008Financas demonstracoes financeira natura 2008
Financas demonstracoes financeira natura 2008
 
Analise demonstracoes contabeis dcs
Analise demonstracoes contabeis dcsAnalise demonstracoes contabeis dcs
Analise demonstracoes contabeis dcs
 
Demonstrações Financeiras 2011 - 2012
Demonstrações Financeiras 2011 - 2012Demonstrações Financeiras 2011 - 2012
Demonstrações Financeiras 2011 - 2012
 
Analise demonstracoes financeira_aula04
Analise demonstracoes financeira_aula04Analise demonstracoes financeira_aula04
Analise demonstracoes financeira_aula04
 
Balanço financeiro do Sport sobre 2016
Balanço financeiro do Sport sobre 2016Balanço financeiro do Sport sobre 2016
Balanço financeiro do Sport sobre 2016
 
Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008
Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008
Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008
 
Demonstraes financeiras 4_t11_portugus_ingls
Demonstraes financeiras 4_t11_portugus_inglsDemonstraes financeiras 4_t11_portugus_ingls
Demonstraes financeiras 4_t11_portugus_ingls
 
Demonstrações financeiras anuais completas
Demonstrações financeiras anuais completasDemonstrações financeiras anuais completas
Demonstrações financeiras anuais completas
 
Balanco jun10
Balanco jun10Balanco jun10
Balanco jun10
 
O balanço financeiro do Náutico em 2015
O balanço financeiro do Náutico em 2015O balanço financeiro do Náutico em 2015
O balanço financeiro do Náutico em 2015
 
Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016
Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016
Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016
 
Banco sintetico 11806_13
Banco sintetico 11806_13Banco sintetico 11806_13
Banco sintetico 11806_13
 
Demonstração financeira Gerdau
Demonstração financeira GerdauDemonstração financeira Gerdau
Demonstração financeira Gerdau
 
Balanço da Abril
Balanço da AbrilBalanço da Abril
Balanço da Abril
 
Balanço sintético 2012
Balanço sintético 2012Balanço sintético 2012
Balanço sintético 2012
 

Destaque

Eu e as Tecnologias - Slide síntese
Eu e as Tecnologias - Slide sínteseEu e as Tecnologias - Slide síntese
Eu e as Tecnologias - Slide síntese
Beatriz Ferreira
 
Especificaciones de_techo_de_acceso_1403709000421
Especificaciones  de_techo_de_acceso_1403709000421Especificaciones  de_techo_de_acceso_1403709000421
Especificaciones de_techo_de_acceso_1403709000421
culon88
 
Social Cue Adaptive Learning Sheet
Social Cue Adaptive Learning SheetSocial Cue Adaptive Learning Sheet
Social Cue Adaptive Learning Sheet
Shannon Cotterell
 
Marketing trends novembro
Marketing trends novembroMarketing trends novembro
Marketing trends novembro
Celso Kretly Bove
 
Maths9 taller no. 19
Maths9 taller no.  19Maths9 taller no.  19
Maths9 taller no. 19
Javier Murillo- matematicas
 
10 chicananivel crucedobleniveldesnivel
10 chicananivel crucedobleniveldesnivel10 chicananivel crucedobleniveldesnivel
10 chicananivel crucedobleniveldesnivel
Sierra Francisco Justo
 
Sesion 4
Sesion 4Sesion 4
Sesion 4
Andrés García
 
áLbum De FotografíAs
áLbum De FotografíAsáLbum De FotografíAs
áLbum De FotografíAs
princesita97
 
Pensum ing. civil (actualizado 03 10-2011)
Pensum ing. civil (actualizado 03 10-2011)Pensum ing. civil (actualizado 03 10-2011)
Pensum ing. civil (actualizado 03 10-2011)
Maria Jimenez
 
Ptgv 06
Ptgv 06Ptgv 06
Sesion 6
Sesion 6Sesion 6
Sesion 6
Andrés García
 
New Resume
New ResumeNew Resume
New Resume
harsha naik
 
Aparato reproductor femenino
Aparato reproductor femeninoAparato reproductor femenino
Aparato reproductor femenino
NELLY-TENESACA
 
100 zona despejada rdg ch3 craig
100 zona despejada rdg ch3 craig100 zona despejada rdg ch3 craig
100 zona despejada rdg ch3 craig
Sierra Francisco Justo
 
Pdf apresentação
Pdf apresentaçãoPdf apresentação
Ptgv 18
Ptgv 18Ptgv 18

Destaque (20)

Eu e as Tecnologias - Slide síntese
Eu e as Tecnologias - Slide sínteseEu e as Tecnologias - Slide síntese
Eu e as Tecnologias - Slide síntese
 
Especificaciones de_techo_de_acceso_1403709000421
Especificaciones  de_techo_de_acceso_1403709000421Especificaciones  de_techo_de_acceso_1403709000421
Especificaciones de_techo_de_acceso_1403709000421
 
Social Cue Adaptive Learning Sheet
Social Cue Adaptive Learning SheetSocial Cue Adaptive Learning Sheet
Social Cue Adaptive Learning Sheet
 
Marketing trends novembro
Marketing trends novembroMarketing trends novembro
Marketing trends novembro
 
Maths9 taller no. 19
Maths9 taller no.  19Maths9 taller no.  19
Maths9 taller no. 19
 
10 chicananivel crucedobleniveldesnivel
10 chicananivel crucedobleniveldesnivel10 chicananivel crucedobleniveldesnivel
10 chicananivel crucedobleniveldesnivel
 
Sesion 4
Sesion 4Sesion 4
Sesion 4
 
BIjpg
BIjpgBIjpg
BIjpg
 
áLbum De FotografíAs
áLbum De FotografíAsáLbum De FotografíAs
áLbum De FotografíAs
 
Pensum ing. civil (actualizado 03 10-2011)
Pensum ing. civil (actualizado 03 10-2011)Pensum ing. civil (actualizado 03 10-2011)
Pensum ing. civil (actualizado 03 10-2011)
 
Ptgv 06
Ptgv 06Ptgv 06
Ptgv 06
 
Sesion 6
Sesion 6Sesion 6
Sesion 6
 
New Resume
New ResumeNew Resume
New Resume
 
Aparato reproductor femenino
Aparato reproductor femeninoAparato reproductor femenino
Aparato reproductor femenino
 
elemen group1
elemen group1elemen group1
elemen group1
 
100 zona despejada rdg ch3 craig
100 zona despejada rdg ch3 craig100 zona despejada rdg ch3 craig
100 zona despejada rdg ch3 craig
 
Pdf apresentação
Pdf apresentaçãoPdf apresentação
Pdf apresentação
 
020
020020
020
 
Ptgv 18
Ptgv 18Ptgv 18
Ptgv 18
 
010
010010
010
 

Semelhante a Demonstrações financeiras 2009 -2010

Demonstrações financeiras 2010-2011
Demonstrações financeiras 2010-2011Demonstrações financeiras 2010-2011
Demonstrações financeiras 2010-2011
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 
Demonstrações Contábeis 2010 - 2011
Demonstrações Contábeis 2010 - 2011Demonstrações Contábeis 2010 - 2011
Demonstrações Contábeis 2010 - 2011
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 
Demonstrações financeiras fundo cristão para crianças 2011
Demonstrações financeiras fundo cristão para crianças 2011Demonstrações financeiras fundo cristão para crianças 2011
Demonstrações financeiras fundo cristão para crianças 2011
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 
Demonstrações Financeiras 2010 - 2011
Demonstrações Financeiras 2010 - 2011Demonstrações Financeiras 2010 - 2011
Demonstrações Financeiras 2010 - 2011
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 
Demonstrações contábeis 2008-2009
Demonstrações contábeis 2008-2009Demonstrações contábeis 2008-2009
Demonstrações contábeis 2008-2009
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 
Balanço sintético 2011
Balanço sintético 2011Balanço sintético 2011
Balanço sintético 2011
Paraná Banco
 
Analise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeisAnalise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeis
admcontabil
 
Analise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeisAnalise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeis
apostilacontabil
 
Analise demonstracoes contabeis dcs
Analise demonstracoes contabeis dcsAnalise demonstracoes contabeis dcs
Analise demonstracoes contabeis dcs
admcontabil
 
Itr usgaap petrobras 31 03 2011 -
Itr usgaap petrobras 31 03 2011 -Itr usgaap petrobras 31 03 2011 -
Itr usgaap petrobras 31 03 2011 -
paty0911
 
análise gerencial da operação e demonstrações contábeis completas em BRGAAP.pdf
análise gerencial da operação e demonstrações contábeis completas em BRGAAP.pdfanálise gerencial da operação e demonstrações contábeis completas em BRGAAP.pdf
análise gerencial da operação e demonstrações contábeis completas em BRGAAP.pdf
Renandantas16
 
Exercicio análise
Exercicio análiseExercicio análise
Exercicio análise
vaniasiquei
 
Hypermarcas df anual_2009_23022010_port Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Hypermarcas df anual_2009_23022010_port  Attain to 051.812.955.17 Sandro SuzartHypermarcas df anual_2009_23022010_port  Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Hypermarcas df anual_2009_23022010_port Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Sandro Suzart
 
Ambev dfp controladora_consolidado Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Ambev dfp controladora_consolidado  Attain to 051.812.955.17 Sandro SuzartAmbev dfp controladora_consolidado  Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Ambev dfp controladora_consolidado Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Sandro Suzart
 
Guararapes dfp 2011_port
Guararapes dfp 2011_portGuararapes dfp 2011_port
Guararapes dfp 2011_port
Daniel Henrique
 
Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11
Cteep
 
Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11
Cteep
 
Analise demonstracoes financeira_aula05
Analise demonstracoes financeira_aula05Analise demonstracoes financeira_aula05
Analise demonstracoes financeira_aula05
contacontabil
 
Tarefa 2 b gestão de recursos financeiros e materiais
Tarefa 2 b gestão de  recursos  financeiros e materiaisTarefa 2 b gestão de  recursos  financeiros e materiais
Tarefa 2 b gestão de recursos financeiros e materiais
LUIZ E Leila
 
Cemig
CemigCemig

Semelhante a Demonstrações financeiras 2009 -2010 (20)

Demonstrações financeiras 2010-2011
Demonstrações financeiras 2010-2011Demonstrações financeiras 2010-2011
Demonstrações financeiras 2010-2011
 
Demonstrações Contábeis 2010 - 2011
Demonstrações Contábeis 2010 - 2011Demonstrações Contábeis 2010 - 2011
Demonstrações Contábeis 2010 - 2011
 
Demonstrações financeiras fundo cristão para crianças 2011
Demonstrações financeiras fundo cristão para crianças 2011Demonstrações financeiras fundo cristão para crianças 2011
Demonstrações financeiras fundo cristão para crianças 2011
 
Demonstrações Financeiras 2010 - 2011
Demonstrações Financeiras 2010 - 2011Demonstrações Financeiras 2010 - 2011
Demonstrações Financeiras 2010 - 2011
 
Demonstrações contábeis 2008-2009
Demonstrações contábeis 2008-2009Demonstrações contábeis 2008-2009
Demonstrações contábeis 2008-2009
 
Balanço sintético 2011
Balanço sintético 2011Balanço sintético 2011
Balanço sintético 2011
 
Analise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeisAnalise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeis
 
Analise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeisAnalise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeis
 
Analise demonstracoes contabeis dcs
Analise demonstracoes contabeis dcsAnalise demonstracoes contabeis dcs
Analise demonstracoes contabeis dcs
 
Itr usgaap petrobras 31 03 2011 -
Itr usgaap petrobras 31 03 2011 -Itr usgaap petrobras 31 03 2011 -
Itr usgaap petrobras 31 03 2011 -
 
análise gerencial da operação e demonstrações contábeis completas em BRGAAP.pdf
análise gerencial da operação e demonstrações contábeis completas em BRGAAP.pdfanálise gerencial da operação e demonstrações contábeis completas em BRGAAP.pdf
análise gerencial da operação e demonstrações contábeis completas em BRGAAP.pdf
 
Exercicio análise
Exercicio análiseExercicio análise
Exercicio análise
 
Hypermarcas df anual_2009_23022010_port Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Hypermarcas df anual_2009_23022010_port  Attain to 051.812.955.17 Sandro SuzartHypermarcas df anual_2009_23022010_port  Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Hypermarcas df anual_2009_23022010_port Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
 
Ambev dfp controladora_consolidado Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Ambev dfp controladora_consolidado  Attain to 051.812.955.17 Sandro SuzartAmbev dfp controladora_consolidado  Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Ambev dfp controladora_consolidado Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
 
Guararapes dfp 2011_port
Guararapes dfp 2011_portGuararapes dfp 2011_port
Guararapes dfp 2011_port
 
Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11
 
Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11
 
Analise demonstracoes financeira_aula05
Analise demonstracoes financeira_aula05Analise demonstracoes financeira_aula05
Analise demonstracoes financeira_aula05
 
Tarefa 2 b gestão de recursos financeiros e materiais
Tarefa 2 b gestão de  recursos  financeiros e materiaisTarefa 2 b gestão de  recursos  financeiros e materiais
Tarefa 2 b gestão de recursos financeiros e materiais
 
Cemig
CemigCemig
Cemig
 

Mais de ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Relatório Anual de Atividades 2011 - ChildFund Brasil
Relatório Anual de Atividades 2011 - ChildFund BrasilRelatório Anual de Atividades 2011 - ChildFund Brasil
Relatório Anual de Atividades 2011 - ChildFund Brasil
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 
Protocolo do Plano de Garantia de Qualidade dos Dados para o Monitoramento Ba...
Protocolo do Plano de Garantia de Qualidade dos Dados para o Monitoramento Ba...Protocolo do Plano de Garantia de Qualidade dos Dados para o Monitoramento Ba...
Protocolo do Plano de Garantia de Qualidade dos Dados para o Monitoramento Ba...
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 
Power Point do ChildFund Brasil VOCÊ PODE AJUDAR A MUDAR ESTA REALIDADE
Power Point do ChildFund Brasil VOCÊ PODE AJUDAR A MUDAR ESTA REALIDADEPower Point do ChildFund Brasil VOCÊ PODE AJUDAR A MUDAR ESTA REALIDADE
Power Point do ChildFund Brasil VOCÊ PODE AJUDAR A MUDAR ESTA REALIDADE
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 
Apresentação Animador Comunitário
Apresentação Animador Comunitário Apresentação Animador Comunitário
Apresentação Animador Comunitário
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 
Boletim Apadrinhar
Boletim ApadrinharBoletim Apadrinhar
Apresentação Identidade Visual Olhares em Foco
Apresentação Identidade Visual Olhares em FocoApresentação Identidade Visual Olhares em Foco
Apresentação Identidade Visual Olhares em Foco
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 
Divulgação de recrutamento Araçuai MG
Divulgação de recrutamento Araçuai MGDivulgação de recrutamento Araçuai MG
Divulgação de recrutamento Araçuai MG
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 
Demonstrações contábeis 2006-2007
Demonstrações contábeis 2006-2007Demonstrações contábeis 2006-2007
Demonstrações contábeis 2006-2007
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 
Demonstrações contábeis 2007-2008
Demonstrações contábeis 2007-2008Demonstrações contábeis 2007-2008
Demonstrações contábeis 2007-2008
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 
2006 2007
2006 20072006 2007
Estrategia programatica -CSP
Estrategia programatica -CSPEstrategia programatica -CSP
Estrategia programatica -CSP
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 

Mais de ChildFund Brasil - Fundo para Crianças (15)

Relatório Anual de Atividades 2011 - ChildFund Brasil
Relatório Anual de Atividades 2011 - ChildFund BrasilRelatório Anual de Atividades 2011 - ChildFund Brasil
Relatório Anual de Atividades 2011 - ChildFund Brasil
 
Protocolo do Plano de Garantia de Qualidade dos Dados para o Monitoramento Ba...
Protocolo do Plano de Garantia de Qualidade dos Dados para o Monitoramento Ba...Protocolo do Plano de Garantia de Qualidade dos Dados para o Monitoramento Ba...
Protocolo do Plano de Garantia de Qualidade dos Dados para o Monitoramento Ba...
 
Power Point do ChildFund Brasil VOCÊ PODE AJUDAR A MUDAR ESTA REALIDADE
Power Point do ChildFund Brasil VOCÊ PODE AJUDAR A MUDAR ESTA REALIDADEPower Point do ChildFund Brasil VOCÊ PODE AJUDAR A MUDAR ESTA REALIDADE
Power Point do ChildFund Brasil VOCÊ PODE AJUDAR A MUDAR ESTA REALIDADE
 
Apresentação Animador Comunitário
Apresentação Animador Comunitário Apresentação Animador Comunitário
Apresentação Animador Comunitário
 
Boletim Apadrinhar
Boletim ApadrinharBoletim Apadrinhar
Boletim Apadrinhar
 
Apresentação Identidade Visual Olhares em Foco
Apresentação Identidade Visual Olhares em FocoApresentação Identidade Visual Olhares em Foco
Apresentação Identidade Visual Olhares em Foco
 
Divulgação de recrutamento Araçuai MG
Divulgação de recrutamento Araçuai MGDivulgação de recrutamento Araçuai MG
Divulgação de recrutamento Araçuai MG
 
Demonstrações contábeis 2006-2007
Demonstrações contábeis 2006-2007Demonstrações contábeis 2006-2007
Demonstrações contábeis 2006-2007
 
Demonstrações contábeis 2007-2008
Demonstrações contábeis 2007-2008Demonstrações contábeis 2007-2008
Demonstrações contábeis 2007-2008
 
2006 2007
2006 20072006 2007
2006 2007
 
Estratégia Passifllora
Estratégia PassiflloraEstratégia Passifllora
Estratégia Passifllora
 
Estrategia programatica -CSP
Estrategia programatica -CSPEstrategia programatica -CSP
Estrategia programatica -CSP
 
Clean day btmap
Clean day btmapClean day btmap
Clean day btmap
 
Clean day
Clean dayClean day
Clean day
 
CartãOfinal
CartãOfinalCartãOfinal
CartãOfinal
 

Último

se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docxse38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
ronaldos10
 
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
Faga1939
 
Apresentação sobre Deep Web e anonimização
Apresentação sobre Deep Web e anonimizaçãoApresentação sobre Deep Web e anonimização
Apresentação sobre Deep Web e anonimização
snerdct
 
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWSSubindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Ismael Ash
 
Aula combustiveis mais utilizados na indústria
Aula combustiveis mais utilizados na indústriaAula combustiveis mais utilizados na indústria
Aula combustiveis mais utilizados na indústria
zetec10
 
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoudFerramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ismael Ash
 

Último (6)

se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docxse38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
 
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
 
Apresentação sobre Deep Web e anonimização
Apresentação sobre Deep Web e anonimizaçãoApresentação sobre Deep Web e anonimização
Apresentação sobre Deep Web e anonimização
 
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWSSubindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
 
Aula combustiveis mais utilizados na indústria
Aula combustiveis mais utilizados na indústriaAula combustiveis mais utilizados na indústria
Aula combustiveis mais utilizados na indústria
 
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoudFerramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
 

Demonstrações financeiras 2009 -2010

  • 1. Demonstrações Financeiras Fundo Cristão Para Crianças 31 de dezembro de 2010 e 2009
  • 2. Fundo Cristão Para Crianças Demonstrações Financeiras 31 de dezembro de 2010 e 2009 Índice Relatório dos auditores independentes ................................................................................ 1 Demonstrações Financeiras Auditadas Balanços patrimoniais ........................................................................................................... 3 Demonstração dos resultados dos exercícios ...................................................................... 5 Demonstração das mutações do patrimônio líquido ............................................................. 6 Demonstração dos fluxos de caixa ....................................................................................... 7 Notas explicativas às demonstrações financeiras ................................................................ 8
  • 3. Edifício Asamar Rua Paraíba, 1000 10º andar - Funcionários 30130-141 – Belo Horizonte, MG, Brasil Tel: (5531) 3055-7750 Fax: (5531) 3055-7759 www.ey.com.br Relatório dos Auditores Independentes Sobre as Demonstrações Financeiras Aos Conselheiros e Administradores do Fundo Cristão Para Crianças Examinamos as demonstrações financeiras do Fundo Cristão Para Crianças, que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2010 e as respectivas demonstrações do resultado do exercício, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações financeiras A administração da entidade é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis às pequenas e médias empresas (NBC T 19.41), e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações financeiras livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações financeiras da Entidade para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Entidade. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Ernst & Young Terco| 1
  • 4. Opinião sobre as demonstrações financeiras Em nossa opinião, as demonstrações financeiras acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira do Fundo Cristão Para Criança em 31 de dezembro de 2010, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis às pequenas e médias empresas (NBC T 19.41). Outros assuntos Os valores correspondentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2009, apresentados para fins de comparação, foram anteriormente auditados por outros auditores independentes que emitiram relatório datado em 19/3/2010, que não conteve modificação. Belo Horizonte, 10 de março de 2011 ERNST & YOUNG TERCO Auditores Independentes S.S. CRC 2SP 015.199/O-6-F-MG Luis Guilherme Villela Alves Contador CRC - MG-067.509/O-8 Ernst & Young Terco| 2
  • 5. Fundo Cristão Para Crianças Balanço patrimonial Em 31 de dezembro 2010 e de 2009 (Valores expressos em reais) ATIVO 2010 2009 CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa (nota 4) 1.449.657 1.129.877 Adiantamento a terceiros 12.365 16.455 Adiantamento a funcionários 54.720 54.809 Despesas do exercício seguinte 5.956 8.389 Total do ativo circulante 1.522.698 1.209.530 NÃO CIRCULANTE Depósitos Judiciais - 7.357 Investimentos (nota 5) 693.934 719.109 Imobilizado (nota 6) 4.882.862 5.032.272 Intangíveis (nota 7) 316.477 83.499 5.893.273 5.834.880 Total do ativo não circulante 5.893.273 5.842.237 TOTAL DO ATIVO 7.415.971 7.051.767 As notas explicativas são partes integrantes das demonstrações financeiras. Ernst & Young Terco| 3
  • 6. PASSIVO 2010 2009 CIRCULANTE Fornecedores 66.867 91.758 Impostos e contribuições a recolher 61.705 53.680 Doações a repassar (nota 8) 147.082 84.362 Subvenções a repassar (nota 9) 991.441 147.152 Provisões de férias e encargos (nota 10) 217.525 209.665 Contas correntes credoras - 44.487 Total do passivo circulante 1.484.620 631.104 NÃO CIRCULANTE Provisões p/ demandas judiciais - 7.357 Total do passivo circulante 7.357 PATRIMÔNIO LÍQUIDO (nota 11) Patrimônio social contábil 1.897.267 2.741.456 Reserva de reavaliação 4.390.064 4.516.039 Déficit acumulado (355.980) (844.189) Total do patrimônio líquido 5.931.351 6.413.306 TOTAL DO PASSIVO 7.415.971 7.051.767 As notas explicativas são partes integrantes das demonstrações financeiras. Ernst & Young Terco| 4
  • 7. Fundo Cristão Para Crianças Demonstração do Déficit/Superávit Para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e 2009 (Valores expressos em reais) 2010 2009 RECEITAS ORDINÁRIAS Doações do exterior (nota 12) 18.967.615 22.110.580 Doações locais (nota 12) 4.549.721 4.358.843 323.517.336 26.469.423 DESPESAS ORDINÁRIAS Subsídios – Projetos conveniados (nota 13) (17.580.414) (21.095.327) Verbas especiais a projetos (nota 13) (394.110) (281.657) Apoio à Programas Sociais (nota 13) (2.055.341) (1.321.915) (20.029.865) (22.698.899) SUPERÁVIT ORDINÁRIO 3.487.471 3.770.524 RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS Despesas com pessoal e encargos (1.923.242) (1.770.790) Impostos e taxas (21.404) (16.939) Serviços de terceiros (648.344) (527.258) Despesas c/ INSS – isenção (nota18) (511.994) (471.539) Receita gratuidade isenção INSS (nota18) 511.994 471.539 Despesas com depreciação e amortização (nota 16) (255.268) (241.664) Despesas gerais (nota 14) (1.078.325) (1.479.834) Receitas financeiras 57.092 97.817 Despesas financeiras (164.697) (151.833) Receitas de aluguéis 79.435 66.652 Alienação ou baixas de bens ativo imobilizado (14.674) (82.492) Outras receitas (despesas) - 4.025 (3.969.426) (4.102.316) Déficit do exercício (481.955) (331.792) As notas explicativas são partes integrantes das demonstrações financeiras. Ernst & Young Terco| 5
  • 8. Fundo Cristão Para Crianças Demonstração das mutações do patrimônio líquido Para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 (Valores expressos em reais) Reserva de Déficit Descrição Patrimônio Social reavaliação Acumulado Total Saldos em 31 de dezembro de 2008 2.741.456 4.734.158 (730.516) 6.745.098 Realização da reserva de reavaliação - (218.119) 218.119 -- Déficit do exercício - - (331.792) (331.792) Saldos em 31 de dezembro de 2009 2.741.456 4.516.039 (844.189) 6.413.306 Incorporação do déficit acumulado (844.189) 844.189 - Realização da reserva de reavaliação - (125.975) 125.975 --1(((- Déficit do exercício - - (481.955) (481.955) Saldos em 31 de dezembro de 2010 1.897.267 4.390.064 (355.980) 5.931.351 As notas explicativas são partes integrantes das demonstrações financeiras. Ernst & Young Terco| 6
  • 9. Fundo Cristão Para Crianças Demonstrações dos fluxos de caixa Para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 (Valores expressos em reais) 2010 2009 FLUXO DE CAIXA PROVENIENTE DAS OPERAÇÕES Déficit do exercício (481.955) (331.792) Depreciação e amortização 255.268 241.664 Baixa de ativos imobilizados - 82.492 Baixa de investimentos 18.372 - (208.315) (7.636) Redução (aumento) nos ativos: Adiantamentos 4.179 (5.667) Despesas do exercício seguinte 2.433 (3.207) Depósitos Judiciais 7.357 2.721 13.969 (6.153) Aumento (redução) nos passivos: Fornecedores (24.891) 43.310 Impostos e contribuições a recolher 8.025 3.137 Doações a repassar 62.720 (52.927) Provisões de férias e encargos 7.860 11.869 Provisões p/ demandas judiciais (7.357) 7.357 Subvenções 844.289 72.500 Contas correntes credoras (44.487) 40.455 846.159 125.701 RECURSOS LÍQUIDOS PROVENIENTES DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS 651.813 111.912 FLUXO DE CAIXA UTILIZADO NAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS Adições do investimento (6.225) - Adições do imobilizado (64.487) (198.988) Adições do intangível (261.321) - RECURSOS LÍQUIDOS UTILIZADOS NAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS (332.033) (198.988) (Redução) aumento no caixa e equivalentes de caixa 319.780 (87.076) Caixa e equivalente de caixa no início do exercício 1.129.877 1.216.953 Caixa e equivalente de caixa no final do exercício 1.449.657 1.129.877 (Redução) aumento no caixa e equivalentes de caixa 319.780 (87.076) As notas explicativas são partes integrantes das demonstrações financeiras. Ernst & Young Terco| 7
  • 10. Fundo Cristão Para Crianças Notas explicativas às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 (Valores expressos em reais) 1. Informações sobre a Entidade O Fundo Cristão Para Crianças ou “FCC” é uma sociedade civil de caráter filantrópico e sem fins lucrativos, reconhecida de utilidade pública em âmbitos Federal, Estadual e Municipal. Iniciou sua atividades no Brasil em 1966. Com atuação em quatro Estados (Minas Gerais, Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte) apóia, técnica e financeiramente, entidades que desenvolvem programas de atendimento a crianças, adolescentes, famílias e comunidades carentes e/ou em situação de risco, urbanas e rurais, creches, escolas e centro de serviços de acordo com as políticas básicas de atendimento determinadas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente e Convenção Internacional dos Direitos da Criança. A ênfase maior do trabalho do FCC está no processo de educação, com a participação da família e da comunidade. O FCC atua em 862 comunidades, sediadas em 54 municípios. Atende mais de 120 mil crianças e adolescentes, totalizando 58 mil famílias em 104 entidades conveniadas, beneficiando um público de mais de 230 mil pessoas entre crianças, adolescentes e suas famílias. É mantido exclusivamente pelo sistema de apadrinhamento e de doações especiais de grupos de pessoas e empresas. Em 2010 foram investidos mais de R$ 24 milhões em programas sociais e atualmente conta com 5.100 voluntários. O Fundo Cristão é uma entidade que não faz distinção de raça, cor, credo religioso ou político. Sua Administração é composta por uma Assembléia Deliberativa, por um Conselho Fiscal e por um Órgão de Direção Geral. A Entidade, em conformidade com o seu estatuto social, não distribui qualquer parcela de seu patrimônio ou de seu superávit como lucro ou participação em resultados, aplicando integralmente os seus recursos no País, na manutenção e no desenvolvimento de seus objetivos refletidos, devidamente, em seus demonstrativos contábeis. 2. Base de apresentação e preparação das demonstrações financeiras As demonstrações financeiras foram elaboradas e estão sendo apresentadas de acordo com as práticas contábeis aplicáveis às pequenas e médias empresas (NBC T 19.41) adotadas no Brasil, requeridas para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e de 2009, as quais levam em consideração as disposições contidas na Lei das Sociedades por Ações - Lei nº 6.404/76 alteradas pelas Leis nº 11.638/07 e 11.941/09, nos pronunciamentos, nas orientações e nas interpretações emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) homologados pelos órgãos reguladores. Ernst & Young Terco| 8
  • 11. Fundo Cristão Para Crianças Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 (Valores expressos em reais) 2. Base de apresentação e preparação das demonstrações financeiras--Continuação A Entidade está sujeita ainda à observância da Norma Brasileira de contabilidade, NBC T 10.19 - Entidade Sem Finalidade de Lucros, do Conselho Federal de Contabilidade. As alterações introduzidas pela NBC T 19.41– Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas não tiveram efeitos relevantes sobre as demonstrações financeiras referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2009, possibilitando a comparabilidade entre os exercícios. As presentes demonstrações financeiras foram aprovadas pela diretoria da Entidade em 10 de março de 2011. 2.1 Práticas contábeis a. Ativos e passivos circulantes Um ativo é reconhecido no balanço patrimonial quando for provável que seus benefícios econômicos futuros serão gerados em favor da Entidade e seu custo ou valor puder ser mensurado com segurança. Um passivo é reconhecido no balanço patrimonial quando a Entidade possui uma obrigação legal ou constituída como resultado de um evento passado, sendo provável que um recurso econômico seja requerido para liquidá-lo. São acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes encargos e das variações monetárias incorridas. As provisões são registradas tendo como base as melhores estimativas do risco envolvido. b. Imobilizado O imobilizado é demonstrado pelo custo de aquisição. A depreciação é calculada pelo método linear, a taxas que levam em consideração o tempo de vida útil remanescente dos bens, conforme mencionado na nota nº 6. c. Intangível O ativo intangível é mensurado no reconhecimento inicial ao custo de aquisição e, posteriormente, deduzidos da amortização acumulada e perdas do valor recuperável, quando aplicável. d. Receitas e despesas As receitas e despesas são reconhecidas, mensalmente, respeitando os Princípios Fundamentais de Contabilidade, em especial os Princípios da Oportunidade e da Competência. As receitas de doações, subvenções e contribuições, recebidas para aplicação especifica, mediante constituição ou não de fundos, são registradas em contas próprias, segregadas das demais contas da Entidade. Ernst & Young Terco| 9
  • 12. Fundo Cristão Para Crianças Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 (Valores expressos em reais) 3. Adoção inicial dos CPCs Em todos os períodos anteriores, incluindo o ano fiscal findo em 31 de dezembro de 2009, a Entidade preparou suas demonstrações financeiras de acordo com as políticas contábeis adotadas no Brasil (BRGAAP). As presentes demonstrações financeiras para o exercício findo em 31 de dezembro de 2010 são as primeiras preparadas de acordo com o Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). Desta forma, a Entidade preparou suas demonstrações financeiras cumprindo as normas previstas nos CPCs para os períodos iniciados em, ou após, 1º de janeiro de 2010, como descrito em suas políticas contábeis. Para as presentes demonstrações financeiras, o saldo de abertura considerado foi o de 1º de janeiro de 2009, data da transição para os CPCs. As alterações introduzidas pelas normas previstas nos CPCs, não tiveram efeitos relevantes sobre as demonstrações financeiras referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2009, possibilitando a comparabilidade entre os exercícios. 4. Caixa e equivalentes de caixa A posição de caixa e equivalentes, em 31 de dezembro, estava assim representada: 2010 2009 Caixa e Bancos 315.613 149.270 Aplicações Financeiras 1.134.044 980.607 1.449.657 1.129.877 5. Investimentos 2010 2009 Ações - 18.373 Imóveis (i) 743.000 743.000 Título de capitalização (ii) 6.222 - (Depreciação) (55.288) (42.264) 693.934 719.109 (i) Os investimentos da Entidade incluem salas do Edifício Work Center, à Av. Afonso Pena, no. 3.111, em Belo Horizonte – MG, reavaliadas de acordo com Laudo no. 481, em 31 de outubro de 2006. Os referidos imóveis são alugados a terceiros conforme preços de mercado e suas rendas revertidas ao objeto social da Entidade e possui depreciação de 1,75% a.a. (ii) O titulo de capitalização se refere a pagamento de caução à SJ Administradora de Imóveis Ltda, como garantia da locação da sala 807 localizada á Rua Pedro Borges, nº 20, a qual está situada o escritório do Fundo Cristão para Crianças em Fortaleza/CE. O titulo tem vigência de 12 meses, tendo iniciado em 19/07/2010, sendo atualizado pela Taxa de Remuneração Básica aplicada ás cadernetas de poupança (TR) que corresponde ao rendimento das cadernetas de poupança sem a parcela de juros mensais. Ernst & Young Terco| 10
  • 13. Fundo Cristão Para Crianças Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 (Valores expressos em reais) 6. Imobilizado Os bens imobilizados da Entidade foram reavaliados conforme Laudo de Reavaliação emitido pela empresa Dhisa Auditores Associados, no. 481, datado de 31 de outubro de 2006, quando suas taxas de depreciação, vida útil remanescente e valores foram ajustados conforme laudo. Taxa de depreciação ao ano % 2010 2009 Terrenos 1.167.000 1.167.000 Edificações 2,5% a 4,0% 3.776.700 3.776.700 Máquinas e equipamentos 8,0% a 11,0% 102.689 85.158 Móveis e utensílios 8,0% a 10,0% 28.649 29.857 Veículos 6,0% a 20% 260.700 260.700 Computadores e periféricos 11% a 25% 256.386 252.757 5.592.124 5.572.172 Depreciação/Amortização acumulada (709.262) (539.900) 4.882.862 5.032.272 A Entidade não alterou a forma de utilização do seu imobilizado, como também, não identificou desgastes e quebra relevante inesperada, progresso tecnologico e mudanças nos preços de mercado que indicassem que o valor residual ou vida útil dos ativos necessitassem de modificação. 7. Intangível 2010 2009 Saldo anterior 83.499 114.330 Adições do período 271.179 22.988 (-) Baixas (1.538) (32.259) (-) Amortizações (36.663) (21.560) Doações não identificadas a repassar 316.477 83.499 Com o objetivo de melhorar seus processos de gestão, em 2010 o Fundo Cristão para Crianças iniciou o processo de implementação do software de gestão integrada Peoplesoft doado pela empresa Oracle Sistemas do Brasil, incorrendo em gastos no valor de R$ 261.320. Ernst & Young Terco| 11
  • 14. Fundo Cristão Para Crianças Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 (Valores expressos em reais) 8. Doações a repassar No momento do recebimento, as doações são registradas na rubrica “Doações não idenficadas a repassar”. Ao serem identificadas, estas são reclassificadas de acordo com sua natureza. Eventualmente, o saldo residual desta conta, refere-se a recursos ainda em processo de reconhecimento. Em 2010, o saldo residual foi de R$ 147.082 (R$ 84.362 em 2009), conforme a seguir: 2010 2009 Saldo anterior 84.362 137.287 Doações recebidas e não identificadas 9.288.667 9.665.468 Doações recebidas e identificadas conforme sua natureza (9.225.947) (9.718.393) Doações não identificadas a repassar 147.082 84.362 O Fundo Cristão para Crianças controla em contas patrimoniais os efeitos de gratuidade dos presentes de padrinhos destinados às crianças apadrinhadas (DFC´s – Designated Fund Certificate), mantendo em seu passivo circulante os valores arrecadados para posterior repasse. O saldo de DFC´s repassado no exercicio foi: 2010 2009 DFC´s de doações internacionais 3.426.716 4.168.914 DFC`s de doações nacionais 1.228.911 1.139.213 4.655.627 5.308.127 9. Subvenções a repassar A Entidade reconhece as subvenções quando há segurança de que cumprirá as condições estabelecidas pelos parceiros e de que a subvenção será recebida ou quando já foi recebida. Em 31 de dezembro a Entidade possuia em seus livros os seguintes registros: Subvenções a apropriar passiva 2010 2009 Subvenção campanha Pague Menos 86.948 110.877 Subvenção Pacto pela Vida - 36.275 Subvenção Programa Esportista Cidadão - PEC 888.628 - Subvenção outros 15.865 - Total das subvenções a realizar 991.441 147.152 Ernst & Young Terco| 12
  • 15. Fundo Cristão Para Crianças Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 (Valores expressos em reais) 10. Provisão de férias e encargos A posição de provisão de férias e encargos, em 31 de dezembro, estava assim representada: 2010 2009 Provisão para férias 199.334 192.122 Encargos s/ férias 18.191 17.543 217.525 209.665 11. Patrimônio Líquido Os resultados dos períodos são mantidos na rubrica “Superávit/Déficit acumulado’’, enquanto não aprovados pela Assembléia Deliberativa e, após a sua aprovação, são transferidos para a conta de Patrimônio Social. O patrimônio social da Entidade, no montante de R$ 1.897.267 (R$ 2.741.456 em 2009) em 31 de dezembro de 2010, representa o montante inicial aportado para inicio das atividades da Entidade, sendo aumentado ou reduzido anualmente em função do superávit ou déficit apurado. 12. Doações A Entidade recebeu doações e subvenções durante o exercício registradas em contas de receita da seguinte forma: 2010 2009 Subsídios internacionais 14.863.101 18.636.555 Verbas do orçamento operacional 3.668.675 3.472.804 Outras doações recebidas 435.839 1.221 Doações externas 18.967.615 22.110.580 Subsídios brasileiros 2.767.276 2.625.850 Arrecadações nacionais para custeio 1.696.073 1.609.392 Outras doações recebidas 86.372 123.601 Doações locais 4.549.721 4.358.843 23.517.336 26.469.423 As receitas com doações auferidas pela Entidade são provenientes do Brasil e do exterior, na forma de subsídios a projetos conveniados e verbas especiais a projetos. Não são registrados como receitas os presentes às crianças apadrinhadas (DFCs), que são tratados em contas patrimoniais até sua efetiva entrega aos destinatários. Essas receitas são proporcionadas pelo sistema de apadrinhamento e outras doações eventuais. A Entidade possui aproximadamente 10 mil crianças apadrinhadas por brasileiros e 46 mil crianças apadrinhadas por estrangeiros. Em função desta característica, o Fundo Cristão para Crianças fica exposta a realização efetiva dos repasses da entidade internacional para manutenção dos seus objetivos. Ernst & Young Terco| 13
  • 16. Fundo Cristão Para Crianças Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 (Valores expressos em reais) 13. Concessão de Gratuidades (Repasse a Projetos Conveniados) As gratuidades convertidas à comunidade carente estão registradas dentro do grupo de despesas ordinárias, conforme demonstrado a seguir: 2010 2009 Subsídios – Projetos conveniados 17.580.414 21.095.327 Verbas especiais a projetos 394.110 281.657 Apoio a Programas Sociais 2.055.341 1.321.915 20.029.865 22.698.899 As verbas e subsídios recebidos foram aplicados em projetos conveniados à Entidade, firmados e lançados em conta específica de despesa, tenho as seguintes principais entidades conveniadas: GEDAM, Grupo de Apoio do Cabana, GCRIVA, Conselho de Pais Criança Feliz, PROJAC (Sede), APLANT, AMPLIAR, PROSESC, APRISCO, AMAI, ABITA, ARAI, ASSOCIAR (Sede), ACHANTI, CONACREJE, ASCPOPP, ASCAI, ARAIC, Projeto do Bem Estar Comunitário, Projeto Famílias Reunidas, Assoc. Sonho Infantil, Projeto Criança Feliz, Projeto União, Projeto Alegria da Criança, Projeto Feliz Jornada, Frente Beneficente para Criança, Frente de Ass. A Criança Carente, Conselho B.C. e T. Quitaius, Sociedade de E. S. a Família, União Popular Pela Vida, Sociedade de A. a Criança, Sociedade de apoio a família, Centro de Apoio a Criança, Assoc. de Moradores de Frutilândia, entre outras. A finalidade dessas entidades conveniadas é, principalmente, a de apoiar programas sociais e de desenvolvimento de acordo com os planos de atividades. A Entidade mantém controle financeiro e realiza acompanhamento permanente sobre todas as verbas repassadas aos projetos conveniados. A cada repasse, a respectiva prestação de contas é obrigatória e, necessariamente, enviada ao FCC no prazo máximo de 20 dias do mês posterior ao do repasse, viabilizando o acompanhamento da coerência na aplicação das verbas. A verba destinada a “Apoio a Programas Sociais” são utilizadas para monitoramento da execução das atividades nas Organizações Conveniadas. Ernst & Young Terco| 14
  • 17. Fundo Cristão Para Crianças Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 (Valores expressos em reais) 14. Despesas Gerais O grupo de despesas gerais considera diversas despesas necessárias à operacionalidade da Entidade, sendo as mais relevantes: 2010 2009 Despesas c/ publicidade e propaganda 28.428 345.503 Despesas c/ viagens 180.100 192.042 Despesas c/ postais 173.465 79.057 Despesas entre escritórios 157.437 176.451 Despesas c/ telecomunicações 69.261 151.851 Despesas c/ reuniões, conferências e eventos 24.509 55.052 Taxa de condomínio 81.108 90.645 Despesas c/ material de escritório 32.389 67.291 Despesas c/ energia elétrica 59.528 62.783 Despesas c/ taxas diversas 37.822 49.845 Despesas c/ alimentação 40.612 27.381 Despesas c/ manutenção de instalações e equipamentos 27.194 37.710 Outras 166.472 144.223 1.078.325 1.479.834 15. Despesas das Organizações Conveniadas Entre as despesas gerais, em 2010 a Entidade passou a custear despesas específicas de suas Organizações Conveniadas de modo a fazer uma melhor gestão destes referidos gastos, dos quais podemos destacar: 2010 2009 Honorários de Auditoria 458.889 105.487 Serviços de Tradutores 207.349 95.137 Despesas c/ postais 312.342 144.435 Outras 56.496 4.899 1.035.076 349.958 Ernst & Young Terco| 15
  • 18. Fundo Cristão Para Crianças Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 (Valores expressos em reais) 16. Despesas com depreciação/amortização Após reavaliação dos bens do ativo imobilizado, conforme laudo emitido pela empresa Dhisa Auditores Associados, no. 481, em 31 de outubro de 2006, a Entidade passou a registrar os efeitos da depreciação dos bens reavaliados no resultado do exercício, com base na vida útil informada no laudo, sendo a reserva correspondente simultaneamente transferida para a rubrica “Déficit ou Superávit acumulado no Patrimônio Líquido’’. Os efeitos de depreciação correspondentes à reavaliação e ao custo original no resultado do exercício podem ser assim demonstrados: 2010 2009 Despesas de depreciações (custo líquido) 85.615 63.048 Despesas de amortizações 12.286 9.527 Despesas de depreciações/amortizações (custo reavaliado) 157.367 169.089 255.268 241.664 17. Seguros Em 31 de dezembro de 2010, a Entidade mantinha cobertura de seguros para o seu imobilizado em montante considerado pela mesma suficiente para cobrir eventuais sinistros. 18. Isenções Em função da isenção tributária quanto ao INSS patronal, por se tratar de entidade sem fins econômicos, devidamente regularizada nos órgãos normativos, não foram recolhidos nos exercícios de 2010 e 2009 os seguintes valores: 2010 2009 INSS Patronal - Fopag 451.644 403.993 INSS Patronal – Autônomos 48.650 57.030 INSS Patronal – Cooperativas 11.700 10.516 511.994 471.539 Ernst & Young Terco| 16
  • 19. Fundo Cristão Para Crianças Notas explicativas às demonstrações financeiras--Continuação Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 (Valores expressos em reais) 19. Instrumentos financeiros Os valores de mercado dos ativos e passivos financeiros foram determinados com base em informações de mercado disponíveis e metodologias de valorização apropriadas. O uso de diferentes premissas de mercado e/ou metodologia de estimativa poderão ter um efeito diferente nos valores estimados de mercado. Baseada nessa estimativa, a Administração entende que o valor contábil dos instrumentos financeiros equivale aproximadamente a seu valor de mercado, conforme descrito abaixo. Em 31 de dezembro de 2010, os principais instrumentos financeiros estão descritos a seguir: ► Caixa e equivalentes de caixa - está apresentado ao seu valor de mercado, que equivale ao seu valor contábil. Nos exercícios de 2010 e 2009 a Entidade não realizou operações com derivativos. Ernst & Young Terco| 17